Posts tagged ‘Chineses’

02/08/2012

Aumenta o número de jovens chineses que se casam na igreja


Aumenta o número de jovens chineses que se casam na igreja A população cristã ainda é a minoria na China, mas isso não tem impedido que o número de casamentos feitos na igreja cresça cada vez mais. As cerimônias religiosas estão aumentando em todo o país, atraindo até mesmo casais onde um dos cônjuges não é cristão.

“Até 2008 não podíamos celebrar o casamento de quem não estivesse registrado na igreja”, disse Fan Guoxing, pastor da Igreja Cristã de Haidian, em Pequim. “Agora as normas estão mais relaxadas e celebro umas 40 bodas por ano, a metade entre não crentes”, continua.

O padre Xie Hongxia, que realiza as cerimônias de casamento na diocese de Chengdú, em Sichuán, sudoeste da China, estima que entre 70 ou 90% dos casamentos celebrados por ele ao longo do ano são entre casais não cristãos.

Quem exemplifica esse aumento de casamentos religiosos entre casais não cristãos é o casal Wang Manshu e Jiang Jin que se casaram em 12 de fevereiro na igreja de Haidian. “Nós estávamos preocupados que o nosso pedido fosse negado, mas nos sentimos muito felizes quando eles aceitaram fazer nosso casamento”, disse o noivo.

Wang, 35 anos, acredita que os jovens precisam de uma cerimônia especial. “Nossos corações ficam purificados e nos ajuda a encontrar uma conexão mais profunda”, disse ele.

Wang e Jiang gastaram cerca de 940 dólares para realizar o casamento contando com o custo da igreja, o pastor, a decoração e com o coral. Mas para eles não importa o valor, pois as bodas tradicionais na China são muito complicadas. “Ainda que seja mais caro, a igreja não é uma bagunça”, disse o noivo.

Bodas religiosas aproximam os convidados das crenças cristãs

O mais importante desse aumento de casamentos religiosos é que tem feito com que muitas pessoas passem a conhecer o cristianismo, ou ao menos um culto religioso. O tio da noiva, Wang Tianyu, 65 anos, nunca tinha entrado em uma igreja até a data do casamento.

“Os jovens estão se casando e divorciando muito rápido hoje em dia. Quem sabe com uma boda solene realizada em uma igreja não lhes ajude a levar o matrimonio com mais seriedade”, disse ele.

Outro convidado que nunca tinha entrado em uma igreja foi Zhang Xing, convidado do noivo, ele estava bem nervoso no dia do casamento, mas se controlou para não sair e fumar. “Estava incomodado, queria fumar, mas pensei melhor e aguentei. Em um casamento chinês a gente conversa, caminha de um lado para o outro e faz brincadeiras sobre os recém casados, mas em uma igreja tem que se comportar”, disse ele.

É por casos como esse que muitos párocos estão contentes por ter suas igrejas sendo visitadas por não crentes. “Alguns cristãos estão expressando sua objeção para a celebração de casais que não freqüentam nossa igreja, mas ao fazê-lo, muitos tomam contato com as nossas crenças”, explica o pastor Guoxing.

Uma voluntária da Catedral de Sur, Ma Qing, conta que os interessados podem encontrar todas as informações sobre a cerimônia religiosa na própria igreja e testemunha que muitos casais depois de se casarem na catedral voltam para se batizar.

Traduzido de China Daily

05/02/2011

Grupo distribui Bíblias durante ano novo Chinês


Grupo distribui Bíblias durante ano novo ChinêsParado em um ponto de ônibus, o missionário Crystal Houston segura um pacote vermelho com uma Bíblia em mandarim e outras literaturas cristãs. Uma mulher chinesa se aproxima e ele entrega o pacote, quando ela vê que é uma Bíblia dá um sorriso e agradece.

“Uau! Isso é emocionante. Eu tenho quatro ou cinco Bíblias, mas essa mulher provavelmente não tem nenhuma. Entregando a primeira Bíblia só dá vontade de continuar fazendo isso. Vamos começar a trabalhar”, afirma Crystal Houston, membro da igreja Batista em Atoka.

Ele deixou o estado americano do Tennessee e partiu para a Ásia com o objetivo de evangelizar. Junto com ele estão outros 50 voluntários de seis estados e dois países que estão distribuindo Bíblias, através do ministério chinês de distribuição de Bíblias na Ásia chamado Southern Cross.

Seus esforços voluntários fazem parte de uma ênfase especial em torno das duas semanas de comemorações do Ano Novo Chinês. Ano Novo Chinês que teve inicio na quinta-feira, 3 de fevereiro.

Mais de 500 Bíblias foram distribuídas na primeira noite, 29 de janeiro. O objetivo é distribuir mais de 2 mil Bíblias.

O coração do pastor Michael Berkley quebrou quando uma jovem chinesa tentou obter uma Bíblia, mas outra mulher sacudiu o braço com o sinal de negativo. O pastor da Igreja Batista de Vitória Henning, Tennessee, diz a mulher voltou, mas outra pessoa a levou embora.

“Seu rosto vai ficar marcado na minha mente por um longo tempo. Ela queria uma Bíblia, mas ninguém deixou. Estou orando para que ela receba um exemplar das Sagradas Escrituras em um dos outros pontos de distribuição”, disse Berkley.

Uma jovem universitária chinesa vai do ônibus para a universidade e não esconde que é cristã. Muitos zombam, mas mesmo assim ela professa sua fé em Cristo. A jovem faz parte dos voluntários do Southern Cross.

Ela conta que em uma das viagens do Southern Cross, muitas meninas chinesas gritavam: “Jesus me ama, Jesus me ama!”. Deborah Stiles e Laura Yates olhavam comovidas com a demonstração de amor a Cristo.

Antes de entregar as Bíblias em mandarim, as voluntárias deram um abraço nas chinesas. “Nunca em meus sonhos esperava que distribuir Bíblias a seria tão emocionante”.

Uma das mulheres chinesas explica que a emoção começou quando ela viu o sinal na janela do ônibus. Seu coração saltou de alegria. Tudo o que podia pensar era receber essas Bíblias e falar com ela cristãos. “Estamos muito felizes em vê-los distribuindo Bíblias para as pessoas que necessitam. O povo chinês precisa de Bíblias. Todas as pessoas precisam de Bíblias”.

Fonte: BP News / CPAD News

26/01/2011

Apenas 15% dos chineses identificam-se como ateus


Cerca de 85% dos chineses professa uma religião ou admite ter praticado um ritual religioso no passado recente, segundo um estudo sobre a vida espiritual dos residentes da China, levado a cabo pela Associação de Arquivos de Dados Religiosos.

Os números podem ser considerados surpreendentes, tendo em conta que a China é um país oficialmente ateu, que encoraja o ateísmo no sistema de educação e nos locais de trabalho e chega a exigi-lo aos membros do Governo e do Partido Comunista.

Contudo, a esmagadora maioria dos inquiridos admitiu ser religioso ou revelou ter práticas de natureza religiosa.

A influência chega também ao Partido, 17% admite ter uma religião e outros 65% terão praticado um ritual religioso durante o último ano.

O estudo, da autoria dos sociólogos Fenggang Yang e Rodney Stark, mostra ainda que a maior religião na China é o Budismo, com 18% da população, o que se traduz em 185 milhões de pessoas.

O Cristianismo contará com cerca de 3,2%, ou seja, cerca de 33 milhões, mas os autores referem que outros 40 milhões de pessoas mostrou partilhar algumas crenças cristãs.

As práticas espirituais soltas, como a veneração dos antepassados, têm ainda mais aderentes, chegado aos 745 milhões de pessoas.

Yang e Stark dizem que, perante estes dados, é absurdo falar dos chineses como um povo ateu, independentemente da posição oficial do Governo.

A China não é o único país a declarar-se oficialmente ateísta, Coreia do Norte, Vietname, Laos e Cuba, todos países comunistas também o são, embora Cuba tenha liberalizado as suas atitudes em relação à Igrejas nos últimos tempos.

Fonte: Rádio Renascença / O Verbo

%d blogueiros gostam disto: