Archive for ‘CULTURA’

13/03/2019

A missionária sueca perseguida no Brasil, internada em hospício e ‘esquecida’ pela História


Frida Maria Strandberg Vingren morreu aos 49 anos, no dia 30 de setembro de 1940, na Suécia, nos braços da filha. Abatida, ela pesava 23 quilos.

Frida Maria Strandberg Vingren morreu aos 49 anos, no dia 30 de setembro de 1940, na Suécia, nos braços da filha. Abatida, ela pesava 23 quilos.

No decorrer dos cinco anos anteriores, entre idas e vindas em um hospital psiquiátrico de Estocolmo, a missionária sueca perdera quase 40 quilos. Ela fora internada pela primeira vez no dia 12 de janeiro de 1935, levada da estação central da cidade, quando tentava tomar um trem que a levaria para Portugal – de onde, acredita-se, pegaria um navio de volta para o Brasil.

Casada com o sueco que fundou, em Belém do Pará, a Assembleia de Deus, Frida se tornou uma das mais importantes lideranças da igreja no decorrer dos 15 anos em que esteve no Brasil. Ajudou a construir o ministério no Rio de Janeiro, comandava um jornal e pregava em praça pública.

Suas atribuições – muitas até então reservadas apenas aos homens –, entretanto, desagradaram pastores brasileiros e suecos, fizeram com que ela fosse perseguida e pressionada a voltar a seu país de origem, onde teve um fim trágico.

história da missionária passou décadas esquecida e, nos últimos anos, vem sendo resgatada tanto na Suécia quanto no Brasil. Foi tema de livro, de tese de doutorado e voltou a alimentar o debate – atual e ainda polêmico – sobre o papel da mulher na Assembleia de Deus, a maior religião pentecostal do país, com 12 milhões de fiéis.

Belém do Pará, onde tudo começou

Frida embarcou para Belém em 1917, aos 26 anos, enviada pela Igreja Filadélfia, uma denominação pentecostal baseada em Estocolmo.

Veio para juntar-se a Gunnar Vingren, que, sete anos antes, havia fundado a Assembleia de Deus no Brasil. Eles haviam se conhecido naquele mesmo ano, quando o missionário estava na Suécia para arrecadar fundos e visitar a família.

“Ele conta a ela sobre a missão e ela se apaixona pela ideia do Brasil”, diz Valéria Vilhena, pesquisadora da Universidade Metodista, que baseou o doutorado na vida da missionária e que lança neste ano um livro sobre sua história.

Frida, Gunnar e dois filhos

 chegou ao Brasil sete anos antes de Frida, em 1910; o casal teve seis filhos

Três meses depois de desembarcar no Norte do país, ela se casa com Gunnar, em uma cerimônia realizada pelo pastor sueco Samuel Nyström, que, ironicamente, se tornaria um de seus maiores antagonistas.

No início, Frida restringe seu trabalho aos serviços sociais da igreja, tradicionalmente entregues às mulheres. Cuidar dos filhos, zelar pelos órfãos, visitar os idosos e os doentes.

A jovem ia com frequência aos centros afastados que isolavam pacientes com hanseníase do restante da população – os chamados leprosários, que surgiram no Brasil naquela época –, diz Kajsa Norell, jornalista sueca autora de Halleljua Brasilien!, lançado em 2011, que conta a história do surgimento da Assembleia de Deus no Brasil.

O marido, missionário “por vocação”, na definição de Vilhena, estava constantemente viajando, buscando expandir o trabalho da igreja. A saúde frágil fazia com que ele quase sempre voltasse para casa doente. As particularidades da região que escolheu para pregar não ajudavam: pegou malária diversas vezes.

“Ele ficava muito tempo de cama”, diz o sociólogo Gedeon Freire de Alencar, autor de Matriz Pentecostal Brasileira: Assembleias de Deus, 1911-2011 e um dos primeiros a redescobrir a história de Frida, no início dos anos 2000.

Com o tempo, a missionária assume cada vez mais as atribuições de Gunnar em Belém. Talentosa, ela começa a traduzir os hinos da igreja sueca para o português. Canta, toca e começa a pregar.

“Ela transforma os boletins entediantes dos missionários (publicados nos jornais da igreja sueca) em histórias incríveis. Um dos textos conta sobre a prisão que ela visitava toda semana em Belém, que mantinha 200 garotos entre cinco e 20 anos de idade, alguns que estavam ali simplesmente por não terem pai”, conta Norell, que passou meses entre os arquivos da Igreja Filadélfia, mantidos em um castelo nas redondezas de Estocolmo.

Frida com presos

Direito de imagemACERVO CPAD-CEMPImage captionFrida na escola dominical em que lecionava, em uma prisão no Rio de Janeiro

Frida passa então a bater de frente com o pastor Samuel Nyström – à frente do jornal da Assembleia de Deus, batizado de Boa Semente –, que era radicalmente contra que as mulheres pudessem pregar.

Em sua correspondência com a liderança da igreja na Suécia, Nyström passa a reclamar da missionária em toda oportunidade que lhe aparece. “Nas cartas que escrevia a Lewi Pethrus (uma das maiores figuras do pentecostalismo sueco) o tom é de fofoca mesmo: ‘Hoje ela fez isso e isso, ontem foi isso e isso'”, afirma Norell.

Em 1924, com quatro filhos, o casal Frida e Gunnar decide então se mudar para o Rio de Janeiro para fundar um novo ministério. “Eles decidem sair de Belém porque a tensão já era insustentável”, ressalta Vilhena.

 

O ministério feminino no Rio de Janeiro

Na capital carioca, Frida expande seu trabalho. Torna-se a primeira mulher da religião a dirigir uma escola bíblica dominical, fundada em uma prisão, e inicia o jornal Som Alegre, através do qual passa a defender o ministério feminino.Frida

Seus textos citam com frequência trechos da Bíblia que, em sua visão, deixavam claro que as mulheres poderiam pregar, ensinar ou doutrinar.

O comportamento desagrada também pastores brasileiros, incluindo Paulo Leivas Macalão, gaúcho, de família abastada e com tradição militar, que estava à frente da Assembleia de Deus Madureira, hoje uma das maiores do país.

“Parte dos pastores da igreja no Rio de Janeiro já não queria se submeter a sueco pobre e semiletrado. A mulher, muito pior”, acrescenta Alencar.

Ele lembra que, no início do século 20, a Suécia era um país pobre, onde a igreja luterana era a religião oficial. Perseguidos, os pentecostais migraram especialmente para os Estados Unidos. Os que vieram para o Brasil escolheram Belém porque, na época, graças à riqueza gerada pela borracha, era uma das cidades mais ricas do país.

A convenção de 1930 e o ‘enquadramento’

As tensões culminam na convocação da primeira grande convenção da Assembleia de Deus, realizada no dia 12 de julho de 1930, em Natal (RN).

“O motivo da convocação foi Frida”, destaca Isael Araújo, pastor da Assembleia de Deus em Niterói e autor da biografia Frida Vingren, lançada em 2014.

No encontro, os pastores definiram as atividades que poderiam ser desempenhadas pelas mulheres na igreja. Elas não chegaram a ser expressamente proibidas, por exemplo, de pregar – mas a atribuição não estava na lista do que as religiosas “tão somente” poderiam fazer.

“Foi um enquadramento”, acrescenta Araújo, que foi chefe do Centro de Estudos do Movimento Pentecostal (CEMP) da Casa Publicadora das Assembleias de Deus (CPAD). Em todo o processo, Gunnar ficou ao lado da esposa e defendeu o ministério feminino, mas foi voto vencido.

Nos meses que se seguiram, a situação ficou pior. Frida usou seu espaço no jornal da Assembleia para desafiar as decisões tomadas na convenção e para pedir que as mulheres não recuassem. “Um dos textos dessa época tinha como título ‘Deus nos convoca para a guerra’. Era uma demonstração direta de insubordinação”, diz Alencar.

Frida Strandberg Vingren

Direito de imagemACERVO CPAD-CEMPImage captionPressionada, Frida deixa o Brasil em 1932

O clima de conflito fica claro nas cartas trocadas entre os missionários e em outros

documentos da época: “Eles (os missionários brasileiros) precisam de homens. De preferência, com as mesmas qualidades de liderança como a de Frida e Adina (Nelson, esposa de Otto Nelson), mas do sexo masculino”, escreve o pastor A.P. Franklin no jornal da igreja na Suécia, chamado The Harald.

A situação escalou depois de um suposto caso de adultério de Frida com um brasileiro. Apesar de não haver uma confirmação documental do romance que a missionária teve com o rapaz, bem mais novo que ela, os indícios levam a crer que isso de fato aconteceu.

“Eu realmente acredito que seja verdade”, diz Norell, que entrevistou um dos filhos de Frida e algumas de suas netas enquanto escrevia o livro e que identificou o assunto em cartas enviadas à Suécia “por pessoas que não eram hostis a ela”.

O pastor que era ‘uma mistura de Edir Macedo com Silas Malafaia’

A situação fica insuportável no Brasil e, em de 1932, o casal, que na época tinha seis filhos, decide retornar à Suécia. Antes de partir, contudo, eles perdem a filha mais nova – e Gunnar morre pouco tempo depois de chegar à Europa.Frida e Gunnar (esq.) foram casados pelo pastor Samuel Nyström (dir.), que viveu no Brasil com a esposa, Lina (também na foto)

Direito de imagem’HALLELUJA, BRASILIEN!’/CORTESIA KAJSA NORELLImage captionFrida e Gunnar (esq.) foram casados pelo pastor Samuel Nyström (dir.), que viveu no Brasil com a esposa, Lina (também na foto)Frida quer retomar a vida de missionária, mas a liderança da igreja no Brasil não aprova seu retorno. Na Suécia, suas aspirações também são tolhidas por Lewi Pethrus, um dos maiores líderes da igreja pentecostal no país.

Inimigo poderoso, ele era “mistura de Edir Macedo com Silas Malafaia”, define o pastor Araujo. A comparação com o fundador da Igreja Universal do Reino de Deus, denominação neopentecostal, e com o pastor do ministério Vitória em Cristo, ligado à Assembleia de Deus, dá conta do espírito “empreendedor” de Pethrus e de sua postura muitas vezes polêmica.

Em 1964, Pethrus fundaria o partido democrata-cristão sueco – o Kristdemokraterna (KD) –, de centro-direita.

Diante dos reiterados pedidos de Frida, o líder afirma que seu trabalho no Brasil havia prejudicado a missão e dá-lhe um não definitivo.

Ela levanta então recursos por conta própria e decide ir para Portugal.

O hospício e o esquecimento

Detida na estação de trem de Estocolmo, ela já sai com uma camisa de força em direção ao hospital psiquiátrico.

A igreja lhe tira a guarda dos filhos e doa todos os seus pertences.

Para Kajsa Norell, é difícil dizer se, naquele momento, Frida realmente tinha algum tipo de doença psiquiátrica. “Ela estava esgotada, física e mentalmente, já tinha tido malária no Brasil e, provavelmente, sofria de alguma doença na tireoide”.

Em nenhum dos prontuários médicos, contudo, há o diagnóstico de que ela sofria de algum distúrbio mental.

Frida Strandberg Vingren

Direito de imagemACERVO CPAD-CEMPImage captionFrida morreu aos 49 anos

Durante sua pesquisa, a autora percebeu “alguma coisa estranha” nos olhos de Frida. Quanto mais recente a fotografia, mais saltados eles pareciam. A partir dos registros médicos da missionária, especialistas concluíram que ela tinha possivelmente hipertireoidismo – doença que provavelmente a matou.

Para o pastor Araújo, o conflito direto com as maiores lideranças da igreja está entre as razões para o ‘esquecimento’ de Frida. Ele nega que a biografia, publicada pela editora da Assembleia de Deus, seja uma ação de reparação à missionária.

“Gunnar Vingren, o pioneiro da igreja, já tinha uma biografia. A esposa, ainda não. Não quis fazer uma biografia crítica, porque não sou sociólogo”, justifica.

Ele diz ter se deparado com a história quando trabalhava no Dicionário do Movimento Pentecostal, em 2007, e viajou à Suécia em 2008. Os diários de Gunnar e parte do acervo que estava com a família, incluindo fotos, hoje se encontram no Brasil.

Na Suécia, a Igreja Filadélfia foi confrontada com a trajetória de Frida quando o livro de Kajsa Norell foi lançado.

“Aquilo era uma novidade completa para nós”, diz Gunnar Swahn, que foi secretário de missões da Igreja Filadélfia até recentemente, quando se aposentou. “Foi horrível o que fizeram com ela. Muita gente ficou chocada com a forma como ela foi tratada pelas antigas lideranças”.

O livro, ele acrescenta, se soma a outras obras publicadas nos últimos anos na Suécia que revelam traços e atitudes polêmicas de Lewi Pethrus, em relação ao qual a igreja tem hoje uma postura crítica. “Digamos que ele não é idolatrado pelos fiéis, apesar de ainda ser uma figura importante”.

Igreja Filadélfia, em Estocolmo

Direito de imagemSIMEON HAGSTRÖM/CORTESIAImage captionA Igreja Filadélfia, que mandou Frida para o Brasil, tem hoje visão bastante crítica em relação a Lewi Pethrus, um dos maiores líderes da denominação e poderoso inimigo da missionária

Questionado sobre as mulheres, se elas hoje podem ser pastoras, ele se apressa: “Ah, sim! Nós gostamos de pensar que somos uma igreja progressista.”

A BBC News Brasil não teve retorno da Assembleia de Deus Belém sobre o pedido de entrevista e não conseguiu contato com a Assembleia de Deus Madureira, no Rio de Janeiro.

A Assembleia de Deus e as mulheres

As mulheres têm ganhado cada vez mais espaço dentro das Assembleias de Deus no Brasil, diz Alencar. Essa tendência, contudo, é bastante assimétrica nas diferentes regiões do país, justamente pelas características da religião.

Ao contrário da Igreja Católica, bastante hierarquizada, sua estrutura é congregacional. “É como se fosse uma democracia direta”, compara o sociólogo. Cada congregação define suas liturgias, “tem lugar que aceita mulher, tem lugar que não aceita”.

Em 2005, ele exemplifica, o pastor Manoel Ferreira – filiado ao PSC e presidente da Convenção Nacional das Assembleias de Deus no Brasil – Ministério de Madureira (Conamad) –, ao consagrar Jairo Manhães como pastor, acabou consagrando, sem aviso prévio, sua esposa, Cassiane – “cantora gospel de sucesso e milionária”.

Depois disso, afirma Alencar, todas as esposas de pastores do ministério de Madureira também foram ordenadas como pastoras. “Já a minha igreja, a Betesda, consagra pastoras desde 1994”, ele acrescenta.

Fonte: BBC Brasil

04/01/2019

Leandro Borges e Clayton Queiroz


08/04/2018

Megaigreja levanta mais de US$ 10 milhões e paga despesas médicas de famílias


Durante o culto de Páscoa na megaigreja Covenant, da cidade de Carrollton, Texas, a oferta especial levantada chegou a US$ 10,5 milhões. O pastor Stephen Hayes anunciou que o montante será usado para ajudar mais de quatro mil famílias da comunidade a pagarem suas dívidas médicas.

O líder da igreja explica que sabe por experiência pessoal como é difícil uma família não conseguir quitar dívidas com tratamento médico. Quando ele tinha 17 anos foi atropelado por um carro e passou 12 dias na Unidade de Tratamento Intensivo do hospital local. Sua família não tinha condições de bancar todo o tratamento que ele necessitava e só conseguiu por que foi ajudada pela igreja onde eram membros. Desde então Hayes tem o desejo de poder fazer o mesmo por outras pessoas.

Todos os anos, na semana santa, a Covenant gastava mais de U$ 100.000 para divulgar os cultos de Páscoa, comprando espaço em rádios e TV, além de anúncios em outdoors e por mala direta. Este ano, o orçamento foi gasto de outra maneira.

O pastor sugeriu que eles enviassem cartas para pessoas que vivem na vizinhança do templo. O material dizia: “Nós somos a Igreja Covenant. Estamos localizados nesta área e gostaríamos de servir vocês de alguma maneira. Amaríamos ser sua igreja, mas mesmo se não chegarmos a nos conhecer, saiba que Deus os ama”.

A Covenant reúne cinco templos na região de Carrollton. Eles primeiramente doaram a uma ONG que levanta fundos para cobrir dívidas com tratamento médico. Depois, expandiram o projeto e identificaram 4.229 famílias com dificuldades para quitar o débito.

Quando a igreja levantou U$ 10.551.618 dólares, o montante foi suficiente para ajudar a todas as famílias endividadas. Cada beneficiado recebeu uma carta explicando que suas contas haviam sido pagas e traziam o texto de João 19:30, quando Jesus disse: “Está consumado”.

“Essa é a nossa carta no correio”, disse Hayes durante a pregação no domingo (1). “Você pode imaginar o que essas pessoas irão sentir esta semana quando receberem a carta que vocês enviaram dizendo que suas dívidas estão pagas?”. Eles saberão que, conforme nos ensina o texto de João, todas as nossas dívidas de pecado foram pagas na cruz. Deus pagou a conta de cada um de nós!’. Com informações Relevant Magazine

12/01/2016

Homem com rifle invade igreja e é desarmado por pastor


pastor-larry-wrightO pastor Larry Wright, de Fayetteville, na Carolina do Norte (EUA), precisou ter muito cuidado para conseguir controlar um homem que entrou armado no meio do culto da virada do ano.

A igreja estava cheia quando um homem de 57 anos, veterano de guerra, começou a ameaçar de morte os membros que assistiam ao culto dizendo que estava chateado com a igreja.

Sabiamente, o pastor resolveu descer do altar e caminhou em direção ao homem e conseguiu convencê-lo a abaixar a arma.

Wright é vereador na cidade e agiu com muito cuidado para preservar a vida de todos, inclusive do homem que foi abraçado pelo líder religioso e pelos membros da igreja.

“Então eu disse à congregação que tudo estava bem e que o homem queria uma oração. Ele se ajoelhou e começou a chorar, com o rosto no chão”, relatou o pastor à emissora WNCN.

“Deus interveio e foi ao coração desse homem. Em vez de ele abrir fogo e matar um monte de pessoas, ele teve o coração tocado por Deus”, completou.

A polícia foi chamada, mas o homem não foi indiciado. Segundo o pastor, o veterano está sofrendo de síndrome de estresse pós-traumático, pois sua esposa foi diagnosticada com uma grave doença e ele não possui dinheiro suficiente para o tratamento.

Após o episódio ele será encaminhado para uma clínica de atendimento psicológico. Com informações Rede TV!

11/01/2016

Ator que interpretou Bozo será diretor de programa evangélico na TV


O ator que interpretou Bozo, um dos palhaços mais famosos do Brasil e grande sucesso dos anos 80, está voltando a atuar na TV em um papel completamente diferente. Arlindo Barreto será diretor de externas do programa evangélico “Jovens de Fé”, da Rede Massa, afiliada do SBT no Paraná.

Imagem redimensionadaA atração, que ainda não tem previsão de estreia, será apresentada por Deia Benoliel e terá direção geral de Henrique Rebelo, ex-diretor do programa “Fantástico”, da TV Globo.

Em 2016, a história de Arlindo Barreto será contada nos cinemas em um filme biográfico. O longa “O Rei das Manhãs” será protagonizado pelo ator Vladimir Brichta, contando a trajetória de Barreto até se tornar o palhaço mais famoso do Brasil, além de seu envolvimento com as drogas depois do estrelato.

Ao lado de Brichta, a atriz Emanuelle Araújo dará vida a Gretchen, com quem Arlindo viveu um romance na década de 80.

Fonte: Guia-me

27/11/2015

Fernanda Brum ganha Grammy Latino com “Da Eternidade”


fernandaA cantora Fernanda Brum venceu o Grammy Latino 2015 na categoria “Melhor Álbum de Música Cristã” (Língua Portuguesa), com o disco Da Eternidade.

Acompanhada de seu esposo, Emerson Pinheiro, Fernanda esteve na entrega do prêmio em Las Vegas, nos Estados Unidos, na noite desta quinta-feira (19) e postou algumas imagens do evento pelo Instagram.

O anúncio do prêmio veio primeiro pelo canal de Emerson Pinheiro que postou uma imagem de Fernanda segurando o prêmio nas mãos com a legenda: “ela ganhou!”.

Poucos minutos depois a gravadora MK Music divulgou no Youtube um vídeo de comemoração pelo prêmio, onde a presidente da empresa, Yvelise de Oliveira, e seu esposo, o deputado Arolde de Oliveira, dão parabéns à cantora.

Em seu discurso, Fernanda Brum dedicou o prêmio à Deus e ao seu esposo, mas não se esqueceu da Igreja Perseguida e das vítimas dos atentados em Paris e da tragédia em Mariana (MG). “É pra Ti Jesus!!! O mártir do amor! Em homenagem à igreja sofredora, aos refugiados, às crianças da África, às mulheres da Ásia, aos missionários do Burundi, aos que sofreram com as tragédias em MG e Paris… e a tantos outros que fazem meu coração apertar e se emocionar?”, escreveu Fernanda no Instagram.

fernanda-brum grammy-latino“Agradeço a Missão Mais! Juntos somos mais fortes e vamos muito mais além! Agradeço também a minha família, minha gravadora e a todos que de forma direta ou indireta estão comigo nessa jornada de fé, ousadia, missão é amor, muito amor!”, completou ela.

Na quarta-feira (18) a Academia do Grammy Latino realizou um evento distribuindo medalhas aos cantores que concorriam ao prêmio, entre eles estavam Bruna Karla e Willian Nascimento.

Os cinco indicados foram: Fernanda Brum com “Da eternidade”; Anderson Freire, “Ao vivo”; Jane Gomes, “Nele posso tudo”; Bruna Karla, “Como água” e William Nascimento com “Não vou resistir”.

Esse é o primeiro Grammy de Fernanda Brum, o CD “Da Eternidade” foi lançado em janeiro deste ano sendo o segundo trabalho ao vivo cantora pela gravadora.

Fonte: Gospel Prime

08/10/2015

Anderson Freire e Bruna Karla estão entre os indicados ao Grammy


Academia Latina de Gravação, responsável pelo “Grammy Latino” divulgou na semana passada a lista dos finalistas indicados a concorrer a dezena de categorias da premiação.

Entre os cantores evangélicos brasileiros temos uma lista de cinco nomes, eles concorrerão ao prêmio de “Melhor álbum de música cristã em língua portuguesa”.

Os indicados para o prêmio foram: Anderson Freire com o CD “Ao Vivo”; Bruna Karla com “Como Águia”; Fernanda Brum com o disco “Da Eternidade”; Jane Gomes com “Posso Tudo nEle” e Willian Nascimento com “Não Vou Desistir”.

A divulgação dos finalistas foi comemorada pelos cantores através das redes sociais. Anderson Freire aproveitou para agradecer a Deus. “Obrigado, Senhor, por mais esse presente!!!”.

Já Bruna Karla não deixou de agradecer ao Senhor e também ao seu esposo que assinou a produção do disco. “Obrigado, Senhor, por mais esse presente!!!”.

Pelo Instagram a cantora Jane Gomes comentou a novidade: “Não tenho palavras pra agradecer tua bondade, dia após dia me cercas com fidelidade, nunca me deixes esquecer que tudo o que tenho, tudo o que sou e o que vier a ser, vem de Ti, Senhor! Lágrimas e mais lágrimas. Como começar? Obrigada Deus”.

Além da categoria de Melhor álbum cristão em língua portuguesa, o Grammy Latino também oferece o prêmio de “Melhor álbum de música cristã em língua espanhola”. Eles são: Alex Campos, com “Derroche de amor”; Emmanuel y Linda com o disco “Voy tras de ti con todo”; Marco Barrientos, com “Amanece”; Son By 4 com o CD “Mujer frente A la cruz” e Tercer Cielo com “Irreversible”.

Fonte: Gospel Prime

04/10/2015

Cristão, Adriano Martins é o único brasileiro no UFC 192


adriano-martins-320x172.O UFC desembarca ontem (03/10) em Houston, Texas, e traz na luta principal a disputa do cinturão meio-pesado (até 93kg) entre o americano Daniel Cormier e o sueco Alexander Gustafsson.

Ainda no card principal, temos outras lutas interessantes, como o retorno de Rashad Evans contra Ryan Bader e a luta entre os pequeninos (pesos mosca) Joseph Benavidez e Ali Bagautinov.

Mas é no undercard que temos o único brasileiro deste UFC 192, o amazonense Adriano Martins, que enfrenta o estreante russo Islam Makhachev.

Cristão, Adriano demostrou sua fé em seu Twitter durante o mês que antecedeu a luta, quando os lutadores intensificam o corte de peso, uma das mais duras fases do treinamento. “Deus é fiel” é uma declaração recorrente do atleta, que sempre comemora suas vitórias com o dedo em riste apontado para o Céu, em referência a Deus.

No Instagram do lutador, em sua descrição, o seguinte trecho de Isaías (capítulo 40, versículo 31): “Mas os que esperam no Senhor renovam suas forças, sobem com asas como águias, correm e não se cansam, caminham e não se fatigam.”

O UFC 192 será transmitido no Brasil pelo Canal Combate, a partir das 19h30 (horário de Brasília).

Fonte: Gospel Prime

02/10/2015

Filme cristão de baixo orçamento vira fenômeno nos cinemas e causa espanto em Hollywood


fime cristãoUm filme cristão de baixo orçamento e que arrecadou, até agora, 16 vezes o valor de seu custo, tornou-se o centro das atenções na mídia especializada dos Estados Unidos e tem sido visto, pelos cristãos, como o símbolo de um recado à indústria de Hollywood.

“War Room” (“sala de guerra”, em tradução livre) é uma produção com orçamento de US$ 3 milhões e que arrecadou mais de US$ 50 milhões em bilheteria até agora. O roteiro do filme fala sobre um casal com problemas conjugais que contorna as dificuldades juntos, através da oração.

fime cristão3A produtora do filme, Sherwood Pictures, é a mesma de títulos como “À Prova de Fogo”, “Desafiando Gigantes” e “Corajosos”, e surgiu de um ministério da Igreja Batista de Sherwood.

De acordo com informações do Charisma News, o apoio da American Family Association (“Associação da Família Americana” – AFA) à produção é responsável por parte do sucesso do filme.

“Atuamos em muitas questões pesadas ​​da sociedade, mas nós gostamos de ir ao cinema também”, disse o presidente da AFA, Tim Wildmon. “Quando o entretenimento, no entanto, derruba nossa sociedade e é uma influência negativa sobre os nossos filhos, nós sentimos que devemos intervir. Ao mesmo tempo, quando há opções maravilhosas para as famílias para assistir juntos, nós queremos trazer esses filmes para a atenção de todos. Por décadas, a tela grande tem sido dominada pela violência, sexo, drogas e crime. Mas há um pouco de luz, e as famílias cujos dólares são conduzidos por seus valores terão um grande filme”, acrescentou.

Wildmon comentou ainda a queda na audiência dos cinemas norte-americanos, que tem vivido uma redução no número de pessoas que vão às sessões, e afirmou que o povo está cansado dos excessos, por isso, filmes como “War Room” se sobressaem: “Esperamos que esta tendência seja um vislumbre do que está por vir e nossa cultura mostre alguma evidência disso”.

02/10/2015

Eyshila e Nani ultrapassam 1milhão de visualizações no Youtube; confira!


Os videoclipes das canções Deus no Controle da cantora Eyshila e A Última Palavra Vem de Deus do cantor Nani Azevedo ultrapassaram  a marca de um milhão de visualizações no canal do Youtube da Central Gospel Music. Confira abaixo.

O clipe Deus no Controle foi gravado em Boston, nos EUA, com um belo cenário da cidade ao fundo, e conta uma pequena história da consequência de confiar em Deus independente das circunstâncias. A composição dessa bela canção é da própria Eyshila.

Aproveite e adquira já o CD ‘Deus no Controle’ através do televendas (21) 2187-7000, ou pelo site da Central Gospel.

Assista ao vídeo abaixo e seja abençoado com essa linda canção:

O cantor Nani Azevedo está se preparando para lançar seu mais novo álbum pela gravadora, chamado Eu Confiarei, que já está na fábrica e em breve estará disponível em todo o Brasil. Três canções desse trabalho ganharão versão em vídeo e novos sucessos de público e visualizações são aguardados.

Enquanto o novo trabalho não é lançado, não perca a oportunidade de adquirir o último albúm do cantor pela Central Gospel Music, o CD ‘A Última Palavra’, disponível na loja virtual da Editora Central Gospel ou pelo televendas (21) 2187-7000.

Assista ao videoclipe A Última Palavra Vem de Deus

%d blogueiros gostam disto: