Archive for ‘Diverso’

04/11/2014

Mais 4 juízes pedem demissão por não aceitarem fazer casamento gay


JustiçaQuando o Estado da Carolina do Norte aprovou no mês passado uma lei que legaliza o casamento gay, o anúncio foi criticado por muitos. Logo nos primeiros dias, o juiz Gilbert Breedlove, 57 anos, que também é pastor evangélico, renunciou ao cargo.

Ele trabalhou por 24 anos como juiz para o Condado de Swain. Entre suas funções de juiz ele realizava casamentos no fórum. Como a união de pessoas do mesmo sexo vai contra sua fé, decidiu abandonar a função. Breedlove avisou que seu desejo era deixar um exemplo que pudesse incentivar outros magistrados a se posicionar.

No dia seguinte, John Kallam Jr., juiz do condado de Rockingham, também apresentou sua renúncia, citando que isso era contra sua fé. Kallam afirma que fazer casamentos homossexuais seria “profanar a santa instituição estabelecida por Deus”.

Agora, mais 4 juízes estão renunciando a seus cargos citando a fé cristã como o principal motivo para suas decisões. Os juízes são: Bill Stevenson, do condado de Gaston; Tommy Holand, do condado de Graham; Gayle Myrick, do condado de Union e Jeff Powell, do condado de Jackson.

“Era algo que eu tinha que fazer por causa da minha consciência. Eu senti que realizar uniões legais de pessoas do mesmo sexo seria uma violação dos mandamentos do Senhor e eu não podia fazer isso”, declarou Stevenson à rede WCNC-TV . “O ensinamento bíblico diz do que adianta um homem ganhar o mundo inteiro se perder a sua alma? Por isso, resolvi parar”.

Num tom similar, o juiz Myrick ressaltou que o casamento deve ser apenas entre um homem e uma mulher. “Para eu fazer o que o Estado me obrigaria a fazer, sob as penas da lei, precisaria ir contra as minhas convicções. Eu simplesmente não estava disposto a fazer isso. Quero honrar o que a Palavra diz.”

O juiz Powell, que também é pastor da Igreja Wesleyana de Tuckasegee, confirmou que estava deixando o cargo por causa da questão do casamento gay, mas se recusou a dar entrevistas.

Embora sejam apenas seis dentre os 670 magistrados que trabalham para o Estado da Carolina do Norte, há notícias de outros juízes cristãos que embora não tenham se demitido, avisaram que não irão realizar os casamentos do mesmo sexo. De acordo com a nova lei, isso poderia levar à sua demissão.

O senador Phil Berger, juntamente com 27 outros senadores republicanos, pediu ao Escritório Administrativo da Carolina do Norte que proteja o direito dos funcionários do Estado que se recusam a realizar casamentos homossexuais por causa de suas crenças religiosas. Até o momento, não foi divulgada uma resposta oficial. Com informações de Christian Post

Anúncios
08/11/2013

Casamento Blindado ganha versão para TV


Casamento Blindado ganha versão para TV Casamento Blindado ganha versão para TV

Com mais de 1 milhão de exemplares vendidos o livro “Casamento Blindado”, escrito por Cristiane e Renato Cardoso, será adaptado para TV e exibido como um dos especiais de Fim de Ano da Rede Record.

De acordo com o jornalista Flávio Ricco, do UOL, Cristiane Cardoso precisou aprovar a adaptação. Foram várias tentativas até que a filha do bispo Edir Macedo aprovou o resultado final.

O jornalista também diz em sua coluna que a trama segue o estilo comédia romântica e que é uma forte candidata a se tornar um seriado em 2014.

O casal de apresentadores do “The Love School” ensina no livro “Casamento Blindado” lições práticas para quem quer ter um relacionamento duradouro.

A obra foi escrita usando as próprias experiências do casal. O programa, que vai ao ar pela Rede Record, também traz essas dicas e também convidados especiais para falar sobre relacionamentos.

14/09/2013

Padre excomungado lança livro com declarações polêmicas


Padre excomungado lança livro com declarações polêmicasO padre Beto, excomungado da Igreja Católica por apoiar homossexuais, está lançando um livro onde relata seus pensamentos sobre temas polêmicas não aceitos pela igreja, como sexo e preconceito.

O livro recebeu o título de “Verdades Proibidas – Ideias do padre que a Igreja não conseguiu calar” e está sendo lançando pela Astral Cultural. Na obra o padre mostra 65 artigos sobre hipocrisia, preconceito, consciência, diálogo, alienação, política, sexo, individualismo, religião, vida e morte.

Sobre a hipocrisia, o autor fala a respeito da diferença entre os dogmas religiosos e o agir cristão. “Somos todos hipócritas. Se prestarmos atenção à nossa vida prática, iremos nos surpreender com as contradições que vivemos diariamente. Essas contradições existem porque aceitamos regras, verdades e situações já solidificadas na sociedade sem questionar o seu conteúdo e a possibilidade de serem aplicadas de outra maneira à vida prática”, escreve ele em um trecho do livro.

O tema homossexualidade também aparece no livro, estendo a discussão já apresentada pelo padre Beto em seu blog e em entrevistas que o levaram a ser excomungado da igreja e a perder o cargo eclesiástico.

“Em primeiro lugar, é necessário saber que sexualidade não é genitalidade. A sexualidade abrange desde nossa maneira de se comportar no mundo, passa pelo modo como nos relacionamos com as outras pessoas e vai até a profundeza de nossa intimidade”, diz ele.

O objetivo de “Verdades Proibidas” é levantar um debate para que antigos ideias sejam reavaliados para a sociedade atual.  “Precisamos sair do automático, abandonar verdades absolutas e dar espaço a verdades que promovam uma sociedade mais justa e humana, menos hipócrita e preconceituosa, mais conectada com os ensinamentos básicos de Jesus”, diz o padre.

Informações: Gospel Prime

14/09/2013

Professora proíbe que alunos escrevam sobre Deus na escola


Professora proíbe que alunos escrevam sobre Deus na escola Os cristãos do Estado americano do Tennessee estão revoltados após uma professora proibir que uma aluna escrevesse sobre Deus em um trabalho escolar.

Erin Shead, uma estudante de 10 anos de idade, da Lucy Elementary School, recebeu como tarefa escrever sobre alguém que ela idolatrava. A menina, que é cristã, decidiu escrever sobre Deus.

“Eu olho para Deus”, escreveu. “Eu amo ele e Jesus, e Jesus é seu filho. Eu também amo Jesus”. Também disse que Deus “é sempre a 1º pessoa para quem eu peço ajuda”.

Sua mãe, Erica está inconformada porque a professora disse que Deus não pode ser considerado uma pessoa, portanto não poderia ser considerado um ídolo.

Erin chegou em casa triste e contou para a mãe que a professora não aceitou o trabalho. A menina deveria levá-lo de volta para casa e fazer outro. A menina então escolheu falar sobre um ídolo da música: Michael Jackson. Desta vez a professora aprovou. Inconformada, a senhora Shead foi pedir explicações ao diretor da escola. Ele preferiu não comentar.

Quando o canal Fox News procurou o responsável pelo núcleo regional de Educação do Condado de Shelby, a resposta foi inesperada. Christian Ross, porta-voz do Núcleo, esclarecer que “os professores são proibidos de promover crenças religiosas em sala de aula”. No entanto, não soube explicar se existem regras que proíbam uma aluna de expressar suas crenças religiosas.

texto-da-crianca-sobre-deus“Foi algo tão bonito e inocente”, disse a senhora Shead à rede Fox. “Ela falou sobre como Deus criou a Terra. Como você pode dizer a esta criança – que é cristã – o que ela pode e o que ela não pode dizer sobre Deus?”, questionou.

O caso da escola do Tennessee acabou se tornando um assunto de interesse nacional, pois reascende uma velha polêmica. Embora oficialmente 78% da população americana declare seguir a fé cristã, a mais de 50 anos, a Corte Suprema dos Estados Unidos declarou ser “inconstitucional” fazer orações em público ou ensinar a Bíblia em escolas estaduais. O mesmo decreto proibiu funcionários públicos de realizar ‘manifestações religiosas” em instituições de ensino do governo.

O Instituto Pew Research Center divulgou uma pesquisa apontando que 57% dos norte-americanos são contrários a esta decisão. Em julho de 2013, o grupo ateísta American Civil Liberties Union (ACLU) conseguiu uma vitória na justiça por conta de orações feitas durante competições esportivas nas escolas. Recentemente, a Fundação Freedom From Religion entrou com um processo judicial pedindo que um monumento com os 10 Mandamentos fosse removido da entrada de uma escola na Pensilvânia. A alegação é que “uma escola pública não tem o direito de impor a seu público cativo de estudantes impressionáveis​, que devem crer em um deus ou vários deuses”.

Informações Daily Mail.

25/05/2013

Esposo de Eyshila conta como superou o vício de drogas



Esposo de Eyshila conta como superou o vício de drogasEsposo de Eyshila conta como superou o vício de drogas

O pastor Odilon Santos esteve participando do programa “Verdade Gospel” contando seu testemunho. Ele que é esposo da cantora Eyshila falou sobre o vício das drogas e como conseguiu vencê-lo.

Filho do pastor José Santos, já falecido, Odilon cresceu na igreja, mas se sentiu atraído pelo mundo e conheceu as drogas. Foram anos de dependência química até que ele buscou ajuda em Deus para superar e vencer o vício.

Ele já estava casado com Eyshila quando se afundou ainda mais nas drogas, chegando a pedir para que a cantora voltasse a morar com seus pais. Acreditando na promessa de Deus para sua vida, Eyshila não aceitou abandonar seu esposo.

“Eu não consigo me imaginar sem a minha esposa porque o que ela passou e o que ela guerreou para nós chegarmos até aqui hoje, eu não sei se outra pessoa iria aguentar”, disse o pastor Odilon emocionado ao lembrar do caso.

Hoje, Odilon está à frente da Assembleia de Deus Vitória em Cristo no Largo do Bicão, que fica na Vila da Penha, no Rio de Janeiro. Sua história foi contada no clipe da música “Profetiza” que faz parte do novo CD da Eyshila, Jesus o Brasil te adora, lançado em 2012 pela Central Gospel Music.

Assista a entrevista:

19/12/2012

Thalles fala sobre sua vida antes de Jesus


“Eu estava em um hotel em Curitiba com um amigo no quarto, a gente estava usando drogas. Ele começou a me agredir com algumas palavras, dizendo que meu objetivo era destruir a vida das pessoas. Ele me ofendeu muito. Naquele momento eu comecei a refletir sobre tudo o que eu estava fazendo”, diz Thalles em entrevista ao G1.

Hoje casado e pai de dois filhos, de três e cinco anos, o cantor e pastor evangélico é o maior sucesso de público gospel brasileiro. Foi o maior vencedor do ‘Troféu Promessas de 2012′ e cantou no festival homônimo, transmitido pela TV Globo no último sábado (15).

Confira a entrevista:

Quando comecei a acompanhar a música gospel, ainda estava no Jota Quest. Ouvia a Ana Paula cantando e me sentia intrigado. Como uma pessoa no começo de sua juventude abria mão disso para viver Deus? Não era o que eu vivia, e isso me deixava confuso. Hoje consigo entender uma pessoa jovem dar sua vida para Deus. O jovem quer curtir, quer balada, quer festa, quer aproveitar sua juventude. Ela gastou a juventude dela falando de Deus. Isso é um exemplo para todos nós.

O que te fez mudar de ideia?

Foi a minha conversão mesmo. A minha aceitação de Jesus como Salvador. Mudei de opinião e comecei a olhar as coisas com a perspectiva de Deus. É muito legal ser um instrumento, andar pelo Brasil falando de Deus. Hoje faço parte desse time.

Metade das atrações do Festival Promessas (Thalles, Diante do Trono e André Valadãox) veio de uma igreja só, a Batista da Lagoinha de Belo Horizonte. É uma igreja milagrosa? Qual é sua história nela?

Ela é muito especial. A música gospel mineira tem uma proporção gigantesca no meio. Tem uma pessoa especial, o pastor Márcio Valadão, pai do André e da Ana Paula. E é “meu pai” também, me ajudou muito no início da carreira – financeiramente, espiritualmente, como amigo, orando por mim, pagando minhas dívidas, minhas contas, me aceitando e deixando participar do culto. Lá é sim um celeiro de talentos.

Quanto tempo você tem de carreira, e quanto na música evangélica?

Eu canto desde cinco anos, estou com 35. Carreira eu considero desde que se começa a levar a música a sério. Aos 15 anos eu decidi não fazer nada além de cantar. Então são 20 anos. Música gospel são três anos. É um tempo curto para esse nível de reconhecimento. Mas eu acredito que é uma coisa de Deus mesmo, ele me separou para fazer isso.

Thalles durante gravação do CD e DVD ‘Uma história escrita pelo dedo de Deus’

Qual a diferença, para você, entre ser músico e ser músico gospel?

A mensagem mesmo. O que o músico secular que falar é da vida dele – amor, namoros, traições, noitadas. A gente fala das nossas experiências com Deus. A alegria que sentimos, a bênção que é você não guiar sua vida, mas deixar Deus dirigir tudo.

No clipe de ‘Deus da minha vida’ você conta uma história sobre iluminação. Como aconteceu?

Eu estava em um hotel em Curitiba com um amigo no quarto, a gente estava usando drogas. Ele começou a me agredir com algumas palavras, dizendo que meu objetivo era destruir a vida das pessoas. Ele me ofendeu muito. Naquele momento eu comecei a refletir sobre tudo o que eu estava fazendo, a maneira que estava conduzindo minha vida, minhas baladas, noitadas, “chapações”. Meu contato com a droga vinha me prejudicando e também às outras pessoas. Decidi voltar para a Casa do Pai. Foi como se a luz de Deus viesse dentro do meu quarto e dissesse: “Meu filho, você esta perdido pra caramba, precisa endireitar seu caminho”.

Era uma viagem de turnê?

Estava em turnê com o Jota Quest.

E como você fez? Anunciou no outro dia que ia sair da turnê?

Comecei a pedir para Deus em orações para mostrar o meu caminho. Eu não tinha como sair, dali eu tirava meu pão, o sustento da minha família. E Deus começou a me levar para o caminho que ele tinha para mim. As coisas começam a acontecer sem que você tenha controle sobre elas. As portas começaram a se abrir. Depois disso eu ainda fiquei dois anos no Jammil e Uma Noites. Depois é que eu realmente decidi sair. Primeiro eu parei de fumar, de usar drogas, de me prostituir. Fui cortando tudo o que me atrapalhava e atrapalhava a vida das pessoas.

Se prostituir em que sentido?

No sentido de pegar todo mundo, pegar mulher casada, ficar com um monte de mulher, fazer suruba, rolava tudo. Aí Deus foi me ensinando que a vida não era assim, eu tinha sido criado para ter uma família, para viver uma vida em paz.

Você já compôs para artistas seculares como Seu Jorge. Pretende continuar fazendo isso?

Não, agora estou 100% com o gospel. A gente fala da nossa verdade, e aquilo não é minha verdade. Eu faço algumas músicas românticas, canto para minha esposa. Talvez no futuro a gente possa gravar um disco de músicas românticas para a família.

Seu show tem presença de black music. Quais são suas influências musicais?

Lionel Ritchie, Stevie Wonder, Michael Jackson, Lenny Kravitz, Dianna Ross. Foram as coisas que eu mais ouvi. Também Mariah Carey, Boyz II Men.

Ainda escuta música secular?

Hoje eu não ouço nem música secular nem gospel. Eu quero tirar a minha essência do coração.

Como você avalia hoje sua experiência no Jota Quest?

Foi muito positivo. Eu sou amigo dos meninos até hoje, a gente conversa sempre. Acho que eu aprendi muito ali. Acho que meu som não tem nada a ver com Jota Quest. Mas aprendi a passar a verdade ali no palco. Ter presença de palco, fazer entrevistas. Foi um tempo de muito aprendizado em todos os aspectos.

Mas voltaria para uma turnê?

Não, em hipótese alguma.

Fonte: G1

14/12/2012

Bíblia em áudio dramatizada pode ser baixada gratuitamente


Bíblia em áudio dramatizada pode ser baixada gratuitamente Bíblia em áudio dramatizada pode ser baixada gratuitamente

A Biblie.is disponibilizou Bíblias em áudio em diversas línguas para serem baixadas gratuitamente. Nós, brasileiros, também ganhamos uma versão dramatizada do Novo Testamento que pode ser adquirida sem custos.

Interessados em poder ouvir a Palavra de Deus podem acessar site www.bible.is/audiodownloader e iniciar o processo escolhendo a versão em português que é a de Almeida Revista e Corrigida Áudio Drama.

Quem indica este download é o blogueiro Julio Severo que adianta: “Você vai ficar maravilhado ouvindo”.

Quem escolher pela “A Bíblia para Todos” estará recebendo um áudio do português de Portugal, por isto preste muita atenção.

“Encorajo fortemente todos a fazer o download do arquivo completo MP3 da versão do Novo Testamento”, disse Julio em seu blog.

Com a praticidade dos aparelhos como smartphones, tablets e mp3 fica bem fácil ouvir a Bíblia em qualquer lugar, independente do horário, sendo esta uma grande estratégia até de evangelismo.

Acesse o site do Bible.is e conheça mais sobre este projeto.

13/12/2012

Evangélica Iris Abravanel mulher de Silvio Santos fala sobre novelas,o marido e religião


Iris Abravanel hoje evangélica, sempre testemunha da sua conversão pelo evangélico copeiro José, como fez na entrevista concedida a IstoÉ esta semana, ela comenta do seu trabalho como escritora, da novela carrossel elogiada por muitos, do seu marido, religião e o porque  começou a escrever quase aos 60 anos. Autora do sucesso “Carrossel” novela do SBT, Iris Abravanel relata durante a entrevista que após pedir confirmação da existência de Deus, em seguida o copeiro José veio até ela e revelou uma vontade de Deus em seu coração de dizer que Jesus a amava muito, foi então a confirmação e a sua conversão. Após se converter disse ter tido a primeira lição de Deus em sua vida, foi quando o copeiro quis lhe presentear com uma Bíblia dizendo  “Dona Íris, a senhora tem tudo. Esse é o melhor presente que eu posso lhe dar e a senhora não quer aceitar?!” Foi a primeira lição que tive. Como somos soberbos.

Istoé – Onde a sra. busca inspiração para escrever?

Íris Abravanel– Impossível escrever uma história e não colocar um pouco do que você viveu, de livros que leu, de filmes a que assistiu. Uma vez cortei um pouco o cabelo das meninas (filhas) achando que isso fortaleceria o cabelo delas. As quatro chegaram à escola com cabelos tipo tigelinha. Aí, voltaram para casa p. da vida. Revivi um pouco disso em “Carrossel”. Nessa novela, insisti em cenas que mostram as crianças mais distantes de computadores, games, e mais dispostas a criar brincadeiras.

Istoé – Coisas que a sra. fazia com as suas filhas?

Íris Abravanel – Sim. Então, você vê chapéu sendo feito com jornal e coisas do tipo, para despertar a criatividade delas. Mexer com fantasia da criança é sempre saudável. Quando somos pequenos, criamos um amigo imaginário e isso é positivo porque, assim, resolvemos conflitos, diferenciamos o bem e o mal. A gente está conseguindo passar coisas edificantes para a criançada. Fui professora durante cinco anos. Sempre gostei de trabalhar com criança. Por mim, eu teria dez filhos.

Istoé – Por que a sra. resolveu iniciar uma nova carreira perto dos 60 anos?

Íris Abravanel – Eu vinha percebendo a dificuldade do Silvio em contratar autores de novelas. Os melhores estavam na Globo ou na Record. E o contrato do SBT com a Televisa (emissora mexicana parceira do SBT) havia terminado. Aí, em um jantar, ele lamentava a dificuldade que vinha enfrentando. E eu disse: “E se eu escrever?” Na hora, eu pensava em resolver um problema dele. E acabei ganhando um problemão! Sofri preconceito no início. Muita gente dizia: “Ela vai ficar dois meses nessa e não vai aguentar, vai para o shopping”. Mas, como diz o Chaves (personagem de uma série televisiva mexicana), “não contavam com a minha astúcia”!

Istoé – Qual foi a reação do Silvio Santos?

Íris Abravanel – Quando perguntei ao Silvio o que achava de eu escrever novelas, ele me disse para ir em frente, mas para não retroceder depois. O nome da primeira novela, “Revelação”, foi o Silvio quem deu. Porque (eu fazer novela) seria uma revelação (risos). No começo, eu não era contratada pelo SBT. Trabalhei seis meses sem receber nada, até provar que eu seria capaz. Eu tinha um computador que não era de última, mas da primeira geração (risos). Eu fui montando a minha equipe com pessoas que conhecia. Éramos um exército de pernetas! Uma das colaboradoras, por exemplo, de professora de matemática passou a fazer cenas. Nós almoçávamos na minha casa. Foram seis meses de deserto, sem nenhum recurso. Hoje, sou funcionária do SBT. Tenho registro em carteira. Fazia pelo menos 30 anos que não tinha registro. Tive apenas um aumento, muito reivindicado, em cinco anos no SBT. Agora, com “Carrossel”, estou pensando em negociar de novo. Eu nunca tinha ido, por exemplo, sozinha ao SBT.

Istoé – E como foi a experiência?

Íris Abravanel – Cheguei na portaria um dia para uma reunião. Disse que eu me chamava Íris e tinha uma reunião marcada. Aí, me disseram: “Pois não, pode encostar ali do lado e aguardar.” E foi o que eu fiz. Fiquei ali aguardando até que a pessoa com quem eu ia falar avisou na portaria: “Vocês sabem quem é que está aí esperando?” Não sei bem o que aconteceu, ao certo, mas as portas se abriram e eu entrei (risos). E aí começou o respeito por mim, desde a portaria. Nunca falei “você sabe com quem está falando?” para alguém. Cada um no seu lugar, né? Logo depois, a minha equipe toda passou a ter crachá para entrar no SBT. Aí, não queriam dar um para mim, disseram que eu não precisaria. Eu chiei: “Como não preciso? Já fui barrada (risos)!” Aí, fui lá tirar foto e exigi crachá.

Istoé – Como foi iniciar uma carreira na empresa do marido?

Íris Abravanel – À medida que você vai se relacionando, as pessoas vão esquecendo quem está por trás de você e passam a enxergar o lado profissional. Algumas pessoas, quando veem que há coisas a serem modificadas no meu trabalho, ainda têm dificuldade de dizer isso para mim. Mas com o tempo a gente (ela e Silvio) vira doce de festa e as pessoas se acostumam com a nossa figura.

Istoé – Ainda consegue administrar a casa como fazia antes?

Íris Abravanel – Todos os nossos funcionários estão com a gente há mais de dez anos. Então, cada um já sabe o que fazer e eu não preciso ficar em cima. A coisa só muda quando a gente viaja. Aí, eu e o Silvio arregaçamos a manga. Eu faço a comida e o Silvio limpa a cozinha. Ele limpa a cozinha melhor do que eu. Limpa o fogão direitinho… Ele gosta de fritar bife. Tem o ponto da carne lá que ele gosta. E ele ama o Walmart, porque nesse supermercado tem de tudo.

Istoé – Gostou quando Silvio assumiu os cabelos grisalhos na tevê?

Íris Abravanel – Eu estou acostumada, porque, quando a gente viaja, ele está assim. Mas achei o máximo ele se mostrar do jeito que é de verdade. Sabe por que gosto do grisalho? Porque o tom de pele dele fica mais suave, bonito. Mas tenho a impressão de que ele voltou a pintar o cabelo por causa da opinião das pessoas também.

Istoé – O que aprendeu com o episódio do sequestro da sua filha Patrícia?

Íris Abravanel – Doía muito (quando a filha estava em poder do sequestrador, em 2001). É como se tivesse arrancado um pedaço de mim sem anestesia. Com o sequestro, aprendi a demonstrar mais amor, carinho, pelas pessoas enquanto elas estão ao nosso lado. Disseram que a Patrícia estava com síndrome de Estocolmo (quando a vítima passa a ter simpatia e até sentimento de amor ou amizade pelo seu agressor). Ela não teve síndrome nenhuma. Ela, naquele momento, enxergou a diferença da vida de dois jovens, a dela e a dele (sequestrador). Esse episódio não mudou nada em nossas vidas. Continuamos vivendo sem seguranças por perto, nada. Nossa maior segurança é Deus mesmo.

Istoé – A sra. é evangélica. Como se deu a sua conversão?

Íris Abravanel – Foi dentro da minha casa. Eu não sabia, mas todos os meus funcionários eram evangélicos. Fui convertida pelo copeiro de casa, o José. Ele se alfabetizou pela Bíblia e espalhava versículos pela casa. Eu olhava aquilo e achava legal, mas para o José. Em 8 de outubro de 1998, decepcionada com todas as outras religiões que havia experimentado, pedi para Deus que, se ele existisse, desse uma prova de sua existência. Estava em casa e pedi um café. O José me trouxe e logo foi dizendo: “Olha, dona Íris, ainda bem que a senhora me chamou. Eu estava lá no seu jardim e o meu Deus mandou eu te dizer que a senhora é muito amada por Jesus”. Comecei a chorar. Aí, ele me disse que todos os funcionários se reuniam para orar por mim e pela minha família. No dia seguinte, fui atrás de uma “Bíblia” para saber quem é Jesus. O José quis me dar a dele. E eu não quis. Aí, ele me disse: “Dona Íris, a senhora tem tudo. Esse é o melhor presente que eu posso lhe dar e a senhora não quer aceitar?!” Foi a primeira lição que tive. Como somos soberbos.

Istoé – Frequenta alguma denominação evangélica específica? A sra. tentou se converter ao judaísmo?

Íris Abravanel – Não sigo uma igreja específica. Nunca imaginava que um dia eu seria crente na vida. Mas, desde a conversão, eu me enfiava em qualquer garagem onde se falava de Jesus. Queria aprender. A primeira igreja em que estive foi a Assembleia de Deus. A segunda, a Congregação. Lembro que fui de saia e “Bíblia” na mão (risos). Mas não tentei me converter ao judaísmo. Eu nunca seria judia. As meninas (filhas) aprenderam hebraico e fizeram Bat Mitzvá, acho bacana. O Silvio é judeu, vai à sinagoga, mas ele está quase vendo que o Messias…quando a gente ora, o Silvio se sente muito bem. Às vezes, ele pede para a Patrícia orar.

Istoé – Como conheceu o Silvio?

Íris Abravanel – Eu o conheci em uma praia, no Guarujá (SP). Eu ainda dava aula e estava noiva. Tinha de 18 para 19 anos e ele o dobro da minha idade. Foi uma tragédia, porque, quando o meu pai soube, ficou doente. A gente começou uma amizade e demorou para a gente ficar junto. Eu me casei, antes, e o Silvio foi padrinho. Me separei depois de cinco anos. A família era contra eu me relacionar com homem de televisão.

Istoé – Quem de vocês dois foi mais tolerante em relação às idiossincrasias do companheiro?

Íris Abravanel – Eu era uma pessoa bem difícil, geniosa, meu ponto de vista tinha de prevalecer sempre, era teimosa. Hoje não. Como o Silvio, que também mudou, e hoje administra melhor o ciúme que ele sentia, por exemplo.

Istoé – A separação que vocês tiveram nos anos 1990 tinha a ver com o ciúme também?

Íris Abravanel -Sim. Eu me sentia sufocada. Ele era muito ciumento, de controlar passo a passo. Depois desse episódio, ele aprendeu a administrar melhor. Foi uma briga de foice, de gigantes, eu com estilingue e ele com um exército (advogados foram contratados por ambas as partes). Depois que reatamos (permaneceram separados por cerca de seis meses), eu disse a ele: “Agora, não me separo nunca mais. Você vai ter de me aguentar para o resto da sua vida”.

Fonte: Inforgospel

13/12/2012

Bispo Jacques Soares e Fred Berry participam do Avivamento de Israel


Bispo Jacques Soares e Fred Berry participam do Avivamento de IsraelA Terra Santa receberá em 2013 um grupo de 300 cristãos que irão clamar pelo derramar do Espírito de Deus. Muitos líderes religiosos estão confirmando sua participação nesta viagem promovida pela Terra Santa Viagens, entre eles o bispo Jacques Soares que é presidente da União de Pastores de São Paulo (Unipas).

A viagem que vai acontecer durante o Pentecostes 2013 vai marcar os presentes com diversos atos proféticos pedindo o avivamento de Israel.

O projeto ganhou atenção do bispo Soares que acreditou na importância do projeto como uma forma de cumprir a missão da Unipas que é pregar a união das igrejas e a programação da salvação de Jesus para todo o mundo.

“É um projeto inovador, uma viagem histórica, não estamos indo somente para passear, mas sim com um propósito de levarmos um mover de avivamento para a Terra Santa”, disse.

“Além de conhecer de perto os locais onde Jesus Cristo nasceu, cresceu, fez ministério, morreu e ressuscitou será uma experiência indescritível. Cada palmo de chão na Terra Santa está repleta de história fundamental para o cristianismo e para a humanidade”, concluir o bispo Jacques.

Além do presidente da Unipas, o apóstolo Fred Berry também confirmou sua participação. Ele é representante do Aviva Street Mission.

Mais informações sobre o projeto, roteiro e valores podem ser encontrados no link: www.terrasantaviagens.com.br/avivaisrael/

05/12/2012

Waguinho grava clipe com Thalles Roberto. Assista


A Adud Produções divulgou em seu canal do Youtube o vídeo da canção “Momentos com o Senhor” gravado pelo cantor Waguinho em parceria com Thalles Roberto.

A música em ritmo de samba é assinada pelo próprio Thalles que comentou a experiência de gravar ao lado de Waguinho, que é um dos sambistas mais conhecidos do meio gospel.

“Tive a honra de compor um Samba e gravar ele com meu [amigo] o @WaguinhoCantor Assistam”, escreveu Thalles postando o link do vídeo clipe que você confere no final desta matéria.

Waguinho faz parte da Assembleia de Deus dos Últimos Dias e já gravou quatro CDs pela gravadora da igreja liderada pelo pastor Marcos Pereira. O último foi “Samba Adorador”, lançado em 2011 e que já recebeu o Disco de Ouro por alcançar mais de 40 mil cópias vendidas.

Assista:

%d blogueiros gostam disto: