Posts tagged ‘Casamentos’

04/06/2012

Papa diz que Estado deve zelar pelo casamento heterossexual


O papa Bento 16 disse neste sábado (2) que o Estado deve estar a serviço da pessoa e zelar pelo direito da família, “baseada no casamento entre um homem e uma mulher”. As declarações foram feitas durante o encontro do papa com autoridades, empresários, trabalhadores, artistas e educadores da região italiana da Lombardia na sede do arcebispado de Milão, de onde preside o 7º Encontro Mundial das Famílias.

O papa estacou que o Estado tem de reconhecer a identidade própria da família, “baseada no casamento entre um homem e uma mulher, aberta à vida”, e o direito primário dos pais à livre escolha da educação e formação de seus filhos, “segundo o projeto educacional que considerem válido e pertinente”.

“Não se faz justiça à família se o Estado não sustentar a liberdade de educação para o bem comum de toda a sociedade”, ressaltou o papa.

Durante o evento, transmitido ao vivo pelo Centro Televisivo Vaticano CTV, o papa afirmou que, embora a concepção do estado confessional esteja superada, suas leis devem encontrar justificativa e força na lei natural, “que é o fundamento de uma ordem adequada à dignidade do ser humano”.

“O Estado está a serviço e à tutela da pessoa, de seu bem-estar em seus múltiplos aspectos, começando com o direito à vida, que jamais pode ser suprimido deliberadamente”, manifestou.

Bento 16 defendeu uma “construtiva” colaboração entre o Estado e a Igreja, sem que haja confusões sobre o papel de cada um, para enfrentar os tempos de crise que atingem parte do planeta neste momento. Nesse sentido, ele ressaltou a laicidade do Estado e disse que esse aspecto deve garantir a liberdade “para que todos possam propor sua visão da vida comum respeitando os demais e no contexto das leis que prezam pelo bem comum”.

O pontífice também fez uma grande apologia à liberdade: “não é um privilégio para alguns, mas um direito para todos, um valioso direito que o poder civil deve garantir”.

Ao falar sobre o papel dos líderes mundiais, o papa enfatizou que a principal qualidade de quem governa é a justiça, “virtude pública por excelência, porque impacta no bem de toda a comunidade”.

Antes de se reunir com os representantes da sociedade milanesa, o papa manteve um encontro com o cardeal Carlo Maria Martini, de 85 anos. Ainda neste sábado, Bento 16 se deslocará ao parque de Bresso, em Milão, onde se reunirá com as milhares de famílias de todo o mundo – de mais de 100 nações – que participam do evento em uma vigília chamada “Festa do Testemunho”.

Fonte: Verdade Gospel

21/06/2011

Juiz desafia ilegalidade de decisão do STF e anula ´casamento`gay


Juiz desafia ilegalidade de decisão do STF e anula ´casamento`gay O juiz Jeronymo Pedro Villas Boas cancelou na última sexta-feira (17) um dos primeiros contratos de união civil entre homossexuais do país. Ele anulou o registro de união estável do jornalista Liorcino Mendes, 47, com o estudante Odílio Torres, 23. Foi o primeiro ‘casamento’ gay de Goiás após o Supremo Tribunal Federal reconhecer a união entre pessoas do mesmo sexo como entidade familiar.

Segundo Villas Boas, da 1º Vara da Fazenda Pública de Goiânia, a decisão do STF “ultrapassou os limites” e é “ilegítima e inconstitucional”.

Ele argumentou que o direito à união homossexual “inexiste no sistema constitucional brasileiro” e afirmou que não quis confrontar o Supremo, “só seguir a Constituição”.

O magistrado explica que a Corte não pode ir contra as normas da Constituição Federal. O artigo 226 traz em seu texto que “para efeito da proteção do Estado, é reconhecida a união estável entre o homem e a mulher como entidade familiar, devendo a lei facilitar sua conversão”. Esta é norma inviolável, que explícita somente união “entre o homem e a mulher”.

A decisão que cancelou o contrato também determinou a comunicação a todos os Cartórios de Registro de Títulos e Documentos e do Registro Civil da comarca de Goiânia para que nenhum deles faça a escrituração de declaração de união estável entre pessoas do mesmo sexo.

Mendes encaminhou um documento solicitando ao ministro Cezar Peluso, presidente do CNJ, que mova uma ação pedindo o afastamento imediato do juiz, e mantendo a sua união estável.

Quando questionado sobre conseqüências e possíveis sanções por descumprir ordem do STF, ele disse que “um juiz não pode temer isso e tem que exercer suas decisões de forma independente”, obedecendo a Constituição vigente no País.

Veja trechos da decisão do Juiz Jerônymo Pedro Villas Boas:


“…os Poderes Constituídos não são maiores que o Poder de Constituição, ou seja, o Executivo, o Legislativo e o Judiciário (e principalmente este último) não possuem o Poder de alterar os fundamentos da Constituição Material, mesmo considerando a dinamicidade dos valores que se movimentam neste núcleo. Pois, os preceitos normativos da Constituição Formal, naquilo que se constitui Cláusula Pétrea, são imutáveis e somente um novo Poder Constituinte os pode alterar ou revogar [tratam-se de limitações material e formal do poder constituinte derivado] e que são cadenciados na sua evolução histórica por um conjunto de valores morais da sociedade, que se traduzem do governo moral resultante da lei [fator distinto do governo físico, com uso da força de coerção, que também resulta da lei].

Portanto, nem mesmo a interpretação [como vicissitude constitucional] conforme a Constituição, por ato de concreção confiado a Corte Constitucional, detentora do monopólio de última palavra quanto a constitucionalidade das leis e atos normativos, pode sobrepor à Constituição Material, para lhe modificar o sentido ou o conteúdo, emprestando a determinada norma um parcial contorno de constitucionalidade/inconstitucionalidade.

Cabe aqui ressaltar que o Poder é exercido conforme a Constituição [portanto Constituição Formal possui a primazia da normatividade ordenada], não podendo ser sobreposta na sua normatividade pela vontade/decisão de órgãos que exercem algum tipo de poder dela derivado, ou, em outras linhas, como constatado por Luis Alberto Warat: somente existe uma norma cogente sobrepairando acima da Constituição, a de que todos devem obedecer a Constituição.

É o que expressa o parágrafo-único do art. 1º da Constituição da República, declarando: “todo poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição” (grifo).

Pois bem, pré-existindo a comunidade política (o Povo) como delegante do poder constituinte e sedimentada em núcleos bases, compreendidos como família resultante da união entre um homem e uma mulher, não pode o Executivo, o Legislativo ou o Judiciário ampliar o leque de proteção constitucional da Família Constitucional, para incluir neste conceito positivo outro tipo de coabitação, contrário senso daquilo que se sedimentou e evoluiu como comportamento natural na sociedade.

É que a Família no Sistema Constitucional brasileiro alberga apenas os tipos elementares dispostos no art. Art. 226, da Constituição Federal, para efeito de especial proteção do Estado como antes exigido pela Declaração Universal pactuada, in verbis:

Art. A família, base da sociedade, tem especial proteção do Estado.

§ 1º – O casamento é civil e gratuita a celebração.

§ 2º – O casamento religioso tem efeito civil, nos termos da lei.

§ 3º – Para efeito da proteção do Estado, é reconhecida a união estável entre o homem e a mulher como entidade familiar, devendo a lei facilitar sua conversão em casamento.

§ 4º – Entende-se, também, como entidade familiar a comunidade formada por qualquer dos pais e seus descendentes.

§ 5º – Os direitos e deveres referentes à sociedade conjugal são exercidos igualmente pelo homem e pela mulher.

… A liberdade sexual (de relacionar-se com pessoa do mesmo sexo) desde que não proibida (como exemplo do que ocorre no art. 253 do Código Penal Militar, que criminaliza a sodomia e no art. 233 do Código Penal, quanto ao ato obsceno, além das diversas normas de posturas dos Municípios que regulam a permanência em locais de uso comum do povo), encontra sede apenas no âmbito da vida privada, não sendo sua exteriorização por comportamentos anticonstitucionais aptos a gerarem direitos, dignos de proteção da Constituição Formal ou Material.

Conceber um remendo ou meio termo constitucional para “nivelar” comportamentos privados, seria o mesmo que se admitir a prática em público de ato heterossexual ou mesmo de admitir que um determinado vocalista de banda de rock fizesse a exposição de seus órgãos íntimos em público, com fundamento na ordem que não discrimine padrões de condutas sexuais.

Não sendo, portanto, o relacionamento sexual entre pessoas do mesmo sexo tido sob o mesmo teto de forma contínua, duradoura e de conhecimento público, apto a gerar núcleo familiar [Família Constitucional nos termos do art. 226 da CF, bem como no núcleo base da Comunidade Política] – por lhe faltar a principal característica de sentido do relacionamento familiar, ou seja, a possibilidade de constituir prole comum, não se lhe pode ressalvar a garantia de proteção do Estado…

Assim, com fundamento no art. 48 da Lei de Registros Públicos e em face do poder permanente de correição, conferido ao Juiz em geral, no disposto no art. 26, item 4, do Código de Organização Judiciária do Estado de Goiás, diante da nulidade formal e matéria do ato notarial aqui apreciado, inapto para gerar qualquer direito perante terceiros, determino o cancelamento da “Escritura Pública de Declaração de União Estável” lavrada nos termos do Livro 00337-N, ás fls. 072/073 no 4º Registro Civil e Tabelionato de Notas, devendo o Senhor Oficial cientificar os interessados.

Outrossim, oficie-se a todos os Cartórios de Registro de Títulos e Documentos, da Comarca de Goiânia e do Registro Civil para que se abstenham de proceder a qualquer escrituração de declaração de união estável entre pessoas do mesmo sexo sem que haja expressa determinação em sentença judicial de reconhecimento, proferida pelo Juiz de Direito competente.

Cumpra-se.

Goiânia, 17 de junho de 2011.

JERONYMO PEDRO VILLAS BOAS
Juiz de Direito da 1ª Vara da Fazenda Pública
Municipal e de Registros Públicos”

Fonte: UOL / Redação CPAD News

11/06/2011

Casamento comunitário une mais de mil casais na Assembleia de Deus em Belém


Casamento comunitário une mais de mil casais na Assembleia de Deus em BelémO pastor Samuel Câmara, presidente da Assembleia de Deus de Belém vai realizar no dia 10 de junho o maior casamento comunitário já realizado no Pará. A cerimônia, que integra as comemorações pelo Centenário da Assembleia de Deus, acontece no Templo Central, a partir das 18h.

Mais de mil casais se inscreveram para a celebração nos últimos sete meses, quando a igreja começou a anunciar o trabalho de organização. Todos os anos a AD Belém realiza cerca de 300 a 400 casamentos, mas devido a comemoração dos 100 anos, a igreja pensou em realizar algo maior.

“A procura foi muito grande até porque esse casamento foi aberto a toda a sociedade paraense. Entre os participantes, estão pessoas de diversas idades, membros ou não da Assembleia de Deus”, detalha o pastor Oséas Soares, organizador da solenidade.

A celebração contará com um arranjo musical especial. Participarão do casamento a Orquestra da Assembleia de Deus, o Coral de Quatro Vozes e cantores da música gospel que receberão os casais ao som da marcha nupcial. “Certamente, será uma grande e maravilhosa festa”, completou o pastor.

Fonte: Gospel Prime


25/05/2011

Assembleia promove casamento coletivo


Assembleia promove casamento coletivo Vinte e quatro casais realizaram o sonho do matrimônio ao mesmo tempo, neste final de semana, em São Miguel dos Campos, interior de Alagoas. A Assembleia de Deus, liderada pelo pastor José Orisvaldo Nunes de Lima, foi quem promoveu um casamento coletivo e levou os casais ao tão almejado altar.

Eventos desta natureza são organizados anualmente pelo dirigente assembleiano desde que ele iniciou o trabalho de evangelização na cidade. Segundo o pastor Orisvaldo, mais de 400 casais já foram beneficiados e se uniram perante a lei.

Vale ressaltar que os nubentes ficam isentos do pagamento das taxas, geralmente cobradas pelos cartórios, para legalizar o casamento.


Fonte: AD Alagoas

03/05/2011

Bispo australiano acusa Vaticano de aposentá-lo devido a opiniões polêmicas


O bispo William Morris denuncia em carta que para o papa Bento XVI seus fiéis estariam melhor “sob a liderança de um novo bispo”.

Um bispo australiano acusa o Vaticano de sua separação da Igreja Católica por defender a ordenação de mulheres e homens casados como sacerdotes, informa nesta segunda-feira (horário local) a imprensa local.

O prelado de Toowoomba (Queensland), William Morris, denuncia em carta que sua aposentadoria antecipada se deve a que o papa Bento XVI decidiu que seus fiéis estariam melhor “sob a liderança de um novo bispo”, segundo o jornal “The Australian”.

Os bispos se aposentam, geralmente, aos 75 anos, mas Morris – que esteve à frente desta diocese a quase 900 quilômetros ao norte de Sydney durante quase duas décadas – só tem 67.

Em sua carta, lida este fim de semana nos serviços religiosos de Toowoomba, o prelado disse que a decisão do Vaticano responde a uma mensagem pastoral que publicou em 2006 e provocou uma investigação interna dentro da Igreja.

Morris se pronunciou nesse polêmico texto a favor de ordenar como sacerdotes mulheres e homens casados, assim como reconhecer a validade das ordens anglicanas e luteranas, entre outras propostas, embora acredite que sua opinião tenha sido mal interpretada.

A saída de Morris ocorrerá dois anos depois que a Igreja tomou a mesma medida com Peter Kennedy, ex-sacerdote da cidade australiana de Brisbane, que se mostrou a favor de ordenar mulheres e das uniões homossexuais.

Está previsto que o Vaticano emita um comunicado oficial sobre o assunto.

03/05/2011

Tenda Batista é inaugurada em acampamento cigano


 Tenda Batista é inaugurada em acampamento ciganoFoi inaugurada em abril, em Itaquaquecetuba,  SP, a primeira Tenda Batista Nômade. O espaço, usado para a evangelização de ciganos, representa  um grande avanço missionário e passa a ser uma referência espiritual para os ciganos da região.

Mais de 15 igrejas foram representadas na cerimônia de inauguração. Além disso, marcaram presença os gerentes regionaid de SP, pr. Exequias  e sua esposa Maria Helena Santos; pr. Arídio Pinto Barreto, pastor da Pib de Itaim Paulista; a ministra de Missões Kelly  Villaronga e o Ministro de música Davi Bastos. Trazendo a mensagem Bíblica, foi convidado  o Pr. Khaled, missionário da Junta de Missões Nacionais aos árabes.

A tenda nômade tornou-se um grande motivo de felicidade para os ciganos, que agora possuem um lugar para compartilhar a palavra, desfrutando das experiências eclesiásticas. “Só Jesus mesmo pra fazer uma coisa dessa, nunca teve uma igreja nossa, em nenhum acampamento desse Brasil afora”, disse um líder do acampamento.

Segundo o missionário Gilmar Barbosa, a tenda estará preparada para ser montada e desmontada mediante a ausência ou permanência de ciganos na região. Enquanto houver a presença dessa etnia, eles receberão estudos bíblicos e serão preparados para exercerem papéis de liderança cristã na comunidade.

Fonte: Junta de Missões Nacionais

29/04/2011

No México, a Igreja denuncia a fraude de falsos padres


O lucrativo mercado de falsos casamentos no religioso, batizados e funerais anda de vento em popa no México, onde 84% dos habitantes se declaram católicos.

O arcebispo da Cidade do México manifestou publicamente sua indignação sobre o assunto: “Há homens se fazendo passar por padres sem terem sido ordenados pela Igreja”, denunciou seu assessor de comunicação, o padre José de Jesus Aguilar, ao jornal “El Universal”, no domingo (24). “Missas e celebrações em lugares especiais”, “Serviços religiosos em domicílio conforme o rito católico”, “Primeira-comunhão em uma capela privada ou um jardim”: anúncios como esses são publicados na internet por paróquias não reconhecidas pela Igreja.

Uma reportagem realizada pelo “El Universal” cita um documento não oficial da Conferência Episcopal do México (CEM), que estima em mais de 10 mil o número de falsos padres nos quatro cantos do país. “Essa cifra provavelmente é exagerada, pois o México possui 22 mil eclesiásticos verdadeiros”, observa o padre Manuel Corral, porta-voz da CEM. “Mas o fenômeno vem assumindo uma dimensão cada vez maior junto aos fiéis que querem cerimônias originais fora dos locais de culto. Uma prática proibida pelo clero.”

As tarifas dos charlatães da religião oscilariam entre 500 e 6 mil pesos (cerca de R$ 70 e R$ 808), dependendo do local e das prestações. “Essa fraude equivale à usurpação de funções ou ao exercício de uma profissão sem título”, condena o padre Manuel Corral, que ressalta que o ministério do culto envolve anos de formação dentro de instituições educacionais da Igreja. Esse delito, punido pelas leis dos 32 Estados federados mexicanos, é passível de um a seis anos de prisão e milhares de pesos em multa.

Mas a ganância motiva os vigaristas. Para Virgilio Bravo, cientista político no Instituto Tecnológico de Monterrey, “a crise econômica incitou mais indivíduos a ousarem essa impostura lucrativa, sem contar a perda dos valores religiosos entre as novas gerações urbanas”.

“Os mexicanos se dizem católicos, mas somente 20% são praticantes”, explica Bravo. “O clero não soube se adaptar à modernização de uma sociedade religiosa por tradição, mas laica perante a lei, desde que a Igreja foi separada do Estado em 1859.”

Prejuízo

A extensão desses embustes representa um grande prejuízo para a Igreja, que entrou com uma série de ações junto à procuradoria. Sete mandados de prisão teriam sido emitidos no Estado do México, onde o diretor da Basílica de Los Remedios, em Naucalpan, identificou 32 impostores, cujos nomes foram divulgados para as outras dioceses. Essas mesmas denúncias públicas foram feitas no boletim online do arcebispado da Cidade do México, que publicou, juntamente com fotos, a identidade de oito falsos padres e de um santuário de mentira.

“Nossa luta depende sobretudo da comunicação junto aos fiéis crédulos, porque são raras as prisões e as condenações para um delito que a Justiça muitas vezes não considera importante”, lamenta o padre Manuel Corral.

Fonte: Le Monde

28/04/2011

Nova certidão de Casamento ta valendo a partir de hoje


Certidão de nascimento será emitida em papel de
segurança (Foto: Divulgação/Ministério da Justiça)

A nova certidão de nascimento, emitida em papel de segurança, começa a valer a partir desta quinta-feira (6), segundo publicação no Diário Oficial da União. O novo modelo foi elaborado pela Corregedoria Nacional de Justiça, em conjunto com o Ministério da Justiça e a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. Segundo a Secretaria de Direitos Humanos, os papéis das certidões de casamento e óbito também serão modificados.

De acordo com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a emissão de certidões de nascimento, casamento e óbito no Brasil passará a ocorrer em papel de segurança, que será fornecido pela Casa da Moeda aos cartórios de registro civil de pessoas naturais.

O documento passará a ter papel especial, marca d’água e outros itens que permitirão maior segurança, a fim de evitar falsificações. Segundo texto publicado no Diário Oficial, como item de segurança, o fundo do papel trará a palavra “autêntico”, visível sob lâmpada ultravioleta com luminescência verde limão.

A previsão é de que o novo papel comece a ser distribuído ainda neste mês, começando pela certidão de nascimento. Só depois serão distribuídos os papéis para casamento e óbito, segundo a Secretaria de Direitos Humanos.

Cartórios

Segundo o CNJ, cerca de 1,2 mil cartórios de registro civil de todo o país que ainda não são informatizados deverão começar a receber computadores e cursos de capacitação para seus funcionários a partir de fevereiro. A entrega dos equipamentos e a realização dos cursos vão permitir a emissão de certidões de nascimento, casamento e óbito no Brasil em papel de segurança.

A partir desta semana, cartórios do Nordeste que já possuem equipamentos de informática começarão a receber orientações sobre como proceder para solicitar o novo papel de segurança e começar a emitir o documento nos novos padrões.

Já os cartórios de registro civil informatizados do Centro-Oeste começarão a receber orientações sobre como solicitar o novo papel a partir do dia 12 de janeiro. A partir de 17 de janeiro será a vez das unidades informatizadas do Norte. Os cartórios das regiões Sudeste e Sul começarão a ser atendidos a partir dos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro, respectivamente.

Papéis das certidões de casamento e óbito também serão modificados (Foto: Divulgação/Ministério da Justiça)

08/02/2011

Teólogos católicos pedem permissão de casamento para padres


Teólogos católicos pedem permissão de casamento para padresMais de 140 teólogos católicos alemães, austríacos e suíços pediram reformas na Igreja Católica que, entre outras coisas, permitam o casamento de padres, informou o jornal alemão Süddeutsche Zeitung.

No documento, que tem como título “Igreja 2011: a imprescindível renovação”, aberto para consultas no site do jornal, os 143 teólogos, em sua maioria professores de universidades de língua germânica, também pedem ao Vaticano que autorize a entrada de mulheres na vida sacerdotal.

O Papa Bento XVI tem viagem programada à Alemanha, seu país natal, em setembro.

Antes de se tornar Sumo Pontífice, Bento XVI, então apenas o téologo alemão Joseph Ratzinger, examinou a possibilidade de autorização do casamento dos padres, informou em 27 de janeiro o Süddeutsche Zeitung.

Ratzinger integrou um grupo de nove teólogos alemães que apresentou um memorando em fevereiro de 1970 aos bispos da Alemanha para pedir uma análise da necessidade do celibato obrigatório dos padres, segundo o jornal.

Fonte e foto: AFP

07/01/2011

O que diz a Bíblia sobre ser uma mãe cristã?


Ser mãe é um papel muito importante que o Senhor escolhe para dar a muitas mulheres. Às mães é dito que amem seus filhos em Tito 2:4-5, que diz: “Para que ensinem as mulheres novas a serem prudentes, a amarem seus maridos, a amarem seus filhos, A serem moderadas, castas, boas donas de casa, sujeitas a seus maridos, a fim de que a palavra de Deus não seja blasfemada.” Em Isaías 49:15a a Bíblia diz: “Porventura pode uma mulher esquecer-se tanto de seu filho que cria, que não se compadeça dele, do filho do seu ventre?” Quando se começa a ser mãe?

Os filhos são presentes do Senhor (Salmos 127:3-5). Em Tito 2:4, aparece a palavra grega “phileoteknos”. Esta palavra representa um tipo especial de “mãe-amor”. A idéia que esta palavra evoca é de “preferir” nossos filhos, “cuidar” deles, “alimentá-los”, “abraçá-los” com amor, “satisfazer suas necessidades”, “amavelmente ser amiga” de cada um como único vindo da mão de Deus. A Escritura nos ordena para que vejamos “mãe-amor” como nossa responsabilidade. A palavra de Deus ordena tanto às mães quanto aos pais para que façam várias coisas na vida de seus filhos, dando:

Disponibilidade – manhã, tarde e noite (Deuteronômio 6:6-7).

Envolvimento – interagindo, colocando pontos de vista, pensando e processando a vida juntos (Efésios 6:4).

Ensinamento – sobre as Escrituras, a visão bíblica do mundo (Salmos 78:5-6, Deuteronômio 4:10, Efésios 6:4).

Treinamento – ajudando o filho a desenvolver habilidades e descobrir seu potencial (Provérbios 22:6).

Disciplina – ensinando o temor do Senhor, ensinando seus limites de forma consistente, amorosa e firme (Efésios 6:4, Hebreus 12:5-11, Provérbios 13:24, 19:18, 22:15, 23:13-14, 29:15-17).

Nutrição – provendo um ambiente de constante apoio verbal, liberdade de falhar, aceitação, afeto e amor incondicional (Tito 2:4, II Timóteo 1:7, Efésios 4:29-32, 5:1-2, Gálatas 5:22, I Pedro 3:8-9).

Exemplo com integridade – vivendo de acordo com o que ensina, sendo um modelo com o qual o filho possa aprender “captando” a essência de um viver piedoso (Deuteronômio 4:9, 15, 23; Provérbios 10:9, 11:3; Salmos 37:18, 37).

A Bíblia nunca ordena que todas as mulheres devam ser mães. Contudo, diz que aquelas que o Senhor abençoa e se tornam mães devem tomar seriamente tal responsabilidade. As mães têm um papel único e crucialmente importante nas vidas de seus filhos. A maternidade não é um trabalho ou tarefa desagradável. Da mesma forma com que uma mãe gera seu filho durante a gravidez, e da mesma forma com que a mãe alimenta e cuida de seu filho durante a infância, as mães têm também um papel constante na vida de seus filhos, adolescentes, jovens adultos e até filhos completamente adultos. Enquanto o papel da maternidade deve se transformar e se desenvolver, o amor, cuidado, educação e encorajamento que uma mãe dá nunca devem terminar.

Fonte: GoQuestons

%d blogueiros gostam disto: