Archive for outubro 4th, 2015

04/10/2015

Cristãos egípcios são ousados e destemidos na evangelização


egitoSer cristão é um grande desafio no Egito. Muitos egípcios foram julgados por serem cristãos e receberam sentenças que estão cumprindo em várias prisões, em todo o país. Esse risco se aplica a todos os que compartilham a mensagem do Evangelho com qualquer muçulmano.

Mas, apesar do risco, todos os que receberam o amor cristão têm sorrisos genuínos, e os corações compassivos, e isto ainda não é proibido pela lei egípcia, segundo eles. “Nós não seremos detidos porque temos a luz de Jesus brilhando sobre nossas vidas. E nós brilhamos em público, o que nos traz uma tremenda oportunidade de viver o verdadeiro evangelho”.

Os jovens egípcios são ousados quando se trata de cristianismo. No mês passado, um grupo de evangelização foi às ruas, segurando banners que continham mensagens de amor, na praça principal de uma cidade, em meio à festa do Ramadan, para felicitar seus vizinhos muçulmanos. Entregaram doces e causaram um verdadeiro impacto.

Entre as frases, lia-se: “Eu sou um cristão e eu amo todos os muçulmanos”. Essa mensagem chocou muitas pessoas, e atraiu o interesse de outras. Muitos não entenderam, mas alguns muçulmanos se aproximaram e apertaram as mãos dos cristãos. Muitas amizades nasceram naquele momento, conforme os relatos dos jovens que disseram que os cristãos devem ser os guardiões da verdadeira esperança da humanidade.

Fonte: Folha Gospel

04/10/2015

CUIDADO: Milhões de imagens retiradas de redes sociais são encontradas em sites pedófilos


rede sociais1Uma foto na praia com os pais, um registo da primeira festa de aniversário com primos e irmãos a celebrar, um vídeo de uma tarde de divertimento no parque infantil. Imagens inocentes como estas são partilhadas por vários milhares de pais nas redes sociais ou em blogues. Recebem “gosto” e algumas vezes acabam por ser partilhadas por familiares e amigos. São vistas por várias pessoas e facilmente passam pelos olhos de pedófilos. Um relatório de uma instituição australiana concluiu que dezenas de milhões de fotografias publicadas em páginas como o Facebook ou Instagram foram encontradas em sites de partilhas de cariz pedófilo.

A inocência da fotografia da criança mantém-se, mas os comentários que a acompanham quando são publicadas nestes sites são fortemente sexuais e perturbadores. Toby Dagg, investigador do Children’s eSafety Commissioner, instituição australiana que se dedica à observação da segurança dos menores online, atira um número imponente para mostrar a gravidade desta realidade.

Num dos sites de partilha de material pedófilo detectado pelas autoridades foram encontradas 45 milhões de imagens e “cerca de metade desse material parecia ter como fonte directa uma rede social”. Algumas das fotografias encontradas estavam armazenadas em pastas com títulos como os amigos do Instagram da minha filha, miúdos na praia ou ginastas, por exemplo.

Ao Sydney Morning Herald, o comissário da instituição, Alastair MacGibbon, explicou que “muitos utilizadores identificam claramente que obtiveram os conteúdos através de contas em redes sociais”. “As imagens são quase na maioria acompanhadas por comentários muito explícitos e perturbadores”, acrescentou o responsável, sublinhando que a inocência de uma imagem é completamente distorcida pelos predadores sexuais infantis.

Alastair MacGibbon dá como exemplo um site descoberto há dois anos que alojava 100 fotografias. Entre estas havia imagens de crianças em férias, a fazer os trabalhos de casa ou a abrir os presentes de Natal, fotografias que tinham sido catalogadas pelos próprios pais com a descrição do que os seus filhos faziam e publicadas de forma inocente nas redes sociais ou em blogues. Segundo o comissário, cerca de dez dias após o site ter ficado activo, as fotografias tinham sido vistas 1,7 milhões de vezes e comentadas com frases sexualmente explícitas.

“Quando publicamos qualquer coisa online, não importa onde seja, perdemos o controlo sobre ela. Pais que partilham muito são uma peocupação, porque não têm qualquer ideia sobre onde essas imagens vão parar e muitos pais não bloqueiam as suas contas da mesma forma que os jovens fazem.” A observação é da especialista em cibersegurança Susan McLean, que ao Sydney Morning Herald afirmou que os pais são muitas vezes menos conhecedores dos perigos online do que os seus filhos.

Susan McLean deixou o alerta: “Se é um utilizador voraz das redes socias, se vive a sua vida vorazmente através dos seus filhos online e usa sites de partilha de fotos e hashtags, tem de compreender que essa foto vale alguma coisa para alguém e pode ser para um propósito de que não vai gostar.”

Recentemente, o Tribunal da Relação de Évora centrou uma decisão na questão da insegurança e privacidade online de uma menor, cuja custódia estava a ser disputada pelos pais. O tribunal impôs que os pais da criança de 12 anos não divulgassem “fotografias ou informações que permitam identificar a filha nas redes sociais”.

Além de a Relação sublinhar que “os filhos não são coisas ou objectos pertencentes aos pais e de que estes podem dispor a seu belo prazer” e que os “pais devem proteger os filhos” e “têm o dever de garantir e respeitar os seus direitos”, alertou para os perigos da exposição de menores em redes sociais representados por “muitos predadores sexuais e pedófilos”.

“O exponencial crescimento das redes sociais nos últimos anos e a partilha de informação pessoal aí disponibilizada” permite que os que “desejam explorar sexualmente as crianças recolham grandes quantidades de informação disponível e seleccionem os seus alvos para realização de crimes”, conclui a Relação no acórdão de Junho deste ano.

O alerta para os perigos online da partilha de fotografias que identifiquem menores e os coloquem numa situação de fragilidade perante estranhos foi alvo de uma campanha lançada em Agosto pela PSP. “A melhor forma de o proteger é evitar que apareça aqui para sempre. Não publique caras de crianças, não mencione nomes e locais, não arrisque aqui: a decisão é sua”, apelou a polícia no âmbito da iniciativa.

Questionando se “será mesmo necessário publicar fotos com as caras das suas crianças de forma ostensiva”, a PSP apelou ao “bom senso e ao conhecimento que deve prevalecer na hora de publicar uma foto”. “A escolha é sua: sugerimos apenas que não o faça de forma ostensiva e que verifique bem as suas definições de segurança e privacidade.”

Fonte: Publico – UOL

04/10/2015

Cristão, Adriano Martins é o único brasileiro no UFC 192


adriano-martins-320x172.O UFC desembarca ontem (03/10) em Houston, Texas, e traz na luta principal a disputa do cinturão meio-pesado (até 93kg) entre o americano Daniel Cormier e o sueco Alexander Gustafsson.

Ainda no card principal, temos outras lutas interessantes, como o retorno de Rashad Evans contra Ryan Bader e a luta entre os pequeninos (pesos mosca) Joseph Benavidez e Ali Bagautinov.

Mas é no undercard que temos o único brasileiro deste UFC 192, o amazonense Adriano Martins, que enfrenta o estreante russo Islam Makhachev.

Cristão, Adriano demostrou sua fé em seu Twitter durante o mês que antecedeu a luta, quando os lutadores intensificam o corte de peso, uma das mais duras fases do treinamento. “Deus é fiel” é uma declaração recorrente do atleta, que sempre comemora suas vitórias com o dedo em riste apontado para o Céu, em referência a Deus.

No Instagram do lutador, em sua descrição, o seguinte trecho de Isaías (capítulo 40, versículo 31): “Mas os que esperam no Senhor renovam suas forças, sobem com asas como águias, correm e não se cansam, caminham e não se fatigam.”

O UFC 192 será transmitido no Brasil pelo Canal Combate, a partir das 19h30 (horário de Brasília).

Fonte: Gospel Prime

04/10/2015

Netanyahu cala Assembleia da ONU ao denunciar acordo nuclear com Irã


xbenjamin-netanyahuCerca de 24 horas após o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, afirmar diante da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas, que pode abandonar os acordos de paz,  quem usou a palavra foi o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu.

Em um discurso considerado histórico, calou durante cerca de 45 segundos os representantes diplomáticos ali reunidos. Netanyahu denunciou o acordo nuclear das potências mundiais com o Irã.

Ele disse que aquele tempo devia servir para que o mundo “pensasse no que fez” em relação às ameaças de Teerã de destruir o Estado judeu. O silêncio do auditório, ironicamente, parece ter falado mais alto.

O premiê afirmou que seu governo “fará de tudo” para defender-se e reiterou que seu país está pronto a retomar “imediatamente” as conversas sobre paz com os palestinos.

“Após 70 anos do assassinato de 6 milhões de judeus, líderes iranianos prometem destruir meu país, matar meu povo. A resposta desta assembleia, de quase todos os governos aqui presentes, foi inexistente. Silêncio total. Silêncio ensurdecedor”, enfatizou.

Deixou ainda uma mensagem aos líderes do Irã: “seu plano para destruir Israel fracassará. E esta é a minha mensagem aos países da ONU: sejam quais forem as resoluções que vocês adotarem neste local, Israel fará todo o possível para defender seu Estado e seu povo”.

Netanyahu lembrou que as Nações Unidas são sempre rápidas em criticar e se postar contra Israel, mas tem falhado em impedir a morte de cerca de 300.000 civis na Síria.

Apesar das dificuldades crescentes nas relações com o governo Obama, o primeiro-ministro israelense tem uma visita agendada na Casa Branca mês que vem. Com informações de Jerusalém Post

Assista:

04/10/2015

Atirador de massacre nos EUA tinha como alvo cristãos


xoregon-267x200.jpg.pagespeed.ic.iesKdWSlfWO massacre na Faculdade Comunitária Umpqua, no Estado do Oregon, entra para a história como mais uma tragédia sem sentido. Como é comum nesses casos, horas depois das mortes, diferentes informações sobre o atirador vão surgindo.

Sabe-se que seu nome era Chris Harper Mercer e tinha 26 anos.  A polícia não tem dado detalhes sobre as investigações, mas fez buscas na casa onde vivia. Também falou com seus familiares e amigos.

O presidente Obama fez um pronunciamento, onde descartou a possibilidade de ter sido um ato de terrorismo. Aproveitou para reiterar que gostaria de ver um controle maior na venda de armas nos Estados Unidos. Rapidamente, esse se tornou o foco da mídia e o antigo debate acaba ocupando grande parte dos noticiários. Este foi o 45º ataque com vítimas em instituições de ensino nos EUA somente em 2015.

Contudo, o jornal New York Post relata que Mercer tinha um algo bastante específico em mente. Segundo testemunhas, Mercer perguntava a religião de suas vítimas.  Em mais de uma sala de aula o atirador mandou todos deitarem no chão. Depois, pedia para as pessoas se levantarem e dizerem suas religiões.

Aos que afirmavam ser cristãos, avisava que iriam “ver a Deus em um segundo”. Em seguida, disparava contra suas cabeças.  Quem dizia ser de outra religião, recebia tiros nas pernas.

O desprezo de Chris Harper pelo cristianismo fica evidenciado por suas opções reveladas em um perfil na internet. Aparentemente, ele era ateu e colecionava armas e artigos nazistas.

Oficialmente foram nove vítimas e quase duas dezenas de feridos. Mercer, morto pela polícia, foi a décima.

Postagens no Twitter, de membros do grupo extremista Estado Islâmico, “comemoraram” o massacre. Aparentemente, Mercer tinha ligações com jihadistas nos Estados Unidos. A polícia diz apenas que as investigações continuam e não há como provar que a motivação foi ódio religioso ou mesmo um ataque terrorista.

%d blogueiros gostam disto: