Archive for julho, 2011

12/07/2011

Cristãos apoiam fim de conflito entre Israel e Palestina


Os líderes religiosos protestantes e cristãos pediram ao presidente Obama que tome “medidas ousadas” para estabelecer a paz em Israel e na Palestina.

Em uma carta redigida por “Igrejas para a Paz do Oriente Médio”, feita essa semana, o presidente foi chamado a ter uma posição clara e corajosa na Assembleia Geral das Nações Unidas.

A carta diz que Obama deve fazer uma declaração que aborde todas as questões que envolvem esse conflito, incluindo a questão de Jerusalém, com soluções justas para os refugiados e acesso assegurado para todas as crenças a seus lugares sagrados.

Em um comunicado, a NCC disse: “A carta ao presidente vem em um momento em que o caminho para a paz está cheio de obstáculos e os líderes israelitas e palestinos entendem os desafios que estão enfrentando no âmbito político.”

A carta a Obama diz que “o tempo não está do lado da paz”, e os líderes solicitam que a questão seja priorizada pelo presidente. A carta foi assinada por líderes religiosos de todas as igrejas cristãs.

O presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, disse em um discurso ao parlamento holandês, em Haia, que o povo palestino reconhece o direito de Israel de existir. Segundo o Jerusalem Post, Abbas acrescentou que esperava que o governo israelense respondesse aos seus comentários.

A WAFA, agência palestina de notícias, informou que Abbas disse: “Nosso principal objetivo são as negociações de paz com o lado israelense e espero que os Estados Unidos, a União Europeia e a Federação Russa tenham sucesso em seus esforços para retomar as negociações de paz.”

Sobre o progresso, nas últimas semanas tem sido feito um acordo de reconciliação entre as autoridades palestinas e o Hamas.

Fonte: CPADNews

12/07/2011

Marina Silva e aliados anunciam saída do Partido Verde


A ex-candidata à presidência Marina Silva, que conquistou o voto de quase 20 milhões de eleitores no pleito do ano passado, anunciou na tarde desta quinta-feira que saiu do Partido Verde. Junto da ex-senadora, diversos aliados seus anunciaram o desligamento conjunto. O grupo afirmou que irá formar um movimento suprapartidário em prol do causa verde e da cidadania.

Para Marina, não há mais como reformar o atual modelo de política brasileira, e sim reinventá-lo.

— Remendar é muito pouco para o tamanho do problema que estamos vivendo no Brasil. Como isso irá se materializar? O processo irá dizê-lo Neste momento, como todos, eu também estou pensando qual é a melhor forma de contribuir para o desenvolvimento do mundo — disse a ex-senadora.

A curto prazo, o movimento não deve se transformar em um partido político.

— Após as eleições de 2012, podemos reorganizar esse movimento — adiantou Marina.

No discurso, a ex-senadora ainda criticou o Partido Verde:

— O PV se transformou num partido que tem defendido honradamenta a causa ambiental, mas em muitos aspectos é igual a todos os outros partidos.

Marina citou o escândalo envolvendo o ex-ministro dos Transportes Alfredo Nascimento como exemplo de algo que não pode mais ser tolerado na sociedade.

— Não podemos negar a tristeza com a política. Os partidos continuam sendo importantes, mas não podemos fechar os olhos para seus desvios — lamentou a ex-senadora.

Durante o evento, o ex-presidente do diretório estadual do PV em São Paulo Maurício Brusadin afirmou que os partidos vivem hoje a decadência e não atendem mais às demandas da sociedade.

— E o PV não é diferente disso — comparou.

O ex-candidato ao Senado por São Paulo Ricardo Young completou o pensamento:

— Reconhecemos que o PV, assim como a maioria dos partidos, se divorciaram de vez da sociedade.

A ex-senadora destacou que pretende ajudar Dilma nas discussões no Congresso sobre o novo Código Florestal. Ela lembrou que a presidente assumiu compromisso na campanha de não aprovar nenhum texto que favoreça o desmatamento e, ao ser questionada se estaria otimista em relação ao veto do projeto, Marina desconversou.

— Não estou nem otimista nem pessimista. Estou persistente.

O ex-deputado Fernando Gabeira comunicou, em vídeo transmitido ao vivo por Skype, que não irá se desfiliar do PV, ao menos a curto prazo. Gabeira precisa de um partido caso decida concorrer à prefeitura do Rio de Janeiro em 2012. Ele saudou o movimento encabeçado por Marina.

— O movimento é muito importante porque aproxima a sociedade de novos temas e traz pessoas que querem participar da política mas não encontram uma maneira digna de fazê-lo. Em seu curso, pode ser que o movimento e o partido se reencontrem mais adiante.

Fonte: ZERO HORA

12/07/2011

Em Israel, Justiça manda amputar menina; mãe queria curá-la com reza


A Justiça de Israel ordenou um hospital a levar adiante a amputação da mão de uma menina de 13 anos contra a vontade da mãe, depois que os médicos afirmaram que sem a intervenção cirúrgica ela morreria.

A menina, cuja identidade não foi revelada, sofre de um tumor maligno e violento e, segundo os médicos, teria uma morte dolorosa se sua mão não fosse amputada.

No entanto, a mãe da paciente, que é religiosa, vetou a operação afirmando que “prefere rezar e jejuar” para curar a filha.

O ministério do Bem Estar Social e o hospital Ichilov, em Tel Aviv, se dirigiram a um tribunal especial que trata de assuntos familiares solicitando que a corte ordenasse a operação, para salvar a vida da criança.

Segundo o juiz Yehoram Shaked, “está claro que não há e não pode haver outra solução exceto aceitar o pedido e que a Corte deve dar prioridade à vida, mesmo se para isso a menina tenha que sacrificar a mão”.

De acordo com o hospital, o tumor, nos ossos da mão, pode provocar o surgimento de metástases no pulmão e as chances de a paciente morrer “são de 100%”.

Os médicos explicaram o prognóstico tanto para a mãe como para a paciente e, segundo o relatório apresentado à Corte, a mãe afirmou que “é melhor que ela morra” porém a menina disse que entende “que não há alternativa” exceto a amputação.

Em sua decisão o juiz afirmou que a mãe continua rejeitando a operação e “acreditando na ajuda de Deus”. Ele disse que a menina, apesar de jovem, entende que “é preciso preferir a vida à morte”.

Esta não é a primeira vez que questões religiosas interferem em decisões médicas em Israel.

A autoridade máxima da pasta da Saúde no governo, o vice-ministro da Saúde Yacov Leizman, do partido ultra-ortodoxo Yahadut Hatorah (Judaísmo da Torah), vem, desde o início de sua gestão, há dois anos, gerando duras criticas de profissionais na área da medicina, pois frequentemente tenta impor princípios da religião em decisões ligadas ao tratamento de pacientes.

Um dos casos ocorreu em 2009, quando o vice-ministro foi pessoalmente ao hospital Shneider da cidade de Petach Tikva, ao leste de Tel Aviv, e tentou interferir no tratamento de uma bebê que sofreu morte cerebral.

Leizman entrou no hospital e ameaçou os médicos de punição caso não dessem tratamento integral à criança, apesar de a lei em Israel estabelecer o tratamento parcial em casos de morte cerebral.

Segundo a crença ortodoxa de Leizman, a morte de uma pessoa só é reconhecida quando o coração para de bater. Ele chegou a ameaçar o hospital de que seria boicotado pela comunidade ultra-ortodoxa se não cumprisse suas ordens.

Na ocasião, a Federação dos Médicos de Israel publicou um manifesto protestando contra a atitude do vice-ministro.

Apesar de ser titular da pasta, Leizman se chama de “vice-ministro” por questões religiosas.

O Yahadut Hatorah não nomeia ministros mas só vice-ministros, pois tem uma visão ambivalente sobre a própria existência do Estado de Israel.

Fonte: Paulo Lopes

12/07/2011

Assembleia de Deus ratifica resolução da decência para usos e costumes


A decisão saiu da 40ª CGADB (Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil), realizada em Cuiabá (Mato Grosso).

A Assembleia de Deus ratificou uma resolução de 12 anos atrás que orienta os fiéis como se comportar e o que vestir de modo a não incorrer na “indecência”, o que é, no entender dos evangélicos, como se sabe, um dos caprichos do Satanás.

A decisão saiu da 40ª CGADB (Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil), realizada em abril em Cuiabá (Mato Grosso). Houve uma discussão acalorada. Os conservadores defenderam normas mais rígidas, sobretudo para as irmãs, e os liberais pediram algumas liberações, com o uso de bermuda, que é uma das reivindicações dos fiéis mais jovens. Por fim, houve um acordo para se manter a resolução de 1999.

O Mensageiro da Paz, publicação oficial da Assembleia de Deus, divulgou as principais orientações da resolução, cada uma delas com a menção do trecho da Bíblia que lhe deu origem e respaldo.

Assim, as igrejas têm de se abster de:

1 – Ter os homens cabelos crescidos, bem como fazer cortes extravagantes, bem como o uso de brincos.

Para a AD, tal proibição está expressa em 1 Coríntios 11.14-15: “Ou não vos ensina a mesma natureza que é desonra para o varão ter cabelo crescido? Mas ter a mulher cabelo crescido lhe foi dado em lugar de véu”.

2 – Mulheres que usem roupas que são peculiares aos homens e vestimentas indecentes e indecorosas, ou sem modéstias.

Os pastores evocaram, nesse caso, 1 Timóteo 2.9,10: “Que do mesmo modo as mulheres se ataviem em traje honesto, com pudor e modéstia, não com tranças, ou com ouro, ou pérolas, ou vestidos preciosos, mas com boas obras”.

3 – Uso exagerado de pintura e maquiagem – unhas, tatuagens e cabelos.

Tais restrições estão em dois trechos da Bíblia – sempre de acordo com a interpretação dos pastores. Um dos trechos é o Lv 19.28,2: “Não façam cortes no corpo por causados mortos, nem tatuagens em si mesmos.”.

4 – “Uso de cabelos curtos em detrimento da recomendação bíblica.”

Trata-se de uma referência a 1 Coríntios 11.6, 15, que diz: (6) Portanto, se a mulher não se cobre com véu, tosquie-se também. Mas, se para a mulher é coisa indecente tosquiar-se ou rapar-se, que ponha o véu. (7) O homem, pois, não deve cobrir a cabeça, porque é a imagem e glória de Deus, mas a mulher é a glória do homem. (8) Porque o homem não provém da mulher, mas a mulher do homem. (9) Porque também o homem não foi criado por causa da mulher, mas a mulher por causa do homem. (10) Portanto, a mulher deve ter sobre a cabeça sinal de poderio, por causa dos anjos. (11) Todavia, nem o homem é sem a mulher, nem a mulher sem o homem, no Senhor. (12) Porque, como a mulher provém do homem, assim também o homem provém da mulher, mas tudo vem de Deus. (13) Julgai entre vós mesmos: é decente que a mulher ore a Deus descoberta? (14) Ou não vos ensina a mesma natureza que é desonra para o homem ter cabelo crescido? (15) Mas ter a mulher cabelo crescido lhe é honroso, porque o cabelo lhe foi dado em lugar de véu.

5 – Mau uso dos meios de comunicação: televisão, internet, rádio, telefone.

Essa orientação foi extraída de dois trechos, o 1 Coríntios 6.12 (“Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma.”) e o Fp. 4.8 (Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai.)

A resolução diz que caberá aos pastores indicar aos fiéis sobre o que podem ver na TV. Alguns deles simplesmente proíbem a compra de aparelho de televisão.

6. Uso de bebidas alcoólicas e embriagantes (Pv 20.1; 26.31; 1, Co 6.10; Ef. 5.18).

Esse último, por exemplo, diz: “Não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito.”

Na ratificação da resolução, houve pelo menos uma sutil modificação, mas que faz diferença quanto o uso de pintura e maquiagem e à utilização dos meios de comunicação. A palavra “proibição” foi substituída por “recomendação”.

A Assembleia de Deus tem mais de 22 milhões de seguidores no Brasil. Trata-se, a rigor, de um conglomerado de “religiões” que rumam no mesmo sentido, mas com uma razoável independência umas em relações às outras.

Isso significa, entre outras coisas, que as decisões da Convenção Geral como estas de usos e costumes sejam adotadas com muita flexibilidade, até por causa de suas contradições.

Algumas dessas contradições desmoralizam os guardiões da moralidade dos fiéis, como, por exemplo, a proibição por alguns templos aos fiéis de não possuírem TV, embora pastores da mesma denominação tenham programas de televisão. Ou ainda o veto ao uso de calça cumprida na escola, mas não no ambiente de trabalho. Todas as igrejas proíbem o uso de barba, mas algumas delas liberam o bigode.

O que perpassa toda resolução é o puritanismo condenatório da sensualidade, sobretudo e quase exclusivamente da mulher. Mulher não pode usar roupa que delineia o seu corpo de mulher. Porque, se assim fizer, ela terá de assumir a responsabilidade pelo pecado não só de sua ousadia, mas também pelo desejo dos outros.

É a negação do feminino, o que leva à velha questão da sexualidade mal resolvida dos puritanos.

Fonte: Paulopes / Folha Gospel

12/07/2011

Igrejas endurecem regras para casamento


Padres exigem cheque-caução contra o tradicional atraso da noiva e proíbem até músicas de filmes ou novelas.

Para se casar hoje em uma tradicional igreja católica, não basta à noiva dizer o “sim”. Em alguns casos, é preciso ir a 12 missas, com visto de presença dado pelo padre, pagar multa por atraso e deixar de lado canções hollywoodianas.

Por respeito à religião ou para coibir excessos, ao menos 11 igrejas na capital e no interior, entre as mais procuradas para casamentos, criaram restrições na cerimônia.

Uma máxima entre as paróquias é quebrar uma tradição: o atraso da noiva.

Ao menos três igrejas exigem dinheiro ou cheque-caução. Caso a noiva respeite o horário, o valor é devolvido.

É o caso do Mosteiro de São Bento, no centro da capital, e da catedral e da Nossa Senhora de Fátima (Estigmatinos), em Ribeirão.

Na catedral, a medida parece ter surtido efeito. Segundo o padre Francisco Zanardo Moussa, todos os cheques-caução (de R$ 800) foram devolvidos, porque as noivas foram pontuais.

“Antes, já houve atrasos de até 40 minutos. Prejudica a própria celebração”, diz.

Outras regras são para preservar prédios históricos. “Já tivemos decorador que usou pregos nos bancos centenários para fixar arranjos”, disse a cerimonialista Alessandra Paciullo, responsável pelos eventos no mosteiro.

Velas em arranjos nos corredores foram proibidas na Igreja Matriz do Bom Jesus da Cana Verde, em Batatais, para evitar danos aos quadros de Candido Portinari.

A igreja criou “uma lista enorme de regras”, segundo palavras do próprio padre Pedro Ricardo Bartolomeu.

Uma delas antecede a cerimônia. Além do curso de noivos, o casal deve assistir a 12 missas-o padre carimba o papel ao final. “Uma obrigação do cristão é a missa dominical. Não é exagero, é questão de compromisso.”

Músicas de filmes ou novelas são criticadas. O mosteiro na capital só permite canções sacras ou clássicas.

E o veto vai além. Na Cruz Torta, no Alto de Pinheiros, o padre Renato Cangianelli proibiu a canção “Also Sprach Zarathustra”, mais conhecida pelo filme “2001: Uma Odisseia no Espaço”.

“Sempre coloco a música aos noivos e pergunto do que se lembram. Todos dizem: macacos.”

Algumas das regras “cortam” o sonho de noivas como de Carla Borges Oliveira, 32, que planejava um número maior de padrinhos (leia texto abaixo).

PROFANO

Outra tradição, a de jogar arroz nos noivos, é vista como superstição.
“Deve-se separar o sagrado do profano. Além de superstição, é jogar alimento no chão”, afirma o padre André Batista de Oliveira, do Mosteiro de Nossa Senhora do Divino Espírito Santo, de estilo gótico, em Claraval (MG).

A veste sensual das madrinhas já provocou alvoroço na igreja Nossa Senhora do Brasil, uma das “top” paulistanas. “Por causa da moda, as pessoas perdem a noção de que estão em um local religioso”, defende o padre Michelino Roberto.

Para as esquecidas, há echarpes de diferentes cores disponíveis na igreja.

Segundo os religiosos, cabe a cada diocese ou arquidiocese criar regras para casamentos em suas paróquias.

Fonte: Folha de São Paulo / Folha Gospel

12/07/2011

Silas Malafaia comenta o pedido de militantes gays para cassar seu registro de psicólogo


O pastor Silas Malafaia se manifestou sobre a nova tentativa dos ativistas gays de cassar seu registro de psicólogo junto ao Conselho de Regional de Psicologia do Rio de Janeiro. O pedido foi feito há duas semanas acusando o pastor da Assembleia de Deus Vitória em Cristo de cometer práticas homofóbicas.

Silas Malafaia questiona que tipo de relação o Conselho de Psicologia tem com o seu programa televisivo, o Vitória em Cristo, onde ele responde como pastor e não como psicólogo. O líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo também chama atenção para a intolerância religiosa praticada por esses militantes.

“Eles tentaram por três vezes cassar o meu registro de psicólogo, não deu em nada, foi tudo arquivado,” diz o pastor que ainda explica o motivo desses processos terem sido arquivados. “É ridículo, os caras falam que eu como pastor na televisão tive procedimentos homofóbicos, mas eu não estou na televisão falando como psicólogo.”

Malafaia também lembra que o Supremo Tribunal Federal (STF) quando julgou a marcha da maconha reconheceu que a liberdade de expressão faz parte do Estado Democrático. “Quer dizer que eu não posso ir para televisão falar contra a prática dos homossexuais?” Questiona o líder da Advec.

Ele também usa o espaço para dizer aos pastores que prefere não se manifestar sobre o homossexualismo que denunciar a prática não significa que ele odeia os homossexuais.

“Eu amo os homossexuais, mas não amo as práticas dos homossexuais. É só pra vocês verem que é perseguição pura, eles querem colocar uma mordaça na sociedade e querem ficar livres para falar e fazer o que quiserem”, disse Malafaia que relembra o grupo de homossexuais que na Parada Gay ridicularizou símbolos católicos.

“Sou livre para criticar,” encerra o pastor que diz não temer a nada.

Fonte: Gospel Prime

12/07/2011

Igreja nas Filipinas pede desculpas por escândalo envolvendo doações


Funcionário do governo é acusado fazer contribuições ilegais a bispos em troca de favores políticos.

Os líderes da Igreja Católica Romana nas Filipinas pediram desculpas à seus seguidores por um escândalo envolvendo doações ilegais aos bispos.

Funcionário do governo é acusado de fazer doações ilegais em troca de favores políticos influenciados pelos líderes da igreja, amigos da ex-presidente Gloria Macapagal Arroyo.

Uma carta pastoral emitida nesta segunda-feira, 11, garantiu que os bispos estão preparados para as consequências de seus atos, se as acusações forem comprovadas legal.

A Conferência de Bispos Católicos das Filipinas declararam estar tristes com as controvérsias que envolve o caso e por ter ferido profundamente a igreja. Os bispos se desculpam pela dor e tristeza causado aos membros da igreja.

Polícia filipina começou a investigar as acusações na semana passada.

Fonte: Estadão / Folha Gospel

09/07/2011

Advogado invade evento evangélico e esfaqueia três pessoas


O fato ocorreu no Hotel Sol e Mar, no município de Santo Antônio de Jesus, a 185 km de Salvador (BA).

Um advogado invadiu um evento evangélico que estava sendo realizado no Hotel Sol e Mar e esfaqueou três pessoas com um canivete, por volta das 21h de segunda-feira (4), no município de Santo Antônio de Jesus, a 185 km de Salvador.

De acordo com depoimento de Edílson Magalhães, coordenador da 4ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin), estava ocorrendo uma palestra no momento em que José Raimundo Eurico de Moraes, de 57 anos, entrou no local.

“O acusado alega que esfaqueou as vítimas porque tinha sido agredido. É possível que como o advogado estava bêbado, as pessoas tenham tentado tirá-lo do evento e ele tenha resolvido ferir os rapazes”, disse o coordenador.

As vítimas foram encaminhadas para o Hospital Regional de Santo Antônio de Jesus. Os três passam bem e já foram liberados da unidade hospitalar. Os rapazes prestaram depoimento ainda na noite de ontem.

Eles foram identificadas como Wilton Araújo de Carvalho, 31, atingido no abdômen; Uivalle Rui da Silva, 26, recebeu um corte no braço e Vanderson Farias dos Santos, 28, foi atingido no tórax.

Edílson Magalhães informou ainda que o advogado toma remédio controlado e que as demais testemunhas do caso serão ouvidas hoje. José Raimundo está preso e responderá por tentativa de homicídio.

Fonte: Correio 24 Horas

08/07/2011

Livro de português sobre a não crucificação de Cristo vira best-seller


“Mentira Sagrada” do escritor Luís Miguel Rocha que já foi traduzido para 30 idiomas, destaca-se na lista dos mais vendidos do The New York Times.

Rafael – um agente secreto do Vaticano – é enviado a Londres para saber se de fato um milionário israelita possui um misterioso evangelho que contém um segredo já sabido pelo papa Bento 16, mas cuja revelação poderá abalar o cristianismo: Jesus Cristo não foi crucificado.

Essa é em resumo a história do livro “Mentira Sagrada” do escritor Luís Miguel Rocha que já foi traduzido para 30 idiomas, destacando-se na lista dos mais vendidos do The New York Times. Trata-se do primeiro livro de um escritor português a aparecer nessa lista do jornal americano.

O agnóstico Rocha disse que recorreu à ficção para contar uma verdade, a do Jesus Cristo histórico. Ele sustenta, no livro, que Jesus, além de não ter sido crucificado, nem sequer esteve no monte das Oliveiras. Pelo relato bíblico, o local teria sido onde Cristo foi preso e torturado, após a última ceia.

Em Portugal, representantes da Igreja Católica têm desmerecido o livro, como era de se esperar, mas a versão de que Cristo não foi crucificado é antiga e faz parte da história não oficial do cristianismo. A novidade do livro é que Rocha consegue contar essa versão de maneira envolvente, a exemplo de O Código Da Vinci , do americano Dan Brown.

Lançado em abril, “Mentira Sagrada” já vendeu mais de meio milhão de exemplares.

Fonte: Paulolopes

08/07/2011

Irlanda quer terras da igreja para pagar vítimas de abuso sexual


O governo da Irlanda pediu às ordens religiosas envolvidas em abusos sexuais que transfiram suas terras e propriedade para um fundo de indenização às vítimas.

As congregações já ofereceram US$ 681 mil, mas o governo afirmou que essa quantia é insuficiente.

Um relatório de 2.600 páginas feito em 2009 pelo governo revelou que de 1930 a 1990 cerca de 12 mil meninos e meninas de internatos religiosos foram violentados por padres e freiras.

A Igreja Católica da Irlanda e o Vaticano pressionaram na época o governo para que o relatório não se tornasse público.

Nenhuma das 18 ordens citadas no relatório se manifestou até agora sobre a proposta. Parte de suas propriedades está alugada para órgãos governamentais.

Estima-se que o total das indenizações seja de 1,36 bilhão de euros, o equivalente a R$ 2,3 bilhões.

Fonte: Paulolopes e Catholic News Service

%d blogueiros gostam disto: