Posts tagged ‘mateus’

16/11/2012

Por que orar?


Pergunta: “Por que orar? Qual o sentido em orar se Deus conhece o futuro e já está no controle de todas as coisas? Se não podemos mudar a opinião de Deus, por que devemos orar?”

Resposta: Por que orar? Por que orar se Deus já está no perfeito controle de tudo? Por que orar se Deus sabe o que vamos pedir antes que o façamos?

(1) A oração é uma forma de servirmos a Deus (Lucas 2:36-38). Oramos porque Deus nos ordena que o façamos (Filipenses 4:6-7).

(2) A oração é exemplificada para nós por Cristo e a igreja primitiva (Marcos 1:35; Atos 1:14; 2:42; 3:1; 4:23-31; 6:4; 13:1-3). Se Jesus achava que valia a pena orar, também devemos achar.

(3) Deus determinou a oração como meio para que pudéssemos obter Suas soluções em inúmeras situações:

a) Preparação para grandes decisões (Lucas 6:12-13)
b) Derrubar barreiras demoníacas na vida das pessoas (Mateus 17:14-21)
c) Ajuntamento de obreiros para a colheita espiritual (Lucas 10:2)
d) Obtenção de forças para vencer a tentação (Mateus 26:41)
e) Um meio de fortalecer a outros espiritualmente (Efésios 6:18-19)

(4) Temos a promessa de Deus que nossas orações não são em vão, mesmo se não recebemos especificamente o que pedimos (Mateus 6:6; Romanos 8:26-27).

(5) Ele prometeu que quando pedirmos por coisas que estejam de acordo com Sua vontade, Ele nos dará o que pedirmos (I João 5:14-15).

Às vezes Ele atrasa Sua resposta de acordo com Sua sabedoria e para o nosso benefício. Nestas situações, devemos ser perseverantes e persistentes em oração (Mateus 7:7; Lucas 18:1-8). A oração não deve ser vista como nosso meio de obter que Deus faça nossa vontade na terra, mas como um meio de obter a vontade de Deus feita na terra. A sabedoria de Deus, em muito, excede a nossa.

Em situações para as quais não sabemos especificamente qual a vontade de Deus, a oração é o meio de discerni-la. Se Pedro não tivesse pedido a Jesus para chamá-lo para fora do barco até a água, teria perdido tal experiência (Mateus 14:28-29). Se a mulher síria cuja filha estava influenciada pelo demônio não tivesse orado a Cristo, sua filha não teria sido restabelecida (Marcos 7:26-30). Se o homem cego fora de Jericó não tivesse clamado a Cristo, ele teria continuado cego (Lucas 18:35-43). Deus disse que muitas vezes não recebemos porque não pedimos (Tiago 4:2). Em um sentido, a oração é como compartilhar o evangelho com as pessoas. Não sabemos quem responderá à mensagem do evangelho até que o preguemos. O mesmo ocorre com a oração: nunca veremos os resultados de uma oração respondida até que oremos.

A falta de oração demonstra a falta de fé e a falta de confiança na Palavra de Deus. Nós oramos para demonstrar nossa fé em Deus, que Ele fará assim como prometeu em Sua Palavra, e que abençoará nossas vidas abundantemente mais do que podemos pedir ou esperar (Efésios 3:20). A oração é nosso primeiro meio de ver a obra de Deus na vida de outros. Por ser nosso meio de nos “ligarmos” ao poder de Deus como se nos ligássemos em uma tomada, é nosso meio de derrotar nosso inimigo e seu exército (Satanás e seu exército) que, por nós mesmos, não teríamos forças para vencer. Por isto, que Deus nos encontre sempre perante Seu trono, pois temos um Sumo Sacerdote no céu que pode se identificar com tudo o que passamos (Hebreus 4:15-16). Temos Sua promessa de que “A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos” (Tiago 5:16-18). Que Deus possa glorificar Seu nome em nossas vidas conforme creiamos Nele de forma suficiente para que venhamos sempre a Ele em oração.

10/10/2012

‘Adultério corre solto dentro das igrejas’, afirma conselheira de relacionamentos


Em um artigo intitulado “Trair e coçar, é só começar”, uma conselheira espiritual e blogueira evangélica recentemente chocou, apontando para os casos de adultério nas igrejas.

“O título te escandalizou? Ou foi a imagem? Sabe o que que mais me escandaliza, ou melhor, indigna? É saber que o adultério corre solto dentro das igrejas”, afirma Dani Marques, que escreve e aconselha sobre relacionamento conjugal e educação de filhos.

Além de casos relatados na mídia, Dani afirmou que ela recebe diversos e-mails revelando escândalos dentro da igreja na área da sexualidade.

“Não, não estou falando de pessoas que vez ou outra traem, se arrependem genuinamente e buscam restauração em Cristo, mas sim daqueles que se dizem irmãos e vivem na imoralidade. Ou seja, adultério e prostituição fazem parte de sua vida tanto quanto a oração e a leitura da Palavra”.

Dani relembra os crentes de que o adultério, segundo Jesus disse, não envolve apenas o ato físico, apontando para Mateus 5:28 (“Qualquer que olhar para uma mulher para desejá-la, já cometeu adultério com ela em seu coração.”)

Ela lista 8 tipos de imoralidade comuns entre os religiosos:

1 – Pastores que traem suas esposas com mulheres da própria igreja;
2 – Mulheres que sentem prazer em acentuar suas curvas para atrair olhares;
3 – Líderes religiosos frequentadores de prostíbulos;
4 – Líderes de jovens viciados em pornografia;
5 – Pastoras com fogo na periquita incendiando o “gabinete pastoral”;
6 – Mulheres que usam o pretexto do aconselhamento individual para seduzir seus líderes;
7 – “Levitas” praticantes de sexo virtual;
8 – Padres pedófilos e etc.

“A exortação hoje é para os que se dizem cristãos, pregam Jesus, mas não vivem o que pregam. Para os que sabem que adultério é pecado, que pornografia é adultério, mas ‘consideram prazer entregar-se à devassidão em plena luz do dia. São nódoas e manchas, regalando-se em seus prazeres… Tendo os olhos cheios de adultério, nunca param de pecar, iludem os instáveis e têm o coração exercitado na ganância. Malditos! 2 Pe 2:13 e 14.’”

A conselheira responde àqueles que perguntariam como alguém que conhece a Cristo e prega a sua Palavra faria algo desse tipo, mostrando as passagens Filipenses 1:15-17:

“É verdade que alguns pregam a Cristo por inveja e rivalidade, mas outros o fazem de boa vontade. Estes o fazem por amor, sabendo que aqui me encontro para a defesa do evangelho. Aqueles, pregam a Cristo por ambição egoísta, sem sinceridade, pensando que me podem causar sofrimento enquanto estou preso.”

E alerta que para os que conhecem a Palavra e praticam tais coisas a “única saída” é o “arrependimento”. “Antes que sua alma seja requerida e antes que a volta de Cristo te surpreenda como o ladrão na noite.”

Ela ainda desafia os cristãos a se decidirem entre frio e quente. “Se optar por Cristo, mude de vida hoje, busque-o! Mas se pretende continuar se deleitando em seus prazeres, renegue-o, antes que você seja vomitado de Sua boca”.

Uma pesquisa realizada pelo “O Crente e o Sexo” no ano passado, revelou que entre os evangélicos pesquisados, 11,96% das mulheres, disseram que já traíram, enquanto para os homens a porcentagem foi de 24,68%.

A pesquisa mostrou ainda que entre as diferentes denominações, a maior porcentagem dos que já traíram pertenciam aos grupos dos Neopentecostais (26,51%), depois Batistas (22,47%), Pentecostais (21,43%) e por último os Reformados (19,41%).

Fonte: The Christian Post

18/09/2012

Metodistas realizam campanha de doação de sangue


Metodistas realizam campanha de doação de sangue Todos os anos a Igreja Metodista realiza no mês de setembro a campanha “Um doador de sangue salvou minha vida“. À luz da Palavra de Deus e da herança de seu fundador John Wesley, esse trabalho baseia-se em atos de piedade e atos de misericórdia. “Porque isto é o meu sangue, que é derramado em favor de muitos, para o perdão dos pecados.”  – Mateus 26.28

O ato solidário foi Lançado como uma das metas da Campanha Nacional de Evangelização da Igreja Metodista em 2008. Por meio de ações e parcerias com hemocentros muitas igrejas e comunidades têm aderido a esse chamado e vidas têm sido ajudadas.  Mas como participar?

A denominação estimula a mobilização das igrejas e da comunidade para uma campanha local de doação de sangue. E enfatiza a necessidade de se fazer uma parceria com algum hemocentro da sua região. Outra possibilidade é ir até algum hemocentro e doar.

Durante os dias de doação de sangue a Igreja Metodista lembra o sacrifício de Jesus, que doou sua vida para que todos tenham vida em abundância. E sugere que, antes da ida ao posto de doação, a igreja faça um momento devocional com os doadores.


Fonte: Creio com informações Portal Metodista

%d blogueiros gostam disto: