Pastor da Assembléia de Deus em Rio Preto está na mira da justiça por suposta falsidade ideológica


De acordo com jornal Diário Web a diretoria da Igreja Assembleia de Deus Ministério Rio Preto acham desnecessária a quebra de sigilo bancário da igreja e de outros seis membros da instituição que estão sendo investigados pela justiça.

A mega-igreja da cidade de São José do Rio Preto está na mira da justiça por um suposto crime de falsidade ideológica cometido pelo atual presidente da igreja, pastor Wanderley Melo.

Melo é acusado de usar assinatura falsa do pastor morto José Perozin para assumir a presidência da igreja em 2009. Ou outros cinco membros da igreja são acusados de receber carros e outros presentes de Melo para dar apoio no controle da igreja.

Por meio de nota oficial, eles alegaram que não é necessário abrir o sigilo bancário e que “uma simples solicitação aos pastores e a diretoria da igreja dos documentos era suficiente para que fosse entregue.”

Ainda de acordo com a nota da assessoria da igreja os pastores Osório Guson, João Nilton de Melo, Devair Garuti e o ex-gerente administrativo André Faustino Machado não receberam carros da entidade. Todos alegaram que pagam financiamento dos veículos.

O promotor de Justiça Antônio Baldin deve receber nos próximos dias o inquérito policial com o pedido da quebra do sigilo das contas bancárias dos membros da igreja. Em seguida o pedido da quebra de sigilo será encaminhado para análise do juiz da 3ª Vara Criminal, Diniz Fernando Ferreira da Cruz. O caso chegou ao Fórum na última sexta-feira.

Entenda o caso

Em 2009 falece o pastor presidente da Assembleia de Deus Ministério Rio Preto, José Perozin e um documento supostamente assinado por ele dava a diretoria da igreja para o pastor Wanderley Melo.

O pastor Aparecido Perozin, irmão do pastor falecido, reivindica para si a sucessão. E duas pericias constataram que a assinatura do documento apresentado por Melo era falsa.

Aparecido Perozin faz denuncias que Melo presenteava pastores para receber apoio e continuar no controle da igreja. De acordo com ele, Wilson Luiz da Silva teria recebido um Corsa; Osório Guson, um Honda Civic; João Newton de Melo, irmão do atual presidente da igreja e tesoureiro, um Renault Mégane; Devair Garutti, um Renault Sandero e André Faustino, um Corsa.

Fonte: Gospel Prime

2 Comentários to “Pastor da Assembléia de Deus em Rio Preto está na mira da justiça por suposta falsidade ideológica”

  1. Eu acho como tenho certeza que Deus entrará com providencia nesta causa e todos os acusadores serão julgados pelo Senhor, mas aqui vai uma dica para estes que tem procurado derrubar este ministério: Não se levantem contra o ungido de Deus nem contra sua igreja, pois, Deus é Deus poderoso é que além disso é o nosso advogado
    E para aqueles que têm ajudado em oração continuem…Porque “Toda ferramaneta preparada contra ao ungido de Deus não prevalecerá.

    A paz do Senhor e fiquem com Deus, preste bem atenção eu disse fiquem na presença de Deus não se escandalizem pelo que está acontecendo, Deus será e é conosco!!!!

  2. O que posso dizer?? Jesus tem misericordia de nós Senhor, se falam tanto, ha tantos escandalos em toos os lugares, não nos deixe Senhor, e te suplico, pois devido os escandalos a fé tem desaparecido,meu Deus tem compaixão Senhor socorre nos, socorre nos

Escreva Aqui seu Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: