Archive for novembro 1st, 2012

01/11/2012

Cristãos palestinos sofrem e perseveram por amor à fé


Israel.Palestina.jpgO cristianismo é uma realidade cada vez mais residual no território em que Jesus nasceu e viveu. Hoje os cristãos representam pouco mais de 1% da população israelita e palestina.

 “Nunca me esquecerei de suas orações por mim e pela minha família. Eu pude senti-las, e elas tocaram meu coração de maneira poderosa. Elas me encheram de força e capacidade para suportar aquele terrível acontecimento. Suas orações por mim são como uma bengala que me ajuda a andar e a manter o equilíbrio aonde quer que eu vá”.

As palavras acima foram ditas por Pauline Ayyad, esposa de Rami Khader Ayyad, ex-diretor da única livraria cristã da Faixa de Gaza (Palestina), sequestrado e assassinado em 2007, após sofrer uma série de ameaças de radicais islâmicos. Um grupo ligado à Al Qaeda, que atuava em Gaza, assumiu a responsabilidade por lançar bombas na livraria e tambem por matar Rami. O casal Ayyad tinha dois filhos; quando Rami foi morto, Pauline estava grávida de 5 meses de uma menina. Hoje Pauline e seus três filhos passam bem, mas sofreram muito e ainda sofrem com a perda de Rami.

A realidade dos cristãos palestinos é muito dura, principalmente para aqueles que vivem na Faixa de Gaza, região governada pelo partido islâmico Hamas. Os cristãos de Gaza sofrem com diversos problemas psicológicos devido à pressão feita pelas forças do governo, além disso, sofrem com o desemprego, com o isolamento da sociedade, com um sentimento latente de insegurança, etc. Muitos, inclusive crianças, estão traumatizados pelas crueldades que aconteceram e ainda acontecem em Gaza.

Em outras áreas da Palestina*, como em Belém, a população cristã diminuiu drasticamente nos ultimos 20 anos, de 60 para apenas 10%. Na Cisjordânia, há situações de discriminação e danos de propriedades cristãs. Isso ocorre devido aos constantes ataques e pressões que a comunidade cristã sofre por parte das autoridades locais e do fanatismo religioso. Mesmo assim é possivel notar a presença de cristãos, por exemplo, em Belém, Ramallah, Nablus e outros locais. Em Nablus, no norte da Cisjordânia, restam hoje, aproximadamente, 500 cristãos – há 40 anos eles eram 3.000.

Mesmos sem grande peso político ou econômico, os cristãos asseguram que a sua presença na Palestina nunca irá desaparecer. “Somos poucos, somos pequenos, mas estamos aqui e permaneceremos”, afirma um cristão palestino.

O Auxílio da Portas Abertas
A Portas Abertas tem atuado em diversos países ao redor do mundo para socorrer cristãos em situações de vulnerabilidade, discriminação e perseguição religiosa. Nos últimos anos a Portas Abertas tem atuado em parceria com a Sociedade Bíblica Palestina para dar assistencia às famílias que, por causa dos conflitos entre israelenses e palestinos, perderam o contato com seus entes queridos e vivem em situação de pobreza extrema.

“Com a ajuda da Portas Abertas Internacional, pudemos socorrer muitas famílias necessitadas e devolver o sorriso aos rostos das pessoas marginalizadas”, disse um membro da Sociedade Bíblica da Palestina.

Nesses projetos, dezenas de famílias foram ajudadas com cestas básicas, remédios e materiais hospitalares.

A Portas Abertas também atua, na Palestina, através do Musalaha, um ministério de reconciliação entre jovens israelenses e palestinos. Organizando reuniões esporádicas, seminários e conferências, o Musalaha procura unir, através do amor de Cristo, jovens que foram separados pelo ódio e segregação.

Que possamos orar pela paz em Israel/Palestina, e para que muçulmanos e judeus se rendam ao incomparável amor de Cristo Jesus.

*Historicamente o termo Palestina abrange todo o território que hoje está dividido entre o Estado de Israel e as áreas habitadas por árabes palestinos, “Faixa de Gaza e Cisjordania”, respectivamente sob o governo do Hamas e da Autoridade Nacional Palestina.

Fonte: Portas Abertas

01/11/2012

Padre expulsa menina de igreja em Nova Serrana por causa de short


Thalita e o pai (Foto: Anna Lúcia Silva/ G1)Uma adolescente de 16 anos foi expulsa neste domingo (28) de uma missa na comunidade de Gamas, na cidade de Nova Serrana, no Centro-Oeste de Minas Gerais. Segundo a estudante Thalita Alessandra Silva Mota, o motivo foi o short que ela usava. Ela contou que o padre chamou sua atenção na frente de mais de 150 pessoas que estavam presentes durante a celebração de uma missa. “Ele disse no microfone que a roupa que eu estava era inadequada para uma missa. Eu não ficaria chateada se ele tivesse dito isso reservadamente. O problema foi que ele não soube ser educado e disse para eu me retirar da igreja e trocar a minha roupa”, desabafou. Em entrevista ao G1, o padre João Luiz Moreira confirmou a repreensão e disse que não muda a opinião.

O pai da menor, o cortador de solas de sapato, Cleisson Renato Mota, contou que Thalita passou por uma cirurgia na perna há menos de 30 dias e por causa dos pontos que ainda não cicatrizaram ela não podia usar roupas apertadas. “Foi recomendação do médico que ela não usasse roupas apertadas para não prejudicar a cicatrização, e nem roupas abafadas por causa do calor, por isso ela escolheu ir com o short à igreja”, contou.

Ainda de acordo com o pai e a menina, durante a missa o padre comentou sobre o tipo de roupas adequadas para a igreja e falou repetidas vezes sobre o mesmo assunto e, quando viu Thalita usando o short, a chamou e disse que o que ele estava falando era exatamente com ela. “Ele apontou o dedo para mim e falou: Mocinha, isso que eu estou falando é para você mesma. Vá embora e troque essa roupa que não é adequada para a ocasião. Eu abaixei a cabeça e entrei para a sacristia e fiquei lá até que passasse o mal estar. Depois fui embora para casa acompanhada do meu pai”, lembrou.

Pai alega que foi recomendação médica após cirurgia (Foto: Anna Lúcia/G1)Cleisson Mota contou que tentou alertar o padre sobre o motivo da roupa da filha. “Para evitar qualquer constrangimento, eu tentei chamá-lo para justificar, mas ele simplesmente me ignorou e continuou a missa. Logo depois o que eu temia aconteceu, ele chamou a atenção da Thalita na frente de todos presentes”, explicou.

Segundo Ana Lúcia Silva Campos, que estava na missa, a atitude do padre foi desnecessária. “Ele falou três vezes sobre tipo de roupa para a igreja, foi muito grosso ao falar. Na terceira vez, quando Thalita se levantou, ele disse diretamente para ela com tom de grosseria, fiquei muito constrangida por ela”, opinião.

“O tipo de abordagem do padre tirou a atenção de todos dentre o da igreja, o pessoal ficou falando e cochichando sobre esse assunto. Ele não podia ter feito isso, poderia ter chamado a menina em um canto, sem prejudicar a garota que virou motivo de conversa durante o dia todo, foi um absurdo”, reforçou a estudante Larissa Cristina Campos a dona de casa.

Padre admite atitude sobre a roupa da adolescente

Padre confirma a repreensão (Foto: Anna Lúcia Silva/ G1)O padre João Luiz Moreira confirmou a repreensão à adolescente e afirmou que não muda a opinião só porque a menina passou por uma cirurgia. Segundo ele, a igreja é lugar sagrado e por isso as pessoas devem se vestir adequadamente para as celebrações. “Eu falei realmente que a roupa não era roupa de igreja. Em seguida ela se levantou e foi para frente da igreja. Por isso falei que estava falando com ela”, admitiu.

O pai da adolescente registrou um Boletim de Ocorrência e falou que irá acionar a Justiça pelo ato do padre. ”Eu vou processar o padre. Ele não tinha o direito de constranger minha filha na frente de todo mundo”, argumentou. Sobre uma possível ação na Justiça, o pároco não quis falar. “É um direito que ele tem, eu não vou dizer nada sobre o assunto”, finalizou.

 

Fonte: G1

01/11/2012

Contradição: Igreja Católica poderá aceitar pastores luteranos como sacerdotes em breve


Igreja Católica poderá aceitar pastores luteranos como sacerdotes em brevePerto do adversário de 500 anos da Reforma Protestante, que dividiu a Igreja Católica na Idade Média, pode parecer estranho ouvir-se as declarações do cardeal Kurt Koch. Ele é presidente do Conselho Pontifício para a Promoção da Unidade dos Cristãos, e durante a XIII Congregação Geral do Sínodo dos Bispos sobre a Nova Evangelização, deu uma entrevista que está repercutindo em vários círculos teológicos.

Ele afirmou que o Vaticano analisa a possibilidade de ocorrer com pastores luteranos o mesmo que ocorreu com os pastore anglicanos em 2009.

Desde então, cerca de 100 ex-pastores e 8 ex-bispos anglicanos foram recebidos e re-ordenados para servir as congregações católicas, cuidando de um rebanho de aproximadamente 4000 fieis.

Na época do aceite, o documento papal Anglicanorum coetibus estabeleceu as condições de os sacerdotes da Igreja Anglicana serem reconhecidos pelos católicos. “O santo padre buscou uma solução que, na minha opinião, foi bastante aberta, levando em conta que as tradições eclesiásticas e litúrgicas dos anglicanos foram levadas em consideração. Se desejos semelhantes são expressos pelos luteranos, então precisamos refletir sobre eles. No entanto, a iniciativa cabe aos luteranos”.

Caso seja levado adiante, as comunidades anglicanas que desejarem poderá entrar em plena comunhão com a Santa Sé. O movimento de aproximação ocorre principalmente na Alemanha. O cardeal lembra que a “Declaração conjunta sobre da outrina da justificação”, assinada em Augusta, em 1999, por católicos e luteranos foi um grande passo à frente no diálogo.

“Resta-nos agora a tarefa de discutir o aspecto eclesiológico desta declaração conjunta. Sabemos que os evangélicos têm um entendimento diferente dos católicos sobre a Igreja. Não basta simplesmente reconhecermos uns aos outros como Igreja. Precisamos de um amplo diálogo teológico sério sobre o que constitui a essência da Igreja”, disse Koch.

Koch anunciou que, para 2017, aniversário de quinhentos anos da Reforma, o Pontifício para a Promoção da Unidade dos Cristãos está preparando um comunicado conjunto com a Federação Luterana Mundial.

O cardeal destacou ainda que há um bom diálogo com os membros das igrejas ortodoxas, que estão bastante envolvidos na preparação de um sínodo pan-ortodoxo. “Pessoalmente, estou convencido que, quando isso ocorrer, será um grande passo à frente no diálogo ecumênico. Por isso nós temos que apoiar os esforços dos ortodoxos e ter paciência. Nas comissões ecumênicas, continuamos o diálogo teológico sobre a relação entre a sinodalidade e o primado”, reafirmou.

Durante a entrevista, comentou o cinqüentenário do Concílio Vaticano II, que trouxe algumas mudanças na compreensão vigente de que a Igreja Católica é a única igreja. “Tento ver o Conselho igualmente como uma ruptura, mesmo que de uma maneira muito diferente. O santo padre tem questionado essa compreensão da hermenêutica conciliar e propôs uma hermenêutica da reforma, que une a continuidade e renovação”.

Traduzido e adaptado de Catholic Culture, Zenit e Anglicanink

Fonte: Gospel Prime

01/11/2012

Valdemiro Santiago negocia lançamento de sua biografia


Depois do sucesso de vendas da biografia de Edir Macedo, o próximo religioso a ter sua vida relatada em um livro é o concorrente direto do fundador da Igreja Universal do Reino de Deus: Valdemiro Santiago.

De acordo com o jornalista Lauro Jardim, do Radar On-line, o dono da Igreja Mundial do Poder de Deus estaria negociando com algumas editoras para também lançar suas memórias.

Nascido em novembro de 1963, o líder religioso cresceu em uma família humilde, tendo a oportunidade de cursar apenas até a quinta série do ensino fundamental. Sua conversão aconteceu quando ele tinha 16 anos e logo passou a se envolver com os trabalhos da Igreja Universal, chegando a ser pastor.

Sua influência na IURD fez com que ele chegasse a ser um dos bispos de confiança de Edir Macedo, até que em 1997 essa aliança entre líder e liderado foi rompida. Meses depois Valdemiro Santiago inaugurou a Igreja Mundial.

A história já é bastante conhecida, mas no livro é possível que seja colocado alguns detalhes de como o homem humilde de Cisneiros (Minas Gerais) passou a ser um homem rico, poderoso e dono de uma das igrejas que mais cresce no Brasil.

Outro ponto que deve ser citado nessa biografia são as perseguições que ele vem sofrendo como os templos que foram fechados e as inúmeras críticas sobre a forma como ele prega sobre prosperidade e milagres.

Fonte: Gospel Prime

01/11/2012

Concentração de fé reúne milhares de fiéis da IURD em Moçambique


Concentração de fé reúne milhares de fiéis da IURD em MoçambiqueA Igreja Universal do Reino de Deus de Moçambique realizou uma Concentração de Fé e Milagres em espaços abertos que ficam próximos aos templos da denominação em algumas cidades do país africano.

O objetivo era tirar a igreja das quatro paredes e atrair as pessoas que moram na vizinhança dos cenáculos. O ponto de chamada era as doenças físicas e espirituais e por este motivo dos os encontros lotaram de pessoas.

Em Maputo, capital moçambicana, mas precisamente no bairro Mafalala, o bispo Augusto de Oliveira ministrou aos presentes dizendo que Deus nunca desampara seus filhos.

“Talvez você já tenha batido em várias portas e não teve solução dos seus problemas. Uma coisa importante: você está aqui hoje diante de Jesus, e todos aqueles que se aproximaram dEle não foram rejeitados. Ele quer libertar, curar e salvar. Por isso viemos aqui, para mostrar que Jesus não mudou, é o mesmo de ontem, de hoje e será eternamente.”

Depois da ministração o bispo e os pastores levantaram um clamor pelas pessoas enfermas e muitas testemunharam a cura divina. Entre os testemunhos o site Arca Universal destaca a vida de Frederico Marques que sofria com diversas doenças.

“Depressão, angústia, tristeza e pesadelos tomavam conta de mim. Sempre que chegava ao trabalho, as dores pioravam”, conta o homem que também relata que os médicos não encontravam o motivo de tantos problemas.

A cura só aconteceu depois que ele passou a frequentar as reuniões de cura e libertação da IURD. “Participei da reunião de cura e libertação, me entreguei a Deus e permaneci firme”, diz o homem que hoje se apresenta feliz, curado, após entregar sua vida nas mãos de Deus.

Fonte: Gospel Prime

01/11/2012

Julgamento de garoto que matou pai neonazista causa debate nos EUA


O julgamento de um menino de 12 anos de idade que matou seu pai, líder de um grupo neonazista nos Estados Unidos, será realizado a partir desta terça-feira (30) no Estado da Califórnia.

O crime aconteceu em maio do ano passado, quando a criança tinha apenas 10 anos de idade. Na madrugada do dia 1º, o menino foi à sala de estar, onde seu pai dormia, e o matou a tiros. Desde então, a criança está em um centro de detenção para menores aguardando o julgamento.

O caso está provocando polêmica nos Estados Unidos, pois os juízes terão de decidir se, ao ser criado por um homem que pregava o nazismo, o jovem conseguia discernir entre o bem e o mal.

“Os fatos levantam diversas questões mais filosóficas que, dependendo de como forem levadas em consideração pelo juiz, poderão determinar o resultado do julgamento”, afirma o jornal americano The New York Times.

“Entre elas: se racismo virulento pode ser considerado uma espécie de abuso; se uma criança exposta a tanto ódio pode entender a diferença entre o certo e o errado, e se alguém que cresce em circunstâncias tão tóxicas pode ser culpada por querer uma saída”.

O homem morto tinha 32 anos e era encanador, mas estava desempregado. Ele liderava na costa oeste o grupo neonazista Movimento Nacional Socialista, a maior organização do tipo nos Estados Unidos, com 400 integrantes em 32 Estados. No dia anterior à sua morte, ele organizou um encontro em sua casa para discutir um plano para formar esquadrões armados na fronteira dos Estados Unidos com o México.

Um repórter do New York Times, que escrevia um artigo sobre grupos neonazistas, esteve presente no encontro e testemunhou uma discussão do pai com o filho. O promotor Michael Soccio diz que o filho foi espancado pelo pai após o encontro, e que a criança teria dito a um familiar que mataria seu pai. O promotor também disse ao jornal americano que as ações do menino não têm nenhuma relação com nazismo, e que o caso é apenas um assassinato.

Já os advogados de defesa defendem que o menino tem problemas psicológicos agravados por sua exposição à ideologia nazista e às surras que recebia de tempos em tempos.

“Este menino está condicionado à violência. É preciso se perguntar: este menino realmente sabia que esse ato era equivocado, baseado em todas essas coisas? Ele achou que estava fazendo o correto”, disse o advogado Matthew Hardy.

 

Fonte: BBC Brasil

01/11/2012

Igreja Batista da Lagoinha apresenta projeto da construção de mega templo para 35 mil pessoas. Veja fotos


O Pr. Márcio Valadão apresentou no culto da manhã de ontem (1º) o projeto do novo templo da Igreja Batista da Lagoinha que será construído na Avenida Antônio Carlos, em Belo Horizonte.

As obras se iniciarão em breve, e tem inauguração prevista para o final de 2014, ano que acontecerá no Brasil a Copa do Mundo. O Novo templo terá capacidade para 35 mil fiéis e contará com uma a praça de alimentação de 7 mil m² e uma torre de oração de 23 metros de altura.

A igreja Batista da Lagoinha tem uma visão de alcançar até dezembro de 2020, dez por cento da população belo-horizontina, algo em torno de 250.000 pessoas. hoje a igreja conta com 45 mil membros, aproximadamente, e mais de 150 ministérios, incluindo projetos assistênciais que servem a população em várias áreas.

Fotos do novo templo da Igreja Batista da Lagoinha

Vídeo da apresentação do projeto

%d blogueiros gostam disto: