Archive for abril 14th, 2011

14/04/2011

Confira como foi a abertura da 40ª Assembleia Geral Ordinária da CGADB


Cerca de 10 mil pessoas participaram do culto de abertura da 40ª Assembleia Geral Ordinária (AGO) da Convenção Geral das Assembleias de Deus (CGADB), realizado ontem à noite no Grande Templo da Assembleia de Deus em Cuiabá (MT). O conclave deste ano conta com mais de 3 mil inscritos, sendo cerca de 2,7 mil ministros da CGADB, além de centenas de irmãs que se inscreveram e vieram à capital mato-grossense para participar das reuniões da União Nacional de Esposas de Ministros das Assembleias de Deus (Unemad), presidida pela irmã Wanda Freire Costa e que ocorre no templo da AD no bairro de Alvorada.

Na abertura, a Grande Banda de Cuiabá, formada de 400 componentes de diversas congregações da cidade, executou o Hino Nacional. Na sequência, a Banda da Polícia Militar executou o hino do Estado. Louvaram ao Senhor a orquestra da AD em Comodoro (MT), o grupo da Capelania Hospitalar, o coral do Círculo de Oração do Grande Templo e os cantores da Patmos Music Victorino Silva, Lilia Paz, Marcelo Santos e Alice Maciel.

Marcaram presença na reunião de abertura autoridades e parlamentares, entre eles o governador do Mato Grosso, Silval Barbosa, que agradeceu a Deus e a AD pelo apoio; e o general da 13ª Brigada, João Batista Carvalho Bernardo, que afirmou sentir-se honrado em participar do evento. Participaram também outras autoridades e políticos da região.

O pastor Sebastião Rodrigues de Souza, líder da AD no Mato Grosso, dirigiu o culto. O pastor Arcelino Victor de Mello, líder da Convenção das ADs em Santa Catarina, fez a leitura oficial da noite, em Salmos 100. Após louvores, o pastor Sebastião passou a direção do culto para o pastor José Wellington Bezerra da Costa, presidente da CGADB, que saudou a igreja e apresentou alguns visitantes, dentre eles o pastor Thomas Trask, ex-superintendente do Concílio das ADs nos Estados Unidos e ex-presidente do Comitê Mundial das Assembleias de Deus.

O pastor José Wellington pregou com base em Atos 17.6b – “Estes que têm alvoroçado o mundo chegaram bem aqui” –, enfatizando em sua mensagem que “o mesmo alvoroço santo provocado pela Igreja Primitiva chegou ao Brasil há cem anos e ao Estado de Mato Grosso”. Houve fervor espiritual.

O culto se encerrou às 21h30. Hoje, a partir das 8h30, os pastores começaram um período de oração de meia hora no Grande Templo. Às 9h, teve início a primeira sessão convencional. Enquanto isso, também às 9h, no templo da AD em Alvorada, as irmãs da Unemad começaram as suas reuniões.

Fonte: CPAD News

14/04/2011

Pastor adventista é autor de texto achado na casa do atirador do Realengo


Um pastor adventista que mora na Bahia é autor de pelo menos um dos textos religiosos encontrados na casa de Wellington Menezes de Oliveira, 23, o atirador que invadiu a escola municipal Tasso da Silveira, na zona oeste do Rio, e matou 12 crianças na última quinta-feira (7). Uma missa e um ato ecumênico foram realizados nesta quarta-feira, no Rio, em homenagem às vítimas.

Havia pelo menos três textos de caráter religioso na casa de Wellington –leia todos eles aqui. Os temas dos textos do pastor eram inferno, alma e espírito, e morte e ressurreição. Nenhum deles induz a ataques homicidas nem faz apologia à violência.

Além desses impressos, a polícia também recolheu textos escritos de próprio punho pelo atirador, nos quais ele tece considerações sobre religião e conceitos de bem e mal.

Um trecho diz: “[…] faço todos os dias minha oração do meio-dia que é a de reconhecimento a Deus e as outras cinco que são de dedicação a Deus e umas 4 horas do dia passo lendo o Alcorão […] e algumas vezes medito no 11/09″.

Em outro trecho, o atirador registra: “meu tempo livre entrego a Deus ao invés de entregar aos prazeres passageiros do mundo… e sei que Deus olhará para meu sacrifício e minhas ações neste mundo com muito favor e satisfação e sei que serei muito bem recompensado.”

Procurado pela Folha, o pastor Demóstenes Neves da Silva, 53, confirmou a autoria do texto sobre o inferno e afirmou ser “muito provável” que os demais também sejam dele. Silva contou que até 2003 respondia perguntas de internautas sobre religião em um site adventista.

“Escrevi tanta coisa naquela época que não lembro de tudo, mas são temas correlatos e creio que todos sejam meus.”

O site ainda existe, mas o pastor não participa mais dele. Atualmente não é possível acessar nenhum de seus textos –segundo o pastor, por questão técnica. Mas outros sites copiaram e mantêm os textos no ar.

O pastor não faz pregações regulares porque se dedica exclusivamente à atividade docente nas Faculdades Adventistas da Bahia, na cidade baiana de Cachoeira (105 km de Salvador).

“Uma atitude dessa [o ataque do atirador] só pode ter sido cometida por alguém com um desvio muito sério”, avalia Silva.

Fonte: Folha

14/04/2011

Sociedade Bíblica lança a Bíblia da Mamãe


Sucesso nos Estados Unidos, chega ao Brasil a Bíblia da Mamãe. Aguardado com grande expectativa, este lançamento da Sociedade Bíblica do Brasil (SBB) é indicado para presentear mães e futuras mães de todas as idades, especialmente em datas comemorativas como o Dia das Mães e aniversários. Os recursos contidos na publicação ajudam a levá-las até a presença de Deus, onde encontrarão sabedoria e inspiração para poder desempenhar o seu papel materno, auxiliando e orientando seus filhos a partir dos sólidos princípios e valores bíblicos.

Com texto bíblico na tradução de Almeida Revista e Atualizada, a Bíblia da Mamãe é uma tradução da Mom’s Bible, publicada em 2010 pela editora Thomas Nelson. Os estudos e notas foram escritos por Bobbie Wolgemuth. Esposa, mãe e avó, a autora dirige grupos de estudo bíblico voltados especialmente para mães.

A Bíblia da Mamãe possui uma série de recursos, entre os quais quadros de estudos divididos em oito temas, com destaque para o intitulado “Perguntas de Criança”. Nessa seção, há 97 perguntas usualmente feitas pelos filhos, desde a tenra idade até a adolescência. A seleção dos conhecidos “por quês?”, que acompanham todo o desenvolvimento da criança até a fase adulta, são extremamente úteis para guiar as mães, à luz da Bíblia, no relacionamento com seus filhos.

A obra reúne, ainda, notas e referências cruzadas, introduções aos livros da Bíblia, índice de assuntos, leitura para dias especiais, textos famosos da Bíblia, como encontrar ajuda na Bíblia e o que a Bíblia diz sobre o perdão de Deus.

Outro diferencial da publicação é sua capa rosa decorada com textura na cor branca. Vem embalada em caixa de presente diferenciada, cuja edição é limitada.

Recursos:

Texto bíblico: Almeida Revista e Atualizada, 2ª edição
Notas e referências cruzadas
Introduções aos livros da Bíblia

Recursos (quadros de estudo) divididos em:
 Nosso Deus é…: destaca alguns pontos para a leitora conhecer Deus, que é Pai, Filho e Espírito Santo.
 Crescendo em…: aborda atitudes diárias das pessoas.
 Caráter divino: para fortalecimento do caráter divino e desenvolvimento de um coração em Cristo.
 Passando adiante: um olhar bíblico sobre o que é digno e importante de ser transmitido aos filhos.
 Mães da Bíblia: histórias de mães que são verdadeiros modelos a serem seguidos.
 Maravilhoso conselheiro: artigos escritos para ajudar a descobrir questões que devem ser abordadas de modo a libertar a mulher para ser aquilo que Deus espera.
 Reflexões: textos curtos ligados a passagens específicas da Bíblia, que oferecem uma saudável perspectiva bíblica para meditação e orientação quanto ao papel de mãe.
 Perguntas de criança: respostas úteis à luz da Bíblia para responder aos principais questionamentos da criança.
· Índice de assuntos
· Leitura para dias especiais
· Textos famosos da Bíblia
· Como encontrar ajuda na Bíblia
· O que a Bíblia diz sobre o perdão de Deus

Fonte: SBB

14/04/2011

Justin Bieber lamenta por não conseguir andar na Terra Santa


O cantor Justin Bieber lamentou no Twitter que não conseguiu andar pelos mesmos lugares que Jesus passou em Israel por causa do assédio dos paparazzi.

“Eu estou em terra sagrada e muito grato por isso. Apenas gostaria de vivenciar a mesma experiência que outras pessoas”, escreveu o jovem.

Tempo depois ele voltou ao microblog para reclamar dos fotógrafos que insistiam em segui-lo. “Você imaginaria que os paparazzi teriam algum respeito em locais sagrados. Tudo o que eu queria era uma chance de andar nos mesmos lugares que Jesus, aqui em Israel. Eles deveriam ter vergonha de si mesmos. Tirem fotos minhas comendo, mas não em um lugar de orações, ridículo”, desabafou.

O cantor, que professa a fé cristã, ficou bastante chateado por  não poder curtir essa viagem tão importante e informou que passará o resto da semana trancado no hotel.

Fonte: Gospel Prime / Pavablog

14/04/2011

Achados arqueológicos revolucionários postos sob suspeita


70 livros de metal supostamente descobertos em uma caverna na Jordânia foram aclamados como os primeiros documentos cristãos. Datados de poucas décadas após a morte de Jesus, os estudiosos dizem que os “códices” são a descoberta arqueológica mais importante da história.

Os livros são bastante inéditos, visto que nunca foram encontradas relíquias do movimento cristão primitivo. Aos poucos, porém, a excitação dessa descoberta foi acalmada por questionamentos quanto à autenticidade dos códices, cujo ponto de apoio eram páginas em chumbo fundido, ligadas por anéis de chumbo.

Recentemente, um tradutor aramaico, Steve Caruso, concluiu sua análise dos artefatos, e afirmou ter uma evidência irrefutável de que eles são falsos.

O especialista obteve fotos de todos os textos. Examinando-as, confirmou que havia um monte de formas de escrita aramaicas velhas (com pelo menos 2.500 anos), mas percebeu que elas estavam misturadas a outras formas de escrita mais jovens.

Olhando apuradamente, o tradutor concluiu que nunca havia visto um tipo de mistura daquelas. Os manuscritos mais novos que ele identificou, chamados Nabatean e Palmira, datam do segundo e terceiro séculos, o que prova que os documentos não poderiam ter sido escritos durante os primórdios do cristianismo.

Segundo a nova análise, mesmo os manuscritos mais antigos foram escritos por alguém que não sabia o que estava fazendo. Há inconsistências no modo como foi feita a ordem da escrita. O pesquisador afirma que os escribas tinham formas muito específicas de escrever. Além disso, vários caracteres apareceram “tremidos”, um erro que implica que eles foram copiados às pressas, e não são originais.

Um arqueólogo grego, Peter Thonemann, já tinha afirmado que as imagens que aparecem nos códices, incluindo uma de Cristo na cruz, eram anacrônicas. Segundo ele, a imagem que dizem ser Cristo é na verdade o deus do sol Hélios, a partir de uma moeda que veio da ilha de Rodes. Também há algumas inscrições em hebraico e grego nos manuscritos. O arqueólogo acredita que os códices foram falsificados nos últimos 50 anos.

O que não significa que os livros já foram desacreditados. Um estudioso de arqueologia religiosa antiga, David Elkington, continua a acreditar na autenticidade dos códices. Durante meses, ele e sua equipe têm tentado ajudar o governo jordaniano a recuperar os códices de Israel, para onde foram contrabandeados.

Eles argumentam que os códices mostram imagens de Jesus com Deus, bem como um mapa de Jerusalém e um texto discutindo a vinda do Messias. Além disso, os livros foram supostamente encontrados perto de onde refugiados cristãos acamparam, na época. A equipe ainda identifica um fragmento de leitura do texto que diz “Eu andarei em retidão”, uma possível referência à ressurreição de Jesus.

No entanto, David, um dos únicos defensores dos códices, parece estar sem credenciais acadêmicas. Outros estudiosos questionam que o “arqueólogo britânico” não é um arqueólogo. Ele parece não ocupar nenhum cargo ou posição acadêmica, e muitos dos seus trabalhos não seriam aceitos por qualquer acadêmico ou estudioso.

Os especialistas que fizeram análises posteriores dos códices – e que concluíram que eles são falsos – reclamam do embalo dos meios de comunicação. Segundo eles, a mídia acabou dando um impulso para o assunto. Algumas boas fotos provavelmente também ajudaram. Tudo parecia convincente sobre a superfície; com um pouco mais de tempo e prudência, os veículos teriam percebido que David Elkington, que trouxe o assunto para primeiro plano, está à margem da academia.

Relíquias cristãs falsas são relativamente comuns. Segundo pesquisadores, as pessoas querem muito encontrar provas materiais dos dois primeiros séculos do cristianismo, mas isso é muito difícil porque o número de cristãos neste período era incrivelmente pequeno – provavelmente menos de 7.000 por 100 d.C. – e eles não se distinguiam materialmente dos seus irmãos judeus

Fonte: Hype Science

%d blogueiros gostam disto: