Archive for dezembro 2nd, 2010

02/12/2010

Silas Malafaia desabafa em seu programa; “Eu não cheguei agora não meu irmão”


Silas Malfaia x Edir Macedo 250x207 Silas Malafaia desabafa em seu programa; Eu não cheguei agora não meu irmãoNo programa Vitória em Cristo do dia 27 de novembro, pastor Silas Malafaia fala sobre sua caminhada como líder. Ele faz uma retrospectiva de fatos históricos em que se posicionou a favor da Igreja Evangélica e fala sobre sua luta política contra a PL 122 e o aborto.

Também fala sobre as últimas eleições e suas rusgas com o líder da Igreja Universal, bispo Edir Macedo.

02/12/2010

Igreja Quadrangular lança sua Bíblia da Mulher


Igreja Quadrangular lança sua Bíblia da Mulher 142x250 Igreja Quadrangular lança sua Bíblia da MulherEm outubro último, a Igreja do Evangelho Quadrangular (IEQ) lançou uma edição personalizada da consagrada Bíblia da Mulher. A iniciativa foi possível graças ao projeto Bíblia de Afinidade da SBB.

Intitulada de Bíblia da Mulher Quadrangular e com tiragem inicial de 1,5 mil exemplares, a obra foi concebida para angariar recursos na construção de novos templos da denominação em lugares carentes do estado paulista. Com texto bíblico na tradução Almeida Revista e Atualizada (ARA), possui encarte especial de 20 páginas com o histórico da igreja.

“Foi um grande sonho realizado publicar uma obra dessa importância em parceria com a SBB”, afirma a pastora Soraya Jabur Madureira, coordenadora estadual de mulheres da IEQ.

Segundo ela, a Bíblia nasceu do desejo antigo de abençoar o estado de São Paulo com templos em comunidades necessitadas. “Nossa mulheres abraçaram essa causa com muito amor e empenho. A Bíblia agradou de forma unânime e nos uniu ainda mais em torno de um projeto. Tem sido uma experiência maravilhosa”, testemunha a pastora.

Os interessados (as) em adquirir a Bíblia da Mulher Quadrangular devem entrar em contato por meio do coordgmmsp@hotmail.com ou pelo tel. (19) 3861-2378.

Congresso de Mulheres

A Bíblia da Mulher Quadrangular foi especialmente lançada durante o Congresso Estadual das Mulheres de São Paulo, realizado em Serra Negra (SP), entre 22 e 24 de outubro. Promovido pela Coordenadoria Estadual das Mulheres da Igreja do Evangelho Quadrangular, o evento reuniu mais de cinco mil cristãs e contou com a participação especial da SBB, que também fez no local a divulgação da campanha do Dia da Bíblia 2010.

Fonte: SBB

02/12/2010

Cristãos que vivem em Israel pedem oração por chuva


Cristãos que vivem em Israel pedem oração por chuva 213x250 Cristãos que vivem em Israel pedem oração por chuvaAs principais fontes de água de Israel estão em um nível muito baixo, aquém de todos os níveis de alerta vermelho. Devido a esta grave seca, há pessoas em todo o país jejuando e orando ao Criador do universo, para ter misericórdia e compaixão e mandar a chuva para suas terras. Os membros da equipe do Center for Jewish-Christian Understanding and Cooperation (CJCUC, sigla em inglês que significa Centro para o Entendimento e Cooperação Judaico-cristão) pedem aos outros povos cristãos do mundo que intercedam por aquele país durante este período difícil.

Dizem os líderes do CJCUC: “Por favor, montem grupos de oração em suas comunidades locais para orar por uma chuva que vai ser uma bênção para Israel, e que permitirá que possa se cumprir Deuteronômio 28:12, que diz: “O Senhor Deus te abrirá o seu tesouro de bondade, o céu, para fornecer chuva para a tua terra no seu tempo e para abençoar todas as obras da tua mão. E emprestarás a muitas nações, porém tu não tomarás emprestado”.

Fonte: Soma / Gospel Prime

02/12/2010

Grupo Sisterhood da IURD tem o objetivo de resgatar a essência feminina colocada por Deus em cada mulher


Entenda o que é o Sisterhood 250x187 Grupo Sisterhood da IURD tem o objetivo de resgatar a essência feminina colocada por Deus em cada mulherDesde dezembro de 2009, as jovens da Igreja Universal do Reino de Deus, de idade entre 14 e 30 anos, podem se inserir em um grupo chamado Sisterhood. A equipe tem a finalidade de resgatar a essência feminina colocada por Deus em cada mulher.

Apesar do pouco tempo de existência, o grupo já está presente em diversos países, mudando a vida de milhares de jovens. De acordo com a idealizadora do projeto, Cristiane Cardoso, filha do bispo Edir Macedo, a ideia surgiu quando ela estava em trabalho missionário no Texas, buscando inspiração para ajudar o maior número possível de jovens. “Eu percebi que as adolescentes engravidavam muito cedo. Por isso, comecei a fazer reunião com elas, época em que surgiu o Sisterhood. Em princípio, o grupo era para atender somente a necessidade local dos Estados Unidos, mas em 1 mês tivemos tantos testemunhos que chamou a atenção do meu pai. Ele decidiu expandir esse trabalho para os outros países, indicando esposas que teriam o perfil para participar deste projeto, que tem como meta fazer das jovens, mulheres de Deus, e também ganhar almas por meio delas”, explica Cristiane.

Para a participante, Erika Gomez, de 22 anos, a experiência de fazer parte do grupo tem feito com que ela se torne uma pessoa diferente. “Eu não costumava me cuidar fisicamente ou cuidar da minha casa. Agora, isso é um hábito. Eu aprendi que a forma com que eu realizo todos os meus deveres pessoais e as tarefas do lar são um modo de glorificar a Deus. E que devo aplicar isso em todas as áreas da minha vida. Para mim, o Sisterhood é uma oportunidade de aprender e crescer mais espiritualmente e fisicamente”, declara.

Porém, para participar deste seleto grupo, as membros e futuras Pledges – como são chamadas as iniciantes – têm de executar várias tarefas que envolvem atividades beneficentes, como, por exemplo, visitas a asilos, hospitais e presídios; afazeres no próprio lar, como preparo de refeições para família e organização de ambientes; leitura de livros cristãos e mensagens do blog da equipe; até o cuidado com a aparência, promovendo cortes de cabelos e maquiagens. Além disso, elas devem seguir a risca algumas regras estabelecidas pelo “Código Sisterhood”, que são as seguintes: ser atraente no falar e no comportamento; ser discreta na aparência; ser um exemplo positivo dentro de casa; ser corajosa e humilde para aceitar correção e estar disposta a mudar; e construir uma fé sólida em Deus.

As atividades são avaliadas pela responsável de cada estado, chamadas de Big Sisters, que para muitas jovens acabam exercendo o papel de uma verdadeira mãe. “As Big Sister têm que dar uma tarefa pessoal, de acordo com o comportamento da Pledge. Por isso, o número de participantes é limitado”, comenta Cristiane.

Para ser aceita no grupo, a membro da IURD deve estar atenta ao mês do Rush, período em que são agendadas as entrevistas com as Big Sisters para a seleção de novas integrantes. Em 2011, o mês escolhido para a formação de um novo grupo é janeiro, na última semana.

Se você deseja fazer parte deste grupo que tem mudado a vida de milhares de jovens acesse o site www.godllywood.com

Fonte: Arca Universal / Gospel Prime

02/12/2010

Cristãos presos durante o ramadã são libertos na Argélia


Argelino observa a cidade 250x189 Cristãos presos durante o ramadã são libertos na ArgéliaDois cristãos, Hocine Hocini e Salem Fellak, foram absolvidos da acusação de infringir as regras do ramadã na Argélia. Presos em agosto depois de vistos almoçando durante o mês de jejum do islã durante o dia, no canteiro de obras, onde trabalhavam, na Cabília, Argélia, norte do país. Os homens admitiram ter comido, mas disseram ter feito discretamente.

Hocini e Fellak foram acusados de “ofender o islã”, e um promotor público exigiu uma pena de três anos de prisão. Porém, no julgamento do dia 5 de outubro, o juiz rejeitou o caso fora do tribunal, dizendo: “Nenhum artigo [da lei] contém um procedimento judicial contra os homens.”

Um grupo de pessoas que se reunia em frente ao tribunal durante a manhã, aplaudiu quando ouviram o veredito. A Argélia é um país de maioria muçulmana; o pequeno número da cristãos chega a algumas dezenas de milhares de pessoas, quase todos eles convertidos do islamismo.

Pedidos de oração:

• Louvado seja o Senhor que os dois homens foram liberados de qualquer delito; ore para que suas vidas voltem ao normal, sem medo de assédio maiores ou futuros recursos do Ministério Público, o que causaria uma alteração na sentença.
• Existem dois casos semelhantes agendados para julgamento nas próximas semanas, então ore para que esse caso tenha aberto um precedente positivo. Ore para que a pequena minoria cristã na Argélia se mantenha firme em sua fé.

Fonte: Portas Abertas /Gospel Prime

02/12/2010

Cristão condenado por “blasfêmia” é apedrejado na prisão


Igreja no Paquistão Cristão condenado por blasfêmia é apedrejado na prisãoEm 29 de outubro, muçulmanos presos em uma prisão no noroeste da província de Punjab, no Paquistão, apedrejaram quase até a morte um cristão condenado injustamente de “blasfêmia”, segundo o pai da vítima.

Imran Masih, de 19 anos e membro da Igreja Protestante do Paquistão (tradução livre), ainda se recupera no hospital distrital Hazro, onde foi admitido na Unidade de Terapia Intensiva no dia do ataque.

Ele trabalhava em uma barbearia de Hazro, perto de Attock, em julho de 2009, quando o proprietário, Nadeem Haider, o acusou de roubar 5.000 rúpias (60 dólares americanos).

O funcionário da delegacia de polícia local Junaid Mirza disse aos investigadores e a Compass Direct que Haider  pagou o inspetor Jamal Khan da delegacia de Madina para torturar Masih. Haider e Khan, então aumentaram a acusação de blasfêmia contra Maomé, o profeta do islã, e a Corte do Tribunal Judicial de Risalat Khawaja (tradução livre) condenou Masih a 10 anos de prisão em 03 de agosto.

Em 29 de outubro Masih estava sentado após as orações de sexta-feira quando um grupo de presos começou a apedrejá-lo com as rochas dos campos da prisão, gritando que ele era um blasfemo e deve ser morto.

Haider disse no mês passado ao pai de Masih, Basharat Masih, que garantiria que o filho não sairia vivo da prisão. O ancião Masih suspeita de Haider e Khan como arranjadores do apedrejamento.

Fonte: Portas Abertas

02/12/2010

Assassinatos contra gays: dados manipulados


Por Júlio Lins) Segundo reportagem da Agência Câmara, “pesquisas registram mais de 200 assassinatos a homossexuais em todo o país”. Sim, mas assassinados por quê? Pelo fato de serem homossexuais? Pelo fato de estarem em ambientes marcados pela violência? Pelo consumo de drogas? Pela libertinagem? Por latrocínios? Pelo fato de estarem de madrugada em ruas e bairros perigosos? Não se cita. Assim sendo, parece que, se um homossexual estiver andando de madrugada na Vila Cruzeiro no Rio de Janeiro e calhar de ele ser assassinado, engrossará as estatísticas de “assassinatos contra homossexuais”.

Não bastasse a ausência de detalhes em tais pesquisas, todos os veículos de imprensa falham em mencionar que, no Brasil, no ano de 2007, ocorreram 47.707 assassinatos. Logo, se cerca de 200 são contra homossexuais, então o número de assassinatos contra homossexuais é 0,42% do total.

Homossexuais representam 0,42% da população? Certamente não. Não há pesquisas isentas sobre o número de homossexuais no Brasil, embora os grupos gays mais radicais dizem chegar a 9% da população. No entanto, na Europa, onde a aceitação ao homossexualismo é maior que no Brasil, a porcentagem de gays não chega a passar de 2%.

No Reino Unido, segundo pesquisa da ONS (Office for National Statistics), feita com quase 250.000 pessoas, chegou-se à conclusão que 1,3% dos homens são gays, 0,6% das mulheres são lésbicas e 0,5% são bissexuais. No total, 1,5% das pessoas são gays ou bissexuais.

Na Espanha, pesquisa da INE, baseada em 10.838 entrevistas praticadas no último semestre de 2003, assinalou que somente 1% da população mantém relações exclusivamente homossexuais. A população que reconhece ter tido em alguma ocasião este tipo de relação ao longo de sua vida é de 3%, 3,7% entre os homens e 2,7% entre as mulheres.

No Canadá, pesquisas feitas em 2003 com 121.000 adultos canadenses mostrou que somente 1,4% se consideravam homossexuais.

O fato é que, de uma forma ou de outra, se o número de assassinatos contra gays é de cerca de 200, os gays estão subrepresentados quanto ao total de assassinatos, ou seja, os gays são menos propensos a sofrer violência e assassinatos que o resto da população, ao contrário do que a grande mídia propala.

Alguém poderia dizer: e a agressão contra um homossexual ocorrida recentemente em São Paulo? Eu responderia: Sim, é um caso deplorável, mas se a pessoa agrediu o homossexual, o Código Penal já prevê punição para ela; o que não pode acontecer é o crime se tornar maior pelo fato de o agredido ser homossexual, pois isso configuraria uma discriminação contra todos os não-homossexuais.

Quantas pessoas morrem por ano em filas de hospitais? Seriam menos de 200? E o número de mendigos mortos queimados, principalmente no Nordeste? Seriam menos de 200 por ano? Quantas pessoas inocentes morrem por dia na violência das grandes cidades? Seriam menos de 200 por ano? Quantos policiais morrem vítimas da violência? Quantas pessoas morrem por ano vítimas das drogas? Quantas pessoas morrem por ano em acidentes de trânsito? Seriam menos de 200?

Logo, não faz sentido nenhum as polícias e o Poder Judiciário desviarem a atenção dos 99,58% de assassinados no Brasil (uma vez que a segurança pública brasileira é insuficiente para atender as pessoas que mais precisam dela) para dar tratamento especial a uma minoria de 0,42% que, aliás, está subrepresentada nas estatísticas de assassinatos.

Fonte: O Verbo

%d blogueiros gostam disto: