Posts tagged ‘Dinheiro’

03/09/2013

“A cadeia não tem como me segurar”, diz Marcos Pereira no Conexão Repórter


“A cadeia não tem como me segurar”, diz Marcos Pereira no Conexão Repórter Em entrevista ao jornalista Roberto Cabrini o pastor Marcos Pereira, que está preso no presídio do complexo de Gericinó, em Bangu, disse que não estuprou mulheres da Assembleia de Deus dos Últimos Dias e que também não é o mandante dos atentados contra as instalações da ONG AfroReggae.

Em entrevista exibida nos programas Conexão Repórter e SBT Brasil o religioso pode contar pela primeira vez desde a prisão em maio a sua versão sobre as acusações e os fatos que o levaram para atrás das grades.

Ao dizer como se sente nesses 100 dias de prisão, Pereira diz que não se sente preso, pois está fazendo a vontade de Deus. “Não me sinto preso. Me sinto um homem que está fazendo a vontade de Deus. Se fui conduzindo para um presídio, vou continuar fazendo o mesmo trabalho que faço”.

O fundador da ADUD também afirmou que a cadeia não tem como segurá-lo. “A cadeia não tem como me segurar. Na hora que a trombeta tocar, o céu se abrir do Oriente ao Ocidente e um homem de brando descer, eu vou desaparecer”, disse ele se referindo ao arrebatamento da Igreja.

Quando questionado sobre o incêndio que destruiu a pousada do AfroReggae, Marcos Pereira lembrou que tem sido acusado por José Junior desde 2012 e que até o momento não foram encontradas provas contra ele.

O advogado do pastor também é entrevistado e diz que as vítimas de estupro não relatam nenhum tipo de ameaça [para manter o ato sexual] e nem violência e que há um plano contra seu cliente.

Informação: Gospel Prime

05/11/2012

Igreja de fachada criada para cometer crimes fiscais tem suspeitos presos pela PF em SP


Após investigações da Policia Federal do Estado de São Paulo, na quarta-feira (31) foi desmantelada um grupo de pessoas, que criaram uma igreja de fachada para cometer crimes contra o sistema financeiro, lavar dinheiro e sonegar impostos.

A Polícia Federal realizou nesta quarta-feira (31) uma operação para prender suspeitos de utilizarem uma igreja de fachada para cometer crimes contra o sistema financeiro. Foram cumpridos seis mandados de prisão e 12 mandados de busca e apreensão nas cidades de São Paulo, Atibaia e Valinhos, todas no Estado de São Paulo.

Segundo a PF, os acusados foram descobertos pela grande movimentação financeira da pequena igreja que criaram, que chegou a quase R$ 400 milhões.

Segundo estimativas realizadas durante as investigações, o prejuízo total à União e ao Estado de São Paulo, pelo não recolhimento dos tributos devidos e pelas fraudes detectadas passam de R$ 150 milhões ao ano.

“Constatou-se que se tratava de uma empresa que jamais teve existência física e que a associação religiosa foi criada por gozar de imunidade tributária, o que, diminuiria as probabilidades de fiscalização, na visão dos integrantes do grupo”, disse a PF em nota.

Estratégias diferentes

A PF afirma que durante as investigações que os acusados utilizavam duas estratégias para sonegar impostos.

“No primeiro, empresas de fachada eram criadas para que atuassem ficticiamente, recebendo recursos de empresas reais e depois remetendo os valores para o exterior por meio de “doleiros”, ou seja, de maneira ilegal. Essas empresas de fachada eram utilizadas por um período curto para melhor desviar a atenção da fiscalização. No segundo modo de atuação, o grupo atuava para empresas devedoras do fisco estadual, que já haviam sido autuadas ou que haviam tido seus recursos administrativos julgados improcedentes. Eles contavam com a colaboração de servidores públicos vinculados à área tributária, que atuariam principalmente no ‘desaparecimento de procedimentos fiscais”, afirma a PF.

Enquanto os processos eram fisicamente subtraídos das instalações da repartição pública, de acordo com as investigações da Polícia, havia também o apagamento dos registros nos sistemas de informática. A investigação aponta que eles eram levados em partes, escondidos em bolsas ou mochilas.

“Ao final, eram entregues aos chefes da quadrilha, que os entregavam para os empresários envolvidos. Há evidências de que cada procedimento continha valores de multas fiscais que variam entre R$ 1 milhão e R$ 35 milhões”.

Os investigados responderão pelos crimes contra o sistema financeiro, subtração de processos, corrupção ativa e passiva, tráfico de influência, lavagem de dinheiro, formação e quadrilha, falsidade ideológica e sonegação fiscal, cujas penas somadas podem chegar a 28 anos de prisão.

Fonte: Inforgospel

27/08/2012

Página Inicial » Mundo Cristão 26/08/2012 – 12:28 – Atualizado em 26/08/2012 – 16:36 Igreja Mundial vende “Fronha dos Sonhos” por R$ 91


Igreja Mundial vende “Fronha dos Sonhos” por R$ 91

Depois das toalhas “Se Tu Uma Benção” e das meias, a Igreja Mundial do Poder de Deus está vendendo a “Fronha dos Sonhos” para que os fiéis coloquem nos travesseiros de pessoas que estejam com problemas.

Na TV o apóstolo Valdemiro Santiago oferece o artigo que custa R$ 91 cada um. “Você vai vestir o travesseiro do drogado, do alcoólatra, do enfermo, do desempregado ou o seu”, diz ele prometendo milagres até mesmo para aqueles não conseguem dormir pensando nos problemas.

O valor da “Fronha dos Sonhos” teria dois significados, segundo o apóstolo Santiago, o primeiro deles seria uma referência ao Salmo 91, famoso por falar de proteção contra o mal. O segundo motivo é que os R$ 91 também significam as 91 colunas da nova Cidade Mundial que foi inaugurada nas últimas semanas na cidade do Rio de Janeiro.

“Qual é o seu maior sonho?”, questiona o líder religioso que oferece o produto para quem quer honrar a “obra de Deus com uma oferta simbólica” que fará com que os sonhos sejam realizados.

“Eu já sonhei muito na vida e meus sonhos se tornaram realidade e a cada dia os meus sonhos estão se tornando realidade e os seus também serão assim”, garante o líder.

Na fronha há o símbolo da IMPD e ainda a inscrição “Minha fé pelo meu maior sonho”, abaixo ainda encontramos os dizeres “Cidade Mundial”.

“Na verdade eles estão vendedo travesseiros, que não tem poder algum para transforma as vida, mas que pode ajudar o objetivo da mundial ser alcançados.

23/08/2012

Valdemiro Santigo diz aos seus fiéis que precisa de R$ 30 milhões


Valdemiro Santigo diz aos seus fiéis que precisa de R$ 30 milhões Segundo informações do jornalista Lauro Jardim da coluna Radar On-line, da revista Veja, o apóstolo Valdemiro Santiago estaria pedindo doações financeiras para seus fiéis para poder quitar R$30 milhões de dívidas com emissoras de TV.

O líder da Igreja Mundial do Poder de Deus tem contrato com a Band, Rede TV! e CNT que transmitem diariamente a programação dos cultos com mensagens do próprio apóstolo ou de outros bispos.

O valor de cada contrato não é revelado, mas durante um culto, Santiago chegou a dizer que os gastos com esses programas e outras despesas mensais da igreja chegavam nesse valor, o que pode dar a entender que ele esteja devendo para todas as emissoras.

Em outras ocasiões o jornalista da Veja afirmou que o apóstolo estava com o pagamento atrasado junto a Band, mas a emissora desmentiu dizendo que não havia débitos. Mas dessa vez seria o próprio religioso afirmando que está com dificuldades de honrar seus compromissos e por isso pedia ajuda dos fiéis.

Lauro Jardim afirma que em outra reunião Valdemiro Santiago conseguiu R$ 7 milhões de ofertas fazendo um discurso semelhante.

Fonte: Gospel Prime

25/04/2012

Igreja Católica pede a fieis dízimos generosos


“A coleta do dízimo não ultrapassa a média de R$ 1 por pessoa”, disse o cardeal arcebispo de São Paulo, d. Odilo Scherer.

Cada dia mais dependente dos próprios recursos, por causa da redução da ajuda de dioceses da Europa e dos EUA, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) pede aos fieis que contribuam com mais generosidade para manter as paróquias e os trabalhos de evangelização.

“A coleta do dízimo não ultrapassa a média de R$ 1 por pessoa, o que daria cerca de R$ 130 milhões por ano, segundo o número estimado de católicos brasileiros”, disse o cardeal arcebispo de São Paulo, d. Odilo Scherer.

Além do dízimo, há uma contribuição mensal que os fieis podem fazer, de valor livre, em campanhas específicas. Em uma delas, a Coleta da Solidariedade arrecadou, no Domingo de Ramos, R$ 12 milhões, que foram distribuídos entre as 274 dioceses e as cerca de 9 mil paróquias do País.

Os recursos ajudam a pagar a pastoral e a estrutura da Igreja. Ontem, a 50.ª Assembleia-Geral da CNBB aprovou, em Aparecida, a criação de um fundo de ajuda às dioceses mais pobres para a formação de padres.

Fonte: Estadão

23/03/2012

Entenda por que muitos líderes religiosos são acusados de estelionato e lavagem de dinheiro


As acusações feitas pelo Domingo Espetacular da Rede Record contra o apóstolo Valdemiro Santiago fizeram com que a Justiça abrisse um inquérito para investigar o líder da Igreja Mundial do Poder Deus.

O fato tem gerado muita polêmica e para esclarecer as dúvidas do público que não entende por que tantos líderes religiosos são investigados, o advogado Marco Ricardo da MCD Advogados Associados fez um vídeo explicando juridicamente o caso.

Apesar do vídeo falar especificamente sobre o caso denunciado pela Igreja Universal do Reino de Deus, que controla a Rede Record, a explicação serve para diversos outros casos que já foram parar na mídia acusando pastores de lavagem de dinheiro e estelionato.

O vídeo explica de forma didática o que caracteriza esses crimes sem entrar no mérito religioso, apenas administrativo, uma vez que cada igreja é tratada pelo Estado como uma pessoa jurídica, isso é, uma empresa.

O advogado explica detalhadamente como a justiça entende que um líder religioso está praticando estelionato e como é a famosa lavagem de dinheiro e mais: Marco Ricardo fala o que os fiéis podem fazer se sentirem enganados por esses pastores.

Assista:

20/03/2012

Contradição: Enquanto Cristãos estão sendo mortos por causa do Evangelho de Cristo “pastores brigam por dinheiro”.


É triste ver no Brasil onde temos liberdade religiosa para levar Jesus Cristo ao que ainda não o conhece, ao invés disto  vemos pastores brigando por causa do dinheiro, será que estes homens acha que o povo de Deus não pensa não raciocina. Será que Valdomiro Santiago esta incomodado tanto os “Bispos,” Que esta saindo da sua posição de acusado para acusador. Perder renda, membros e pastores e bispos esta levando o “Bispo” ao desespero.

É isto que percebemos…

Oremos para que isto não faça que muitos fracos na fé se esfriem.

02/06/2011

André Valadão nega que tenha pedido dinheiro ao Ministério da Cultura


O cantor André Valadão explica por meio de um comunicado em seu site que as notícias que circularam pela internet na última semana alegando que o cantor estaria pedindo mais de R$1 milhão de reais para o Ministério da Cultura não são verídicas.

De acordo com a assessoria de André Valadão, quem pediu créditos da Lei Rouanet para o Ministério da Cultura foram organizadores de um show que teria, entre outras participações, a presença do cantor.

“No projeto apresentado ao MinC pela M&A Produções consta também que André Valadão seria apenas 1 (um) dos 30 artistas contratados para fazerem 30 shows no estado de Goiás e Distrito Federal,” diz trecho do texto.

Leia na íntegra:

“O cantor e pastor André Valadão tomou conhecimento de texto difamatório circulando na Internet e publicado em um site falando sobre o possível recebimento de uma quantia em dinheiro por meio do Ministério da Cultura (MinC).

Ao acionar profissionais especialistas sobre esta questão, André Valadão foi informado que uma produtora nomeada M&A Produções, do estado de Goiás, criou em 2010 um projeto com o nome “André Valadão Turnê 2011” e que ele teria sido aprovado pelo MinC para participar da Lei Rouanet. “Vi o projeto e fui informado que este tipo de documento pode ser elaborado mesmo sem minha autorização formal, a partir de uma abertura da própria Lei Rouanet. Soube que é comum produtoras criarem projetos, tentam aprová-los no MinC e depois buscam o ‘favorecido’ para negociar a realização dele”, conta.

A Lei Federal de Incentivo à Cultura (Lei nº 8.313, de 23 de dezembro de 1991), conhecida como Lei Rouanet foi criada com o objetivo de instituir políticas públicas dentro do Programa Nacional de Apoio à Cultura que geralmente apóia diversos tipos de manifestação cultural no Brasil desde então. Quando um projeto é aprovado pela Lei Rouanet o MinC autoriza que Pessoas Físicas ou Jurídicas possam contribuir com aquele valor em projetos culturais com dedução em seu Imposto de Renda.

Isso quer dizer que quando alguém tem um projeto agraciado pela Lei Rouanet vários procedimentos são cautelosamente analisados pelo MinC. Um deles é que o valor liberado pelo MinC para investimento de terceiros deve cumprir a tabela de planejamento dos recursos financeiros. A captação de recursos para a realização do projeto aprovado pela Lei Rouanet só pode começar após a aprovação do projeto e também a publicação dele no Diário Oficial da União.

No processo de captação de recursos com Pessoa Física ou Jurídica o pagamento dos valores que serão deduzidos do imposto de renda deles como investimento cultural (patrocínio) só poderá ser efetuado diretamente para os fornecedores e funções descritos detalhadamente no projeto, existe contabilidade certa para cada detalhe. Diferente do que se pensa, o valor proposto não é entregue nas mãos de quem teve o projeto aprovado pela Lei Rouanet. “Pelo que entendemos quando pesquisamos o assunto, a aprovação do projeto é uma das etapas, mas o trabalho seguinte que seria conseguir investidores é ainda mais trabalhoso”.

No caso específico noticiado por um site sobre André Valadão ter sido agraciado pela Lei Rouanet no valor de R$ 1.091.240,00 (hum milhão, noventa e um mil e duzentos e quarenta reais), teria sido aprovado então para a M&A Produções e não para André Valadão como descrito. “Outro ponto importante que minha equipe averiguou é que este projeto que leva meu nome foi aprovado em fevereiro de 2011 e até o momento não fui procurado por esta produtora. Mas vimos no MinC que o projeto está na situação de ‘pendência’ porque falta algum documento. Ele não foi publicado no Diário Oficial da União, então isso quer dizer que não houve captação de recursos”.

No projeto apresentado ao MinC pela M&A Produções consta também que André Valadão seria apenas 1 (um) dos 30 artistas contratados para fazerem 30 shows no estado de Goiás e Distrito Federal, ou seja, do valor aprovado R$ 1.091.240,00, André Valadão teoricamente receberia um cachê no valor de R$ 10mil assim como os outros 29 artistas. Quando se apresenta um projeto ao MinC ele pode ter qualquer nome, tanto, que pode ser alterado a qualquer momento do processo. “Fomos orientados de que é possível solicitar à produtora que retire meu nome do projeto e pretendemos fazer isso e já estamos tomando as medidas cabíveis”, destaca.

O Ministério André Valadão achou por bem esclarecer o que é a Lei Rouanet, como funciona e informar que não são verdadeiras as afirmações levantadas contra ele de que haveria recebido do Ministério da Cultura o valor de R$ 1.091.240,00. “As pessoas precisam conhecer a Lei Rouanet e perceber que este incentivo fiscal pode ser utilizado por qualquer projeto cultural no Brasil. Apesar deste projeto não ter sido entregue por mim, acredito que sim, nós como crentes devemos utilizar dos recursos disponíveis para propagar o Evangelho. Várias manifestações culturais como shows, peças de teatro e filmes vem sendo rodados com incentivo fiscal e não edificam. Por que nós crentes não podemos utilizar da Lei e agir dentro dela?”.”

Fonte: Gospel Prime /Texto extraído de andrevaladao.com

%d blogueiros gostam disto: