Archive for setembro 17th, 2012

17/09/2012

Religião não é uma prioridade moral para muitos jovens


Ter uma crença religiosa não é visto como uma prioridade moral por muitos jovens,  foi o que revelou uma pesquisa uma pesquisa realizada pela BBC Religião e Ética.

A BBC pediu para que 600 jovens entre 16 e 24 anos, fizessem uma lista com oito questões morais que oito eram mais importantes.

Cuidar da família ficou em primeiro lugar, com 59%. Apenas 4% disseram ter a fé religiosa como mais importante.

Quando perguntado sobre a questão menos importante, um terço escolheu a religião.

Depois de cuidar da família, 12% destacaram outros itens como uma prioridade moral.

Este foi seguido por 8% que escolheu ser fiel a um parceiro. Cinco por cento disseram cuidar do meio ambiente, enquanto 4% escolheram pagar impostos.

Outros 4% escolheram desempenhar um papel na comunidade local como o mais importante. Um por cento disse que a compra de produtos éticos era mais importante.

Os números foram divulgados antes da publicação do último Attitudes Survey social britânico na segunda-feira, o que é esperado para mostrar uma nova queda na filiação religiosa entre os jovens.


Fonte: Christian Today

17/09/2012

Suplente de Marta Suplicy diz que seu mandato será pautado pela igreja


Suplente de Marta Suplicy diz que seu mandato será pautado pela igrejaO vereador Antônio Carlos Rodrigues (PR-SP) será o suplente de Marta Suplicy (PT-SP) no Senado, já que ela está assumindo o Ministério da Cultura. Ao contrário da petista que militava em favor do movimento gay e da liberação do aborto, Rodrigues já informou que seu mandato como senador será pautado pela Igreja.

O novo senador é católico praticante e condena o aborto, a eutanásia e o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo. “Sou contra. Homem é homem. Mulher é mulher. Posso perder voto dos gays. Mas sou transparente”, disse ele que é ligado a 22 paróquias da zona Sul de São Paulo.

“Vou acompanhar a Igreja Católica Apostólica Romana”, adianta ele que já avisou que vai votar segundo suas convicções religiosas. “Vocês vão ouvir falar muito de mim, podem esperar. Já estou pleiteando uma vaga na Comissão de Constituição e Justiça para a minha bancada.”

Marta Suplicy militava no Congresso pela aprovação do Projeto de Lei da Câmara (PLC) 122/2006 que tenta incluir a discriminação sexual na lei de crime de racismo, o que faria com que toda a opinião contrária ao homossexualismo se tornasse crime. A proposta gera grande polêmica entre os parlamentares, tanto a Bancada Evangélica como a Católica militam contra essa aprovação.

A relatoria do novo texto da PL 122 será assumida pela senadora para a senadora Lídice da Mata (PSB-BA).

Fonte: Gospel Prime

17/09/2012

Gays ameaçam ficar nus para protestar contra Silas Malafaia


A Câmara de Vereadores de Salvador gerou polêmica ao ter concedido o título de cidadão honorário da capital baiana ao pastor Silas Malafaia, líder da Igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo.

Isso irritou movimentos militantes gays baianos. O professor Luiz Mott disse que eles estão se organizando para fazer um “ato de nudismo” como forma de protesto.

“Se a Câmara Municipal de Salvador não suspender o absurdo título de Cidadão Soteropolitano a Silas Malafaia, o maior homofóbico do Brasil atual, que não fez nada para Salvador para merecer qualquer honraria, dezenas de gays, lésbicas, travestis e simpatizantes pretendem ficar nus na Câmara para impedir e chamar a atenção do mundo deste absurdo discriminatório”, convocou Mott, que é historiador.

Não é primeira vez que Mott se indispõe publicamente contra Malafaia e as igrejas que condenam a homossexualidade. “As igrejas cristãs, em geral, têm as mãos sujas de sangue, pela intolerância que divulgam nos púlpitos e nas televisões. Elas fornecem munição ideológica para aqueles que têm ódio de homossexuais, fazendo com que esse ódio aumente. Vai chegar uma época em que o papa e essas igrejas vão pedir desculpas de joelhos aos homossexuais, como a igreja já pediu desculpas aos judeus, negros e índios”, afirmou recentemente.

No dia 27 de setembro, deve ser entregue o título proposto pelo vereador Héber Santana (PSC). Na mesma data, o Grupo Gay da Bahia, pretende fazer uma representação junto à  presidência do Legislativo da cidade, questionando a titulação.

A manifestação de nudismo da mais antiga entidade de defesa do gênero em atividade no Brasil será na mesma data, ressaltando que considerou o título um “atentado aos direitos humanos da comunidade LGBT”.

Com informações Mix Brasil

17/09/2012

MPF abre inquérito civil sobre livro editado por Silas Malafaia


O Ministério Público Federal solicitou inquérito civil público sobre o livro “A Estratégia – O plano dos homossexuais para transformar a sociedade”, de autoria de Louis P. Sheldon, editado no Brasil pela editora do pastor Silas Malafaia (foto), a Central Gospel.

O parecer do procurador da República Sergio Gardenghi Suiama acata pedido da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT) que alega que a obra “perpetra uma inegável incitação ao ódio, ao preconceito e à discriminação com os homossexuais”.

“The Agenda” é, há anos, a cartilha da estratégia política de igrejas evangélicas fundamentalistas nos EUA. No Brasil, lideranças políticas religiosas têm adotado, recentemente, a estratégia de considerar o segmento LGBT como alvo preferencial de ataque. Para eles, os homossexuais são a principal ameaça ao estilo de vida em suas igrejas, desde que se tornaram mais organizados, realizam paradas gays e fazem advocacy em governos e parlamentos.

Lógica neonazista

No ofício, a entidade cita especificamente trechos do livro nos quais constam as afirmações: “Os promotores da estratégia, do plano homossexual, são pessoas cheias de ressentimento e ódio, misturados com autorrejeição e vergonha, e não desistirão até que tenham erradicado cada traço de moralidade e autocontenção” e “O problema não é simplesmente o tipo de sexo preferido pelos homossexuais, mas o estilo de vida que abraçam. Doenças, infecções, vícios em drogas e álcool, e ferimentos são comuns. Além disso, a evidência de disfunções sociais e emocionais é igualmente aterrorizante”.

Open in new windowO procurador afirma em sua representação, que os trechos destacados evidenciam que a obra em questão não está voltada somente à defesa de uma posição política. O autor qualifica o que chama de “estilo de vida gay” como “repugnante”, “perigoso”, “vulgar” e “assassino”, e afirma textualmente que homossexuais são “sexualmente imaturos”, moralmente irresponsáveis e emocionalmente instáveis”. São também, segundo sugere o autor, responsáveis pela transmissão de doenças e molestadores sexuais de crianças inocentes.

“Vê-se, desse modo, que a manifestação atingiu o âmbito de proteção dos direitos fundamentais à honra e à dignidade de um número indeterminado de pessoas homossexuais, já que as ofensas contidas no livro não estão voltadas a esta ou aquela pessoa, mas sim a toda a coletividade de homossexuais masculinos e femininos”, diz Suiama.

Toni Reis, presidente da ABGLT, considera o presuposto do título, – de uma conspiração homossexual -, uma postura tão nefasta quanto aquela que inventou os também inexistentes, mas difamatórios, “Protocolos dos Sábios de Sião”, inventados para difamar os judeus até meados do século XX para aterrorizar os não-judeus sobre um suposto (e inexistente) “plano” dos mesmos para dominar o mundo – a analogia nos parece evidente pelo próprio título do livro falar de um absurdo “plano” dos homossexuais para transformar a sociedade…

A Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão considerou cabível análise do material com vistas à tutela coletiva dos direitos fundamentais à honra e à dignidade das pessoas homossexuais. O MPF pediu ainda que a publicação de resposta coletiva dos homossexuais proporcional ao agravo encartada no próprio livro ou em jornal de grande circulação e indenização decorrente do dano moral causado à coletividade.

O livro foi lançado em março deste ano e trata-se, segundo a editora, de uma publicação de 288 páginas de análise de 33 anos do escritor sobre o tema.

A Central Gospel ainda não se manifestou sobre a decisão do MPF-SP. Contudo, o pastor Malafaia negou em outra oportunidade que a sua editora tenha livro que promova ódio e preconceito.

O site da editora informa que “A Estratégia” encontra-se esgotado. Com 288 páginas, ele estava sendo vendido a R$ 32,21. Uma resenha informa que o livro trata da família que está sendo implodida não só pelo divórcio, mas também pela “estratégia gay, que visa erradicar a estrutura moral da sociedade e promover relações promíscuas”.

A decisão do MPF é polêmica porque poderá ser interpretada como uma tentativa de impor a censura a um livro, contra a Constituição, que garante a liberdade de expressão.

Fonte: Spresso SP e Paulopes

%d blogueiros gostam disto: