Posts tagged ‘ENSINO BIBLICO’

19/05/2011

Wesley, a Bíblia e o povo


Wesley, a Bíblia e o povo“Wesley, a Bíblia e o povo”.  Este será o tema da Semana Wesleyana 2011, na Faculdade de Teologia da Igreja Metodista. A tradicional semana de estudos celebra a experiência do “Coração Aquecido” de John Wesley e irá refletir sobre a importância do estudo da Bíblia no cotidiano das pessoas.

O evento acontece entre os dias 23 e 28 de maio, na Faculdade de Teologia em São Bernardo do Campo/SP. Esta edição conta com a participação do conferencista Dr. Howard Snyder.

Ele trabalhou de 1968 até 1975, como pastor e professor de teologia da Igreja Metodista Livre em São Paulo/SP e hoje atua como professor de estudos wesleyanos no Seminário Tyndale em Toronto, Ontario, Canadá. Snyder é também editor da revista Free Methodist Historical Society e escritor – tem 18 livros publicados.


Fonte: Metodista

06/05/2011

Vitória recebe Seminário de Ciências Bíblicas


Vitória recebe Seminário de Ciências Bíblicas A cidade de Vitória (ES) será palco de mais uma edição do Seminário de Ciências Bíblicas. Realizada há mais de uma década, a iniciativa visa contribuir para a ampliação do conhecimento sobre o Livro Sagrado. Para isso, reúne palestras que abordam aspectos sobre tradução da Bíblia e sua história, bem como a aplicação dos ensinamentos do Livro Sagrado em diferentes setores sociais, na igreja, na família e na escola, entre outros. Promovido pela Sociedade Bíblica do Brasil (SBB), o evento será realizado nos dias 20 e 21 de maio, na Faculdade Unida de Vitória.

Organizados desde o ano 2000, esses encontros já alcançaram milhares de pastores, líderes cristãos, obreiros, professores de escola bíblica e seminaristas. A edição da capital capixaba terá cinco painéis, além de espaço para uma sessão de perguntas e respostas. O investimento é de R$ 20,00. Mais informações pelos telefones: (27) 3325-2071 (Faculdade Unida de Vitória) e 0800-727-8888 (SBB).

Confira, a seguir, a programação completa do evento:

20 de maio – Das 19h30 às 22h30

– A função da Bíblia na igreja local – Erní Walter Seibert: Partindo do pressuposto de que o conhecimento que as pessoas têm sobre a Palavra de Deus ainda é insuficiente, esse painel destaca a importância de as igrejas cristãs utilizarem a Bíblia Sagrada em seu dia a dia. Para isso, explora, entre outros aspectos, a vasta gama de literatura bíblica disponível para o desenvolvimento de atividades de evangelização.

– Interpretação da Bíblia para o homem de hoje – Lécio Domas: Esta palestra mostra como estudar e compreender a Bíblia Sagrada, a partir do contexto cronológico, geográfico e cultural que o texto está inserido. Além disso, destaca a importância de o leitor crer que a Bíblia é a Palavra de Deus.

21 de maio – Das 8h30 às 17h00

– História da Bíblia: dos manuscritos aos formatos digitais (Erní Walter Seibert): Esta palestra traz dados atuais sobre a tradução e distribuição da Bíblia e, ao mesmo, faz uma resenha histórica de como o Livro Sagrado foi transmitido de geração a geração até chegar aos dias de hoje. Além disso, são apresentados os pontos altos da história da tradução das Escrituras Sagradas.

– A prática da leitura bíblica (Éber Cocarelli): A palestra aborda os desafios da leitura bíblica pessoal, entre os quais, o desafio da credibilidade, da banalização, da terceirização e da relevância. Com exemplos extraídos da Bíblia Sagrada, o palestrante apresenta soluções àquele que não tem acesso fácil a comentários bíblicos ou a obras apologéticas.

– O trabalho da SBB (Erní Seibert): Nesta palestra, serão destacados os vários esforços da organização para difundir a Bíblia e a sua mensagem. Entre os destaques está a apresentação dos programas sociais da entidade, voltados especialmente para as populações em situação de risco social, e o programa sócio evangelizador, mantido pela SBB há mais de 30 anos.

 Seminário de Ciências Bíblicas de Vitória

Data:                          20 e 21 de maio de 2011
Local:                         Faculdade Unida de Vitória
Endereço:                 Rua Engenheiro Fábio Ruschi, 161 – Bento Ferreira – Vitória – ES
Horário:                    20/05 – Das 19h30 às 22h30
21/05 – Das 08h30 às 17h00

Investimento:           R$ 20,00
Informações:           (27) 3325-2071 (Faculdade Unida) e 0800-727-8888 (SBB)
Inscrições:               (27) 3325-2071 e fax (27) 3345-1344 (Faculdade Unida)

Inscrições online:     www.sbb.org.br/seminarios


Fonte: SBB

26/02/2011

Qual a diferença entre católicos e protestantes?


Há várias diferenças importantes entre católicos e protestantes. Apesar das tentativas, através dos últimos anos, de se achar coisas em comum entre os dois grupos, o fato é que as diferenças continuam existindo, e elas são tão importantes hoje como foram no começo da Reforma Protestante. Segue-se um rápido resumo de algumas das mais importantes diferenças:

Uma das primeiras grandes diferenças entre o Catolicismo e o Protestantismo é a questão da suficiência e autoridade das Escrituras. Os protestantes crêem que somente a Bíblia é a única fonte da revelação especial de Deus à humanidade, e como tal ela ensina a nós tudo o que é necessário para nossa salvação do pecado. Os protestantes vêem a Bíblia como o padrão pelo qual todo o comportamento cristão deverá ser medido. Comumente se refere a esta crença como Sola Scriptura e é uma das “Cinco Solas” (sola é a palavra latina para “única”) que veio da Reforma Protestante como resumo de algumas diferenças importantes entre os católicos e protestantes.

Apesar de haver muitos versos na Bíblia que estabelecem sua autoridade e sua suficiência em todas as questões de fé e prática, um dos mais claros é II Timóteo 3:16-17, onde vemos que “Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça; Para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra.” Os católicos, por outro lado, rejeitam a doutrina da Sola Scriptura e não crêem que somente a Bíblia seja suficiente. Eles crêem que tanto a Bíblia quanto a sagrada tradição católica romana igualmente se combinam no Cristianismo. Muitas doutrinas católicas romanas, tais como a do purgatório, orações aos santos, adoração ou veneração a Maria, etc, têm pouca ou nenhuma base nas Escrituras, mas são baseadas apenas nas tradições da Igreja Católica Romana. Essencialmente, a posição da Igreja Católica Romana de negar a Sola Scriptura e sua insistência em que tanto a Bíblia quanto suas “Tradições Sagradas” se equivalem em autoridade enfraquece a suficiência, autoridade e integridade da Bíblia. A visão que se tem das Escrituras está na raiz de muitas, se não todas, as diferenças entre católicos e protestantes.

Outra grande diferença entre Catolicismo e Protestantismo é a que diz respeito à posição e autoridade do papa. De acordo com o Catolicismo, o papa é o “vicário de Cristo” (vicário significa substituto), e toma o lugar de Jesus como o líder visível da Igreja. Como tal ele tem a capacidade de falar ex cathedra (com autoridade em assuntos de fé e prática), e quando ele o faz, seus ensinamentos são considerados como não passíveis de erro, devendo ser obedecidos por todos os cristãos. Por outro lado, os protestantes crêem que nenhum ser humano está livre de erros e que somente Cristo é o líder da igreja. Os católicos confiam na sucessão apostólica como uma forma de tentar estabelecer a autoridade do papa. Mas os protestantes crêem que a autoridade da igreja não vem da sucessão apostólica, mas sim da Palavra de Deus. O poder espiritual e a autoridade não estão nas mãos de simples homens, mas na própria Palavra de Deus registrada nas Escrituras. Apesar de o Catolicismo ensinar que somente a Igreja Católica pode, de forma apropriada e correta, interpretar a Bíblia, os protestantes crêem que a Bíblia ensina que Deus enviou o Santo Espírito para habitar todos os cristãos renascidos, dando a eles capacidade para que compreendam a mensagem da Bíblia.

Isto pode ser claramente visto em passagens como João 14:16-17: “E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre; O Espírito de verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque habita convosco, e estará em vós.” (Veja também João 14:26 e I João 2:27). Apesar de o Catolicismo ensinar que somente a Igreja Católica Romana tem a autoridade e poder de interpretar a Bíblia, o Protestantismo reconhece a doutrina bíblica do sacerdócio de todos os crentes, e que cristãos individuais podem confiar no Espírito Santo para que os guie em ler e interpretar a Bíblia por si mesmos.

A terceira maior diferença entre o Catolicismo e Protestantismo é como a pessoa é salva. Outra das “cinco solas” da reforma era a Sola Fide (somente pela fé), que afirma a doutrina bíblica da justificação somente pela graça, através somente da fé, por causa somente de Cristo (Efésios 2:8-10). Contudo, de acordo com o Catolicismo Romano, o homem não pode ser salvo somente pela fé, somente em Cristo. Eles ensinam que o Cristianismo deve confiar na fé mais “obras de mérito” para salvação. Os Sete Sacramentos são essenciais à doutrina Romana Católica de salvação, que são: Batismo, Crisma, A Eucaristia, Penitência, Extrema-unção, Ordem e Matrimônio. Os protestantes crêem que baseados na fé apenas em Cristo, os crentes são justificados por Deus, quando todos os seus pecados são pagos por Cristo na cruz e Sua justiça é a eles imputada. Os católicos, por outro lado, crêem que a justiça de Cristo é concedida ao crente pela “graça através da fé”, mas em si mesma não é suficiente para justificar o crente. O crente deve “suplementar” a justiça de Cristo a ele concedida com obras meritórias.

Católicos e protestantes também discordam no que significa ser justificado perante Deus. Para os católicos, a justificação envolve que se seja feito justo e santo. Eles crêem que a fé em Cristo é apenas o início da salvação, e que a pessoa deve fazer que isto cresça com boas obras, pois “o homem deve fazer por merecer a graça de Deus da justificação e eterna salvação”. Logicamente que esta visão de justificação contradiz o claro ensinamento das Escrituras em passagens como Romanos 4:1-12; Tito 3:3-7, assim como muitas outras. Por outro lado, os protestantes fazem distinção entre o ato único de justificação (quando somos declarados justos e santos por Deus com base em nossa fé na expiação de Cristo na cruz), e santificação (o processo contínuo de ser justificado que continua através de nossas vidas na terra). Apesar de os protestantes reconhecerem que as obras são importantes, eles crêem que estas são o resultado ou fruto da salvação, mas nunca o meio para ela. Os católicos misturam justificação e santificação em um processo contínuo, que leva à confusão sobre como se é salvo.

A quarta grande diferença entre católicos e protestantes tem a ver com o que acontece após a morte do homem. Enquanto ambos crêem que os incrédulos passarão a eternidade no inferno, há diferenças significantes e importantes no que diz respeito ao que acontece aos crentes. Por causa de suas tradições da igreja e sua confiança em livros não-canônicos, os católicos desenvolveram a doutrina do purgatório. O purgatório, de acordo com a Enciclopédia Católica, é um “lugar ou condição de punição temporal para aqueles que, deixando esta vida na graça de Deus, não estão totalmente livres de faltas menores, ainda não pagaram totalmente a reparação devida por suas transgressões”. Por outro lado, os protestantes crêem que por sermos justificados por Cristo apenas, e que a justiça de Cristo é a nós imputada, quando morremos, iremos direto para o céu para estarmos na presença do Senhor (II Coríntios 5:6-10 e Filipenses 1:23).

Ainda mais perturbadora do que a doutrina católica do purgatório é o fato de que eles crêem que o homem deve ou mesmo pode pagar ou compensar por seu próprio pecado. Isto, juntamente com a concepção errônea de que a Bíblia ensina sobre como o homem é justificado perante Deus, resulta em uma baixa visão da suficiência e eficiência da expiação de Cristo na cruz. Colocando de forma simples, o ponto de vista sobre a salvação da Igreja Católica Romana implica que a expiação de Cristo na cruz não foi pagamento suficiente pelos pecados daqueles que Nele crêem, e que até mesmo um crente deve expiar ou pagar por seus próprios pecados, tanto através de atos de penitência como passando tempo no purgatório. Mas a Bíblia ensina repetidas vezes que somente a morte de Cristo pode satisfazer ou aplacar a ira de Deus contra os pecadores (Romanos 3:25; Hebreus 2:17; I João 2:2; I João 4:10). Nossas obras de justiça nada podem acrescentar ao que Cristo já realizou.

Apesar de haver muitas outras diferenças entre o que os católicos e protestantes crêem, estas quatro diferenças devem servir para estabelecer que há sérias diferenças entre os dois. Da mesma forma como os Judeus que disseram que os cristãos gentios deveriam obedecer à lei do Velho Testamento para serem salvos, sobre os quais Paulo escreveu em Gálatas, os católicos, fazendo as obras necessárias para que sejam justificados por Deus, terminam tendo um evangelho totalmente diferente. As diferenças entre os católicos e os evangélicos protestantes são importantes e significativas.

Oramos para que Deus abra os olhos de qualquer pessoa que esteja lendo este artigo, e que esteja colocando sua fé ou confiança nos ensinamentos da Igreja Católica. Esperamos que todas as pessoas compreendam e creiam que suas “obras de justiça” não são capazes de os justificar, ou santificar (Isaías 64:6). Oramos para que todos, ao contrário, coloquem sua fé somente no fato de que “Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus. Ao qual Deus propôs para propiciação pela fé no seu sangue.” (Romanos 3:24-25a). Deus nos salva “Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo, Que abundantemente ele derramou sobre nós por Jesus Cristo nosso Salvador; Para que, sendo justificados pela sua graça, sejamos feitos herdeiros segundo a esperança da vida eterna (Tito 3:5-7).

23/02/2011

O que diz a Bíblia a respeito de tatuagens e piercings?


A lei do Velho Testamento ordenou aos israelitas: “Pelos mortos não dareis golpes na vossa carne; nem fareis marca alguma sobre vós. Eu sou o Senhor” (Levítico 19:28). Portanto, apesar de não estarem os crentes sob a lei do Velho Testamento nos dias de hoje (Romanos 10:4; Gálatas 3:23-25; Efésios 2:15), o fato de ter havido um uma ordem contra tatuagens deveria nos fazer pensar sobre a questão. O Novo Testamento não faz menção sobre os crentes fazerem ou não tatuagem.

Fonte: GotQuestions

Em relação às tatuagens e piercings, um bom teste é determinar se podemos ou não, com honestidade e sã consciência, pedir a Deus que abençoe e use esta atividade particular para Seus bons propósitos. “Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus” (I Coríntios 10:31). A Bíblia não se coloca condenando tatuagens ou piercings, mas também não nos dá razão alguma para crermos que Deus nos deixaria fazê-los.

Outra questão a considerar é o recato. A Bíblia nos instrui ao recato no vestir (I Timóteo 2:9). Um aspecto do vestir recatadamente é nos certificarmos de que cada parte que precisa ser coberta com roupas está adequadamente vestida. Entretanto, o significado essencial do recato é não chamar atenção para si mesmo. As pessoas que se vestem com recato o fazem de maneira tal que jamais chamam atenção para si mesmas. Tatuagens e piercings, com certeza, são chamativos. Neste sentido, as tatuagens e piercings não são recatados.

Um princípio importante das escrituras a respeito de casos sobre os quais a Bíblia não lida especificamente é que, se há dúvidas se isto agrada ou não a Deus, então é melhor não fazê-lo. “Mas aquele que tem dúvidas, se come está condenado, porque não come por fé; e tudo o que não é de fé é pecado” (Romanos 14:23). Precisamos ter em mente que nossos corpos, assim como nossas almas, foram redimidos e pertencem a Deus. Apesar de não se aplicar diretamente a tatuagens e piercings, I Coríntios 6:19-20 nos dá um princípio: “Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus.” Esta grande verdade deve sempre pesar no que fazemos e até onde podemos ir em relação a nossos corpos. Se nossos corpos pertencem a Deus, deveremos sempre nos certificar de que temos Sua clara “permissão” antes de neles deixarmos “marcas” com tatuagens e piercings.

22/02/2011

7º retiro da UMADPA


7º retiro da UMADPA

Evento acontecerá entre os dias 5 e 8 de março

A UMADPA, União da Mocidade das Assembléias de Deus de Porto Alegre, realiza de 5 a 8 de Março  seu  7º retiro, no Centro de Eventos Camboatá, Triúnfo, Porto Alegre. O tema deste ano é “Santidade ao Senhor”. Pode-se dizer que ele já é o maior realizado por algumas igrejas no RS, serão 4 dias em que jovens se unirão numa só voz para exaltar aquele que é digno de toda honra, poder e glória. O Encontro conta com apoio do pastor Ubiratan Batista Job, e do superintendente da UMADPA, Pr. Leandro Angelo.

O retiro é uma oportunidade de se oferecer à juventude alguma atividade sadia e edificante na época de carnaval, que também contemplasse a todos os jovens da igreja em Porto Alegre. No ano de 2005 a igreja realizou o primeiro retiro de jovens da Umadpa, com aproximadamente 500 jovens inscritos.

Confira abaixo a lista dos convidados que irão se fazer presente nesse grande evento:

Preletores

Pr. Leandro Felício
Pr. Paulo Roberto
Pr. Jefferson Eickoff
Ev. Orison Marden
Ev. Pedro Elias
Dra. Serenita Rienzo

Cantores:

Grupo Alfa
Eliseu Martins e Grupo de Louvor

O Retiro também contará com a presença de grupos, cantores e corais de Porto Alegre e demais regiões.

Serviço:
Informações: contato@umadpa.com.br , tel. (51) 3319.3229 ou 3319.7881.
Fonte: CPADNEWS

18/02/2011

ADBH realiza 1ª Reunião Regional de Coordenadores e Líderes de Crianças


ADBH realiza 1ª Reunião Regional de Coordenadores e Líderes de Crianças A AD de Belo Horizonte convida seus coordenadores e líderes infantis a participarem da 1ª reunião regional de crianças que será realizada no próximo dia 26 de fevereiro.

A coordenação do evento alerta para a importância da presença dos líderes infantis pois a reunião tratará de assuntos relacionados a coordenação infantil.

Serviço:
1ª Reunião Regional de Coordenadores e Líderes de Crianças
Local: Assembleia de Deus de BH
Rua: São Paulo, l341 (Shopping El Shaday)
Contatos: Departamento Infantil Templo Central
Fone: (31)3303-4044 (Elcy)   33034021 – 97676679  (Mariuza)

Apoio:
Anselmo Silvestre – Pr. Presidente de Honra
Moisés Silvestre Leal  – Pr. Presidente
Pr  Ricardo M.Leite – Superintendente regional da Escola Dominicall
Elcy Fortuna Jales – Coordenadora Departamento Infantil

Redação CPAD News

18/02/2011

Estado americano aprova o ensino da Bíblia nas escolas públicas


Estado americano aprova o ensino da Bíblia nas escolas públicasFoi aprovado com 34 votos a 1 um projeto de lei que acrescentará ao currículo das escolas públicas o ensino da Bíblia no Estado de Kentucky, nos Estados Unidos.

A medida direciona A Diretoria de Ensino do estado para criar diretrizes em um currículo escolar em torno da Bíblia. A proposta é que os alunos façam um curso de Bíblia como um dos estudos sociais. Basta definir se esses estudos serão centrados na Bíblia hebraica, o Antigo Testamento da Bíblia, o Novo Testamento, ou uma combinação das Escrituras Hebraicas e o Novo Testamento da Bíblia.
De acordo com a proposta, o conhecimento de personagens bíblicos e narrativas serve como “pré-requisitos para a compreensão da sociedade contemporânea e da cultura, incluindo a literatura, arte, música, costumes, oratória e políticas públicas”.

O projeto de lei 56 do Senado agora segue para a Câmara estadual. Se for aprovada, a lei irá padronizar o curso nas escolas em Kentucky que já são autorizadas a dar aulas sobre a Bíblia.


Fonte: Creio

18/02/2011

Formação teológica nas aldeias de difícil acesso


Formação teológica nas aldeias de difícil acessoO Ministério Ação Global estima que até 62% dos pastores de aldeias não receberam nenhum treinamento formal, ainda que o Evangelho esteja chegando cada vez mais aos cantos do mundo.

Além da pobreza no mundo em desenvolvimento e a hostilidade enfrentada pelos novos convertidos ao cristianismo, a oportunidade de treinamento é insuficiente.
Se eles não podem fazer seminário, a Ação Global vai levar o seminário até eles, razão pela qual lançou o programa de formação Global Module Estudos.

É eficaz porque é um curso rápido de classes de três dias por mês durante dez meses. Esses três dias estão repletos de informações práticas e relevantes em uma sala de 65 pessoas, muitas vezes com 35-40 denominações diferentes.

Tome Pastor Nirvan é um exemplo. Ele vive no Himalaia. Criado como um hindu, ele entregou sua vida a Cristo e entusiasmado começou a compartilhar sua mudança de vida com quem quisesse ouvir.

Como resultado, muitas pessoas vieram para o Senhor, e ele se tornou o seu pastor. No entanto, ele sabia que precisava de mais ferramentas para efetivamente discipular novos cristãos. Ele ficou sabendo do programa de formação em sua área, e andou 50 milhas para chegar ao centro onde os módulos são ensinados.

Perguntado sobre como poderia andar tão longe para ser treinado, ele mostrou a sua perspectiva da distância. “Este não é um problema. Tenho estabelecido cinco igrejas em três anos, e eu tenho os meus serviços em dias de semana. Toda igreja fica a aproximadamente 30 milhas de distância, então eu percorro isso a cada dia. O que significa passar por montanhas, atravessar rios, fazer caminhadas e até correr”.

De lá, em média, cada aluno treina mais cinco, utilizando o mesmo material, resultando em um crescimento exponencial da igreja.


Fonte: MNN

10/02/2011

A Bíblia de cór


A Bíblia de córDe maneiras bem alternativas, o pastor da Igreja Batista Grace (localizada na Flórida, Estados Unidos), Tim Bristar (foto), propôs o desafio de memorizar as Escrituras. Logo no seu primeiro apelo, 4 mil pessoas participaram. Destes milhares, muitas pessoas desejaram repetir o feito. No início deste ano, encorajado pela primeira iniciativa, começou um projeto chamado P2R (Partnering to Remember – Parcerias para Recordar), que promete gerar esperança quanto ao “aprofundamento na palavra de Deus” na vida de cada cristão participante. Objetivo? Memorizar todo o livro de Filipenses até o Domingo de Páscoa.

“Em nossas vidas de ritmo rápido, diversas tarefas, com qualquer número de coisas disputando a nossa atenção, há um perigo real para que a palavra de Deus seja excluída de nossas vidas diárias,” disse Brister em seu blog. Mais de 26.700 participantes estão entusiasmados com o desafio. Através de redes sociais pela internet, os cristãos integrantes do movimento estimulam uns aos outros a perseverarem no propósito.

Tendo em vista tal movimento, um dos questionamentos que podem persistir é: “Por que memorização?” O pastor Brister cita o teólogo John Piper ao responder que a “memorização da Bíblia tem o efeito de tornar firme e claro o nosso olhar em Jesus”. Brister utiliza seu blog para incentivar cada participante, compartilhando resultados de sucesso do projeto: famílias estão se unindo e se fortalecendo em amor a Deus e a Sua palavra. “Mais do que qualquer outra época, os Cristãos precisam fazer parcerias com o propósito de interiorizar as Escrituras, encorajando um ao outro para que respeitem as palavras de Cristo, e lembrando as verdades nos centram na obra de Deus em nossas vidas”, conclui Brister.

Fonte: Gospel Prime

%d blogueiros gostam disto: