Posts tagged ‘A Igreja Cristã’

09/04/2018

Mais de 200 cristãos mortos na Nigéria por milícia islâmica este ano


Centenas de cristãos foram mortos desde o início do ano, resultado dos ataques coordenados das milícias islâmicas da etnia fulani na Nigéria. Segundo um novo relatório, esses jihadistas já superaram o Boko Haram como a maior ameaça na região norte da África.

Somente em março, foram 27 ataques a aldeias, que deixaram 225 cristãos mortos e forçaram mais de mil famílias a fugirem de suas casas. Igrejas foram queimadas e muitas propriedades destruídas. Foi o mês mais violento nos últimos dois anos, o que deixa a comunidade cristã do país preocupada sobre o crescimento da violência.

Segundo a organização de direitos humanos International Christian Concern (ICC), que produziu o relatório, o governo nigeriano não tomou nenhuma medida eficaz para que a perseguição acabe. O presidente Muhammadu Buhari é muçulmano e há vários relatos que ele ignora as denúncias contra os jihadistas.

A ICC diz que, em mais de 75% dos casos, os fulani atacaram civis desarmados e indefesos. Em contraste, o Boko Haram matou 37 pessoas no mesmo período, muitas das quais eram militares envolvidos em combate.

O documento da ICC afirma que “Esta situação séria requer uma resposta séria”. Exigiu uma posição do governo, que insiste em dizer que são conflitos tribais, quando fica evidente que o assassinato em massa é coordenado e os fulani estão recebendo armamentos do exterior.

Além de matar e expulsar os cristãos das aldeias, os jihadistas ficam com suas terras, animais e propriedades. Os fulani são uma das maiores etnias da África, sendo majoritariamente muçulmanos.

Embora o governo nigeriano venha tratando esses ataques como conflitos étnicos, existem vários relatórios que os homens estavam fortemente armados e alguns ataques tiveram cobertura de helicópteros. Com informações de Persecution

09/02/2011

Seis tendências do cristianismo nos Estados Unidos


EUA Bandeira 250x187 Seis tendências do cristianismo nos Estados Unidos  Há poucos dias o instituto Barna Group publicou o resumo das principais pesquisas realizadas pela instituição nos Estados Unidos durante o ano de 2010. O resultado revela que o ambiente religioso nos Estados Unidos está se transformando em algo novo e também perigoso. O estudo publicou seis tendências encontradas nas igrejas Americanas:

1. A Igreja Cristã está se tornando menos alfabetizada teologicamente

As pesquisas apontaram que o que costumavam ser verdades básicas e universalmente conhecidas sobre o cristianismo, são agora mistérios desconhecidos para uma grande e crescente parte de norte-americanos. Um exemplo disso é que, segundo os estudos, enquanto a maioria das pessoas considera a Páscoa como um feriado religioso, apenas uma minoria de adultos a associam com a ressurreição de Jesus Cristo.  Além disso, uma crescente maioria acredita que o Espírito Santo é um símbolo da presença de Deus ou do poder, mas não é uma entidade viva. A teologia livre para todos que está invadindo as igrejas protestantes em todo o país sugere que a próxima década será um momento de diversidade teológica incomparável e sem consistência.

2. Os cristãos estão se tornando mais isolados dos não-cristãos

Os cristãos estão cada vez mais espiritualmente isolados dos não-cristãos do que era há uma década. Exemplos dessa tendência incluem o fato de que menos de um terço dos cristãos tem convidado qualquer pessoa para se juntar a eles em um evento da igreja durante a época da Páscoa. Os adolescentes estão menos inclinados a discutir o cristianismo com seus amigos do que acontecia no passado.

3. Um número crescente de pessoas estão menos interessadas em princípios espirituais e desejosos de aprender mais soluções pragmáticas para a vida.

Quando perguntado o que mais importa, os adolescentes norte-americanos disseram priorizar a educação, carreira, amizades e viagens. A fé é importante para eles, mas é preciso primeiro um conjunto de realizações de vida. Entre os adultos, as áreas de importância crescente são o conforto, estilo de vida, sucesso e realizações pessoais. Essas dimensões têm aumentado à custa do investimento em fé e família. O ritmo corrido da sociedade deixa as pessoas com pouco tempo para reflexão. O pensamento profundo que ocorre normalmente refere-se a interesses econômicos. As práticas espirituais como a contemplação, solidão, silêncio e simplicidade são raras. (É irônico que os mais de quatro em cada cinco adultos dizem viver uma vida simples.)

4. Entre os cristãos, o interesse em participar da ação da comunidade é cada vez maior

Os cristãos estão mais abertos e mais envolvidos em atividades de serviço comunitário do que no passado recente. No entanto, conforme alerta a matéria, apesar dessa tendência, as igrejas correm o risco desse engajamento diminuir, a menos que abracem uma base espiritual muito forte para tal serviço, e não por estímulo momentâneo.

5. A insistência pós-moderna de tolerância é de conquistar a Igreja Cristã

O analfabetismo bíblico e a falta de confiança espiritual fez com que os americanos evitassem  escolhas baseadas  na exigências bíblicas, com medo de serem rotulados de julgadores (ou preconceituosos). O resultado é uma Igreja que se tornou tolerante com uma vasta gama de comportamentos moralmente e espiritualmente duvidosos. A idéia de amor foi redefinido para significar a ausência de conflito e confronto, como se não existem absolutos morais que vale a pena lutar. Isso não pode ser surpreendente em uma Igreja na qual uma minoria acredita que existe uma moral absoluta ditada pelas escrituras.

6. A influência do cristianismo na cultura e na vida individual é praticamente invisível

O cristianismo é sem dúvida a cosmovisão  que mais influenciou a cultura americana do que qualquer outra religião, filosofia ou ideologia. No entanto, isso não tem corrido nos últimos tempos.

Fonte: Gospel Prime

Com informações Como Viveremos e Barna Group

%d blogueiros gostam disto: