Posts tagged ‘Esporte’

30/10/2015

Jogador é punido por comemorar “gol” agradecendo a Deus


Jogador é punido por comemorar “gol” agradecendo a Deus Enquanto no Brasil e em vários países do mundo jogadores profissionais comemoram gols e títulos agradecendo a Deus, nos EUA uma grande polêmica vem surgindo por causa disso.

Este mês, o quarterback do time de futebol americano Mexico High School, em Nova York, foi punido por apontar para o céu após marcar um touchdown, equivalente ao gol no futebol brasileiro.

O quarterback é o armador e capitão das equipes. Mas quando o jovem Dante Turo foi punido pelo árbitro, todo o time perdeu. Os juízes alegaram que o comportamento de Turo foi antiesportivo. Sua equipe teve de perder espaço para o adversário e acabou derrotado pelo time de Verona-Sherrill, pelo placar de 33 a 31.

Para marcar o touchdown, que significa cruzar a linha final do campo adversário, o jogador de 17 anos precisou correr mais de 60 metros com a bola oval nas mãos, desviando de seus adversários. Entrevistado pela rede Fox News, explicou: “Apontar para Deus é um símbolo internacional de glorificação a Jesus, e era isso o que estava tentando fazer”.

O pai do atleta, Geno Turo, o defendeu: “Ele queria fazer algo naquele momento para não receber o crédito e deu glória a Deus. Afinal, Deus nos dá a capacidade e o talento. Como cristãos, queremos ter a certeza de reconhecemos isso”.

O técnico da Mexico High School desabafou: “Os juízes disseram que era um insulto [aos não cristãos]. Eu disse a eles que Turo estava louvando a Deus. Como isso é um insulto?”.

A polêmica está longe de acabar, pois muitos acusam as autoridades esportivas americanas de querer eliminar qualquer manifestação religiosa das competições estudantis.

Um episódio similar ocorreu recentemente com o treinador de futebol americano Joe Kennedy de Bremerton High School, em Washington. Ele foi proibido de fazer orações com sua equipe antes e depois dos jogos.

Essa é uma tradição que ele mantém há sete anos, desde que assumiu o posto. Caso continue fazendo isso, corre o risco de ser demitido.  Após o jogo contra a equipe da Centralia High School, dia 17, ele foi para o meio do campo e orou com os jogadores de seu time.

Kennedy, que foi da Marinha durante 20 anos, antes de ser treinador, explicou que “Isso faz parte de um acordo pessoal com Deus, parte da minha fé. Eu quero dar-lhe a glória depois de cada jogo, e vou continuar fazendo isso”.

Chama atenção o fato de como nos Estados Unidos, um dos países responsáveis pela evangelização do mundo, nos últimos anos vem tentando eliminar todas as manifestações públicas de fé em Jesus Cristo. Ao mesmo tempo, seu governo defende tanto os direitos das minorias, impondo leis que punem qualquer discriminação, especialmente contra gays e muçulmanos. Com informações de Washington Times e Christian Post

23/10/2015

Ricardo Oliveira leva 18 jogadores do Santos para a igreja


Ricardo Oliveira leva 18 jogadores do Santos para a igreja Ricardo Oliveira leva 18 jogadores do Santos para a igreja
  • Ricardo Oliveira tem evangelizado seus amigos dos Santos. Segundo o empresário do atleta, Augusto Castro, 18 jogadores do elenco participam das reuniões que Ricardo organiza.

Castro também informou ao jornal Diário de São Paulo que quando Ricardo se aposentar dos gramados ele se dedicará ao trabalho pastoral. “O Ricardo decidiu que será pastor evangélico”.

O empresário deixa claro que seu cliente ministra há 8 anos e que é isto que lhe faz se sentir bem. “Ele já dá cultos há pelo menos oito anos e é isso que lhe faz se sentir bem, além de jogar futebol. Por isso, definiu que a vida de pastor será seu projeto de vida depois de parar”.

Ricardo realiza cultos em sua casa localizada em Santana de Parnaíba, na Grande São Paulo, foi neste espaço que dois jogadores foram batizado, o volante Thiago Maia e o atacante Geuvânio.

Além deles, outros atletas estão participando das reuniões como Lucas Lima, Marquinhos Gabriel, Zeca, Daniel Guedes e Léo Citadini que sempre estão na casa de Ricardo Oliveira participando dos cultos.

11/10/2012

Léo Moura comanda ‘turma da fé’ no Flamengo e afasta jovens jogadores das noitadas


Convertido e membro da Igreja Batista, desde o início deste ano, o lateral direito Léo Moura vem minimizando os tradicionais efeitos da “boleiragem” entre os jovens do elenco e comanda a “turma da fé”, que trocou as tradicionais noitadas pelas igrejas.

Líder natural e referência para os demais jogadores, após quase sete anos de clube e mais de 400 jogos com a camisa rubro-negra, Léo comanda rodas de orações nas concentrações e tenta orientar os companheiros que acabam de chegar ao mundo do futebol profissional.

Além do lateral, os atacante Negueba e Nixon, os volantes Muralha e Luiz Antônio e o meia Mattheus e o jovem goleiro reserva César já trilham o mesmo caminho da fé.

“Estamos sempre conversando nos horários livres e eu já comentei algumas vezes nessas resenhas sobre a minha experiência com Deus, como isso tem me feito bem. Muitos que ouvem acabam se interessando e querendo participar também”, explicou Léo Moura, destacando ainda que não pressiona ninguém a participar.

“Não é nada que eu fique forçando para acontecer. Ocorre com naturalidade, talvez por eles verem em mim um exemplo positivo.  A gente fica feliz quando consegue que alguém se interesse porque é um caminho bom, que ajuda a ter uma vida de paz e harmonia e evita que as pessoas façam algumas escolhas que podem acabar trazendo problemas para elas no futuro. Eles estão começando agora e precisam se afastar de muitas coisas que desvirtuam por aí nesse mundo”, explicou Léo, que em outras épocas era conhecido pelas amizades com jogadores rotulados como “baladeiros”.

Atualmente, a única balada de Léo Moura é na Igreja Batista Central da Barra da Tijuca, Rio de Janeiro. Quando muito, o lateral frequenta casas de shows para assistir a apresentações de Thalles Roberto, cantor gospel de sucesso e seu amigo particular.

Diante de um assunto sempre polêmico com a religião entre jogadores, Léo faz questão de ressaltar que as escolhas não interferem no ambiente do grupo dentro de vestiários e hotéis.

“Alguns no time são evangélicos, mas outros têm religião diferente e a gente respeita isso acima de tudo. Como falei, como cristão, quando aparece uma oportunidade coerente, a gente procura falar de Deus. Mas as pessoas têm livre arbítrio e direito de escolher o caminho que elas querem seguir. Somos um grupo e temos sempre que ter o bom senso de respeitar as individualidades e o espaço de cada um”, disse o capitão da equipe.

Desafio com Adriano

E apesar da facilidade em levar os mais jovens para a sua igreja, Léo Moura ainda tem um grave problema no grupo. Mesmo sendo um dos atletas mais próximos ao ‘Imperador Adriano’, o lateral ainda não conseguiu levar o atacante para seu “Império” da fé, ou simplesmente tirá-lo do caminho de baladas e problemas.

“Estamos sempre tentando ajudar o Adriano, que é um dos caras mais queridos do grupo. Ele também precisa mostrar que quer se recuperar. Vamos tentar fazer com que ele volte a ser aquele grande jogador”, disse durante a última semana, após mais um polêmica de indisciplina envolvendo o camisa 10.

Fonte: UOL

09/10/2012

Jogador Tinga conta seu testemunho na Igreja Batista da Lagoinha


Jogador Tinga conta seu testemunho na Igreja Batista da LagoinhaNesta segunda-feira (8) a Igreja Batista da Lagoinha recebeu o jogador Tinga, do Cruzeiro, que esteve ministrando para os presentes no culto “Enchendo a Bola”.

O armador esteve falando sobre sua conversando e sobre o que Deus tem feito em sua vida. O culto é voltado para jovens atletas, amadores ou profissionais que fazem parte do ministério Rede de Esportes da IBL.

Tinga iniciou sua carreira em 1997 e já participou de diversos times brasileiros e também no exterior. Em seu currículo consta o bicampeonato da Libertadores da América pelo Internacional (2006 e 2010), por este mesmo time ele participou de 160 partidas, marcando 20 gols.

O atleta também comemora quatro partidas com a camisa da seleção brasileira. Ainda no auge da carreira, Tinga passou a fazer parte do time do Cruzeiro, estando como armador da equipe desde maio deste ano.

Além do jogador, o culto também teve a participação especial da banda PraGod de Sabará. O culto “Enchendo a Bola” é liderado pelo pastor Roger Martins.

Fonte: Gospel Prime

05/10/2012

“Ser cristão no Uzbequistão não é nada fácil”, diz Rivaldo


“Ser cristão no Uzbequistão não é nada fácil”, diz RivaldoO jogador Rivaldo concedeu uma entrevista para o site do Portas Abertas lembrando do tempo em que esteve jogando pelo Bunyodkor, time de Uzbequistão, o 9º país de maior perseguição contra cristãos.

Na entrevista ele relembra os momentos que passou naquele país e como percebeu que falar de Jesus publicamente era proibido. “Teve um episódio, em que ganhamos a copa do Uzbequistão e usei uma camisa com os dizeres ‘Jesus number 1′ (Jesus, número 1) quando vi no site, eles haviam apagado o nome “Jesus” e falaram que não poderia mais fazer aquilo”.

Assim que se mudou para Uzbequistão, Rivaldo que é cristão tentou fazer alguns cultos em casa, mas acabou sentindo no coração o desejo de frequentar uma igreja local. Na entrevista ele relata que não só ele como outros jogadores brasileiros também passaram a congregar com cristãos uzbequistaneses.

Foi com este contato que ele pode perceber como é difícil ser cristão em um país de maioria muçulmana. “Ser cristão no Uzbequistão não é nada fácil, para mim não foi tão difícil por ser uma pessoa conhecida, mas para eles, é duro”, diz.

Leia a entrevista na íntegra:

Rivaldo, você tem conhecimento sobre a perseguição e intolerância religiosas?
Com certeza.

Você já ouviu falar da Portas Abertas durante suas passagens por diversos países, principalmente no período que morou no UZBEQUISTÃO jogando pela Bunyodkor? O que conheceu da Portas Abertas nestes locais?
 Tive conhecimento pela internet. Foi pelo site da Portas Abertas que fiquei sabendo que o Uzbequistão era o 9º país mais perseguido do mundo.

O que conheceu da igreja no UZBEQUISTÃO, pois o país ocupa o 9º lugar na Classificação de Países por Perseguição? Teve contato com os cristãos locais?
Quando cheguei lá, comecamos a fazer culto em casa, mas, senti em meu coração que deveria participar de uma igreja local, que eu deveria ser testemunha de Jesus aos uzbeques, e foi o que fiz, eu e todos os brasileiros começamos a participar de uma igreja local. Foi um tempo maravilhoso!

Você já foi proibido de expressar sua fé publicamente?
Fui, e no Uzbequistão, mesmo. Teve um episódio, em que ganhamos a copa do Uzbequistão e usei uma camisa com os dizeres “Jesus number 1” (Jesus, número 1) quando vi no site, eles haviam apagado o nome “Jesus” e falaram que não poderia mais fazer aquilo, mas continuei fazendo. Não por palavras mas por atitudes.

O que sentiu por ser cristão em um país de maioria muçulmana? Teria algum testemunho relacionado à restrição religiosa para compartilhar?
Ser cristão no Uzbequistão não é nada fácil, para mim não foi tão difícil por ser uma pessoa conhecida, mas para eles, é duro. Sei que Jesus nos levou até lá para sermos luz, testemunhas vivas. O mais emocionante foi ter convivido com cristãos locais. Ver a alegria deles por estarmos lá… A esperança de que Jesus não tinha se esquecido deles.

O que você acredita ser a maior necessidade para a minoria cristã no Uzbequistão?
Liberdade de expressar sua fé. Liberdade de ouvir um louvor. Liberdade de ler a palavra de Deus.

Você já tentou aproximação para falar do amor de Deus para jogadores de outras religiões? Qual foram as reações?
Respeito muito as pessoas, não sou aquela pessoa de impor a minha opinião. Falo de Jesus através das minhas atitudes, e da minha maneira de ser. E sei que muitos deles foram impactados.

Em quais situações você acha que se deve abrir mão de professar publicamente sua fé?
Tenho certeza de que em nenhum momento. Nunca negarei a Jesus. É por Ele e para Ele que vivo.

Fonte: Gospel prime

23/09/2012

Jon Jones x Vitor Belfort: dois cristãos no octógono do UFC 152


Jon Jones x Vitor Belfort: dois cristãos no octógono do UFC 152O UFC 152 terá no seu card principal Jon Jones x Vitor Belfort no dia 22 de setembro, em Toronto, no Canadá. O lutador brasileiro fará um duelo pelo cinturão dos meio-pesados.

Na mesma noite haverá a disputa do primeiro cinturão peso-mosca da organização entre Joseph Benavidez e Demetrious Johnson.

Belfort mostrou uma postura mais agressiva nas entrevistas e provocou o adversário: “Eu vou nocauteá-lo. É bom que ele esteja preparado para mim. Estou lá para lutar, estou lá para vencer. Vai ser leão contra leão. Vou vencer a luta, vou ditar o ritmo. O plano é derrotá-lo”.

Em entrevista ao programa de TV “UFC Tonight”, o presidente do Ultimate, Dana White, voltou a elogiar o brasileiro e previu uma grande luta contra o americano Jones. Ele classificou o embate como “uma luta insana”.

Jon Jones esteve recentemente envolvido em muitas polêmicas depois do cancelamento do UFC 151, pois se recusou a ter Chael Sonnen como seu oponente. Numa entrevista ao programa ‘MMA Hour’, o atual campeão dos meio-pesados comentou que não considerava o brasileiro o mais indicado para o desafio. Ele só foi confirmado após Dan Henderson se lesionar e Lyoto Machida e Maurício Shogun recusarem a encarar o campeão.

Esse realmente não tem sido um ano fácil para o lutador americano. Em maio deste ano ele foi detido pela polícia de Binghamton, Estado de Nova York, após bater seu carro. O atleta apresentava sinais de embriaguez, e foi levado para a chefia de polícia local para esclarecimentos. Quando compareceu diante do juiz, declarou-se culpado da acusação, mas fez um acordo com a promotoria do estado americano.

A pena de Jones foi uma multa de mil dólares e liberdade condicional por um ano, suspensão de sua carteira de motorista para dirigir, e ser incluído em um programa de prevenção do abuso de drogas, restituir o prejuízo das vítimas envolvidas. Também ficou determinado que precisaria instalar um mecanismo de bloqueio da ignição em seus automóveis. O aparelho só permite que o condutor ligue seu carro após um teste numa espécie de bafômetro e ainda repete o exame em horários aleatórios.

UFC 152 - Jon Jones x Vitor Belfort

UFC 152 – Jon Jones x Vitor Belfort.

Jones disse que se sente “honrado” em duelar com um lutador de seu calibre: “As pessoas que torcem para que eu perca o título, devem estar animadas. Acho que Vitor tem mais chance que Dan Henderson… Eu o respeito muito… Estou honrado de lutar com Vitor Belfort. Ele é cristão como eu, um homem de honra. Lutar com Chael Sonnen? Ele é um idiota”.

As críticas de Jon Jones a Sonnen são um reflexo dos comentários racistas que este fez antes de lutar com Anderson Silva em julho deste ano, quando Sonnen acabou perdendo e foi forçado a mudar de categoria. “Eu disse que achava Chael Sonnen um racista pela forma que tratou os brasileiros. Tenho zero respeito por ele”, finalizou Jones.

Jon “Bones” Jones tem 25 anos, pesa 93 kg e mede 1m95 de altura. Apesar do episódio recente de dirigir alcoolizado, ele faz o estilo tranqüilo, é casado e tem três filhos. Sempre usa versículos bíblicos e agradece a Deus pelas suas vitórias, algo que tem em comum com Belfort, também um pai de família que dá testemunho de fé constantemente. As informações são do Sport TV e R7.

Vídeo promocional:

06/09/2012

Força Jovem de Recife realiza a “Copa Libertadores do Crack”


Força Jovem de Recife realiza a “Copa Libertadores do Crack”Integrantes do Força Jovem do bairro Jordão Baixo, em Recife (PE) realizaram no mês de agosto a campanha “Driblando o Crack” que usa o futebol para alertar a população sobre os perigos das drogas e oferecer uma saída para os jovens.

Um campeonato com o nome de Copa Libertadores do Crack foi realizada no dia 13 de agosto unindo diversos jogadores amadores na quadra localizada na Praça Sesquicentenária. Além dos fiéis da Igreja Universal do Reino de Deus que fazem parte do Força Jovem o evento também contou com o apoio do projeto “Esportes” da região.

Além dos jogos, também aconteceram apresentações culturais de dança, o Hino Nacional Brasileiro também foi cantado para marcar a abertura do evento e diversas pessoas foram atraídas para esta festividade.

“É um modo de proporcionar aos jovens uma tarde diferente. Unimos o futebol ao combate às drogas, pois eles serão os futuros craques (do futebol) que vão driblar o crack (droga)”, disse o líder do projeto “Esportes”, Paulo Gustavo.

Quem também aceitou falar sobre o evento para o portal Arca Universal foi um dos jovens jogadores, Edvaldo Bandeira, que comentou sobre o combate contra o crack. “Esta Copa é uma maneira de nos colocarmos contra as drogas de uma forma diferente, fazendo o que mais gostamos, que é jogar bola. O evento ainda nos oferece a oportunidade de fazer novas amizades, entre o próprio pessoal do FJB”.

São trabalhos como esse que fizeram com que a Força Jovem Brasil recebesse uma homenagem no Congresso Nacional. Em diversas partes do Brasil jovens membros da IURD se reúnem para promover eventos de conscientização para impedir que os jovens tenham acesso às drogas.

16/08/2012

Canção de Aline Barros foi decisiva para jogadoras de vôlei ganharem ouro


Ao desembarcar em São Paulo nesta segunda-feira (13) a seleção feminina de vôlei concedeu uma entrevista coletiva dizendo que as jogadoras foram inspiradas pela canção “Ressuscita-me” de Aline Barros para conquistarem a medalha de ouro nas Olimpíadas de Londres.

O time estava triste depois de perder da Coreia do Sul, uma fase muito difícil para o grupo todo. Mas a meio de rede Adenízia colocou a canção evangélica para todas ouvirem e a letra da música falou fortemente no coração das atletas.

“Depois disso a gente sabia que ganharia o ouro”, contou a reserva de Dani Lins.

Quem também comentou que teve esse mesmo sentimento foi a levantadora Fernandinha. “Ouvimos a canção no vestiário e nos emocionamos. Ali eu disse que o ouro seria nosso. Deus tocou todas nós através da canção, e nos unimos na certeza da vitória”.

Ao saber que sua canção tinha inspirado a seleção de vôlei, Aline Barros ficou bastante emocionada com o testemunho das jogadoras.

“Me emocionei bastante com a fé das jogadoras, pois foi determinante para a vitória. Fiquei muito feliz e impactada com esse testemunho. A jogadora Fernandinha influenciou todas as demais para que vissem o agir de Deus naquele lugar. Que o Senhor abençoe e ilumine cada uma. Parabéns pelo ouro. Vocês são vencedoras!”, declarou a cantora para a equipe da MK Music.

Fonte: Verdade Gospel.

08/05/2012

Carol Celico, esposa de Kaká organiza evento gospel e ensaia possível retorno


Carol Celico, esposa do jogador Kaká, de uns tempos para cá parece estar ensaiando um possível retorno as atividades patorais. Consagrada pastora em 2009 na igreja Renascer, que abandonou em 2010 após a condenação do casal Hernandes, fundadores da igreja, por evasão de divisas. Celico mostrou uma profundo desapontamento com a igreja, chegou a dizer que não era mais evangélica, apenas cristã.

O crime havia acontecido em 2007 quando os dois foram detidos no aeroporto de Miami com US$ 56,4 mil escondidos na bagagem, incluindo uma bíblia. Em seguida, eles foram condenados pela Justiça Americana por dois crimes: contrabando de dinheiro e conspiração para contrabando de dinheiro.

Celico voltou ao cenário ao anunciar o lançamento de um DVD com conotação espiritual, mesmo negando que fosse um trabalho gospel. Com o anuncio a revelação dos motivos que levaram a saída do casal da igreja, além de deixar transparecer mágoa e frustração.

Carol Celico está organizando um evento de música gospel em Madri, onde mora com o marido Kaká. O evento, chamado Juntos, acontece no próximo dia 5 e traz atrações como Diante do Trono e Hillsong London. Nesta sexta, 4, a mulher de Kaká esteve no Parque de La Bombilla, local do festival, para fiscalizar os últimos detalhes.

No site oficial do evento, Carol conta porque decidiu idealizar, pelo segundo ano, o Juntos. “Eu e minha família fomos acolhidos na cidade de Madri com generosidade e carinho. Amo muito esta cidade e pensei durante algum tempo como retribuir as constantes manifestações de afeto. Escolhi a linguagem universal do sentimento: a arte. No dia 5 de maio estaremos na Plaza de Toros para descobrir que, juntos, podemos sonhar novamente. A fé em Deus pode todas as coisas e vários artistas vão nos lembrar que somos eterna e incondicionalmente amados pelo Criador”.

Com informações EGO

25/04/2012

Vitor Belfort estimula sua equipe de lutadores com orações


O reality show The Ultimate Fighter Brasil, exibido pela Globo,tem mostrado duas equipes lideradas por atletas cristãos: Vitor Belfort e Wanderlei Silva. Na frente das equipes verde e azul, respectivamente, esses lutadores precisam treinar e fazer com que suas equipes vençam os campeonatos internos do programa.

Para motivar os participantes que estão sob seu comando, Belfort tem orado e estimulado a equipe com palavras motivacionais. Orações e pregações são constantes no grupo que já começa a intimidar os concorrentes.

mma

É possível ver que os “discípulos” de Vitor Belfort entraram no clima do lider o que fez com que o time verde se tornasse a equipe mais descontraída, o que tem desestabilizados os adversários.

De acordo com o jornalista Jorge Côrrea, do blog Na Grade do MMA, do portal UOL, a bagunça do grupo tem irritado os alunos de Wanderlei. “Essa irritação, somada às seguidas vitórias do time de Belfort, estão minando cada vez mais a confiança dos comandados de Wanderlei Silva, que já estão tomando uma ‘goleada’ de 4 a 0″, escreveu o jornalista.

É cada vez mais comum encontrar lutadores de MMA mostrando sua fé em Deus, muitos são evangélicos e entram no octógono com canções gospel e com calções com frases religiosas.

Fonte: Verdade Gospel

%d blogueiros gostam disto: