Posts tagged ‘blasfêmia no Irã’

06/07/2011

Comunidade cristã paquistanesa na Grã-Bretanha faz protesto contra as leis de blasfêmia


Comunidade cristã paquistanesa na Grã-Bretanha faz protesto contra as leis de blasfêmiaNeste fim de semana, em Londres, um protesto foi realizado por cristãos, autoridades religiosas paquistanesas na Grã-Bretanha, e até mesmo por Martin Stern, um sobrevivente do Holocausto judeu e ex-estudante de medicina na Universidade de Peshawar.

A manifestação foi organizada pela Associação Cristã de britânicos paquistaneses para coincidir com o aniversário de um ano da prisão de Rashid e Sajid Emmanuel, dois pastores que, após serem absolvidos da acusação de blasfêmia em um tribunal de Faisalabad, foram mortos a tiros.

As leis de blasfêmia são responsáveis por grande parte da perseguição contra os cristãos no país.

Grupos de direitos humanos dizem que as leis de blasfêmia são freqüentemente mal utilizadas por extremistas, através de falsas acusações contra os cristãos, a fim de acertar contas pessoais, confiscar propriedades ou negócios com eles.

Um culto de adoração foi realizado antes de uma marcha de protesto da Alta Comissão do Paquistão em Knightsbridge.

Petições pedindo a pressão sobre o Paquistão para rever a sua legislação deverão ser entregues.

A marcha foi apoiada pelo Fórum Sul da Ásia. Seu coordenador nacional, Manoj Raithatha, disse: “Acreditamos que este protesto é uma oportunidade para promover o respeito às minorias religiosas e para destacar o desempenho pobre do Paquistão em cumprir os direitos humanos”.

Fonte: Christian Today /  CPAD News

25/03/2011

Cristãos serão julgados sob acusação de blasfêmia no Irã


Cristãos serão julgados sob acusação de blasfêmia no Irã O pastor Behrouz Sadegh-Khandjani, Mehdi Furutan, Mohammad Beliad, Parviz Khalaj e Nazly Beliad foram intimados a comparecer no tribunal dentro de duas semanas, de acordo com a Christian Solidarity Worldwide.

Eles foram presos em junho do ano passado sob a acusação de apostasia, realização de reuniões “políticas”, blasfêmia e crimes contra a ordem islâmica.

O Tribunal Revolucionário em Shiraz, concluiu que os cinco homens eram culpados de crimes contra a ordem islâmica e os condenou a um ano de prisão.

Eles cumpriram oito meses de sua pena antes de serem liberados em fevereiro sob fiança.

O advogado apelou da sentença de prisão de um ano e uma decisão ainda está pendente. Presumia-se que as acusações contra eles por blasfêmia haviam sido retiradas, mas uma fonte próxima confirmou que eles também estão para ser julgados por esse “delito”.

O diretor nacional da CSW, Stuart Windsor, disse que estava “consternado” pelas acusações contra o grupo. “A comunidade internacional deve pressionar o Irã não apenas para anular as punições injustas a que estes cristãos já foram submetidos, mas também absolvê-los no próximo julgamento”, disse ele.

A CSW disse que a situação dos cristãos no Irã foi piorando, há igrejas encontrando dificuldades para realizar reuniões e muitos cristãos estão pensando em deixar o país.

Ele expressou preocupação com Yousef Nadarkhani, o pastor de uma igreja grande em Rasht, que foi preso em 2009 e depois condenado à morte por apostasia.

Como não existem artigos de criminalização por apostasia no código legal iraniano, o juiz baseou sua decisão em textos escritos por eruditos religiosos iranianos.

O pastor Nadarkhani permanece na prisão aguardando o resultado de um recurso interposto no Supremo Tribunal Federal em dezembro passado. Uma audiência deve ocorrer nos próximos dois meses.

O Sr. Windsor apela ao Irã para garantir a liberdade religiosa a todos os seus cidadãos. Ele disse: “Estamos preocupados que a decisão proferida no caso do pastor Nadarkhani em que não respeitaram o devido procedimento da lei iraniana”.

E completa: “Como signatário do Pacto Internacional sobre Direitos Civis e Políticos, o Irã tem a obrigação de respeitar os padrões internacionais de liberdade religiosa para todos os seus cidadãos, para seguir o devido processo e abster-se de decisões judiciais arbitrárias, baseadas na legislação em aberto”.

Fonte: Christian Today / CPAD News

%d blogueiros gostam disto: