Archive for setembro 10th, 2012

10/09/2012

Irmã do jogador Vagner Love se batiza em igreja evangélica; veja as imagens


Vânia Love, irmã do jogador Vagner Love, se batizou neste domingo (9) na Igreja Ministério Plenitude e Vida, do bispo Reinaldo Silva, no bairro do Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

A cerimônia de batismo contou com a presença do marido dela Marcelo Ramos, da mãe, Jaira Love, e do irmão jogador.

Em julho desse ano, a modelo revelou no Twitter que havia se convertido: “Faz um ano e meio que comecei a frequentar uma igreja evangélica, e Deus tem feito maravilhas na minha vida. Decidi traçar novos rumos! Vou me dedicar a minha vida profissional, minha Família, meus amigos e não amigos, e fazer o que for significante para Deus. Gostaria de agradecer todo o carinho que vocês tiveram comigo no decorrer desse tempo, e que vocês continuem me acompanhando nessa nova etapa da minha vida.Irei continuar a compartilhar aqui as coisas boas que irão acontecer. Afinal, as notícias boas de Deus nós devemos espalhar para edificação da fé, honra e glória Dele!”, escreveu Vânia afirmando para os seguidores que estava bem, e que não havia acontecido nenhum fato grave para que ela tomasse a decisão.

Nas fotos abaixo Vânia aparece com os familiares e os bispos da Igreja Ministério Plenitude e Vida.

Fonte: EGO

10/09/2012

Judeus ficam indignados com ‘regulamentação de circuncisão’ na Alemanha


A comunidade judaica em Berlim se mostrou indignada na última quinta-feira (6) com as restritas condições impostas pela Justiça berlinense para que a circuncisão por motivos religiosos continue sendo legal na capital alemã.

“Trata-se de uma flagrante ingerência a uma tradição do judaísmo com mais de 3 mil anos de antiguidade”, denunciou a comunidade judaica em um comunicado.

Na ocasião, o titular de Justiça de Berlim, Thomas Heilmann, anunciou que a partir de agora os pais ou tutores dos menores judeus e muçulmanos serão obrigados a confirmar de forma expressa e por escrito que aprovam a circuncisão, levando em conta “os possíveis riscos para a saúde” que essa intervenção pode acarretar.

Além disso, os pais deverão certificar a motivação religiosa e a necessidade dessa circuncisão, por exemplo, com uma confirmação de sua comunidade.

Por outra parte, com a regulamentação, a intervenção só poderá ser praticada por um especialista e atendendo os padrões médicos, embora não precisa ser realizada necessariamente em um hospital.

Segundo o ministro da Justiça da Alemanha, “hoje essa intervenção só pode ser feita por um médico”, medida que exclui aqueles que não possuem formação médica específica, caso de muitos rabinos.

As autoridades berlinenses decidiram regulamentar a circuncisão religiosa após a controvertida sentença anunciada por um tribunal provincial de Colônia, que passou a qualificar o ato como “lesão física ilegal e sancionável”.

Desta forma, as circuncisões em menores por motivos religiosos continuarão permitidas na capital alemã, embora submissas a estritas condições.

Por outro lado, o Conselho Central dos Judeus na Alemanha se mostra contrário à medida que estabelece que apenas os médicos fiquem autorizados a realizar circuncisões.

Anteriormente, Shimon Peres tinha pedido ao presidente alemão que intercedesse a favor do direito à circuncisão em menores por motivos religiosos, já que, segundo Peres, “a brit milah (circuncisão) é um ritual judeu essencial há milhares de anos para a identidade judaica e distintiva para um judeu”.

Em julho, o Parlamento alemão aprovou, por maioria, uma resolução defendendo a legitimidade da circuncisão em menores de idade, como expoente do respeito à liberdade de religião.

No entanto, a necessidade de uma regulamentação surgiu após a decisão do tribunal de Colônia, que passou a considerar que esta prática vulnera o direito de autodeterminação da criança, a qual deve sobressair sobre a liberdade religiosa.

Deixe o seu comentário.

Fonte: O Dia

10/09/2012

Uma pessoa comete suicídio a cada 40 segundos, aponta OMS


Segundo os dados de um relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS), apresentado  nesta sexta-feira (7), a cada 40 segundos uma pessoa comete suicídio no mundo.

Um milhão de indivíduos acaba tirando a própria vida anualmente, Cerca de 55% têm menos de 45 anos idade. Para efeitos de comparação,  em 1950, estima-se que 60% dos suicidas eram mais velhos que isto.

O suicídio ocupa a terceira posição entre os principais motivos da morte de pessoas entre 15 e 44 anos. Entre os jovens de 10 a 24 anos, o suicídio hoje é a segunda maior motivo. Como esses índices entre os jovens aumentaram muito, em um terço desses países, esta faixa de idade já é considerada a de “maior risco”.

Alexandra Fleischmann, do departamento de Saúde Mental da OMS, afirma que “As causas exatas do porquê desta mudança de tendência não sabemos. É um fenômeno que afeta todos os países e que está aumentando, mas as razões principais não as conhecemos, são muitas, variadas e mudam muito de caso a caso”.

Existem vários fatores que influenciam uma tentativa de suicídio: psicológicos, sociais, biológicos, culturais e ambientais. Porém, a OMS afirma que os problemas mentais (depressão e uso desproporcional do álcool, especialmente) são um fator maior de risco na Europa e nos Estados Unidos, Por outro lado, nos países asiáticos o impulso tem “um papel essencial”.

Estatisticamente, as mulheres fazem mais tentativas de suicídio que os homens, na maioria das vezes pelo abuso de remédios.Porém estes são mais efetivos porque usam métodos mais radicais: armas de fogo ou pesticidas.

“Nas zonas remotas, o acesso aos estabelecimentos de saúde é muito mais difícil. Se a tentativa de suicídio é realizada em um apartamento de uma grande cidade desenvolvida, essa pessoa pode ser levada de urgência a um hospital e ser salva”, disse Alexandra.

Na América Latina sempre houve baixos níveis de suicídios. Mesmo assim, Alexandra diz que  há uma tendência de aumento dos índices, “sobretudo entre os jovens”. O país com o menos índice é o Peru, com média de 1,9 por cada 100.000 homens que tiram a própria vida. No outro extremo está o Uruguai, com 26 para cada 100.000 dos homens.

O crescimento desse índice é notado de modo especial na Ásia, “em grandes países como China e Índia, com uma grande população e com imensos problemas ligados ao desenvolvimento e à globalização”, conclui a OMS.

As recomendações atuais da OMS incluem atuações multidisciplinares, como a formação do pessoal de educação e saúde, a restrição do acesso aos métodos (pistolas, pesticidas, remédios), “cuidar” da apresentação pública dos casos (evitar publicá-los na imprensa), entre outros.

Com informações Revista Época

10/09/2012

Yousef Nadarkhani é liberto da prisão no Irã


 Yousef Nadarkhani, o pastor iraniano que conquistou os corações de milhões de pessoas ao manter-se firme em sua fé, enquanto enfrentava a prisão, foi absolvido da acusação de apostasia.

Duas organizações que vinham acompanhando de perto o caso e tem fontes no Irã informaram neste sábado que Nadarkhani, que foi a julgamento no início do sábado, foi liberto da prisão e está em casa com sua família.

“Obrigado a todos que me apoiaram com as suas orações” disse Nadarkhani, de acordo com o Present Truth Ministries.

Embora absolvido da acusação de apostasia, o pastor iraniano foi considerado culpado de evangelizar muçulmanos. Ele foi condenado a três anos de prisão, mas foi liberado porque já cumpriu esta pena.

“Damos graças a Deus por sua libertação e a resposta às nossas orações”, disse Jason DeMars, fundador do Present Truth Ministries em um comunicado. A Christian Solidarity Worldwide também confirmou a libertação do pastor.

“Nós elogiamos o judiciário iraniano por este ato, que é um triunfo para a justiça e o Estado de Direito”, disse o presidente-executivo da CSW, Mervyn Thomas.

Pastor Yousef Nadarkhani recebido após ser liberto.

“Enquanto nós nos alegramos com esta notícia maravilhosa, nós não esquecemos de centenas de outros que são molestados ou injustamente detidos por conta de sua fé, a CSW está empenhada em continuar a campanha até que todas as minorias religiosas do Irã sejam capazes de desfrutar da liberdade religiosa garantida sob o Pacto Internacional sobre Direitos Civis e Políticos, do qual o Irã é signatário.”

Nadarkhani, pastor em uma rede de igrejas domésticas, foi preso em 13 de outubro de 2009, depois de protestar contra a decisão do governo de forçar todas as crianças, incluindo seus próprios filhos cristãos, ao lerem o Alcorão.

Ele foi inicialmente acusado por protestar, mas as acusações foram posteriormente alteradas para a apostasia e evangelismo aos muçulmanos. Em 2010, ele foi condenado a morte e a decisão foi confirmada pelo Tribunal Supremo do Irã no ano passado.

De acordo com a Sharia, um apóstata tem três dias para se retratar. O pastor cristão se recusou a negar sua fé.

Cristãos de todo o mundo têm orado pela liberação de Nadarkhani. A campanha no Twitter defendendo sua liberdade atingiu mais de 3 milhões de tuites.

Traduzido de The Christian Post

10/09/2012

Maioria dos cristãos não entende o que é ser membro de uma igreja


Um novo estudo do Instituto de Pesquisas Grey Matter mostra que existe grande confusão e ignorância entre os cristãos sobre o significado de ser membro de uma igreja.

A pesquisa foi realizada entre adultos que afirmaram participar de uma igreja local. O estudo perguntou se essas pessoas foram convidadas ou não a fazer “qualquer tipo de adesão oficial à organização”. Apenas 48% disseram que foram convidados a fazer algum tipo de adesão oficial, 33% acreditam que isso não é importante, e 19% são não têm certeza.

A maioria das grandes organizações religiosas faz esse tipo de convite. As dez maiores denominações cristãs dos EUA oferecem algum forma de adesão oficial: Igreja Católica Romana, Convenção Batista do Sul, Igreja Metodista Unida, Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, Igreja Evangélica Luterana, Assembleia de Deus, Igreja Presbiteriana, Igreja Luterana – Sínodo de Missouri, Igreja Episcopal e Convenção Batista Nacional dos EUA.

Mesmo assim, entre os fieis dessas 10 denominações, apenas 44% dizem que sua igreja lhes pediu para serem membros, enquanto 39% disseram não terem sido convidados, e 17% não tem certeza.

A importância de uma “membresia oficial” é muito mais comum entre evangélicos do que entre os católicos romanos. Entre os membros de uma igreja protestante, 56% dizem que sua igreja exige que o fiel se torne um membro. Apenas um terço dos católicos acredita que isso é necessário.

Entre as pessoas que frequentam as nove maiores denominações não católicas dos EUA, 69% dizem que um convite para adesão oficial é oferecido, 9% afirmam não há necessidade de adesão oficial, e 21% não tem certeza.

Por outro lado, os evangélicos são particularmente propensos a acreditar na exigência que sua igreja faz de o fiel ser membro (72% contra 44% entre todas as outras confissões de fé).

Entre as pessoas entrevistadas, 78% afirmam serem membros de sua igreja, enquanto 21% frequentam, mas nunca se tornaram membros e 1% não tem certeza se é ou não membro.

Ron Sellers, presidente do Instituto de Pesquisa Grey Matter observa que muitas denominações continuam a medir seu tamanho segundo o número de membros, mas isso nem sempre é verdade.

“Menos de metade de todas as pessoas que frequentam templos religiosos acreditam que podem ser membros de sua igreja ou lugar de culto. Mesmo quando olhamos apenas para as maiores denominações protestantes que oferecem essa possibilidade, cerca de um terço dos que frequentam a igreja desconhecem que isso é uma opção. Quase quatro em cada dez pessoas que frequentam essas igrejas não pretendem ser membros. Temos que repensar o quão relevante são as estatísticas de membresia para medir a força de uma igreja nos dias de hoje?”.

Na análise de Sellers, muitos grupos religiosos não se preocupam tanto em estimular as pessoas a se tornarem membros ou enfatizar o quanto isso é importante. “As igrejas  locais  muitas vezes falam sobre os benefícios ou a importância de a pessoas que frequenta se tornar um membro, mas aparentemente as pessoas simplesmente não veem isso como algo necessário para a sua própria vida espiritual. Os grupos religiosos precisam entender o porquê isso acontece e começar a explicar a importância  dessa decisão. ”

“Não é de admirar que tantas pessoas estejam confusas. Algumas instituições religiosas têm várias maneiras de ver o fiel, falam em visitantes, frequentadores,  participantes, congregados, contribuintes, etc, mas não explicam muitas vezes com clareza o que é um ‘membro’  e algumas denominações não deixam claro  como pode ser feita essa adesão oficial”, conclui.

Traduzido de Greymatterresearch.com

%d blogueiros gostam disto: