Posts tagged ‘Alcorão’

13/09/2013

Pastor americano é preso antes de queimar 3.000 exemplares do Alcorão


Pastor americano é preso antes de queimar 3.000 exemplares do Alcorão

Pastor americano é preso antes de queimar 3.000 exemplares do Alcorão

Terry Jones, de 61 anos, foi detido em Mulberry, perto de Tampa, Flórida, e enfrenta acusações de transporte ilegal de combustível e porte de arma de fogo, segundo o jornal Orlando Sentinel.

No momento da detenção, Jones dirigia uma caminhonete que transportava uma churrasqueira repleta de exemplares do Alcorão molhados com querosene.

Também transportava garrafas adicionais do combustível, destaca o jornal.

O plano de Jones era queimar em público o livro sagrado dos muçulmanos na data do aniversário dos atentados de 11/9 e em um momento de grande tensão no Oriente Médio pelo conflito na Síria.

Segundo o site do pastor, ele tinha planos de queimar na quarta-feira 2.998 exemplares do Alcorão em Tampa Bay, uma referência ao número de vítimas do 11/9.

Jones ameaçou em 2010 executar um ato similar, o que provocou muita indignação tanto dentro como fora dos Estados Unidos, mas depois desistiu do plano.

Em 2011, no entanto, o pastor queimou o Alcorão e no ano seguinte promoveu um filme anti-islâmico. Os três incidentes provocaram atos de violência no Oriente Médio e Afeganistão.

Informações AFP

27/04/2011

Igreja nos EUA doará exemplares do Alcorão em resposta ao pastor Terry Jones


Igreja nos EUA doará exemplares do Alcorão em resposta ao pastor Terry Jones A Igreja Presbiteriana de Wasatch, do Estado americano de Utah, resolveu se desculpar pelas atitudes de Terry Jones oferecendo cópias gratuitas do Corão, o livro sagrado do Islã.

Foram encomendados  50 cópias para serem distribuídas em uma livraria da cidade a partir desta segunda-feira, 25. “Não estamos promovendo o Islã”, disse o pastor da igreja, Scott Dalgarno.

De acordo com ele cada exemplar virá com um marcador de página que informa que o livro foi doado pela igreja local, que “não teme a verdade, não importando onde ela for encontrada”.

Dalgarno disse que já recebeu respostas negativas em relação às doações dos exemplares do livro, mas afirma que faria o mesmo por outras religiões.

“Se alguém em Salt Lake [capital de Utah] queimasse uma cópia do Livro dos Mórmons, nós provavelmente faríamos a mesma coisa. Nós compraríamos cópias do livro e diríamos para as pessoas lerem e se informarem”.

As doações são uma resposta ao pastor Terry Jones, líder de uma igreja fundamentalista cristã em Gainesville, no Estado da Flórida, que ateou fogo a um exemplar do Corão em março.

A atitude do pastor provocou a revolta de muçulmanos no Afeganistão, onde mais de 20 pessoas foram mortas.

Fonte: Gospel Prime

11/04/2011

Padre diz que hackers estão em missão de Deus


Em um artigo publicado na revista Cività Cattolica, o padre Antonio Spadaro elogia a “cultura hacker”, open source e wikis, dizendo que aqueles que estão dedicados à codificação, modificação de hardware e geração de conhecimento estão “em uma missão de Deus”.

O religioso faz questão de lembrar a diferença entre hackers e crackers para estabelecer paralelos entre a ética hacker e os ensinamentos cristãos: “hackers constroem coisas e crackers as destroem”.

“A filosofia hacker é descontraída mas comprometida, estimula a criatividade e ao compartilhamento, opondo-se aos modelos de controle, concorrência e propriedade privada”, diz Spadaro.

Por esse motivo o clérigo afirma que programar é “uma forma de participação no trabalho de Deus em criar o mundo”, e completa dizendo que “sob o fogo estão o controle, a concorrência e a propriedade. É uma visão de uma origem teológica clara”.

O religioso também faz  elogios ao modelo de compartilhamento de conhecimento da Wikipedia, “rede intelectual que foi capaz de transformar a própria ideia de produção cultural”. Em suas palavras, “estima-se que para criar a maior enciclopedia colaborativa da internet foram gastas 100 milhões de horas de trabalho intelectual, o que é o equivalente ao tempo que os cidadãos dos Estados Unidos gastam vendo publicidade na TV em um único final de semana”.

O artigo foi publicado na última edição da revista quinzenal Civiltà Cattolica, editada por padres jesuítas desde 1850 sendo uma publicação semi-oficial do Vaticano.

Com informações Tecnoblog

09/04/2011

Queimar Alcorão é como crucificar Jesus Cristo, afirma John Piper


O altamente respeitado pastor evangélico John Piper fez um comentário surpreendente ainda perspicaz terça-feira quando ele comparou a queima do livro sagrado islâmico com a crucificação de Cristo.

Seu comentário vem em meio a relatos de que pelo menos 24 pessoas morreram, inclusive sete funcionários das Nações Unidas, no Afeganistão, desde sexta-feira por causa da queima do Alcorão por um pastor da Flórida, em março.

Para ajudar a explicar a fúria violenta dos Muçulmanos pela queima do Alcorão, Piper citou escrita do estudioso britânico Andrew Walls, fundador do Centro para o Estudo do Cristianismo no mundo não-ocidental, em seu livro The Cross-Cultural Process in Christian History (Processo Transcultural na História do Cristianismo).

No livro, Walls destacou que a diferença entre o Islã e o Cristianismo é que uma é facilmente traduzível, enquanto a outra resiste à tradução.

“Absolutos islâmicos são fixos em uma determinada língua, e nas condições de um determinado período da história humana. A Palavra divina, é o Alcorão, fixo no céu para sempre em árabe, a língua da revelação original,” escreveu Walls. “Para os Cristãos, no entanto, a Palavra divina é traduzível, infinitamente traduzível.

“Muito do mal-entendido entre Cristãos e Muçulmanos, surgiu a partir do pressuposto de que o Alcorão é para os Muçulmanos o que a Bíblia é para os Cristãos,” escreveu o Walls, que foi um dos primeiros estudiosos a estudar a mudança global da Igreja longe do Ocidente. “Seria mais correto dizer que o Alcorão é para os Muçulmanos que Cristo é para os Cristãos.”

Piper concluiu que o paralelo entre o Cristianismo e o Islã não é Cristo para profeta Maomé e Alcorão para a Bíblia. Pelo contrário, o paralelo é entre Alcorão e Cristo.

“O Alcorão é no Islã o que a encarnação de Cristo é para o Cristianismo,” afirmou Piper em seu blog no site Desiring God. “Se isto é assim, então a queima do Alcorão é paralela à crucificação de Cristo.”

A violência atual do Afeganistão relacionada com o Alcorão foi despertado quando o pastor da Flórida, Terry Jones e pregador Wayne Sapp colocou o livro sagrado islâmico em um julgamento simulado em 20 de março e achou-o “culpado de causar estupro, assassinato e terrorismo.” Como castigo, o Alcorão foi queimado.

Houve intencionalmente pouca cobertura da mídia nos EUA sobre a queima do Alcorão. Mas a notícia da profanação do livro sagrado islâmico logo chegou ao Afeganistão e Paquistão pela internet. O presidente afegão Hamid Karzai manifestou-se contra a queima do Alcorão e pediu ao governo dos EUA para processar os responsáveis. Oito dias depois de Karzai, condenou a queima Alcorão como “desrespeitosa e abominável,” protestos violentos eclodiram.

Em 01 de abril, centenas de afegãos irritados marcharam para a sede da missão da ONU no norte da cidade de Mazar-i-Sharif, após as orações de sexta-feira e atacaram os guardas e incendiaram a embaixada. Quase uma semana depois, os protestos continuaram em erupção no Afeganistão pelo que dois pregadores norte-americanos fizeram com o Alcorão.

Piper em seu blog sustentou que a queima do Alcorão não é o equivalente moral do assassinato de seres humanos. Mas ele observou que a compreensão do paralelo entre o cristianismo e o islamismo ajuda a explicar por que os Muçulmanos estão tão indignados.

No entanto, o pastor Minnesota também apontou a diferença entre a forma como o Islã e o Cristianismo ensinam os seus seguidores a reagir quando o Alcorão é profanado ou Cristo é crucificado. Mesmo quando Jesus enfrentou a crucificação, ele condenou a violência. Jesus repreendeu um de seus seguidores por usar a espada (Mateus 26:52), curou a orelha do inimigo que foi cortada (Lucas 22:51), orou para o perdão de quem o matou (Lucas 23:34), e ensinou seus discípulos a amar os seus inimigos (Lucas 6:27), apontou Piper.

“Assim, o Alcorão foi queimado e Cristo foi crucificado – e continua a ser crucificado,” Piper escreveu. “A prova está na resposta.”

Fonte: The Christian Post

 

05/04/2011

Número de mortos sobe no Afeganistão após a queima do Corão


Número de mortos sobe no Afeganistão após a queima do CorãoDois policiais foram mortos e 30 pessoas ficaram feridas em protestos violentos em Kandahar, no domingo (3). Em Jalalabad, manifestantes furiosos queimaram uma efígie do presidente dos EUA, Barack Obama.

Segue-se ao massacre de sete funcionários da ONU, um ataque a um composto em Mazar-i-Sharif, na sexta-feira.

Pelo menos 24 pessoas já morreram vítimas da violência ligada à queima do Alcorão que aconteceu no último mês, durante um julgamento simulado na igreja, em Gainesville, na Flórida.

O Alcorão foi incendiado pelo pastor Wayne Sapp sob a supervisão de Jones, que ganhou notoriedade internacional no ano passado, quando ameaçou queimar um exemplar do livro sagrado no aniversário do atentado de 11 de setembro.

Apesar das mortes e protestos internacionais, Jones não pede desculpas sobre o ocorrido em sua igreja e não tem planos para cancelar um protesto em frente a uma mesquita em Michigan, no dia 22 de abril.

“Nosso objetivo é fazer uma tomada de consciência sobre o elemento radical do Islã. Obviamente, é terrível que a qualquer momento as pessoas podem ser assassinadas. Eu acho que, por outro lado, isso mostra de novo o elemento radical do Islã”, disse ele.

A queima Corão e a violência subsequente foram condenados pelo presidente dos EUA, Barack Obama.

“A profanação de qualquer texto sagrado, incluindo o Corão, é um ato de extrema intolerância e preconceito”, disse ele em um comunicado divulgado pela Casa Branca.

“No entanto, atacar e matar pessoas inocentes em resposta é ultrajante e uma afronta à dignidade da decência humana”, completa.

A Aliança Evangélica Mundial, também condenou tanto a ação da igreja, com as respostas violentas.

“Não importa o quanto estamos em desacordo e abominamos as ações de [Terry] Jones, mas responder com a violência nunca pode ser justificado”, disse Geoff Tunnicliffe, diretor-executivo e secretário-geral da Aliança Evangélica Mundial.

A Aliança pediu aos líderes muçulmanos para exigirem fim à violência e “explicarem … que as ações desse grupo extremista minúsculo que queimou o Alcorão são absolutamente condenadas pelos cristãos a nível mundial”.

Fonte: Christian Today / CPAD News

04/04/2011

Terry Jones não se sente culpado pelas mortes no escritório da ONU


O pastor Terry Jones se pronunciou nessa sexta-feira, 01, dizendo que não se sente culpado pela morte de 12 pessoas vítimas do ataque de um grupo afegão que invadiu o escritório da ONU em Mazar-i-Sharif protestando a queima do Alcorão praticado por ele em um culto no final o mês de março.

Ele disse apenas que ficou “aflito com a notícia”, mas que não sente responsabilidade alguma pelo ataque de manifestantes ao escritório da ONU no Afeganistão. “Não nos sentimos responsáveis”, acrescentou o pastor evangélico, acusando “os elementos radicais do Islã de procurar uma desculpa para justificar sua violência”.

O grupo fez uma declaração exigindo que o governo afegão “corte qualquer ligação diplomática com os Estados Unidos se o pastor que queimou o Corão não for julgado”.

Fonte: Gospel Prime

04/04/2011

Declamador oficial do Alcorão no Irã aceita a Jesus. Confira o testemunho


Haik Hovsepian (martirizado em 1994) uma vez pregou um sermão com o título “Salvação ou religião”. Essa foi uma mensagem muito poderosa, que tratou sobre cinco diferenças entre religião e a salvação em Cristo. A gravação foi amplamente distribuída no Irã. Uma das pessoas que, recentemente, teve acesso a uma dessas fitas é um declamador oficial do Alcorão. Ele tem uma voz muito forte, e foi convidado diversas vezes para ler passagens do Alcorão em diferentes mesquitas no Irã. Ele também recitava sobre a vida dos Imams (descendentes de Maomé). Ele era uma pessoa muito religiosa.

Quando ele recebeu a fita com o sermão de Haik, percebeu que somente através da religião ele não poderia ser salvo. Ele estava preso a alguns pecados imorais como alcoolismo e adultério, e era uma pessoa com o temperamento muito difícil. Quando ouviu sobre a diferença entre a religião e a salvação em Jesus, o Espírito Santo falou ao seu coração. Ele foi tocado pela mensagem, e escutou a fita mais algumas vezes.

Então, ele se sentiu mais convencido de que precisava da salvação em Jesus e entregou sua vida ao Senhor. Daquele momento em diante, ele não apenas ficou livre de seus pecados, mas também da religião com a qual ele se identificava tanto.

Após essa experiência, ele ficou muito feliz. No passado, ele usava camisas pretas, e seu trabalho era fazer as pessoas nas mesquitas chorarem. Mas depois de receber Jesus em sua vida, até as cores de suas roupas ficaram mais claras! Agora, ele usa sua voz para louvar ao Senhor e compartilhar sobre Jesus em todos os lugares.

Como ele era uma pessoa muito conhecida entre os líderes religiosos muçulmanos e muitas outras pessoas, em uma noite, a polícia secreta bateu em sua porta e o levou. Duas semanas depois, eles o libertaram da prisão sob fiança, para aguardar até o momento de seu julgamento. Ele teve que pegar metade do dinheiro emprestado de seus parentes, porque ele não tinha dólares o bastante em suas economias. Ele havia perdido seu emprego como declamador do Alcorão, e não tem nenhuma fonte de renda, então está muito difícil para ele se sustentar e pagar o empréstimo para sua família.

Pedidos de oração

– Ore para que ele consiga arranjar um emprego, para poder pagar a dívida para sua família e viver de modo digno.

– Ore por segurança, para que as pessoas que o conheciam como muçulmano e agora sabem que ele é cristão não o forcem a deixar sua nova fé em troca de dinheiro.

– Louve a Deus pela fé desse irmão e peça para que ele continue firme no caminho de Cristo, falando sobre Seu amor e a verdadeira salvação.

Fonte: Missão Portas Abertas

03/04/2011

Afegãos matam 12 pessoas em protesto ao pastor que queimou o Alcorão


Em protesto pela queima do Alcorão nos Estados Unidos manifestantes iraquianos invadiram o prédio da ONU nessa sexta-feira e mataram 12 pessoas.

A ação aconteceu na cidade de Mazar-i-Sharif quando um grupo de afegãos resolveu reagir contra a atitude do pastor Terry Jones que queimou um exemplar do Alcorão durante o culto do dia 21 de março. A atitude do pastor queria condenar o livro sagrado dos mulçumanos como punição pela morte de centenas de pessoas no dia 11 de setembro de 2001.

Revoltados com o que o pastor fez, o grupo invadiu o prédio da Organização das Nações Unidas, retirou os guardas do complexo, escalou paredes e derrubou uma torre de vigilância. Dois dos estrangeiros mortos foram decapitados, mas apesar da violência nenhum nacional afegão ficou ferido.

Um porta-voz da ONU disse que o ataque não fará com que a entidade deixe o Afeganistão. “Nós precisamos garantir a segurança de nossos colegas em Mazar-i-Sharif. Não é uma questão de sair. A ONU está aqui para ficar”, disse Kieran Dwyer.

O principal diplomata da ONU no Afeganistão, Staffan De Mistura, viajou para Mazar-i-Sharif para cuidar pessoalmente da situação. O russo que chefia a missão na cidade, Pavel Yershov, foi ferido no ataque e está hospitalizado, segundo a TV estatal da Rússia.

Também houve manifestações contra o ato do pastor em outras cidades. Em Heart, no oeste afegão, milhares de pessoas saíram às ruas e outras cerca de 200 em Cabul, mas não houve violência nessas manifestações.

Fonte: Gospel Prime

02/04/2011

Cristãos paquistaneses sofrem após pastor queimar Alcorão nos EUA


Cristãos paquistaneses sofrem após pastor queimar Alcorão nos EUA O polemico pastor Terry Jones causou uma crise diplomática no ano passado com seus planos de queimar um Alcorão em sua igreja no aniversário do atentado de 11 de setembro.

Após os protestos de líderes políticos e religiosos em todo o mundo, o pastor desistiu no último minuto e prometeu que não iria mais queimar o livro.

No entanto, o Terry Jones realizou uma simulação de julgamento com sentença de “execução” de um Corão em sua pequena igreja, em Gainesville, Flórida, no mês passado.  O Corão foi julgado “culpado” e incendiado por membros da igreja do pastor Wayne Sapp, sob supervisão de Jones.

O ato gerou protestos por muçulmanos no Paquistão, em que eles queimaram a bandeira americana e gritaram slogans contra os EUA.

Na semana passada, uma igreja no Paquistão, em Wah Cantt, foi atacada por um grupo de muçulmanos que tentaram quebrar a porta da frente e atearam fogo no edifício, depois fugiram do local, segundo Spero News.

O pastor da igreja, Yousaf, disse: “Esta é uma reação à ‘profanação’ do Corão que aconteceu na Flórida. Embora a Igreja ter condenado oficialmente o incidente, e também termos exibido um banner fora da igreja condenando o incidente, ainda assim as pessoas inocentes estão enfrentando as consequências.”

Wah Cantt é localizada perto de uma fábrica de munição que fica dentro de uma área com forte presença militar e barreiras nos pontos de entrada.

O ataque levantou dúvidas sobre a segurança dos cristãos no Paquistão, que estão temendo por suas vidas após os recentes assassinatos de Punjab, o governador Salman Taseer e ministro das Minorias Shahbaz Bhatti.

Taseer foi morto por seu próprio guarda-costas, fazendo com que muitos cristãos no Paquistão questionassem a integridade da polícia.

Segundo Spero News, igrejas na área de Wah Cantt foram aconselhadas pela polícia a instalar câmeras de segurança e contratar seguranças cristãos.

O Bispo de Islamabad e Rawalpindi, Rufin Anthony, pediu à polícia que prendam os agressores.

“Condenamos o ataque. Tínhamos condenado oficialmente a atitude de Terry Jones na Flórida. Somos cristãos paquistaneses, e não americanos “, disse ele.

Nasir Saeed, o coordenador do Centro de Assistência Jurídica de Resolução no Reino Unido, uma instituição de caridade que presta apoio jurídico gratuito para os cristãos no Paquistão, concordou que o ataque na igreja foi uma conseqüência direta das ações de Terry Jones.

“Todas as ações do Ocidente que são contra o Islã – ou mesmo interpretadas dessa forma – inevitavelmente levam as pessoas inocentes a pagarem as piores conseqüências possíveis, especialmente os cristãos, que vivem em países de maioria muçulmana”, disse ele.

“Tememos que esse sentimento de vingança para com os cristãos no Paquistão possa agora aumentar e levar à mortes e destruição de nossos lugares de culto”, desabafa.

Ele conclamou o governo paquistanês a tomar medidas para parar a matança de cristãos e os ataques a suas igrejas.

“Instamos o governo do Paquistão a tomar as medidas adequadas e assegurar que as igrejas e outros lugares de culto estejam protegidos”, diz.

Esta já é a segunda igreja a ser atacada em questão de semanas. Dois cristãos foram mortos no mês passado quando um grupo de jovens muçulmanos abriram fogo contra uma congregação durante uma reunião de oração em uma igreja do Exército de Salvação, em Hoor Camp.

As vítimas foram um pai de quatro crianças, de 47 anos de idade, e um jovem recém-casado de 21 anos.

Fonte: Christian Today / CPAD News

23/03/2011

Após várias promessas, pastor Terry Jones queima Alcorão


Terry Jones causou reações diversas no ano passado quando foi noticiado de que ele queimaria o livro sagrado dos mulçumanos. Diante das reações Jones desistiu do ato, mas nos últimos dias voltou atrás e ateou fogo em um exemplar do Alcorão.

Na noite de domingo, o polêmico pastor líder  de uma igreja de Gainesville, Flórida, programou uma espécie de julgamento dentro de sua igreja, sendo que o réu era o livro sagrado para os mulçumanos. A congregação declarou o Alcorão culpado de várias acusações, entre elas assassinato. Em seguida a pena foi executada: o exemplar foi queimado.

Os jornais internacionais relataram que o livro foi molhado com querosene e colocado em um recipiente de metal no centro do templo da igreja “Dove World Outreach Center”. O exemplar queimou por 10 minutos.
“Tentamos dar ao mundo muçulmano uma oportunidade de defesa de seu livro”, disse o pastor Terry Jones.

Os planos de Jones era queimar os exemplares do Alcorão em sua igreja no aniversário dos atentados terroristas de 11 de setembro nos Estados Unidos. Após as fortes reações no mundo muçulmano e das críticas de líderes internacionais, incluindo o presidente americano Barack Obama, Jones desistiu da ideia e afirmou que nunca mais voltaria a tentar queimar um Alcorão.

Fonte: Gospel Prime / UOL

%d blogueiros gostam disto: