Posts tagged ‘Liberdade Religiosa’

22/04/2015

TJ diz que Bíblias em escolas de Florianópolis é inconstitucional


Biblia abertaO Tribunal de Justiça de Santa Catarina determinou que a lei municipal que obriga as escolas de Florianópolis a terem Bíblias em suas bibliotecas é inconstitucional. O projeto foi aprovado na Câmara em 17 de março, mas enfrentou problemas com a prefeitura.

Segundo o desembargador Lédio Rosa de Andrade a lei 9.734/2015 é inconstitucional por dar prioridade a uma prática religiosa. “A constituição garante a liberdade religiosa e isso proíbe a imposição de qualquer culto, rito, livro, símbolo ou prática religiosa específica em detrimento de outras”.

A decisão do TJ afirma ainda que a lei “afronta a liberdade religiosa” e abre espaço para desencadear a “intolerância e o sectarismo, senão ao fundamentalismo, responsável por inúmeras guerras e matanças na história da humanidade”.

O Ministério Público havia entrado com uma ação direta de inconstitucionalidade (Adin) que foi atendida pelo desembargador que reconheceu que a lei traz “risco de ofensa aos direitos e valores extrapatrimoniais das crianças e adolescentes nas escolas, bem como aumento de despesas para a administração pública”.

A Câmara de Florianópolis pode recorrer da decisão, mas não há informações se os vereadores decidirão ou não dar continuidade ao processo. A prefeitura da capital catarinense já havia se pronunciado contra a lei alegando que era inconstitucional. O procurador-geral Alessandro Abreu, informou que o município estava avaliando a possibilidade de entrar com ação judicial contra o projeto de Lei.

O prefeito Cesar Souza Júnior vetou o projeto de lei em novembro do ano passado, se baseando em um parecer da Secretaria Municipal de Educação e da Procuradoria Geral do município.

O autor do projeto é o vereador Jerônimo Alves (PRB), bispo da Igreja Universal, que já esclareceu por diversas vezes que seu projeto não tem como objetivo obrigar as crianças a lerem ou se tornarem cristãs.

“Não é o objetivo difundir a questão de religiosidade ou qualquer doutrina religiosa através dela. Achamos que ela é importante, ela deve ter sim acesso a todos”, disse ele quando a proposta foi aprovada. Com informações G1

04/11/2014

Campanha quer levantar US$25 mi para ajudar refugiados cristãos


acampamentoAndando pelas ruas de Irbil, no Curdistão iraquiano, Johnnie Moore ficou impressionado com o que viu. “Os cristãos estavam por toda parte: nas ruas, em prédios abandonados, em barracas de lona que não são à prova de água”, disse o ex-capelão da Liberty University que voltou aterrorizado de sua viagem.

Moore trabalha como chefe de equipe para Mark Burnett e Roma Downey, atores cristãos famosos por produzirem a série “A Bíblia” e o longa “O Filho de Deus”. Eles estão decididos a levantar 25 milhões de dólares para ajudar cristãos iraquianos e sírios (assim como outras minorias) que estão refugiados por causa dos ataques do Estado Islâmico na região.

O casal doou o primeiro 1 milhão e conta com o apoio dos cristãos sensibilizados com a situação de seus irmãos no Oriente Médio. Segundo a ONU, 800 mil pessoas precisam urgentemente de abrigo e 2,8 milhões necessitam urgentemente de alimentos.

“As situação é muito urgente. Temos de agir rapidamente”, explica Moore. “O inverno está chegando. As chuvas iniciaram esta semana. Em breve chegará a neve”.

Eles estão trabalhando em parceria com o Instituto de Engajamento Global (IGE), organização acostumada a lidar com questões internacionais de liberdade religiosa.

O diretor do IGE Chris Seiple escreveu “Podemos ver o fim da presença de cristãos na região que é o berço do cristianismo”. Ele explica que estão recebendo mais apoio no momento de um muçulmano que dos pastores evangélicos. O rei Abdullah II da Jordânia reconheceu que “manter os cristãos na região é parte integrante da identidade do Oriente Médio”, e está cooperando com o IGE, assim como os líderes das igrejas orientais históricas da região.

A primeira fase da parceria IGE e do casal Burnett-Downey chama-se “Resgate, Restauração e Retorno”. Seu plano consiste em 1) identificar as comunidades cristãs iraquianas e sírias com maiores necessidades; 2) Enviar dinheiro para a compra de abrigos impermeáveis para ajudá-los a enfrentar o inverno; 3) Fornecer dinheiro para compra de alimentos.

A missão Portas Abertas do Brasil está fazendo uma coleta no mesmo sentido no endereço doe.portasabertas.org.br.  O movimento Nassarah faz uma campanha de intercessão permanente pelos cristãos do Oriente Médio e divulga informações sobre o assunto. A organização católica Aleteia organizou uma petição online para reunir 500 mil assinaturas, que será encaminhada para a ONU.

Burnett e Downey explicam que defendem a liberdade religiosa e embora sua iniciativa tenham como foco a situação dos cristãos, poderão ajudar os yazidi e os muçulmanos que se negaram a apoiar o EI e por isso também foram perseguidos.

Eles fizeram uso da internet para denunciar os graves problemas relacionados à saúde e saneamento básico dos refugiados. Sempre chamou atenção o fato que, apesar de tudo, os cristãos continuam firmes. A maioria usa tinta spray para desenhar o mesmo “n” – que marca propriedade dos Nasrani (Nazarenos, em árabe)- que os milicianos do EI pintam na casa de cristãos.

Nas redes sociais já existe uma tentativa de mobilização para dar visibilidade às vítimas do EI. A hashtag #WeareN [#NósSomosN] vem sendo usada para marcar postagens sobre o conflito e as mortes provocadas pelos militantes do Estado Islâmico, que defendem a volta do califado e o fim de Israel.

Essa campanha virtual de solidariedade inclui evangélicos, católicos e ortodoxos, pois o termo “nazareno” diz respeito a Jesus, o centro do cristianismo. Essa forma de humilhação religiosa já ocorreu outras vezes na história. Um exemplo conhecido é a estrela de Davi com a inscrição “JUDE” usada pelos nazistas para “marcar” os judeus durante a ascensão do regime de Hitler na Europa. Estrelas amarelas eram costuradas nas roupas e pintadas nas casas para identificá-los. Com informações de Christianity Today

06/12/2012

Pastor é impedido de evangelizar em evento nos EUA


Pastor é impedido de evangelizar em evento nos EUAO pastor Steve Jankowski e três amigos foram impedidos de evangelizar durante o Festival do Parque Bayfront, localizado na cidade de Daluth, Minnesota (EUA), no dia 17 de novembro.

Como a Constituição americana garante a liberdade religiosa proibindo os estados de impedir que fiéis de qualquer religião falem sobre ela, o pastor entrou na justiça dizendo que a Primeira Emenda foi violada pelos guardas do parque que os expulsaram sob ameaça de prisão.

Para Jonathan Scruggs, advogado da Aliança Defesa da Liberdade (ADL) “governo não pode banir a Primeira Emenda em um parque público somente porque os oficiais do evento não gostam da mensagem que uma pessoa está compartilhando”.

Scruggs está atuando neste caso ao lado do advogado Nate Kellum do Centro de Expressão Religiosa. Juntos eles pedem para que o governo respeite as leis americanas que neste caso não foram cumpridas. “O governo desconsiderou tanto a ordem da corte quanto o que a ordem buscar proteger: a liberdade constitucionalmente protegida dos cidadãos de se engajarem em discursos que não causem desordem em lugares públicos”, disse Scruggs.

Pelo relato do pastor, ele e seus amigos estavam distribuindo folhetos com mensagens cristãs na abertura do evento Tour das Luzes de Bentleyville quando um policial afirmou que eles só poderiam evangelizar em outra área, distante da parte do evento.

Tempo depois os cristãos precisaram sair do parque para não serem detidos por invasão. Um dos amigos do pastor Jankowski gravou o oficial se justificando dizendo que o parque era considerado como propriedade privada e que a organização do evento solicitou que pessoas que “tentassem converter a crença dos outros” fossem proibidas de entrar.

A administração da cidade de fato passou o parque para a organização não lucrativa Tour das Luzes que coordena o evento anualmente para arrecadar alimentos e brinquedos, mas os advogados dizem que como não há cobrança de entrada as leis americanas deveriam valer, garantindo assim o direito dos envolvidos de divulgarem suas crenças.

As informações são do Portas Abertas.

30/11/2012

Bispo católico ordena retirada de santos de praça por ofender outras religiões


Bispo católico ordena retirada de santos de praça por ofender outras religiõesÉ comum encontrar notícias sobre pedidos de retirada de símbolos religiosos de espaços públicos, mas em Cacoal (RO) o pedido não parte de ateus ou outros representantes da sociedade, mas do próprio bispo católico que afirma que as imagens de santos colocadas na Praça da Matriz estão ofendendo os seguidores de outras religiões.

“Lá é uma praça pública. Tem que se respeitar as pessoas de outras religiões e a comunidade precisava ser consultada, sempre caminhando em comunhão”, diz Dom Bruno.

A Igreja Sagrada Família encomendou 22 estátuas de santos que representam os santos de cada comunidade católica do município, até o momento seis deles já foram entregues e postos na frente da igreja.

O pedido do bispo foi feito ao coordenador da igreja, Fernando da Silva, que não concorda com a decisão do líder da Igreja Católica na região.

“Fiquei decepcionado com a ordem dada pelo bispo. Acredito que quando a casa é sua, você faz o que quiser no quintal dela”, disse Azevedo que de tão inconformado com a decisão pediu para deixar o cargo que ocupa.

Quem também não vê problemas em ter as imagens decorando a praça pública é o padre Valdemir Galdino, responsável pela igreja, que já sabe o que fará com os santos que já estavam prontos: doar para as outras igrejas da cidade.

O site G1 conversou com dois moradores de Cacoal, um deles é católico e não acredita que as estátuas possam ofender alguém. Nestor Pereira Campista, 69 anos, diz que são os devotos desses santos é que são ofendidos por seguidores de outras religiões.

Já o comerciante Carlos Roberto Custódio, 46 anos, não declarou sua religião, mas disse que as imagens estão constrangendo os não católicos que passam pela praça.

Fonte: Gospel Prime

28/11/2012

Sara Sheeva pastora evangélica sugere texto do seu blog sobre o cristão e a música do mundo


A pastora Sara Sheeva em post no seu blog disse: “Eu JAMAIS voltarei a cantar músicas que não sejam de adoração a Deus.”, pela divulgação que uma pessoa que ela ama iria cantar músicas seculares. No seu Twitter, após a divulgação que a mesma pessoa anunciou que vai fazer uma turnê com o mesmo repertório, a pastora sugeriu a leitura do post. – Confira o texto e comente… Sara Sheeva por bom período de  sua via fez parte do grupo denominado “SNZ”, o qual fez muito sucesso cantando musicas que hoje são consideradas pela pastora e no meio evangélico como músicas seculares (não cristãs). O grupo “SNZ” se desfez e a então cantora Sara se converteu ao Senhor Jesus, se tornou pastora e tem trabalhado para edificação do Reino de Deus.

No artigo que ela pede para que seus seguidores no Twitter leia é enfática em afirmar que “ “Eu JAMAIS voltarei a cantar músicas que não sejam de adoração a Deus.” É uma decisão, não apenas profissional, mas espiritual e ministerial diz a pastora.

O que tem tocado aí dentro deste templo?

Alguns assuntos são muito delicados para se comentar, principalmente quando envolvem pessoas que amamos.
Aproveitando algumas notícias da mídia, e já respondendo as perguntas que estão me enviando a respeito, existe algo que vocês podem ter certeza sobre mim:

Eu JAMAIS voltarei a cantar músicas que não sejam de adoração a Deus.
É uma decisão, não apenas profissional, mas espiritual e ministerial.

Acredito no seguinte: podemos ter “amigos” no mundo, podemos andar no mundo, fazer a diferença, sermos a luz do mundo, etc… mas o mundo não pode andar DENTRO de nós.
Ou seja: Não podemos amar as coisas do mundo, os prazeres do mundo. Precisamos amar as PESSOAS do mundo.
Amar, nesse caso, significa sermos usados como instrumento de salvação para os perdidos.

Acredito que a música é algo ESPIRITUAL, é energia pura, algo sobrenatural. Acredito (e também tenho respaldo bíblico) que a música tem o poder de entrar dentro de nós e ministrar a nossa alma e o nosso espírito humano.
(Lembra de como Davi expulsou o espírito imundo de Saul ao ministrar louvor? 1 Samuel 16.23)

Nós somos o TEMPLO do Espírito Santo.
Então pergunte a você mesmo:
O que tem TOCADO aí dentro deste templo?
Dentro de mim só tocam os louvores de adoração ao nosso Deus! Nenhuma música profana ou de simples entretenimento toca dentro de mim.
Porque?
Porque EU SEI que DEUS NÃO CRIOU A MÚSICA PARA DAR PRAZER AO SER HUMANO (essa frase é do Pr.Cirilo), mas Deus criou a música para a adoração a Ele.

Acreditar nisso seria isso um tipo de “religiosidade”?
Não. Como eu sei que não?
Por causa da experiência prática da mudança nas minhas vontades.
Houveram muitos anos (após a minha conversão) que eu continuava com a prática de ouvir e cantar músicas que não eram de adoração a Deus, e enquanto eu não abandonei essa prática, muitas vontades malignas não me abandonavam, e muitas áreas da minha vida continuavam aprisionadas.
Posso testemunhar, e sei que muitos outros Cristãos podem testemunhar que, após deixarem a prática de ouvir músicas profanas, houve mudança em suas vontades, e em muitas áreas de suas vidas.

Precisamos ser um tipo de crente que, se Deus mandar deixarmos algo, deixamos NA HORA!

Precisamos ser um tipo de crente que “põe a mão no arado e não olha mais para trás…”

Porque quem põe a mão no arado e olha para trás (sente saudades do mundo) não é digno de Jesus.

Não foi fácil para mim, não foi fácil deixar certas músicas… Mas eu amo Jesus MAIS.
Eu amo Jesus MAIS do que qualquer prazer deste mundo.

Eu nasci na música do mundo. O preço de renúncia que eu paguei para poder servir ao Senhor foi alto. Por Jesus eu abandonei toda uma carreira. Eu não teria abandonado se Ele não tivesse pedido, e se deixar de obedecer não fosse algo que realmente pudesse comprometer minha caminhada em direção a eternidade.
Mesmo assim, sei que o preço que paguei não se compara com o preço que Ele pagou pela minha vida.
Por isso eu deixei tudo por Ele.
E deixaria de novo.

Lucas 9:62

“E Jesus lhe disse: Ninguém, que lança mão do arado e olha para trás, é apto para o reino de Deus.”

Traduzindo:

“Ninguém que começa a fazer a obra de Deus e fica com saudades do mundo, está capacitado para receber o reino de Deus.”

Por isso, quando alguém questiona (ou duvida que valha a pena) o nosso esforço em renunciar as coisas do mundo para seguir a Jesus, eu digo:

“Me mostre as tuas convicções, a tua teologia (ou até o teu ateísmo), que eu te mostro a mudança nas minhas vontades.”

Ser livre não é fazer o que quer, ser livre é conseguir querer o que Deus quer.
Ser livre é obedecer a Deus, e não ao diabo.

Paz, Pra.Sarah Sheeva – publicado em 28.10.12

Fonte: Inforgospel

08/11/2012

Membros de Igreja não registrada na China são presos


Chinese christian.jpgSegundo a agência de notícias ChinaAid, a equipe evangelística foi detida pela polícia, no sul da cidade de Shenzhen, por distribuir panfletos e pregar o Evangelho. O grupo só foi liberado em 31 de outubro, quatro dias depois da prisão.

Esta equipe tem viajado por toda a China para pregar o Evangelho. Quando foram presas, em 27 de outubro, as seis pessoas envolvidas participavam de atividades evangelísticas em uma praça em Shenzhen, local que faz fronteira com Hong Kong.

Entre os detidos estava um cristão cego, Li Hailing, de Handan, na província de Hebei. Ele contava seu testemunho pessoal, quando a polícia chegou. Os demais foram: Du Weixiao, de Nanchang, província de Jiangxi; Huo Xiaofeng, de Xuchang; Henanprovinc; e Han Dongkui de Yanji, província de Jilin.

Teoricamente, os cristãos chineses têm direito à liberdade religiosa, mas o espaço para evangelização é limitado. Além da perseguição governamental, as tentativas de evangelização de muçulmanos no extremo noroeste do território chinês têm enfrentado resistência e alguns ataques.

As leis religiosas que entraram em vigor em 1º de março de 2005 aumentaram a pressão sobre grupos não-registrados, exigindo que se legalizassem ou se preparassem para sofrer as consequências. Saiba mais sobre a China aqui.

Fonte: Portas Abetas

17/10/2012

Perseguição contra cristãos aumentou 309% na última década


Perseguição contra cristãos aumentou 309% na última décadaO Relatório sobre a Liberdade Religiosa no Mundo, divulgado nesta terça-feira (16), indica que cerca de 350 milhões de cristãos em todo o mundo sofrem algum tipo de perseguição ou discriminação.

Os ataques contra cristãos aumentaram 309% entre 2001 e 2010, segundo o estudo apresentado pela organização Ajuda à Igreja que Sofre (AIS).

Este documento é relevante para analisar a violação deste direito fundamental em mais de 196 países. O diretor do escritório da AIS na Espanha, Javier Menendez Ros, disse que “a falta de liberdade religiosa e as ameaças só aumentaram”.

As nações do Oriente Médio, especialmente as que passaram pela “primavera árabe” são as que representam as maiores ameaças para os cristãos.

“No Egito, Tunísia e Líbia a insegurança dos cristãos aumentou ainda mais”, disse Menendez. Além disso, sofrem com o problema países africanos como Quênia, Mali, Nigéria, Chade e Sudão, especialmente depois da radicalização do Islã.

A China também é parte dessa longa lista de países onde cresce a discriminação religiosa. É “um país que preocupa”, pois o governo tem um “controle global” dos membros da igreja, explica Javier Ros. Em 133 dos 196 países analisados pelo estudo, piorou o direito à liberdade religiosa, de acordo com o relatório.

Ainda segundo a AIS, 75% da perseguição religiosa nos dias de hoje é contra as comunidades cristãs.

Traduzido de ABC Es

11/10/2012

Igreja na Indonésia permanece proibida de cultuar


Igreja na Indonésia permanece proibida de cultuarO representante de uma igreja de Bogor, na Indonésia, cuja congregação foi impedida de realizar atividades cristãs, criticou o governo e agentes da lei por sua lentidão na resolução de casos de intolerância religiosa em todo o país.

Jayadi Damanik, da igreja GKI Yasmin, disse que não há solução duradoura para o impasse em que se encontra a igreja em que congrega, em Java Ocidental, fechada por ordem de autoridades locais. Na foto, ele argumentava com o oficial que fechou a congregação.

Damanik afirmou que tentou se utilizar de ferramentas legais e, fora dos tribunais, o apoio de ativistas de direitos humanos mas, mesmo assim, não conseguiu alcançar avanço no processo. Ele avisou, porém, que os funcionários lhe prometeram uma resolução ainda este ano.

“O governo central, o provincial, diretores gerais e o ministro do Interior relataram que tudo seria resolvido antes mesmo do Natal”, disse Jayadi durante um fórum em Jacarta.

Jayadi relatou que, no tempo que passou em provação, ele ouviu muitas “mentiras” – promessas dos governos central e provinciais, que não se concretizaram. “Por que eles estão fazendo isso aos cristãos da igreja GKI Yasmin? O que eles fizeram de errado para serem tratados dessa maneira? Ninguém pôde me responder”, disse ele.

Ele criticou os agentes da lei e da polícia que não atuaram em proteção à liberdade religiosa. “Se não era possível resolver o problema, então deviam, ao menos, promover a mediação dos conflitos. Se, mesmo assim, não for resolvido, então, levá-lo ao tribunal”, disse. “Muitos relatórios da polícia não foram investigados. Processos judiciais em outros lugares também não correm bem”, acrescentou.

Jayadi Damanik contou ainda que ele e outros irmãos da igreja de Yasmin não desejam que as pessoas que os prejudicaram por intolerância religiosa sejam punidas severamente, mas querem justiça no processo.

O caso atraiu ampla repercussão, especialmente da Suprema Corte, que decidiu pelo encerramento das atividades da igreja, considerando-a ilegal e, depois, ordenou a reabertura. No entanto, as autoridades de Bogor e o governo central se recusaram a cumprir a decisão da corte e não reabriram a congregação.

Fonte: Portas Abertas

12/09/2012

imagens inéditas da libertação do Pr. Youcef Nadarkhani


A alegria pela libertação do pastor iraniano Yousef Nadarkhani ainda é vista e comemorada por muitos, principalmente pelos cristãos em todo mundo. Ele foi condenado à morte por apostasia, porém foi absolvido e libertado da prisão no último sábado (8). Veja fotos desse momento marcante abaixo.

Segundo o Christian Solidarity Worldwide (CSW), organização cristã que trabalha pela liberdade religiosa, o pastor Yousef está em casa com sua família pela primeira vez em três anos, mas sendo rigidamente controlado pelas autoridades iranianas.

A preocupação com a segurança do pastor Nadarkhani continua. Segundo o site da CSW, em 1993 o pastor Mehdi Dibaj, da Igreja Assembleia de Deus, também foi preso e condenado à morte por apostasia. Na época, o bispo Haik Hovsepian Mehr iniciou um clamor internacional contra essa sentença. Três dias após a libertação do pastor Dibaj, em janeiro de 1994, o bispo foi assassinado. Seis meses depois o próprio pastor Dibaj também foi assassinado.

A CSW convoca a Igreja em todo o mundo para continuar a orar pelo pastor Nadarkhani, assim como por centenas de outros iranianos que estão presos ou perseguidos por causa de sua fé.

Veja as fotos do momento da libertação:

11/09/2012

Menina paquistanesa acusada de blasfêmia recebe liberdade


Menina paquistanesa acusada de blasfêmia recebe liberdade

Depois de três semanas presa em sela de segurança máxima, Ramsha Masih foi solta após o pagamento de uma fiança. Um juiz paquistanês assinou a soltura da garota de 11 anos que foi presa sob acusação de blasfêmia.

Rimsha, que é cristã, foi acusada pelos vizinhos de estar carregando páginas do Corão queimadas. Enfurecida, a vizinhança da periferia próxima a Islamabad chamou a polícia e a garota que tem problemas mentais foi levada para a cadeia.

Os cristãos daquela vila, incluindo os pais da garota, abandonaram suas casas com medo de represálias já que a maioria da população paquistanesa é muçulmana.

O caso passou a ser investigado e a polícia acabou prendendo o clérigo muçulmano Khalid Chishti, pois testemunhas disseram que ele na autoridade imã teria colocado as páginas queimadas no saco que a garota levava só para acusá-la e tirar os cristãos do bairro.

Agora Chishti está preso e responderá pelo crime de blasfêmia.

Fonte: Gospel Prime com informações BBC

%d blogueiros gostam disto: