Posts tagged ‘Africanos’

17/10/2012

Perseguição contra cristãos aumentou 309% na última década


Perseguição contra cristãos aumentou 309% na última décadaO Relatório sobre a Liberdade Religiosa no Mundo, divulgado nesta terça-feira (16), indica que cerca de 350 milhões de cristãos em todo o mundo sofrem algum tipo de perseguição ou discriminação.

Os ataques contra cristãos aumentaram 309% entre 2001 e 2010, segundo o estudo apresentado pela organização Ajuda à Igreja que Sofre (AIS).

Este documento é relevante para analisar a violação deste direito fundamental em mais de 196 países. O diretor do escritório da AIS na Espanha, Javier Menendez Ros, disse que “a falta de liberdade religiosa e as ameaças só aumentaram”.

As nações do Oriente Médio, especialmente as que passaram pela “primavera árabe” são as que representam as maiores ameaças para os cristãos.

“No Egito, Tunísia e Líbia a insegurança dos cristãos aumentou ainda mais”, disse Menendez. Além disso, sofrem com o problema países africanos como Quênia, Mali, Nigéria, Chade e Sudão, especialmente depois da radicalização do Islã.

A China também é parte dessa longa lista de países onde cresce a discriminação religiosa. É “um país que preocupa”, pois o governo tem um “controle global” dos membros da igreja, explica Javier Ros. Em 133 dos 196 países analisados pelo estudo, piorou o direito à liberdade religiosa, de acordo com o relatório.

Ainda segundo a AIS, 75% da perseguição religiosa nos dias de hoje é contra as comunidades cristãs.

Traduzido de ABC Es

24/12/2011

Presidente da África do Sul culpa cristianismo por trazer males ao país


Presidente da África do Sul culpa cristianismo por trazer males ao país

Segundo jornais sul-africanos, o presidente Jacob Zuma culpou o cristianismo “por muitos dos males que hoje afetam a África” durante um discurso proferido em KwaZulu-Natal. O objetivo do discurso era alertar a população para a segurança rodoviária, na época do ano em que centenas de sul-africanos morrem nas estradas do país.

“Como africanos, muito antes da chegada dessa religião, nós tínhamos a nossa forma de fazer as coisas. Eram os tempos a que as pessoas religiosas chamam de ‘idade das trevas’ mas sabemos que naqueles tempos não havia órfãos, orfanatos nem lares de idosos. Foi o cristianismo que trouxe essas coisas para cá “, disse Zuma.

O presidente sul-africano pertence ao partido que está no poder desde 1994, o ANC (Congresso Nacional Africano). Zuma exortou os presentes a “voltarem a fazer as coisas à maneira antiga” porque, segundo ele, a modernidade tem sido nociva para a sociedade.

Como exemplo, Jacob Zuma citou a legislação que proíbe os castigos corporais das crianças, afirmando que por causa das leis em vigor, os pais não podem educar os filhos como querem.

“Apesar de não poder culpar as leis, não consigo ser diplomático sobre essa questão. Isso é fato”, concluiu o presidente.

Apesar deste  discurso recente, Zuma e vários outros dirigentes do ANC têm utilizado o cristianismo para promover o partido e os seus princípios em várias campanhas eleitorais e fora delas. O maior líder do ANC foi Nelson Mandela, que é de família metodista

Curiosamente, em 2007, Zuma foi ordenado “pastor honorário” pela assembleia geral das Igrejas pentecostais Independentes, na cidade de Durban, e frequentemente fala nos púlpitos de várias igrejas sul-africanas.

Antes das eleições de 2009, ele foi muito criticado por ter dito: “só quem votar no ANC vai para o céu quando morrer”. Zuma já afirmou também que “o ANC governará a África do Sul até Jesus Cristo voltar à terra”, o que rendeu-lhe críticas de vários setores da sociedade.

Depois de culpar a religião cristã nesse discurso mais recente, vários pastores lembram que  em 2008, quando era candidato a presidente, Zuma disse numa encontro com líderes religiosos que “a África do Sul é um país baseado nas regras e nos princípios de Deus. Quando nós (depois de eleitos) assumimos o governo, levantamos a mão direita e pedimos ‘que Deus nos ajude’. Penso que ninguém pode negar que a África do Sul se baseia nos princípios de Deus”.

O líder do partido do presidente, Mathole Motshekga, afirmou em comunicado que os comentários de Zuma foram mal interpretados. “O jornalismo irresponsável sempre encontrará uma forma criativa de enganar, e, neste caso, inexplicavelmente viu um ataque ao cristianismo em afirmação perfeitamente claras do presidente”, disse ele.

Motshekga disse uma distinção precisa ser feita entre “o cristianismo como fé” e “as nefastas atividades missionárias que trouxeram sofrimentos ao nosso povo”. Ele lembrou, por exemplo, que a colonização da África do Sul foi ajudada por algumas “empresas missionárias”, que exploravam o povo usando como “pretexto” o cristianismo e mesmo o apartheid foi praticado “sob o manto do cristianismo”.

“Enquanto a cultura africana, desde tempos imemoriais, ensina as pessoas a cuidar uns dos outros e usar de benevolência para com o próximo, o modo de vida do cristianismo ocidental tolera o princípio de “cada um por si”, afirmou Motshekga. “Isso resultou em pessoas idosas sendo colocadas em lares de idosos e crianças sendo enviadas para orfanatos.”

Fonte:  Gospel Prime de Iol News

14/05/2011

Brasil comemora 123 anos da abolição dos escravos


Brasil comemora 123 anos da abolição dos escravosNesta sexta-feira o Brasil comemora 123 anos da abolição do sistema escravocrata. Poucos sabem, mas foram os evangélicos, especialmente os anglo-saxões, os primeiros a conseguir a abolição da escravatura no Ocidente, lutando sozinhos contra todas as forças econômicas e políticas da época. E foram essas reformas européias capitaneadas por evangélicos que inspiraram o movimento abolicionista brasileiro.

Este ano é lembrado também pelos 204 anos do início da abolição da escravatura no Ocidente, que começou na Inglaterra e tiveram como alguns de seus grandes nomes o pastor evangélico John Newton e o parlamentar evangélico William Wilberforce, um dos líderes do “Grupo de Clapham”, também chamado pela sociedade da época de “Os Santos”. A abolição da escravatura é uma das mais belas páginas da história da humanidade, e ela foi escrita não pelo iluminismo, mas pelos cristãos evangélicos dos séculos 18 e 19.

Conheça a história

A Inglaterra foi o primeiro país a abolir a escravatura, e um dos nomes dessa conquista foi um pastor chamado John Newton, autor do hino Amazing Grace. A canção está ligada à luta pela abolição da escravatura desde sua origem. Antes de converter-se a Cristo, Newton (1725-1807) fora negociante de escravos, tendo ele próprio sido preso na África e tratado como escravo. Na viagem de regresso à Inglaterra, quando o barco quase naufragava, Newton voltou-se para Deus. Ele chamou o dia de sua conversão de “dia da minha libertação”.

Amazing Grace apresenta o coração de seu autor, que pela graça de Deus deixou de ser um vil comerciante de escravos para ser um servo do Senhor. Várias vezes ele pregou e escreveu contra a escravatura. Foi depois de um de seus sermões que conheceu pessoalmente um jovem recém-convertido a Cristo chamado William Wilberforce (1759-1833), membro da Câmara dos Comuns.

Wilberforce pertencia a uma família nobre da Inglaterra. Ele Estudou em Cambridge, onde decidiu dedicar-se à carreira política. O pastor John Newton tornou-se seu grande conselheiro e inspiração para a gigantesca luta pró-abolicionismo. Gigantesca porque tinham contra si grandes poderes e interesses, inclusive da monarquia.

O jovem político afirmou em discurso no parlamento: “A perversidade do comércio de escravos é tão gigantesca, tão medonha e tão irremediável, que a minha mente está completamente preparada para a abolição. Sejam quais forem as consequências, deste momento em diante, estou resolvido que nunca descansarei até que tenha conseguido a abolição” (extraído do livro 131 Christians Everyone Should Know).

A abolição do tráfico negreiro custou 18 anos da vida de Wilberforce. Seus projetos de lei abolicionistas foram derrotados oito vezes (em 1791, 1792, 1793, 1797, 1798, 1799, 1804 e 1805). Como intimidação, chegou a ser assaltado e surrado duas vezes. A luta ganhou a aderência de grupo de evangélicos, chamados jocosamente pela sociedade inglesa de “os santos”.

Depois de muita oração e perseverança, em 1807, uma maioria de 283 votos contra 16 aprovou a lei da abolição da escravatura proposta por Wilberforce. Ao ser aprovada, todo o congresso britânico aplaudiu de pé o servo de Deus por vários minutos, enquanto ele chorava e louvava a Deus com o rosto entre as mãos. O resultado saiu nove meses antes da morte de John Newton. Por conta da decisão parlamentar, a Grã-Bretanha, que na época era a maior potência mundial, declarou guerra ao tráfico de escravos no mundo. Nem ela e nem ninguém mais poderia traficar escravos. O Brasil, por exemplo, por pressão inglesa, finalmente concordou em abolir o tráfico pela Lei Eusébio de Queirós, em 1850. A lei definitiva foi assinada apenas em 1888.

No Brasil, a causa abolicionista contou com o apoio dos missionários evangélicos europeus e norte-americanos. O primeiro missionário presbiteriano em solo brasileiro, Ashbel Green Simonton, foi um dos grandes arautos do abolicionismo no Brasil. Também o jornal Imprensa Evangélica, que circulou durante o Império, era contra a escravidão.

Fatos históricos como a “abolição” comprovam, como tantos outros, a relevância da fé e dos valores cristãos para a transformação positiva da sociedade.


Edição de Lucas Ricardo / Reportagem especial por Silas Daniel publicada no Mensageiro da Paz 1.46

30/04/2011

Igreja Mundial do Poder de Deus abre templo na África


Igreja Mundial do Poder de Deus abre templo na África Igreja Mundial do Poder de Deus abre templo na África

Desde o mês de janeiro a Igreja Mundial do Poder de Deus tem trabalhado no continente africano com a abertura de um templo na capital da África do Sul.

A igreja de Johanesburgo tem capacidade para receber mil pessoas e realiza diariamente cinco reuniões. Para completar o trabalho local, os obreiros, sob liderança do bispo Jorge Elvas, fazem evangelismo por meio de folhetos e ainda contam com duas horas de programa televisivo para divulgar a IMPD.

A igreja recebe pessoas não apenas da África do Sul mas também da Namibia, Botswana, Lesotho, Swalizandia, Zambia e Zimbabwe, e outros países vizinhos que acompanham os trabalhos da igreja do apostólo Valdemiro Santiago através da televisão. Alguns chegam a atravessar a fronteira e fazer 3 dias de viagem para participarem das reuniões de domingo e de terça-feira.

No site da igreja há a informação de que muitas pessoas estão aceitando a Cristo naquele local e que no mês de março aconteceu o primeiro batismo onde mais de 45 pessoas foram batizadas nas águas.

Fonte: Gospel Prime

12/04/2011

Evangélicos ajudam refugiados africanos na Itália


Evangélicos ajudam refugiados africanos na ItáliaA Aliança Evangélica da Itália lançou um projeto de apoio aos imigrantes que se reuniram na ilha de Lampedusa e outro em um campo de refugiados de Mineo, na Sicília.

A ilha de Lampedusa fica a cerca de 75 milhas da costa da Tunísia e é um ponto de chegada comum para os imigrantes do norte Africano que esperam entrar na Europa. A ilha luta para lidar com o fluxo de migrantes do norte de África que fogem da agitação na região.
Muitos dos 15 mil imigrantes chegaram à tália nos últimos meses foram realocados, mas existem cerca de 6 mil ainda na pequena ilha, muitos deles da tunisianos.

Equipes de voluntários foram enviadas pela Aliança Evangélica para trabalhar ao lado de autoridades locais para facilitar o relacionamento entre a comunidade de refugiados e a população.

Os voluntários também irão distribuir Bíblias e literatura evangélica e testemunhar para os refugiados do amor de Cristo. “Estima-se que mais de 50 mil migrantes virão ao litoral da Itália. Esse é um desafio e uma oportunidade”.

A aliança disse que vai incentivar o esforço conjunto na prestação de ajuda humanitária “na esperança de que Deus vai abrir novas oportunidades Evangelho. Pedimos as orações e cooperação da comunidade evangélica internacional”.


Fonte: Christian Today

02/04/2011

Marco Feliciano justifica declarações no twitter e se diz perseguido por gays


As polêmicas envolvendo o nome do pastor e deputado federal Marco Feliciano estão cada vez mais quentes, após xingar alguns cristãos no twitter e ser o assunto mais comentado por algumas horas, Marco Feliciano iniciou uma discussão sobre a maldição que poderia haver sobre os africanos por serem descendentes de Noé, utilizou passagens bíblicas para embasar seus pensamentos, porém, suas palavras não foram bem recebidas.

Em seu perfil na rede de microblogs, Feliciano disse: “africanos descendem de ancestral amaldiçoado por Noé. Isso é fato. O motivo da maldição é polêmica. Não sejam irresponsáveis twitters rsss”. Em seguida, outra mensagem, afirma que “sobre o continente africano repousa a maldição do paganismo, ocultismo, misérias, doenças oriundas de lá: ebola, Aids. Fome…(sic)”, afirmou Feliciano, que também é empresário.

O Deputado publicou em seu site oficial, uma carta onde esclarece suas declarações e faz denúncias, confira a íntegra:

“Após algumas horas de uma postagem na internet: AFRICANOS DESCENDEM DE ANCESTRAL AMALDIÇOADO POR NOÉ. ISSO É FATO. O MOTIVO DA MALDIÇÃO É A POLÊMICA. NÃO SEJAM IRRESPONSAVEIS TWITTERS rsss Fui alvo de milhares de pedradas, sapatadas, raquetadas, “twittadas”, e ainda virei matéria de midias como UOL, etc.

O que gostaria aqui de explanar, explicar e logo depois DENUNCIAR é algo grotesco e absurdo!

Primeiro a Explanação:

Gn. 9:22-25 – E viu Cão, o pai de Canaã, a nudez do seu pai, e fê-lo saber a ambos seus irmãos no lado de fora. Então tomaram Sem e Jafé uma capa, e puseram-na sobre ambos os seus ombros, e indo virados para trás, cobriram a nudez do seu pai, e os seus rostos estavam virados, de maneira que não viram a nudez do seu pai. E despertou Noé do seu vinho, e soube o que seu filho menor lhe fizera.E disse: Maldito seja Canaã; servo dos servos seja aos seus irmãos.E disse: Bendito seja o SENHOR Deus de Sem; e seja-lhe Canaã por servo. Alargue Deus a Jafé, e habite nas tendas de Sem; e seja-lhe Canaã por escravo..

No texto acima temos a citação biblica onde Noé amaldiçoa o descendente de Cão, ou seja, toda a sua descendencia, pois Canaa era o mais moço. Canaã representa diretamente a descendencia de Cão representando todos os seus filhos.
Gn.10:6 – E os filhos de Cão são: Cuxe, Mizraim, Pute e Canaã.

Acima vemos os filhos de Cão. Entre eles Cuxe. Veja abaixo a citação do Historiador Hebreu:

Flavio Josefo dá conta da nação de Cuxe, filho de Cam e neto de Noé : “Para um dos quatro filhos de Cam, o tempo não para toda a mágoa o nome de Cush; para a Etiópia , sobre o qual reinou, são ainda menos Neste dia, tanto por si e por todos os homens na Ásia , etíopes chamados. “(Antiquities of the Jews 1.6). ( Antiguidades dos Judeus 1,6).

Bem, citando a bíblia e a história, a veracidade sobre a postagem. AFRICANOS DESCENDEM DE CÃO, FILHO DE NOÉ.

Segundo a Explicação:

Como Cristãos, cremos em bençãos e portanto não podemos ignorar as maldições. Recai sobre o homem o peso da lei, toda vez que por ele a lei é quebrada.

Ex.34:7 que conserva sua graça até mil gerações, que perdoa a iniqüidade, a rebeldia e o pecado, mas não tem por inocente o culpado, porque castiga o pecado dos pais nos filhos e nos filhos de seus filhos, até a terceira e a quarta geração”.

Alguns creem que tudo acontece aqui na “horizontal” da existência, tipo, problemas vem por culpa do governo, empresarios, etc. Mas nós cristãos cremos que existem coisas que vem da “vertical”, ou seja, cremos que Deus governa o mundo. E sua palavra não volta atrás.

Todavia, também cremos que toda vez que o homem, a familia, o país, entrega os seus caminhos ao Senhor, toda maldição é quebrada na cruz de Cristo!

Tem ocorrido isso no continente africano. Milhares de africanos, tem devotado sua vida a Deus e por isso o peso da maldição tem sido retirado, afinal esta escrito na palavra de Deus:

Is.10:27 – A unção despedaça o jugo!

Gl. 3:13 – Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro;

Terceiro a DENUNCIA:

Desde o periodo das eleições, quando apresentamos ao povo evangélico as leis que tramitavam na camara, como a Pl. 122, comecei a receber ataques, ameaças, xingamentos, e outras coisas mais que não vale a pena citar aqui. Um dos seus representantes mais atuantes, um parlamentar eleito, ao assumir seu lugar em Brasilia, chamou a imprensa e declarou guerra a bancada evangélica. Sou o Deputado Evangélico mais votado do País. Dai seus tiros contra mim, através dos seus asseclas que ficam no twitter a espreita, procurando alguem que possam denegrir. No twitter existe um grupo de homoafetivos que deturpam tudo o que digo, e dessa vez foram longe demais! Esparramando pela midia uma matéria esdruxula! Ja fui entrevistado hoje por muitos jornalistas, alguns sensibilizados por compreenderem do que se trata, outros irritados ja me chamando de HOMOFÓBICO E RACISTA.

Alerta a comunidade evangélica! Estamos sob fogo cruzado! E é preciso uma ação coletiva de repudio a esses ataques e a essas infames insinuações, pois isso pode provocar o ódio, a cólera, a ira, e sabe Deus o que mais.

Recebi uma mensagem de ameaça de morte dizendo que estou na lista ao lado de pastores como Silas Malafaia e outros.

Conclamo a Mídia Cristã responsável, pois existem tambem no nosso meio cristão uma MIDIA MARROM, inescrupulosa, baixa, irresponsável e leviana, que se alimenta de especulações e fofocagens! Nesse momento não é o meu nome que está em jogo, nesse momento estão em jogo comigo MILHÕES DE CRISTÃOS QUE LUTAM PELA FAMILIA ASSIM COMO EU.

Que fique bem claro aqui de uma vez por todas, NAO SOU HOMOFÓBICO. O que as pessoas fazem nos seus quartos não é do meu interesse. Sou contra a promiscuidade que fere os olhos de nossos filhos, quer seja na rua, nos impressos, na net ou na TV. Respeito o ser humano, mas tenho o direito de ser repeitado também! NÃO SOU RACISTA! Sou Brasileiro com um sangue miscigenado, por africanos, indios e europeus. SOU CRISTÃO sim Senhor.

Peço oração a todo o povo cristão brasileiro, os que lutam pela familia, os que amam ao Senhor, e os que me conhecem há tempos, e sabem que como todo brasileiro sou afro-descedente. Auxilío missionários no continente africano com sustento. E ja estive por lá e bem sei da luta daquele sofrido povo. E oro por eles!

Um abraço fraterno naquele que quebrou todas as maldições, Jesus o Senhor!

Agradeço a toda mídia brasileira pelo respeito e apreço.

Pr. Marco Feliciano

Deputado Federal PSC-SP”

Fonte: Gospel Prime

17/03/2011

Ester Bezerra, esposa do Bispo Edir Macedo, recebe homenagem de mulheres africanas


A Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) mantém, desde 2009, um grupo chamado Sisterhood, que tem como integrantes jovens entre 14 e 30 anos. Elas recebem ensinamentos espirituais, com o objetivo de formar meninas e mulheres de Deus exemplares.

Recentemente, em Joanesburgo, na África, integrantes do grupo realizaram a premiação anual das jovens que se destacaram durante todo o ano. O evento foi marcado por uma homenagem à escritora Ester Bezerra , pelo exemplo e trajetória de esposa, mãe e mulher, que desempenha ao lado do marido e fundador da IURD, bispo Edir Macedo.

A responsável pelo grupo Sisterhood no país, a big sister Donna Onwubiko, em discurso, agradeceu pela diferença que a escritora faz na vida de tantas mulheres, através do seu exemplo de vida.

A filha, Cristiane Cardoso, reconheceu a importância da mãe na vida dela e das outras pessoas, por meio de uma homenagem em seu blog:

“Minha mãe é o tipo de mulher que adora apreciar. Ela aprecia o meu pai, minha irmã, meu irmão e eu, seus filhos de lei, o neto, nossos amigos, nosso trabalho, nosso tempo, nossos olhares, nossas casas, nossas agendas, nossos sonhos e nossa fé. Ela ama comprar nossas roupas e dizer ‘eu te amo, você é linda’”.

Cristiane Cardoso, idealizadora do projeto Sisterhood, tem desempenhado um papel importante na vida de muitas meninas em todo o mundo, resgatando a essência feminina em cada uma delas.

A jovem Rebeca Rocha recebeu ensinamentos e orientações, alcançando a mudança de vida. “Quando olho para trás e lembro-me de como eu era, fico chocada. Eu tinha fé e boa intenção no meu coração, mas me faltava a instrução e a disciplina. Hoje me sinto diferente e abençoada”, relata.

O projeto também visa formar crianças de 3 a 12 anos em meninas de Deus exemplares. No Pré-sisterhood (foto abaixo), as pequenas aprendem a realizar tarefas diárias, como ajudar os pais nos afazeres domésticos e estudar, sempre colocando Deus como prioridade na vida delas.

Cristiane explica o motivo pelo qual decidiu criar o grupo: “Diante de tantas mensagens conflitantes que as crianças recebem no dia a dia, principalmente através de programas de tevê, o grupo Pré-sisterhood ensina como essas meninas podem se tornar mulheres de fé, de uma maneira divertida, por meio de tarefas simples, que proporcionam disciplina, educação, respeito e espiritualidade.”

Fonte: Arca universal

 

19/12/2010

Africanos deixam de se alimentar para enviar missionário


Africanos deixam de se alimentar para enviar missionário Centenas de cristãos africanos estão prontos para ingressar no campo missionário. Mas infelizmente, muitos deles não têm recursos para fazê-lo.

Um missionário da Zâmbia ouviu o chamado de Deus para ministrar aos muçulmanos na Tanzânia. Ele precisaria de US$ 500 para pagar algumas taxas, que incluía uma bicicleta, um colchão, e cerca de US$ 50 por mês para as despesas.

A igreja é animada, composta principalmente de camponeses que vivem com menos de 1 dólar por dia. E é ela que mantém e apoia o missionário no campo.

Determinado a enviar um missionário para o campo, a congregação decidiu vender roupas e deixar de fazer a terceira refeição dos dias. Depois de algumas semanas, eles foram finalmente capazes de enviar o irmão no campo.

Essa história representa o desejo de centenas de pessoas em toda a África de difundir o Evangelho pelo mundo. Os africanos têm a características de ser apaixonado e disposto a ir aonde Deus quer levá-los.

A Missão Operação Mobilização (OM) conta que muitos missionários e ministérios utilizam técnicas inovadoras no evangelismo, como um homem que ensinou comunidades pobres a cultivar a terra e paralelamente ele falava sobre o amor de Jesus.

O ministério espera enviar 150 missionários indígenas para vários países da África em 2011. Nos próximos 10 anos, o objetivo é enviar 5 mil. Milhares de pessoas estão à espera para ouvir o Evangelho, e outras milhares estão prontas para compartilhá-lo. Elas só precisam de recursos.

Fonte: MNN / CPAD News

%d blogueiros gostam disto: