Archive for maio 26th, 2011

26/05/2011

Bispos da Itália defendem apoio para vítimas de pedofilia


O secretário-geral da CEI (Conferência Episcopal Italiana), monsenhor Mariano Crociata, ressaltou hoje a necessidade de oferecer suporte às vítimas de pedofilia.

“Que as vítimas sejam prontamente ajudadas e escutadas, e o responsável pelos abusos possa ser afastado e perseguido”, disse o religioso, em entrevista sobre a 63ª Assembleia Geral da CEI.

Ele apresentou as diretrizes formuladas por um grupo de especialistas que trabalha há cerca de um ano para estabelecer medidas contra abusos sexuais.

Segundo Crociata, o “responsável” por reportar as denúncias “é sempre o bispo diocesano, que age prontamente na comunicação constante com a Congregação para a Doutrina da Fé”.

O secretário-geral, no entanto, negou que haja divergências entre a posição da CEI e a de outras Conferências Episcopais, como a alemã e a britânica.

De acordo com ele, há apenas diferenças no modo como cada entidade enfrenta as situações, pois as Conferências Episcopais são “organismos pastorais de coordenação entre os bispos, e não instituições autoritárias sobre os bispos”.

“Por exemplo, a Conferência Episcopal francesa não instituiu nenhuma comissão contra os abusos, referindo-se diretamente à Congregação para a Doutrina da Fé”, explicou.

Ontem o presidente da CEI, cardeal Angelo Bagnasco, repudiou os crimes de pedofilia, definindo-os como “uma infame emergência que ainda não foi superada, que causa danos incalculáveis aos jovens e às suas famílias, aos quais não paramos de apresentar a nossa dor e nossa incondicional solidariedade”.

Fonte: Folha Online

26/05/2011

Camisa do Corinthians enfrenta rejeição de evangélicos por conter estampa de São Jorge


bizzaroA nova terceira camisa do Corinthians já nasceu envolvida em polêmicas. Uma delas é a rejeição por parte de torcedores evangélicos. O motivo é a estampa de São Jorge.As igrejas evangélicas são contrárias a adoração de imagens de santos. Já ouvi relatos de torcedores que não irão comprar o modelo por causa da religião. Estou curioso para saber como atletas evangélicos irão reagir quando tiverem que vestir o uniforme.

A outra polêmica foi provocada pelo vazamento antes do lançamento oficial programado por Nike e Corinthians. Ambos prepararam uma grande campanha de marketing. Ontem, porém, antes do lançamento, o Uol Esporte mostrou o uniforme divulgado por um site de compras, que em seguida retirou a imagem do ar.

Os responsáveis pelas lojas Poderoso Timão receberam em seguida um comunicado reforçando que a venda e a divulgação estão proibidas até segunda ordem. A nota também lamentava o vazamento da imagem.

A assessoria de imprensa da Nike informou que a imagem revelada não era da versão final da camisa, Seria apenas uma ilustração. Porém, o blog recebeu de um colaborador a foto do modelo que será vendido aos torcedores. É exatamente igual ao mostrado ontem.

Fonte: Blog do Perrone

26/05/2011

‘Ensino gay’ nas escolas causa reação e professor teme aumento da ‘homofobia’


Ministério Público Federal, invoque o princípio de que o Estado é laico e acabe com o proselitismo religioso nas escolas.

Ministério da Educação prepara ‘kit gay’; Igreja Católica reage e condena decisão do Supremo sobre união homossexual.

O Ministério da Educação (MEC) preparou um material com o ‘tema gay’ – três filmes e um guia de orientação aos professores – para ser distribuído nas escolas de todo o Brasil. O projeto-piloto está sendo analisado pelo MEC e o plano inicial é distribuir 6 mil kits nas escolas públicas do país ainda este ano. O objetivo é levar para o ambiente escolar o tema como forma de reconhecimento da diversidade sexual e enfrentamento do preconceito. Mas a idéia de instituir o ‘ensino gay’ nas escolas está provocando reação em todo o País, começando pela Igreja Católica.

A polêmica proposta já provocou caloradas discussões no Congresso Nacional. O deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) acusou o Ministério da Educação e grupos LGBT de “incentivar o homossexualismo” e de tornar “nossos filhos presas fáceis para pedófilos”.

Aqui em Maceió o tema começa a repercutir com fortes reações contrárias ao que alguns chamam de “homossexualização da comunidade estudantil”. Nossa reportagem ouviu dois professores da Escola Estadual Irene Garrido, no Tabuleiro, para saber o que acham da ideia de fragmentar o tema para mostrar, nas escolas, apenas um lado da controversa questão sexual.

O professor de geografia Marcos Damasceno é a favor do combate à homofobia, mas não apóia, nem de longe, a proposta de ensinar o homossexualismo nas escolas. “Eu estou trabalhando com crianças, que ainda estão em formação sexual e a homossexualidade envolve muito mais do que apenas a questão moral”.
Na opinião do professor, o importante é discutir na escola a sexualidade de forma ampla e abrangente porque existe a homossexualidade e também a heterossexualidade. “O ideal é falar sobre sexo amplamente, desde as doenças sexualmente transmissíveis, gravidez na adolescência até os gêneros. Se o tema é fragmentado, a discussão é empobrecida”.

Ele se revelou preocupado com a forma como o tal ‘kit gay’ será implementado na sala de aula. “Que preparação terá o professor e a professora? Que suporte e ferramentas serão usados? Para que depois não venha se fazer apologia de algo que você não segue”.

Damasceno afirmou que o debate sobre o tema tem que acontecer em todos os segmentos sociais porque, não sendo assim, corre-se o risco de reforçar o preconceito e ódio contra homossexuais. E citou um exemplo que testemunhou na sua sala de aula, quando um aluno homossexual sentou na cadeira de um aluno evangélico, que posteriomente se recusou sentar na cadeira onde um homossexual havia sentado. “Ele expressou seu fundamentalismo religioso. Se a gente não discutir e o assunto não for bem trabalhado, vamos viver situações de confronto em sala de aula”.

Assim como Marcos Damasceno, a professora de português Gasparina Cavalcante acredita que discutir a sexualidade de forma ampla é a melhor maneira de orientar os alunos sobre o homossexualismo. “Eu defendo a sexualidade de forma ampla e só o homossexualismo não. Por que chamar tanta atenção para o tema? Se a todo momento aprendemos que não devemos discriminar? Então o ensino tem que ser de forma globalizada”.
De acordo com a professora o homossexualismo dentro das escolas é uma realidade, mas isso não é motivo para que o tema seja aplicado em sala de aula fora de um contexto. “Os jovens encaram a vida como pode tudo e querem experimentar de tudo. E se o tema for recorrente, por conta da curiosidade natural da idade, eles podem sim querer experimentar uma relação com pessoa do mesmo sexo”.

Ela acrescentou que, se o projeto do MEC começar, como está previsto, no segundo semestre de 2011, o que vai acontecer é a supervalorização do tema. “Se passar a dizer que usar droga é bom, é o máximo, então vamos supervalorizar isso, e com a homossexualidade pode ser assim”.

Gasparina afirma que não é contra o homossexualismo. Para ela essa é uma questão de nascença: nasce ou não homossexual. “Agora ser orientado de que a homossexualidade é normal, é natural, isso não vai favorecer? Isso não vai facilitar e induzir o jovem a achar isso natural? É complicado”.

Igreja Católica condena decisão do STF

No início de maio, o Supremo Tribunal Federal reconheceu por unanimidade a relação entre pessoas do mesmo sexo. Agora devem ser aplicadas a esse tipo de relação às mesmas regras da união estável heterossexual, prevista no Código Civil. A Corte não relacionou os direitos que decorrem da decisão. Mas, por analogia, os gays poderão pleitear, por exemplo, a declaração conjunta de Imposto de Renda, pensão em caso de morte ou separação, partilha de bens e herança. A pessoa só precisa comprovar que integra uma “convivência pública, contínua e duradoura”, como diz a lei.

Emanoella Remigio, presidente da Comissão de diversidade sexual da OAB/AL, disse que as uniões homoafetivas são antigas e que já era tempo de efetivar os direitos desses casais. “Essas uniões constituem-se com os mesmos requisitos e as mesmas características da união estável heterossexual, com a única diferença do sexo dos envolvidos. O que não constitui restrição de direito, e nem poderia, nos termos na Constituição Federal de 1988”.
Para ela a decisão do STF foi muito acertada. “O Supremo fez um belíssimo trabalho ao reconhecer a qualidade de entidades familiares para esses casais, mostrando que o Direito está acima de quaisquer preconceitos. Essa não foi uma vitória apenas de um grupo, mas da democracia”.
Segundo a advogada esses são sinais de maturidade de uma sociedade que começa a entender que o povo se faz de maioria e minoria e que o direito de todos precisa ser equilibrado no sistema. “Foi uma decisão histórica e de muita sensibilidade. Isso é verdadeiramente um Estado Democrático de Direito”.

A Igreja Católica, através da CNBB, reagiu de pronto à ideia de ensinar o homossexualismo nas escolas. Aqui em Maceió, o arcebispo dom Antônio Muniz preferiu se situar diante da questão invocando a posição assumida pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) que emitiu nota oficial em que proclama:

“As pessoas que sentem atração sexual exclusiva ou predominante pelo mesmo sexo são merecedoras de respeito e consideração. Repudiamos todo tipo de discriminação e violência que fere sua dignidade de pessoa humana. Tais uniões não podem ser equiparadas à família, que se fundamenta no consentimento matrimonial, na complementaridade e na reciprocidade entre um homem e uma mulher, abertos à procriação e educação dos filhos. Equiparar as uniões entre pessoas do mesmo sexo à família descaracteriza a sua identidade e ameaça a estabilidade da mesma.

É atribuição do Congresso Nacional propor e votar leis, cabendo ao governo garanti-las. Preocupa-nos ver os poderes constituídos ultrapassarem os limites de sua competência, como aconteceu com a recente decisão do Supremo Tribunal Federal. Não é a primeira vez que no Brasil acontecem conflitos dessa natureza que comprometem a ética na política.

A instituição familiar corresponde ao desígnio de Deus e é tão fundamental para a pessoa que o Senhor elevou o Matrimônio à dignidade de Sacramento. Assim, motivados pelo Documento de Aparecida, propomo-nos a renovar o nosso empenho por uma Pastoral Familiar intensa e vigorosa”.

Fonte: Primeira Edição

26/05/2011

Evangélicos ameaçaram convocar Palocci para vetar distribuição do kit gay


Evangélicos ameaçaram convocar Palocci para vetar distribuição do kit gayNa terça-feira, 24, parlamentares das Frentes Evangélica, Católica e da Família se reuniram de forma emergencial para discutir medidas que seriam tomadas para forçar o governo a alterar o material do chamado kit gay elaborado por ONGs a pedido do ministério da Educação.

A reunião foi marcada porque os parlamentares se sentiram desrespeitados pelo ministro Fernando Haddad que mentiu ao dizer-lhes que alteraria o material e depois revelou à imprensa que não mudaria nada, já que as cartilhas e os vídeos que serão distribuídos em 6 mil escolas públicas já estão prontos.

De acordo com o deputado João Campos (PSDB – CE), líder da bancada evangélica, se o governo insistisse em manter o kit, eles bloqueariam a votação na Câmara e apoiariam a convocação do ministro Palocci para dar explicações.

Além dessa convocação ao ministro da Casa Civil os parlamentares cogitavam outras medidas como a saída do Ministro da Educação; a criação de uma CPI para apurar as denuncias de irregularidades no MEC; a obstrução de todas votações do plenário e também a convocação do ministro Fernando Haddad, na comissão de Educação e Cultura, para explicar as cartilhas sobre homofobia.

Essa reunião ganhou grandes proporções no Congresso e o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho,  foi ao encontro dos parlamentares para dizer que a Presidente Dilma Rousselff decidiu cancelar a distribuição do kit gay.

Fonte: Gospel Prime

26/05/2011

Jesus é mito e evangélicos são idólatras da Bíblia, afirma ex-padre


Jesus é mito e evangélicos são idólatras da BíbliaNinguém poderá acusar Luz de falar sobre o que não entende. Ele se dedicou ao sacerdócio por 20 anos. Graduou-se no Brasil, Itália Estados Unidos em ciências humanas, filosofia e teologia. Teologia, aliás, a qual ele considera ser uma pseudociência, porque não faz pesquisa alguma, mas apenas comparações de interpretações de dogmas em diferentes momentos da história.

O questionador Luz é adepto de uma corrente de pensamento bem questionável: a conscienciologia.

Trata-se de uma proposta formulada pelo médico brasileiro Waldo Vieira para abordar a consciência humana a partir do pressuposto de que o universo e o homem são multidimensionais, o que explicaria os fenômenos paranormais (ou parapsíquicos) e o da reencarnação — não da alma, mas da consciência.

Em entrevista a AD Luna, do Jornal do Commercio, o ex-frade explicou que a conscienciologia não está contaminada por deslumbramentos, misticismos, religiosidades, cultos etc. Para essa neociência, disse, não existe um deus ao qual o homem é subserviente.

“Onde a religião termina?” se refere muito a Jesus pelo motivo óbvio de que foi escrito por um ex-sacerdote cristão. É a parte mais polêmica do livro.

Luz escreveu um capítulo para desconstruir a divindade atribuída a Jesus. Ele sustenta que o Jesus histórico, o cidadão palestino do século 1, não tem nada a ver com o homem divino que foi inventado pelos religiosos várias décadas após a morte de Jesus de Nazaré.

“Pedro e Paulo viam Jesus como um homem especial, mas não o consideravam divino”, disse. “A figura divina do Cristo é um produto pouco a pouco construído pelo fanatismo e interesse político de seus seguidores”, afirmou.

“Não há motivos racionais para que alguém considere Jesus divino ou o homem mais inteligente e brilhante que já existiu. Muito pelo contrário. Hoje, qualquer pessoa esclarecida pode ir muito além de Jesus Cristo.”

Fonte: Paulopes

26/05/2011

Igreja associada à Hillsong Church promove “Escola Sobrenatural” onde ensina a ressuscitar mortos


Igreja associada à Hillsong Church promove “Escola Sobrenatural” onde ensina a ressuscitar mortos A igreja Hillsong tem chamado a atenção para outro ministério além da música, a chamada Escola do Sobrenatural tem gerado polêmica por oferecer cursos para ensinar como curar o câncer, restaurar mulheres estéreis e trazer os mortos de volta à vida.

Esse curso é oferecido por igreja associada, a Igreja Westlife, localizada em Brisbane, Austrália, setenta pessoas já se matricularam querendo aprender a curar pessoas pela fé.

O curso é baseado nos ensinamentos da Igreja Betel, com sede nos EUA e liderada por Bill Johnson, que ensinará os alunos através de uma série de DVDs.

No site da igreja há um texto explicando o objetivo do curso: O site da igreja diz: “A Escola do Sobrenatural foi projetada para capacitar os alunos a viver e mover no sobrenatural, através do ensino bíblico e aplicação prática – buscando ver o reino de Deus manifestado na terra. É um ambiente no qual as pessoas podem correr riscos de aprender a operar no sobrenatural, sem medo da rejeição ou do fracasso”.

Questionados se estavam oferecendo promessas irreais aos interessados pelos cursos, um porta-voz da Igreja Westlife respondeu dizendo que as convicções da igreja são as mesmas de todas as igrejas cristãs. “Deus pode responder à oração e intercedemos pelos que estão com necessidades físicas, emocionais e espirituais… Nosso ensino sobre este assunto é idêntico à maioria das igrejas cristãs”.

Fonte: Gospel Prime /Pavablog

26/05/2011

Música Católica se inspira no Gospel e ganha mercado


Música Católica se inspira no Gospel e ganha mercado O crescimento da música gospel tem encorajado os católicos a investir na área, enquanto o “boom” das bandas evangélicas começou na década de 90, o movimento católico carismático ganhou fôlego em 2000 com o sucesso de álbuns gravados por padres, como por exemplo, o padre Marcelo Rossi.

Mas hoje esse cenário é divido por bandas e cantores solos que juntos com os sacerdotes da Igreja Apostólica Romana desenham o cenário da música católica colocando vários CDs entre os mais vendidos do Brasil.

Para se ter uma ideia, em 1998 o padre Marcelo Rossi lançava seu primeiro CD, “Músicas para Louvar ao Senhor”, disco que vendeu mais de 3,3 milhões de cópias.

De acordo com a lista da Associação Brasileira dos Produtores de Discos (ABPD) de 2008 o Padre Fábio de Mello foi o cantor brasileiro que mais vendeu álbuns no Brasil, alcançando o topo do ranking com o CD “Vida”, lançado pela Som Livre.

Outro exemplo do crescimento deste segmento da música são os artistas da Canção Nova, empresa que faz parte do Sistema Canção Nova de Comunicação, que venderam 998.755 CDs e 258.849 DVDs entre 2009 e 2010. Os cantores de maior sucesso desta gravadora são Salette Ferreira, Dunga e Eliana Ribeiro.

Engana-se quem pensa que esses músicos têm objetivos diferentes dos nossos, a música para eles também serve para animar as reuniões, louvar a Deus e também para fazer evangelismo e levar palavras de encorajamento.

Inclusive, é possível encontrar entre esses louvores que fazem sucesso nas missas, muitas canções que também são cantadas nas igrejas evangélicas, letras de grupos como Diante do Trono, Cassiane e Aline Barros já foram até regravadas por representantes da Renovação Carismática, mostrando que a música pode unir esses dois mundos.

Hoje os cantores católicos juntamente com os artistas do gospel são os que mantêm a indústria fonográfica no Brasil em atividade, tanto que gravadoras seculares passaram a contratar artistas dos dois times.

Essas contratações fazem com que muitos desses cantores tenham a oportunidade de participarem juntos de um mesmo evento. Prova disso foi a participação em conjunto da pastora Ludmila Ferber com o Padre Fábio de Mello durante o Programa Domingão do Faustão, da Rede Globo, que foi ao ar no ano passado.

Fonte: Gospel Prime

26/05/2011

Dilma suspende ´kit gay` após protesto da bancada evangélica


Dilma suspende ´kit gay` após protesto da bancada evangélicaApós protestos das bancadas religiosas no Congresso, a presidente Dilma Rousseff determinou nesta quarta-feira (25) a suspensão do “kit anti-homofobia”, que estava sendo elaborado pelo Ministério da Educação para distribuição nas escolas, informou o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho.

“O governo entendeu que seria prudente não editar esse material que está sendo preparado no MEC. A presidente decidiu, portanto, a suspensão desse material, assim como de um vídeo que foi produzido por uma ONG – não foi produzido pelo MEC – a partir de uma emenda parlamentar enviada ao MEC”, disse o ministro, após reunião com as bancadas evangélica, católica e da família.

Segundo ele, a presidente decidiu ainda que todo material que versar sobre “costumes” terá de passar pelo crivo da coordenação-geral da Presidência e por um amplo debate com a sociedade civil. “O governo se comprometeu daqui para frente que todo material que versará sobre costumes será feito a partir de consultas mais amplas à sociedade”, afirmou.

Segundo o ministro, a determinação do governo não é um “recuo” na política de educacional contrária à homofobia “Não se trata de recuo. Se trata de um processo de consulta que o governo passará a fazer, como faz em outros temas também, porque isso é parte vigente da democracia”, disse.

De acordo com Carvalho, Dilma vai se reunir nesta semana com os ministros da Educação, Fernando Haddad, e da Saúde, Alexandre Padilha, para tratar do material didático.

“A presidenta vai fazer um diálogo com os ministros para que a gente tome todos os devidos cuidados. Em qualquer área do governo estamos demandando que qualquer material editado passe por um crivo de debate e de discussão e da coordenação da Presidência.”

Retaliação suspensa

Diante da decisão de Dilma, o ex-governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho (PR-RJ), que participou da reunião com Carvalho, afirmou que estão suspensas as medidas anunciadas pelas bancadas religiosas em protesto contra o “kit anti-homofobia”.

Em reunião, os parlamentares haviam decidido colaborar com a convocação do ministro da Casa Civil, Antonio Palocci, para que ele explique sua evolução patrimonial.

O ministro Gilberto Carvalho negou ter pedido que os parlamentares desistissem de trabalhar pela convocação de Palocci diante da decisão da presidente sobre o “kit anti-homofobia”.

“Isso é uma posição deles. Nós falamos para eles que, em função desse diálogo, que eles tomassem as atitudes que eles achassem consequentes com esse diálogo. Eles é que decidiram suspender aquelas histórias que eles estavam falando. Não tem toma lá da cá, não”, afirmou.

Os deputados também ameaçaram obstruir a pauta da Câmara e abrir uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a contratação pelo MEC da ONG que elaborou a cartilha.

“Ele [Gilberto Carvalho] disse que tem a palavra da presidente da República de que nada do que está no material é de consentimento dela. Mas nós acordamos que ele falará. E nós suspendemos a obstrução e todas as nossas medidas”, afirmou Garotinho.


Fonte: G1

26/05/2011

MK Music lança primeiro DVD de Jozyanne: Herança


MK Music lança primeiro DVD de Jozyanne: Herança A experiência de nascer em um lar cristão e crescer fazendo parte da igreja Assembleia de Deus com certeza foi decisiva para que a cantora Jozyanne se tornasse uma mulher talentosa e excelente no que faz. Deus fez a parte Dele, ao abençoá-la com uma linda voz. Os pais de Jozy transmitiram o que aprenderam e Jozyanne claro, colocou em prática. Os frutos desse trabalho ministerial são vistos no DVD Herança, que a MK Music acaba de lançar.

O primeiro trabalho em vídeo da cantora chega após o lançamento do sexto CD da carreira, que tem o mesmo título. O DVD reúne os grande s sucessos da adoradora, desde quando ela surgiu com um disco solo, em 2001. Para escolher as 17 canções que fazem parte do produto, Jozyanne apurou o gosto de seu público ao longo desses anos – cantando nas igrejas e sabendo quais as preferidas nos cultos – e realizou uma votação pela internet através do orkut. “Eu não quis fazer vários medleys para colocar todos os sucessos. Quem gosta de uma música vai ouvi-la inteira no meu DVD”, explica Jozyanne, que tem mais de 30 mil seguidores no twitter.

Herança foi gravado no Teatro Municipal Raul Cortez, em Duque de Caxias (RJ). A produção musical é do irmão de Jozyanne, Josué Lopez, que foi acompanhado por uma banda de talentosos músicos escolhidos para esse projeto, que reúne hits de todos os CDs lançados pela cantora: ‘Sinto o Teu Poder’ e ‘Chame por Ele’ (CD Um Novo Coração); ‘Deus dos Impossíveis’ (C D Som do Céu); ‘Meu Refúgio’ (CD Espero em Ti); ‘Eu Quero ir Pra Lá’, Pedra sobre Pedra’, ‘Alegria’ e ‘Coração do Pai’ (CD Eu Quero ir Pra Lá); ‘Abra os Meus Olhos’, “A Glória de Deus’, ‘Eu Quero Minha Bênção’ e ‘Eu Verei o Meu Rei’ (CD Eu Tenho a Promessa”).

Completam o repertório cinco canções que fazem parte do CD Herança e dois medleys, um com duas das obras citadas acima e outro com hinos da Harpa Cristã. “Para os arranjos nós buscamos muito as nossas raízes, que são assembleianas, focando para os corais, para os jovens”, explica o produtor Josué Lopez, destacando ‘Levanta e Vai’, que foi feita em homenagem às orquestras das igrejas, com arranjo bem elaborado, envolvendo uma mini-orquestra.

Muito mais que um DVD, Herança é a realização de um sonho que nasceu no coração de Deus. “A minha oração é que esse novo trabalho seja uma bomba no inferno, que venha impactar vidas, venha visitar casas de uma maneira sobrenatural. Que pessoas possam ser curadas, transformadas, onde estiverem, que voltem pra casa de Deus. É isso que Deus quer. Tenha a certeza de que Ele faz infinitamente mais do que pedimos ou pensamos”. Creia nesta promessa e receba também esta herança.

Assessoria Mk Music

26/05/2011

Pastor presta assistência a famílias


Pastor presta assistência a famílias Os familiares dos desaparecidos no lago Paranoá após o naufrágio na noite de domingo (22) continuam a postos no clube Ascade à espera de notícias.

Segundo a major Vanessa Signale, cerca de 30 pessoas estão no clube nesta terça e, a cada corpo anunciado, o sentimento é de apreensão.

Um capelão e um pastor, a pedido do Corpo de Bombeiros, estão presentes “para dar uma assistência”, nas palavras da major. Por volta das 11h, uma roda de oração foi feita às margens do lago, enquanto as buscas por mais vítimas continuavam.

As equipes de busca continuam trabalhando no lago Paranoá e dividem-se entre o grupo que vasculha a área próxima à embarcação e outro que procura vítimas que possam estar mais distantes, levadas pela correnteza.

O Corpo de Bombeiros afirmou que a embarcação “Imagination” estava com o número de ocupantes acima da capacidade permitida. Segundo a major Vanessa Signale, o barco tinha autorização para navegar com 90 passageiros e dois tripulantes, mas ao menos 103 pessoas estavam a bordo.

A última vistoria feita na embarcação ocorreu em novembro, e foi atestado que ele estava em boas condições e tinha todos os itens de segurança, como boias e coletes salva-vidas. Passageiros relataram, porém, que ninguém usava os coletes na embarcação na noite de ontem.

Naufrágio anunciado

No dia 22 de maio de 2010, o naufrágio de uma lancha com 11 pessoas no lago Paranoá resultou na morte de duas irmãs de 18 e 21 anos. A embarcação estava superlotada e tinha capacidade para apenas seis passageiros. Após a tragédia, a Marinha informou que iria intensificar a fiscalização no lago, inclusive no período noturno.

Fonte: Com informações Folha Online

%d blogueiros gostam disto: