Posts tagged ‘Namoro Cristão’

06/04/2011

Seminário em São Paulo discute namoro cristão


Seminário em São Paulo discute namoro cristão Com a Igreja Cristã da Família, em Jaguaré-SP, lotada, a equipe do blog Não Morda a Maçã passou seu recado para todos os jovens em mais um de seus seminários.

Os adolescentes e jovens que compareceram na igreja, puderam desfrutar de momentos de palavra, descontração e adoração na presença de Deus.

Fernando Ortega, idealizador do blog deu início à palestra avisando que ninguém ali o ouviria falar sobre namoro cristão, mas sim sobre adoração, e o primeiro tópico que frisou foi que todos, inclusive ele, foram criados para serem adoradores.

“Seu namoro ou futuro namoro não é para fazer você feliz, mas para fazer Jesus feliz. Para ser um adorador”, disse. Fernando que citou a passagem de I Coríntios 10.31 e mostrou como ficaria adaptado à vida do jovem: “Quer trabalhais, quer estudais, quer namorais, quer noivais, fazei tudo para a glória de Deus”.

Para adorar a Deus com o namoro, segundo Fernando, os olhos dos dois devem estar mais em Jesus do que neles próprios e ambos devem amar mais a Jesus do que ao outro.

Padrão do mundo x padrão de Deus foi outro tópico abordado pelo palestrante, bem como a influência da mídia. “A mídia irá impor padrão de relacionamento diferente do padrão bíblico”, afirmou ele, que também numerou as estratégias usadas para isso como novelas, filmes, seriados, revistas, programas de TV, internet e até as amizades.

De acordo com Fernando, esse apelo midiático gera uma carência cada vez maior, mas que a solução para isso é entregar a vida a Deus. “Quando você entrega sua vida, você entrega sua carência para Deus também.”

Lançar sobre Deus toda a ansiedade e buscar primeiro o Seu reino são os conselhos para aqueles que estão desesperados para namorar. “Quando eu resolvi entregar essa área para Jesus, começou a aparecer um monte de mulher, parecia liquidação de batom. Sabe por quê? Porque você eu estava comprometido com Ele. Comprometa-se e espere!”, disse Fernando.

Samuel Oliveira, um dos colunistas do Não Morda a Maçã também contribui em parte da palestra falando sobre planejamento para namorar e a necessidade de tempo e condição para isso. Dentre os tópicos citados, Samuel destacou a maturidade – e, mesmo concordando que não existe idade certa para namorar, disse que o aconselhável é a partir dos 18.

“Beijar não é pecado, mas ele pode conduzir a pecar”, alertou Fernando ao falar sobre os beijos e carícias. “O que vai guiar é o nível de intimidade com Jesus do casal. Se você beija mais do que ora, cuidado”, exclamou.

Um momento engraçado da palestra foi quando Fernando mostrou as diferenças entre o cérebro masculino e o feminino. Exemplificando o cérebro masculino como um pacote de waffles (todos os assuntos separadinhos) e o das mulheres como um prato de espaguete (todos os assuntos ligados).


Fonte: Guia-me

28/01/2011

Ter religião diminui as chances de jovens e adolescentes terem relações sexuais, aponta estudo


Ter religião diminui as chances de jovens e adolescentes terem relações sexuais, aponta estudo

Níveis mais elevados de religiosidade entre adolescentes aumentam de forma dramática a probabilidade de que eles permanecerão virgens durante o colegial e a faculdade, um recente estudo concluiu.

O estudo, intitulado “Religiosity, Self-Control, and Virginity Status in College Students from the ‘Bible Belt*’” (Religiosidade, Domínio Próprio e Situação de Virgindade entre Estudantes Universitários Oriundos do ‘Cinturão Bíblico*’) e publicado na edição de setembro de 2010 da Revista de Estudo Científico da Religião (Journal for the Scientific Study of Religion), revelou que para cada aumento de número em sua escala de religiosidade, a probabilidade de um rapaz permanecer virgem aumentava com um fator de 3,86. Para as moças, a probabilidade pulava num fator de 4,13.

O estudo também revelou efeitos semelhantes na questão do sexo oral. A probabilidade para o adiamento da iniciação do sexo oral pulou para 3,30 e 2,60 para rapazes e moças respectivamente.

Para determinar a “religiosidade”, o estudo pediu que os participantes avaliassem o nível de sua frequência aos cultos religiosos, frequência de oração, frequência de leitura de textos religiosos e a importância da religião em suas vidas. A fim de encontrar números suficientemente elevados de jovens com envolvimento religioso, o estudo examinou universidades na região do “Cinturão Bíblico”* do Sul [dos EUA.].

Outras estatísticas mencionadas no estudo camuflam a afirmação muitas vezes repetida por organizações pró-aborto e pró-contracepção de que os adolescentes inevitavelmente se engajarão em atividade sexual. Nacionalmente, 53% dos estudantes do ensino secundário permanecem virgens no fim de seu último ano de colegial, e embora a estatística nacional caia vertiginosamente para os estudantes universitários, o estudo revelou um índice de 40% em suas escolas do “Cinturão Bíblico”, onde os jovens têm muito mais probabilidade devirem de ambientes religiosos. Em universidades religiosas particulares, esse número subiu para 47%.

O resultado mais preocupante para os defensores da moralidade sexual foi a percentagem de estudantes universitários que havia se engajado em sexo oral: 73,5 por cento, refletindo uma tendência nacional entre adolescentes de se evitar as consequências do intercurso sexual natural por meio da participação de condutas não naturais.

Fonte: Notícias Pró-Família

* Nota do tradutor: “Cinturão Bíblico” é a tradução do inglês “Bible Belt”, que refere-se a uma região dos Estados Unidos onde a prática fervorosa da religião evangélica faz parte da cultura local, onde persistem as fundações coloniais do protestantismo. A origem do nome “Bible Belt” deriva da grande importância da Bíblia entre evangélicos.

12/01/2011

É correto para um cristão namorar ou casar-se com alguém que não seja cristão?


II Coríntios 6:14 declara: “Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?” Enquanto esta passagem não menciona especificamente o casamento, certamente tem implicações para o casamento. A passagem continua dizendo: “E que concórdia há entre Cristo e Belial? Ou que parte tem o fiel com o infiel? E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Porque vós sois o templo do Deus vivente, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. Por isso saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; E não toqueis nada imundo, E eu vos receberei” (II Coríntios 6:15-17).

A Bíblia continua dizendo: “Não vos enganeis: as más conversações corrompem os bons costumes” (I Coríntios 15:33). Ter qualquer tipo de relacionamento íntimo com um incrédulo pode rapidamente e facilmente se tornar algo que obstrua sua caminhada com Cristo. Somos chamados a evangelizar os perdidos, não a sermos íntimos com eles. Não há nada errado em construir amizades de qualidade com os incrédulos, mas isto é o máximo que se pode fazer. Se você estivesse namorando um incrédulo, como vocês dois poderiam cultivar intimidade espiritual dentro do casamento? Como um casamento de qualidade poderia ser construído se vocês discordassem no assunto mais importante do universo: o Senhor Jesus Cristo?

%d blogueiros gostam disto: