Archive for maio 14th, 2011

14/05/2011

Catedral do Avivamento: Igreja do pastor Marco Feliciano inaugura mais uma congregação


Catedral do Avivamento: Igreja do pastor Marco Feliciano inaugura mais uma congregação Catedral do Avivamento: Igreja do pastor Marco Feliciano inaugura mais uma congregação

No próximo dia 21 de maio, sábado, a Igreja Catedral do Avivamento das Assembléias de Deus, presidida pelo pastor Marco Feliciano, inaugura uma congregação na cidade de Sales Oliveira, interior de São Paulo.

O responsável pelo trabalho será o pastor Josmar Silva, que veio de Araras especialmente para cooperar com a Igreja.

A primeira Igreja Catedral do Avivamento foi inaugurada em 2008 na cidade de Orlândia também no interior de São Paulo, sendo a sede das igrejas lideradas pelo pastor Marco Feliciano.

Endereço da nova igreja:

Avenida Dom Pedro II, nº 74 – Centro

Sales Oliveira/SP

Fonte: Gospel Prime

14/05/2011

Brasil comemora 123 anos da abolição dos escravos


Brasil comemora 123 anos da abolição dos escravosNesta sexta-feira o Brasil comemora 123 anos da abolição do sistema escravocrata. Poucos sabem, mas foram os evangélicos, especialmente os anglo-saxões, os primeiros a conseguir a abolição da escravatura no Ocidente, lutando sozinhos contra todas as forças econômicas e políticas da época. E foram essas reformas européias capitaneadas por evangélicos que inspiraram o movimento abolicionista brasileiro.

Este ano é lembrado também pelos 204 anos do início da abolição da escravatura no Ocidente, que começou na Inglaterra e tiveram como alguns de seus grandes nomes o pastor evangélico John Newton e o parlamentar evangélico William Wilberforce, um dos líderes do “Grupo de Clapham”, também chamado pela sociedade da época de “Os Santos”. A abolição da escravatura é uma das mais belas páginas da história da humanidade, e ela foi escrita não pelo iluminismo, mas pelos cristãos evangélicos dos séculos 18 e 19.

Conheça a história

A Inglaterra foi o primeiro país a abolir a escravatura, e um dos nomes dessa conquista foi um pastor chamado John Newton, autor do hino Amazing Grace. A canção está ligada à luta pela abolição da escravatura desde sua origem. Antes de converter-se a Cristo, Newton (1725-1807) fora negociante de escravos, tendo ele próprio sido preso na África e tratado como escravo. Na viagem de regresso à Inglaterra, quando o barco quase naufragava, Newton voltou-se para Deus. Ele chamou o dia de sua conversão de “dia da minha libertação”.

Amazing Grace apresenta o coração de seu autor, que pela graça de Deus deixou de ser um vil comerciante de escravos para ser um servo do Senhor. Várias vezes ele pregou e escreveu contra a escravatura. Foi depois de um de seus sermões que conheceu pessoalmente um jovem recém-convertido a Cristo chamado William Wilberforce (1759-1833), membro da Câmara dos Comuns.

Wilberforce pertencia a uma família nobre da Inglaterra. Ele Estudou em Cambridge, onde decidiu dedicar-se à carreira política. O pastor John Newton tornou-se seu grande conselheiro e inspiração para a gigantesca luta pró-abolicionismo. Gigantesca porque tinham contra si grandes poderes e interesses, inclusive da monarquia.

O jovem político afirmou em discurso no parlamento: “A perversidade do comércio de escravos é tão gigantesca, tão medonha e tão irremediável, que a minha mente está completamente preparada para a abolição. Sejam quais forem as consequências, deste momento em diante, estou resolvido que nunca descansarei até que tenha conseguido a abolição” (extraído do livro 131 Christians Everyone Should Know).

A abolição do tráfico negreiro custou 18 anos da vida de Wilberforce. Seus projetos de lei abolicionistas foram derrotados oito vezes (em 1791, 1792, 1793, 1797, 1798, 1799, 1804 e 1805). Como intimidação, chegou a ser assaltado e surrado duas vezes. A luta ganhou a aderência de grupo de evangélicos, chamados jocosamente pela sociedade inglesa de “os santos”.

Depois de muita oração e perseverança, em 1807, uma maioria de 283 votos contra 16 aprovou a lei da abolição da escravatura proposta por Wilberforce. Ao ser aprovada, todo o congresso britânico aplaudiu de pé o servo de Deus por vários minutos, enquanto ele chorava e louvava a Deus com o rosto entre as mãos. O resultado saiu nove meses antes da morte de John Newton. Por conta da decisão parlamentar, a Grã-Bretanha, que na época era a maior potência mundial, declarou guerra ao tráfico de escravos no mundo. Nem ela e nem ninguém mais poderia traficar escravos. O Brasil, por exemplo, por pressão inglesa, finalmente concordou em abolir o tráfico pela Lei Eusébio de Queirós, em 1850. A lei definitiva foi assinada apenas em 1888.

No Brasil, a causa abolicionista contou com o apoio dos missionários evangélicos europeus e norte-americanos. O primeiro missionário presbiteriano em solo brasileiro, Ashbel Green Simonton, foi um dos grandes arautos do abolicionismo no Brasil. Também o jornal Imprensa Evangélica, que circulou durante o Império, era contra a escravidão.

Fatos históricos como a “abolição” comprovam, como tantos outros, a relevância da fé e dos valores cristãos para a transformação positiva da sociedade.


Edição de Lucas Ricardo / Reportagem especial por Silas Daniel publicada no Mensageiro da Paz 1.46

14/05/2011

Kit Gay para crianças gera polêmica e protestos


Kits polêmicos contra a homofobia prometem ser entregues a 6.000 escolas para as crianças com idade de 7 a 10 anos, ainda estão provocando protestos entre os da frente parlamentar evangélica contra a distribuição no Brasil.
“O governo não pode determinar a condição de um sexo ou legitimar o que a família deve cuidar em sua casa. A família que tem que criar mecanismos e educar seus filhos para que eles não tenham discriminação contra os outros,” disse André Filipe, o assessor de imprensa do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), Frente Parlamentar Evangélica, nesta terça-feira ao Christian Post.
O material do kit foi apresentado à Câmara dos Deputados Comissão de Legislação Participativa, em dezembro do ano passado. Os kits consistem em livros e DVDs contendo informações sobre o universo de jovens gays.
DVDs despertaram polêmica quando apresentados, mostrando o desempenho de um travesti de cerca de 15 anos em um dos vídeos. O vídeo provocou indignação entre os evangélicos e provocou uma declaração indignada pelo deputado federal Jair Bolsonaro, em dezembro do ano passado.
“DVD contém duas histórias que seu filho de sete anos … Os seus filhos de 7 anos vão vê-los no próximo ano se não tomarmos medidas agora,” exortou Jair Bolsonaro.
A mobilização da frente do governo de Dilma começou com o anúncio da distribuição de kits.
Andre Filipe antecipou que o representante Eduardo Cunha não tem suporte a homofobia e explica: “Mas ele não concorda com esta pseudo democracia, que o Ministério da Educação quer promover exigindo escolas para distribuir kits de combate a homofobia. Eles querem decidir o comportamento de alguém que não tem discernimento, um adolescente ou pré-adolescentes.”
A Frente Evangélica tem vindo a mobilizar para parar a distribuição do kit proposto, conhecido como “Kit gay ‘no Legislativo e Executivo. petição atual chamado “Somos contra o maior escândalo no país, o Kit Gay” está circulando para impedir a distribuição de kits para as escolas.
Sua avaliação é que o material incentiva a diversidade sexual entre os estudantes. Os representantes desta frente advertem que esta atitude pode tornar-se um pedido de desculpas.
O presidente da Frente Parlamentar Evangélica, João Campos (PSDB-GO), disse que a intenção dos evangélicos “é para evitar material considerado ofensivo a serem levadas para cerca de 6.000 escolas que deverão receber o material.
“Nós achamos que podemos agora experimentar o mesmo erro,” referindo-se a outros materiais lançados no governo Lula. “Se isso acontecer, vamos levar a Procuradoria Geral da República (PGR) para recolher o material,” acrescentou Campos.
Por outro lado, o Presidente da Associação de Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros (ABGLT), Toni Reis, afirma que “infelizmente” ele vê as manifestações “naturalmente.”
“O que queremos é fazer uma apologia à cidadania. Aparentemente, eles querem continuar a homofobia,” critica Reis. “Eles deveriam seguir os ensinamentos de Cristo mais e não juiz.”
Kit instituições de apoio afirmam que sua intenção é destruir a imagem estereotipada de lésbicas, gays, bissexuais e transexuais.
Em declarações ao deputado João Campos ameaçou iniciar processos legais contra os materiais que ainda estão sendo analisados pelo Ministério da Educação (MEC).
Os kits foram feitos com recursos da Educação Nacional de Desenvolvimento (FNDE) e por acordo entre o Ministério da Educação e Cultura (MEC) ea ONG ECOS.
Fontes: Christian Post
14/05/2011

Após ”Bate-Boca” Evangélicos Impedem Votação do Projeto que Criminaliza Homofobia


A pressão da bancada evangélica impediu a votação do projeto de lei complementar 122/06 que criminaliza os atos de homofobia, que seria votado na manhã desta quinta-feira, 12, na Comissão de Direitos Humanos (CDH) do Senado. Numa sessão que ao final contou com troca de xingamentos e ofensas entre o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) e a senadora Marinor Brito (PSOL-PA), o projeto foi retirado de pauta sem previsão de retorno.

Representantes da Frente Parlamentar Evangélica presentes à sessão pediram o adiamento alegando que devem ser realizadas audiências públicas, porque ele não teria sido suficientemente discutido no Congresso. “Precisamos debater à exaustão, sem privilegiar ninguém. Há pelo menos 150 milhões de brasileiros que não foram ouvidos”, disse o senador Magno Malta (PR-ES).

O projeto de autoria da ex-deputada Iara Bernardi (PT-SP) tramita há 10 anos no Congresso e somente em 2006 foi aprovado no plenário da Câmara. Relatora do projeto na CDH, a senadora Marta Suplicy (PT-SP) queria tentar aprovar o seu parecer até a próxima semana, a tempo das comemorações do Dia Nacional de Combate à Homofobia (17 de maio), que vão movimentar a Esplanada em Brasília.

Marta chamou a atenção para esse momento “de maior compreensão e humanidade” que se estabeleceu no País, a partir do recente julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF) que estendeu às uniões homoafetivas os mesmos direitos e deveres dos casais heterossexuais. “O Judiciário se pronunciou sobre um assunto que há 16 anos o Congresso não consegue se pronunciar”, completou a petista. “Esse projeto tem a ver com tolerância, respeito e cidadania, vai ajudar a diminuir a violência contra homossexuais”, concluiu.

A proposta modifica a Lei de Racismo para criminalizar também os atos de homofobia, estendendo a eles as mesmas punições impostas aos crimes de preconceito racial. O projeto pune com reclusão de um a três anos condutas discriminatórias como recusar o atendimento a gays em bares e restaurantes e reprimir trocas de afeto em locais públicos, como beijos ou abraços.

O item mais polêmico pune com prisão, de um a três anos, e multa aqueles que induzirem ou incitarem a discriminação ou preconceito contra os homossexuais. A avaliação é de que padres e pastores serão proibidos de pregarem contra a homossexualidade nas igrejas e templos religiosos. Na sessão desta manhã, integrantes da bancada evangélica pregaram adesivos na boca em protesto, alegando que o projeto reprime a liberdade de expressão deles.

Para atender às reivindicações da bancada evangélica, Marta incluiu uma emenda permitindo que todas religiões e credos exerçam sua fé, dentro de seus dogmas, desde que não incitem a violência. “O que temos na fé é o amor e o respeito ao cidadão. Me colocaram que o problema não era intolerância nem preconceito, mas liberdade de expressão dentro de templos e igrejas. O que impede agora a votação? O que, além da intolerância, do preconceito, vai impedir a compreensão dessa lei?”, questionou Marta.

Bate-boca

Na saída da sessão, durante uma entrevista coletiva de Marta aos jornalistas, o deputado Jair Bolsonaro e a senadora Marinor Brito trocaram xingamentos e ofensas mútuas. Bolsonaro exibia uma cartilha do Ministério da Educação (MEC), expondo o Plano Nacional de Promoção à Cidadania LGBT, que ele considera moralmente ofensivo à sociedade. Exaltada, Marinor deu um tapa no livreto e chamou o deputado de “criminoso”. Bolsonaro retrucou chamando-a de “heterofóbica” e ambos partiram para a discussão.

Fonte:  AE / Estadão / Ogalileo

14/05/2011

“Houve um golpe” diz pastor sobre aprovação da união entre pessoas do mesmo sexo


“Houve um golpe” diz pastor sobre aprovação da união entre pessoas do mesmo sexoO pastor Daniel Sampaio da Igreja Batista Central do Barreiro, Belo Horizonte (MG) se manifestou sobre a decisão do Supremo Tribunal Federal de aprovar a união estável entre pessoas do mesmo sexo.

Sampaio não utilizou os textos bíblicos que falam contra a homoafetividade para defender sua tese, apenas leu o capítulo de Isaias que denuncia que faz das trevas luz e da luz, trevas (Isaias 5:20) e citou o artigo sete Constituição Federal que fala sobre a família.

“Eu queria me manifestar publicamente porque houve um  golpe essa semana, houve uma manipulação da verdade, houve uma atropelo da Constituição,” defendeu o pastor.

Ele explica que o pedido da Defensoria Pública da União só poderia ser atendido pelo STF se antes houvesse uma mudança na Carta Magna que diz que a união estável só reconhecida entre um homem e uma mulher. “Se o guardião da Constituição abre brecha em relação a isso, então qualquer coisa pode ser feito aqui”.

Para o pastor a decisão do STF foi programada pelo Governo Federal. Ele lembra que o censo está sendo divulgado aos poucos e bem na semana da votação foi liberado a informação de que há 60 mil casais homossexuais no Brasil.

De acordo com o pastor esse número parece grande, mas frente aos 200 milhões de habitantes, os 120 mil homossexuais que possuem um relação estável representam apenas 0,6% da população brasileira.

Inconformado o pastor também fala do kit gay distribuído pelo Ministério da Educação (MEC) e convida seus ouvintes a reagirem contra esse golpe.

14/05/2011

Igreja Anglicana considera como um “avanço” a decisão do STF


Igreja Anglicana considera como um “avanço” a decisão do STF A Igreja Episcopal Anglicana do Brasil divulgou nota na quarta-feira, 11, na qual afirma considerar um ‘avanço’ a decisão do STF que reconhece a validade da união estável homoafetiva no Brasil.

O texto assinado pelo bispo primaz Maurício José de Andrade diz que a decisão foi tomada por conta do ‘comprometimento com a dignidade humana e com a luta contra a discriminação’.

Questionado se a igreja celebrará casamentos homoafetivos, o bispo primaz respondeu que o matrimônio gay não está previsto em seus ritos, mas disse considerar necessária uma ‘ampla discussão interna sobre essa questão’.

Nos EUA, a Igreja Episcopal (que também é filiada à Comunhão Anglicana) admite o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Nos Estados Unidos também é permitido a ordenação de ministros homosexuais, em 2010 a instituição nomeou o seu segundo bispo homossexual. A episcopisa Mary Glasspool vive com outra mulher desde 1998.

A instituição foi fundada em 1890 e é ligada à Comunhão Anglicana (que reúne igrejas de 165 países). No Brasil a igreja tem representação em mais de 150 pontos que somam cerca de 75 mil fiéis, a maioria no Sul.

Fonte: Gospel Prime

14/05/2011

Come Back é o novo álbum de Kleber Ferraz


Come Back é o novo álbum de Kleber Ferraz Foi no mês de Maio de 2010, em uma noite profética de louvor e adoração, na Igreja Vivendo em Cristo (Valinhos/SP), que os adoradores acompanharam a gravação do CD  e DVD Come Back de Kleber Ferraz.

Idealizado e produzido pela IVC Comunicação, esse projeto marca o início de uma nova fase na carreira do cantor, pastor e multi-instrumentista.

Com uma mistura de releituras, versões e obras inéditas, o álbum traz um repertório que encanta. O ministro de louvor fez questão de relembrar sucessos que marcaram época em sua vida. Entre eles estão Cante Glórias a Jesus, Vem com Josué, Estou Em Tuas Mãos e Não Chores Mais. Destaque para Jesus Tu És o Meu Refúgio, música que o cantor recebeu do Senhor em um momento muito difícil de sua vida. Após cinco dias, seu irmão caçula veio a falecer, vítima de um câncer.

O projeto conta com participações especiais de outros ministros que fizeram e fazem parte da história de Kleber. O cantor dividiu o palco com o rapper E-Beilli, Apóstolo Anderson (líder do ministério IAMAL), Samuel Barbosa (grande destaque do programa Raul Gil), Hilquias Alves  e Manassés Caetano (multi-instrumentista da Igreja Vivendo em Cristo), além de um time de backing vocals muito bem afinado e uma banda com músicos consagrados no meio gospel.

O show de gravação foi uma verdadeira celebração. Uma atmosfera de unção contagiou a todos que se entregaram ao louvor e adoração naquela noite.

Com direção geral da Pra. Ester Rodrigues e produção musical do próprio Kleber Ferraz, o resultado final não poderia ser outro. “Vejo a promessa de Deus se cumprindo em minha vida”… “Esse trabalho romperá fronteiras, pois todos os envolvidos têm o mesmo pensamento: promover o Reino através da música”, finaliza Kleber.

Come Back já está disponível em CD e DVD nas melhores lojas, ou através do site: www.ivccomunicacao.net

Vale a pena conferir!

Assessoria

Fonte Gospel Prime

14/05/2011

Missão com Surdos da Assembleia de Deus do Belém comemora 10 anos


Missão com Surdos da Assembleia de Deus do Belém comemora 10 anos A Missão com Surdos da Igreja Assembleia de Deus do Belém estará comemorando 10 anos de trabalho durante a Conferência do Centenário que está acontecendo no Templo Central na cidade de Belém, Pará.

No sábado, 14, acontecerá a formação de uma nova turma do curso de libras, composta por 70 alunos. Durante o encontro, que terá como tema “Deus é Nossa Força”, será mostrado todo o trabalho desenvolvido nos dois meses de curso, como apresentação do coral e teatro de surdos. Também serão realizadas palestras sobre inclusão e direitos do surdo e uma oficina de libras. Haverá entrega dos certificados para os participantes.

A ideia do projeto Missão de Surdos surgiu quando uma irmã, chamada Sônia, percebeu que durante os cultos havia também uma fiel que ficava isolada por não entender o que se passava no momento das orações.  “Ela vivia isolada pela barreira da comunicação. Não tinha quem soubesse ensinar. Então juntou a vontade de interpretar com o desejo de aprender. Assim iniciou o projeto”, revela Edinuzia.

A Missão realiza também um trabalho social com os integrantes, com acompanhamento em entrevistas de trabalho, casamentos, passeios e consultas médicas.

Fonte: Gospel Prime

14/05/2011

Robô copiará a Bíblia com caligrafia medieval em 11 meses


Robô copiará a Bíblia com caligrafia medieval em 11 meses O robô KR16 está em uma nova missão: desde o começo do mês de maio está copiando a Bíblia com uma pena e caligrafia medieval. O robô trabalhará 24 horas por dia nos próximos 11 meses para terminar a obra.

O braço robótico, de fabricação alemã, tem 7 metros de altura e faz um trabalho semelhante ao que os monges faziam antes da invenção da imprensa. Para concluir essa cópia, será necessário uma folha de papel especial que mede um quilômetro de comprimento por 63cm de largura. Além disso, será usado um litro de tinta.

A cópia da Bíblia será supervisionada pela equipe técnica e artística formada por Matthias Gommel, Martina Haitz e Jan Zappe. A Bíblia “manuscrita” do KR16 deve ser concluída em 13 de abril de 2012.

Em 2008 o robô participou de um projeto parecido em Portugal, no Museu das Comunicações e levou nove semanas para copiar o Novo Testamento.

%d blogueiros gostam disto: