Posts tagged ‘o profeta’

29/11/2012

Cristãos egípcios/americanos condenados a morte no Egito pelo filme “A inocência dos Muçulmanos”


7 cristãos coptas/americanos envolvidos na produção do filme “A inocência dos Muçulmanos” que ofende Maomé e a religião islâmica são sentenciados a morte por um  tribunal no Cairo/Egito, entre eles o produtor Mark Basseley Yussef que está cumprindo prisão nos EUA.

Um tribunal do Cairo condenou à morte sete cristãos egípcios julgados à revelia, nesta quarta-feira, pela participação em um vídeo anti-islã que foi divulgado na internet em setembro e que provou protestos violentos em vários países muçulmanos.

“As sete pessoas acusadas foram condenadas por insultos à religião islâmica através da participação na produção e distribuição de um filme que insulta o islã e seu profeta”, disse o juiz Saif al-Nasr Soliman. O vídeo de baixo orçamento, produzido de forma privada na Califórnia, denegriu o profeta Maomé e provocou protestos anti-EUA e ataques a embaixadas ocidentais em todo o mundo muçulmano.

As pessoas condenadas incluem o egípcio-americano Nakoula Bassely Nakoula, que está cumprindo um ano de prisão em Los Angeles depois de um tribunal norte-americano tê-lo condenado por violações de liberdade condicional que se originaram de seu papel no filme.

O vídeo de 13 minutos retrata o profeta Maomé como um tolo e um depravado sexual, embora os membros do elenco tenham dito que foram enganados para aparecer em um filme que eles acreditavam ser um drama de aventura chamado “Guerreiro do Deserto”.

A Igreja Copta Ortodoxa do Egito não emitiu um comentário oficial sobre a decisão. “A Igreja denunciou o filme, que não tem nada a ver com ela. Quanto ao caso de hoje, é uma decisão do tribunal e a Igreja não comenta decisões judiciais”, disse uma fonte da Igreja, que pediu para não ser identificada. Os cristãos constituem cerca de 10 por cento das 83 milhões de pessoas do Egito e muitos se queixam de discriminação no trabalho e no tratamento.

Fonte: inforGospel

15/10/2012

Falso profeta é preso antes de dar bebida com sangue de rato envenenado a seguidores



Falso profeta é preso antes de dar bebida com sangue de rato envenenado a seguidores
Na tarde de sexta (12), a Polícia Militar do Piauí invadiu o imóvel que abrigava o grupo de pessoas que aguardava o fim do mundo. Com a ameaça dos vizinhos de linchar o líder do grupo, o “profeta” Luiz Pereira dos Santos, a polícia o levou para a Central de Flagrantes, onde está preso por estelionato. A polícia explica que ele usava o dinheiro de seus seguidores para manter a casa onde eram realizadas as reuniões.

A polícia já estava cercando o imóvel e invadiu o local 10 minutos antes do horário previsto para “o fim do mundo” anunciado por ele. O objetivo era garantir que não ocorreriam atentados contra as vidas dos seguidores. Os vizinhos já haviam começado a atirar pedras e ameaçavam invadir o imóvel. Para contê-los, a polícia jogou bombas de efeito moral e usou spray de pimenta.

Mesmo depois da prisão do líder, os seguidores continuaram os cânticos e orações à espera do fim do mundo. Há cerca de dois anos Pereira começou a anunciar que havia recebido a visita de um anjo que lhe anunciou o fim do mundo. Dizia que “a besta fera” iria aparecer nesta sexta-feira e os seus seguidores iriam ser salvos.

Ele reuniu mais de cem pessoas, entre crianças, jovens, adultos e idosos que estavam confinados num imóvel sem ter contato com o mundo exterior. O local era chamado de “arca da salvação”. Seus seguidores eram estimulados a se afastar da família, largar seus empregos e doar a ele todos os bens que tinham.

Mais de 24 horas depois, ainda permanecem dentro da casa pessoas que moravam lá e outras que retornaram após o tumulto. Mas não há crianças, pois todas foram levados para abrigos e estão sob a guarda do Conselho Tutelar da cidade. Luiz Pereira pode ser indiciado por abandono intelectual, pois as crianças que viviam ali eram proibidas de frequentar a escola.

O coronel da PM, Sá Júnior, explica que a razão de algumas pessoas permanecerem na casa apesar da não concretização do fim do mundo, é devido ao poder de persuasão do profeta. “O povo carente tem que se apegar a alguma coisa e ele conseguiu doutrinar esse povo de tal modo que ontem tivemos dificuldade para retirá-las de lá”. Na manhã deste sábado, alguns seguidores da seita pediram para a policia retirar motocicletas e outros bens que estão dentro da residência.

A Polícia Militar vai permanecer no local para evitar novos tumultos ou mesmo a depredação da casa. Durante a invasão não foram encontradas drogas, mas havia uma grande quantidade de veneno de rato. Por isso, a polícia levanta a hipótese que haveria uma tentativa de suicídio coletivo.

A Polícia Civil investiga a veracidade do depoimento de uma testemunha de que o profeta, um ex-vigilante de condomínio, usava sangue de ratos envenenados para fazer uma bebida que era usada para curar doenças das pessoas. O depoimento foi dado pelo marido de uma mulher que aderiu à seita. Segundo o depoimento, os ratos eram envenenados e depois tinham o sangue colhido para fazer a substância. Dois membros do grupo teriam morrido após terem consumido a substância para curar doenças.

Durante seu depoimento na delegacia, Luís Pereira dos Santos disse que Deus o tinha castigado. Mesmo assim, o ex-vigilante garantiu que vai continuar pregando a palavra de Deus e que acredita no juízo final. Ele acredita que precisa “preparar as pessoas de coração puro” para que fossem salvas no juízo final.

Com informações UOL e O Globo

14/09/2012

Produtor de filme “anti-Islã” promete lançar série de TV sobre o assunto


Produtor de filme “anti-Islã” promete lançar série de TV sobre o assuntoSam Bacile foi identificado como o escritor, diretor e produtor do filme de duas horas “Inocência dos muçulmanos”, que provocou protestos que levaram à morte do embaixador dos EUA, Chris Stevens, na Líbia além de ataques a consulados americanos em outros países.

Bacile diz que vive na Califórnia, onde trabalha no setor imobiliário. Na verdade, o mistério sobre sua identidade aumentou quando um consultor do filme afirmou que o senhor Bacile não existe, uma vez que não apareceu em público.

Nas entrevistas que tem dado, quase todas por e-mail ou telefone, Bacile afirmou que o filme foi financiado com a ajuda de mais de 100 doadores judeus. Ele acrescentou que trabalhou com 60 atores e 45 extras para rodar o filme em um período de três meses no ano passado. “É um filme político. Não é um filme religioso”, finalizou.

Um trecho de 14 minutos do filme foi postado no YouTube em julho e ao ser dublado para o árabe recentemente geou protestos entre os muçulmanos pois o profeta Maomé é retratado como um homem mulherengo violento.

O material tem gerado protestos contra os Estados Unidos em diversos países do Oriente Médio e também foi divulgado pelo pastor Terry Jones, que já é desafeto dos muçulmanos por ter queimado exemplares do Alcorão.

No primeiro dia de protestos, egípcios rasgam bandeira dos EUA. No segundo dia, o embaixador dos EUA e 3 funcionários foram mortos na Líbia. Hoje, no terceiro dia, a embaixada dos EUA no Iêmen foi cercada e atacada. Pelo menos uma pessoa morreu e outras 20 ficaram feridas informaram fontes médicas às agências de notícias.

O governo americano teme que isso evolua para uma onda de ataques terroristas a outros alvos em todo o mundo. Manifestações também foram registradas nesta quinta em Bangladesh, Iraque, Marrocos, Sudão, Tunísia e na Faixa de Gaza.

Steve Klein afirma ter trabalhado na produção e disse à revista Atlantic que o nome Sam Bacile era um pseudônimo e que ele não era judeu. Mesmo assim, ele também tem uma visão negativa do Islã. E acrescentou: “Eu não sei muito sobre ele. Eu o conheci, falei com ele por uma hora. Ele não é de Israel, não. Eu posso dizer isso com certeza, o Estado de Israel não está envolvido… Seu nome é um pseudônimo. Duvido que ele seja judeu. Eu suspeito que isso seja uma campanha de desinformação”.

Segundo o jornal New York Post, autoridades norte-americanas identificaram o homem que diz ser Bacile como Nakoula Basseley, um cristão copta de 55 anos. A agência Associated Press descobriu que os dois são a mesma pessoa após rastrear o número de celular usado por Bacile em uma entrevista por telefone. O telefone estava sendo usado da casa de Nakoula.

Entre as últimas afirmações, atribuídas a Bacile na entrevista à Associated Press, está a declaração que ele pretende fazer filmes adicionais. “Meu plano é fazer uma série de 200 horas sobre o mesmo assunto”, disse ele. E foi mais além: “O principal problema é que eu sou o primeiro a colocar na tela alguém sendo [retratando] Maomé. Isso os deixou loucos. Mas nós temos que abrir a porta. Após o 11 de setembro seria bom todo mundo lembrar que estará na frente do juiz, Jesus”.

O governo americano busca se distanciar do vídeo. Nesta quinta-feira, a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, disse que os EUA “nada têm a ver” com o filme, que classificou de “repugnante e repreensível”.

Traduzido de Telegraph e Associated Press

%d blogueiros gostam disto: