Posts tagged ‘Esposo’

30/01/2011

Dez coisas que um marido nunca deveria fazer a sua esposa


1. Mentir: Um homem jamais deveria mentir para sua esposa. A Bíblia ressalta que todo aquele que nasceu em Cristo nova criatura é e deixaram para trás as coisas velhas e antigas. Além do mais, a mentira no relacionamento enfraquece a aliança, causa sentimento de desconfiança e insegurança. Foi através da mentira do primeiro homem e da primeira mulher que o pecado e a morte entraram no mundo. E também, através dela, que almas perdidas se abrigarão no inferno. Mentir não é de Deus. Nosso Senhor e Salvador JESUS CRISTO não se agrada de mentirosos, especialmente se tratando de casamentos abençoados pelo PAI. Se algum dia você mentiu para sua esposa, trate logo de se arrepender e pedir perdão. Reconstitua seu casamento humilhando-se e por meio da Verdade e da Justiça.

2. Trair: A traição não é apenas um ato de adultério, como também de covardia. A Palavra de DEUS trata desse tema em várias passagens. Em Levítico 20:10 está escrito: “Se um homem cometer adultério com a mulher do seu próximo, ambos, o adúltero e a adúltera, certamente serão mortos”. O livro de Provérbios afirma: “O que adultera com uma mulher é falto de entendimento; destrói sua alma o que tal faz” (6:32). Há referências também no Novo Testamento nos livros de Mateus (5:27, 28, 32; 19:9 e 18; Tiago 2:11 e 2 Pedro 2:14). Em Apocalipse, capítulo 21, há a advertência final para aqueles que traem: “Mas, quanto aos medrosos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos adúlteros (..), sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre, que é a segunda morte” (vers. 8 ). É bom lembrar, portanto, que embora o adultério seja causa de perdição eterna da alma, ele pode, também, ser perdoado. Grandes homens de DEUS na Bíblia traíram, arrependeram-se e encontraram Graça por parte de DEUS. Não que isso venha a servir de pretexto para a prática desse pecado; mas antes de consolo de que temos um DEUS misericordioso, assim como misericordioso deve ser o coração da esposa traída.

3. Tratar mal: o mau tratamento, a grosseria, a estupidez são reflexos de um caráter não transformado pelo Espírito Santo, pois a Bíblia Sagrada alerta para a importância, dos nascidos de novo, produzirem bons frutos. Observe bem a pergunta que JESUS faz: “Pelos seus frutos os conhecereis. Colhem-se uvas dos espinheiros ou figos dos abrolhos? Do mesmo modo, toda árvore boa produz bons frutos e toda árvore má produz frutos maus” (Mateus 7:16 e 17). O comportamento do cristão não só na rua, no templo, diante das pessoas, como também em casa, apenas com sua esposa e filhos, quando o pastor e o líder não estão presentes, é fundamental. Os filhos precisam crescer não só ouvindo os ensinamentos dos pais, mas principalmente enxergando os seus comportamentos. A tendência é que eles reflitam no futuro o que viram e assistiram dentro de casa. A expressão “faça o que eu digo e não faça o que eu faço” não tem nenhuma fundamentação bíblica e traduz um grau altíssimo de incoerência. Se somos imitadores de DEUS, devemos fazer todas as obras que CRISTO nos deixou. O apóstolo Paulo também chamou atenção para o bom comportamento: “(o amor) Não se porta inconvenientemente, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não suspeita mal” (1 Coríntios 13:5).

4. Não ajudar nas atividades de casa: sabemos que tanto a mulher como o marido têm suas responsabilidades específicas. Mas isso não significa que um ou outro não possa se ajudar para o bem-comum da família. Não é desonra nem contra os princípios bíblicos um marido, vez ou outra, preparar o almoço, varrer a casa, cuidar das crianças; demonstrar zelo e solidariedade. Às vezes, a esposa está atarefada com outras coisas igualmente importantes. Nessa hora não custa o marido exercer seu papel de companheiro. Não que isso se torne “obrigação” constante. Mas essa ajuda serve também como comprovação da união de ambos, que discutem (no bom sentido) juntos a questão econômica, elaboram as planilhas juntos e juntos chegam a um denominador comum sobre o que é mais importante para a casa e a família.

5. Comparar: A comparação em algumas circunstâncias é dolorosa. Creia que DEUS lhe deu a melhor esposa e a melhor família. Ela é a melhor esposa do mundo, mesmo com suas imperfeições. Compará-la com a esposa do amigo, destacando as qualidades da outra e diminuindo as virtudes da sua é algo deselegante e desagradável, por assim dizer. Essa comparação nunca servirá de estímulo para que a sua esposa possa ser igual ou melhor à esposa do colega. Ele até pode ter um casamento mais próspero financeiramente que o seu, ou atitudes aparentemente mais agradáveis que as suas, mas saiba que você, marido, tem um DEUS que é maior que todas as coisas, que lhe proporciona condições para que alcances todos os seus objetivos de vida. A comparação é sinal de fraqueza, de inveja, característica de derrotado. Lute, reconhecendo que o melhor do céu e da terra está sobre a sua família.

6. Não se divertir com a sua família: Conheço a história de um homem que viveu 89 anos sem nunca ter aproveitado o melhor com a sua esposa e filhos. Sua vida era de casa para o trabalho e para a igreja. Resumia-se a essas três atividades. Certa vez perguntaram ao seu filho mais velho qual era sua maior frustração. Ele respondeu: “nunca ter visto papai segurar as mãos de mamãe e as nossas e nos levar para passear”. Algo tão simples, mas tão significativo. Já escreveu um grande pensador: “a beleza está nas coisas mais simples”. A esposa e os filhos não precisam apenas estar nos templos religiosamente nos dias de culto. Todo ser humano precisa de um momento de lazer e de descontração. Ninguém vai deixar de ser menos santo se for a um parque, a um cinema ou teatro; passar um fim de semana fora com a família.  Aproveite enquanto há tempo, enquanto há luz e possibilidades em sua vida; antes que chegue o momento em que os seus olhos não verão como viam na mocidade. Os seus braços ficarão fracos e tremerão no seu corpo curvo. E a cama pela manhã, tão gostosa no tempo da mocidade, ficará incômoda. Você terá medo de andar por não enxergar o caminho direito e precisará que alguém lhe estenda as mãos para atravessar a rua; antes que seus filhos cresçam e se casem e cada um siga o seu caminho, esquecendo-se, muitas vezes, de que tem um pai e uma mãe. Dê carinho e lazer a sua família, enquanto você a tem.

7. Não agradar a esposa: Não é só levá-la para passear. Uma esposa gosta de ser lembrada em todos os momentos. Por exemplo: uma blusinha, uma camiseta, o bolo que ela mais gosta, a comida preferida, uma rosa… uma surpresinha dessas uma vez ou outra sempre faz a diferença no relacionamento e renova sempre o amor entre o casal (agora cuidado para não frequentarem ambientes que desagradam o Espírito de DEUS, como motéis, por exemplo, com o pretexto de se curtirem em um local diferente). Não é simplesmente pelo objeto que se traz, mas pela lembrança que se teve. Dizem que tudo isso é absolutamente normal nos primeiros meses ou anos de casados e que depois tudo se transforma para pior. Não deve ser assim entre os casais cristãos. O carinho deve ser cultivado até mesmo depois de muitos anos de convivência, já idosos.

8. Não respeitar o espaço da mulher: Apesar de serem apenas um, uma só carne, maridos e esposas precisam também de um espaço próprio; de um momento a sós para refletir, reorganizar, reavaliar, tomar novas decisões. Esse momento deve ser percebido e respeitado por ambos. Às vezes e muito raramente, a esposa quer e precisa visitar a mãe, quer e precisa ficar um pouco a sós com DEUS. Tudo isso é natural e não deve ser motivos de cobranças. Esses instantes não são e nem podem ser frequentes nem serem vivenciados no mais profundo silêncio como se as coisas tivessem sido iniciadas do nada. Tudo deve ser compartilhado para que não se criem dúvidas na cabeça de um ou de outro.

9. Desconfiar de sua esposa: Muitas vezes a esposa acordou meio diferente daqueles outros dias e o marido logo desconfia: “será que ela não gosta mais de mim? Será que ela está pensando em outra pessoa?” Todo ser humano necessita de credibilidade da parte do outro. Isso é de grande importância você demonstrar que a sua companheira tem seu total apoio e confiança.

10. Não querer ir aos cultos e impedir que a esposa vá: se as dificuldades do casal, todos os problemas, as doenças espirituais não forem anuladas com o Poder de DEUS na Casa de DEUS nada mais poderá subsistir. É possível que um e outro passem, em alguns momentos, por esfriamento espiritual: deixem de orar juntos (como também um pelo outro) e não sentirem mais desejo de estar na igreja, orando e louvando a JESUS juntos. Entretanto quem é de DEUS não deixa a esperança se apagar totalmente. Sua alegria e esperança estão na Casa do Senhor JESUS. Um ou outro deve tomar a iniciativa de voltar à presença de DEUS e reconhecer que a distância só atrapalha a boa convivência do casal. O que não pode nem deve é o marido não querer ir e nem deixar que a esposa vá aos cultos. Mas cuidado com outro extremo: uma vez ou outra a esposa diz ao marido, muito santo e espiritual, que gostaria de não ir ao culto aquele dia para ficar mais juntinho dele em um domingo à noite. Claro que o marido há de concordar sem que isso também se torne uma constante. A presença constante na Casa de DEUS, entre os irmãos, a convivência fraterna é indispensável ao fortalecimento de ambos.

E nunca se esqueça: esforçando-se por viver uma vida reta, crendo que as misericórdias de DEUS são infinitas, amando a sua esposa (e a esposa o seu marido) como CRISTO ama a igreja, a família jamais será destruída pelas ações do diabo nem pela falta de sabedoria do casal. A nossa família é o grande presente de DEUS para nós. Que ELE nos abençoe sempre!

Fonte: Familia para Cristo

28/12/2010

Quais são as funções do marido e da esposa em uma família?


Apesar do fato de que o homem e a mulher são iguais em seu relacionamento com Cristo, as Escrituras listam funções específicas para cada um no casamento. O marido deve assumir a liderança no lar (1 Coríntios 11:3; Efésios 5:23). Essa liderança não deve ser ditatorial, condescendente ou uma liderança que trate sua esposa com ares de superioridade, mas deve ser de acordo com o exemplo de como Cristo lidera a Igreja. “Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela, Para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra” (Efésios 5:25-26). Cristo amou a Igreja (Seu povo) com compaixão, misericórdia, perdão, respeito e abnegação; assim também devem os maridos amar suas esposas.

As esposas devem se submeter à autoridade de seus maridos. “Vós, mulheres, sujeitai-vos a vossos maridos, como ao Senhor; Porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o salvador do corpo. De sorte que, assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo sujeitas a seus maridos” (Efésios 5:22-24). Ser submissa não é apenas a responsabilidade de mulheres que têm maridos Cristãos. Não devemos nunca nos submeter aos nossos maridos se isso significa desobedecer a Deus; o relacionamento que temos com Ele deve ser mais importante (Deuteronômio 6:5). No entanto, pregar, implicar constantemente, reclamar e recusar-se a servir vai apenas levar um marido descrente para mais longe de Deus. Ao invés, mostrar ao seu marido o amor de Cristo com um comportamento que agrada a Deus, servi-lo e amá-lo, vai mostrar a esse marido um exemplo maravilhoso de como Cristo serviu e amou a igreja. Se uma mulher Cristã tem um marido incrédulo, ela não deve deixá-lo se ele ainda quer ficar com ela. Da mesma forma, se um marido Cristão tem uma esposa incrédula, ele não deve abandoná-la se ela ainda quer ficar com ele. No entanto, se o cônjuge incrédulo quer ir embora, não tem problema em deixá-lo partir (1 Coríntios 7:12-15).

Apesar das mulheres terem que se submeter aos seus maridos, a Bíblia também diz várias vezes como os maridos devem tratar suas esposas. O marido não deve agir como um ditador, mas deve mostrar respeito pela sua esposa e por suas opiniões. “Assim devem os maridos amar as suas próprias mulheres, como a seus próprios corpos. Quem ama a sua mulher, ama-se a si mesmo. Porque nunca ninguém odiou a sua própria carne; antes a alimenta e sustenta, como também o Senhor à igreja” (Efésios 5:28-29). “Assim também vós, cada um em particular, ame a sua própria mulher como a si mesmo, e a mulher reverencie o marido” (Efésios 5:33). “Vós, mulheres, estai sujeitas a vossos próprios maridos, como convém no Senhor. Vós, maridos, amai a vossas mulheres, e não vos irriteis contra elas” (Colossenses 3:18-19). “Igualmente vós, maridos, coabitai com elas com entendimento, dando honra à mulher, como vaso mais fraco; como sendo vós os seus co-herdeiros da graça da vida; para que não sejam impedidas as vossas orações” (1 Pedro 3:7). Podemos ver por essas passagens que amor e respeito são características das funções dos maridos e das esposas. Se amor e respeito estão presentes no relacionamento, autoridade, liderança, amor e submissão não vão ser um problema para o marido ou para a sua esposa.

Quanto à divisão de responsabilidades no lar, a Bíblia instrui os maridos a providenciar por suas famílias. Isso significa que ele trabalha e ganha dinheiro suficiente para providenciar por todas as necessidades diárias da sua esposa e filhos. Falhar em fazer isso tem grandes consequências espirituais. “Mas, se alguém não tem cuidado dos seus, e principalmente dos da sua família, negou a fé, e é pior do que o infiel” (1 Timóteo 5:8). Um infiel é um incrédulo. Um homem que não se esforça para providenciar para a sua família não pode chamar-se de Cristão. Isso não significa que a esposa não pode ajudar em sustentar a família – Provérbios 31 demonstra que uma esposa que agrada a Deus com certeza pode fazer isso – mas providenciar para sua família não é sua responsabilidade principal – e sim do seu marido. Da mesma forma, o marido deve ajudar com as crianças e tarefas do lar (assim demonstrando amor por sua esposa). Provérbios 31 também deixa claro que o lar é para ser a área de influência e responsabilidade principal da mulher. Note que suas atividades empresariais não a atrapalham de preparar comida e vestimenta para os do seu lar (v.13-24). Mesmo se ela precisa ficar acordada até tarde e acordar cedo, sua família é muito bem cuidada. Esse não é um estilo de vida fácil para muitas mulheres – principalmente em civilizações ocidentais afluentes – e muitas mulheres estão cansadas e esgotadas por tentarem cumprir mais funções do que realmente devem. Quando isso ocorre, tanto o marido como a esposa devem em oração reorganizar suas prioridades e seguir as instruções da Bíblia para os seus papéis.

Conflitos sobre a divisão do trabalho no casamento provavelmente vão surgir, mas se o marido e a esposa são submissos a Cristo, esses conflitos vão ser poucos. Se um casal percebe que discussões sobre esse assunto são frequentes e rancorosos, ou se já se tornaram um padrão no casamento, o problema é um problema espiritual, e os dois devem se resubmeter à oração e submissão a Cristo primeiro, e então um ao outro, com uma atitude de amor e respeito.

Fonte: GotQuestions

%d blogueiros gostam disto: