Posts tagged ‘Estudo Bíblico’

10/06/2011

CGADB inicia as comemorações do Centenário das Assembleia de Deus


CGADB inicia as comemorações do Centenário das Assembleia de DeusTeve início na manhã desta quinta-feira, no Centro de Convenções e Feiras da Amazônia – Hangar, em Belém (Pará), a cerimônia de abertura das Comemorações do Centenário das Assembleias de Deus no Brasil.

No evento de hoje, voltado para pastores de todo o País, uma série de estudos sobre a “Assembleia de Deus Pós-Centenário”.  O evento foi pensado com o objetivo de gerar uma reflexão sobre o futuro da AD pós-centenário, além de motivar os pastores a se engajarem nos desafios de nossa igreja.

Pastor José Wellington Bezerra da Costa, presidente da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB), deu abertura aos trabalhos por volta das 10 horas. Em seguida, pastor Oscar Domingos de Moura, fez a oração. Pastor Gilberto Marques fez a leitura da Palavra nos Salmos 125 e 126.

Entre os temas abordados no estudo bíblico estão a necessidade de incentivar o estudo da Bíblia, a importância da atuação missionária, os principais desafios para a denominação e a estrutura administrativa da mesma.

Entre os palestrantes estão os pastores Elinaldo Renovato, Elienai Cabral, Wagner Gaby e José Satírio dos Santos – missionário na Colômbia há mais de 30 anos.

Pastor Elinaldo tratou sobre “O conhecimento bíblico e o esfriamento espiritual”. Na seqüência, pastor Wagner Gaby aborda o tema “Resolvendo os problemas internos”. Pastor Elienai Cabral fala sobre “Os desafios e objetivos da AD neste presente século”.  E para finalizar a série de estudos, pastor José Satírio ministra sobre “Missões: indo além no mundo com a mensagem do Evangelho”.

À noite, no mesmo local, será realizado o culto de abertura do Centenário, a partir das 19 horas. O evento tem ainda a participação dos cantores da Patmos Music, Victorino Silva, Lília Paz, Marcelo Santos e Alice Maciel.

Fonte: http://www.centenarioadbrasil.org.br

26/04/2011

As lições do fermento pascal


As lições do fermento pascal A palavra fermento vem do latim “fermentum” (fermento) e que traduz o termo grego “zimé”. Por outro lado, o hebraico possui os termos “hamets”, que significa “aquilo que é fermentado”; “homets”, que quer dizer vinagre, azedo; e “mahmetset”, que refere-se a qualquer coisa fermentada.

A tradição judaica extra-bíblica era extremamente rigorosa em relação ao uso ou não do fermento. De acordo com a Enciclopédia Judaica na noite precedente da Páscoa, é exigido de todo lar judeu que observe, o que denominam de cerimônia do Bedikat Chametz, isto é, a “A Busca do Fermento”.

O ritual extremamente meticuloso orienta o chefe da família a andar por toda a casa a procura de pedacinhos de pão fermentado – o “chametz”, durante os dias que dura a cerimônia pascal. O propósito de tal rito é certificar-se de que somente o “matzar”, isto é, o pão sem fermento pode ser comido.

O cerimonial detalha ainda que aquele que foi encarregado dessa missão deve munir-se de uma vela, uma colher de pau, e um espanador de penas de galinha ou de ganso para que caso encontre algum resíduo de pão possa espanar para dentro da colher. Tendo feito isso então ele pronuncia a bênção: “Abençoado seja tu, (…) que ordenaste que removêssemos o fermento”.

No dia seguinte ele queima o fermento encontrado! Se porventura alguém fosse encontrado com fermento durante esse período era punido com a pena de 39 chicotadas! O ritual, portanto, era em extremo rigoroso no antigo judaísmo a ponto dos utensílios da cozinha serem banhados em água fervente, ou vigorosamente esfregados na areia.

Embora essa tradição hebraica revele vários aspectos de um judaísmo posterior, e que em muitos aspectos difira dos costumes adotados pelo cerimonial mosaico (Êx 12), todavia mostra como o povo judeu ao longo do tempo levou a sério a simbologia por trás do uso do fermento em suas cerimônias religiosas.

Para ler esse artigo na íntegra adquira o Jornal Mensageiro da Paz, edição de Abril 2011, através do telefone: 0800 021 73 73.


* José Gonçalves é pastor, escritor, comentarista de Lições Bíblicas da CPAD, professor de hebraico, grego, Teologia Sistemática e vice-presidente da Comissão de Apologia da CGADB.

Fonte: CPAD NEWS

28/01/2011

Entendendo o idioma do Antigo Testamento


Entendendo o idioma do Antigo TestamentoÉ consenso entre especialistas que o conhecimento dos originais bíblicos colabora para uma melhor compreensão do Texto Sagrado. Atendendo demanda, a Faculdade Evangélica de Tecnologia, Ciência e Biotecnologia da CGADB (FAECAD) acaba de lançar o curso livre de hebraico instrumental. Os encontros serão realizados uma vez por semana a partir do dia 02 de fevereiro, sob orientação do professor Wallace Anderson, de larga experiência no ensino do idioma.

Segundo ementa da instituição, o objetivo do curso é ler, entender e traduzir textos do Antigo Testamento; e preparar sermões e estudos a partir do texto hebraico original. O conteúdo será dividido nos níveis básico, médio e avançado.

O estágio inicial de aprendizado da língua abordará breve histórico do hebraico enquanto língua semita; leitura do Antigo Testamento no original através da alfabetização; introdução às noções básicas da gramática  hebraica. Leitura, compreensão e interpretação do texto bíblico do Antigo Testamento. O estudo avançado, por sua vez, fará abordagem dos verbos fracos e fortes da língua hebraica; diagnóstico, leitura e tradução dos textos bíblicos do Antigo Testamento.

Serviço:

A FAECAD está localizada Avenida Vicente de Carvalho, 1083, Vila da Penha – Rio de Janeiro – RJ. Os interessados podem entrar em contato pelo telefone (21)3015-1000, ou pelo e-mail faecad@faecad.com.br

Fonte: Faecad /CPADNews

%d blogueiros gostam disto: