Archive for abril 11th, 2011

11/04/2011

Ministério leva esperança à crianças do Japão


Ministério leva esperança à crianças do Japão Em meio ao caos deixado pelos terremotos, tsunami e vazamento radioativo que o Japão enfrenta, os jovens estão procurando por algo “normal” para se recuperarem desse constante clima de tensão. Missionários enviados pelo SEND, ministério internacional, estão tentando proporcionar aos jovens esse apoio. Para isso eles fundaram um campo de futebol durante a primavera.

A missionária veterana Ann Marie Smoker diz que quando os campos de futebol municipais, em Tóquio foram fechados por temor da radiação, eles decidiram formar os campos e usá-los como estratégia evangelística.  “Entramos em contato com as igrejas locais e pessoas da comunidade e abrimos o campo de futebol de segunda à sexta, das 9h as 15h30, e recebemos cerca de 130 crianças por dia”.

De acordo com Ann, esta é uma participação incomum para um evento cristão. “A maioria das crianças vem porque não tem mais nada para fazer. Durante este período de primavera, elas tinham sempre disponíveis campos de esportes, clubes privados e acampamentos da igreja”.

Cerca de metade dos jovens são provenientes de famílias não-cristãs.

Ann diz que é mais do que abrir um campo de futebol, é uma oportunidade para sempre compartilharem o Evangelho. “Algumas crianças saem antes do meio-dia. Então, durante este intervalo, um pastor de uma igreja local pode vir e compartilhar o Evangelho. Nós fazemos isso todos os dias.”

Muitos pais que voltam para alimentar seus filhos, também ouvem o Evangelho.

Ann conta que além de ensinarem um esporte e compartilharem o Evangelho, eles também conseguiram levantar US$ 1,5000 para as vítimas do terremoto através CRASH (sigla em inglês para Socorro Cristão, Assistência, Apoio e Esperança).

“Nós anunciamos que gostaríamos de levantar fundos para CRASH, para a clínica gratuita oferecida à comunidade. Então, as crianças começaram a vir com suas moedas como contribuição. Podemos dizer que as próprias crianças estão salvando seu subsídio.”

O ministério SEND continua a trabalhar através das igrejas locais na região para ajudar as vítimas do terremoto.

Fonte: Mission Network News / Redação CPAD News

11/04/2011

História de fé nas telas dos cinemas


História de fé nas telas dos cinemas Soul Surfer, a história de vida inspiradora na surfista Bethany Hamilton, 21 anos, a jovem cristã que teve seu braço arrancado por um tubarão-tigre será aberta em mais de 2 mil cinemas hoje (8), em todo Canadá.

Largamente comercializado e baseado na sua história de fé, Soul Surfer é estrelado por Anna Sophia Robb Betânia; Dennis Quaid como seu pai, Tom, Helen Hunt como a mãe de Bethany, Cheri e Carrie Underwood como líder de jovens da igreja Sarah Hill.

Antes mesmo de estrear, o filme já recebeu algumas críticas positivas. O Orlando Sentinel observou que Soul Surfer é “o melhor filme baseado em fé, edificante, divertido e maravilhosamente interpretado. O viés religioso é tratado com leveza como você esperaria de um filme sobre surfistas. Bethany mostra sua fé e determinação diante de uma calamidade, ela altera as suas prioridades e dá propósito a sua vida”.

Bethany e seus pais queriam que a história fosse contada de sua maneira. “Eu e minha família nos mantivemos firmes no que queríamos mostrar no filme: nossa fé em Jesus Cristo”, disse ela ao jornal.

“Ele realmente é muito melhor do que eu esperava. Ficamos com medo, você nunca sabe o que Hollywood vai fazer quando chegar uma história verdadeira”, disse a jovem.

Bethany que se tornou um surfista de alto desempenho profissional sofreu o acidente em outubro 2003. Para as filmagens feitas no Havaí foi utilizado um dublê para todas as cenas depois do ataque.

O filme é baseado no livro Soul Surfer: A Verdadeira História de Fé, Família e Luta, é vendido em algumas livrarias cristãs.

Duas correntes cristãs têm promoções ligadas ao filme. LifeWay Christian Stores está oferecendo cupons de um bilhete de U$10 dólares para ver o filme ou um voucher de U$5 dólares para a compra do DVDs. Berean Christian Stores também incentiva aos consumidores a assistirem o filme.

Fonte: Charisma News

11/04/2011

Menos 1/3 dos membros em 30 anos


Menos 1/3 dos membros em 30 anosAté 2040, a Igreja Evangélica da Alemanha (EKD, a sigla em alemão) deverá perder um terço dos seus atuais 24,2 milhões de membros.

A previsão, com base em dados estatísticos, é do secretário de finanças da igreja, Thomas Begrich, em entrevista ao Serviço de Imprensa Evangélica (EPD).

A Alemanha tem uma das menores taxas de natalidade do mundo, lembrou Begrich. Assim, o déficit de nascimentos tem reflexos nas estatísticas da igreja.

A saída voluntária de membros da igreja caiu pela metade nos últimos anos, em comparação à década de 90 do século passado. Ainda assim, a EKD registra uma diminuição de 150 mil pessoas por ano. “Aqui conseguimos fazer alguma coisa”, afirmou, reportando-se às quedas de evasão.

Já na Noruega, a frequência de fiéis nas celebrações da Igreja Luterana, que vem a ser a religião do Estado, é a mesma de 2000: uma vez ao ano.

Mas a Igreja Luterana da Noruega não quer se transformar numa “igreja meramente cerimonial”, disse Laila, Riksaasen Dahl, da igreja de Tunsberg, admitindo, contudo, que cresce o número de frequentadores ocasionais e diminui o número de frequentadores regulares.

Denominação oficial, o luteranismo vem perdendo fiéis na Noruega. Dos cinco milhões de noruegueses, 78% estavam vinculados à igreja no ano passado, contra 86,3% em 2000. Também a estatística de batizados experimentou queda no período, de 81,4% para 66,3%.

 

Fonte: Notícias Cristãs / Gospel Prime

11/04/2011

Culto é proibido em casas e universidades particulares no Cazaquistão


Culto é proibido em casas e universidades particulares no Cazaquistão No início de março o Pastor Andrei Panafidin, foi multado pela sétima vez, ele foi multado pelo “crime” de liderar “adoração religiosa” não registrada em Taraz, disseram batistas locais ao Fórum 18 News Service . Multa é de 100 vezes o salário mínimo local. Ele é do Primeiro Conselho de Igrejas Batista do Cazaquistão, conhecido por vir sendo multado desde junho de 2010.

Um oficial da Direção Regional Jambyl pela luta contra o crime organizado – que participou das invasões a congregação – insistiu ao Fórum 18:  “Isso é uma violação porque não há registro – todas as comunidades religiosas devem ser registradas”.

Em Shymkent um juiz local proibiu a Igreja Pentecostal de Nova Vida de realizar cultos em uma casa onde a congregação está registrada. E uma administração local em Almaty – com apoio da polícia secreta e intervenção do Ministério do Interior – proibiu uma universidade de alugar suas instalações para as comunidades religiosas.

Fonte: Christian Telegraph / Redação CPAD News

11/04/2011

Força Jovem Organiza Caminhada contra o Crack


O grupo Força Jovem Brasil, da Igreja Universal do Reino de Deus do Piauí, organizou no último dia 27, uma caminhada contra o crack prestando esclarecimentos por meio de palestras para alertar a sociedade sobre os riscos dessa droga.

O evento aconteceu na Vila Coronel Carlos Falcão, no bairro Dirceu Arcoverde, zona Sudeste da capital Teresina, e teve  apresentações de dança e de teatro, juntamente com a Banda Força Jovem.

Os jovens da igreja também organizaram palestras com o delegado que comanda a Delegacia Especializada de Prevenção e Repressão ao Tráfico de Entorpecentes no Estado (DEPRE), Samuel Silveira e a professora Zita Vilar, secretária executiva da Câmara Estadual de Enfrentamento ao Crack e outras drogas.

Esse evento foi montado com o intuito de mostrar que é possível ser feliz sem usar drogas. O que motivou a Força Jovem a sair nas ruas foram os dados recentes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) que divulgou que no Brasil há cerca de 1,2 milhão de usuários de crack e que a idade média para início do uso da droga é de 13 anos.

“O jovem pode ser feliz sem drogas. Por isto estamos fazendo este trabalho em todo o estado, oferecendo aos jovens que estão em situação de vulnerabilidade, esporte, cultura e lazer” explica o pastor Adelmo José que é coordenador do projeto Força Jovem do Piauí.

Dentro do grupo de jovens há um testemunho de uma pessoa que era usuária de drogas e hoje está liberta. Fernanda Alves, de 30 anos, que hoje trabalha como secretária, conta que conheceu as drogas com 15 anos e até foi expulsa de casa passando a morar nas ruas.

“Eu comia o que encontrava no lixo dos prédios e, quando lúcida, passava o dia no cemitério, pois era atraída pela morte. Achava que se eu morresse, encontraria a paz, tanto que tentei o suicídio várias vezes”, conta.

Ela viveu por muito tempo no submundo das drogas, do roubo e nas ruas. Mas, um vizinho que acompanhava o sofrimento de Fernanda, a convidou para participar de uma reunião do Força Jovem e ela aceitou.

“Hoje, graças a Deus estou livre dos vícios e transmito, mesmo sem falar uma palavra, a felicidade que procurei em diversos lugares. Minha vida é totalmente dedicada a salvar almas, jovens perdidos como eu estive um dia, enfim, vivo dignamente: tenho meu trabalho, um lar e uma família sem brigas”, finaliza.

Fonte:  Arca Universal

11/04/2011

Padre diz que hackers estão em missão de Deus


Em um artigo publicado na revista Cività Cattolica, o padre Antonio Spadaro elogia a “cultura hacker”, open source e wikis, dizendo que aqueles que estão dedicados à codificação, modificação de hardware e geração de conhecimento estão “em uma missão de Deus”.

O religioso faz questão de lembrar a diferença entre hackers e crackers para estabelecer paralelos entre a ética hacker e os ensinamentos cristãos: “hackers constroem coisas e crackers as destroem”.

“A filosofia hacker é descontraída mas comprometida, estimula a criatividade e ao compartilhamento, opondo-se aos modelos de controle, concorrência e propriedade privada”, diz Spadaro.

Por esse motivo o clérigo afirma que programar é “uma forma de participação no trabalho de Deus em criar o mundo”, e completa dizendo que “sob o fogo estão o controle, a concorrência e a propriedade. É uma visão de uma origem teológica clara”.

O religioso também faz  elogios ao modelo de compartilhamento de conhecimento da Wikipedia, “rede intelectual que foi capaz de transformar a própria ideia de produção cultural”. Em suas palavras, “estima-se que para criar a maior enciclopedia colaborativa da internet foram gastas 100 milhões de horas de trabalho intelectual, o que é o equivalente ao tempo que os cidadãos dos Estados Unidos gastam vendo publicidade na TV em um único final de semana”.

O artigo foi publicado na última edição da revista quinzenal Civiltà Cattolica, editada por padres jesuítas desde 1850 sendo uma publicação semi-oficial do Vaticano.

Com informações Tecnoblog

11/04/2011

Tunísia proíbe orações e manifestações religiosas nas ruas do país


O Ministério do Interior da Tunísia proibiu a partir de hoje (8) orações nas ruas de todas cidades do país. A ordem é que as manifestações religiosas ocorram apenas nos “locais de culto” sob alegação de que comportamentos diferentes deste são “estranhos à sociedade tunisiana”. As medidas são estabelecidas depois de o país viver uma onda de protestos e a renúncia do então presidente Ben Ali acusado de corrupção e violação de direitos humanos.

“O Ministério do Interior vai deixar de autorizar, a partir de agora, a ocupação da via pública por quem cumpre as orações fora dos locais de culto”, diz o comunicado. O documento apela ainda aos pais para que “sensibilizem seus filhos no sentido de não adotarem semelhantes comportamentos e procedimentos”.

O Ministério do Interior defendeu o “respeito à lei” e informou ter recebido “numerosas queixas por telefone e carta sobre a ocupação da via pública e praças públicas pelos fiéis que acompanham a oração”.

De acordo com o ministério, essa é a origem de alguns congestionamentos e de bloqueios à livre circulação nas ruas e avenidas de várias cidades da Tunísia. Segundo as autoridades, há ameaças aos interesses dos comerciantes, funcionários e trabalhadores.

Fonte: CPAD News

11/04/2011

Terry Jones afirma que queria “causar comoção” ao queimar o Alcorão


O pastor americano Terry Jones não imaginava que sua atitude durante um culto de “julgamento” traria uma revolta tão grande entre os afegãos e apesar de ficar comovido com a morte de 21 pessoas, durante as rebeliões dos mulçumanos nesse final de semana, ele não se sente culpado.

Para ele o julgamento do Alcorão e o ato de queimar um exemplar não deveriam causar tanta revolta assim. “Será que nossa ação os provocou?” perguntou o pastor. “Claro que sim. É uma provocação que pode ser justificada? É uma provocação que deve levar à morte? Quando advogados me provocam, quando bancos me provocam, quando repórteres me provocam eu não posso matá-los. Isso não funciona assim,” disse.

Sua igreja agora está vazia e seus seguidores andam armados (eles têm licenças, segundo ele), mas mesmo assim, Jones diz que faria tudo novamente porque só queria causar comoção. “Eu queria causar comoção. Se não balançamos o barco, todo mundo permanece complacente”, disse Jones em uma entrevista em seu escritório na Dove World Outreach Center. “Emocionalmente, não é fácil. As pessoas tentaram nos responsabilizar por aqueles que morreram. Isso é injusto e prejudicial”.

Fonte: Gospel Prime

11/04/2011

Jerusalém: Uma das cidades mais importantes da Bíblia


Jerusalém é considerada o coração de Israel por vários motivos, e não somente por ser sua capital. Localizada nas montanhas da Judéia, região central do país, entre os mares Morto e Mediterrâneo, a milenar cidade é uma das mais importantes em toda a Bíblia. Nela, há locais sagrados para três das principais culturas do mundo: cristãos, judeus e muçulmanos. Uma das cidades mais antigas do mundo tem uma história bastante confusa e conturbada.

A primeira menção a Jerusalém de que se tem notícia está em textos egípcios do século 19 antes de Cristo (a.C.). Desde essa época, a cidade tem uma história com altos e baixos, sempre disputada por vários povos e ainda hoje cenário de conflitos. Destruída e reconstruída várias vezes, hoje é um importante centro mundial, a despeito de seu pequeno tamanho (cerca de 125,2 quilômetros quadrados). O período mais importante, constante da Bíblia, começou quando o rei Davi escolheu a cidade como corte de seu reinado, unificando nela o centro do poder sobre as 12 tribos do povo hebreu.

Nela foram erguidos os famosos templos de Salomão e de Herodes, onde hoje se situa o islâmico Domo da Rocha, no Monte Moriá. Aos judeus não é permitido o acesso. Por isso, a eles é reservado apenas um pedaço externo da antiga muralha de arrimo do grande templo, ao oeste, conhecido como Muro das Lamentações. Lá, eles depositam seus lamentos e pedidos a Deus, em longas orações e em pedaços de papel entre as frestas das pedras.

As diversas lideranças

A partir da fixação da capital por Davi, os hebreus tornaram-se uma nação, fazendo da cidade seu centro político, religioso, econômico e militar. Em 931 a.C., logo após a morte de Salomão, filho e sucessor de Davi, Israel se viu em meio a uma guerra civil. Novamente os hebreus se separaram. Ao sul, Judá (onde Jerusalém estava), e ao norte, um novo reino de Israel. Em 722 a.C., os assírios conquistaram Judá. Tempos depois, eram os babilônios, governados por Nabucodonosor, os conquistadores do local. Quase toda a população foi deportada para a Babilônia (em 586 a.C.).

Logo depois, os persas a tomaram, permitindo a volta dos judeus do exílio. Mas as muralhas e paredes voltaram a ser derrubadas em 332 a.C., pelos macedônios, comandados por ninguém menos que Alexandre, o Grande.

Após tantas idas e vindas de conquistadores, os romanos tomaram Jerusalém, tornando-a em 63 a.C. a capital do reino de Herodes. Vieram os anos em que Jesus viveu entre os seres humanos, quando Jerusalém ainda era uma extensão do Império Romano. Lá ele foi morto e sepultado, ressuscitando após 3 dias.

Chega o ano de 66 depois de Cristo (d.C.), quando os judeus se rebelaram contra o domínio de Roma, então representada em Jerusalém pelo rei Tito. No ano 70, sem conseguir conter os rebeldes, Tito destrói a cidade, inclusive o grande templo, que havia sido reconstruído e reformulado por Herodes anos antes.

Vieram então os domínios islâmico (de 638 a 1099), das cruzadas cristãs e depois dos egípcios e mamelucos. Chega 1517, e Jerusalém é dominada pelos otomanos, que incluíram na invasão a Palestina. Os otomanos eram abertos a uma espécie de tolerância religiosa entre as três culturas monoteístas.

Já no século 20, o Reino Unido invade a cidade e a torna uma espécie de capital informal de uma região que abrange os atuais Israel, Faixa de Gaza e Jordânia, nomeando-a oficialmente Palestina. Após a Segunda Guerra Mundial, em 1947, a então novíssima Organização das Nações Unidas (ONU) dividiu o território da região entre judeus e palestinos. Jerusalém passou a ser administrada pela comunidade internacional, não pertencendo a nenhum dos dois lados. Mas o novo Estado de Israel entrou em conflito com os jordanianos e tomou a parte ocidental da cidade. Um acordo em 1949 estabeleceu que cada lado seria soberano sobre os lados que conquistaram. Jerusalém volta, então, a ser a capital de Israel. Em 1967, na famosa Guerra dos Seis Dias, os israelenses tomaram a parte dos jordanianos e reunificaram a cidade.

Pode-se dizer com certeza que a cidade ainda é alvo de conflitos. Os palestinos pretendem fazer de Jerusalém sua futura capital – do que, obviamente, Israel discorda.

A despeito dos conflitos, Jerusalém ainda é a maior e mais populosa cidade de Israel. Ainda hoje, pessoas de todo o mundo peregrinam a ela para conhecer de perto lugares importantes por terem sido cenário de passagens bíblicas, como o Monte das Oliveiras, o sepulcro de Jesus, os Portões Dourados, o próprio Monte Moriá com os restos do Templo e vários outros, que fazem parte da história de toda a humanidade.

O teor sagrado da cidade fica bem claro nos versos do Salmo 137 (versículos 5 e 6), de quando os judeus foram expulsos da cidade pela primeira vez:

“Se eu te esquecer, Jerusalém, que a minha mão direita esqueça sua destreza, que a minha língua se pegue em seu palato, se eu falhar em te recordar, se eu não elevar Jerusalém acima de minha maior alegria”.

A Jerusalém de hoje

A capital israelense é moderna, mas conserva traços do passado. Devido a uma lei municipal, é permitido construir na cidade somente com pedras claras, que conservam o estilo antigo do local. No entanto, essas pedras encobrem uma metrópole que progride cada vez mais. Shoppings, restaurantes internacionais, discotecas e bares noturnos são alguns dos exemplos do que pode ser encontrado.

Mas, como qualquer cidade, Jerusalém também tem suas mazelas. O trânsito, por exemplo, é um dos piores do país. Para tentar aliviar esse problema, está sendo construindo um moderno sistema ferroviário, que ligará os centrais pontos da cidade aos moldes do que se tem hoje nas principais cidades europeias. Alguns trechos já estão em funcionamento.

O Centro é um bairro alegre, colorido e cheio de pessoas do mundo inteiro. Nele, é possível comer faláfel (bolinhos fritos de grão-de-bico, que recheiam o pão sírio), sabich (pão sírio recheado com bastante berinjela frita, ovo cozido, humus, picles e condimentos), Shawarma (churrasco de carne de carneiro), e, para os menos simpáticos à culinária local, também há filiais de conhecidas redes de fast food.

Na Rua Jaffa (foto ao lado) há diversas lojas de judeus persas (do Irã). É o melhor lugar para comprar roupas e sapatos – além de farta variedade, pode-se pechinchar o preço.

O Shuk (mercado) Machané Yehuda, judaico, é o lugar ideal para comprar comida. Diferentemente do shuk Árabe da Cidade Velha, que vende mais bugigangas e souvenires, o mercado judaico é o lugar em que a população local compra frutas e verduras pelo melhor preço da cidade.

As frutas que existem em Israel são diferentes das espécies encontradas no Brasil. As tâmaras, doces e carnudas, são famosas no mundo inteiro. Lá também há muitas barracas de sucos naturais, nas quais é possível refrescar-se tomando, entre outros, suco de romã puro e feito na hora, com propriedades depurativas. Israel também é um grande exportador de laranjas de cor e sabor acentuados, excelente para o preparo de sucos.

O shopping Malcha, o principal de Jerusalém, localiza-se ao lado do estádio de futebol, o Beitar Yerushalaim, e é um pouco afastado do centro da cidade. Com um complexo de grifes internacionais e muitas lojas israelenses, é o local preferido da maior parte dos yerushalmim (nascidos em Jerusalém) no sábado à noite, quando encerra-se o Shabat.

A Emek Refaim é uma rua no bairro de Talpiot, com estilo moderno e despojado. É habitada, em sua maioria, por norte-americanos, o que torna mais comum ouvir inglês que hebraico. Possui diversos ateliês de moda e arte, além de ter os restaurantes mais chiques e caros da cidade.

O Shabat

No Sábado, dia de descanso para os judeus, quase nada funciona, nem mesmo as linhas de ônibus. Os bairros ortodoxos têm suas ruas fechadas para a circulação de carros. Um descanso necessário para uma cidade que não pára nunca, seja no trânsito, na agitada vida noturna ou no comércio. O pôr do sol de sexta-feira, refletido nas pedras brancas de Jerusalém, fica ainda mais apreciável com o silêncio que paira sobre a cidade sagrada.

Fonte: Arca Universal

%d blogueiros gostam disto: