Posts tagged ‘heresias’

15/06/2011

Pastor que previu o fim do mundo sofre derrame


O pastor americano Harold Camping, que previu sem sucesso o fim do mundo no dia 21 de maio, sofreu um acidente vascular cerebral (AVC) em sua casa na cidade de Alameda, Estados Unidos.

Harold tem 89 anos e gastou mais de US$ 100 milhões para comprar uma rádio e divulgar suas previsões durante os últimos sete anos. O derrame ocorreu na quinta-feira passada, mas só foi divulgado neste fim de semana.
Nos últimos dias, Camping foi alvo de gozação já que o mundo não acabou no dia previsto por ele. O pastor, no entanto, não deu o braço a torcer e decretou uma nova data para o acontecimento: 21 de outubro.

Notícias Cristãs / O Dia

15/06/2011

Viver o Evangelho não é utopia, mas forma de vida plena, diz Papa


O Papa Bento XVI inaugurou na tarde da segunda-feira, 13,  na Basílica de São João de Latrão, o Congresso Eclesial da Diocese de Roma que tem o tema: “Estas palavras emocionaram-nos até ao fundo do coração”. A alegria de gerar a fé na Igreja de Roma.

Depois dos primeiros dois anos de reflexão dedicados a participação na Missa dominical, o testemunho da caridade e o itinerário de verificação pastoral, a Diocese de Roma se centrará, no próximo biênio, na iniciação cristã.

O congresso refletirá também o papel das famílias na atuação educativa das crianças e a formação dos catequistas.

No discurso proferido na Basílica de São João de Latrão, o Papa insistiu na necessidade de voltar a proclamar a Boa Nova nas regiões de antiga tradição cristã e exortou a percorrer o caminho no qual se descobre o Evangelho, não como uma utopia, mas como uma forma de vida plena.

Bento XVI salientou também que a fidelidade à fé da Igreja deve conjugar-se com a criatividade catequética que tenha na devida conta o contexto, a cultura e a idade do destinatário.

Citando uma das intervenção durante o sínodo romano, o Papa disse que “a fé não deve ser pressuposta mas proposta. É precisamente assim. A fé não se conserva por si mesma no mundo, não se transmite automaticamente no coração do homem, mas deve ser sempre anunciada. E o anuncio da fé, por sua vez, para ser eficaz deve partir de um coração que acredita, que espera, que ama, um coração que adora Cristo e acredita na força do Espírito Santo”.
Um anuncio que deve ressoar de novo nas regiões de antiga tradição cristã e que se resume na necessidade, já advertida por João Paulo II, de uma nova evangelização dirigida a todos aqueles que apesar de conhecerem a fé já não apreciam a beleza do cristianismo, e inclusive é possível que o considerem como um obstáculo para alcançar a felicidade, salientou o Pontífice.

Neste contexto o Santo Padre repetiu as suas palavras  proferidas aos jovens na Jornada Mundial da Juventude de Colônia: “a felicidade que procurais, a felicidade a que tendes direito tem um nome e um rosto: Jesus de Nazaré escondido na Eucaristia”.

Bento XVI manifestou o desejo de que aumente o compromisso com uma renovada estação de evangelização que não é só o trabalho de alguns, mas de todos os membros da Igreja. Porque, como salientou o Papa, cada um dos fiéis baptizados é mensageiro deste anuncio.

Em primeiro lugar , os pais que são chamados a colaborar com Deus na transmissão do dom inestimável da vida, porém também devem fazer conhecer Aquele que é a Vida. Neste sentido Bento XVI assegurou aos pais o apoio da Igreja nesta missão fundamental.

Além disso, o Santo Padre referiu-se ao trabalho que a comunidade cristã deve fazer na formação dos adolescentes ajudando-os não só a compreender com a inteligência as verdades da fé, mas também com as experiencias de oração, de caridade e de fraternidade.

O Papa salientou ao concluir seu discurso que a fé corre o perigo de permanecer muda se não encontrar uma comunidade que a põe em pratica, tornando-a viva e atraente como experiencia da realidade da vida verdadeira.

Fonte: Canção Nova

15/06/2011

Fanáticos religiosos aceitam ser crucificados para provar a fé nas Filipinas


Fanáticos religiosos aceitam ser crucificados para provar a fé nas Filipinas

Durante a Semana Santa um grupo de fanáticos religiosos das Filipinas se autoflagelam e até aceitam ser crucificados para “sentir” a mesma dor de Cristo.

A reportagem foi ao ar com exclusividade pelo Domingo Espetacular no último dia 12, mostrando a caminhada de autoflagelação e até o ritual de crucificação.

Muitos desses participantes são católicos que levam a devoção ao extremo, castigando o próprio corpo. Eles caminham por duas horas, sozinhos ou em grupos, se chicoteando até sangrar ou até não aguentarem mais.

As cenas são fortes, mas não se comparam com as cenas dos que aceitam serem crucificados, com pregos nas mãos e nos pés. Eles acreditam que dessa forma o corpo e alma serão purificados.

Fonte: Gospel Prime

14/06/2011

Pastor Ricardo Gondim afirma que o Arrebatamento da Igreja é uma utopia


Pastor Ricardo Gondim afirma que o Arrebatamento da Igreja é uma utopia

Um vídeo publicado no Youtube mostra o pastor Ricardo Gondim em uma palestra para pastores, que aconteceu no Ceará em março deste ano, falando que esperar a volta física do Filho de Deus é uma utopia que serve para nos motivar a andar conforme diz a Bíblia.

O líder da igreja Betesda se baseia em um livro de Jurgen Moltmann, “Teologia da Esperança”, que trata a volta de Cristo como um ânimo, uma motivação para que sejamos agentes transformadores da história.

“Cristo volta, mas volta fora da história, portanto é uma utopia. Utopia que se cumpre não é utopia,” diz Gondim que segue explicando essa teoria, dizendo que o retorno de Cristo serve para nos mobilizar, para nos levar a diante.

“Eu creio na volta de Cristo, mas não creio como ‘vem Jesus, oh Vem Jesus!’ Creio como força motivadora, uma esperança que me mobiliza para a ação.”

Ele explica que essa tônica é um horizonte utópico, ou seja, um ideal que te coloca em direção daquilo que a Bíblia diz.

“A volta de Cristo está revelada nas escrituras, não para a gente esperar por Ele. A volta de Cristo está revelada nas escrituras para nos mobilizar a ir na direção daquilo que a volta de Cristo significa, a agirmos, para dizer que o Reino de Deus é chegado entre os homens”.

Fonte: Gospel Prime

03/06/2011

Estrela cristã, Miley Cyrus apoia casamento gay e afirma “Deus é Amor”


A ex-estrela da Disney Miley CyrusA ex-estrela da Disney Miley Cyrus expressou recentemente seu apoio ao casamento homossexual e atacou Rick Santorum e seus apoiantes corporativos por defenderem o casamento tradicional.

Cyrus, em esforço de atacar a loja Urban Outfitters, por supostamente copiar designs de jóias, ligou a empresa à Santorum e ironizou as declarações de oposição ao casamento sexual em uma mensagem no Twitter na semana passada.

Santorum, um ex-senador da Pensilvênia nos EUA, tem sido um defensor da família e do conservadorismo social. Ele escreveu um livro “It Takes a Family: Conservatism and the Common Good” que fala que o casamento entre um homem e uma mulher é importante para a criação das crianças, não somente companheirismo ou gratificação sexual.

Legalizar o casamento gay, diz Santorum, significa “a sociedade irá ensinar à próxima geração que o casamento é um esforço egoísta primariamente para a satisfação adulta, não para o bem estar da criança.”

A posição de Santorum vem de sua fé católica e se alinha com os valores cristãos. Cyrus professa que ela é cristã, mas diz que apoia o casamento gay.

A fotógrafa cristã Tammy Hudson tuitou, “O que aconteceu com aquela garota cristã de [Tennessee] com decentes valores morais e grande coração?” em resposta aos comentários de Miley sobre Santorum.

Cyrus respondeu, “Que declaração ignorante. Eu não tenho grande coração proque eu vou ser uma mente fechada e hipócrita? AMOR é AMOR. DEUS é AMOR.”

Randy Thomasson, presidente do grupo de defesa pró-família Save California, disse que Cyrus e outras cristãs mau direcionadas estão exibindo uma verdade “algodão-doce” disfarçadas de “Cristãs.”

Santorum que lançou seu comitê exploratório para a candidatura para a corrida republicana de 2012, não reagiu publicamente às observações de Cyrus.

Fonte: The Christian Post

03/06/2011

Autointitulado “Jesus Cristo” afirma que marca da besta “666″ será a única forma de sobrevivência na terra


Muitos já ouviram falar de Jesus Cristo Homem, o líder espiritual da Crescendo em Graça, José Luis De Jesús Miranda que se apresenta como Jesus Cristo na Terra. Ele é tratado como “pai espiritual” e anuncia que a marca do 666 é a única forma de sobreviver no mundo.

Estima que ele tenha mais de um milhão de seguidores latino-americanos. Muitos deles já tatuaram o número da besta em seus corpos, pois de acordo com os ensinamentos de Jesus Cristo Homem esse número é mal interpretado pelos cristãos.

“A Bíblia diz que neste número há sabedoria, é um número de homem e da ‘besta’ que no vocabulário dos tempos antigos, era uma palavra usada para se referir ao homem,” explica o profeta que ainda conclui. “Então a profecia é que um homem, com certa sabedoria, viria explicar os mistérios que acabaria com a ignorância dos santos. Um homem, que com sua sabedoria governará as nações. O único capaz de fazer essas profecias é o próprio Deus.”

Em suas recentes pregações ele afirma que os escolhidos, no caso seus seguidores tatuados, não precisam se preocupar com a radiação vinda das usinas nucleares do Japão.

“A radioatividade não fará danos ao corpo dos eleitos do Reino 666… nossos corpos absorverão essa radioatividade já que a nossa vestimenta será feita de materiais como fogo, átomos etc … e material radioativo”, revelou.

“Enquanto a radiação produzirá a morte daqueles que não são selados com o 666, nada disso vai nos prejudicar”, garante Jesus Cristo Homem ele também diz que os “selados serão uma raça superior. “As pessoas hoje têm medo [da radiação], mas nós não. Afinal, é disso que nossos novos corpos transformados serão feitos – radioatividade e energia. Seremos seres poderosos.”

No site da Crescendo em Graça há uma contagem regressiva para que o líder espiritual deles seja “transformado”. Em 394 dias Miranda será visto com um corpo todo-poderoso.

Para ele é o cumprimento de uma profecia, pois José Luis “virá em fogo, e os seus carros, como um torvelinho, para tornar a sua ira em furor e a sua repreensão, em chamas de fogo” (Isaías 66:15). E todos aqueles que ousaram confrontá-lo ou duvidarem, terão de admirar sua onipotência e Esplendor, e sem dúvida, dirão: “Quem é semelhante à besta? Quem pode pelejar contra ela?”(Apocalipse 13:4)

Fonte: Gospel Prime / Pavablog

31/05/2011

Dizer que Deus é soberano é o mesmo que dizer que ele é o responsável pelo orgasmo de um pedófilo, afirma Gondim


Dizer que Deus é soberano é o mesmo que dizer que ele é o responsável pelo orgasmo de um pedófilo, afirma Gondim

O pastor Ricardo Gondim concedeu uma entrevista ao jornal O Povo, na sexta-feira, onde reafirma seus posicionamentos sobre os direitos civis entre homossexuais, sobre a não soberania de Deus e também sobre o artigo intitulado de “Deus nos livre de uma país evangélico.

Foram essas palavras que lhe custaram o posto de colunista da revista Ultimato, publicação com a qual colaborou durante quase 20 anos, e várias críticas por parte dos evangélicos.

Nesta entrevista o partos da Igreja Betesda afirma que não acredita que Deus esteja soberano de tudo porque isso incluiria o controle de Deus sobre “até o orgasmo, o gozo do pedófilo, ou os horrores de Auschwitz (um dos mais conhecidos campos de concentração nazista)”.

Ricardo Gondim também critica as atitudes da bancada evangélica em Brasília para barrar a votação de direitos para homossexuais.

Leia a entrevista:

OPOVO – O senhor causou polêmica ao defender publicamente a regulamentação de uniões homoafetivas no Brasil. O senhor mantém esse pensamento?

Ricardo Gondim – Não é uma questão de pensamento. É uma questão de lógica e eu repito o que disse. Em um estado laico, a lei não pode marginalizar ou distinguir homens ou mulheres que se declarem homoafetivos. Há que se entender que num estado laico não podemos confundir teologia, convicções pessoais, com o ordenamento de leis de um país. Não podemos impor preceitos religiosos para toda a sociedade civil. Se os preceitos são meus, você tem o direito de não adotá-los. Foi assim que me posicionei sobre essa questão do STF, que, a meu ver, agiu corretamente garantindo o direito de um segmento de nossa sociedade.

OP – Além do posicionamento a favor da regulamentação de uniões homoafetivas, há outros pontos polêmicos em declarações recentes suas. Uma das críticas que setores evangélicos fazem ao senhor diz respeito à sua opinião sobre a soberania Divina. Eles dizem que o senhor passou a pregar que Deus não é soberano.

Ricardo – O que acontece é que eu descarto a teologia que se difundiu sobre a soberania de Deus. Por essa teologia, Deus tem o controle absoluto de todas as coisas. E as pessoas não estão dispostas a entender que o corolário desse pensamento, o que dele decorre, é que até o orgasmo, o gozo do pedófilo, ou os horrores de Auschwitz (um dos mais conhecidos campos de concentração nazista) estão na conta de Deus, sob a alegativa de que Ele é soberano. Se as pessoas estão dispostas a entender assim, esse Deus é um monstro, não um Deus de amor. A minha leitura da Bíblia é a partir de Jesus Cristo, que é um Deus de amor, e não de Deus títere, que é responsável por chacinas, atrocidades, limpezas étnicas. A história segue não porque Deus a controla, a história segue porque somos personagens livres e nos comportamos com desobediência à vontade de Deus. É por isso que existem a miséria, os crimes, a exclusão. Porque Sua vontade é contrariada. As pessoas não estão dispostas a lidar com esses conceitos, preferem se amparar na Soberania, que nos rouba a nossa responsabilidade na história.

OP – Recentemente, o senhor publicou no seu site o artigo Deus nos livre de um Brasil evangélico (leia trechos ao lado), onde demonstra o seu temor que o segmento chamado Movimento Evangélico chegue ao poder no Brasil e aponta uma série de razões para isso. Como esse artigo foi recebido?

Ricardo – Foi muito mal recebido. Porque há, sim, um segmento no Brasil, que se auto-denomina Movimento Evangélico, que difunde a ideia de que se os evangélicos se multiplicarem no País, se houver um número suficiente para dominar a política, as leis, se chegarem ao poder, o Brasil será um País melhor. Isso é um ledo engano. O Brasil não se tornará melhor com o crescimento do Movimento Evangélico. Porque esse crescimento não significa por si só o crescimento dos valores do Reino de Deus, que são a justiça, a inclusão que dos que estão à margem, o amor. Esses valores não são prioridade para o Movimento Evangélico. Até porque, o número crescente de evangélicos também estará absorvendo outros valores como a cobiça, a injustiça social, o desejo de crescimento financeiro e de poder. Esta última tentativa de interferência no ordenamento do STF é um exemplo desse projeto de poder.

OP – O senhor se refere à votação da regulamentação das uniões homoafetivas?

Ricardo – Sim. Eles ficaram numa campanha interna, enviando mensagens pressionando os ministros para que votassem contrários à união homoafetiva. E ficavam conclamando seus fieis para fazer o mesmo. Isso em um estado laico é um absurdo. A mesma coisa está acontecendo agora no Congresso Nacional.

OP – O senhor fala da atuação da bancada evangélica na suspensão, por parte do Governo Federal, da distribuição do kit anti-homofobia nas escolas?

Ricardo – Exatamente. Falo de uma das maiores aberrações éticas que já surgiu neste País nos últimos tempos. Em nome de blindar um ministro que está suspeito de enriquecimento ilícito, que está tendo que explicar o aumento meteórico de seu patrimônio, negociou-se a questão do kit anti-homofobia. Isso mostra do que esta bancada, que se diz evangélica, que diz representar os evangélicos, está disposta a negociar. Em nome desse projeto de poder que eu falei anteriormente, negociou-se um projeto de grande valor para esse País. Isso é lamentável, completamente lamentável.

OP – O senhor encontra ressonância para esse tipo de discurso na comunidade evangélica ou sua fala – assim como o pensamento por ela representado – é dissonante?

Ricardo – Não é dissonante, de maneira nenhuma. Existe um grande grupo que concorda com esse pensamento e que caminha nessa linha. Embora eu esteja em baixo de grande percepção por conta de grupos intolerantes e fundamentalistas, tenho me surpreendido com o número de evangélicos que me dizem para continuar.

OP – O senhor se arrepende de ter se manifestado publicamente sobre essas questões?

Ricardo – Não. Absolutamente. Eu continuo repetindo o que disse. As minhas convicções não são intempestivas, são frutos de amadurecimento teológico. O estado é laico, e é importante que se mantenha assim. Num estado laico todos os grupos são protegidos, até os religiosos.

Fonte: Gospel Prime /Jornal O Povo

27/05/2011

Respostas de Harold Camping Bateram Com Pesquisa Sobre o Que Ele Diria Depois de 21 de Maio


As respostas de Camping sobre o fim do mundo e o dia do arrebatamento em sua declaração pública bateram com as respostas de uma pesquisa da Internation Business Times: Qual seria a resposta mais provável de Camping agora que a terra ainda está aqui?

A pesquisa, feita com 20.000 pessoas, descobriu que a maioria, 54 por cento, acreditou que Camping iria alegar sem remorso um erro do cálculo e formularia uma nova data para o Dia do Julgamento Final.

Ele afirmou em sua declaração nesta segunda-feira que a nova data para que definitivamente o fim do mundo aconteça seria no dia 21 de outubro. “Não vai haver um período terrível de calamidades durante cinco meses…como havíamos aprendido,” disse Camping. Ao invés disso ele disse que o fim do mundo virá rapidamente em 21 de outubro.

Apesar disso ele afirma que, o “tempo as estruturas, nada disso mudou,” afirmando que o julgamento sim veio, mas de uma forma espiritual.

Na pesquisa feita quase 16 por cento acreditaram que ele alegaria que o arrebatamento aconteceu, mas foi apenas de uma forma invisível.

“Em 21 de maio, este fim de semana passado, este é onde o aspecto espiritual disso realmente vem passando. Novamente Deus trouxe julgamento sobre o mundo. Não vejo nenhuma diferença, mas Deus trouxe o Dia do Julgamento a se incidir sobre todo o mundo,” proclamou.

Cerca de 19 por cento dos entrevistados disseram que Camping diria “Deus teve misericórdia pela humanidade e poupou a terra.”

Segundo ele as suas previsões desde 1988, passando por 1994, não estão erradas, mas que isso foi a primeira parte do fim do mundo. Assim ele enfatiza que desta maneira muitos puderam ser salvos, “é verdade, houve um julgamento de um modo terrível, mas houve também uma salvação de maneira maravilhosa. A salvação veio porque nos últimos 2,300 dias… ninguém poderia ter sido salvo no mundo todo.”

Apenas 8 por cento preveram que Camping diria que ele estava totalmente errado e pediria desculpas.

Camping não admitiu que estava totalmente errado, senão em parte. Quando questionado sobre essa nova previsão contradizer o que ele havia dito anteriormente, ele admitiu que, “Nós nem sempre acertamos o prego na cabeça pela primeira vez,” disse ele.“Tudo o que eu sou é um modesto professor. Eu busco a Bíblia. Eu busco a Bíblia,” disse ele.

Fonte: The Christian Post

26/05/2011

Jesus é mito e evangélicos são idólatras da Bíblia, afirma ex-padre


Jesus é mito e evangélicos são idólatras da BíbliaNinguém poderá acusar Luz de falar sobre o que não entende. Ele se dedicou ao sacerdócio por 20 anos. Graduou-se no Brasil, Itália Estados Unidos em ciências humanas, filosofia e teologia. Teologia, aliás, a qual ele considera ser uma pseudociência, porque não faz pesquisa alguma, mas apenas comparações de interpretações de dogmas em diferentes momentos da história.

O questionador Luz é adepto de uma corrente de pensamento bem questionável: a conscienciologia.

Trata-se de uma proposta formulada pelo médico brasileiro Waldo Vieira para abordar a consciência humana a partir do pressuposto de que o universo e o homem são multidimensionais, o que explicaria os fenômenos paranormais (ou parapsíquicos) e o da reencarnação — não da alma, mas da consciência.

Em entrevista a AD Luna, do Jornal do Commercio, o ex-frade explicou que a conscienciologia não está contaminada por deslumbramentos, misticismos, religiosidades, cultos etc. Para essa neociência, disse, não existe um deus ao qual o homem é subserviente.

“Onde a religião termina?” se refere muito a Jesus pelo motivo óbvio de que foi escrito por um ex-sacerdote cristão. É a parte mais polêmica do livro.

Luz escreveu um capítulo para desconstruir a divindade atribuída a Jesus. Ele sustenta que o Jesus histórico, o cidadão palestino do século 1, não tem nada a ver com o homem divino que foi inventado pelos religiosos várias décadas após a morte de Jesus de Nazaré.

“Pedro e Paulo viam Jesus como um homem especial, mas não o consideravam divino”, disse. “A figura divina do Cristo é um produto pouco a pouco construído pelo fanatismo e interesse político de seus seguidores”, afirmou.

“Não há motivos racionais para que alguém considere Jesus divino ou o homem mais inteligente e brilhante que já existiu. Muito pelo contrário. Hoje, qualquer pessoa esclarecida pode ir muito além de Jesus Cristo.”

Fonte: Paulopes

25/05/2011

Fim do Mundo adiado Novamente, agora será em Outubro


Harold Camping falhou mais uma vez ao prever o dia do fim do mundo, mas ele não foi o único a profetizar uma data para este acontecimento. Nos últimos séculos outros “estudiosos” previram o fim e também falharam.

A revista americana “Times” noticiou que uma das profecias mais conhecidas sobre o apocalipse que também fracassou foi a de William Miller. Em 1840, ele começou a dizer que o mundo ia acabar e Cristo voltaria, prevendo um grande incêndio entre 21 de março de 1843 e 21 de março de 1844. Mesmo mudando a data para outubro, o fim nunca chegou. Os seguidores de Miller formaram a Igreja Adventista do Sétimo Dia.

Anos mais tarde outro profeta se levantou dando uma nova data para a destruição da Terra, Joseph Smith, fundador da religião mórmon, nos Estados Unidos, afirmou a líderes da igreja em 1835 que Deus havia dito a ele que Jesus retornaria em 56 anos, o que não ocorreu.

Em 1910 a passagem do Cometa Halley também deixou o mundo em pânico, mas dessa vez a ideia do fim não veio de um religioso e sim de cientistas que diziam que a cauda do cometa tinha um gás mortal e que ele passaria muito próximo da Terra. Os ânimos só se acalmaram quando outros estudiosos se levantaram pra dizer que a passagem do Halley não afetaria em nada a vida terrestre.

Contrariando o que diz em Mateus 24:36 que afirma que ninguém, nem o Filho, sabe quando o fim chegará, o fundador da Coalizão Cristã, Pat Robertson, se levantou em 1980 para anunciar o fim. Suas palavras asseguravam que o dia do julgamento seria em 1982. Mais uma previsão falsa.

Dez anos depois surge Harold Camping com a sua primeira previsão, seus estudos iniciais apontavam que o arrebatamento aconteceria em 6 de setembro de 1994 de acordo com os mesmos cálculos que o fez sugerir uma nova data, 21 de maio de 2011, sendo assim o único “profeta do apocalipse” que falhou duas vezes.

Outra importante profecia que datava o fim da humanidade foi a de Nostradamos, seus escritos de mais de 400 anos, afirmavam que “no ano 1999, sétimo mês / Do céu virá o grande rei do terror”.

Muitos ficaram preocupados com a virada do milênio, ainda mais quando foi noticiado que muitos computadores não conseguiriam ver a diferença entre o ano 2000 e o ano de 1900. Assustados com as possibilidades do que poderia acontecer por conta do bug do milênio, muitas pessoas se suicidaram na virada do ano 1999/2000.

No século XXI já surgiram muitas outras previsões que fracassaram, mas a mais falada é a que prevê o fim da humanidade para dezembro de 2012, baseada no calendário Maia. Recentemente um antropólogo apresentou a pedra com a escrita Maia e desmentiu a história que deu origem ao filme “2012”.

Fonte: Gospel Prime

%d blogueiros gostam disto: