Posts tagged ‘Morte de Cristãos’

27/04/2011

Igreja nos EUA doará exemplares do Alcorão em resposta ao pastor Terry Jones


Igreja nos EUA doará exemplares do Alcorão em resposta ao pastor Terry Jones A Igreja Presbiteriana de Wasatch, do Estado americano de Utah, resolveu se desculpar pelas atitudes de Terry Jones oferecendo cópias gratuitas do Corão, o livro sagrado do Islã.

Foram encomendados  50 cópias para serem distribuídas em uma livraria da cidade a partir desta segunda-feira, 25. “Não estamos promovendo o Islã”, disse o pastor da igreja, Scott Dalgarno.

De acordo com ele cada exemplar virá com um marcador de página que informa que o livro foi doado pela igreja local, que “não teme a verdade, não importando onde ela for encontrada”.

Dalgarno disse que já recebeu respostas negativas em relação às doações dos exemplares do livro, mas afirma que faria o mesmo por outras religiões.

“Se alguém em Salt Lake [capital de Utah] queimasse uma cópia do Livro dos Mórmons, nós provavelmente faríamos a mesma coisa. Nós compraríamos cópias do livro e diríamos para as pessoas lerem e se informarem”.

As doações são uma resposta ao pastor Terry Jones, líder de uma igreja fundamentalista cristã em Gainesville, no Estado da Flórida, que ateou fogo a um exemplar do Corão em março.

A atitude do pastor provocou a revolta de muçulmanos no Afeganistão, onde mais de 20 pessoas foram mortas.

Fonte: Gospel Prime

30/03/2011

Dois cristãos são assassinados na saída de uma Igreja no Paquistão


 Dois cristãos são assassinados na saída de uma Igreja no PaquistãoDois cristãos foram mortos a tiro e outros dois estão gravemente feridos após ataque de jovens muçulmanos na saída do prédio de uma igreja em Hyderabad, no dia 21 de março, segundo testemunhas.

Moradores de Hurr Camp, uma colônia de trabalhadores cristãos, em Hyderabad, na Província de Sindh, estavam comemorando a festa de aniversário de 30 anos da igreja do Exército da Salvação quando um grupo de jovens muçulmanos se reuniu fora do prédio e começou a colocar música em alto volume em seus celulares. De acordo com relatos, eles também começaram a provocar as mulheres cristãs que chegavam para a celebração.

Os cristãos Younis Masih, de 47 anos, Siddique Masih, de 45 anos, Jameel Masih, de 22 anos, e um identificado como Waseem, de 20 anos, saíram do prédio para impedir os jovens de provocar as irmãs, dizendo-os que respeitassem a santidade da igreja. Seguiu-se um conflito verbal, após o qual os muçulmanos saíram para voltar logo em seguida com revólveres.

Testemunhas disseram à agência de notícias Compass Direct News, por telefone, que os jovens muçulmanos abriram fogo contra os cristãos, matando Younis Masih e Jameel Masih instantaneamente, e ferindo gravemente Siddique Masih e Waseem. Os feridos foram transferidos para um hospital em Karachi, capital da Província de Sindh.

Younis Masih deixou uma esposa e quatro filhos, enquanto que Jameel Masih era casado há apenas um mês e sua morte súbita colocou a família em estado de choque.

“Meu filho tinha ido à igreja para participar das comemorações de aniversário de nossa família… Poucas horas depois, fomos avisados de sua morte”, disse Surraya Bibi à Compass Direct News, em prantos, por telefone, de Hyderabad. “Ele se casou há apenas um mês. Os assassinos de sangue frio destruíram minha família, mas nossa preocupação mais imediata é com a esposa de Jameel que está completamente em silêncio desde que a notícia arruinou com ela”.

Ela disse que a indiferença da polícia local em relação ao incidente brutal exacerbou a dor dos cristãos.

“A polícia estava agindo como se não fosse grande coisa”, disse ela. “Eles só registraram o caso tarde da noite, quando todos nós bloqueamos a rodovia principal de Hyderabad com os dois corpos por algumas horas”.

O tio paternal de Jameel Masih, Anwar Masih, disse à Compass que a polícia estava sendo preconceituosa contra os cristãos, pois “nenhum dos acusados foi preso até agora e eles estão perambulando pela região sem nenhum medo”.

Ele disse que a polícia tinha prendido alguns adolescentes que não tiveram nenhum envolvimento nas mortes.

“Eles fizeram isso somente para mostrar a seus superiores que ninguém está ocioso”, disse ele.

Anwar Masih disse que as famílias têm pouca esperança por justiça porque “se tivemos que desonrar os corpos colocando-os na rodovia para ter o caso registrado, o que deveríamos esperar quando começarem as investigações?”.

Ele disse que, durante o protesto, alguns líderes do Movimento Muttahida Qaumi, um partido político regional conhecido por sua frequente ideologia violenta, chegaram e sugeriram aos cristãos que retaliassem contra os muçulmanos.

“Nós lhes dissemos que, como cristãos, não iremos fazer justiça com as próprias mãos”, disse Anwar Masih.

Ele disse que o pai de Jameel Masih, Sardar Masih, e outros cristãos iriam à delegacia da Colônia de Baldia para ver se houve algum progresso nas investigações.

“Por favor, orem por nós”, disse ele.

A Compass Direct News se esforçou para fazer contato com o delegado da Polícia Distrital de Hyderabad, Munir Ahmed Sheikh, para perguntá-lo sobre o progresso do caso e se algum dos suspeitos tinha sido preso, mas as chamadas não foram atendidas.

O assassinato dos dois cristãos ocorreu uma semana após outro cristão, condenado a prisão perpétua por acusações de blasfêmia, ter morrido na Prisão Central de Karachi. A família de Qamar David alega que ele foi assassinado em 15 de março, enquanto relatos conflitantes da cadeia sugerem que ele tenha morrido de insuficiência cardíaca.

Se Qamar morreu por tortura, os assassinatos de Younis Masih e Jameel Masih aumentam o número de cristãos assassinados para quatro somente no mês de março, sendo o mais proeminente deles o do Ministro Federal para Assuntos da Minoria, Shahbaz Bhatti, morto no dia 2 de março, em Islamabad, por se opor às controversas leis de blasfêmia do país.


Fonte: Compass Direct / Portas abertas

 

22/03/2011

Relatório mostra que 75% da perseguição religiosa é contra cristãos


 Relatório mostra que 75% da perseguição religiosa é contra cristãosUm novo relatório da organização católica do Reino Unido mostra que 75% da perseguição religiosa no mundo é contra os Cristãos.

Examinando 33 países, a filial britânica da organização Ajuda à Igreja que Sofre relatou que a maioria das perseguições que estava ocorrendo no Oriente Médio, África e Ásia em sua “Perseguidos e esquecidos? Um relatório sobre os Cristãos oprimidos por sua fé” de 2011.

Além dos suspeitos de costume – China, Irã, Coréia do Norte e Arábia Saudita – o relatório revelou também que países como a Venezuela, o Zimbabwe e até a Terra Santa são culpados de perseguição religiosa. O relatório também descobriu que os Cristãos enfrentam perseguições aumentaram em 22 países entre os analisados, com o Egito, Iraque, Líbano, Nigéria e Paquistão estando entre os piores países para os crentes viverem. O relatório também diz que agora 100 milhões de Cristãos em todo o mundo estão enfrentando perseguição.

“A proporção de países com uma piora histórica de violência anti-cristã e intimidação seria maior se não fosse pelo fato de que em muitos casos, a situação dificilmente poderia ter sido pior, em primeiro lugar,” afirma o relatório.

Além da perseguição de extremistas islâmicos, o relatório também destacou que os Cristãos são perseguidos pelo aumento do nacionalismo em países como Birmânia, Índia e Sri Lanka. Há também a crescente ameaça do extremismo islâmico no Norte da África e partes da Ásia. Enquanto isso, alguns países comunistas e ateus estão suprimindo os direitos religiosos das minorias.

“Extremistas associam cada vez mais cristãos locais com seus países do Ocidente,” explicou John Pontifex, porta-voz da Ajuda à Igreja que Sofre. “Como eles são, na maioria dos casos, incapazes de atacar países ocidentais diretamente, muitos extremistas transformar seu fogo contra os Cristãos locais”.

Esta semana, Ann Widdecombe, um político britânico conhecido, foi nomeado como enviado especial sobre liberdade religiosa para a caridade do auxílio à Igreja que Sofre.

Widdecombe disse que está “cada vez mais alarmado” com os relatos de violência e intimidação contra os cristãos. Ela também destacou a incoerência do esforço do governo britânico para proteger os direitos das minorias religiosas no mercado interno e sua tendência de fechar os olhos à perseguição dos cristãos no exterior.

“É hora de colocar a cabeça acima do parapeito e falar em nome dos cristãos que sofrem por sua fé,” disse ela. “Estou muito satisfeita em apoiar o trabalho da Ajuda à Igreja que Sofre, que está fazendo um excelente trabalho para ajudar os cristãos perseguidos”.

Fonte: Christian Post

 

17/03/2011

Cristão paquistanês é encontrado morto na prisão


 Cristão paquistanês é encontrado morto na prisão

O cristão Qamar David foi encontrado morto em sua cela na prisão central de Karachi (Paquistão). Ele aguardava recurso contra sua condenação de prisão perpétua por blasfêmia em 2010.

David estava preso desde 2002 quando foi acusado de cometer blasfêmia contra o profeta Maomé.

As autoridades prisionais atribuem a morte de David a um ataque cardíaco, mas os líderes religiosos e ativistas dos direitos humanos querem uma autópsia independente.

O diretor de Advocacia do Christian Solidarity Worldwide (CSW), Andrew Johnston, disse que “dadas às ameaças enfrentadas pelos prisioneiros de blasfêmia, é necessário que a verdadeira causa da morte seja investigada adequadamente e de forma independente”.

A notícia de sua morte provocou preocupação especial, duas semanas após o assassinato de do Ministro de Minorias do Paquistão, Shahbaz Bhatti, um crítico ferrenho das leis de blasfêmia.

Johnston disse que a morte de Davi, sublinhou a necessidade urgente de continuar o trabalho de Bhatti. “O governo deve abordar o abuso das leis contra a blasfêmia e as atitudes sociais, que vêem como aceitável para fazê-lo”, disse ele.

De acordo com a CSW, o advogado de David sempre sustentou que as alegações eram falsas e desencadeadas por uma rivalidade empresarial, e que a condenação foi o resultado de pressões de clérigos religiosos e os seus apoiadores.

David e seus advogados receberam ameaças de morte e intimidação nas audiências judiciais. “Estamos chocados e tristes ao ouvir essas notícias e nossos pensamentos e orações estão com a esposa Qamar David e seus filhos”, disse Johnston.

Os últimos nove anos de vida desta família foram totalmente devastados pelas consequências de uma acusação de blasfêmia. “É mais um exemplo trágico de vidas destruídas pela blasfêmia no Paquistão e na incapacidade do governo do sistema judicial”.

Fonte: Christian Today / Redação CPAD News

05/01/2011

21 católicos mortos em atentado


21 católicos mortos em atentado

Após ataque à bomba que culminou com a morte de 21 católicos em igreja no Egito, o presidente Hosni Mubarak  (foto) afirmou que o atentado fora voltado aos egípcios e não apenas a um grupo religioso. Ele credencia a violência a “elemento estrangeiro”.

Em entrevista neste sábado, 1º, Mubarak declarou que o ataque à Igreja Cristã Copta tinha como alvo tanto cristãos quanto muçulmanos e “tem marca de elementos estrangeiros”. Horas antes, logo após o atentado, o papa Bento 16 falou sobre a violência contra fiéis à igreja. Ao menos 21 pessoas morreram e dezenas ficaram feridas com a explosão de um carro-bomba na cidade de Alexandria, região norte do país.

“Terroristas cruéis miraram a nação, coptas e muçulmanos”, declarou Mubarak à TV estatal, acrescentando que os ataques falhariam nos planos de desestabilizar o Egito ou dividir católicos e muçulmanos. “Nos choca esse ato brutal. A mistura do sangue de muçulmanos e cristão é uma prova de que todo o Egito é o alvo deste terrorismo cego”, disse o presidente do Egito.

O governador de Alexandria, Adel Labib, “acusou a Al-Qaeda de planejar o ataque”, segundo a TV estatal, sem dar outros detalhes. Conforme a emissora, as investigações sobre o atentado continuam.

Já o papa, no dia em que a Igreja Católica celebra o Dia Mundial da Paz, dedicou sua homilia de ano-novo à liberdade religiosa e à tolerância. “A humanidade não pode permitir se acostumar com a discriminação, injustiças e intolerância religiosa. Mais uma vez, faço um apelo (aos cristão em zona de conflito) que não se entreguem à resignação e ao desanimo”, disse.

Segundo autoridades egípcias, a explosão ocorreu na área que tinha carros estacionados em frente à igreja e que possivelmente foi um atentado terrorista. Os fiéis haviam acabado de celebrar a missa de ano-novo na hora do ataque, logo depois da meia-noite.

Com o atentado, centenas de pessoas fizeram um protesto nas ruas próximas e, segundo testemunhas, arremessaram pedras contra muçulmanos. Durante a manifestação, veículos foram incendiado e a polícia usou gás lacrimogêneo para conter os cristãos. “Sacrificamos nossas almas e sangues pela cruz”, gritavam os manifestantes. A explosão também danificou uma mesquita e feriu muçulmanos.

A população cristã representa 10% dos 79 milhões de pessoas que vivem no Egito, majoritariamente muçulmana, e as tensões entre as comunidades religiosas podem gerar ondas de violência.

Fonte: CPADNews / Notícias Cristãs com informações da AE

%d blogueiros gostam disto: