Posts tagged ‘Amor & Sexo’

23/12/2011

Casamento está nos planos de Deus para sua vida!


Casamento está nos planos de Deus para sua vida!

A reportagem mostrava um estudo publicado no periódico Family Relations, dos Estados Unidos. Nele, 67% dos jovens, que dividem o mesmo teto, temem as consequências legais, sociais, emocionais e econômicas de uma separação.

O estudo apontou ainda que, para aqueles que moram juntos, o casamento é visto apenas como um “pedaço de papel” e consideram que dividir o mesmo teto torna a relação praticamente idêntica ao casamento.

Muitas pessoas dizem que casar está fora de moda, mas outras tantas discordam. Segundo o IBGE, em 2010, foram registrados 977.620 casamentos no Brasil. Um aumento de 4,5% no total de casamentos em relação ao ano de 2009. O Rio de Janeiro foi o estado com a menor proporção de casamentos entre solteiros (76,7%) e o Piauí com maior proporção (92,9%).

Encontrar uma pessoa para um relacionamento duradouro é uma tarefa não muito fácil, principalmente nos dias atuais, quando a visão sobre o verdadeiro amor vem sendo deturpada.  “A mídia passou a propagar um modelo de amor irreal que envolve uma forte atração e desejo sexual. Esse modelo de amor propagado nos filmes e novelas é aquele amor, que, geralmente, de repente e termina de forma abrupta”, afirma o pastor e psicólogo Jamiel Lopes.

Segundo o pastor muitos jovens cristãos, influenciados pela mídia, não sabem diferenciar o verdadeiro amor da paixão. Essa é a razão pela qual muitas pessoas só procuram beleza exterior, e nada de conteúdo. “O amor verdadeiro sempre existirá. O amor é um atributo de divino repartido aos homens. Aprendemos a amar porque Deus nos amou primeiro”, explica.

Em um artigo escrito pela jornalista Eveline Ventura, autora dos livros “Só para Meninas” e “Só para meninas Apaixonadas”, ela alerta os jovens que o casamento deve ser pautado no amor e enumera os motivos errados para se casar. A autora diz que, em muitos casos, a intenção pode até ser romântica, mas motivação nem sempre é a correta.

Três motivos errados para se casar:

1) O interesse em manter relação sexual sem culpa;

2) A vontade de sair de casa;

3) A ambição de galgar cargos eclesiásticos na igreja.

Por Ivan Carlos
Fonte: CPAD News

19/03/2011

Sex Shop, Fantasias Sexuais, Deus e meu casamento


O apetite sexual faz parte da vida de um casal seja ele cristão ou não. Com sol, com chuva, não importa a estação, o sexo é o item necessário e importante dentro da relação e as barreiras para encontrar satisfação e alimentar o apetite desabam a cada dia:  As pesquisas sinalizam, a mídia incrementa, os produtos estimulam. 

E no meio de tanta informação, tanta tentação e muitas dúvidas – visto que o assunto SEXO continua sendo evitado e pouco explorado pelos pastores e igrejas – casais cristãos buscam dentro de princípios cristãos, fidelidade com o cônjuge e ética administrar seus desejos e as inúmeras possibilidades que existem para satisfazer a sua vida sexual.

Em 2010, a americana cristã Joy Wilson causou muita polêmica ao criar um sex shop voltado para público cristão.  Insatisfeita com os produtos eróticos oferecidos no mercado por considerá-los pornográficos, Joy resolveu criar a sua própria loja virtual e trouxe à tona a discussão sobre o uso de acessórios eróticos e as fantasias sexuais.

Assim como a proprietária do “Book22.com”, inúmeros casais cristãos se encontram insatisfeitos com seus parceiros ou consigo mesmos por transformarem o ato sexual – criado por Deus –  “uma cartilha de tabus”, onde estão incluídos o  isso pode e isso não pode.

A própria Bíblia está cheia de orientações sobre comportamento afetivo e sexual entre casais. O apóstolo Paulo enfatizou que homem e mulher devem sempre manter um acordo sobre suas relações sexuais a fim de evitar tentações (1 Cor 7:5). Diante de tantas pressões, o escritor do maior número de cartas do Novo Testamento sintetizou muito bem: “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas me convém. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por elas” (1 Cor 6:12). Assim sendo, o que seria lícito ou não para um casal cristão nos momentos de intimidade?

Sais de banho e óleos afrodisíacos, vibradores, cintas de couro masculinas e femininas, massageadores, elementos de sadomasoquismo e fantasias, alongadores penianos, próteses, roupas íntimas comestíveis para homem e mulheres, géis, pomadas, “lingeries” e toda sorte de produtos estimulantes para uma relação sexual são encontrados em “sexshops”, com preços que estão longe de serem prazerosos, elas aguçam a curiosidade de muitos. É o caso de Lídia Gomes (nome fictício). Evangélica desde criança e casada recentemente, ela não vê qualquer tipo de problema em freqüentar uma dessas lojas. “Muitos produtos que existem ali eu não gosto, mas não vejo problema em utilizar alguns para satisfazer os desejos em comum com meu marido”, admitiu.

Para o jovem pastor, Ariovaldo JR, os pastores preferem fugir destes questionamentos porque encontra no legalismo o caminho mais fácil para evitar a polêmica. “É estranho isso, mas nossa cultura cristã preferiu demonizar alguns lugares. Da mesma maneira que uma video-locadora possui filmes convencionais e filmes pornográficos, um sexshop  embora possua acessórios cujo uso seja degradante de alguma maneira, este também pode servir como auxílio para o exercício de uma sexualidade prazerosa e dentro dos parâmetros bíblicos. Cristãos frequentando sexshops devem apenas saber o limite do que convém. Fora isso, não há regras” diz.

Segundo Ariovaldo Jr, a bíblia impõe “limites” na questão da relação sexual do casal. “Sim! Há limites. Mas até o conceito de “relação sexual” está deturpado em nosso julgamento. Toda interação entre pessoas é necessariamente sexual. Por isso não podemos sufocar a sexualidade dos jovens, mas devemos ajudá-los a compreender que ser homem não é penetrar uma garota com seu pênis, mas agir/pensar/influenciar/amar como homem “de verdade”. E as garotas igualmente perceberão que não é via penetração ou sendo “apalpadas” que estarão exercendo sua sexualidade. Mas sendo mulheres no sentido mais amplo da palavra. Olhando as coisas desta maneira, percebe-se que o exercício da sexualidade não está ligado apenas ao ato sexual com penetração, mas a todas as relações do dia a dia. Afirmo que o “limite” para as relações é o céu. Isto significa na prática que, havendo consentimento, havendo amor, havendo empatia, havendo confiança… se Deus é glorificado e toda a Trindade faz questão de assistir o que acontece entre as quatro paredes, então este é o sexo válido! O melhor sexo é aquele onde Deus está presente como expectador, alegre por dizer “estes são os meus filhos, a excelência da minha criação!”explica.

A Fantasia sexual na Bíblia – Outro assunto em pauta na vida dos casais cristãos é a fantasia sexual. Presentes no imaginário dos homens e mulheres, as fantasias sexuais envolvem os cinco sentidos: o olfato, a visão, o tato, o paladar e a audição e aumentam o prazer sexual, pois induz à excitação e em alguns casos faz com que o ambiente sexual do casal se torne divertido, além de proporcionar ao casal uma variação nas relações sexuais, as fantasias sexuais são excitantes porque ativam o hipotálamo, estimulando o desejo sexual, além de proporcionar euforia e bem-estar.

Embora a Bíblia seja a carta de amor de Deus ao homem, nela encontramos vários textos que ressaltam a beleza do sexo na vida de um homem e de uma mulher. O livro de Cantares de Salomão, por exemplo, é um livro que descreve a beleza da sexualidade entre um homem e uma mulher. Na relação daquele casal havia espaço para as fantasias sexuais envolvendo o olfato (Ct 4.10), as carícias (7.3) e lugares diferentes (7.12,13, o ponto crítico das fantasias sexuais dentro de um relacionamento cristão acontece quando se desenvolvem pensamentos que não são permitidos perante Deus e seus princípios.

Para o pastor e fundador do ministério Casados para Sempre, Cláudio Duarte, as fantasias sexuais são permitidas desde que usadas com equilíbrio. “Acho que não tem problema nenhum a mulher ou o marido se caracterizar com alguma roupa para agradar o parceiro e dar “aquela apimentada”. O que não pode é o corpo deixar de ser o centro do desejo.”

Fazendo coro com Cláudio, Ariovaldo JR, também não vê problemas em nas fantasias sexuais desde que usadas de forma coerente e em comum acordo com seu parceiro “ Podemos celebrar fantasias em conjunto (os dois juntos) em que o outro é valorizado ao invés de ser substituído. O pecado se manifesta nas relações quando há o interesse de uma das partes em satisfazer seu próprio desejo. Isto é oposto do propósito de Deus para o homem e a mulher. E é também o que alimenta nas pessoas vícios sexuais que são danosos, como por exemplo o consumo de pornografia. Mas ainda bem que não precisamos viver aprisionados nestas mentiras, pois tudo que Deus criou para nós é perfeito. Quem sabe colocando “detalhes” e dúvidas sobre este assunto em nossas orações, possamos aprender mais sobre a excelência do relacionamento criado por Deus. Sem pudores. E lembrando que para Deus, estamos nus o tempo todo” finaliza.

O que pensam nossos leitores – Durante toda a semana o GUIA-ME ouviu dos internautas o que eles pensam a respeito das fantasias sexuais e o uso de acessórios eróticos. Os leitores puderam opinar através, do Twitter, do grupo de discussão no Facebook  e também pela enquete na home do portal. 

Confira agora o resultado da enquete e veja algumas opiniões sobre o assunto:

Para 52% dos leitores do GUIA-ME  freqüentar sex shops é pecado, já  outros 48% acreditam que não existe problema algum em ir até o local. Alguns leitores escreveram o que pensam sobre isso.

Janína Verdan Retameiro diz em seu comentário que a Bíblia orienta sobre questões como esta: “Tudo é permitido, mas nem tudo convém. Tudo é permitido, mas nem tudo edifica.” (I Cor. 10:23).Assim, penso que não frequentar me fará menos propensa a “tropeções”. A conclusão que chego é a seguinte: Não estamos proibidos, mas por bom senso, é melhor que não frequentemos.

Outro leitor, Eduardo Vinícius, concorda com Janaína e diz: Os irmaos tem que ter o bom censo e discutir entre o casal e pergutarem: Será que Deus se agrada disto? Qual e a Posição de Deus sobre a minha/nossa atitude? Usar fantasias, objetos sexuais, fazem parte de uma relação santa? Entre outras perguntas e discussoes. Procurarem o seu Pastor, e orar para o que realmente Deus pensa sobre isso E na minha opiniao a atitude de ir ao sex shop, e a falta de amor entre o casal, e para satisfazerem o desejo sexual procuram outras formas de se satisfazerem…ou seja, pelas proprias forças ao invés de orarem e buscarem ao Pai para que isso se reverta e seja agradavel aos olhos de Deus.

Por Pollyanna Mattos

Fonte: Guia Me

15/03/2011

Sexo só depois do casamento promete uniões mais estáveis


Um estudo publicado no Journal of Family Psychology, da Associação Americana de Psicologia joga por terra o que as feministas levaram anos para conseguir: o sexo antes do casamento. Pois de acordo com o estudo, casais que só tem relações sexuais depois do casamento acabam tendo relacionamentos mais estáveis e felizes, além de uma vida sexual mais satisfatória.
No estudo, pessoas que praticaram a abstinência até a noite do casamento deram notas 22% mais altas para a estabilidade do seu relacionamento do que os demais. As notas também foram 20% mais altas entre esses casais que só praticaram o sexo após o casamento sobre a qualidade da vida sexual (15% mais alta) e o díalogo entre os cônjuges (12% maiores). A pesquisa foi feita com mais de duas mil pessoas.
Sociólogos da Universidade do Texas, nos EUA, acreditam que o sexo cedo demais pode realmente atrapalhar o relacionamento. Segundo eles, casais que priorizam o sexo no início do relacionamento normalmente terminam o relacionamento de forma mal resolvida.

Fonte: Notícias Cristãs /AE

16/02/2011

Evangelista desafia a evitar o divórcio e serem felizes


Evangelista desafia a evitar o divórcio e serem felizesNeste Valentine’s Day (Dia dos namorados), o evangelista Jay Lowder incentiva casais a aceitar o desafio de restaurar os relacionamentos quebrados.

Depois de mais de 17 anos de casamento, ele e sua esposa, Melissa, tiveram momentos de altos e baixos. Ele admitiu que quase se separou há 13 anos. “Havia uma distância e muita amargura entre nós”, disse Lowder.

Para dar uma chance ao seu casamento, Lowder foi forçado a confrontar questões que ele fingiu não existir. “Para os homens é difícil porque a maioria prefere ignorar o problema achando que vai passar. Costumava não voltar para casa, preferia ir ao cinema”, lembrou.

As coisas começaram a mudar depois que um grande amigo desafiou Lowder, que estava à beira do divórcio, a participar de um aconselhamento de casais.

Ele admite que o processo foi difícil. De acordo com ele, a parte mais difícil foi ouvir a verdade. “Ela teve que ouvir tudo o que eu tinha para falar e eu tive que ouvir tudo o que ela tinha a dizer”, explicou.

Agora, ele desafia a outros casais a viver o casamento planejado por Deus. “O objetivo do aconselhamento não é apenas para evitar o divórcio, mas também ser feliz”, frisou.

Lowder acredita que só com Deus, um casal pode ter um casamento bom e duradouro. “Você deve se comprometer com Deus”.

Lowder admite que enfrentou dificuldades no seu casamento. No entanto, ele e sua esposa estão sempre abertos para ouvir um ao outro e escutar a voz de Deus. “Uma das coisas que tentamos fazer é ter um momento de devoção juntos. Eu ainda acredito que Deus ouve quando o marido e a mulher oram juntos”, ele recomendou.


Hoje, Lowder leva Harvest Ministries, viajando pelo mundo para pregar as Boas Novas. Ele tem falado em mais de 250 cruzadas e conferências desde seu chamado para o evangelismo. Atualmente, ele reside no Texas e tem três filhos, Lane, Kayley e Graham.

Fonte: Christian Post / CPAD News

27/01/2011

Temática homossexual invade a mídia


Temática homossexual invade a mídiaA temática homossexual chega à TV com força total em 2011. Novelas, programas, ‘reality show’, todos foram invadidos pelo universo gay. Assunto antes abordado apenas de forma leve em alguns folhetins, e que chegou a ser rejeitado na novela ‘Torre de Babel’ , de 1998 — com duas personagens lésbicas mortas porque o público não queria ver este tipo de discussão em pleno horário nobre —, o tema agora virou tendência. O cantor porto-riquenho Ricky Martin, por exemplo, lançou um livro autobiográfico que gira em torno de seu orgulho em ser gay.

Na próxima terça-feira, 1º de fevereiro, estreia o primeiro game gay na Globo, o ‘Gay Me’, quadro de ‘Amor & Sexo’, com apresentação de Mauricio Branco, que volta à TV depois de 10 anos. “Quando aceitei fazer o programa, a primeira coisa que me veio à cabeça foi a possibilidade de abrir mais a mente do público e acredito que esse movimento só vem a contribuir”, afirma o ator.

Dos oito programas comandados por Fernanda Lima a serem exibidos, o jogo estará em três, e o foco é a homossexualidade masculina. Em cada módulo do ‘Gay Me’, três participantes disputarão um prêmio. “O game que terá duração de 20 minutos, quase o programa inteiro, e um cenário próprio”, explica o diretor Ricardo Waddington.

A TV gay brasileira está tão em voga que virou até manchete do jornal inglês ‘The Guardian’, intitulada ‘Brasil espera o beijo gay’, sobre a novela ‘Insensato Coração’. Na nova novela das 21h, seis personagens são gays — do mais caricato ao homofóbico que renega a sua condição.

Segundo Ricardo Linhares, um dos autores da trama, a proposta não é levantar bandeiras. “Os personagens refletem a diversidade que existe na nossa sociedade. O foco não é falar de discriminação. Não que ela não exista na vida real, mas prefiro fazer uma ação afirmativa, mostrando integração e respeito à diversidade”, afirma. Leonardo Miggiorin que interpreta Roni, um gay mais expansivo, acha que existe uma cultura de rir desses personagens. “O intuito é divertir as pessoas, mas o assunto acaba entrando em suas casas. Acho que o preconceito está começando a ser quebrado”, acredita o ator.

Outra trama que aborda a temática é ‘Ti-ti-ti’. André Arteche, intérprete de Julinho, começou namorando Osmar (Gustavo Leão) e será a nova paixão de Thales (Armando Babaioff), que é casado com Jaqueline (Claudia Raia) e viverá uma vida dupla.

Até mesmo no ‘Big Brother Brasil’ o tema bateu recorde. Outras edições já tiveram participantes homossexuais, incluindo o vencedor do ‘BBB 5’, o agora deputado federal Jean Wyllys, mas no ‘BBB 11’ são quatro candidatos ‘assumidos’: Daniel, Diana, Lucival e a transexual Ariadna, que foi tirada da casa na primeira semana.

Mesmo com tanto destaque, há quem acredite que o preconceito ainda está aí. “Temos a maior parada gay do mundo e somos o país mais intolerante. Festejamos em público e matamos no privado. Me sinto contribuindo para minimizar essa intolerância”, diz Rafael Dragaud, roteirista de ‘Amor & Sexo’.

 

Heterofóbicos

Ao comentar a recente entrevista de Ricky Martin à revista Veja, o pastor Ciro Sanches Zibordi comentou em seu blog que o cantor está tentando induzir os outros a pensarem que ser homossexual denota muito mais que ser diferente dos heterossexuais. Significa ser superior a eles. “Ao falar a respeito de como deseja ser definido por seus filhos, na escola, Martin afirmou: ´Quero mais é que eles falem a seus amigos: ‘Meu pai é gay e ele é muito legal. Seu pai não é gay. Triste o seu caso’. Quero que eles sintam orgulho em fazer parte de uma família moderna´. Ora, quer dizer então que um pai heterossexual é inferior a um pai homossexual? O filho de um pai heterossexual não pertence a uma família moderna? É um filho triste pelo fato de seu pai não ser um homossexual? Esse pensamento de Martin me parece preconceituoso e discriminador, próprio de quem não respeita as diferenças”, escreveu o pastor.

Em texto, o pastor também relembrou a afirmação de Martin de que “Todo gay nasce gay. A vida social às vezes se opõe a essa natureza, e aí começa o conflito”: “Essa tese não pode ser confirmada, à luz da ciência. O que é normal e natural, cientificamente, é ser homem e mulher. Aliás, a Bíblia diz que Deus nos criou assim: “E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; macho e fêmea os criou” (Gn 1.27)”.

O artigo do pastor Ciro termina com o pastor legitimando o direito de uma minoria pedir que a maioria a respeite, mas isso não lhes dá o direito de se auto-proclamar superior. “Os homossexuais — que são, de fato, diferentes da maioria das pessoas, visto que não aceitam a sua constituição fisiológica — gostam de acusar de homofobia os que possuem opinião contrária à deles. Fica aqui uma pergunta para reflexão: Como devemos definir o comportamento de quem, ao assumir a homossexualidade, procura convencer a todos de que pertence a uma super-raça, moderna e mais evoluída? Eu o definiria como preconceituoso, discriminador e heterofóbico”, finaliza o pastor Ciro.
Fonte: CPAD News / Jornal O Dia / Blog do Ciro

%d blogueiros gostam disto: