Posts tagged ‘Mulçumanos’

06/12/2012

Testemunho de adolescente cristã toca o coração dos muçulmanos


Testemunho de adolescente cristã toca o coração dos muçulmanosO testemunho de sobrevivência de uma jovem que foi vítima de um ataque no Quênia tem motivado muçulmanos a procurarem missionários cristãos, pois reconhecem o poder de Deus.

Em agosto a aldeia Orma onde Malaika e sua família viviam foi atacada por homens da tribo Pokomo que deixaram centenas de pessoas feridas e muitos mortos.

Malaika, que é cristã, foi baleada no pescoço e na cabeça e também recebeu facadas na mão e na coxa, precisando então de um tratamento médico. Depois de muitos dias internada a jovem recebeu alta e passou a morar na casa da missionária Lea que hospeda mais de 48 cristãos.

A missionária é parceira do Portas Abertas do Quênia e começou a ficar preocupada com as constantes queixas de Malaika que reclamava de dores fortes na cabeça. Ao levá-la para o hospital os médicos disseram que ela precisaria passar por mais uma cirurgia, mas que poderia demorar umas duas semanas por falta de agenda do neurocirurgião local.

Os cristãos oraram em favor de Malaika e na mesma noite um enfermeiro iniciou o procedimento para que a garota fosse internada e encaminhada para a cirurgia que teve sucesso total.

O cirurgião relatou depois da operação que precisou retirar um cisto do cérebro da jovem ocasionado pela bala que atravessou a cabeça. Apesar de altamente perigosa, a cirurgia correu bem e Malaika já está em casa.

Fonte: Gospel Prime

06/12/2012

Muçulmanos atacam pastor evangélico que pregava na Índia


Muçulmanos atacam pastor evangélico que pregava na ÍndiaO site do Portas Abertas recebeu a informação de que um pastor foi atacado por muçulmanos por estar pregando o evangelho para a população.

No dia 23 de novembro o pastor Lewis Mascarenhas ministrava para um público formado por muçulmanos que começaram a questionar a fé do pastor iniciando assim uma discussão a respeito da natureza divida de Cristo e de seus ensinamentos.

Para responder as questões o pastor calmamente teria distribuído algumas literaturas com as respostas bíblicas para as questões levantadas pelos presentes enquanto a notícia sobre a pregação corria pela cidade.

Furiosos, alguns muçulmanos se juntaram achando que o Mascarenhas estava obrigando os ouvintes a se tornarem cristãos e partiram para o ataque.

Mesmo estando gravemente ferido o pastor foi levado à delegacia onde os acusadores fizeram uma queixa contra ele dizendo que ele estava impondo sua fé aos demais. Após a abertura do processo os policiais levaram o pregador para o hospital sob custódia da polícia.

Por este motivo os muçulmanos radicais passaram a atacar diversas igrejas em Hospet e a proteção policial foi necessária também em instituições que são administradas por cristãos.

Fonte: Gospel Prime

 

29/11/2012

Cristãos egípcios/americanos condenados a morte no Egito pelo filme “A inocência dos Muçulmanos”


7 cristãos coptas/americanos envolvidos na produção do filme “A inocência dos Muçulmanos” que ofende Maomé e a religião islâmica são sentenciados a morte por um  tribunal no Cairo/Egito, entre eles o produtor Mark Basseley Yussef que está cumprindo prisão nos EUA.

Um tribunal do Cairo condenou à morte sete cristãos egípcios julgados à revelia, nesta quarta-feira, pela participação em um vídeo anti-islã que foi divulgado na internet em setembro e que provou protestos violentos em vários países muçulmanos.

“As sete pessoas acusadas foram condenadas por insultos à religião islâmica através da participação na produção e distribuição de um filme que insulta o islã e seu profeta”, disse o juiz Saif al-Nasr Soliman. O vídeo de baixo orçamento, produzido de forma privada na Califórnia, denegriu o profeta Maomé e provocou protestos anti-EUA e ataques a embaixadas ocidentais em todo o mundo muçulmano.

As pessoas condenadas incluem o egípcio-americano Nakoula Bassely Nakoula, que está cumprindo um ano de prisão em Los Angeles depois de um tribunal norte-americano tê-lo condenado por violações de liberdade condicional que se originaram de seu papel no filme.

O vídeo de 13 minutos retrata o profeta Maomé como um tolo e um depravado sexual, embora os membros do elenco tenham dito que foram enganados para aparecer em um filme que eles acreditavam ser um drama de aventura chamado “Guerreiro do Deserto”.

A Igreja Copta Ortodoxa do Egito não emitiu um comentário oficial sobre a decisão. “A Igreja denunciou o filme, que não tem nada a ver com ela. Quanto ao caso de hoje, é uma decisão do tribunal e a Igreja não comenta decisões judiciais”, disse uma fonte da Igreja, que pediu para não ser identificada. Os cristãos constituem cerca de 10 por cento das 83 milhões de pessoas do Egito e muitos se queixam de discriminação no trabalho e no tratamento.

Fonte: inforGospel

20/11/2012

Construção de “megamesquita” em Londres gera protestos


Construção de “megamesquita” em Londres gera protestosUm grupo radical islâmico solicitou uma autorização para construir uma das maiores mesquitas do mundo, em Londres, local que já abrigou grandes personalidades do cristianismo.

A “megamesquita” apelido do que é chamado oficialmente de Centro Riverine de Abbey Mills, poderá abrigar até 10 mil fiéis. Ele será o maior edifício religioso na Grã-Bretanha e a maior mesquita da Europa.

Para termos de comparação, a maior catedral da Grã-Bretanha, a Catedral Anglicana de Liverpool, tem lotação de 3.000 fiéis, e a Catedral de São Paulo, um dos cartões postais do centro antigo de Londres, tem capacidade para 2.500.

O projeto para o local se estende por 30.000 metros quadrados, perto da Vila Olímpica de West Ham, e inclui dois minaretes de 15 metros, uma biblioteca islâmica, um refeitório, instalações esportivas, oito apartamentos para clérigos muçulmanos e centenas de vagas de estacionamento.

Grande parte do financiamento das obras da mesquita, com um custo estimado de 300 milhões de reais, deverá vir da Arábia Saudita.

O projeto de construção desse “espaço sagrado islâmico contemporâneo” foi apresentado por Tablighi Jamaat [Sociedade para a Difusão da Fé] uma espécie de líder do “movimento missionário muçulmano” atual e o maior grupo de treinamento de religiosos do mundo.

Mais ativo no sudoeste e sudeste da Ásia, na África e na Europa, acredita-se que esse grupo tem contribuído em muito para o crescimento explosivo de fervor religioso islâmico e de conversões em massa em diferentes partes do mundo.

Embora se esforce para projetar uma imagem pacífica, seus membros passaram a ser acusados de serem parte de uma organização terroristas muçulmana, depois de comprovada sua ligação com os responsáveis pelos atentados do 11 de setembro de 2001 (EUA) e 7 de julho de 2005 (Londres).

As autoridades americanas classificam o Tablighi Jamaat um “campo de recrutamento para a Al-Qaeda”. Funcionários da inteligência franceses descreveram o grupo como uma “antesala do fundamentalismo” e assinalam que o objetivo final do grupo é uma “conquista planejada do mundo”, no espírito da jihad.

O projeto tramita desde 1999, na prefeitura de Newham, que faz parte da região metropolitana de Londres. Ele já foi modificado várias vezes e a versão atual deverá ser votada por uma comissão de zoneamento no início de dezembro.

Ironicamente, cerca de um quilômetro do local em que a mesquita será edificada, ficava a sede do Centro Cristão Internacional Kingsway, a maior igreja evangélica da Europa, que reunia cerca de 12 mil fieis por domingo. O templo foi demolido em 2007 para que não região pudesse ser construído o novo estádio Olímpico. Até hoje, cinco anos mais tarde, o governo ainda não deu a permissão para a igreja cristã construir um novo local de culto novo em outro lugar da cidade.

O ex-vereador londrino Alan Craig lançou uma campanha contra a construção da megamesquita. Ele produziu 100 mil folhetos, que foram distribuídos na região. Embora afirme acreditar na liberdade de religião o problema dessa mesquita é ter sido planejada “por uma seita islâmica particularmente perturbadora, o Tablighi Jamaat. Eles ensinam que, se você quer ser um bom muçulmano deve se afastar dos não-muçulmanos… Eles estão em todo o mundo, é um grupo enorme e onde chegam criam barreiras, hostilidade e divisão, impondo o separatismo”.

Estas preocupações estranhamente são compartilhadas por muitos muçulmanos, que não querem na cidade o que chamam de “Islamismo medieval”. Asghar Bukhari, porta-voz da filial britânica do Comitê de Assuntos Públicos Muçulmanos, confirmou isso em uma entrevista recente. Traduzido de Gatestone Institute.

Fonte: Gospel Prime

27/09/2012

Justiça proíbe exibição no Brasil de filme que ofende Maomé


O YouTube tem dez dias para tirar do ar o trailer de ‘Inocência dos Muçulmanos’, que causou protestos em países islâmicos.

O Tribunal de Justiça de São Paulo proibiu nesta terça-feira, 25, o site YouTube de exibir o trailer do filme ‘Inocência dos Muçulmanos’ que, ofensivo ao islamismo, tem causado protestos em diversos países. Horas antes, a presidente Dilma Rousseff condenou a islamofobia no discurso de abertura da 67.ª Assembleia-Geral das Nações Unidas, em Nova York.

A decisão foi tomada nesta tarde pelo juiz Gilson Delgado Miranda, da 25ª Vara Cível, segundo informações da assessoria de imprensa do TJ, e acata um pedido da União Nacional Islâmica contra a Google Brasil, responsável pelo serviço de vídeos online.

O YouTube tem dez dias para tirar do ar o trailer no Brasil. A cada dia de descumprimento da medida, uma multa de RS 10 mil será cobrada da empresa, segundo o despacho do magistrado. Cabe recurso.

A reportagem entrou em contato com a Google Brasil para que a empresa comentasse o caso. Até o início desta noite, porém, os representantes do site não retornaram o pedido do Estado.

“O caso realmente envolve uma questão complexa e de difícil solução. Em verdade, traz um conflito claro em relação à liberdade de expressão e à necessidade proteção de indivíduos ou grupos humanos contra manifestações que possam induzir ou incitar a discriminação de preconceito de religião. Realmente, o nosso sistema constitucional consagra a liberdade de expressão por considerá-la um dos fundamentos essenciais de uma sociedade democrática (…). Cancelar o que é ilícito, no entanto, não ofende o valor relevante da liberdade de pensamento e de comunicação”, declarou o juiz em sua decisão, argumentando que a medida não representa censura. Leia o documento na íntegra.

O advogado da União Nacional Islâmica, Adib Adbouni comemorou a decisão e disse que o filme viola a Constituição, pois, em sua interpretação, viola o direito de liberdade de religião. Para o advogado, o vídeo “ofende a coletividade islâmica”.

Para o presidente da Associação Beneficente Islâmica do Brasil, Bilal Jumaa, que organizou uma passeata contra o filme, a decisão da Justiça foi acertada. “Foi bom para impedir que digam essas coisas ruins”, disse o religioso. “Isso é um ataque que mexe com todas as religiões e vai proteger a liberdade de religião.”

Ainda de acordo com Jumaa, o fato de a comunidade islâmica brasileira ter se mobilizado pode ter contribuído para a proibição do filme. “Pode ser, sim. A gente se mobilizou e mostrou que esse filme não é legítimo.

Fonte: Estadão

27/09/2012

Novas redes sociais para católicos e muçulmanos


Novas redes sociais para católicos e muçulmanosO Facebook já tem quase um bilhão de usuários e, aparentemente, ainda reina supremo. Mas duas novas redes sociais foram lançadas visando alcançar especificamente os religiosos: a Salamworld, muçulmana, e a Aleteia, católica.

O Salamworld surgiu na Turquia e funciona em fase beta (de testes). Ela será aberta a todos os interessados em novembro. Sabendo da grande popularidade das redes entre os jovens de países islâmicos, seus criadores acreditam que vão ter 150 milhões de usuários daqui a três anos.

“Estamos quebrando o estereótipo conservador ao desenvolver uma rede global e inovadora, que dá à juventude muçulmana uma plataforma para levar seus projetos adiante”, explica Ahmed Azimov, 35, vice-presidente do site.

A rede tem uma visão ampla para sua popularização, por isso a diretoria é formada por pessoas de 17 países diferentes e terá versões em árabe, francês, inglês, malaio, persa, russo e turco.

As preocupações são muitas, por isso o site possui uma equipe de moderadores, que analisa os conteúdos suspeitos, dizendo se pode ser aprovado ou rejeitado. Isso evitaria a disseminação de conteúdo considerado haram (pecaminoso). Já é empregado um tipo de “filtro” que reconhece pornografia e outras formas de conteúdo profano.

“Somos um ambiente seguro para a família muçulmana, livre de abuso infantil, álcool, extremismo e terrorismo”, enfatiza Azimov. “Nas outras redes, ninguém garante que, em vez da figura do Mickey, seu filho verá algo sujo.”

A rede Aleteia (“a verdade” em grego) entrou no ar semana passada, após um ano de testes. Sua proposta é agregar conteúdo que elucide as principais dúvidas em relação ao catolicismo.

Fundada na Itália, também está disponível em árabe, espanhol, francês, inglês, italiano e português. “A ideia é que todo o conteúdo parta de uma pergunta de um usuário”, explica Alexandre Ribeiro, 35, editor da versão lusófona do site.

“Hoje, se você busca temas sobre a Igreja Católica no Google, encontra pouquíssimas referências. Queremos jogar lá para cima [da página de resultados] informações tratadas, confiáveis.”
Através de mais de mil parcerias, a Aleteia oferece conteúdo em vídeo, texto e imagens sobre tópicos como “quem foi Jesus Cristo” e “por quantas mortes a Igreja foi responsável durante a Inquisição espanhola?”.

Por enquanto, no Brasil, seus parceiros são a Pontifícia Universidade Católica, a rede Canção Nova e a Arquidiocese do Rio de Janeiro.

Segundo Ribeiro, que não tem ligação formal com a Igreja, o site deve ganhar, em breve, uma seção para debates entre usuários.

Com informações Folha de SP

19/09/2012

Brincadeira no Twitter gera protesto de muçulmanos


Brincadeira no Twitter gera protesto de muçulmanos

Milhares de muçulmanos estão sendo “vítimas” de um novo meme que está entre os assuntos mais comentados do momento no Twitter. A revista Newsweek desta semana publicou como matéria principal um longo artigo assinado por Ayaan Hirsi Ali, uma ex-muçulmana nascida na Somália escritora que se descreve como uma “combatente no choque de civilizações”.

Ela faz uma análise de como os protestos contra um filme online que zomba do profeta Maomé acabou resultando em várias mortes em todo o mundo, incluindo a do embaixador dos EUA na Líbia. Lembra ainda a reação dos islâmicos contra romance assinado por Salman Rushdie, “Os Versos Satânicos”, publicado em 1989. Na época uma recompensa foi oferecida por sua morte.

“Em 23 anos as coisas não mudaram muito”, argumenta Ali. ”Os homens e mulheres muçulmanos (e sim, há muitas mulheres) que apoiam a ideia de que os blasfemos merecem sofrer punição não são um punhado espalhados por aí. Pelo contrário, eles representam a grande parte do Islã contemporâneo”, argumenta.

O título da capa da Newsweek é “Muslim Rage” [raiva muçulmana] e tem como subtítulo: “Como eu sobrevivi, Como podemos acabar com isso”. Ela fez então uma crítica aguda da violência islâmica e como ela experimentou isso ao decidir abandonar a religião muçulmana.

Mas na manhã desta terça-feira, no Twitter, o que era pra ser uma reflexão séria sobre o assunto acabou transformando os muçulmanos em alvo de milhares de piadas.

O site da revista sugeriu que os leitores debatessem o tema, usando uma hashtag (#muslimrage) como é comum no microblog. Em pouco tempo ela se popularizou, com milhares de pessoas escrevendo sobre o assunto ao mesmo tempo.

Alguns dos tuites eram sérios e tratavam de problemas de discriminação sofridos pelos muçulmanos.  Muitos diziam que o que lhe deixava com raiva eram piadas no trabalho, as restrições islâmicas sobre comer carne de porco e beber vinho, ou o longo jejum durante o Ramadã.

Mas a maioria deles passou a ironizar os costumes islâmicos. As frases diziam coisas como:

Passar horas no cabeleireiro e ninguém poder ver porque é obrigada a usar um véu #muslimrage.

Colocar o nome do filho de Jihad [Guerra Santa]  e não poder gritar seu nome em público #muslimrage.

Nunca poder comer bacon no café da manhã #muslimrage.

Poder casar com várias mulheres mas não ter dinheiro pra sustentar nenhuma #muslimrage.

Obviamente a resposta das lideranças muçulmanas foi bastante negativa. Vários clérigos pediram que as pessoas que honravam a sua fé abandonassem a rede social.

Com informações The Daily Beast

01/09/2012

Garota presa por supostamente queimar o Corão tem deficiência mental


Garota presa por supostamente queimar o Corão tem deficiência mental Os médicos paquistaneses divulgaram o resultado dos exames feito em Rimsha Masih, uma jovem de 11 anos que foi presa no começo do mês sob acusação de blasfêmia. No primeiro momento foi divulgado que a menina tinha Síndrome de Down, mas os médicos afirmaram que na verdade ela sofre de retardamento mental.

Presa desde o dia 17 de agosto quando os vizinhos chamaram a polícia por vê-la carregando em um saco de lixo algumas folhas que teriam sido tiradas de um exemplar do Corão, livro sagrado para os muçulmanos, a garota não pode ser libertada.

Seu advogado, Tahir Naveed Chadhry chegou a conceder entrevista dizendo que ela está sendo mantida em uma prisão de segurança máxima e que durante uma visita chorou pedindo para ser libertada.

“O relatório médico também apoiou nossa afirmação de que sua idade mental não é compatível com sua idade física”, declarou Naveed. “Ambas as descobertas oficiais vão nos ajudar a provar que as acusações contra Rimsha têm sido erroneamente aplicadas e que ela deveria ser posta em liberdade sob fiança imediatamente”, concluiu.

O advogado diz também que mesmo se ela for inocentada não poderá voltar para casa nunca mais, pois eles temem aos vizinhos que podem tentar fazer a justiça com as próprias mãos. Com medo da reação deles, os pais de Rimsha foram retirados de sua casa e estão sob custódia protetora.

“Assim como todos os outros acusados de profanar o Islã, Rimsha e sua família não poderão retornar à sua casa, pois isso pode colocar suas vidas em risco”, disse ele.

A imprensa local chegou a dizer que especialistas estão denunciando a ilegalidade da detenção de uma adolescente que não tem capacidade mental de entender o motivo de sua prisão. Mas as agências de inteligência alertam o governo paquistanês que a liberação da menina pode aumentar a tensão religiosa no local.

Com informações Portas Abertas

10/08/2012

Seita muçulmana aprisionava crianças em cativeiro subterrâneo


Seita muçulmana aprisionava crianças em cativeiro subterrâneo Autoridades russas acusaram nesta quarta-feira (8) quatro integrantes de uma seita muçulmana de aprisionar crianças e mantê-las em um cativeiro subterrâneo de uma casa na região do Tatarstan, oeste da Rússia.

27 crianças estavam no local e nunca tinham visto a luz do sol. Além disso, 38 adultos viviam em celas 8 níveis abaixo da casa do líder da comunidade, Faizrakhman Sattarov.

Sattarov pregava o isolamento do mundo exterior e começou a evitar o contato com as pessoas já no início do século 21. De acordo com informações da BBC, ele se considerava um ‘profeta’ muçulmano.

O líder da seita foi acusado do crime de ‘arbitrariedade’. Segundo a lei russa, isso acontece quando alguém ‘promove ação contrária à apresentada na lei ou a qualquer outro ato normativo legal’.

A comunidade foi localizada em um subúrbio da cidade de Kazan, capital da região do Tatarstan. Uma investigação foi iniciada sobre os recentes ataques a clérigos muçulmanos no Tatarstan, uma região majoritariamente islâmica às margens do Rio Volga.

Perigo

Segundo as autoridades russas, as crianças viviam em condições precárias. Os policiais que descobriram o complexo em que viviam relataram que o local possuía grande risco de incêndio, além de má ventilação e falta de saneamento.

Algumas crianças foram levadas para abrigos e outras encaminhadas a hospitais, segundo informações do jornal estatal Rossiyskaya Gazeta.

As celas onde viviam os seguidores localizavam-se oito níveis abaixo da terra abaixo de uma casa em péssimo estado de conservação. O terreno possuía 700 m2, segundo a agencia de notícias AP. A casa será demolida, pois tinha sido construída ilegalmente.

Apenas um pequeno grupo de fieis tinha permissão de deixar a comunidade. Eles trabalhavam como comerciantes em um mercado local.

Falso profeta

Líderes muçulmanos da região do Tatarstan afirmaram não reconhecer os ensinamentos de Sattarov, que consideraram contraditórios.

Eles rejeitam seus ensinamentos. ‘O Islã postula que não há outro profeta senão Maomé’, disse o teólogo Rais Suleimanov ao site de notícias gazeta.ru.

Sattarov é considerado localmente como um velho “doente e delirante”.

Fonte: Gospel Prime

16/07/2012

Cristãos e muçulmanos se unem para proteger igrejas


 Cristãos e muçulmanos se unem para proteger igrejasDepois do ataque contra duas igrejas no norte do país, muçulmanos prometem se unir aos cristãos para proteger suas igrejas na província Nordeste do país.

A atitude vem contradizer a opinião de analistas políticos, que acreditavam que os ataques tinham o objetivo de incentivar a violência entre cristãos e muçulmanos.

A polícia ainda investiga o incidente.

Muitos culpam o grupo al-Shabab pelo ataque. Al-Shabab (os jovens, em árabe) é um grupo militante da Somália ligado à rede terrorista al-Qaeda. Uma das justificativas é que Garissa, cidade em que ocorreu o atentado, fica a apenas 200 quilômetros  da fronteira entre o Quênia e a Somália.

No ataque, 17 pessoas foram mortas e mais de 40 foram feridas.

Fonte: Christian Broadcasting Network com tradução Portas Abertas Brasil

%d blogueiros gostam disto: