Archive for dezembro 20th, 2010

20/12/2010

Crianças serão atacadas com Kit Gay


Crianças serão atacadas com Kit Gay

Crianças das escolas públicas de todo o Brasil receberão um DVD com cenas de homossexualismo, que será distribuído em 2011. Uma petição contra tal ação foi feita no Ministério da Educação (MEC) na internet.

Com recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), a campanha é resultado de um convênio entre o MEC e a ONG Comunicação em Sexualidade (Ecos), conforme publicado no Correio Braziliense.

O kit gay irá conter um DVD com a história de um menino que ao entrar no banheiro se depara com seu colega urinando, e logo depois se declara apaixonado, e se dizendo Bianca. Este é apenas um dos vídeos que são acompanhados de boletins e cartilhas com abordagem do universo de adolescentes homossexuais que será distribuída para 6 mil escolas da rede pública em todo o país do programa Mais Educação.

Veja o vídeo da TV Senado sobre o caso:

http://www.youtube.com/watch?v=sdfcWG-1XAY&feature=player_embedded

REPORTAGEM DO CORREIO BRAZILIENSE

Parte do que se pretende apresentar nas escolas foi exibida ontem em audiência na Comissão de Legislação Participativa, na Câmara. No vídeo intitulado “Encontrando Bianca”, um adolescente de aproximadamente 15 anos se apresenta como José Ricardo, nome dado pelo pai, que era fã de futebol. O garoto do filme, no entanto, aparece caracterizado como uma menina, como um exemplo de um travesti jovem. Em seu relato, o garoto conta que gosta de ser chamado de Bianca, pois é nome de sua atriz preferida e reclama que os professores insistem em chamá-lo de José Ricardo na hora da chamada.  O jovem travesti do filme aponta um dilema no momento de escolher o banheiro feminino em vez do masculino e simula flerte com um colega do sexo masculino ao dizer que superou o bullying causado pelo comportamento homofóbico na escola.

Na versão feminina da peça audiovisual, o material educativo anti-homofobia mostra duas meninas namorando. O secretário de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade do MEC, André Lázaro, afirma que o ministério teve dificuldades para decidir sobre manter ou tirar o beijo gay do filme. “Nós ficamos três meses discutindo um beijo lésbico na boca, até onde entrava a língua. Acabamos cortando o beijo”, afirmou o secretário durante a audiência.

O material produzido ainda não foi replicado pelo MEC. A licitação para produzir kit para as 6 mil escolas pode ocorrer ainda este ano, mas a previsão de as peças serem distribuídas em 2010 foi interrompida pelo calor do debate presidencial. A proposta, considerada inovadora, de levar às escolas públicas um recorte do universo homossexual jovem para iniciar dentro da rede de ensino debate sobre a homofobia esbarrou no discurso conservador dos dois principais candidatos à Presidência.

O secretário do MEC reconheceu a dificuldade de convencer as escolas a discutirem o tema e afirmou que o material é apenas complementar. “A gente já conseguiu impedir a discriminação em material didático, não conseguimos ainda que o material tivesse informações sobre o assunto. Tem um grau de tensão. Seria ilusório dizer que o MEC vai aceitar tudo. Não adianta produzir um material que é avançado para nós e a escola guardar.”

Apesar de a abordagem sobre o adolescente homossexual estar longe de ser consenso, o combate à homofobia é uma bandeira que o ministério e as secretarias estaduais de educação tentam encampar. Pesquisa realizada pelas ONGs Reprolatina e Pathfinder percorreram escolas de 11 capitais brasileiras para identificar o comportamento de alunos, professores e gestores em relação a jovens homossexuais. Escolas de Manaus, de Porto Velho, de Goiânia, de Cuiabá, do Rio, de São Paulo, de Natal, de Curitiba, de Porto Alegre, de Belo Horizonte e de Recife receberam os pesquisadores que fizeram 1.406 entrevistas.

O estudo mostrou quadro de tristeza, depressão, baixo rendimento escolar, evasão e suicídio entre os alunos gays, da 6ª à 9ª séries, vítimas de preconceito. “A pesquisa indica que, em diferente níveis, a homofobia é uma realidade entendida como normal. A menina negra é apontada como a representação mais vulnerável, mas nenhuma menina negra apanha do pai porque é pobre e negra”, compara Carlos Laudari, diretor da Pathfinder do Brasil.

Fonte: Redação CPAD News / OGalileo com informações Leonardoconcon.net / Correio Braziliense

20/12/2010

Governador aponta juventude cristã como base do desenvolvimento


Governador aponta juventude cristã como base do desenvolvimento O governador do Huambo (Angola), Fernando Faustino Muteka, disse que a juventude cristã é a base fundamental da vida humana no que diz respeito a estruturação da sociedade, justiça e segmentação do cristianismo.

Falando na última quarta-feira (15) na cerimônia de abertura do II Encontro Nacional da Juventude da Igreja Evangélica Congregacional em Angola (IECA) e jovens de partidos políticos com assento parlamentar, o responsável acrescentou que “a juventude cristã é o centro das três dimensões nucleares da vida humana baseadas na estruturação da sociedade, realização da justiça e da segmentação do cristianismo nos diversos estratos da sociedade”.

Baseando-se nas divinas escrituras descritas no Evangelho segundo escreveu Mateus, Faustino Muteka considerou a juventude cristã como “sal da terra e espelho da sociedade”, aconselhando-a a assumir o seu papel na afirmação social, tendo patente em primeiro lugar a vida.

Com a duração de três dias, o encontro visou incentivar o resgate dos valores cívicos e morais, mobilizar a juventude ao abandono do uso excessivo de álcool e fazer com que sejam promotores de uma Angola tolerante e democrática.

Durante o encontro ainda foi abordado temas sobre a importância dos estudos “bíblicos”, “organizados à luz da doutrina cristã”, “importância da igreja para a vida” para o reforço da situação social, económica, cultural e política de Angola.

Fonte: Angola Press / Metodista.org.br

20/12/2010

Egípcio paga alto preço por se converter a Cristo


Egípcio paga alto preço por se converter a Cristo Um egípcio que deixou o islã para se tornar cristão, e que por isso perdeu sua esposa, seus filhos, e o seu negócio, pode também perder a liberdade, acusado judicialmente de “difamação” ao islã.

Ashraf Thabet, de 45 anos, está sendo processado por difamar uma religião reconhecida, Artigo 98f do Código Penal Egípcio. As acusações se baseiam na busca de Thabet por uma realização espiritual, que durou seis anos, período em que ele expressou suas dúvidas a respeito do islã e revelou às pessoas que estava aprendendo sobre Jesus Cristo. “Não havia relacionamento espiritual entre eu e Deus no islã. Tudo era baseado no medo e na rotina”, ele revelou.

As autoridades religiosas locais, revoltadas com as idéias e os posicionamentos de Thabet (ele conheceu a Cristo através de sites na internet e ficou impressionado com Jesus após assistir ao filme “A Paixão de Cristo”, pedindo, em seguida, uma Bíblia a um amigo), comunicaram o fato ao Serviço de Inteligência e Segurança do Egito, que logo interrogou o “herege” e o indiciou por difamação religiosa.

Se for considerado culpado, Thabet poderá passar cinco anos na prisão.  Mas, porque os promotores não têm se apressado para julgar o caso, o cristão vive numa situação de incerteza, sendo alvo de ameaças de morte por parte de pessoas de sua comunidade em Port Said no nordeste do Egito.

Líderes muçulmanos de seu bairro conseguiram convencer à sua esposa de pedir o divórcio e de abandonar o lar, levando consigo a filha de dez anos e o filho de seis do casal.

“Eles deram a ela o dinheiro necessário para entrar com o pedido de divórcio, deram um carro, e até um outro homem para casar”, queixou-se Thabet. “Eu não sei o que pode acontecer. Eles tornaram a vida muito difícil para mim. Não estou podendo recuperar o meu computador. Não estou podendo recuperar nada.”

Fonte: Portas Abertas

20/12/2010

Bíblia é lida em menos de dez minutos na praça


Bíblia é lida em menos de dez minutos na praça A união de crianças, jovens, adultos, enfim de famílias inteiras reunidas, proporcionou a leitura de toda a Bíblia Sagrada em menos de dez minutos na praça central de Campo Mourão (PR). O evento foi idealizado pela Opecam – Ordem dos Pastores Evangélicos de Campo Mourão -, e reuniu igrejas de várias denominações. Pastores de todo município e até de cidades vizinhas participaram da leitura com seus fiéis.

O tempo gasto para a leitura foi de 9m16seg62. A meta era completar os 1.189 capítulos em 10 minutos. Cada igreja ficou responsável por um livro, o qual distribuiu em capítulos entre seus membros. Ao final, um novo desafio foi lançado para 2011: ler tudo em cinco minutos. Para isso, cada um ficou responsável por levar mais um acompanhante para dividir a leitura.


Fonte: Notícias Cristãs

%d blogueiros gostam disto: