Archive for setembro 24th, 2012

24/09/2012

Igreja Católica assume 620 casos de pedofilia na Austrália


A Igreja Católica confirmou 620 casos de abusos sexuais contra menores cometidos na Austrália por sacerdotes desde a década de 30, uma revelação inédita no país. Maioria dos casos ocorreu entre a década de 1960 e de 1980

A Igreja Católica confirmou 620 casos de abusos sexuais contra menores cometidos na Austrália por sacerdotes desde a década de 30, uma revelação inédita no país. O arcebispo de Melbourne, Denis Hart, classificou de “horríveis e vergonhosos” os números que aparecem em um relatório entregue para comissão que investiga no Parlamento do estado de Victoria casos de pedofilia cometidos em várias ordens religiosas.

Por meio de um comunicado, Hart disse que a maioria dos casos ocorreu entre a década de 1960 e de 1980, embora tenham ocorrido inclusive há 80 anos. Desde 1990, só 13 abusos foram registrados. O arcebispo afirmou que a igreja colaborará plenamente com a comissão parlamentar e acrescentou que está investigando outros 45 supostos abusos sexuais, informou a cadeia ABC.

“É um trauma e uma vergonha que estes abusos, com seu dramático impacto nas vítimas e suas famílias, fossem cometidos por sacerdotes católicos, religiosos e funcionários paroquiais”, protestou. “Este relatório demonstra que a igreja está comprometida a enfrentar a verdade e não se esquivar, diminuir ou evitar as ações daqueles que violaram seus votos sagrados”, garantiu Hart.

O Parlamento de Victoria criou em abril uma comissão especial para investigar os casos de pedofilia cometidos em várias ordens religiosas. As conclusões ficarão prontas no ano que vem. Segundo as associações das vítimas, o número dos menores vítimas de abusos pode superar 6.000 só em Victoria.

Em sua visita à Austrália, em julho do ano passado, o papa Bento XVI se reuniu com algumas das vítimas e pediu perdão em nome da igreja.

Fonte: Opera Mundi

24/09/2012

Rede Super estende seu sinal para cidades mineiras


Rede Super estende seu sinal para cidades mineirasNas últimas semanas os moradores das cidades mineiras de Juiz de Fora e Cataguases passaram a acompanhar a programação da Rede Super, podendo sintonizar através de canais novos, já que nesses municípios o canal 23 não estava disponível.

Agora Cataguases recebe o sinal da TV ligada à Igreja Batista da Lagoinha pelo canal 17 e Juiz de Fora pelo canal 32. Para comemorar o pastor Márcio Valadão e o apresentador Alex Passos estiveram em Juiz de Fora, juntamente com o superintendente da Rede Super, Charles Campos.

Juntos aos moradores os representantes do canal assistiram ao programa “de Tudo um Pouco” que foi ao ar no dia 4 de setembro. Ao vivo, os apresentadores Mauricio Marchini, Luciana Bertolini e Jean Carlos enviaram abraços e beijos para os novos telespectadores.

A Rede Super está completando dez anos de trabalhos, alcançando diversas cidades brasileiras com a mensagem de Jesus. Os programas falam do amor de Deus e dão espaços para temas ligados ao cotidiano das pessoas, alcançando assim telespectadores que não são convertidos.

Para saber mais sobre a Rede Super acesse o site http://www.redesuper.com.br e veja a programação completa e como sintonizar o canal em sua cidade.

Fonte: Gospel Prime

24/09/2012

Achado reservatório próximo ao Monte do Templo em Jerusalém


Achado reservatório próximo ao Monte do Templo em JerusalémArqueólogos israelenses descobriram um tanque de água (cisterna) datado do período do Primeiro Templo de Jerusalém (1006-586 a. C.). O achado pode lançar uma nova luz sobre os usos e costumes da vida na cidade santa há cerca de 2.500 anos atrás.

Encontrado junto ao muro ocidental da praça onde estava o Templo, no chamado Arco de Robinson. O tanque recebia água do poço de Siloé, que ficava algumas centenas de metros além dos muros, explicam os especialistas.

“Está bastante claro agora que Jerusalém não só tinha sua fonte de água em Gion, mas tinha outros recursos para uso público”, afirmou em um comunicado o arqueólogo Eli Shukron, que lidera o projeto da Autoridade de Antiguidades de Israel. A descoberta mostrou que o abastecimento de água de Jerusalém, além de uma fonte de água natural, contava com grandes reservatórios artificiais do tipo agora descoberto.

A descoberta consiste em uma cavidade meticulosamente esculpida na rocha. A evidência da época é determinada pela forma e pelo tipo de reboco, típicos de reservatórios do período do Primeiro Templo descobertos em outros lugares de Israel. Pode-se ver as impressões digitais dos construtores impressas na parece, feitas quando eles terminaram o trabalho, como nos depósitos descobertos nos depósitos similares de Tel Be’er Sheva, Tel Arad e Bet Shemesh.

Essa cisterna é o ponto final de um canal do Vale do “Tyropoeon”, que alguns estudiosos identificam com o “Vale da Decisão” mencionado no Livro de Joel (Joel 4,14) e também pelo historiador judeu-romano Josefo.

Eli Shukron conta que durante o trabalho debaixo do chão do canal, se abriu uma brecha que revelou a presença da cisterna com dois tanques pequenos, capaz de reter 250 metros cúbicos de água, o que faz dela a maior daquela época já descoberta em Jerusalém.

Seu tamanho grande indica que a água era utilizada para as funções cotidianas no Templo e pelo público em geral, seja para banho ou para ser bebida. Provavelmente servia também como local de purificação dos peregrinos antes de subirem para o banho ritual.

O tamanho original e a localização da cisterna sugerem que ele tenha servido para auxiliar nas atividades de rituais no templo, segundo destacou a arqueóloga Tsvika Tsuk da Autoridade de Parques de Israel. “É possível que a grande cisterna encontrada ao lado do Monte do Templo tenha sido usada na operação diária do próprio Templo, mas também serviu para os peregrinos que vinham e precisavam de água para lavar e beber”, completa Tsuk. “A cisterna foi impermeabilizada com um gesso amarelado típico do período e ainda visíveis nas paredes”.

O local testemunha a existência de uma área com uma elevada densidade de construções. Porém, quando o local cresceu em número de habitantes, na época do Segundo Templo, as construções mais antigas foram desativadas, como ocorreu com o reservatório encontrado.

Calcula-se que o Primeiro Templo tenha sido construído por volta de 950 a.C, de acordo com o registro bíblico e destruído por um exército babilônico em 586 a.C. O Segundo Templo foi edificado começou cerca de 50 anos depois e totalmente destruído por soldados romanos no ano 70 d.C.

Depois de completar as escavações, a Autoridade de Antiguidades de Israel, órgão oficial do governo israelense, examinará a possibilidade de incluir este grande reservatório na rota para os visitantes da Terra Santa.

Traduzido de Acontecer Cristiano

onte: Gospel Prime

24/09/2012

Cristianismo já é maior que Islã no continente africano


Cristianismo já é maior que Islã no continente africanoCristianismo em seu todo, incluindo evangélicos, católicos, coptas e outros ramos, é hoje a maior religião da África, passando à frente do Islã. Um em cada cinco cristãos do mundo vive na África.

Esta é a conclusão de um estudo apresentado pelo sociólogo Massimo Introvigne, durante um congresso organizado pelo Centro de Estudos de Novas Religiões (CESNUR) da Universidade de El Jadida, no Marrocos.

Segundo os novos dados, os cristãos representam hoje 46,53% da população africana, em comparação com 40,46% de muçulmanos e 11,8% das pessoas que seguem religiões tradicionais africanas, conforme divulgou o jornal italiano La Stampa.

Também mostra que, enquanto em 1900 os cristãos da África eram 10 milhões, em 2012 as chegam a mais de 500 milhões. Em 1900 os africanos representavam 2% dos cristãos do mundo e hoje, são 20% do total dos seguidores de Cristo no mundo.

“Esses dados ainda estão sendo consolidados”, disse Introvigne, fundador da CESNUR, “mas têm grande significado histórico, cultural e político”.

Além disso, a pesquisa mostra que 31 países africanos têm maioria cristã, em contraste com os 21 que são islâmicos e seis que possuem religiões predominantemente tradicionais.

“Hoje há mais cristãos africanos praticantes do que os europeus praticantes. Eventualmente, isso vai mudar, não só na África, mas em todo o cristianismo”, comentou.

Obviamente, essa mudança de rumos no continente não agradou a todos. O estudioso acredita que este crescimento pode ser a principal causa do aumento dos ataques contra os cristãos em várias nações africanas. “O ultra-fundamentalismo islâmico considera escandaloso o fato de que há mais cristãos que os muçulmanos na África, por isso articulou para perseguir e matar cristãos em países como Nigéria, Mali, Somália, Quênia”, acrescentou.

Traduzido de Protestante Digital

%d blogueiros gostam disto: