A era do cristão mudinho


Silencio ou mudoTenho andado angustiada e com o coração inquieto com minha própria vida cristã e o que tenho visto ao meu redor e por aí. Tenho chorado constantemente a Deus, pois tenho me sentido sufocada pelo sistema ‘igrejístico’ ocidental e me enraivecido com minhas próprias limitações, pecados e preguiça de romper com a zona de conforto da qual Deus tem me incomodado intensamente nos últimos 5 anos, sim, tenho vivido 5 anos de deserto com alguns oásis espirituais e maná diário além da nuvem que protege do sol e a sarça que nos protege do frio noturno enquanto caminhamos rumo a terra prometida e sempre me questiono se estou como o povo no deserto perdurando minha estada nele por teimosia e auto suficiência ou se estou cumprindo corretamente as etapas que Deus tem para mim para que eu seja aperfeiçoada Nele para cumprir meu chamado e propósito de vida. Creio que estou em um misto dos dois e mesmo com minha carne gritando e meu coração doendo tenho constantemente pedido a Deus que eu consiga ouvir somente a doce e certeira voz do Espírito Santo em meio a tantos outros ruídos que tem me gerado ansiedade no espírito como Salomão descreve em Eclesiastes.

No meu choro mais recente com Deus orei, esperneei dizendo que não aguento mais essa vida cristã meia boca e então meu coração se acalmou e o Espírito Santo quando viu que me aquietei me disse: Salmo 39. E eu confesso que memorizo partes da Bíblia, mas não consigo guardar especificamente onde estão, então eu sabia que não era minha cabeça me induzindo a nada. No começo da leitura já entendi o que Deus queria me dizer:Eu disse: Vigiarei a minha conduta e não pecarei em palavras; porei mordaça em minha boca enquanto os ímpios estiverem na minha presença. Enquanto me calei resignado, e me contive inutilmente, minha angústia aumentou.” Salmos 39:1,2

BINGO! Depois disso minha cabeça começou a borbulhar de lembranças e situações da minha caminhada cristã até recentemente quando uma pessoa em um treinamento missionário que participei me disse: ” Você com certeza é aquele perfil que incomoda a igreja e as pessoas, que confronta, fala sobre o evangelho sem dó, que mostra firmeza sobre o que Deus fala para você e não tem medo disso”. Pois é, confesso que já fui mais valente e ousada, mas que de um tempo para cá cansei da resistência e conflito com as pessoas e então tenho me calado como diz o Salmo 39. Remar contra a maré é incrível no início, mas uma hora cansa e você acaba deixando o mar te jogar de um lado para o outro e o perigo disso é você deixar seu ânimo se tornar dobre como o das pessoas que nos cercam que não apresentam constância ou satisfação em Cristo, que se alegram mais com uma promoção de celular, finalmente conseguir um namorado ou um aumento salarial do que caminhar com Cristo. “Aproximem-se de Deus, e ele se aproximará de vocês! Pecadores, limpem as mãos, e vocês, que têm a mente dividida (ânimo dobre), purifiquem o coração.” Tiago 4.8

Temos vivido tempos de apatia e obesidade espiritual baseados em uma teologia triunfalista onde ser cristão bonzinho já basta, um evangelho onde a meta de vida é agradar a Deus para sermos bonificados/abençoados assim como fazemos em nossos empregos e relações pessoais. Condenamos a teologia da prosperidade, porém nos ofendemos quando alguma adversidade aparece afinal temos andado na linha e sido bons cristãos não é mesmo? Não mentimos, não roubamos, não somos viciados, pagamos nossos impostos, somos ecologicamente corretos, frequentamos nossas igrejas locais e somos ativos nas mesmas, ofertamos, ajudamos necessitados, as vezes perdemos a linha no linguajar virtual quando falamos sobre política ou na murmuração diária, mas isso é só um deslize perto de outros pecados graves não é mesmo? Afinal se os políticos não roubassem nós também seríamos honestos certo ? Anulamos a autonomia e liberdade que Jesus nos deu na cruz para sermos simplesmente reativos a tudo que nos cerca.

Eu não sei você que leu essa reflexão até aqui, mas eu não aguento mais esse cristianismo morno que não desafia, não transforma e não liberta e na verdade nos engessa como se fossemos aqueles querubins de enfeite de casa de gente rica, bonitos esteticamente, exalam uma suposta paz e proteção, mas são maciçamente feitos de gesso e sem qualquer expressão genuína. Não aguento ver tanta fartura, tanto recurso e tanta insatisfação gerando uma teologia de auto ajuda que todos os domingos deve dar um quentinho no meu coração e preencher minha limítrofe e deficiente fome espiritual. Pregações moldadas a reação do cliente evangélico para que ele não abandone a igreja; incessantes apelos nos finais de culto arduamente feitos com temor e tremor  por pastores sérios e comprometidos ao evangelho, mas que infelizmente tem seu efeito limitado até o primeiro problema ou confronto que aparecer durante a semana.  Ovelhas papagaio que só sabem repetir o que ouvem sem qualquer filtro e profetas emudecidos abatidos e cansados que tem ouvido e se dedicado fielmente a Deus, mas tem tido seu couro arrancado pelas ovelhas e por lobos e também pela zombaria gerada pela mídia evangélica atual. Servos calados pelo medo da ofensa, afinal se Deus me ama como ele pode ofender e confrontar uma pobre e coitada ovelha e seu povo escolhido e amado ?

Em tempos de líderes tiranos que dominam a grande massa, existem alguns preciosos desconhecidos que tem sangrado seus joelhos, gargantas e corações perante Cristo aprendendo a duras penas a confiar somente Nele e no real evangelho que parece ter sido substituído por um discurso líquido e superficial que mostra um Jesus que quer agradar a todos e precisa de nós como se ele tivesse morrido na cruz para que gostássemos ou o aprovássemos.

“Sejam praticantes da palavra, e não apenas ouvintes, enganando-se a si mesmos.Aquele que ouve a palavra, mas não a põe em prática, é semelhante a um homem que olha a sua face num espelho e, depois de olhar para si mesmo, sai e logo esquece a sua aparência.” Tiago 1:22-24

Oro para que deixemos de ser apáticos, engessados, anestesiados e hedonistas exigindo um evangelho que nos satisfaça e se adapte a nós e não nós à ele. Que Deus continue sendo muito misericordioso conosco perante nossa negligência e desperdício de dons num mundo tão carente e sedento de Deus que perece por nossa covardia e medo de rejeição, pois nós mesmos somos incrédulos sobre a fé que professamos, imagina se alguém me faz alguma pergunta difícil que eu não saiba responder ou me confronte? Vivemos uma época que Jesus e sua proposta de vida nos ofende e céticos nos abalam.

Jesus não foi popular nem aceito, então por que nós seríamos ? Que a voz do espírito santo grite dentro de você a ponto que você surte para esse mundo e descubra que não consegue viver fora de Cristo.

“Tenho-lhes dito tudo isso para que vocês não venham a tropeçar. Vocês serão expulsos das sinagogas; de fato, virá o tempo quando quem os matar pensará que está prestando culto a Deus. Farão essas coisas porque não conheceram nem o Pai, nem a mim.” João 16:1-3

“Eu lhes disse essas coisas para que em mim vocês tenham paz. Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo”. João 16.33

por Carla Stracke

Fonte: Gospel Prime

Anúncios

One Comment to “A era do cristão mudinho”

  1. Esta mensagem falou profundamente ao meu coração.
    Que Deus tenha misericórdia de nós!

Escreva Aqui seu Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: