Posts tagged ‘Ateismo’

10/08/2012

Cresce o número de ateus no mundo


Cresce o número de ateus no mundo

Em alguns paises, segundo uma pesquisa global, ocorreu queda surpreendente no número de pessoas que se consideram religiosas. A enquete realizada em 57 países pelo Instituto WIN-Gallup Internacional foi feita pela última vez em 2005.

Agora, sete anos depois, é possível verificar um aumento de quase 3% no índice de pessoas que se declaram ateus, enquanto os religiosos diminuíram 9%.

A Irlanda teve a maior queda, seguida pelo Vietnã.

A pesquisa, que leva o nome de Índice Global de Religião e Ateísmo, sugere que as pessoas mais pobres são mais propensas a se descreverem como religioso do que as ricas.

Gana (96 por cento), Nigéria (93 por cento) e Armênia (92 por cento) tiveram o maior percentual de pessoas que disseram que eles eram religiosos.

Para todos os 51.000 entrevistados foi perguntado: “Independentemente de frequentar ou não uma igreja, você se considera uma pessoa religiosa, não religiosa ou ateia?”

Computadas as respostas, 59% dos entrevistados afirmou que são religiosos, 23% se declararam “sem religião”, enquanto 13% se consideram ateus.

Segundo o Índice, 85% se declararam religiosos, 13% afirmam ser não religiosos e apenas 1% dos brasileiros são ateus convictos.

Fonte: Gospel Prime

07/08/2012

Maioria dos filhos de ateus mudam de ideia quando adultos


Pessoas que crescem em um lar ateu são menos propensos a manter as suas crenças sobre a religião quando adultos, indica um estudo realizado pelo Centro de Pesquisa Aplicada do Apostolado, da Universidade de Georgetown.

Apenas cerca de 30% das pessoas que foram criadas em um lar ateu continuaram sendo ateus depois de adultos. Esta “taxa de retenção” é a menor entre as 20 diferentes categorias do estudo.

Foram ouvidos 1.387 ateus na pesquisa. Quatrocentos e trinta e dois entrevistados disseram ter sido criados por pais ateus. Desses, apenas 131 se identifica como ateu hoje.

“Os resultados mostram que os ateus americanos, em sua maioria, se “tornou” incrédulo quando adulto, mesmo tendo sido criado em outra fé. Parece ser muito mais desafiador criar uma criança ateia e fazê-la manter essa identidade por toda a sua vida “, explica o Dr. Mark Gray , um dos pesquisadores .

Gray também observou que, “entre os que foram criados como ateus, hoje 30% estão filiados a uma denominação protestante, 10% são católicos, 2% são judeus, 1% são mórmons, e 1% são pagãos”.

Os Hindus tiveram a maior taxa de retenção de 84%, seguido pelos judeus (76%), muçulmanos (76%), ortodoxos gregos (73%), mórmons (70%) e católicos (68%).

Entre os cristãos protestantes, os Batistas teve a maior taxa de retenção (60%), seguido por Luteranos (59%) e pentecostais (50%).

Testemunha de Jeová (37%), membros da Igreja Congregacional (37%) e da Igreja Holiness (32%), tem as menores taxas de retenção. Entre aqueles que cresceram sem uma fé religiosa ou sistema de crenças em particular, 38% permaneceram dessa forma.

O estudo utilizou como base os dados do Fórum Pew sobre Religião e Vida Pública dos EUA de 2008.

Traduzido e adaptado de Christian Post

25/04/2012

Campanha ateia que oferecia pornografia por Bíblias fracassa nos EUA


Na Universidade de San Antonio, no Texas, ocorreu uma nova edição da campanha “Smut for Smut” [Pornografia por pornografia] onde estudantes ateus propõem a troca de textos religiosos por material pornográfico.

A idéia central é atrair outros estudantes oferecendo revistas pornográficas em troca de Bíblias e outros livros religiosos. O grupo afirma que as Escrituras são “pervertidas”, possuindo conteúdo pornográfico, devido aos relatos do Antigo Testamento de “exploração das mulheres, escravidão, estupro e assassinato”.

A primeira iniciativa desse tipo organizada pelo grupo Atheist Agenda, chamou atenção da mídia em 2008. Brett Harris, do site World on Campus relata que durante os dois dias da campanha deste ano apenas 30 estudantes fizeram algum tipo de troca. Além de Bíblias, o grupo de alunos também aceitou Alcorões e livros escritos por pastores conhecidos, como Joel Osteen e Rick Warren.

Segundo a World on Campus, o presidente da Atheist Agenda, Kyle Bush minimiza: “A questão não é o material pornô. Nosso propósito principal é fazer as pessoas conversarem conosco para que possamos passar nossa mensagem”. “Queremos divulgar o ateísmo e trazê-lo para o centro das atenções. Nós oferecemos uma outra alternativa para pessoas que podem não se encaixar em nenhum outro lugar”, completou ele.

O Atheist Agenda compraram mais de 50 quilos de material adulto para oferecer. Eles dizem que receberam apenas “cinco Bíblias, uma Enciclopédia do Islã, e um Alcorão”, além de alguns livros sobre vida cristã.

Um dos alunos que tomou conhecimento do apoio expresso pelos estudantes ateus disse que eles tinham o direito de “compartilhar as suas crenças”, mas não tinha planos de entregar sua Bíblia.

Um grupo de alunos cristãos, montaram perto do stand da Atheist Agenda um espaço para a apresentação do Coral Vitória e Louvor. “Nós estamos lutando espiritualmente. Quando fazemos isso, não vamos lá e tentamos conversar com eles. Apenas oramos sobre isso”, disse Tarvia Demerson, uma das organizadoras do coral.

Fonte: Gospel Prime

29/12/2011

Milagre de recuperação de jovem dado como morto faz amigos ateus voltarem à Igreja


Um jovem universitário do Arizona, que sofreu um acidente automobilístico e teve morte cerebral decretada pelos médicos, está se recuperando. O fato foi considerado um verdadeiro milagre pela família e equipe médica.

Sam Schimdt, de 21 anos, respirava com a ajuda de aparelhos, como consequência de um acidente de carro, e já estava sendo preparado para doar seus órgãos. Entretanto, ele recentemente começou a responder aos estímulos do tratamento, quando ele apertou o dedo dos médicos que testavam as suas reações.

De acordo o ABC News, sua mãe, Susan Reagan declarou que ele está se recuperando totalmente e isso está fazendo com que seus amigos ateus decidissem voltar à igreja,

“Ninguém poderia me dar um presente de Natal melhor do que esse. Nunca, nunca. Eu tenho amigos ateus que me ligaram e disseram que estão voltando para a igreja após esse milagre”, confirmou Susan.

Schimdt teve lesões em seu cérebro bastante graves depois do acidente sendo necessário um helicóptero para transferí-lo até um hospital especializado em neurologia, em Phoenix, Arizona. Lá foram realizadas cirurgias para a retirada do aneurisma que estava ameaçando a sua vida.

Dois meses após a cirurgia, ele saiu do estado de coma. Hoje, ele já consegue respirar sem a ajuda de aparelhos, andar com a ajuda de muletas e conversar normalmente.

Sam também é confiante na interferência de Deus em sua recuperação. “É um milagre. Vendo como eu estava antes e agora, vejo que progredi bastante”, comemora o jovem, ainda com a fala vagarosa, característica que deve melhorar com o tempo e com os tratamentos, segundo informou o site ABC News.

O renomado neurocirurgião Robert Spetzler designou a recuperação de Sam como ‘espantosa’ e se disse ‘realmente surpreso’. “Tinha tudo para dar errado. Ele tinha hemorragia, um aneurisma e teve um derrame. Eu fiquei realmente surpreso com sua melhora em tão pouco tempo”.

Sam agora só quer voltar a ter uma vida normal, com os movimentos de caminhar e a fala fluente. Os médicos já garantiram que isso é inteiramente possível, com a fisioterapia e o período de reabilitação.

Fonte: Christian Post

28/12/2011

Cientistas ateus com filhos adotam tradições religiosas, diz pesquisa


Estudo revelou que 17% dos cientistas que se declaram ateus e que possuem filhos, adotam tradições religiosas.

Estudos já demonstraram que as pessoas religiosas são mais felizes do que os ateus.

E, a depender de suas ações em relação aos próprios filhos, os ateus também parecem acreditar nisso.

Um novo estudo revelou que 17% dos cientistas que se declaram ateus e que possuem filhos, adotam tradições religiosas.

Uma das conclusões do estudo é que esses cientistas ateus querem que suas crianças conheçam as diferentes religiões para que possam tomar decisões mais bem fundamentadas a respeito de suas próprias preferências religiosas.

Escolha religiosa

“Nossa pesquisa mostrou o quão intimamente ligadas estão a religião e a família na sociedade – tanto que mesmo algumas das pessoas menos religiosas da sociedade acham que a religião é importante em suas vidas privadas,” afirmou Elaine Howard Ecklund, da Universidade Rice (EUA).

O estudo incluiu 275 cientistas de 21 universidades de elite dos Estados Unidos, que se declararam ateus, de uma amostra de 2.198 pesquisadores.

“Nós pensávamos que essas pessoas estariam menos inclinadas a iniciar suas crianças nas tradições religiosas, mas descobrimos que é exatamente o contrário,” disse a pesquisadora.

“Eles querem que suas crianças tenham escolha, e a exposição a todas as fontes de conhecimento é mais consistente com sua identidade científica,” afirma.

Fontes de conhecimento

Os cientistas citaram várias razões pessoais e sociais para integrarem a religião em suas vidas.

A primeira delas foi o desejo de expor suas crianças a todas as fontes de conhecimento, o que inclui a religião, permitindo que elas façam suas próprias escolhas sobre sua identidade religiosa.

Outro fator importante foi a influência do esposo ou esposa, quando os cientistas foram levados à prática religiosa por influência do parceiro.

Por último, destaca-se o desejo de integração com a comunidade, em busca de um comportamento e de uma comunidade morais, mesmo que eles próprios não concordem com a argumentação religiosa.

Fonte: Diário da Saúde

Tags: , ,
18/06/2011

Juiz concede a ateus direito de resposta às ofensas de Datena


O juiz Régis Rodrigues Bonvicino, da 1ª Vara Cível do Foro Regional de Pinheiros, na zona oeste de São Paulo, expediu hoje (16) liminar concedendo direito de resposta à Atea (Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos) contra José Luiz Datena, 54. O apresentador é acusado de ofender os ateus no programa Brasil Urgente, da TV Bandeirantes.

Pela decisão do juiz, um representante da associação terá na quarta-feira (22) no programa o mesmo tempo usado por Datena para denegrir os ateus. Em caso de não cumprimento da sentença, os réus (Datena e Band) pagarão multa de R$ 10 mil por dia de atraso. O apresentador e emissora podem recorrer da liminar.

Bonvicino tomou como base, em sua sentença, o artigo 221 da Constituição que determina que as emissoras de TV têm de respeitar os valores éticos e sociais das pessoas e da família. Sua decisão foi em caráter de urgência tendo em vista a possibilidade de o Brasil Urgente deixar de ser transmitido.

Hoje pela manhã, Datena assinou contrato de 5 anos com a Rede Record, onde apresentará o programa Cidade Alerta por um salário de R$ 2 milhões, além de participação no merchandising. Na Band, ele ganhava R$ 500 mil por mês. A estreia do programa está prevista para daqui a dois meses, mas hoje Datena já não apresentou o Brasil Urgente.

No dia 27 de julho de 2010, ao comentar um assassinato, Datena disse que o criminoso só podia ser ateu por não ter limites em sua violência. “Os bandidos que matam, mas que matam com prazer, esses não acreditam em Deus”, afirmou. “Isso é um exemplo típico de um sujeito que não acredita em Deus: matou um menino de dois anos de idade, tentou fuzilar 3 ou 4 pessoas.”

De acordo com Daniel Sottomaior, presidente da Atea, Datena também disse que violentar “um bebê de dois, três meses de idade” e bater “em velhinho e violentar velhinhas” são crimes característicos de ateus.

O juiz, em sua sentença, para demonstrar a gravidade das afirmações preconceituosas do apresentador, citou uma atriz ateia: “Imagine se a Angelina Jolie dissesse que quem tem Deus no coração é assassino de um menino e de dois de idade e tentaria fuzilar 3 ou 4 pessoas”.

Datena é católico. Ele tem tatuado no antebraço esquerdo a palavra “Cristo” e tinha em seu camarim na Band uma imagem de Jesus e outra de Nossa Senhora Aparecida. Não se sabe se ele vai levar as imagens para o seu camarim da Record, do bispo Edir Macedo, líder da Igreja Universal.

Para os ateus, mesmo que a liminar caia, significa um avanço no combate contra o preconceito do qual são alvos.

Fonte: Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo. / Paulo Lopes

15/06/2011

Blog ‘Sem deus no Coração’ ironiza intolerância no Twitter contra ateus


No Twitter, uma jovem escreveu ser “uma vergonha falar em público que não acredita em Deus”. Assim como ela, outras pessoas não têm tido vergonha de manifestar em público intolerância contra os ateus. Uma delas, por exemplo, escreveu que ser ateu é acreditar que o homem veio do “verme da merda dos dinossauros”, em uma alusão à teoria da evolução de Charles Darwin.

O analista de sistema André, 30, criou em abril o blog “Sem deus no coração” para ironizar os intolerantes do Twitter, como o rapaz que duvida da existência de ateus porque não conhece ninguém que atende pelo nome de Lúcifer ou Satanás. André retrucou: “O Belzebuzinho daqui de casa já está na quarta série”.

O blog tem cerca de 180 posts e mais de 2.000 seguidores via feed, Twitter e Facebook. André informa que os acessos são mais de 1.500 por dia.

A perseguição aos ateus no Twitter não surpreende porque reflete um dos mais enraizados preconceitos. Uma pesquisa de 2009 da Fundação Perseu Abramo revelou que os ateus e drogados são as pessoas mais odiadas pelos brasileiros. Em segundo lugar, mas com uma razoável distância, estão os homossexuais e os garotos de programa.

O que ocorre no Twitter é que lá muitas pessoas afirmam o que certamente não dizem a um ateu cara a cara. Coisa como: “Acabei de descobrir que odeio ateu. Gente idiota – se é que dá para considerar como gente”. Ou: “Quem não acredita em Deus é maléfico e perigoso.” Ou ainda: “Todo ateu é um depressivo sem esperança”.

Muitas pessoas duvidam que alguém possa ser de fato ateu, como se a descrença fosse um sintoma de uma anormalidade passageira. Nesse sentido, alguém escreveu:  “Ateu é aquele que sabe que Deus existe, mas diz que não para alimentar sua autoestima”. Ou: “Não há ateu quando um avião está para cair”. Mais: “Todo aquele que se diz ateu é porque tem vergonha de dizer que é carente de Deus”.

Existe a turma dos que acreditam que um dia os ateus vão se converter, um a um, como neste exemplo: “Muito bom o filme O Ritual. Os ateus que assistirem irão se converter”. Outro exemplo: “Não existe um ateu no inferno! Depois de 1 minuto, todos viram crentes.”

Há ainda aqueles que evocam a ira Deus contra os descrentes — “Deus não é bonzinho como vocês pensam” —  e os que dizem coisas incompreensíveis. Existe até quem consegue ser engraçado, como este: “É óbvio que Stephen Hawking não acredita em Deus. É um carinha revoltado porque não anda, não fala, nem bate punheta sozinho!”

Uma twitteira provocou: “Obrigada, Senhor, por ser um milagre de tua criação e não um acidente da evolução”. André observou: “Milagre mesmo é arrumar paciência pra ler tanta bobagem”.

Com informação do Sem deus no coração. / Paulo Lopes

04/06/2011

Primeiro congresso mundial de ateus começa hoje na Irlanda


  A Primeira Convenção Mundial de Ateus que acontecerá entre os dias 3 e 5 de junho na Irlanda e espera receber cerca de 350 delegados internacionais, na capital Dublin.

Esse evento está sendo organizado pela Atheist Ireland e pretende criar um grupo para reunir ateus do mundo todo através da Atheist Alliance International.

A aliança internacional já tem até presidente eleito, Tanya Smith, da Fundação Ateísta da Austrália.

A convenção em Dublin será dirigida pelo professor britânico Richard Dawkins, a neurobióloga dinamarquesa Lone Frank, a consultora inglesa Paula Kirby e o autor indiano Aroup Chaterjee. A reunião contará com diversos outros oradores, entre eles a ativista iraniana, Maryam Namazie, do Conselho de Ex-mulçumanos da Grã-Bretanha.

Vários assuntos serão discutidos nesse encontro, como por exemplo, a educação secular e os direitos humanos.

Fonte: Gospel Prime /Pavablog

10/05/2011

Filhos de ateus buscam a fé fora de casa


Filhos de ateus buscam a fé fora de casa As novas gerações de céticos, agnósticos e ateus não casam na igreja, não batizam seus filhos, nem têm religião ou falam de fé. Eles simplesmente desconsideram a existência de Deus. Mas isso não impede que, em alguns casos, seus filhos sintam a necessidade e até cobrem uma discussão sobre fé e religião.

Larissa Queiroz recebe uma carta de uma instituição filantrópica e, dentro do envelope, descobre um terço de plástico de brinde. A filha Beatriz, de sete anos, adora a novidade e coloca no pescoço na mesma hora. “Expliquei que aquilo não era um colar, disse do que se tratava e me parece que ela ficou ainda mais interessada”, conta a mãe recifense que vive em São Paulo. Desde então, a pequena pede para rezar toda noite. Outro dia, convenceu o pai a levá-la a uma missa pela primeira vez.

De acordo com Eduardo Rodrigues da Cruz, professor do Programa de pós-graduação em Ciências da Religião da PUC de São Paulo, os psicólogos cognitivos tem estudado o assunto com crianças de várias faixas etárias. “Suas conclusões: todos somos naturalmente teístas, e, à medida que crescemos, vamos diversificando nossas posturas”, afirma o doutor em teologia, que também é mestre em física. Ou seja, para ele, a fé é uma postura “natural”, que é racionalizada conforme amadurecemos.

Em uma noite de mais de uma hora de apagão, escuro total e absoluto, Beatriz, a filha de Larissa, teve uma ideia: “vamos rezar para a luz voltar”. “Eu lógico, relutante, tentei explicar que não adiantaria, mas ela insistiu, insistiu e rezamos. Um minuto depois, a luz voltou”, descreve. Em seu blog, Larissa desabafa: “será que temos como evitar isso? Estou achando que não”.

Marina de Oliveira Pais,carioca, é filha de pai ateu. Sua mãe, assim como muitos brasileiros, foi batizada, mas não pratica nenhuma religião.  Quando decidiu morar sozinha pela primeira vez, Marina conheceu Bernardo Nogueira, de 20 anos. Apaixonada, ela conseguiu resistir aos convites da família do namorado para ir a uma igreja evangélica só por alguns meses.

Mas relata que, já na primeira vez que assistiu ao culto, teve certeza de que estava no lugar certo. “Fiquei maravilhada”, descreve. Ela então mudou drasticamente seu estilo de vida. “Cortei a bebida, as baladas e os palavrões. Hoje meus pais respeitam minha situação de convertida justamente por essas minhas mudanças comportamentais”, afirma.

Jaqueline Slongo, de 23 anos voltou a viver na cidade natal de Curitiba com o pai ateu depois de algum tempo separados. Ironicamente, por conta de uma bolsa de estudos, a então adolescente foi estudar em um colégio católico. O retorno à cidade grande, onde as desigualdades sociais são mais gritantes, o descobrimento da Bíblia e a fase de mudanças, levantaram muitos questionamentos. “Comecei a me questionar sobre a existência de Deus, fazia perguntas para as freiras do colégio, mas as respostas não me saciavam”, lembra.

Jaqueline começou a achar que havia alguma coisa errada entre o que lia e o que pregavam suas ‘instrutoras espirituais’. “Elas me mandavam rezar, mas eu não curtia”, confessa. Seu pai viajava muito e, como não acreditava em Deus, a filha preferia não falar sobre o assunto com ele. O processo foi sofrido, e aconteceu em meio às transformações da adolescência, à ausência dos pais, e à angústia causada por sintomas de depressão. “Eu era muito agressiva, rebelde, intolerante. Não tinha amigos e sempre me isolava”, conta.

Ela então buscou alívio e conforto na religião. Hoje, a estudante se considera protestante, mas passou por diversas comunidades cristãs diferentes. Diz que não se importa com rótulos, mas sente que é preciso estar em grupo. “Acho importante a vivência em comunidade, pois é no relacionamento com outros que seu caráter se constrói”, afirma.

Com o pai, ficou cinco anos sem poder comentar nada sobre sua fé. Até que, há três meses, consciente da mudança espiritual da filha, ele lhe pediu que comentasse, ‘de forma sucinta’, no que exatamente ela acreditava. A partir de então, ela diz, ele tem pedido que também reze por ele.

Com informações IG

19/04/2011

Famoso ateu americano afirma ser melhor cristão do que muitos cristãos


Ateus são melhores Cristãos do que os Cristãos são hoje? O famoso comediante e ator Inglês Ricky Gervais gosta de pensar assim.

Enviando uma mensagem de férias para a Páscoa, intitulada “Por que eu sou um bom Cristão” no The Wall Street Journal, Gervais, um ateu professo, revelou que ele é um “bom Cristão” em comparação a um monte de Cristãos.

Para provar isso, ele descreveu os Dez Mandamentos e analisou ​​como ele se sairia para cada lei. Dando-se um 10 de 10 – passando todas as acusações de assassinato, idolatria e blasfêmia – Gervais considerou sua pontuação perfeita “não é mau para um ateu.”

O objetivo da sua mensagem, no entanto, não foi focado em sua dita “bondade,” mas sim à falta de bondade dos Cristãos de hoje.

“Não é que eu não acredito que os ensinamentos de Jesus não fariam deste um mundo melhor se eles fossem seguidos,” afirmou o ator de 49 anos de idade. “Somente que elas raramente são seguidas.”

Concordando com as palavras de Gandhi – “Eu gosto do seu Cristo, eu não gosto de seus Cristãos” – Gervais admitiu que ele também tinha essa opinião sobre o Cristianismo, mesmo quando ele costumava acreditar em Deus quando era criança.

“Jesus era um homem. Sua mensagem foi geralmente de perdão e bondade. Essas são virtudes maravilhosas, mas eu tenho visto elas rejeitadas por muitos dos chamados tementes a Deus quando lhes convém.”

“Eles fazem seleção do seu ‘livro de regras” basicamente,” acrescentou. “Eu tenho visto tanta crueldade e preconceito realizado em nome do Cristianismo (e muitas outras religiões para que o assunto) que me faz pensar que tem havido uma demasiada leitura seletiva e reinterpretação das doutrinas.”

Pregando o que parecia ser uma mensagem clara para os Cristãos de hoje, Gervais ecoou as palavras de Gandhi: “Seus Cristãos são tão diferentes de seu Cristo.”

Dr. Robert Johnston, professor de teologia e cultura do Seminário Teológico Fuller respondeu à mensagem de Gervais, afirmando que, infelizmente, ele estava correto.

“Muitos não-Cristãos em sua conduta são pessoas melhores do que os Cristãos,” disse Johnston ao The Christian Post. “[Mas] talvez, mas eu tenho certeza que ele sabe disso, optou Ricky por ser redutor ao definir o Cristianismo como uma ética, em vez de um relacionamento com Deus que inclui ética, mas é muito mais vasto e mais amplo do que isso.”

“Tendo dito isso,” continuou ele, “precisamos com James, afirmar com Ricky que a fé sem obras é morta na medida em que somos culpados de sua avaliação sobre nós. Se à medida em que ele está certo, que ele é uma pessoa melhor em como ele vive no seio da comunidade humana, então para que aqueles que vão em nome de Jesus, é um chamado para que se arrependam e sigam a Jesus.”

De acordo com o ponto de Gervais, que parte da mensagem de Jesus sobre a bondade e o perdão, o professor afirmou: “Se no mundo em que vivemos, os Cristãos estão cada vez mais sendo percebidos como cruel, impiedosos, intolerantes e legalistas, e à medida em que isso é verdade, não conseguimos ser seguidores de Jesus.”

“Ricky Gervais, provavelmente, tem uma verdade que eu e você não quer reconhecer.”

Abordar a questão de por que os Cristãos estiveram cada vez mais se afastando da imagem de Cristo como Gervais destacou, o professor da Fuller declarou: “Os Cristãos sempre continuaram a ser os pecadores. Somos um povo novo e ainda esperamos a nossa redenção final, e isso não é uma questão nova.”

“Eu acho que, infelizmente, ao que a cultura já não reflete o nosso entendimento ou uma compreensão particular dos valores Cristãos, pensamos que é nossa obrigação forçar todos a concordarem com a nossa posição.”

“Jesus não fez isso. Nem os escritores do Novo Testamento,” salientou Johnston. “E assim a tarefa é reconhecer que vivemos em um contexto pluralista, [e] a tarefa para nós é de sermos modelo de caminho de Jesus e proclamar a verdade, beleza e bondade que Jesus encarnou e ensinou.”

Mas, anunciar é algo diferente do que tentar legislar ou procurar impor os nossos padrões aos outros, ele observou.

Então é correto que Gervais e muitos outros como ele julguem os Cristãos e aqueles que professam seguir a Cristo?

Johnston respondeu: “Eu acho que os Cristãos têm, infelizmente, se posicionado muitas vezes como juiz de outras pessoas e suas ações. Estamos simplesmente recebendo aquilo que temos dado.”

“Nesse sentido, o artigo de Ricky obviamente significou ser provocativo e escrito por um humorista, é no entanto a ocasião para os Cristãos a dizer ‘Sinto muito que temos mostrado um modelo de um legalismo ao invés de mostrar-lhe o poder autoritário do amor de Jesus.”

“Se o nosso Evangelho é ouvido como julgador, intolerante e excludente, então temos um problema e o dedo precisa ser apontado para trás de nós,” enfatizou Johnson ao CP.

Não querendo julgar as crenças de Gervais e sua pontuação de 10 dos 10 mandamentos, o professor da Fuller, no entanto, mencionou que talvez o ator Inglês também gosta de ler as bem-aventuranças, na qual Jesus radicalizou o significado dos Dez Mandamentos,” em uma forma que traz humildade para todos nós.”

“Ele pode querer repensar alguns de seus pontos ganhos,” divulgou Johnston.

“Mas eu não estou no negócio de julgar Ricky … Eu acho que nós precisamos ter um espírito generoso e na medida em que ele está está chamando todos nós a levar mais a sério a expressão externa de nossa fé.”

“Seu desafio pode ser uma boa lembrança … um sermão para entrar em lugares surpreendentes.”

Considerando Gervais, talvez como porta-voz do próprio Deus, Johnston disse ao CP como Deus às vezes usou os incrédulos ​​para repreender o Seu povo e levou-o de volta ao seu propósito.

Aconselhando todos os crentes “a serem extravagantes na graça” ao proclamar a verdade de Deus, Johnston explicou como os Cristãos poderiam apropriadamente equilibrar a verdade e a graça.

“Quando você se comunica com seus filhos, você precisa ser honesto e franco sobre o que é esperado. E você precisa ser extravagante em colocá-los dentro do contexto de seu amor e graça, aceitação e boa vontade. As crianças sabem quando você faz isso, e quando você não faz.”

“é evidente e ao grau que você simplesmente torna-se mais preocupado com a verdade, você perde a sua capacidade de ser ouvido. E o que é verdadeiro em relação aos nossos filhos é verdadeiro em relação à nossa conversa com os outros também,” disse ele.

“Ainda que discordemos em muito, ele só pode estar no contexto de extravagância radical e aceitação pessoal, se estamos a ser como Cristo.”

Sejam as observações de Gervais completamente válidas ou não, ironicamente, ele e muitos outros continuam a recordar os Cristãos como o Cristianismo realmente deve se parecer.

Talvez assim como o ator declarou em sua mensagem de férias da Páscoa,” talvez todos nós devemos voltar para o básico para saber onde tudo ficou confuso.”

Fonte: The Christian Post

%d blogueiros gostam disto: