Posts tagged ‘Irã’

10/09/2012

Yousef Nadarkhani é liberto da prisão no Irã


 Yousef Nadarkhani, o pastor iraniano que conquistou os corações de milhões de pessoas ao manter-se firme em sua fé, enquanto enfrentava a prisão, foi absolvido da acusação de apostasia.

Duas organizações que vinham acompanhando de perto o caso e tem fontes no Irã informaram neste sábado que Nadarkhani, que foi a julgamento no início do sábado, foi liberto da prisão e está em casa com sua família.

“Obrigado a todos que me apoiaram com as suas orações” disse Nadarkhani, de acordo com o Present Truth Ministries.

Embora absolvido da acusação de apostasia, o pastor iraniano foi considerado culpado de evangelizar muçulmanos. Ele foi condenado a três anos de prisão, mas foi liberado porque já cumpriu esta pena.

“Damos graças a Deus por sua libertação e a resposta às nossas orações”, disse Jason DeMars, fundador do Present Truth Ministries em um comunicado. A Christian Solidarity Worldwide também confirmou a libertação do pastor.

“Nós elogiamos o judiciário iraniano por este ato, que é um triunfo para a justiça e o Estado de Direito”, disse o presidente-executivo da CSW, Mervyn Thomas.

Pastor Yousef Nadarkhani recebido após ser liberto.

“Enquanto nós nos alegramos com esta notícia maravilhosa, nós não esquecemos de centenas de outros que são molestados ou injustamente detidos por conta de sua fé, a CSW está empenhada em continuar a campanha até que todas as minorias religiosas do Irã sejam capazes de desfrutar da liberdade religiosa garantida sob o Pacto Internacional sobre Direitos Civis e Políticos, do qual o Irã é signatário.”

Nadarkhani, pastor em uma rede de igrejas domésticas, foi preso em 13 de outubro de 2009, depois de protestar contra a decisão do governo de forçar todas as crianças, incluindo seus próprios filhos cristãos, ao lerem o Alcorão.

Ele foi inicialmente acusado por protestar, mas as acusações foram posteriormente alteradas para a apostasia e evangelismo aos muçulmanos. Em 2010, ele foi condenado a morte e a decisão foi confirmada pelo Tribunal Supremo do Irã no ano passado.

De acordo com a Sharia, um apóstata tem três dias para se retratar. O pastor cristão se recusou a negar sua fé.

Cristãos de todo o mundo têm orado pela liberação de Nadarkhani. A campanha no Twitter defendendo sua liberdade atingiu mais de 3 milhões de tuites.

Traduzido de The Christian Post

14/08/2012

Diretor do FMI avisa que o mundo está se preparando para a guerra de Israel contra Irã


Diretor do FMI avisa que o mundo está se preparando para a guerra de Israel contra Irã Stanley Fischer, um dos diretores do Banco Central de Israel e que trabalha como consultor do FMI, afirma que Israel poderá enfrentar uma crise econômica como consequência de um possível ataque ao Irã. Porém, avisa que o país está “preparado para todos os cenários possíveis.”

Fischer fez essas declarações durante uma entrevista ao Canal 2 após ser perguntado se Israel tem um plano de contingência caso a guerra com o Irã realmente aconteça.

“A principal responsabilidade de cada país é proteger a sua segurança… É possível descrever situações generalizadas de guerra, o que seria muito difícil de lidar. Estamos nos preparando para uma grande crise e ao mesmo tempo a necessidade de garantir a segurança, o que é muito pior… e se mais dinheiro precisa ser investido para que o país se defenda, então é isso que será feito”, resumiu Fischer.

Ele disse que uma guerra contra o Irã pode causar uma crise econômica já que a economia de todos os países está interligada, mas não consegue prever o quanto isso afetaria o restante do mundo. “Vai acontecer, mas é muito difícil calcular”, disse. Fisher confirmou apenas que Israel está se preparando financeiramente para um cenário em que sua “segurança seja comprometida.”

Embora tenha evitado comentar sobre se os cortes orçamentais recentes e o aumento de impostos defendido pelo primeiro-ministro Benjamin Netanyahu e o ministro das Finanças, Yuval Steinitz, acredito que fazem parte da preparação de uma possível crise econômica pós-guerra.

Uma eventual desaceleração na economia é dada como certa. “Netanyahu e Steinitz estão trabalhando de uma forma ponderada”, disse ele, elogiando o trabalho que está sendo feito.

Contudo, reconhece que a crise financeira global não deve melhorar tão cedo. “Se a Grécia sai da zona do euro, estaremos em apuros, porque vai haver uma crise financeira global como em 2008. Isto irá nos causar problemas que podemos enfrentar, mas a economia [de Israel] está em boas condições. Não está em ótimo estado, mas estamos prontos para a lidar com uma crise”, finalizou.

Um dos aspectos que estaria impedindo os EUA de apoiarem Israel é justamente a crise econômica americana que tem forçado o país a cortar gastos com atividade militares no Afeganistão e Iraque nos últimos meses.

O ministro da Defesa iraniano, general Ahmad Vahidi, declarou no início deste mês que advertiu que qualquer aventura militar do regime israelense contra Teerã significará “autodestruição”. “O regime sionista (Israel) sabe que atacar o Irã é um desejo inatingível, a menos que seu regime pretende cometer suicídio”, disse Vahidi afirmando que seu país está preparado para revidar “à altura” qualquer tentativa de ataque de Israel ou dos Estados Unidos.

Traduzido e adaptado de Times of Israel

16/07/2012

Youcef Nadarkhani: acusação de apostasia continua, diz ACLJ


Vamos orar pelos nossos irmãos que sofrem perseguição em todo o mundo.

O Centro Americano para Lei e Justiça (ACLJ) está refutando um relatório recente de que o Irã possivelmente mudou sua sentença de morte por apostasia para o cristão evangélico Youcef Nadarkhani, que foi preso em outubro de 2009 por sua fé.

O ACLJ, que tem estado fortemente envolvido no caso do pastor, diz que, embora um novo relatório do Ministério Present Truth indica que talvez os encargos de Nadarkhani terem sido alterados de apostasia para crimes contra a segurança nacional, a comunidade internacional deve estar consciente de possível desonestidade do Irã.

“Não temos informação de que o regime tenha absolvido o Pastor Youcef da acusação de apostasia para o qual ele foi condenado à morte. O regime iraniano tem sido desonesto repetidamente no passado. Até que vejamos o Pastor Youcef andar livremente, não podemos confiar em nada que o regime possa dizer ou fazer,” Jordan Sekulow, do conselho executivo para o ACLJ, disse ao The Christian Post via e-mail sexta-feira.

A confusão começou quando o Ministério Present Truth, que também tem acompanhado de perto o caso de Nadarkhani, recebeu a notícia que novo julgamento Nadarkhani foi marcado para 08 de setembro, e que ele, presumivelmente, será julgado por crimes contra a segurança nacional.

“Assumimos implicitamente que isso significa que as acusações de apostasia foram abandonados desde que as novas acusações foram emitidas, mas não temos confirmação disso”, disse o ministro quinta-feira.

O ACLJ continua a argumentar, no entanto, que nenhuma evidência de uma mudança nas acusações ocorreu e que a comunidade internacional deve ainda reconhecer a sentença de morte de Nadarkhani.

Curta-nos no Facebook

“Queremos afastar qualquer rumor de que a acusação de apostasia [de Nadarkhani] atual, pelo qual ele foi condenado à morte, foi removida. Até que o regime incondicionalmente exonere e libere o Pastor Youcef, sua pena é a apostasia”, disse Sekulow CP na sexta-feira.

“Ssempre houve uma possibilidade de que o regime pudesse trazer acusações novas ou adicionais contra Youcef Pastor para justificar suas ações. Mas especular as novas acusações não confirmadas que também significa que o regime removeu a ameaça de morte cria um perigo que o mundo pare de prestar atenção”, acrescentou.

Nadarkhani, um pastor doméstico, foi preso em outubro de 2009 e acusado de apostasia por tentar evangelizar muçulmanos.

Em setembro 2011, a agência iraniana de notícias semi-oficial, a Fars News, informou que Nadarkhani estava sendo julgado por acusações de estupro, extorsão e sionismo, relatou o The Christian Post anteriormente.

Documentos do tribunal que vazaram mais tarde esclareceram que Nadarkhani estava de fato a ser julgado por apostasia, e os críticos suspeitam que o relatório de notícias do incorreto Fars News seria uma tentativa de aliviar a pressão internacional sobre acusações baseadas religião de Nadarkhani.

Nadarkhani continua a aguardar a sua data da corte de setembro 8 na prisão, enquanto sua esposa, Fatema Pasindedih, e seus dois filhos, esperam por mais notícias.

Seu advogado, Mohammad Ali Dadkhah, também espera por mais notícias sobre o seu destino legal, porque um juiz notificou-o em maio que estava sendo condenado a nove anos de prisão por crimes contra a segurança nacional.

Dadkhah ainda tem que ser preso, e críticos especulam que esta era uma ameaça em nome do governo iraniano para intimidar Dadkhah e talvez impedir seu desejo de representar legalmente Nadarkhani.

Fonte: Christian Post

12/07/2012

Pr. Youcef Nadarkhani está preso há mais de 1000 dias no Irã


Neste domingo (8) completam-se 1.000 dias que o pastor iraniano Youcef Nadarkhani está preso, desde 2009, por defender a sua fé em Jesus Cristo. Grupos de defesa a liberdade religiosa e de apoio ao pastor Youcef estão se reunindo e convocando todos os cristãos ao redor do mundo a se unirem neste dia em oração, clamor e intercessão pela vida desse ministro do Evangelho.

Pastor Youcef foi acusado, condenado e sentenciado à morte por apostasia, ou seja, por se tornar um cristão num país em que a religião oficial é a muçulmana. Na época da prisão, quando os oficiais iranianos exigiram que ele negasse sua fé em Cristo ou então morreria, a resposta dele foi: “Não!”. O pastor foi preso ilegalmente e separado de sua esposa e de seus dois filhos.

Cristãos de todo o mundo estão orando e lutando para salvar a vida desse homem de Deus.

Recentemente, o pastor Silas Malafaia promoveu uma manifestação durante a Rio+20, em frente ao hotel do presidente do Irã exigindo a libertação do pastor Youcef.

Contato com o mundo exterior

O último contato que se tem registro de que o pastor Youcef Nadarkhani está vivo e bem foi uma carta aberta escrita por ele em que agradece e pede orações a “todos aqueles que estão preocupados” com sua situação. Leia a carta na íntegra:

7 de maio de 2012 

Pastor Youcef é casado e pai de dois filhos

Saudações do seu servo e irmão em Cristo, Youcef Nadarkhani. 

Para todos aqueles que se preocupam com minha situação atual.

Primeiramente, eu gostaria de informar a todos os meus irmãos e irmãs que estou em perfeita saúde em carne e em espírito. Estes dias estou tendo uma abordagem um pouco diferente dos outros e considero como o dia do julgamento da minha fé. E nesses dias tão difíceis para provar lealdade e sinceridade a Deus, estou tentando fazer o melhor que esta ao meu alcance para estar bem com tudo que aprendi com os mandamentos de Deus.

Eu preciso lembrar aos meus amados, que apesar do meu julgamento durar tanto tempo, como homem de carne e osso meu desejo é que esses dias acabem, mesmo que eu tenha rendido a vontade de Deus.

Eu não sou uma pessoa política nem sei sobre a cumplicidade política, mas sei que há muitas coisas em comum entre culturas diferentes. Há também diferenças entre essas culturas ao redor do mundo que pode resultar em criticas que a maioria das vezes a resposta sobre este tipo de críticas são duras, e como resultado nossos problemas aumentam.

De vez em quando eu sou informado sobre as noticias que estão se espalhando na mídia sobre minha situação atual. Por exemplo, sei que estou sendo apoiado por várias igrejas e grandes políticos que pediram minha libertação, ou estão fazendo campanhas defendendo os direitos humanos contra as cargas que estão sendo aplicadas a mim. Eu acredito que este tipo de atividades podem ser muito uteis, a fim de alcançar minha liberdade, e respeitando os direitos humanos de uma maneira correta poderá trazer grandes resultados imediatos.

Eu quero agradecer e apreciar todos àqueles que estão tentando chegar a este objetivo. Mas, por outro lado, eu gostaria de anunciar meu desagrado a palavras insultuosas ou as atividades que causam problemas e estresse, que infelizmente é feito de desculpas a defesa dos direitos humanos e da liberdade, e que é tão óbvio e claro para mim quanto ao resultado final. Insultando a crença do povo de outras nações, sejam eles a maioria ou a minoria, isso é inaceitável e tão pouco um ato digno, especificamente para aqueles que foram ensinados a amar e respeitar os outros mais do que a si mesmo e também tratar a todos da mesma forma que desejamos ser tratados.

Em seguida, queimando e insultando não são comportamentos reverentes para um cristão, e sim a obediência à palavra de Deus e se humilhar para que Deus seja glorificado, isso sim é dignidade.

Eu tento ser humilde e obediente àqueles que estão no poder, obedecer às autoridades do meu país que Deus concedeu, e orar para que eles governem o país segundo a vontade de Deus e serem bem sucedido ao fazerem isso. Porque eu sei que dessa forma estarei obedecendo à palavra de Deus. Eu tento obedecer, juntamente com aqueles que eu vejo que estão em uma situação parecida com a minha. Eles nunca se queixam de nada, apenas deixam o poder de Deus se manifestar em suas vidas, embora lessem que eles às vezes têm usado esse direito de se defender, pois eles têm esse direito, eu também não sou uma exceção e com isso tenho usado todas as possibilidades possíveis e assim continuo esperando o resultado final.

Então peço a todos amados que orem por mim como a palavra santa diz. No final espero que este esteja preparado o mais rápido possível, como as autoridades do meu país vão lhe dar com o livre arbítrio de acordo com a lei e os mandamentos nos quais serão respondidos.

Que a graças e a misericórdia de Deus sejam sobre você agora e para sempre. Amém.

Youcef Nadarkhani

(Traduzido para o português por Filipe Coelho do BCLJ, Diretor de Operações da ACLJ no Brasil)

Assista ao vídeo da campanha pela libertação do pastor Youcef:

//

//

04/06/2012

Irã quer desacreditar cristianismo expondo antigo manuscrito da Bílbia


O governo do Irã divulgou esta semana que um manuscrito da Bíblia, com 1500 anos de idade e que contém “novos ensinamentos” atribuídos a Jesus Cristo, é capaz de causar o colapso do cristianismo.

O livro com mais de 1500 anos foi confiscado na Turquia em 2000, durante a investigação e prisão de uma quadrilha de contrabandistas de antiguidades, apontam os relatórios do jornalDaily Mail. As páginas do livro, do século V ou VI, são de couro tratado e estão escritas em um dialeto do aramaico, língua falada por Jesus. Suas páginas estão hoje negras, por causa da ação do tempo, mas as letras douradas ainda possibilitam sua leitura.

As autoridades turcas acreditam que se trata de uma versão autêntica do Evangelho de Barnabé, um discípulo de Jesus que ficou conhecido por suas viagens com o apóstolo Paulo descritas no Livro de Atos.

Autoridades religiosas de Teerã insistem que o texto prova que Jesus nunca foi crucificado, não era o Filho de Deus, mas um profeta, e chama Paulo de “Enganador.” O livro também diz que Jesus ascendeu vivo ao céu, sem ter sido crucificado, e que Judas Iscariotes teria sido crucificado em seu lugar. Falaria ainda sobre o anúncio feito por Jesus da vinda do profeta Maomé, que fundaria o Islamismo 700 anos depois de Cristo. O texto prevê ainda a vinda do último messias islâmico, que ainda não aconteceu.

“A descoberta do original texto de Barnabé vai revolucionar a religião no mundo”, diz o relatório Basij. Nenhum meio de comunicação publicou os versos. A foto divulgada da capa mostra apenas inscrições em aramaico e o desenho de uma cruz. A Internacional News Agency, diz que a inscrição na fotografia pode ser facilmente lida por um assírio. Os assírios viviam na região que compreende hoje o território do Iraque, o nordeste da Síria, o noroeste do Irã, e o sudeste da Turquia.

A tradução da inscrição inferior, que é o mais visível diz: “Em nome de nosso Senhor, este livro está escrito nas mãos dos monges do mosteiro de alta em Nínive, no ano 1.500 do nosso Senhor”.

Especialistas cristãos negam a existência de tal evangelho, que consideram um apócrifo (não inspirado por Deus). A autenticidade do livro precisaria ser provada por autoridades independentes. Porém, alguns especialistas já afirmaram que o Irã está promovendo a descoberta do livro 12 anos depois porque hoje o cristianismo tem se tornado uma ameaça em seu país.

O Vaticano teria demonstrado preocupação com a descoberta do livro, e pediu às autoridades turcas que permitissem aos especialistas da Igreja Católica avaliar o livro e seu conteúdo, em especial o “Evangelho de Barnabé”, que descreveria Jesus de maneira semelhante à pregada pelo islã.

O relatório da Basij Press, que divulgou o material para a imprensa, sugere que a descoberta é tão importante que poderá abalar a política mundial. “A descoberta da Bíblia de Barnabé original irá minar a Igreja Cristã e sua autoridade e vai revolucionar a religião no mundo. O fato mais significativo, porém, é que esta Bíblia previu a vinda do profeta Maomé, mostrando a verdade da religião do Islã”.

A Basij afirma que o capítulo 41 do Evangelho diz: “Deus disfarçou-se de Arcanjo Miguel e mandou (Adão e Eva) embora do céu, (e) quando Adão se virou, ele notou que na parte superior da porta de entrada do céu, estava escrito La elah ELA Allah, Mohamadrasool Allah”, que significa ‘Alá é o único Deus e Maomé o seu profeta’.

Erick Stakelbeck, apresentadora de TV e estudioso de assuntos iranianos, disse ao site WND: “Ao promover a chamada Bíblia de Barnabé, que não é aceita por nenhuma denominação cristã dominante, o regime iraniano tenta mais uma vez desacreditar a fé cristã. O regime iraniano está empenhado em erradicar o cristianismo usando todos os meios necessários. Isso significa a execução de muçulmanos convertidos, queima de Bíblias ou invasão das igrejas subterrâneas”.

No ano passado, as autoridades iranianas confiscaram e queimaram cerca de 6.500 Bíblias por ordem do líder supremo, o aiatolá Ali Khamenei.

Desde sua descoberta, o livro vinha sendo mantido em segredo, guardado em um cofre-forte na cidade de Ancara. Agora, a Turquia planeja colocar o livro em exposição pública. A teoria mais comum entre os cristãos é que um exame do texto sugere que ele seria similar ao material apócrifo escrito no século XIV.

Fonte: Verdade Gospel

07/01/2011

Missionários cristãos são detidos no Irã


Missionários cristãos são detidos no Irã

As autoridades iranianas detiveram missionários cristãos na província de Teerã em uma data que não foi revelada, informou no fim desta terça-feira (4) o governador da região, citado pela agência oficial IRNA. É possível que nos próximos dias sejam feitas novas prisões, reiterou o governador Morteza Tamadon.

“Os líderes do movimento ‘tabshiri’ (missionário) foram detidos na província de Teerã e outros membros serão presos em breve”, disse, sem dar mais detalhes sobre o grupo que chamou de ilegal e corrupto.

O governador não informou a identidade ou a nacionalidade dos missionários detidos, mas os comparou aos talibãs afegãos.

“Como os talibãs (…), que entraram no Islã como parasitas, estes criaram um movimento com o apoio da Grã-Bretanha e em nome do Cristianismo, mas seu complô foi frustrado”.

A Constituição iraniana diz reconhecer as minorias religiosas, como os cristãos e os judeus. No entanto, o país, majoritariamente xiita, proíbe a divulgação das demais religiões e exige que todas as mulheres respeitem em público o código de vestimenta islâmico.

Fonte: AFP / Redação CPAD News

%d blogueiros gostam disto: