Posts tagged ‘conflito’

11/05/2012

Conflito entre ‘TV Record’ e revista ‘Veja’: Leia o artigo de Reinaldo Azevedo


O jornalismo da Rede Record teve acesso às gravações de telefonemas entre o bicheiro Carlinhos Cachoeira, preso acusado por 15 delitos, e o diretor da revista Veja em Brasília, Policarpo Júnior, que mostrou o esquema em que o contraventor controlava o que seria publicado na principal revista da Editora Abril.

Os documentos que o ‘Domingo Espetacular’ teve acesso com exclusividade trazem provas de que as informações trocadas entre Cachoeira e o diretor da Veja resultaram ao menos em cinco capas da revista de maior circulação do país.

As gravações registram ainda que a influência esbarra em outras esferas do poder, como na pressão para demissão da cúpula do Ministério dos Transportes, que havia se desentendido com um dos aliados do contraventor, a construtora Delta. Por meio do que Cachoeira passava para ser publicado na Veja, vários funcionários do ministério foram afastados.

Carlinhos Cachoeira é acusado por 15 delitos

Cachoeira se orgulha de “plantar” notícias na Veja em benefício próprio e sabe até quando determinadas matérias sairão.

A revista ainda não se manifestou abertamente em relação ao caso. O diretor de redação da Veja, Eurípedes Alcântara, publicou na internet artigo sem citar nomes em que afirma que “ter um corrupto como informante não nos corrompe”.

A reportagem do Domingo Espetacular ouviu especialistas, que registraram grave problema ético no tipo de jornalismo praticado pela Veja diante de tantas ligações criminosas.

“Ter um corrupto como informante não nos corrompe”, disse o diretor de redação da Veja, Eurípedes Alcântara

O professor Laurindo Leal Filho, da USP, avalia que o controle da publicação não pode ser da fonte. “O jornalista pode e deve falar com qualquer tipo de fonte desde que tenha o controle sobre a publicação e a matéria que ele está fazendo. Quando ele oferece à fonte o controle (…), ele rompe os limites éticos”, disse.

O presidente da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), Celso Schroder, critica o envolvimento da Veja no escândalo do Cachoeira. “Nesse caso, houve uma relação promíscua muito intensa, unilateral”.

O deputado federal Fernando Ferro (PT-PE) acredita que a CPI do Cachoeira, que começou os trabalhos na semana passada em Brasília, deve convocar não apenas o jornalista Policarpo Júnior, mas também o responsável pela editora que publica a Veja, Roberto Civita. “Na minha opinião, ele é o principal responsável. Ele é o dono dessa revista, e ele operou com vontade”.

O colunista Reinaldo Azevedo, do site da revista Veja, fala sobre o assunto em seu artigo: “Edir Macedo, que frauda o sentido da Bíblia ela-mesma, não será o autor de uma bíblia do jornalismo ético”. Confira!

Fonte: Verdade Gospel:

Veja:

12/07/2011

Cristãos apoiam fim de conflito entre Israel e Palestina


Os líderes religiosos protestantes e cristãos pediram ao presidente Obama que tome “medidas ousadas” para estabelecer a paz em Israel e na Palestina.

Em uma carta redigida por “Igrejas para a Paz do Oriente Médio”, feita essa semana, o presidente foi chamado a ter uma posição clara e corajosa na Assembleia Geral das Nações Unidas.

A carta diz que Obama deve fazer uma declaração que aborde todas as questões que envolvem esse conflito, incluindo a questão de Jerusalém, com soluções justas para os refugiados e acesso assegurado para todas as crenças a seus lugares sagrados.

Em um comunicado, a NCC disse: “A carta ao presidente vem em um momento em que o caminho para a paz está cheio de obstáculos e os líderes israelitas e palestinos entendem os desafios que estão enfrentando no âmbito político.”

A carta a Obama diz que “o tempo não está do lado da paz”, e os líderes solicitam que a questão seja priorizada pelo presidente. A carta foi assinada por líderes religiosos de todas as igrejas cristãs.

O presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, disse em um discurso ao parlamento holandês, em Haia, que o povo palestino reconhece o direito de Israel de existir. Segundo o Jerusalem Post, Abbas acrescentou que esperava que o governo israelense respondesse aos seus comentários.

A WAFA, agência palestina de notícias, informou que Abbas disse: “Nosso principal objetivo são as negociações de paz com o lado israelense e espero que os Estados Unidos, a União Europeia e a Federação Russa tenham sucesso em seus esforços para retomar as negociações de paz.”

Sobre o progresso, nas últimas semanas tem sido feito um acordo de reconciliação entre as autoridades palestinas e o Hamas.

Fonte: CPADNews

10/05/2011

Continua tensa a relação entre cristãos e muçulmanos


Continua tensa a relação entre cristãos e muçulmanos Continuam os protestos contra os incêndios em igrejas no centro do Cairo, após o final de semana de confrontos. Os cristãos coptas estão recolhendo os pedaços depois os confrontos em que duas igrejas foram incendiadas e 12 pessoas mortas.

No sábado à noite, grupos muçulmanos atacaram e incendiaram a igreja de Mar Mina, em Imbaba, por acreditarem que os cristãos mantinham presa ali uma ex-muçulmana que teria mudado de credo para se casar com um jovem cristão. O confronto sangrento deixou pelo menos 12 mortos e 232 feridos, de acordo com números divulgados pelo Ministério da Saúde do Egito.

A mulher teria aparecido em uma televisão cristã para desmentir as acusações.

Grupos de cristãos e muçulmanos atiraram bombas e pedras uns nos outros nas ruas.  Casas e lojas também foram alvejadas. A polícia conseguiu colocar a situação sob controle depois de usar gás lacrimogêneo para dispersar a multidão.

Os líderes da igreja conduziram orações e declararam três dias de luto.

Centenas de cristãos se reuniram em frente ao prédio da televisão estatal no centro do Cairo, pedindo a demissão do principal líder militar do Egito, o Marechal de Campo Mohamed Hussein Tantawi, e acusando o Exército de não protegê-los.

O governo adotou uma postura mais rígida em resposta à violência, com as 190 pessoas detidas e se comprometeu a pagar uma indenização às famílias dos mortos e feridos na violência.

Autoridades prometem aumentar segurança de igrejas

Em entrevista à televisão, o governador da província de Giza, que inclui setores da Grande Cairo e onde está localizado o bairro de Imbaba, Ali Abdel Rahman, disse que o Exército e a polícia conseguiram acalmar a região.

O confronto, segundo agências de notícias internacionais, representa um novo desafio para os generais que governam o país desde a saída do poder do presidente Hosni Mubarak, em decorrência de intensos protestos.

O ministro da Justiça, Mohamed el-Guindy, prometeu que o governo vai aumentar a segurança nos locais de culto e endurecer as leis que criminalizam ataque a locais de adoração.

Periodicamente há incidentes armados entre cristãos e muçulmanos no Egito por motivos religiosos, especialmente no sul do país.

Fonte: Christian Post / Missão Portas Abertas

%d blogueiros gostam disto: