Archive for maio 10th, 2011

10/05/2011

Igrejas querem reduzir 90% da emissão de carbono


Igrejas querem reduzir 90% da emissão de carbono O relatório, publicado ontem, propõe um “modelo de igreja” com uma série de medidas de baixa emissão de carbono que são mais apropriados para as igrejas.

Estes incluem o uso de contadores inteligentes, novas tecnologias, como a biomassa e painéis solares.

O relatório foi compilado pela consultoria de engenharia Arup de Londres e da Carbon Trust.

O relatório expõe opções de baixo carbono disponível para igrejas, incluindo o uso de velas de cera, tipos de luz artificial e a modernização de equipamentos.

O relatório foi baseado em uma amostra de 20 igrejas que abrange uma série de edifícios e nos arredores de Londres, e pretende demonstrar que a meta ambiental de redução das emissões de carbono em 80% até 2050 é viável.

O chefe do desafio ambiental, Brian Cuthbertson disse que “este relatório vai provar para os membros das diversas igrejas em Londres que o país se esforça para reduzir seu impacto ambiental”.

10/05/2011

Enchentes: Templo da Igreja Universal é arrombado e vira abrigo em Pernambuco


Enchentes: Templo da Igreja Universal é arrombado e vira abrigo em Pernambuco Em estado de calamidade pública, Água Preta, a 130 km do Recife, na Zona da Mata Sul, está com cerca de 25% da população de 33 mil habitantes desabrigada ou isolada por causa das enchentes ocorridas nesta semana. Na quinta, o prefeito Eduardo Coutinho mandou a polícia arrombar uma Igreja Universal para abrigar quem perdeu suas casas para as chuvas. “Não tínhamos mais espaço e me vali do decreto de calamidade pública, que me deu respaldo judicial”, conta. “Arrombamos.”

Já Brasilino Aurino da Silva, de 79 anos, aposentado rural e assentado do Engenho Camurim Grande, na zona rural, teve de sair de helicóptero. Foi a única forma de ser levado para fazer hemodiálise no hospital da cidade. Está na casa de uma filha, em Água Preta, mas, apesar do cuidado, preferia não ter saído do sítio. “Bom é estar na casa da gente.”

“Saí de casa com a água no peito”, conta Lindalva Maria da Silva, de 51 anos, que morava no bairro do Forrozão, na parte baixa da área urbana. Quando chove muito, Lindalva já entra em pânico. Paciente, não parece se importar com a falta de conforto e de privacidade no assentamento. “Só saio daqui depois do inverno.”

Fonte: Estadão

10/05/2011

Filhos de ateus buscam a fé fora de casa


Filhos de ateus buscam a fé fora de casa As novas gerações de céticos, agnósticos e ateus não casam na igreja, não batizam seus filhos, nem têm religião ou falam de fé. Eles simplesmente desconsideram a existência de Deus. Mas isso não impede que, em alguns casos, seus filhos sintam a necessidade e até cobrem uma discussão sobre fé e religião.

Larissa Queiroz recebe uma carta de uma instituição filantrópica e, dentro do envelope, descobre um terço de plástico de brinde. A filha Beatriz, de sete anos, adora a novidade e coloca no pescoço na mesma hora. “Expliquei que aquilo não era um colar, disse do que se tratava e me parece que ela ficou ainda mais interessada”, conta a mãe recifense que vive em São Paulo. Desde então, a pequena pede para rezar toda noite. Outro dia, convenceu o pai a levá-la a uma missa pela primeira vez.

De acordo com Eduardo Rodrigues da Cruz, professor do Programa de pós-graduação em Ciências da Religião da PUC de São Paulo, os psicólogos cognitivos tem estudado o assunto com crianças de várias faixas etárias. “Suas conclusões: todos somos naturalmente teístas, e, à medida que crescemos, vamos diversificando nossas posturas”, afirma o doutor em teologia, que também é mestre em física. Ou seja, para ele, a fé é uma postura “natural”, que é racionalizada conforme amadurecemos.

Em uma noite de mais de uma hora de apagão, escuro total e absoluto, Beatriz, a filha de Larissa, teve uma ideia: “vamos rezar para a luz voltar”. “Eu lógico, relutante, tentei explicar que não adiantaria, mas ela insistiu, insistiu e rezamos. Um minuto depois, a luz voltou”, descreve. Em seu blog, Larissa desabafa: “será que temos como evitar isso? Estou achando que não”.

Marina de Oliveira Pais,carioca, é filha de pai ateu. Sua mãe, assim como muitos brasileiros, foi batizada, mas não pratica nenhuma religião.  Quando decidiu morar sozinha pela primeira vez, Marina conheceu Bernardo Nogueira, de 20 anos. Apaixonada, ela conseguiu resistir aos convites da família do namorado para ir a uma igreja evangélica só por alguns meses.

Mas relata que, já na primeira vez que assistiu ao culto, teve certeza de que estava no lugar certo. “Fiquei maravilhada”, descreve. Ela então mudou drasticamente seu estilo de vida. “Cortei a bebida, as baladas e os palavrões. Hoje meus pais respeitam minha situação de convertida justamente por essas minhas mudanças comportamentais”, afirma.

Jaqueline Slongo, de 23 anos voltou a viver na cidade natal de Curitiba com o pai ateu depois de algum tempo separados. Ironicamente, por conta de uma bolsa de estudos, a então adolescente foi estudar em um colégio católico. O retorno à cidade grande, onde as desigualdades sociais são mais gritantes, o descobrimento da Bíblia e a fase de mudanças, levantaram muitos questionamentos. “Comecei a me questionar sobre a existência de Deus, fazia perguntas para as freiras do colégio, mas as respostas não me saciavam”, lembra.

Jaqueline começou a achar que havia alguma coisa errada entre o que lia e o que pregavam suas ‘instrutoras espirituais’. “Elas me mandavam rezar, mas eu não curtia”, confessa. Seu pai viajava muito e, como não acreditava em Deus, a filha preferia não falar sobre o assunto com ele. O processo foi sofrido, e aconteceu em meio às transformações da adolescência, à ausência dos pais, e à angústia causada por sintomas de depressão. “Eu era muito agressiva, rebelde, intolerante. Não tinha amigos e sempre me isolava”, conta.

Ela então buscou alívio e conforto na religião. Hoje, a estudante se considera protestante, mas passou por diversas comunidades cristãs diferentes. Diz que não se importa com rótulos, mas sente que é preciso estar em grupo. “Acho importante a vivência em comunidade, pois é no relacionamento com outros que seu caráter se constrói”, afirma.

Com o pai, ficou cinco anos sem poder comentar nada sobre sua fé. Até que, há três meses, consciente da mudança espiritual da filha, ele lhe pediu que comentasse, ‘de forma sucinta’, no que exatamente ela acreditava. A partir de então, ela diz, ele tem pedido que também reze por ele.

Com informações IG

10/05/2011

Gospel Gay: Grupos usam a internet para discutir temas pró-homossexualismo


Gospel Gay: Grupos usam a internet para discutir temas pró-homossexualismo

Muitos blogs e comunidades virtuais formadas por homossexuais cristãos estão usando o cyber espaço para harmonizar o cristianismo com suas práticas sexuais.

Devido aos debates entre pastores como Silas Malafaia e Marcos Feliciano que usam as redes sociais e também a TV para se posicionar contra as decisões sobre a união entre pessoas do mesmo sexo esses grupos de blogueiros conversam sobre esse “preconceito” dos líderes e lançam campanhas com posicionamentos políticos e também compartilham mensagens, trechos de filmes, vídeos e entrevistas compostas pelos membros do grupo.

Um frequentador desses grupos postou um texto falando sobre a decisão do Supremo Tribunal Federal que aconteceu na última quinta-feira, 5, dando aprovação para que o Brasil passe a realizar a união civil entre homossexuais e também falando da hashtag que surgiu no Twitter com as palavras #todoscrentechora onde muitos internautas ofendiam e debochavam dos evangélicos e de pastores como os já citados que se manifestaram desaprovando a decisão do STF.

O texto é assinado por João Marinho e procura demonstrar os motivos para esse movimento no ciberespaço. Confira o texto retirado do site Gospel Gay:

Recentemente, nos trending topics do Twitter, a palavra-chave #todoscrentechora chegou entre as primeiras. Com certeza, algo a ver com a #uniaohomoafetiva – e foi a deixa para muitos acusarem os gays de preconceito contra evangélicos, ou ainda, de pagarem preconceito com preconceito.

Não digo que eu seja totalmente a favor da #todoscrentechora, pois, sim, conheço evangélicos esclarecidos – minha própria família, por exemplo – que apoiaram a decisão do Supremo. Ricardo Gondim é outro, que veio a público manifestar seu apoio ainda que colocando a cara a tapa frente a seus pares.

No entanto, por outro lado, é possível entender a reação de gays, lésbicas e de héteros que os apoiam. Graças a figuras como Silas Malafaia, Marco Feliciano, Júlio Severo, Rozangela Justino e outros, os homossexuais continuamente aviltados em um sem-número de audiências públicas na Câmara e no Senado, na internet, no rádio, na tevê.

Embora digam “amar o pecador, mas não o pecado”, muito pouco se viu, na realidade, de “amor ao pecador”, pois, em seus pronunciamentos, o pecador amado era o ofendido, sendo relacionado a toda sorte de práticas indesejáveis e até a crimes bárbaros, como a pedofilia. Foi tratado como “risco à família” (como se não tivéssemos família e brotassem da terra) e daí para baixo.

Infelizmente, para quem vê de fora a realidade evangélica (ou mesmo para quem vê de dentro!), vozes similares às de Malafaia & Cia. são mais numerosas e interferem mais no público do que as do ponderado Gondim – e esse eixo do mal evangélico (sim, me aproprio da figura de linguagem de George W. Bush) é seguido por milhares, que reproduzem, sem o mínimo de reflexão, as coisas absurdas que aqueles declaram.

Se há tantos evangélicos – e católicos! – praticantes e esclarecidos assim, é preciso, portanto, haver um movimento de dentro. Um movimento para que assumam a tribuna e diminuam a influência e poder de pessoas como Malafaia. Afinal, respeito é bom e todo mundo gosta: mas se você desrespeita primeiro, querer que o outro respeite você em seguida “não se aplica”, para adotar a expressão utilizada por Ayres Britto em seu voto – e ponhamos na balança.

O que é mais ofensivo? Um “#todoscrentechora” ou ser chamado de pedófilo e igualar as demandas de casais que se uniram pelo afeto há anos e simplesmente queriam REGULARIZAR ISSO, à zoofilia, à necrofilia, ao incesto, à poligamia não-legalizada?

Peço desculpas aos evangélicos esclarecidos pelos LGBTs que tripudiaram com a vitória no STF – mas peço também que eles entendam o porquê disso e que, mais do que ofensa, considerem um chamado para lutar contra a injustiça.

Homossexualismo e cristianismo não combinam. Ou combinam? Paralelo ao debate sobre a provação (ou não) de leis que reconheçam a união civil de casais do mesmo sexo, e da guerra midiática entre militantes pró-gay e líderes religiosos, surge um movimento que afirma encontrar um consenso.

Sim, pois não importa de que religião você seja, se seu Deus apoia ou não a homossexualidade, se você concorda ou não com o ser gay: se duas pessoas adultas e capazes se unem, constroem patrimônio juntas, dividem amor e responsabilidade juntas, deixá-las DESAMPARADAS legalmente é, sob quaisquer perspectivas, injustiça. E até onde sei, é ela também um pecado – e Deus tampouco se compraz de injustos. Amém.

Fonte: Gospel Prime /Pavablog

10/05/2011

Continua tensa a relação entre cristãos e muçulmanos


Continua tensa a relação entre cristãos e muçulmanos Continuam os protestos contra os incêndios em igrejas no centro do Cairo, após o final de semana de confrontos. Os cristãos coptas estão recolhendo os pedaços depois os confrontos em que duas igrejas foram incendiadas e 12 pessoas mortas.

No sábado à noite, grupos muçulmanos atacaram e incendiaram a igreja de Mar Mina, em Imbaba, por acreditarem que os cristãos mantinham presa ali uma ex-muçulmana que teria mudado de credo para se casar com um jovem cristão. O confronto sangrento deixou pelo menos 12 mortos e 232 feridos, de acordo com números divulgados pelo Ministério da Saúde do Egito.

A mulher teria aparecido em uma televisão cristã para desmentir as acusações.

Grupos de cristãos e muçulmanos atiraram bombas e pedras uns nos outros nas ruas.  Casas e lojas também foram alvejadas. A polícia conseguiu colocar a situação sob controle depois de usar gás lacrimogêneo para dispersar a multidão.

Os líderes da igreja conduziram orações e declararam três dias de luto.

Centenas de cristãos se reuniram em frente ao prédio da televisão estatal no centro do Cairo, pedindo a demissão do principal líder militar do Egito, o Marechal de Campo Mohamed Hussein Tantawi, e acusando o Exército de não protegê-los.

O governo adotou uma postura mais rígida em resposta à violência, com as 190 pessoas detidas e se comprometeu a pagar uma indenização às famílias dos mortos e feridos na violência.

Autoridades prometem aumentar segurança de igrejas

Em entrevista à televisão, o governador da província de Giza, que inclui setores da Grande Cairo e onde está localizado o bairro de Imbaba, Ali Abdel Rahman, disse que o Exército e a polícia conseguiram acalmar a região.

O confronto, segundo agências de notícias internacionais, representa um novo desafio para os generais que governam o país desde a saída do poder do presidente Hosni Mubarak, em decorrência de intensos protestos.

O ministro da Justiça, Mohamed el-Guindy, prometeu que o governo vai aumentar a segurança nos locais de culto e endurecer as leis que criminalizam ataque a locais de adoração.

Periodicamente há incidentes armados entre cristãos e muçulmanos no Egito por motivos religiosos, especialmente no sul do país.

Fonte: Christian Post / Missão Portas Abertas

10/05/2011

Confronto na Nigéria deixa 16 cristãos mortos


Confronto na Nigéria deixa 16 cristãos mortos Homens armados não identificados atacaram o vilarejo agrícola no Estado de Bauchi, um dos estados mais atingidos pelos tumultos após as eleições no mês passado, matando 16 moradores e queimando 20 casas.

“Houve um ataque à aldeia Kurum por pistoleiros desconhecidos com 16 pessoas foram mortas e 20 casas queimadas”, disse Amama Abakasanga, Bauchi comissário da polícia estadual, à AFP por telefone.

O ataque aconteceu em Borogo, área do governo local e ao longo da fronteira com a violência wracked estado do Planalto, cuja capital Jos tem sido um foco de agitação.

A polícia já está na área para evitar a propagação da violência pela região, conhecida por confrontos entre cristãos e agricultores muçulmanos.

Estado de Bauchi é predominantemente muçulmano, mas vizinhos Bogoro e distritos Tafawa Balewa são habitados principalmente por cristãos da tribo Sayawa. Os muçulmanos nômades de Fulani estão em minoria lá, mas as tensões étnicas e religiosas e animosidade entre os dois grupos mantiveram-se elevadas.

“Vamos identificar os agressores, mas o problema das pessoas na área é que elas não estão dispostas a viverem em paz”, disse Abakasanga.


Fonte: AFP

10/05/2011

Salão Internacional Gospel homenageará Cid Moreira


Salão Internacional Gospel homenageará Cid MoreiraA Cerimônia de abertura oficial do Salão Internacional Gospel, a maior feira de Música Gospel da América Latina vai homenagear o jornalista Cid Moreira por ter sido o primeiro brasileiro a gravar em CD a Bíblia na íntegra. O jornalista também o primeiro, em todo o mundo, a gravar o Livro dos Salmos em DVD.

O evento será realizado no dia 31 de maio, no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo e contar com a presença de autoridades, expositores, empresários, pastores, imprensa e artistas.

Outra novidade será o lançamento o Livro “Boa Noite”, escrito pela também jornalista Fátima Moreira. A biografia, sem dúvida, é um relato emocionante da vida da mais famosa voz da comunicação brasileira. A autora descreve toda a trajetória de Cid, desde sua infância em Taubaté, interior de São Paulo, passando por sua consagração na televisão brasileira como âncora do Jornal Nacional até seu novo trabalho com a narração de textos bíblicos.

Enquanto acompanhamos a vida profissional e pessoal de Cid Moreira, somos levados a conhecer um pouco da história do Brasil e da comunicação brasileira, passando pela Era de Ouro do Rádio, que resgata um pouco da história da música e da radiodifusão e relembra grandes momentos da humanidade, sempre narrados pela incrível voz do jornalista.

“Se eu tive um momento marcante na minha carreira, foi a primeira vez que vi a lenda de perfil. Quanto todo mundo via o Cid só de frente, eu tive o privilégio de vê-lo em três dimensões, sentado ao meu lado na bancada do JN. Isso foi um grande choque para minha cabeça há quase 20 anos”, Willian Bonner.

“Mais difícil do que improvisar o texto foi ouvir Cid Moreira chamando meu nome pela primeira vez em uma participação no Jornal Nacional. Se eu não morri naquele momento, nada mais me faria tremer. Esse foi o meu batismo na profissão e um momento que jamais esqueço”, Fátima Bernardes.

“Lembramos quando, alguns anos atrás, numa entrevista com Cid Moreira perguntamos para ele, após gravar as passagens bíblicas, quais seriam os planos e sonhos para o futuro, e ele respondeu: ‘Gravar a Bíblia na íntegra’. Hoje é um prazer recebê-lo na Cerimônia de Abertura do Salão internacional Gospel e poder homenageá-lo pela realização de sonhos que difundem a palavra do nosso Deus!”, Marcelo Rebello e Luciana Mazza, Organizadores do Salão Internacional Gospel


Fonte: Salão Internacional Gospel

10/05/2011

Confira como foi a gravação do DVD “Glória in Rio” de Fernanda Brum


Confira como foi a gravação do DVD “Glória in Rio” de Fernanda Brum Depois do novo DVD de Fernanda Brum, a comunidade de Vigário Geral, zona norte do Rio de Janeiro (RJ), não será mais a mesma. Glória in Rio, quarto DVD da cantora pela MK Music, foi gravado no sábado (07), no local, numa noite de muita adoração, salvação, desagravo e glória de Deus. Para que o projeto se tornasse possível, a praça Tropicalismo, no Centro Cultural Waly Salomão, foi transformada: ganhou um colorido especial com o cenário produzido pela MK Music especificamente para a ocasião.

Com entrada gratuita, milhares de pessoas foram até Vigário Geral para conferir de perto essa superprodução, dirigida por Marina de Oliveira, que orientou o público antes do início do evento: “Nós fizemos o nosso melhor, e temos certeza de que tudo será para a glà ³ria do pai”. Ela acrescentou que o projeto desfiador foi uma das mais prazerosas. Arolde de Oliveira, Deputado Federal a, deu as boas vindas a todos em nome da MK e da 93 FM. “A grande audiência da 93 FM  está nas comunidades, que precisam ser prestigiadas. Foi uma experiência muito interessante, e nós somos muito gratos a Deus e a todos que abriram as portas para que tudo acontecesse”, afirmou.

Emerson Pinheiro orou,  intercedendo a Deus em oração pela gravação. Fernanda cantou as faixas de seu CD, Glória, além de ‘Tempo de Crescer, com a participação de Kleber Lucas, e ‘Palácios’, gravada há alguns anos, pelo Rebanhão. Participações especiais não faltaram. Além de Kleber, Jairo Bonfim (Glória do Pai), coral RenovaSoul (‘Glória do Pai’, ‘No Sangue e no Fogo’), pregador Luo(‘Pavão Pavãozinho’) e o grupo Afrolata (‘Pavão Pavãozinho’). Emerson Pinheiro, produtor musical do DVD Glória in Rio, cantou ‘Rio de Janeiro’, que é um clam or a Deus pela cidade Maravilhosa. Tudo a ver com o contexto.

Fernanda e a MK ousaram no projeto, ao gravar o primeiro DVD gospel em uma comunidade não pacificada. A cantora e pastora da Igreja Batista Central da Barra da Tijuca, ministrou sobre a vida de todos. “Não importa o quão distante você já andou longe de Deus. Se você recebeu o caminho do evangelho, o caminho de volta é mais curto por causa da cruz”. A cantora ainda foi homenageada pela presidente da MK Music, Yvelise de Oliveira, com buquê de flores. “Tenho certeza que muitas pessoas serão abençoadas através desse DVD”.

Sempre abraçando causas defendendo ideais e levantando bandeiras sociais, Fernanda inseriu esse contexto como  uma das vertentes do projeto. Afinal, a faixa ‘Pavão pavãozinho’ faz parte do CD Glória. “ (fala Fernanda antes de Pavão pavãozinho). O clipe inédito da música foi projetado nos telões de LED, dando início a apresentação. Para o Afro raggae, que cedeu o espaço para realização do evento, o show foi lindo. “A Fernanda Brum teve a delicadeza de entender Vigário Geral, o trabalho do Afroraggae. Essa conexão é muito importante pra gente ”, declarou Johayne Hildefonso, um dos coordenadores do Afroreggae. “Nós cremos que depois de uma noite dessa de adoração ao nosso Deus coisas boas com certeza irão acontecer aqui”, completou Washington Rimas, o Feijão, outro coordenador da instituição.

No encerramento, a canção de Claudio Claro, ‘Videira’, empolgou a todos. Fernanda se despediu, mas todos pediram ‘mais um’, e ainda chamaram por Eyshila. Resultado: um dueto das amigas cantando ‘Espírito Santo’, composição de Eyshila. Mais um momento de emoção. Com certeza, o que aconteceu nesta noite em Vigário Geral, impactou quem assistiu, quem participou, ou até mesmo quem apenas ouviu as canções e ministrações de dentro de suas casas. Em breve, Glória in Rio em DVD.

Assessoria

10/05/2011

Autoridades prendem missionário que portava materiais cristãos no Uzbequistão


Autoridades prendem missionário que portava materiais cristãos no Uzbequistão As autoridades uzbeques prenderam um missionário protestante e confiscaram uma grande quantidade de material cristão de sua casa na capital Tashkent.

Foi aberto um caso contra Anvar Razhapov, que coordena a organização missionária Iso Masih, por posse de material proibido importado do Cazaquistão, Quirguistão, Rússia e Ucrânia para o Uzbequistão.

“Mais de 250 títulos da literatura cristã divididos em 350 exemplares foram confiscados da residência de Razhapov”, disse uma agência de notícias.

“Entre os outros materiais que foram confiscados estão 180 CDs e DVDs, 44 VHS e 22 fitas K7, contendo materiais para a educação e informação de jovens.”

Uma investigação inicial apontou que Razhapov violou as leis uzbeques ao importar materiais cristãos de outros países, e que ele era sustentado por organizações também do exterior.

As autoridades proibiram a conversão de muçulmanos no Uzbequistão em 1998.

Fonte: Portas Abertas

10/05/2011

Moda evangélica se moderniza no Brasil


Moda evangélica se moderniza no Brasil Elas já foram mais compridas e sóbrias. Hoje, as saias usadas por evangélicas seguem tendências da moda – podem ser justas ou soltinhas, de cintura alta, com rendas ou laços – e fazem sucesso nas igrejas de São Paulo.

A advogada Mari Scarparo, 33, da Congregação Cristã de Caieiras (Grande SP), aprova o novo “look”. “Há uns dez anos, usávamos vestuário de “senhora”. Hoje, uso as mesmas roupas da igreja em audiências e me sinto melhor com esse estilo moderno”.

A loja Monia é um exemplo dessa transformação. Inaugurada em 1978, passou a atender só evangélicos há cerca de dez anos. “Hoje, nossos produtos seguem tendências”, diz Alexandre Iones, um dos responsáveis.

Na esteira desse mercado, a estilista Mara Jager, 33, montou há dois anos uma marca para evangélicas. “As saias estão menos compridas. A evangélica quer se sentir bem, mas sem excessos”.

Marketing

Instaladas em bairros famosos pelo comércio de roupas, como o Brás e o Bom Retiro (centro de SP), a “moda evangélica” já adota estratégia agressiva de marketing.

Uma das pioneiras, a Joyaly, está na quarta edição do concurso “Garota Joyaly” e vende para todo o Brasil.

No Bom Retiro, o marketing começa na calçada – onde um panfleteiro tenta atrair evangélicas para sua loja. A estratégia acaba chamando a atenção de outras clientes. “Compro em loja evangélica, mas sou católica. Roupa bonita independe de religião”, diz Flavia Schmidt.

Fonte: Folha Online

%d blogueiros gostam disto: