Posts tagged ‘o globo’

20/09/2013

Especialistas divergem sobre crime em beijo gay durante culto


Especialistas divergem sobre crime em beijo gay durante culto Após a polêmica envolvendo o deputado federal, pastor Marco Feliciano, juristas criticaram a prisão das jovens que se beijarem em evento evangélico realizado no último domingo na praia de São Sebastião (SP).

Joana Palhares, de 18 anos, e Yunka Mihura, de 20, foram retiradas pela Polícia Militar por perturbação a culto religioso. Feliciano era o preletor na 5ª edição do Glorifica Litoral e ao microfone disse que a polícia deveria “dar um jeito nas meninas” e afirmou que elas deveriam sair dali algemadas.

Feliciano afirmou que o ato das jovens é crime de acordo com o artigo 208 do Código Penal e prevê pena de um mês a um ano de prisão para quem “escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença ou função religiosa; impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso; vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso”.

Procurado pelo jornal O Globo, o professor de Direito Processual Penal da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) Fernando Castelo Branco, afirmou que a manifestação das jovens não poderia se enquadrar no artigo 208 pois elas estão se manifestando em local público. “Se elas tivessem entrado em um templo, subido em púlpito, aí é diferente”, explica.

Mas para o doutor Rubens Teixeira o Código Penal é claro e mesmo não sendo um templo, a constituição protege o direito ao culto, “não se refere ao local de culto, se é fechado ou não”. “O direito à reunião pública é garantido na forma do Artigo 5o., XVI, da Constituição da República. O vídeo postado no Youtube não deixa dúvidas de que houve uma perturbação ao culto por um ato intencional e desrespeitoso”, explica.

Carlos Kauffmann, Conselheiro da OAB-SP e professor da PUC-SP diz que as jovens não fizeram nada proibido por lei e que o artigo 208 é inaplicável, pois duas meninas se beijarem não é proibido.

“É discutível porque tudo indica que a intenção delas não era atingir a religião dele, mas o deputado federal. O artigo visa à proteção do sentimento religioso. A intenção não era atingir o culto religioso, mas a pessoa. Elas não estavam escarnecendo a crença, mas a conduta dele como deputado federal”, afirma.

Para Rubens Teixeira não se justifica a manifestação em local de culto com a intenção de atingir uma única pessoa. Rubens acredita que as pessoas até podem se manifestar, mas desde que cumpram a lei.

“Não faz sentido agredir várias pessoas sob alegação de que se quer agredir uma delas. A atitude das ativistas desrespeitou todas as pessoas que estavam no culto e às que se ofenderam com a postura agressiva e desrespeitosa dessas manifestantes. O Estado não é homossexual, heterossexual, LGBT, vadio, religioso ou ateu: é republicano e laico. As pessoas podem se manifestar e serem ativistas pela causa que quiserem, mas devem cumprir a lei e respeitar os direitos alheios”, disse.

Sobre a ação da Guarda Municipal Rubens afirma que não houve excessos e que os agentes cumpriram o dever e que qualquer cidadão poderia dar voz de prisão a um criminoso, mas os policiais são incumbidos desta missão.

“Ativismo não é salvo conduto para se descumprir a lei, a menos que os agentes do Estado escolham prevaricar e agirem como ativistas em seus cargos, o que não aconteceu neste episódio. Qualquer cidadão pode dar voz de prisão a um criminoso, os policiais têm este dever. Os agentes públicos, ao que tudo indica, cumpriram bem sua missão”, concluiu.

10/09/2013

Padre e mais seis pessoas são presos acusados de desviar R$ 18 milhões de ONG


Padre e mais seis pessoas são presos acusados de desviar R$ 18 milhões de ONG

Padre e mais seis pessoas são presos acusados de desviar R$ 18 milhões de ONG

As prisões foram, foram executadas em uma investigação batizada por  “Alvo da Operação Pronto Emprego”, pela PF.

Com origem na Igreja Católica, a ONG era inicialmente denominada “Centro Arquidiocesano do Trabalhador”, segundo o Estadão, e seu envolvimento no desvio de verbas destinadas ao auxilio de trabalhadores causou “surpresa” na Arquidiocese de São Paulo, que divulgou nota comentando o caso, afirmando que “deseja que se faça plena luz sobre todos os fatos e que as responsabilidades sejam assumidas por quem as deve assumir”.

– O Ceat nasceu na Arquidiocese de São Paulo como ‘Centro Arquidiocesano do Trabalhador’, em dezembro de 2012. Mas há vários anos transformou-se numa Organização da Sociedade Civil de Interesse Público, passando a se chamar ‘Centro de Atendimento ao Trabalhador’, com personalidade jurídica, vida, gestão e responsabilidades de gestão próprias. Depois disso, a Arquidiocese de São Paulo deixou de ter qualquer responsabilidade administrativo-financeira sobre a entidade – afirmou a Arquidiocese.

A Cúria afirmou também que não tomará nenhuma providência com relação à prisão do sacerdote católico no caso. O padre preso pela Polícia Federal é diretor administrativo da ONG e foi preso na terça feira (03) sob suspeita de lavagem de dinheiro, formação de quadrilha e peculato.

– Do ponto de vista civil, padre Lício deverá responder por si, inclusive com amplo direito à defesa. Do ponto de vista canônico, ele pertence à Diocese de São Miguel Paulista – ressaltou a Arquidiocese, por meio de sua assessoria de imprensa.

Com informações: Gospel +/ O Globo

09/09/2013

Líderes petistas contrários aos evangélicos vão ajudar a pagar dívida deixada pelo Papa


Líderes petistas contrários aos evangélicos vão ajudar a pagar dívida deixada pelo Papa Após o final da Jornada Mundial da Juventude, a Arquidiocese do Rio de Janeiro ficou com uma dívida milionária. Segundo o bispo auxiliar, dom Antônio Augusto, os gastos com a Jornada foram estimados em R$ 350 milhões. A sede da Igreja Católica no Rio não informou o montante do “prejuízo”, mas estima-se que seja mais de 100 milhões de reais.

Antes e durante sua realização, o evento foi muito criticado pois recebeu investimentos de R$118 milhões dos cofres públicos. Foram fundos do governo federal, municipal e estadual. O Federal gastou R$62 milhões, quase metade desse valor apenas para ações de segurança. O governo estadual investiu R$28 milhões e o municipal mais R$28 milhões para receber o pontífice.

Segundo notícias veiculadas pelos jornais Folha de São Paulo e O Globo, uma das primeiras opções foi a venda de um imóvel que pertence à Casa do Pobre de Nossa Senhora de Copacabana. Propriedade da Arquidiocese, no local atualmente funciona o hospital Quinta D’OR, mas está alugado desde 2001. A Rede D’OR pagou R$ 46 milhões pelo espaço no final de agosto.

Ainda de acordo com a imprensa, desde o fim da Jornada, o arcebispo do Rio, dom Orani Tempesta, tem pedido ajuda a empresários e políticos para encontrar uma solução para a dívida.

Já está sendo avaliada a possibilidade de vender o antigo prédio do Hospital São Francisco de Paula, da Ordem de São Francisco dos Mínimos. Os recursos seriam repassados como empréstimo para o Instituto Jornada Mundial da Juventude. A opção mais viável no momento é colocar à venda o cemitério do Catumbi, no Rio de Janeiro, que valeria cerca de R$ 80 milhões.

Com apoio da Rede Globo, a Arquidiocese lançou uma campanha para arrecadar o que falta. Os fiéis podem depositar qualquer quantia na conta do Instituto Jornada Mundial da Juventude. O anúncio foi feito no Jornal Nacional, que também mostrou a abertura de uma auditoria “pra poder exatamente sabermos o que aconteceu, o que está acontecendo, pra que saber onde foi aplicado cada centavo e quais são as verdadeiras necessidades”, explica Orani.

Nos últimos dias, dom Orani Tempesta recebeu conselhos de José Dirceu, ex-ministro da Casa Civil, e forte liderança no PT. O arcebispo é amigo de Evanise Santos, ex-mulher do petista. Os dois almoçaram juntos recentemente. Outro petista que está se movimentando para ajudar a Igreja é Gilberto Carvalho, ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência da República.

Curiosamente, os dois líderes petistas criticaram as igrejas evangélicas no ano passado. Em janeiro de 2012, Gilberto Carvalho afirmou que era preciso que o governo se preparasse para um “confronto ideológico” com os evangélicos, que incluiria a formação de uma rede de comunicação para aplacar a força de igrejas que usam a televisão para propagar sua mensagem.

Em março, Dirceu escreveu em seu blog pessoal: “Não podemos ficar na defensiva e no recuo frente à violência e à chantagem de certos setores evangélicos que querem interditar o debate sobre esses temas no país e patrulhar todas as políticas públicas com relação às questões do aborto e da homossexualidade. Esses grupos buscam impor ao Estado brasileiro uma visão preconceituosa e repressiva”. Com informações de G1, Radar On-line e Folha de SP.

03/11/2012

Evangélicos que criticam “Salve Jorge” autora diz “Não se deve ampliar a voz dos imbecis”


A autora da novela “Salve Jorge” comenta em entrevista a polêmica do boicote dos evangélicos para não assistirem o folhetim, ele se referiu aos que boicotam com uma frase do jornalista Millôr Fernandes que diz: “Não se deve ampliar a voz dos imbecis”. – Confira e comente…

Em entrevista publicada na coluna do “O Globo” da colunista Patricia Kogut enviado por Clara Passia em 26/10, a autora da novela “Salve Jorge” que esta sendo exibida na Globo, se diz contente com os índices de audiência alcançados pelo folhetim e comentou o boicote feito pelos evangélicos.

O blog Exército Universal ligado a IURD começou uma campanha para os evangélicos não assistirem a novela da Globo e que logo se difundiu nas redes sociais um boicote, gerando uma certa polêmica. Em meio a todos os comentários e protestos contra a novela a autora ao ser perguntada sobre esses protestos responde:  “Não vejo protesto de evangélicos, o que vejo são interesses comerciais apelando para o fundamentalismo. E penso que, em casos assim, o pessoal da imprensa deveria seguir o sábio conselho do Millôr Fernandes: “Não se deve ampliar a voz dos imbecis”.

%d blogueiros gostam disto: