Posts tagged ‘CRISTIANISMO’

13/03/2019

A missionária sueca perseguida no Brasil, internada em hospício e ‘esquecida’ pela História


Frida Maria Strandberg Vingren morreu aos 49 anos, no dia 30 de setembro de 1940, na Suécia, nos braços da filha. Abatida, ela pesava 23 quilos.

Frida Maria Strandberg Vingren morreu aos 49 anos, no dia 30 de setembro de 1940, na Suécia, nos braços da filha. Abatida, ela pesava 23 quilos.

No decorrer dos cinco anos anteriores, entre idas e vindas em um hospital psiquiátrico de Estocolmo, a missionária sueca perdera quase 40 quilos. Ela fora internada pela primeira vez no dia 12 de janeiro de 1935, levada da estação central da cidade, quando tentava tomar um trem que a levaria para Portugal – de onde, acredita-se, pegaria um navio de volta para o Brasil.

Casada com o sueco que fundou, em Belém do Pará, a Assembleia de Deus, Frida se tornou uma das mais importantes lideranças da igreja no decorrer dos 15 anos em que esteve no Brasil. Ajudou a construir o ministério no Rio de Janeiro, comandava um jornal e pregava em praça pública.

Suas atribuições – muitas até então reservadas apenas aos homens –, entretanto, desagradaram pastores brasileiros e suecos, fizeram com que ela fosse perseguida e pressionada a voltar a seu país de origem, onde teve um fim trágico.

história da missionária passou décadas esquecida e, nos últimos anos, vem sendo resgatada tanto na Suécia quanto no Brasil. Foi tema de livro, de tese de doutorado e voltou a alimentar o debate – atual e ainda polêmico – sobre o papel da mulher na Assembleia de Deus, a maior religião pentecostal do país, com 12 milhões de fiéis.

Belém do Pará, onde tudo começou

Frida embarcou para Belém em 1917, aos 26 anos, enviada pela Igreja Filadélfia, uma denominação pentecostal baseada em Estocolmo.

Veio para juntar-se a Gunnar Vingren, que, sete anos antes, havia fundado a Assembleia de Deus no Brasil. Eles haviam se conhecido naquele mesmo ano, quando o missionário estava na Suécia para arrecadar fundos e visitar a família.

“Ele conta a ela sobre a missão e ela se apaixona pela ideia do Brasil”, diz Valéria Vilhena, pesquisadora da Universidade Metodista, que baseou o doutorado na vida da missionária e que lança neste ano um livro sobre sua história.

Frida, Gunnar e dois filhos

 chegou ao Brasil sete anos antes de Frida, em 1910; o casal teve seis filhos

Três meses depois de desembarcar no Norte do país, ela se casa com Gunnar, em uma cerimônia realizada pelo pastor sueco Samuel Nyström, que, ironicamente, se tornaria um de seus maiores antagonistas.

No início, Frida restringe seu trabalho aos serviços sociais da igreja, tradicionalmente entregues às mulheres. Cuidar dos filhos, zelar pelos órfãos, visitar os idosos e os doentes.

A jovem ia com frequência aos centros afastados que isolavam pacientes com hanseníase do restante da população – os chamados leprosários, que surgiram no Brasil naquela época –, diz Kajsa Norell, jornalista sueca autora de Halleljua Brasilien!, lançado em 2011, que conta a história do surgimento da Assembleia de Deus no Brasil.

O marido, missionário “por vocação”, na definição de Vilhena, estava constantemente viajando, buscando expandir o trabalho da igreja. A saúde frágil fazia com que ele quase sempre voltasse para casa doente. As particularidades da região que escolheu para pregar não ajudavam: pegou malária diversas vezes.

“Ele ficava muito tempo de cama”, diz o sociólogo Gedeon Freire de Alencar, autor de Matriz Pentecostal Brasileira: Assembleias de Deus, 1911-2011 e um dos primeiros a redescobrir a história de Frida, no início dos anos 2000.

Com o tempo, a missionária assume cada vez mais as atribuições de Gunnar em Belém. Talentosa, ela começa a traduzir os hinos da igreja sueca para o português. Canta, toca e começa a pregar.

“Ela transforma os boletins entediantes dos missionários (publicados nos jornais da igreja sueca) em histórias incríveis. Um dos textos conta sobre a prisão que ela visitava toda semana em Belém, que mantinha 200 garotos entre cinco e 20 anos de idade, alguns que estavam ali simplesmente por não terem pai”, conta Norell, que passou meses entre os arquivos da Igreja Filadélfia, mantidos em um castelo nas redondezas de Estocolmo.

Frida com presos

Direito de imagemACERVO CPAD-CEMPImage captionFrida na escola dominical em que lecionava, em uma prisão no Rio de Janeiro

Frida passa então a bater de frente com o pastor Samuel Nyström – à frente do jornal da Assembleia de Deus, batizado de Boa Semente –, que era radicalmente contra que as mulheres pudessem pregar.

Em sua correspondência com a liderança da igreja na Suécia, Nyström passa a reclamar da missionária em toda oportunidade que lhe aparece. “Nas cartas que escrevia a Lewi Pethrus (uma das maiores figuras do pentecostalismo sueco) o tom é de fofoca mesmo: ‘Hoje ela fez isso e isso, ontem foi isso e isso'”, afirma Norell.

Em 1924, com quatro filhos, o casal Frida e Gunnar decide então se mudar para o Rio de Janeiro para fundar um novo ministério. “Eles decidem sair de Belém porque a tensão já era insustentável”, ressalta Vilhena.

 

O ministério feminino no Rio de Janeiro

Na capital carioca, Frida expande seu trabalho. Torna-se a primeira mulher da religião a dirigir uma escola bíblica dominical, fundada em uma prisão, e inicia o jornal Som Alegre, através do qual passa a defender o ministério feminino.Frida

Seus textos citam com frequência trechos da Bíblia que, em sua visão, deixavam claro que as mulheres poderiam pregar, ensinar ou doutrinar.

O comportamento desagrada também pastores brasileiros, incluindo Paulo Leivas Macalão, gaúcho, de família abastada e com tradição militar, que estava à frente da Assembleia de Deus Madureira, hoje uma das maiores do país.

“Parte dos pastores da igreja no Rio de Janeiro já não queria se submeter a sueco pobre e semiletrado. A mulher, muito pior”, acrescenta Alencar.

Ele lembra que, no início do século 20, a Suécia era um país pobre, onde a igreja luterana era a religião oficial. Perseguidos, os pentecostais migraram especialmente para os Estados Unidos. Os que vieram para o Brasil escolheram Belém porque, na época, graças à riqueza gerada pela borracha, era uma das cidades mais ricas do país.

A convenção de 1930 e o ‘enquadramento’

As tensões culminam na convocação da primeira grande convenção da Assembleia de Deus, realizada no dia 12 de julho de 1930, em Natal (RN).

“O motivo da convocação foi Frida”, destaca Isael Araújo, pastor da Assembleia de Deus em Niterói e autor da biografia Frida Vingren, lançada em 2014.

No encontro, os pastores definiram as atividades que poderiam ser desempenhadas pelas mulheres na igreja. Elas não chegaram a ser expressamente proibidas, por exemplo, de pregar – mas a atribuição não estava na lista do que as religiosas “tão somente” poderiam fazer.

“Foi um enquadramento”, acrescenta Araújo, que foi chefe do Centro de Estudos do Movimento Pentecostal (CEMP) da Casa Publicadora das Assembleias de Deus (CPAD). Em todo o processo, Gunnar ficou ao lado da esposa e defendeu o ministério feminino, mas foi voto vencido.

Nos meses que se seguiram, a situação ficou pior. Frida usou seu espaço no jornal da Assembleia para desafiar as decisões tomadas na convenção e para pedir que as mulheres não recuassem. “Um dos textos dessa época tinha como título ‘Deus nos convoca para a guerra’. Era uma demonstração direta de insubordinação”, diz Alencar.

Frida Strandberg Vingren

Direito de imagemACERVO CPAD-CEMPImage captionPressionada, Frida deixa o Brasil em 1932

O clima de conflito fica claro nas cartas trocadas entre os missionários e em outros

documentos da época: “Eles (os missionários brasileiros) precisam de homens. De preferência, com as mesmas qualidades de liderança como a de Frida e Adina (Nelson, esposa de Otto Nelson), mas do sexo masculino”, escreve o pastor A.P. Franklin no jornal da igreja na Suécia, chamado The Harald.

A situação escalou depois de um suposto caso de adultério de Frida com um brasileiro. Apesar de não haver uma confirmação documental do romance que a missionária teve com o rapaz, bem mais novo que ela, os indícios levam a crer que isso de fato aconteceu.

“Eu realmente acredito que seja verdade”, diz Norell, que entrevistou um dos filhos de Frida e algumas de suas netas enquanto escrevia o livro e que identificou o assunto em cartas enviadas à Suécia “por pessoas que não eram hostis a ela”.

O pastor que era ‘uma mistura de Edir Macedo com Silas Malafaia’

A situação fica insuportável no Brasil e, em de 1932, o casal, que na época tinha seis filhos, decide retornar à Suécia. Antes de partir, contudo, eles perdem a filha mais nova – e Gunnar morre pouco tempo depois de chegar à Europa.Frida e Gunnar (esq.) foram casados pelo pastor Samuel Nyström (dir.), que viveu no Brasil com a esposa, Lina (também na foto)

Direito de imagem’HALLELUJA, BRASILIEN!’/CORTESIA KAJSA NORELLImage captionFrida e Gunnar (esq.) foram casados pelo pastor Samuel Nyström (dir.), que viveu no Brasil com a esposa, Lina (também na foto)Frida quer retomar a vida de missionária, mas a liderança da igreja no Brasil não aprova seu retorno. Na Suécia, suas aspirações também são tolhidas por Lewi Pethrus, um dos maiores líderes da igreja pentecostal no país.

Inimigo poderoso, ele era “mistura de Edir Macedo com Silas Malafaia”, define o pastor Araujo. A comparação com o fundador da Igreja Universal do Reino de Deus, denominação neopentecostal, e com o pastor do ministério Vitória em Cristo, ligado à Assembleia de Deus, dá conta do espírito “empreendedor” de Pethrus e de sua postura muitas vezes polêmica.

Em 1964, Pethrus fundaria o partido democrata-cristão sueco – o Kristdemokraterna (KD) –, de centro-direita.

Diante dos reiterados pedidos de Frida, o líder afirma que seu trabalho no Brasil havia prejudicado a missão e dá-lhe um não definitivo.

Ela levanta então recursos por conta própria e decide ir para Portugal.

O hospício e o esquecimento

Detida na estação de trem de Estocolmo, ela já sai com uma camisa de força em direção ao hospital psiquiátrico.

A igreja lhe tira a guarda dos filhos e doa todos os seus pertences.

Para Kajsa Norell, é difícil dizer se, naquele momento, Frida realmente tinha algum tipo de doença psiquiátrica. “Ela estava esgotada, física e mentalmente, já tinha tido malária no Brasil e, provavelmente, sofria de alguma doença na tireoide”.

Em nenhum dos prontuários médicos, contudo, há o diagnóstico de que ela sofria de algum distúrbio mental.

Frida Strandberg Vingren

Direito de imagemACERVO CPAD-CEMPImage captionFrida morreu aos 49 anos

Durante sua pesquisa, a autora percebeu “alguma coisa estranha” nos olhos de Frida. Quanto mais recente a fotografia, mais saltados eles pareciam. A partir dos registros médicos da missionária, especialistas concluíram que ela tinha possivelmente hipertireoidismo – doença que provavelmente a matou.

Para o pastor Araújo, o conflito direto com as maiores lideranças da igreja está entre as razões para o ‘esquecimento’ de Frida. Ele nega que a biografia, publicada pela editora da Assembleia de Deus, seja uma ação de reparação à missionária.

“Gunnar Vingren, o pioneiro da igreja, já tinha uma biografia. A esposa, ainda não. Não quis fazer uma biografia crítica, porque não sou sociólogo”, justifica.

Ele diz ter se deparado com a história quando trabalhava no Dicionário do Movimento Pentecostal, em 2007, e viajou à Suécia em 2008. Os diários de Gunnar e parte do acervo que estava com a família, incluindo fotos, hoje se encontram no Brasil.

Na Suécia, a Igreja Filadélfia foi confrontada com a trajetória de Frida quando o livro de Kajsa Norell foi lançado.

“Aquilo era uma novidade completa para nós”, diz Gunnar Swahn, que foi secretário de missões da Igreja Filadélfia até recentemente, quando se aposentou. “Foi horrível o que fizeram com ela. Muita gente ficou chocada com a forma como ela foi tratada pelas antigas lideranças”.

O livro, ele acrescenta, se soma a outras obras publicadas nos últimos anos na Suécia que revelam traços e atitudes polêmicas de Lewi Pethrus, em relação ao qual a igreja tem hoje uma postura crítica. “Digamos que ele não é idolatrado pelos fiéis, apesar de ainda ser uma figura importante”.

Igreja Filadélfia, em Estocolmo

Direito de imagemSIMEON HAGSTRÖM/CORTESIAImage captionA Igreja Filadélfia, que mandou Frida para o Brasil, tem hoje visão bastante crítica em relação a Lewi Pethrus, um dos maiores líderes da denominação e poderoso inimigo da missionária

Questionado sobre as mulheres, se elas hoje podem ser pastoras, ele se apressa: “Ah, sim! Nós gostamos de pensar que somos uma igreja progressista.”

A BBC News Brasil não teve retorno da Assembleia de Deus Belém sobre o pedido de entrevista e não conseguiu contato com a Assembleia de Deus Madureira, no Rio de Janeiro.

A Assembleia de Deus e as mulheres

As mulheres têm ganhado cada vez mais espaço dentro das Assembleias de Deus no Brasil, diz Alencar. Essa tendência, contudo, é bastante assimétrica nas diferentes regiões do país, justamente pelas características da religião.

Ao contrário da Igreja Católica, bastante hierarquizada, sua estrutura é congregacional. “É como se fosse uma democracia direta”, compara o sociólogo. Cada congregação define suas liturgias, “tem lugar que aceita mulher, tem lugar que não aceita”.

Em 2005, ele exemplifica, o pastor Manoel Ferreira – filiado ao PSC e presidente da Convenção Nacional das Assembleias de Deus no Brasil – Ministério de Madureira (Conamad) –, ao consagrar Jairo Manhães como pastor, acabou consagrando, sem aviso prévio, sua esposa, Cassiane – “cantora gospel de sucesso e milionária”.

Depois disso, afirma Alencar, todas as esposas de pastores do ministério de Madureira também foram ordenadas como pastoras. “Já a minha igreja, a Betesda, consagra pastoras desde 1994”, ele acrescenta.

Fonte: BBC Brasil

08/03/2019

Autoridades chinesas prendem crianças, grávidas e idosos durante culto


Segundo relatos do ministério China Aid, autoridades do governo comunista da China prenderam dezenas de membros da Igreja Early Child Covenant no último dia 24 de fevereiro.

Entre os presos estavam 11 crianças, entre elas um bebê de apenas 2 meses. Mulheres grávidas também foram presas e a mãe do pastor Wang Yi, de 74 anos, foi espancada pela polícia, de acordo com o site.

O grupo ficou detido na Delegacia de Polícia de Chengdu e seus celulares foram retidos. Durante o tempo de detenção, o grupo não teve acesso a alimentos. A soltura de alguns aconteceu só no outro dia pela manhã.

“Até agora, 11 pessoas foram condenadas a detenção administrativa. Os condenados a uma detenção de 14 dias são Zhang Jianqing, Zhixue Wei, Xiaoguang Zhu, Hou Hong’en, Luo Zhipeng, Yang Duli, Zhang Guanya, Huang Guangtai e Tang Chunliang. Tanto A como Yang Jian receberam uma sentença de detenção de dez dias”, diz Bob Fu, líder do ministério.

O Irmão A-Xin, um tradutor, ouviu falar sobre a prisão arbitrária de crianças, idosos e mulheres grávidas e relatou o caso no Facebook. Por conta disto, ele foi preso em sua casa por quase dez policiais.

As autoridades chinesas permanecem perseguindo os cristãos na tentativa de frustrar o crescimento da religião no país.

Fonte: Gospel Prime

07/03/2019

Bancada evangélica acusa Gaviões da Fiel de intolerância religiosa


Líderes evangélicos não gostaram da escola de samba Gaviões da Fiel que levou para o sambódromo paulista uma representação do embate entre Satanás e Jesus num embate em que o primeiro aparenta sair vitorioso.

Após a repercussão, a escola publicou em suas redes sociais fotos de outro momento do desfile, em que Jesus sai vencedor da disputa, com os dizeres “Jesus venceu o mal”.

A Frente Parlamentar Evangélica da Câmara dos Deputados disse, em nota divulgada nesta segunda (4), manifestar “profunda indignação e repúdio ao espetáculo” apresentado na madrugada deste domingo (3) pela escola de samba ligada ao Corinthians, que fez uma releitura do samba-enredo de 1994 “A Saliva do Santo e a Serpente do Veneno”, sobre a história do tabaco.

Para o presidente da bancada religiosa, Lincoln Portela (PR), “uma apresentação pública ofensiva e desrespeitosa a todos nós, cristãos, ao vilipendiar e escarnecer o Senhor Jesus Cristo e a nossa fé”.

Diz a nota assinada por Portela: “Entendemos que aquela apresentação não é arte, é crime. Nenhum direito é absoluto, logo o direito à manifestação artística não se sobrepõe à inviolabilidade da consciência e da crença”.

Coreógrafo da Gaviões, Edgar Junior teve uma entrevista à Globo recuperada. Nela, diz que o foco da comissão de frente da escola, que trouxe o embate entre Jesus e o Diabo, “era chocar”.

“Alcançamos nosso objetivo que era mexer com a polêmica Jesus e o Diabo e a fé de cada um.”

“Manifestações dessa natureza estimulam o desrespeito e a intolerância, caminho inverso àquele que nós, brasileiros, estamos buscando consolidar  continuadamente”, afirma a bancada evangélica.

Candidata derrotada a deputada federal e ex-feminista convidada para trabalhar no ministério de Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos), a católica Sara Winter afirmou à Folha de S. Paulo que entrará com representação no Ministério Público contra a Gaviões.

“Até o momento recebi mais de 600 emails de pessoas interessadas em processar a Gaviões”, diz.

A deputada Lauriete (PR-ES), casada com o ex-senador Magno Malta, e pastora como ele, também diz que vai acionar a Procuradoria contra a Gaviões. “São cenas preconceituosas, afrontosas e de vilipêndio  ao sagrado para o povo cristão, que tem também meu repúdio.”

Lider da Igreja Batista Atitude, frequentada pela primeira-dama Michelle Bolsonaro, o pastor Josue Vallandro Jr. também se pronunciou sobre o desfile. “Se fosse uma encenação destruindo um altar de culto de outra religião e dando uma surra num preto velho [entidade umbandista], o que acham que o MP, os partidos de esquerda, a liga de escolas de samba fariam?”

Em redes sociais, a escola introduziu Edgar Junior, 33, como idealizador de uma “comissão de frente que chega forte para o desfile em 2019”.

Fonte: Folha de S. Paulo

07/03/2019

MUNDO CRISTÃO“Pastores precisam plantar igrejas lideradas pelo Espírito Santo e não por suas preferências pessoais”


Palestrando durante a Conferência Exponencial, na terça-feira, na First Baptist Orlando em Orlando, Florida, o pastor Francis Chan falou sobre a necessidade de os pastores realmente aceitarem que Jesus Cristo, e não eles, quem manda nas igrejas, referindo-se a Efésios 5.

“Ele é o nossa cabeça. Então, à luz dessa verdade, como devo agir? Todos nós acreditamos que Ele é o cabeça, certo? E se ele não fosse o chefe da Igreja? Como você faria as coisas de maneira diferente? Pense nisso ”, pediu Chan, que abandonou seu ministério como pastor de uma megaigreja nos EUA para dedicar-se a escrever e trabalhar com discipulado individual.

“Eu percebo que muitas vezes eu não ajo como se Jesus fosse o chefe da Igreja. Eu não ajo como se eu fosse apenas um braço. Eu realmente não me humilho, ‘Senhor, você é o cabeça da Igreja. O que você quer que eu faça? O braço não faz nada a menos que a cabeça diga a ele para fazer isso’”, argumentou.

Para o teólogo, é preciso que os pastores declarem constantemente: “Deus, por favor, mate minha carne”. Destacou que sempre pede “que Cristo viva através de mim”. “De vez em quando, vejo o pequeno Francis. Mate-o, Deus. Não há nada para defender aqui. Eu quero ele crucificado. Eu realmente quero que Cristo viva através de mim”.

O preletor usou o exemplo de uma “piscina de ondas” que ele viu recentemente. Para Chan, aquilo “lembra da Igreja”.

Albert Tate, líder da Fellowship Church em Monrovia, Califórnia, e outro pregador da conferência, implorou para que os pastores “parem de construir igrejas que se pareçam com vocês e comecem a construir igrejas que se parecem com Jesus”.

Ele não poupou críticas ao que vê em seu país: “Nessas igrejas… todo mundo se veste da mesma forma, todos fazem compras no mesmo lugar, todas têm as mesmas coisas, todos são quase da mesma idade. Deixe-me dizer uma coisa, você tem uma igreja que está pronta para o domingo, mas não está pronta para o céu”.

30/01/2019

MOTIVO DE ESPERANÇA – SEMINÁRIOS NA GUIANA, AMÉRICA DO SUL


No início deste ano, World MAP foi privilegiada pela primeira vez para conduzir seminários quatro pastores na Guiana, uma pequena nação do sudeste da Venezuela.

Na equipe comigo eram Jorge Lara (Media e Coordenador Seminário) e nossa belos hotéis, Pastores Ravindra e Michelle, que ministraram na Guiana por décadas.

A Guiana é de língua Inglês, com uma história longa e variada como uma nação colonizada. A população é principalmente Indo-Guiana (40%) e afro-guianense (30%), descendentes dos trabalhadores das plantações da Índia e da África. Os ameríndios representam apenas 10% da população.

Guiana tem a quarta maior taxa de suicídio no mundo, um fato surpreendente, considerando a população total é de apenas 750.000 pessoas (provavelmente uma ligação espiritual ao Jonestown cult assassinato-suicídio em massa em 1978). indústria pequena e uma escassez de postos de trabalho também contribuem para a sensação geral de desesperança. Há abuso de drogas e substância pesada.

É claro agora por que o Senhor falou para mim em oração pré-seminário sobre dar a razão pastores de esperança!

SERVIÇO DE ALEGRIA NA

Fomos recebidos com grande amor em cada seminário. prontidão ansiosos os pastores para receber a Palavra de Deus era evidente, como foi sua abertura para o trabalho do Espírito Santo.

Poucos pastores tiveram treinamento formal Bíblia, e muitos participaram populares ministério “eventos” ocidentais. Então, eles estavam com fome para mais sólida, ensino linha-upon-line e prático ajuda ministério.

Os pastores estavam ansiosos para aprender, tomando notas e fazendo grandes perguntas. Tivemos muitos encontros maravilhosos, conversas, momentos de oração, amizades e muito fecundo ministério durante o nosso tempo na Guiana.

Nesta viagem memorável, viajamos por ônibus, avião, táxi, van, barco e ferry para as quatro seminários realizados em Demerara, Linden, Essequibo e Berbice.


Por favor, desfrutar de alguns pequenos excertos do diário de viagem Mundial MAP Guiana:

Demerara

“Tivemos um bom primeiro dia com os pastores. Para o jantar, o grupo dos homens da igreja nos trouxe “caldo de peixe” e ficou a comunhão conosco. O que um grande momento! …

“Tivemos um tempo forte neste seminário. Eu ensinei sobre o Reino de Deus, a Igreja e fazer discípulos. Senti-me levou a concluir com um ensinamento sobre a unção do Espírito Santo. Foi um poderoso tempo com um forte movimento do Espírito Santo …

“Muitos, muitos pastores expressa como abençoado e tocou eram pelo seminário. Deus é bom e faz com que esses tempos tão fecunda. ”

LINDEN

“Este seminário vai extremamente bem. Deus deu favor e os pastores estão absorvendo cada palavra. Estamos nos divertindo muito juntos. Eles são realmente um grupo maravilhoso …”

Essequibo

“Pelo menos 10 grupos religiosos diferentes estão em atendimento. Temos uma honra especial, como 15 índios nativos viajaram longas horas (até dias) das selvas circundantes para se juntar com a gente …

“Quando terminei o ensino sobre o Reino, houve uma poderosa resposta pelos pastores, comprometendo-se a ser Unido pastores e fazer maneira a obra de Deus de Deus …

“Nós tivemos um tempo fabuloso aqui. A resposta dos pastores para o trabalho da Palavra e do Espírito era profundo …

“Depois de voltar para Demerara, que foram servidos Iguana para o jantar. Foi Boney e não muito carne, com a pele sobre ele em um tipo de ensopado. Eu tinha um segundo ajudando!”

Berbice

“Palavra é mais sobre os seminários mapa do mundo aqui na Guiana e pastores estão chamando de todo como eles tentam entrar neste seminário final. Estou animado para estar com os pastores para os próximos dias …

“Tivemos um acabamento forte hoje. Senti uma sensação especial da presença do Espírito em direção ao final da mensagem. Nós começou a invocar o nome do Senhor – e Ele realmente mudou! Os pastores estão com fome para o ensino e excepcionalmente sensível ao Espírito …”


UMA PALAVRA FINAL

Sou muito grato ao Senhor por todos que ajudaram a fazer os seminários da Guiana possível. A maioria dos pastores Guiana trabalhar em empregos regulares, e só recebem uma média de $ 200 por mês. Eles fazem tanto com tão pouco.

Por causa de sua generosidade e amor por eles, muitos pastores (que de outra forma não teria sido capaz de atender) receberam ministério de mudança de vida. Eu gostaria que você pudesse testemunhar o quanto os seminários e própria sua Cajado significa para cada um deles.

Embora esperamos voltar, por favor, continue comigo para realizar-se em oração que o Senhor já começou na Guiana, para a glória de Jesus Cristo!

 

 

 

 

 

pelo Dr. Frank Parrish

19/12/2015

Tradutores de Bíblia estão sendo presos e mortos em países muçulmanos, afirma ONG


Tradutores da Bíblia também tem sido submetidos a uma intensa perseguição em algumas partes do mundo,

Tradutores da Bíblia também tem sido submetidos a uma intensa perseguição em algumas partes do mundo,

Tradutores da Bíblia também tem sido submetidos a uma intensa perseguição em algumas partes do mundo, segundo revelou a Wycliffe Associates, organização que promove a tradução das Escrituras Saradas em diversas línguas.

Ao iniciar novos projetos de tradução de Bíblias este ano, muitos dos tradutores da organização enfrentaram duros desafios, particularmente em países predominantemente muçulmanos.

Na Índia, o grupo relatou que um tradutor foi arrancado de sua casa durante a madrugada e levou 17 tiros. Na mesma semana, 16 casos de tradutores presos e torturados foram registrados.

Outros tradutores têm enfrentado situações inexplicáveis. O líder de uma oficina de tradução no Sudeste Asiático perdeu a voz misteriosamente, enquanto um número significativo de participantes da oficina ficou doente. Um jovem tradutor do mesmo grupo também morreu enquanto cochilava durante o workshop.

De acordo com Bruce Smith, presidente da Wycliffe, o que os tradutores estão vivendo é uma parte esperada da guerra espiritual. Por outro lado, ele expressou alegria pelo fato de o grupo ter lançado 203 projetos de tradução em todo o mundo, dentro de um ano.

“Eu estava empolgado para testemunhar a Deus em um trabalho como este. Estávamos frustrados diante das nossas próprias forças. Mas quando oramos, quando reconhecemos o poder de Deus, Deus abre as portas”, disse Smith.

Atualmente, a organização está envolvida em um grande esforço chamado “Visão 2025”, um plano para ter a Bíblia traduzida em todas as línguas do mundo até 2025.

19/12/2015

Pastor canadense é condenado à prisão perpétua na Coreia do Norte


Pastor canadense é condenado à prisão perpétua na Coreia do Norte

Pastor canadense é condenado à prisão perpétua na Coreia do Norte

Um pastor canadense acusado de atividades subversivas foi condenado nesta quarta-feira na Coreia do Norte à prisão perpétua com trabalhos forçados, o último de uma série de missionários estrangeiros detidos por se intrometer nos assuntos do país, segundo autoridades.

Hyeon Soo Lim, nascido na Coreia do Sul, atuava em Toronto como pastor da Igreja Presbiteriana Coreana da Luz.

“O acusado Lim reconheceu todas as acusações apresentadas contra ele, entre elas a difamação viciosa de nosso sistema e de nossa suprema dignidade, assim como conspirar para derrubar o nosso Estado”, indicou a agência oficial norte-coreana, KCNA.

Segundo a agência, o promotor havia pedido à Suprema Corte que pronunciasse a pena de morte, alegando que os crimes do pastor mereciam “a punição mais severa”. Finalmente, o tribunal rejeitou sua recomendação.

Lim foi detido pelas autoridades norte-coreanas em janeiro depois de chegar da China. Segundo sua igreja em Toronto, estava no país em missão humanitária e já o havia visitado em várias ocasiões para trabalhar em orfanatos e residências de idosos.

Em agosto, a Coreia do Norte publicou um vídeo no qual Lim aparecia em uma missa na igreja Pongsu de Pyongyang confessando seus crimes diante de uma pequena congregação na qual também havia estrangeiros. “Cometi o pior crime de todos, insultar e difamar a dignidade e a dirigência da república”, dizia Lim no vídeo.

Os cidadãos estrangeiros detidos na Coreia do Norte são obrigados, em geral, a confessar publicamente seus crimes, seguindo um roteiro muito elaborado, para obter eventualmente sua liberdade.

“O julgamento demonstrou novamente o destino miserável que pessoas como Lim aguardam, seguidores dos regimes americano e sul-coreano, que sem cessar tentam aniquilar nosso sistema socialista e difamam a suprema dignidade de nossa república sagrada”, acrescentou a agência KCNA.

A condenação de Lim também ocorre depois do fracasso de incomuns negociações de alto nível entre as duas Coreias, que tinham por objetivo melhorar a relação bilateral.

Desconfiança com religiosos

O regime comunista de Pyongyang encara com muita desconfiança os missionários estrangeiros, embora autorize alguns a trabalhar em missões humanitárias.

Nos últimos anos vários religiosos cristãos foram detidos, em sua maioria americanos de origem coreana. Alguns puderam retornar, graças à intervenção de políticos americanos de primeiro nível.

A liberdade religiosa está contemplada na Constituição norte-coreana, mas na prática é inexistente. As atividades religiosas estão estritamente reguladas e limitadas a organizações reconhecidas pelo governo.

Os religiosos estrangeiros detidos na Coreia do Norte se expõem a elevadas penas de prisão, ou podem servir também de moeda de troca para obter concessões ou a visita de algum importante representante estrangeiro.

Assim, em novembro de 2014, Kenneth Bae, um cidadão americano de origem coreana, assim como Lim, foi libertado depois de ser condenado a 15 anos de trabalhos forçados.

Este missionário evangélico foi condenado por conspirar contra o regime norte-coreano. Foi libertado junto a outro americano ao término de uma missão secreta efetuada em Pyongyang pelo chefe da inteligência americana, James Clapper.

Um missionário sul-coreano detido na Coreia do Norte em outubro de 2013, Kim Jeong-Wook, cumpre atualmente uma condenação de prisão perpétua a trabalhos forçados.

Fonte: AFP

07/12/2015

Cristão demonstra força e ousadia em Mianmar


País continua entre os dez mais violentos para os cristãos na Classificação da Perseguição Religiosa 2015

País continua entre os dez mais violentos para os cristãos na Classificação da Perseguição Religiosa 2015

Amod era um dos membros da comunidade rohingya, um dos povos mais perseguidos ao redor do mundo, por razões religiosas. Eles moram em Mianmar, onde prevalece o budismo. Recentemente tem ocorrido muitos ataques de budistas extremistas contra esse grupo étnico. Mas Amod agora se assume como um legítimo cristão e vive outro nível de perseguição. “Antes eu era perseguido pelos budistas e me refugiava em meu próprio povo, agora que sou um cristão, até mesmo minha família me persegue”, desabafa ele.

E continua: “Os muçulmanos da aldeia queriam me matar e tentaram por diversas vezes. Eles já cercaram a minha casa enquanto eu estava dormindo e atiraram pedras em nosso telhado. Mas eu não posso fingir que sou um muçulmano, como muitos fazem, e ter uma vida em segredo com Cristo. Eu entendo que se eu rejeitar Jesus, ele também me rejeitará no grande dia”. Amod disse que queria ser ousado e dizer a todos que era um seguidor de Cristo, então ele decidiu partir para a Índia. “Eu estou enfrentando muitas situações difíceis por causa da minha fé, mas eu não quero ser um cristão fraco e covarde. Eu quero fazer a minha conversão valer a pena para as pessoas que vivem ao meu redor”.

Hoje ele vive com um pequeno grupo de cristãos num campo de refugiados que fica na periferia de uma pequena cidade indiana. “Deus nunca se atrasa para responder as nossas orações. Ele mandou a equipe da Portas Abertas para nos ajudar, e eles nos auxiliam de todas as formas, mas o que eu considero mais valioso são os estudos bíblicos que recebo”, conta Amod.

O ousado cristão ainda visita a comunidade rohingya para ajudar os cristãos de lá, incentivá-los a frequentar os cultos e orar perseverantemente. “Eu necessito de lições da Bíblia, e eu tenho fome da palavra de Deus porque eu preciso ensinar a minha tribo. Estou muito feliz por ser útil na obra do Senhor. Tenho convicção de que tudo nessa vida passará, até as dores, a perseguição e a fome que enfrentamos, mas a palavra de Deus durará para sempre”, conclui Amod.

Motivos de oração

– Ore para que outras pessoas ouçam de Jesus e se convertam a ele em Mianmar.

– Peça a Deus que pessoas sejam enviadas a ensinar e compartilhar da Bíblia com esses cristãos.

– Agradeça a Deus pois, apesar da perseguição, a igreja em Mianmar continua firme e perseverante.

07/12/2015

Crianças órfãs, de famílias cristãs, são encontradas na Nigéria


Crianças órfãs, de famílias cristãs, são encontradas na NigériaCrianças órfãs da Nigéria, que sofreram com os conflitos entre cristãos e muçulmanos, são encontradas pela equipe da Portas Abertas e recebem ajuda. As crianças eram de famílias cristãs e moravam na cidade de Yola, capital do estado de Adamawa, onde houve um grande ataque e milhares de cristãos morreram.

“Eu vi meu pai sendo baleado e queria ficar com ele, mas ele dizia para eu correr com a multidão, que Deus cuidaria de mim. Eu pensei que minha mãe e meus irmãos estavam no meio daquelas pessoas, então eu corria e procurava por eles. Mas eu estava sozinha, perdi minha família e fui levada para um campo de refugiados”, conta Zira, uma das crianças.

A menina contou para um dos analistas de perseguição que, muitas vezes, eles iam dormir sem comida e que nem sempre havia esteiras para passar a noite, então eles dormiam no chão. “Todos ali tinham perdido seus pais e irmãos para o Boko Haram e estávamos na mesma situação”, diz a menina.

Além de Zira, há outras 15 crianças sendo cuidadas pela Portas Abertas, recebendo alimentos e outros suprimentos, além de bastante amor e atenção. “Nós estamos aqui na Nigéria ajudando órfãos deslocados e muitas viúvas. Temos igrejas tanto na Nigéria como em Camarões, assim podemos prestar também o trabalho espiritual e cuidar do lado emocional desses cristãos que enfrentaram tantas perdas. Eles vão ficar bem, porque Jesus está com eles”, conclui o analista.

02/12/2015

Jovens cristãos fazem paródia para responder vídeo pró-aborto gravado por atores globais


pro abortoUm grupo de jovens cristãos fez uma paródia, com críticas abertas, ao vídeo pró-aborto “Meu Corpo, Minhas Regras”, estrelado por atores da TV Globo.

O vídeo em questão traz um discurso extremista de feminismo e prega a legalização do aborto como um reconhecimento de liberdades individuais da mulher. A repercussão nas redes sociais foi extremamente negativa, e o material tornou-se um dos que possui maior reprovação no YouTube.

A resposta dos jovens, intitulada “Meu Corpo, Teu Corpo”, traz argumentos contra o aborto, abordando passagens bíblicas que foram ironizadas no vídeo original.

“É impressionante quem teve o direito de nascer querer tirar o direito do outro nascer. Quem deseja o direito do próprio corpo, precisa respeitar o direito do corpo do outro”, diz o texto, ressaltando o valor da vida e os direitos das crianças.

“Nunca foi fácil ter uma criança no mundo. É milenar. Desde o tempo de Nossa Senhora […] a virgem Maria. Virgem? Virgem e mãe. Gravidez turbulenta. Família pobre. Treze anos e correndo o risco de ser morta apedrejada. Quanto medo, quanta insegurança. Essa sim tinha motivo de sobra para dizer não, mas ela disse ‘quero’, mesmo sem saber o que ia acontecer no futuro”, diz o texto, respondendo à argumentação dos defensores do aborto de que a virgindade de Maria seria um erro de tradução. Assista o vídeo:

Erro de tradução?

Assim que o vídeo viralizou nas redes sociais, o pastor Jackson Jaques gravou uma resposta aos produtores e falou sobre o contexto histórico e cultural para o uso da palavra hebraica “almah”, usada na profecia de Isaías sobre a concepção virginal de Jesus para descrever sua mãe, e explicou que eram usuais na época os termos não literais para descrever uma virgem.

Jaques acrescentou que 250 anos antes de Cristo, os tradutores que transcreveram o Velho Testamento para o grego tiveram a capacidade de compreender essa característica da literatura de séculos atrás: “Sempre que a Bíblia usa a palavra ‘almah’, está se referindo sim a uma virgem. A palavra ‘Bethulah’ se entende que toda moça em Israel é virgem. O termo usado para quando ela é nova é ‘Almah‘, porque seria uma redundância dizer que ela é virgem”.

Confira a resposta na íntegra aqui.

Fonte: Gospel Mais

%d blogueiros gostam disto: