Posts tagged ‘evangelico’

18/10/2012

Cerca de um quarto dos evangélicos não casaram nem no civil nem no religioso


Cerca de um quarto dos evangélicos não casaram nem no civil nem no religiosoAs mudanças no perfil da família brasileira percebida nas últimas décadas se confirmam com a divulgação dos estudos de dados do Censo 2010 do IBGE. Percebe-se que na última década houve grande aumento na proporção de casais que vivem em união consensual. Por outro lado, o percentual dos casados formalmente apresentou uma significativa queda. Embora as igrejas reprovem esse tipo de união conjugal, os casamentos informais são crescentes inclusive entre os religiosos.

Segundo o IBGE, a proporção de pessoas que vivem em união consensual no Brasil é de 36,4%, enquanto em 2000 era de 28,6%. A percentagem de casados no civil e no religioso caiu de 49,4% para 42,9% na última década.

Não houve mudança significativa entre o número de pessoas que fizeram apenas o casamento civil, passando de 17,5% em 2000 para 17,2% em 2010. Enquanto isso, os casados apenas no religioso diminuíram de 4,4% em 2000 para 3,4% no último Censo.

Entre os católicos que moram juntos, 37,5% declararam viver em união consensual. Em comparação, 44,7% fizeram cerimônias civil e religiosa.

Nota-se um aumento significativo em relação a 2000, quando 28,7% dos católicos tinham uniões informais e 51,8% eram casados tanto no civil quanto no religioso. Já entre os evangélicos casados, 26,5% vivem em união consensual.

Das pessoas que declararam ser “sem religião”, 60% vivem em união consensual e apenas 18,4% são casados no civil e no religioso. Nota-se, ainda, que a união consensual é mais frequente entre os mais jovens e de renda mais baixa.

A proporção de divorciados no Brasil quase dobrou em dez anos. Em 2000, 1,7% da população brasileira era divorciada, número que chegou a 3,1% em 2010. Na contramão, os casados caíram de 37% para 34,8%.

Segundo os técnicos do IBGE, os dados indicam uma mudança no perfil da família brasileira. O padrão “casal com filhos” ainda é o mais comum, mas ocorre em menos da metade das famílias em 2010: 49,4%. Em 2000, casais com filhos totalizavam 56,4% das famílias. Nota-se um crescimento dos casais sem filhos, de 13% para 17,7%. O terceiro arranjo familiar mais frequente é de mulheres sozinhas com filhos, que cresceram de 11,6% para 12,2% nos últimos anos.

O Censo 2010 encontrou 60 mil casais homossexuais que vivem juntos. Desse total, 53,8% eram de mulheres. Entre as pessoas que declararam ter cônjuges do mesmo sexo, 47,4% são católicos e 20,4% “sem religião”. A grande maioria desses casais (52,6%) vive no Sudeste. Para o IBGE, as cidades com mais casais gays são São Paulo (7.532), Rio de Janeiro (5.612), Salvador (1.595) e Fortaleza (1.559). As informações são do Yahoo.

22/09/2012

Rede Super em novo satélite


A REDE SUPER passou a operar em novo satélite, o Star One C2, que tem maior abrangência e mellhor qualidade de sinal. São mais de 16 milhões de antenas parabólicas recebendo nossa programação em todo o território nacional, incluindo América do Sul, México e Flórida (EUA).

Para receber o sinal da REDE SUPER em sua antena parabólica você deve ajustar o seu receptor:

Frequência: 3648
SR: 2170
Fec: 3/4
Polaridade vertical

Para quem já assiste à REDE SUPER pelo satélite B4, será necessário realinhar a antena para o satélite C2 e ajustar o receptor de acordo com os dados acima.

É a REDE SUPER chegando cada vez mais longe e abençoando mais vidas!

Fonte: Lagoinha

18/09/2012

Pentecostais têm a menor despesa entre religiosos, segundo o IBGE


Pentecostais têm a menor despesa entre religiosos, segundo o IBGE O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) comparou os dados da Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) de 2008/2009 e separou os gastos por religiões podendo identificar que os evangélicos pentecostais possuíam a menor despesa mensal.

Pela pesquisa os evangélicos pentecostais tinham em média R$ 2.035,01 de despesas por mês, menos da média nacional que era de R$2.626,31.

Os evangélicos tradicionais (luteranos, batistas, e outros) despendiam em média cerca de R$2.828,85 mensais, bem acima da média. Mas isso não se compara com as despesas das famílias de orientação espírita que tinham gastos mensais de R$4.821,66.

Pelos dados analisados os pentecostais gastam mais com alimentação, destinando 17,9% de suas despesas para isso. Outro fator que consome boa parte da renda dos pentecostais é a habitação, 30,6% da renda tem este destino.

Os evangélicos que não fazem parte da classificação tradicional ou pentecostal também gasta bastante com habitação e alimentação, sendo 29,7% e 16,6% respectivamente de seus salários foram destinados para essas despesas.

O IBGE dividiu os evangélicos nesses três grupos: evangélicos de missão, pentecostais e outras. Analisando o que cada uma dessas famílias mais gastaram nos anos de 2008/2009.

Enquanto a habitação leva boa parte das rendas, as despesas com assistência à saúde é o que menos consome a renda. Quem menos gasta com planos de saúde é o grupo “outros evangélicos” apenas 5,0% dos seus salários. Os pentecostais gastam 5,4% e os evangélicos de missão 5,8%.

Fonte: Gospel Prime

04/06/2011

Comunidade evangélica e Cruz Vermelha se unem no apoio às vítimas da Região Serrana


Comunidade evangélica e Cruz Vermelha se unem no apoio às vítimas da Região SerranaA Comunidade Evangélica Luterana de Nova Friburgo e a Cruz Vermelha juntam esforços na ajuda voluntária às vítimas das chuvas de 12 de janeiro, que provocaram devastação na região, de modo especial nas áreas residenciais de populações carentes.

A urgência do esforço justifica-se por causa da falta de condições dos atingidos de se reerguerem sozinhas. A dificuldade financeira deles é grande. Muitos perderam máquinas e equipamentos, ferramentas essenciais no ganho de seu sustento.  Outros estão na terceira idade e já não têm disposição ou motivação para recomeçar a vida, após uma tragédia dessa proporção.

Além de voluntários, engenheiros e arquitetos são chamados a contribuir na recuperação de residências. Os efeitos dramáticos ainda não superados alcançam parte significativa da mão-de-obra que atua no setor de confecções, atividade industrial forte e uma das mais afetadas na região por causa da destruição de maquinário, matéria prima, perda de pessoas que atuavam como terceirizados, gerando um quadro em que o risco de transferência desse setor da economia para outras cidades se torna real.

A decisão de juntar forças no enfrentamento da situação surgiu da constatação de que passados quatro meses do temporal há obras básicas de acesso, liberação de imóveis e reconstrução, além do simples atendimento básico às vítimas, que ainda demandam esforços. Nesse contexto, o mutirão voluntário se mostra como solução para os que ainda estão desassistidos.

Fonte: ALC

01/06/2011

Dedé Santana é internado no Rio após hemorragia no estômago, diz hospital


Humorista está internado no CTI, após hemorragia no estômago (Foto: Blenda Gomes/ TV Globo)

O humorista Dedé Santana, de 75 anos, está internado no Hospital Barra D’Or, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio. De acordo com as informações divulgadas pelo hospital, o comediante permanece neste domingo (29) no Centro de Tratamento Intensiva (CTI), mas o estado de saúde dele é considerado estável pelos médicos.

Ainda de acordo com o hospital, Dedé Santana deu entrada na unidade na sexta-feira (27), após passar mal e sofrer um princípio de desmaio. Os exames constataram que o humorista estava com hemorragia estomacal. Segundo os médicos, o problema teria sido causado por uma doença diverticular.

No sábado (28), Dedé foi submetido a uma colonoscopia, procedimento usado para ver como está o funcionamento do cólon e do reto. A assessoria de imprensa do Barra D’Or informou que apesar de o sangramento ter sido interrompido, Dedé adquiriu uma anemia devido à intensa perda de sangue.

Por precaução, os médicos optaram pela internação do humorista no CTI. No entanto, ele respira espontaneamente, sem ajuda de aparelhos. O hospital informou ainda que Dedé Santana recebeu neste domingo a visita de parentes e amigos. Ainda não há previsão de alta para o humorista.

Fonte: G1

%d blogueiros gostam disto: