Archive for junho, 2011

30/06/2011

O último CD Inédito do Cantor Chris Dúran “Meu Encontro” ja vendeu mais de 40.000


 O último CD Inédito do Cantor Chris Dúran “Meu Encontro” ja vendeu mais
de 40.000 copias,sendo Disco de Ouro. Lançado pela Graça Music ,o disco foi
Produzido por Jordan Macedo, o repertório contém cinco composições inéditas
escritas pelo cantor, além de quatro regravações e duas versões de sucessos
internacionais. O álbum “Meu encontro” reflete bem o sentimento de um filho
que năo deixou de sentir o primeiro amor do Pai em seu coraçăo. No encarte
está o testemunho da experięncia vivida pelo cantor que deu origem a cançăo
título e muitas lindas canções que transmitem uma mensagem de fé e confiança
sobretudo em tempos difíceis.

As Músicas “Luz do Mundo”,”Meu Herói”,”Pra que” e a regravação de
“Nunca me deixou” são os destaques do album.

Fonte: RF Divulgações

27/06/2011

Roberts torna as mensagens centrada em Deus das letras brilhar abstendo-se de mostra teatral ou excessos melismatic.


 Kerrie Roberts possui o tipo de voz bravura que exige atenção desde o primeiro ouvir, mas em seu auto-intitulado de estréia, Roberts torna as mensagens centrada em Deus das letras brilhar abstendo-se de mostra teatral ou excessos melismatic. Sua sinceridade, bem como o seu poder vocal traz à tona o impacto emocional (bem como a importação espiritual) de músicas como “No Matter What”, “Unstoppable” e “Beautiful Me”. Especialmente impressionante é “This Love Não Run , “uma declaração de fé majestosa que envolve Roberts em um cenário orquestral sem obscurecer sua presença imponente vocal. Faixas como o compassivo “Keep Breathing” permitir Kerrie para interpretar uma letra sincera em uma escala mais íntima. Enquanto grandes baladas predominam, o slinky, “Outcast” desafiador e os quase-som industrial “Unstoppable” adicionar um quociente groove necessário para o álbum. Robert sentido de autenticidade pessoal faz confissões de fraqueza como “Talvez eu estou receoso” som totalmente natural. Este é um esforço notável em primeiro lugar.
Fonte RF Divulgações.
27/06/2011

Não Só Ryan Dunn, Igreja Westboro Protesta em Parada do Orgulho Gay


Gay parade

A Marcha do Orgulho Gay de Nova York deste ano é o primeiro evento realizado onde o casamento gay é legalizado. Na sexta-feira, o Governador Andrew Cuomo assinou um projeto de lei legalizando o casamento entre casais de mesmo sexo, depois da legislação ter sido aprovada no Senado, 33 a 29. Cuomo, que introduziu o projeto de lei, é esperado marchar na parada.

Em um comunicado de imprensa sábado, a Igreja Westboro disse que muitas pessoas e a imprensa urgiram para que eles aparecessem no evento.

O grupo extremista, com sede em Topeka, disse que anunciou que iria colocar seu protesto no início da rota da Marcha do Orgulho de NY na rua 36 e Avenida 5 desde às 10 até às 12h da tarde.

Mais de 350 grupos e 500 mil participantes irão marchar na processão, o qual irá descer a Avenida 5 e cruzar o Greenwich Village. O evento começa às 12 da tarde.

Devido à recente aprovação do projeto de lei do casamento gay, os organizadores dizem que esperam um adicional de 500 mil a 1 milhão de pessoas.

Quando a lei de Nova York entrar em vigor em 24 de julho, casamentos de mesmo sexo serão legais em seis estados e Washington D.C.

Westboro citou Romanos 1, em seu comunicado de imprensa sobre a Marcha do Orgulho de NY e disse que os homossexuais são “dignos de morte”.

“Por isso Deus os entregou a… desonrar seus próprios corpos… mulheres mudaram seu uso natural que é contra a natureza … os homens … se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza… conhecendo o julgamento de Deus, que eles cometem tais coisas são dignos de morte, não somente as fazem, mas têm prazer em fazê-las, Romanos 1”, declarou o grupo.

O comunicado de imprensa também disse que o governador Cuomo tem “condenado a nação” com seu apoio ao casamento gay.

A Igreja Batista Westboro é famosa por seus piquetes provocativos, desde de protestar em funerais de soldados dos EUA que morreram no Iraque, até realizar demonstrações de agradecimento a Deus pelo 11/09. Semana passada, o grupo ganhou as manchetes novamente por prometer fazer piquete em qualquer funeral ou serviço memorial público da estrela de reality da MTV, Ryan Dunn, que morreu em acidente de carro por dirigir bêbado na segunda-feira.

Fonte: Christian Post

27/06/2011

Marcha para Jesus: Reinaldo Azevedo Responde ao Texto Preconceituoso de Dimenstein


Reinaldo Azevedo Veja

O texto publicado nesta sexta-feira na Folha.com resultou em duras críticas até mesmo de colegas de profissão, como o colunista da Veja.com Reinaldo Azevedo, que foi taxativo ao dizer que o texto de Gilberto é tolo e preconceituoso.

O artigo de Gilberto Dimenstein, que tem o título: “São Paulo é mais Gay ou mais Evangélica?” fala sobre a diversidade como ponto mais interessante da cidade de São Paulo, cita a proximidade da parada Gay com a Marcha evangélica, ambas acontecem em São Paulo e ambas são consideradas as maiores do mundo, cada uma em sua área.

Dimenstein escreveu que apesar da proximidade entre ambas “elas têm diferenças brutais”. Em seguida o articulista inicia uma defesa ao homossexualismo e seus militantes ao dizer que “os Gays não querem tirar o direito dos evangélicos (nem de ninguém) de serem respeitados”.

Para Gilberto, a parada “evangélica não respeita os direitos gays” e em seguida escreve que os evangélicos “querem uma sociedade com menos direitos e menos diversidades”.

“Os gays usam a alegria para falar e se manifestar. A parada evangélica tem um ranço um tanto raivoso, já que, em meio à sua pregação, faz ataques a diversos segmentos da sociedade. Nesse ano, um do seus focos foi o STF”, escreveu Gilberto.

Reinaldo Azevedo, o analista político da Veja que fez uma análise minuciosa no texto de Dimenstein, escreveu “é um texto tolo de cabo a rabo; do título à última linha”.

“Fizesse tal consideração sentido, a cidade é ‘mais heterossexual’ e ‘mais católica’, porque são essas as maiorias, embora não-militantes”.

E questionou: “Os verdadeiros democratas sempre se contentam com a ordem legal como ela é. Sendo assim, por que os gays estariam, então, empenhados em mudá-la?”.

Azevedo deu o significado das clamações de Dimenstein como “PRECONCEITO”, rebatendo as críticas sobre o direito dos gays, apontando o própria PLC 122, reivindicado pelos homossexuais, em que ele alega interferir no direito de liberdade de expressão e religiosa.

“O tal PLC 122, por exemplo, pretende retirar dos evangélicos — ou, mais amplamente, dos Cristãos — o direito de expressar o que suas respectivas denominações religiosas pensam sobre a prática homossexual”, expôs o analista político da Veja.

No fim das contas, ironizou Azevedo, para o articulista, os gays são naturalmente progressistas, e tudo o que fizerem resulta em avanço. Enquanto isso, ele aponta, os evangélicos são naturalmente reacionários, e tudo o que fizerem, resulta em atraso.

Dimenstein ainda escreveu que na parada evangélica há uma relação que mistura religião com eleições, apontando para o número de políticos no desfile em posição de liderança”.

Azevedo justificou, dizendo que “Em qualquer país do mundo democrático, questões religiosas e morais se misturam ao debate eleitoral, e isso é parte do processo”.

“Políticos também desfilam nas paradas gays, como todo mundo sabe”.

Para Azevedo o texto foi “falacioso” e intencionou dizer que “os militantes gays são bonzinhos — querem que todos sejam alegres — e os evangélicos são maus”.

Fonte: Christian Post

27/06/2011

A cantora Aline Barros grava participação no programa da Hebe


 Na segunda-feira (27), a cantora Aline Barros grava participação no programa da Hebe, na Rede TV!, em São Paulo. Nesta quarta-feira (22), a equipe da atração esteve no Rio de Janeiro acompanhando o dia de Aline, que terminou com a consagração do novo CD da Comunidade Evangélica Internacional da Zona Sul.

Em breve mais informações sobre a participação. Aguarde!

Fonte: MK

27/06/2011

MINISTERIO AME – MULHER SAMARITANA – CLIP OFICIAL


 Elias Passos e Alice Passos são casados desde 1994. Atualmente moram na cidade de Belo Horizonte e tem dois filhos Alice Caroline (15) e Elias Eduardo (5). Desde a infância, eles sempre tiveram o sonho de levar a palavra do Senhor através da música. Ambos criados no evangelho, sempre trabalharam com ministério de louvor e também já haviam participado de vários grupos e bandas desde a adolescência.

Em 1991 gravaram um vinil com o grupo que participavam, logo após ganharem em 2° lugar no Primeiro Festival de Música Cristã de Belo Horizonte. No ano de 2000 gravaram um cd com a Igreja que faziam parte, com todas as composições de sua autoria e também na ministração.

Era certo de Deus já havia falado em seus corações, que levantaria um ministério de louvor e adoração com o alvo de levar as pessoas uma palavra de vida e restauração.

No ano de 2002 fizeram um cd demonstrativo chamado “Vamos Construir”, mas foram feitas apenas 200 cópias, vendidas somente para os amigos. Então, no Outono de 2006, foi feito o cd “Livre”, seu primeiro trabalho independente. Em 2009, gravaram seu 2° cd “Só a Graça”. Esse, gravado no Estúdio Ame, produzido por Elias Passos. A partir desse cd, muitas portas foram abertas para outros estados e hoje viajam por todo do Brasil, levando a palavra de Deus .

“O Ministério Ame nasceu no coração de Deus – contam Elias e Alice: Durante toda nossa caminhada temos visto e ouvido testemunhos de como o Senhor tem agido nas vidas através das canções, o que nos deixa muito feliz em saber que foi Deus que nos levantou”.

Desde o início, Elias e Alice contavam com amigos que os acompanhavam fazendo free-lance, e em 2009 formaram uma equipe de amigos e músicos que os acompanham hoje. Atualmente, Júnior Guedes (bateria) e Helmer Fernandes (guitarra e violão)

Seu trabalho mais recente é o cd “Mulheres ” Lançado em Dezembro de 2010 com uma grande novidade em dose tripla, CD+LIVRO+PLAY-BACK. Um trabalho com objetivo de semear a palavra de Deus na vida de todos e agora não só pela música, mas também pelo conteúdo desse livro. Muitos testemunhos tem se ouvido através dos textos e das canções. Vale a pena você conferir!

“Cremos que Deus tem levantado uma nova geração pra fazer diferença nessa nação e devemos estar dispostos a cumprir o que Deus quer de nós. Como discípulos seus, queremos anunciar a todos que existe só um Deus, um só Senhor e que todos nós nascemos para um propósito apenas – Para que se manifeste a glória do Senhor em nossas vidas. Esse é o desejo do nosso coração”
Fonte : RF Divulgações

26/06/2011

CD de Danielle Cristina será produzido por Jairinho


 DanielaDanielle Cristina contou um detalhe novo a respeito de seu próximo CD. Ela divulgou que a produção do álbum será realizada por Jairinho Manhães. No Twitter, a cantora afirmou que está muito alegre por poder compartilhar essa novidade.

“Estou muito feliz porque finalmente posso dividir com vocês a alegria das novidades do meu novo CD: a produção do meu maestro@jarinhomanhaes”, postou

Em resposta à Danielle, Jairinho expressou sua felicidade por trabalhar com a cantora nesse novo projeto. “Fiquei muito feliz em receber o convite para produzir o novo CD da @danicristinausa. Glória a Deus! Mais uma conquista!”

Fonte: Central Gospel Music

25/06/2011

Google Esconde Doodle do Orgulho Gay por Temor a Grupos Anti-Gay, Críticos


No mês do Orgulho Gay, a companhia decidiu adotar um enfoque muito menos visível despertando a polêmica.

O Google, até agora não criou um Doodle em honra do Orgulho Gay e durante o mês de junho, mês do orgulho gay, um pequeno arco-íris aparece junto à barra de busca do Google somente quando os usuários buscam certas palavras “relacionadas com orgulho”, os termos, incluindo, “gay”, “lésbica”, “homossexualidade”, “LGBT”, “igualdade no matrimônio”, “bissexual” e “transexual”.

“Durante o mês de junho, o Google está celebrando lésbicas, gays, bissexuais e transexuais (LGBT) do Orgulho”, disse a companhia em um email. “Para algumas consultas de busca relacionadas com orgulho-, estamos mostrando um arco-íris no final da barra de busca”.

Os críticos acusaram o Google de ocultar o doodle para evitar as críticas de grupos anti-gays, cujos membros podem ser menos propensos de buscar as palavras “relacionadas ao orgulho”.

No começo do mês, o presidente declarado “evangélico” Obama declarou junho como o “Mês do Orgulho Lésbico, Gay, Bissexual e Transexual”, tornando-se o primeiro presidente dos EUA a incluir bissexuais e transexuais no título da proclamação recebendo várias críticas.

Como no Google, em uma situação difícil, na declaração publicada no site da Casa Branca em 1° de junho, Obama elogiou os americanos LGBT por suas contínuas “contribuições e duradouras” que “fortalecem o tecido da sociedade norte-americana”.

Vários líderes cristãos criticaram o anúncio, incluindo Bob Stith da Convenção Batista do Sul. Stith disse à Baptist Press que o anúncio incentiva o “o orgulho do que Deus diz claramente que vivem em pecado”.

“O resultado final”, disse Stith, que é o representante da SBC para o Grupo de Trabalho sobre o Ministério aos homossexuais, “é que se Deus define algo como pecado, não fazemos nenhum favor a alguém, tentando apagar as linhas. Também não vamos estar fazendo às gerações futuras nenhum favor eliminando as barreiras que Deus colocou para nossa proteção”.

Junho é tradicionalmente reconhecido pela comunidade homossexual como “Mês do Orgulho Gay”, em comemoração ao incidente de Stonewall Inn, em junho de 1969. Em 28 de junho de 1969, os gays e lésbicas lutaram contra uma operação policial que teve lugar no Stonewall Inn, em Nova York. O incidente é amplamente considerado como a primeira vez que a comunidade gay lutou contra uma entidade do governo na história americana, e é considerado o ponto de partida do movimento dos direitos gays na América e em todo o mundo.

Fonte: Christian Post

25/06/2011

Marcha para Jesus: Evangélicos Protestam Contra a Marcha e São Agredidos


Cristianismo puro e simplesO evento, que reúne diversas vertentes do Cristianismo evangélico, foi protestado por grupos que defendem o “Cristianismo Puro e Simples”, que lembra o título do livro cristão do autor CS Lewis.

Paulo Siqueira, teólogo e pastor da Igreja Quadrangular, é um dos organizadores do protesto e falou ao The Christian Post sobre a agressão que sofreu durante a Marcha.

O grupo fez protestos em outros marchas anteriores, e segundo Siqueira, todas as vezes houve agressão. “Eles atacam água na gente,… xingam,… sempre dessa forma”.

No momento da agressão, o pastor da Igreja Quadrangular afirmou que eles estavam parados segurando faixas que diziam: “Voltemos ao Evangelho Puro e Simples”, o “Show tem que parar.” Este ano eles fizeram outra faixa dizendo: “O Brasil não precisa de apóstolos” “chega de vergonha o amor e a graça de Deus nos basta”.

Segundo Siqueira, às 10:40h aproximadamente, eles foram surpreendidos por 5 homens, com porte de seguranças, “um deles com mais de dois metros”.

“Pegaram minha esposa pelo pescoço, começaram a pegar as faixas,… no chute e pontapé”.

Paulo Siqueira disse que conseguiu fotografar alguns dos agressores e foi dar queixa num posto policial. De acordo com ele, um dos agressores se identificou como pastor da Igreja Renascer, e todos vestiam a camiseta da marcha.

Eles estão protestando contra as questões polêmicas de fraude que envolvem a Igreja Renascer e pela pregação da teologia da prosperidade.

“Nós não concordamos com as formas doutrinárias da Igreja Renascer”, disse ele ao CP.

Entre os fatos polêmicos que envolvem a Igreja, ele citou: o fato de o apóstolo Hernandes, fundador da Renascer em Cristo, ter sido preso nos EUA, entrando com o dinheiro de forma fraudulenta; o acidente em que o teto de uma Igreja caiu sobre os fiéis, em que eles até o momento não foram indenizados e inúmeros processos no ministério público envolvendo questões como, o não pagamento de aluguel de Igreja e arrecadação de dinheiro de forma ilícita.

Fonte: Christian Post

25/06/2011

Cristãos da Síria se preocupam diante de protestos contra o regime


Cristãos da Síria se preocupam diante de protestos contra o regime  “Somos sírios antes de sermos cristãos”: por muito tempo esse foi o mote da comunidade cristã perseguida em Alep, Damasco e Homs, três cidades onde está ancorada. Eles, que são membros de uma minoria (de 5% a 10% da população, segundo estimativas), estão reagindo diante da preocupação com a vida de muitos irmãos, desde o início dos protestos na Síria, no dia 15 de março.

Protestantes, ortodoxos e católicos, muitos veem na hipótese de o regime baathista ser derrubado não a esperança de uma nova ordem, mas sim o risco de emersão do fundamentalismo muçulmano. “Seríamos, assim, as primeiras vítimas”, afirmou um cristão.

Essa tensão é alimentada em parte pela propaganda do governo, que tem brandido a ameaça islâmica desde o início dos levantes. A posição oficial foi repassada por diversos membros eclesiásticos, que reafirmaram sua lealdade ao presidente Bashar Al-Assad e alertam o povo contra a desestabilização do país.

A preocupação desses irmãos também se explica por razões mais profundas. A Síria foi uma das principais terras no Oriente Médio a acolherem iraquianos que fugiam do caos depois de 2003. Os relatos dos refugiados cristãos iraquianos chocaram seus irmãos em Cristo sírios. A angústia também se fundamenta naquilo que parece ser uma deterioração nas condições dos cristãos na região. Eles, que há muitos anos se preocupam com a ascensão do islamismo, sobretudo em Alep, viram muita resistência em um governo que se declara laico.

Os que participam das manifestações são somente uma minoria. A maioria optou pelo silêncio frente aos acontecimentos: “A comunidade que não reage não está mais à vontade do que os outros. Ela sabe bem que vive sob um regime ditatorial. Todos aspiram à democracia. Mas esses cristãos acreditam que neutros garantem melhor o seu futuro, e que estão nas mãos de Deus, independentemente do sistema que saia vitorioso”, explica um missionário libanês na Síria.

Porém, esse silêncio, reforçado pelo temor da repressão, corre o risco de “marginalizar os cristãos”, teme Samir Franjié. Esse intelectual libanês, grande nome da coalizão do 14 de Março, fez um apelo à comunidade para que “não tenham medo”.

Durante anos, cristãos lutaram muito por mudanças, promovendo o espírito crítico e a liberdade, denunciando a corrupção e o sistema policial. Embora reconhecessem gestos de abertura por parte de Bashar Al-Assad em relação aos cristãos, muitos nunca se deixaram enganar. As igrejas – assim como outros cultos nos lares – continuaram sendo vigiados. A comunidade nunca se sentiu representada só por ter deputados.

Para o líder cristão Paolo, “nós, cristãos, não podemos apostar em uma identidade repressiva, mas sim na possibilidade de que a sociedade evolua com nossa participação.” Ele diz “ainda ter esperanças de que a presidência guie o Estado para um processo democrático, obtido sem uma guerra civil.” Paolo pede por esforços diplomáticos, para se chegar a uma mediação e afastar o fantasma de um conflito interno.

Fonte: Le Monde /  Redação CPAD News

%d blogueiros gostam disto: