Posts tagged ‘Deus Existe’

15/06/2011

Blog ‘Sem deus no Coração’ ironiza intolerância no Twitter contra ateus


No Twitter, uma jovem escreveu ser “uma vergonha falar em público que não acredita em Deus”. Assim como ela, outras pessoas não têm tido vergonha de manifestar em público intolerância contra os ateus. Uma delas, por exemplo, escreveu que ser ateu é acreditar que o homem veio do “verme da merda dos dinossauros”, em uma alusão à teoria da evolução de Charles Darwin.

O analista de sistema André, 30, criou em abril o blog “Sem deus no coração” para ironizar os intolerantes do Twitter, como o rapaz que duvida da existência de ateus porque não conhece ninguém que atende pelo nome de Lúcifer ou Satanás. André retrucou: “O Belzebuzinho daqui de casa já está na quarta série”.

O blog tem cerca de 180 posts e mais de 2.000 seguidores via feed, Twitter e Facebook. André informa que os acessos são mais de 1.500 por dia.

A perseguição aos ateus no Twitter não surpreende porque reflete um dos mais enraizados preconceitos. Uma pesquisa de 2009 da Fundação Perseu Abramo revelou que os ateus e drogados são as pessoas mais odiadas pelos brasileiros. Em segundo lugar, mas com uma razoável distância, estão os homossexuais e os garotos de programa.

O que ocorre no Twitter é que lá muitas pessoas afirmam o que certamente não dizem a um ateu cara a cara. Coisa como: “Acabei de descobrir que odeio ateu. Gente idiota – se é que dá para considerar como gente”. Ou: “Quem não acredita em Deus é maléfico e perigoso.” Ou ainda: “Todo ateu é um depressivo sem esperança”.

Muitas pessoas duvidam que alguém possa ser de fato ateu, como se a descrença fosse um sintoma de uma anormalidade passageira. Nesse sentido, alguém escreveu:  “Ateu é aquele que sabe que Deus existe, mas diz que não para alimentar sua autoestima”. Ou: “Não há ateu quando um avião está para cair”. Mais: “Todo aquele que se diz ateu é porque tem vergonha de dizer que é carente de Deus”.

Existe a turma dos que acreditam que um dia os ateus vão se converter, um a um, como neste exemplo: “Muito bom o filme O Ritual. Os ateus que assistirem irão se converter”. Outro exemplo: “Não existe um ateu no inferno! Depois de 1 minuto, todos viram crentes.”

Há ainda aqueles que evocam a ira Deus contra os descrentes — “Deus não é bonzinho como vocês pensam” —  e os que dizem coisas incompreensíveis. Existe até quem consegue ser engraçado, como este: “É óbvio que Stephen Hawking não acredita em Deus. É um carinha revoltado porque não anda, não fala, nem bate punheta sozinho!”

Uma twitteira provocou: “Obrigada, Senhor, por ser um milagre de tua criação e não um acidente da evolução”. André observou: “Milagre mesmo é arrumar paciência pra ler tanta bobagem”.

Com informação do Sem deus no coração. / Paulo Lopes

04/06/2011

Maioria dos americanos ainda acredita em Deus, aponta pesquisa


Maioria dos americanos ainda acredita em Deus, aponta pesquisa Mais de 9 em cada 10 americanos ainda dizem que acreditam em Deus, mostra uma nova enquete.

Embora a crença em Deus permaneça forte nos EUA, a sondagem da Gallup também descobriu que a descrença aumentou de 1% em 1944 para 7% hoje.

E a porcentagem de americanos que afirmam a sua crença em Deus diminuiu ligeiramente de 96% em 1944 para 92% hoje.

A pesquisa foi realizada entre mais de mil adultos.

Notavelmente, os menos propensos a acreditar em Deus são jovens entre 18 e 29 anos.  Apenas 84% concordaram que eles acreditam em Deus em comparação com 94% dos americanos mais velhos.

Os liberais, os americanos do Oriente, e aqueles com pós-graduação também foram encontrados para ser menos propensos a acreditar em Deus, embora a maioria (mais de oito em 10) ainda o fazem.

Embora o relatório Gallup tenha observado que a crença em Deus tem sido relativamente constante ao longo das últimas seis décadas, ele também destacou que quando os americanos têm outras opções (tais como o espírito universal ou força maior) ou a capacidade de expressar dúvidas, a porcentagem diminui.

Uma pesquisa Gallup 2010 revelou que 80% disseram acreditar em Deus, enquanto 12% optaram pela crença em um espírito universal ou força maior.

Quando equipadas com mais opções sobre suas crenças, menos americanos foram encontrados para ter certeza absoluta sobre a existência de Deus.

Uma pesquisa Gallup de 2006 revelou que 73% estavam convencidos de que Deus existe, enquanto 14% disse que Deus “provavelmente existe” e não duvidava. Outros 5% escolheram a opção de que Deus existe. E três por cento disseram que estavam convencidos de que Deus não existe.

Comparado com o resto do mundo, os EUA ainda são encontrados para ter forte crença em Deus. Uma sondagem Ipsos Social Research Institute no início deste ano constatou que pouco mais da metade (51 por cento) de pessoas em todo o mundo expressam a crença em Deus.

Fonte: Christian Post

18/05/2011

Físico afirma que a ciência é Deus e que o céu é um conto de fadas


Stephen Hawking é um físico muito importante, autor do best-seller Uma Breve História do Tempo que declarou recentemente em entrevista a jornais ingleses que não tem medo da morte.

O cientista tem 69 anos e desde os 21 foi diagnosticado com uma enfermidade incurável que poderia matá-lo ainda na juventude, o que não aconteceu.

Durante a entrevista que falava sobre o seu mais novo livro, The Grand Design, o professor Hawking, que é ateu, explicou o que pensa sobre a morte. Ele rejeitou a ideia de uma vida após a morte e salientou que acredita na necessidade de viver todo nosso potencial aqui na Terra. Para ele, precisamos fazer bom uso de nossa vida agora, pois não há nada depois.

Ao jornal The Guardian ele diz que não há razão para invocar um Deus para iluminar o universo. “A ciência prevê que muitos tipos diferentes do universo são espontaneamente criados a partir do nada. É uma pura questão do acaso que estamos aqui”.

Quando questionado se ele tem medo da morte o autor diz: “Tenho vivido com a perspectiva de uma morte prematura ao longo dos últimos 49 anos. Não tenho medo da morte, mas também não tenho pressa de morrer. Há muitas coisas que quero fazer antes. Considero o cérebro como um computador que vai parar de trabalhar quando seus componentes falham. Não há um céu nem vida após a morte para computadores quebrados. É só um conto de fadas para as pessoas com medo do escuro”.

Na segunda-feira, 16, essas declarações sobre Deus foi um dos assuntos mais comentados do Twitter.

Fonte: Gospel Prime /Pavablog

15/03/2011

PG: “Deus não precisa enviar tsunami pra mostrar quem Ele é”


Nesta segunda-feira, o cantor PG – que tem acompanhado o desenrolar das consequências do terremoto e da tsnunami que atingiu o Japão – expressou sua indignação com as pessoas que têm se referido à tragédia no país oriental como simplesmente um “castigo divino”.

No perfil oficial de seu microblog, o cantor desabafou a respeito do assunto e lembrou que cristãos também estão propensos ao sofrimento.

“Meu DEUS!!como tem crente nazista… dizendo q agora sim o Japão se volta pra Deus… Q evangelho esses individuos vivem? O CRENTE N SOFRE? #PARA”, postou.

Ao falar a respeito da soberania e o poder de Deus, PG lembrou que não há necessidade de grandes catástrofes para que o poder divino seja provado.

“Deus nao precisa enviar tsunami pra mostrar q é Deus! ELE ja enviou seu filho Jesus pra q todo q nele creer nao pereça mas tenha vida eterna!”, disse.

Fonte: Guia-me

11/03/2011

Pastor desafia ateus a provarem cientificamente que Deus não existe


 Pastor desafia ateus a provarem cientificamente que Deus não existe

Rubens Teixeira, pastor da Assembleia de Deus e doutor em economia no Brasil, responde mediante a respostas de ateus pela internet acerca de suas polêmicas perguntas “Você é ateu? Se você é ateu, então você me prove cientificamente que Deus não existe,” em entrevista postada em seu site ontem. Ele falou sobre a importância do conhecimento da Bíblia e o criacionismo.

Um vídeo publicado em resposta ao pastor, mostrou o depoimento de um ateu contra o pastor, argumentando que os ateus não veem motivo para acreditar em um Deus, e por isso não há motivo de provar que Deus não existe.

Rubens já havia afirmado na época que “nenhum deles conseguiram me provar até hoje.”

O Pastor foi criticado e acusado de usar falácias de “apelo à autoridade” ao dizer de suas formações acadêmicas. Em sua reposta, Rubens faz questão de mostrar sua carreira acadêmica e prêmios que tem recebido por suas pesquisas e estudos em sua área de formação, concordando “que a importância de quem fala é importante para o seu argumento.”

“Quando alguém está doente, ele pede explicação ao médico. Quando alguém tem um problema jurídico ela pergunta ao advogado,” argumentou ele.

Rubens condenou aqueles que criticam a Bíblia sem ter um conhecimento adequado de seu conteúdo.

“Alguém tentar falar sobre a Bíblia sem conhecê-la é uma espécie de loucura. É como você querer ensinar alguém a fazer cirurgia cardíaca se você nunca frequentou uma aula de um curso de medicina. Eu não consigo entender como uma pessoa ousa falar daquilo que ela não conhece,” disse.

Rubens sustentou que “Muitas coisas que a Bíblia dizia, a ciência descobriu depois. Muitas coisas na Bíblia a ciência não comprovou que existe, mas também não provou o contrário.”

Ele exemplificou que na Idade Média, quando se pensava que a Terra era plana, a Bíblia já mostrava o conceito de uma terra esférica no livro de Isaías 22, que diz “Deus se assenta sobre o globo da terra.”

“Na época a ciência entendia que era plana, contraditório com o que dizia a Bíblia. Todavia, depois descobriu-se que a Terra tinha a forma arredondada como tem.”

Rubens ressaltou a importância do respeito quanto ao conhecimento das Escrituras, relembrando a sua estada em outros países, em que ele ouviu pessoas de outras religiões fazendo citações da Bíblia como referência.

“Se essas pessoas que são de lá, e citam a referência bíblica como pode alguém que não tem noção do que está falando criticar a Bíblia. Fica difícil você querer conversar sobre a Bíblia e debater com quem não a conhece.”

Para responder a uma das críticas ateístas apresentadas, dizendo que a teologia não é ciência, ele defende, mencionando que há Universidades criacionistas no Brasil.

“O MEC reconhece que a teologia é uma ciência. Por isso tem esses níveis de graduação,” citando a Pontifícia Universidade Católica e o Mackenzie como exemplos.

Ele questionou a o ensino escolar baseado no evolucionismo, argumentando que, “Não há prova cabal de que o homem veio do macaco. Então eu acho que deveria abrir espaço para um debate do criacionismo.”

“O criacionismo é uma convicção que entende que Deus criou as coisas como elas são. Um animal não virou outro animal é lógico que a evolução aconteceu e acontece, mas não acredito é que um ser deu origem a outro. Eu acredito que Deus criou o homem da forma que ele é.”

“Eu nunca encontrei nada que contrariasse a Bíblia.”

Fonte: Christian Post / Redação CPAD News

 

16/01/2011

Deus existe? Existem evidências da existência de Deus?


Deus existe? Eu acho interessante o fato de se dar tanta atenção a este debate. As últimas pesquisas nos informam de que mais de 90% das pessoas no mundo de hoje acreditam na existência de Deus ou de algum poder superior. Mesmo assim, de alguma forma, a responsabilidade de provar que Deus realmente existe é posta sobre aqueles que acreditam que Deus existe. Para mim, deveria ser o contrário.

No entanto, não se pode provar ou deixar de provar a existência de Deus. A Bíblia até mesmo diz que nós devemos aceitar por fé o fato de que Deus existe: “De fato, sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam” (Hebreus 11:6). Se Deus assim o desejasse, Ele poderia simplesmente aparecer e provar para o mundo inteiro que Ele existe. Mas se Ele fizesse isso, não haveria mais necessidade de existir fé. “Disse-lhe Jesus: Porque me viste, Tomé, creste; bem-aventurados os que não viram e creram” (João 20:29).

Isso não significa, no entanto, que não existam evidências da existência de Deus. A Bíblia declara: “Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras das suas mãos. Um dia discursa a outro dia, e uma noite revela conhecimento a outra noite. Não há linguagem, nem há palavras, e deles não se ouve nenhum som; no entanto, por toda a terra se faz ouvir a sua voz, e as suas palavras, até aos confins do mundo” (Salmos 19:1-4). Olhando para as estrelas, compreendendo a vastidão do universo, observando as maravilhas da natureza, vendo a beleza de um pôr-do-sol – todas estas coisas apontam para um Deus Criador. Se estas coisas não fossem suficientes, também há evidência de Deus em nossos próprios corações. Eclesiastes 3:11 nos diz: “…[Ele] pôs a eternidade no coração do homem…”. Há alguma coisa no fundo do nosso ser que reconhece que há algo além desta vida e alguém além deste mundo. Nós podemos negar este conhecimento intelectualmente, mas a presença de Deus em nós e através de nós ainda estará lá. Apesar disso tudo, a Bíblia nos adverte que alguns, mesmo assim, irão negar a existência de Deus: “Diz o insensato no seu coração: Não há Deus.” (Salmos 14:1). Visto que 98% das pessoas através da história, em todas as culturas, em todas as civilizações, em todos os continentes acreditam na existência de algum tipo de Deus – deve haver algo (ou alguém) causando esta crença.

Além dos argumentos Bíblicos para a existência de Deus, existem argumentos lógicos. Em primeiro lugar, existe o argumento ontológico. A forma mais popular do argumento ontológico basicamente usa o conceito de Deus para provar a existência de Deus. Ele começa com a definição de Deus como “do que este não pode ser concebido alguém maior”. Argumenta-se então que existir é maior do que não existir, logo o maior ser que pode ser concebido tem que existir. Se Deus não existisse então Deus não seria o maior ser que pode ser concebido – mas isso iria contradizer a própria definição de Deus. Em segundo lugar está o argumento teleológico. O argumento teleológico é aquele que diz que como o universo apresenta um projeto tão incrível, deve ter havido um projetista Divino. Por exemplo, se a terra estivesse apenas algumas centenas de quilômetros mais afastada ou mais próxima do sol, ela não seria capaz de sustentar grande parte da vida que sustenta no momento. Se os elementos na nossa atmosfera tivessem apenas alguns pontos percentuais de diferença, tudo o que vive na terra morreria. A chance de uma única molécula de proteína se formar ao acaso é de 1 em 10243 (isto é, 10 seguido de 243 zeros). Uma única célula possui milhões de moléculas de proteínas.

Um terceiro argumento lógico para a existência de Deus é chamado de argumento cosmológico. Todo efeito deve ter uma causa. Este universo e tudo o que há nele é um efeito. Tem que existir algo que causou a existência de tudo. Finalmente, deve existir alguma coisa “não-causada” que fez com que tudo viesse à existência. Este “não-causado” é Deus. Um quarto argumento é conhecido como o argumento moral. Todas as culturas através da história têm alguma forma de lei. Todo mundo tem um senso de certo e errado. Assassinar, mentir, roubar e agir de forma imoral são coisas quase universalmente rejeitadas. De onde veio este senso de certo e errado se não de um Deus santo?

Apesar de todas estas coisas, a Bíblia nos diz que as pessoas irão rejeitar o conhecimento claro e inegável de Deus e irão acreditar em uma mentira. Romanos 1:25 declara: “…eles mudaram a verdade de Deus em mentira, adorando e servindo a criatura em lugar do Criador, o qual é bendito eternamente. Amém”. A Bíblia também proclama que as pessoas não têm desculpa para não acreditar em Deus: “Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das cousas que foram criadas. Tais homens são, por isso, indesculpáveis” (Romanos 1:20).

As pessoas afirmam não acreditar em Deus porque “não é científico” ou “porque não há prova”. A verdadeira razão é que, uma vez que as pessoas admitam que há um Deus, elas também precisarão se dar conta de que devem ter responsabilidade para com Deus e que precisam do Seu perdão (Romanos 3:23; Romanos 6:23). Se Deus existe, então nós devemos prestar contas das nossas ações a Ele. Se Deus não existe, então nós podemos fazer o que quisermos sem termos de nos preocupar com o Seu julgamento sobre nós. Eu acredito que esta é a razão pela qual a evolução é tão fortemente aceita por muitos na nossa sociedade – para que as pessoas tenham uma alternativa a acreditar em um Deus Criador. Deus existe e todo mundo sabe que Ele existe. O fato de que alguns tentam tão agressivamente provar que Ele não existe é de fato um argumento para a Sua existência.

Permita-me expor um último argumento para a existência de Deus. Como eu sei que Deus existe? Eu sei que Deus existe porque eu falo com Ele todos os dias. Eu não O ouço falar comigo “de uma forma audível”, mas sinto a Sua presença, sinto a Sua liderança, conheço o Seu amor, desejo a Sua graça. As coisas aconteceram na minha vida de forma que não há outra explicação senão Deus. Deus me salvou e mudou a minha vida de forma tão milagrosa que eu só posso aceitar e louvar a Sua existência. Nenhum destes argumentos pode persuadir alguém que se recusa a aceitar o que é tão claro. No fim das contas, a existência de Deus deve ser aceita pela fé (Hebreus 11:6). A fé em Deus não é um salto cego no escuro, mas um passo seguro em um quarto bem iluminado onde 90% das pessoas já estão presentes.

Fonte: GoQuestons

%d blogueiros gostam disto: