Posts tagged ‘pastor Samuel Câmara’

17/06/2011

Inauguração do Centro de Convenções do Centenário reúne mais de 18 mil fiéis em Belém


 

Inauguração do Centro de Convenções do Centenário reúne mais de 18 mil fiéis em Belém Cerca de 18 mil pessoas participaram da inauguração do Centenário Centro de Convenções em Belém do Pará durante essa quinta-feira, 16, para comemorar os 100 anos da Assembleia de Deus no Brasil.

O centro possui 13 mil metros quadrados de área climatizada, foi erguida ao longo de um ano e sua inauguração marca um século do maior movimento pentecostal do mundo, uma referência para a comunidade evangélica.

A obra está localizada na Rodovia Augusto Montenegro, próximo ao Estádio Olímpico do Mangueirão, onde serão realizadas outras grandes celebrações alusivas ao Centenário que acontecem até o dia 18 de junho.

A reunião começou com uma oração do pastor presidente da AD de Belém, o pastor Samuel Câmara que agradeceu a Deus pelos 100 anos da igreja, pelas vitórias e pela história da maior denominação evangélica do país.

Várias autoridades políticas estiveram presentes na inauguração como o governador do Estado do Pará, Simão Jatene; a primeira dama Ana Jatene; o prefeito de Belém, Duciomar Costa; o prefeito de Ananindeua, Helder Barbalho, além de senadores, deputados e vereadores.

Os cantores Alessandra Prado, Cristina Mel, Gabriel Lima e o grupo Celebrai, entre outros, foram os responsáveis pelo louvor da noite.

Um pastor da Suécia também esteve presente na reunião, ele relembrou a importância da vinda de seus compatriotas Daniel Berg e Gunnar Vingren para a criação do movimento pentecostal, que atualmente congrega cerca de 700 mil pessoas, somente no Estado do Pará, em seus mais de 4 mil templos.

Muitos participantes vieram de outras regiões do Brasil só para participar das festividades que comemoram o Centenário das ADs. As comemorações acontecem até o dia 18.

Fonte: Gospel Prime

17/06/2011

Centenário da Assembleia de Deus é destaque no Jornal Nacional


 Centenário da Assembleia de Deus é destaque no Jornal Nacional A capital do Pará está recebendo a visita de milhares de pessoas para um aniversário. No sábado, a Igreja Assembleia de Deus completará 100 anos de existência e foi em Belém que ela surgiu.

Era 1910 quando os suecos Daniel Berg e Gunar Vingren receberam a missão de pregar o evangelho em um lugar chamado Pará. Foram 14 dias de barco dos Estados Unidos, onde moravam, até chegar a Belém pelas margens da Baía do Guajará.

Um grupo da igreja batista recebeu os missionários. No ano seguinte, os dois fundaram a Assembleia de Deus. A capital paraense foi o ponto de partida de um processo de evangelização que se espalhou rapidamente pelo interior.

Hoje são 110 mil igrejas no Brasil, frequentadas por 12 milhões de fiéis, segundo a Assembleia, e inúmeras obras sociais.

Em casa de apoio em Belém, a igreja mantém uma creche para 200 crianças, oferece assistência a quem está em tratamento médico e também às vitimas de violência sexual. Todo cuidado e carinho que esses pequenos recebem dependem da dedicação de 30 voluntários.

“Eles estão carentes de amor, carinho, atenção. E eu procuro dar de tudo um pouquinho”, conta a professora voluntária Elaine Costa.

As celebrações pelo centenário começaram nesta quinta-feira (16). Foram inaugurados, em Belém, o Museu Nacional da Assembleia de Deus e um centro de convenções com capacidade para 20 mil pessoas.

“Nós estamos realmente felizes, em receber o Brasil todo nesse lugar e todo mundo vai conhecer o espírito do Amazônida e, sobretudo de uma igreja extremamente feliz”, afirma Samuel Câmara, líder da Assembleia de Deus no Pará.

“Sentimento de prazer, felicidade por ver nós chegarmos ao centenário”, vibra uma mulher.

Fonte JN

11/06/2011

Os primeiros passos da Assembleia de Deus no Brasil


Os primeiros passos da Assembleia de Deus no BrasilEm 19 de novembro de 1910, os suecos Gunnar Vingren e Daniel Berg, batizados no Espírito Santo, chegaram a Belém do Pará, procedentes dos Estados Unidos da América.  Ao crer na doutrina pentecostal pregada pelos dois missionários, em 2 de junho de 1911,  na Rua Siqueira Mendes, 67, na cidade de Belém, Celina de Albuquerque, membro da Igreja Batista de Belém, enquanto orava, foi batizada no Espírito Santo.

O fato teve repercussão imediata na Igreja Batista. Havia aqueles que aceitavam o batismo no Espírito Santo e aqueles que eram contrários à nova doutrina. Em 13 de junho, numa terça-feira, foram excluídos 13 membros da igreja: José Plácido da Costa, que ocupara o cargo de moderador da igreja até aquela sessão; Manuel Maria Rodrigues, ex-secretário; José Batista de Carvalho, ex-tesoureiro; Antonio Mendes Garcia, todos estes diáconos; Lourenço Domingos; João Domingos; Maria dos Prazeres Costa; Maria Pinto de Carvalho; Alberta Ribeiro Garcia; Manuel Rodrigues Dias; Jerusa Rodrigues. O secretário da igreja depois de anotar esses nomes, deixou para o fim os nomes de Celina Cardoso de Albuquerque e Maria de Jesus Nazaré, que, ao mencioná-los, fez chamando-as de “as profetisas”, e os de Gunnar Vingren e Daniel Berg.

Sob a liderança dos missionários Gunnar Vingren e Daniel Berg, os crentes batistas que aceitavam a doutrina pentecostal foram convocados a comparecer à casa onde se instalava a congregação batista na Cidade Velha, à Rua Siqueira Mendes nº1-A, residência da irmã Celina Albuquerque, para se reunir no dia 18 de junho de 1911, num domingo. Presentes estiveram onze irmãos excluídos no dia 13 daquele mês, da Igreja Batista, tendo faltado os irmãos Lourenço Domingos e Alberta Ribeiro Garcia. Compareceram, porém, três membros da igreja que não estavam excluídos, que foram Henrique Albuquerque, esposo de Celina; Maria Piedade da Costa, esposa de Plácido e Emília Dias. Além destes, foram arrolados mais quatro irmãos da referida congregação, cujos nomes são os seguintes: Joaquim Silva, Tereza Silva de Jesus, Izabel Silva e Benvinda Silva, todos de uma mesma família. Os três que ainda eram membros da Igreja Batista só foram excluídos no dia 12 de julho depois de que a mesma tomou conhecimento da posição assumida por eles. Quanto aos quatro congregados, não cabia a igreja discipliná-los porque não eram membros da igreja. Ao todo eram 18 pessoas para o início da Missão da Fé Apostólica, que mais tarde passou a se chamar Assembléia de Deus.

I – Começa a Missão da Fé Apostólica

A partir de 18 de junho de 1911, as igrejas pentecostais que iam sendo iniciadas no Pará, começando pela que se reunia na casa de Henrique e Celina Albuquerque, à Rua Siqueira Mendes 67, Cidade Velha, em Belém, passaram a ser chamadas pelo nome Missão da Fé Apóstolica.

Em 25 de outubro de 1914, chegaram a Belém do Pará os suecos Otto e Adina Nelson, procedentes dos Estados Unidos, para se juntarem a Vingren e Berg.

Em 8 de novembro de 1914, a igreja, que se reunia na Av. São Jerônimo, 224, seu segundo, endereço depois da casa de Celina Albuquerque (nesta casa se reuniram por mais ou menos três meses) se mudou para a Travessa 9 de janeiro, 75.

Em 18 de agosto de 1916, chegaram a Belém os suecos Samuel e Lina Nyström, os primeiros missionários oficialmente enviados pela Igreja Filadélfia de Estocolmo.

Em 3 de julho de 1917, Frida Vingren chegou a Belém, como missionária também enviada pela Igreja Filadélfia de Estocolmo.

II – Registrada a primeira “Assembleia de Deus”

Em 11 de janeiro de 1918, Gunnar Vingren registrou o Estatuto da Igreja no Cartório de Registro de Títulos e Documentos do 1º ofício, em Belém, no Livro A, Nº 2, de Registro Civil de Pessoas Jurídicas e outros papéis, número de ordem 131.448, sob o nome “Estatuto da Sociedade Evangélica Assembléa de Deus”, número de ordem 21.320, do Protocolo Nº 2.

Os extratos do Estatuto foram publicados no Diário Oficial do Estado do Pará, sob nº 766524.

Com esse registro, a igreja começou a existir legalmente como pessoa jurídica adequando-se aos Artigos 16 e 18 do primeiro Código Civil Brasileiro que acabara de entrar em vigor em 1º de janeiro de 1917.

III – Primórdios no Pará

Os primeiros lugares no Pará que receberam a mensagem pentecostal foram: Soure e Mosqueiro, na Ilha de Marajó (Daniel Berg, 1911); Bragança (Daniel Berg, 1912); Xarapucu e Catipuru (Daniel Berg, 1913); Estrada de Ferro Belém-Bragança, Igarapé-Assu, Benevides, Capanema, Timboteua, Peixe-Boi e Bragança (Clímaco Bueno Aza, 1913); Ilha Caviana (Daniel Berg, 1914); Afuá, Ilha de Marajó (Gunnar Vingren e Daniel Berg, 1914); São Luís do Pará (1915); Assaisal (Bonito) (Joaquim Amaro do Nascimento, Francisco Santos Carneiro e João Paraense, 1919); e vários outros lugares foram sendo visitados pelos primeiros missionários e crentes da AD de Belém.

IV – Primórdios fora do Pará

Os primeiros lugares fora do Pará que receberam a mensagem pentecostal foram: Uruburetama, CE (Maria de Nazaré, 1914); Maceió, AL (Gunnar Vingren, 1914; Otto Nelson, 1914); Campina Grande, PB (Manoel Francisco Dubu, 1914; Felipe Nery Fernandes, 1922); Roraima (Cordulino Teixeira Bastos, 1915); Manaus, AM (Severino Moreno de Araújo, 1917); Macapá, AP (Clímaco Bueno Aza, 1916); Recife (Adriano Nobre, 1916); Natal, RN (Pregadores de nomes desconhecidos e Adriano Nobre, 1918); João Pessoa, PB (Francisco Félix e esposa, 1920); Rio de Janeiro, RJ (Gunnar Vingren, 1920, 1923; alguns crentes do Pará, 1923); Santos, SP (Gunnar Vingren, 1920; crentes de Pernambuco,1923; Daniel Berg, 1924); Tubarão, SC (Gunnar Vingren, 1920); Criciúma, SC (Gunnar Vingren, 1920); Itajaí, SC (Gunnar Vingren, 1920); São Paulo, SP (Gunnar Vingren, 1920, 1923; Daniel Berg, 1927); São Bernardo, SP (Gunnar Vingren, 1920); São Luís, MA (Clímaco Bueno Aza, 1921); Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, noroeste de Mato Grosso (Paul John Aenis, 1922; Elói Bispo de Sena, 1923); Porto Velho (RO) (Paul John  Aenis, 1922); Vitória, ES (Galdino Sobrinho e esposa, Daniel Berg, 1922); Fortaleza, CE (Antonio Rêgo Barros, 1922); Niterói, RJ (Heráclito de Menezes, 1923); Porto Alegre, RS (Gustav Nordlund, 1924);  Canavieiras, BA (Joaquina de Souza Carvalho, 1926); Belo Horizonte, MG (Clímaco Bueno Aza, 1927); Aracaju, SE (Sargento Ormínio, 1927); Teresina, PI (Raimundo Prudente de Almeida, 1927) e Curitiba, PR (Bruno Skolimowski, 1928); Itajaí, SC (André Bernardino da Silva, 1931); Cruzeiro do Sul, AC (Manoel Pirabas, 1932); Goiânia, GO (Um grupo de crentes da AD de Madureira, RJ, deu início à AD de Goiânia em 1936 e Antônio Moreira, então diácono da AD de Madureira, foi enviado por Paulo Leivas Macalão para fundar a igreja.); Cuiabá, MT (Eduardo Pablo Joerck, 1936); Rio Branco, AC (Luís Firmino Câmara, 1943); e Campo Grande, MS (Juvenal Roque de Andrade, 1944).

V – Começa a imprensa pentecostal

As primeiras publicações da AD, que antecederam o jornal Mensageiro da Paz, foram o jornal “Voz da Verdade” (1917 a 1918), por Almeida Sobrinho e João Trigueiro da Silva; o jornal “Boa Semente” (1919 a 1930), por Gunnar Vingren e Samuel Nyström; e o jornal “O Som Alegre” (1929 a 1930), por Gunnar Vingren.

VI – Primeiros hinários

Também em 1917, a AD de Belém (PA) imprimiu o seu primeiro hinário que ficou pronto no dia 6 de outubro e continha 194 hinos e cânticos. Em 1922, era publicada no Recife a primeira edição da Harpa Cristã, que passou a ser o hinário oficial das Assembléias de Deus.

Fonte: Mensageiro da Paz

11/06/2011

Apesar das rixas, Samuel Câmara participa do culto de abertura do Centenário promovido pela CGADB


Apesar das rixas, Samuel Câmara participa do culto de abertura do Centenário promovido pela CGADB

Na última quinta-feira, 9, a Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB) realizou no Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, em Belém do Pará, o culto que marca o inicio das comemorações do Centenário das ADs no Brasil.

Mas apesar de toda a polêmica dizendo que a festa realizada pela CGADB era uma forma de boicotar as comemorações organizadas pela igreja-mãe, o pastor Samuel Câmara, presidente da igreja centenária, esteve presente no culto.

Muito se falou sobre as duas festas para comemorar um centenário. Até a câmara de vereadores da cidade de Belém se manifestou sobre o caso, repudiando a atitude da CGADB de não convidar a igreja-mãe e seu presidente para a festa.

O pastor Silas Malafaia também saiu em defesa da igreja-mãe e pediu para que os pastores e líderes do Pará boicotassem a festa. Apesar disso, o Hangar estava cheio de membros e líderes que foram até Belém para festejar os 100 anos das ADs.

Na próxima semana começam as festividades da igreja de Belém do Pará. Do dia 16 ao dia 18 vários eventos acontecerão na capital paraense para relembrar a inauguração da maior igreja evangélica do país.

Fonte: Gospel Prime

09/06/2011

Em 8 de junho de 1911 acontecia o primeiro batismo da Assembleia de Deus


Em 8 de junho de 1911 acontecia o primeiro batismo da Assembleia de DeusNo dia 8 de junho foi comemorada a data do primeiro batismo realizado pelos missionários suecos que fundaram a igreja Assembleia de Deus. No dia 8 de junho de 1911, Celina Martins Albuquerque recebeu o batismo nas águas.

Há exatos 100 anos Daniel Berg e Gunnar Vingren batizavam a primeira pessoa de acordo com os ensinamentos da nova doutrina pentecostal que surgia em Belém.

Eles estavam no Brasil há sete meses e aos poucos foram se tornando conhecidos, depois de pregarem a palavra de Deus, inicialmente no Marajó e depois de volta à capital paraense.

Nessa época eles eram integrantes da igreja Batista, mas a forma como eles oravam, a cura e o batismo por eles pregado dividiram opiniões dentro da igreja Batista, por essas razões os missionários foram excluídos da igreja.

Juntamente com Berg e Vingren, outras 13 pessoas saíram e fundaram a nova igreja. A casa de Celina Albuquerque foi o ponto inicial da Assembleia de Deus. Situada na rua Siqueira Mendes, a casa abrigou, durante três meses, os primeiros cultos.

De acordo com dados históricos, Celina estava acamada, sofrendo de um possível câncer nos lábios. Depois de intensas noites de oração ela teria sido curada, passando a querer ser batizada de acordo com os preceitos da igreja que surgia. O batismo ocorreu na madrugada de quinta-feira, 8 de junho de 1911.

A data de hoje foi lembrada e comemorada por diversas Assembleias de Deus espalhadas pelo Brasil.

Fonte: Gospel Prime /Diário do Pará

08/06/2011

Centenário das Assembleias de Deus no Brasil


Centenário das Assembleias de Deus no Brasil Neste mês, as Assembleias de Deus no Brasil completam 100 anos de fundação. Para celebrar a data, na próxima quinta-feira, dia 09 será realizada a Cerimônia Oficial de Abertura das Comemorações do Centenário da denominação. Promovido pela Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB), e Casa Publicadora das Assembleias de Deus (CPAD), o evento reunirá no Centro de Convenções e Feiras da Amazônia – Hangar, em Belém (PA) pastores de todo o país.

A grande novidade será a transmissão ao vivo pela internet de todos os eventos que ocorrerão na quinta-feira, dia 9. Segundo os organizadores da programação, os assembleianos de todo o Brasil terão acesso pela grande rede. Uma estrutura com cinco câmeras em alta definição, além de uma mesa de corte e aumento na capacidade de broadcasting do site do Centenário estarão disponíveis durante o evento.

A programação da quinta-feira terá início às 09h e discutirá a Assembleia de Deus Pós-Centenário. Entre os nomes que participarão do Fórum estão os pastores Elienai Cabral, Wagner Gaby e José Satírio dos Santos – missionário na Colômbia há mais de 30 anos. Entre os temas que serão abordados estão: a necessidade de incentivar o estudo da Bíblia, a importância da atuação missionária, os próximos desafios e os objetivos da denominação e a estrutura administrativa da mesma. Às 19h, no mesmo local, será realizado a Cerimônia Oficial de Abertura das Comemorações do Centenário.

Na sexta-feira, dia 10 de junho, às 19h, assembleianos de todo o Brasil participarão da Grande Celebração do Centenário, no Estádio Baenão (Travessa Antonio Baena, 444, Belém). Além dos pastores José Wellington Bezerra da Costa e Gilberto Marques, (presidente da Convenção no Estado), pastor Joel Freire será preletor da noite. Os cantores da Patmos Music, Victorino Silva, Lília Paz, Marcelo Santos e Alice Maciel também estarão presentes.

Desde 2008, a CGADB e a CPAD trabalham em todo o Brasil na divulgação do Centenário das Assembleias de Deus. Vários eventos já reuniram milhares de pessoas desde crianças, adolescentes, jovens até homens e mulheres.

E não é para menos. Estimativas recentes dão conta que hoje, no Brasil, os assembleianos somam 15 milhões de fiéis espalhados em mais de 100 mil locais de culto. Igrejas no Espírito Santo, Ceará, Amapá, Rondônia, Acre, Tocantins, Mato Grosso do Sul, Distrito Federal, Bahia, Pernambuco, Ceará, Roraima, Paraná e Santa Catarina, já estão com suas atividades programadas para celebrar esta importante data.

Acesse www.centenarioadbrasil.org.br e participe dessa festa!


Por Gláucia Montes
Assessoria de Imprensa / CPAD

03/06/2011

Uma Assembleia de Deus, duas comemorações do Centenário


Uma Assembleia de Deus, duas comemorações do CentenárioDia 18 de junho a Igreja Assembleia de Deus do Belém comemorará 100 anos. O trabalho ministerial fundado na capital paraense pelos suecos Daniel Berg e Gunnar Vingren se espalhou pelo Brasil inteiro formando o maior ministério evangélico do país.

O Centenário das ADs no Brasil será comemorado em todo o país, mas os eventos que acontecerão na cidade de Belém (PA) estão provando que o ministério está rachado. De um lado a Convenção Geral das Assembleias de Deus do Brasil (CGADB) está organizando um culto no dia 10 de junho, com vários pastores presentes, menos o líder da igreja-mãe, o pastor Samuel Câmara.

Do outro lado a AD de Belém, a única que está completando 100 anos, também organizou uma festa, serão três dias de festividade 16, 17 e 18 de junho.

Os motivos para que haja duas comemorações são muitos, mas o mais visível são as disputas políticas entre os pastores Samuel Câmara e José Wellington Bezerra da Costa. Eles concorreram às eleições da presidência da CGADB e José Wellington saiu vencedor.

O pastor Silas Malafaia, da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, foi o primeiro a falar sobre as comemorações duplas. De acordo com ele a CGADB organizou o evento uma semana antes para que os pastores de outros estados não participem das festas organizadas por Samuel Câmara.

Malafaia fez questão de dizer em seus programas que a igreja de Belém é a única que completa 100 anos e até pediu para que os membros e líderes não participem do evento do dia 10 de junho.

Abaixo você confere os dois convites;

Fonte: Gospel Prime

03/06/2011

AD Bonsucesso completa 52 anos


AD Bonsucesso completa 52 anos Nos dias 01 a 05 de junho, a Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Bonsucesso, presidida pelo pastor Jaime Soares, completa 52 anos de fundação. Com forte atuação social e evangelística na região, a igreja tem muito a comemorar. São milhares de membros em mais de 50 congregações localizadas no Rio de Janeiro, em Minas Gerais, São Paulo, Ceará e também em Pernambuco.

Como parte das comemorações do Centenário da denominação no Brasil, a igreja receberá de hoje a sexta-feira, o pastor José Satírio, missionário há mais de 30 anos na Colômbia. No sábado, o pastor Roberto de Lucena, de São Paulo, ministrará a Palavra de Deus. O domingo promete programação especial. Pela manhã, uma grande aula da Escola Dominical contará a história da denominação no país e será ministrada pelo diretor-executivo da CPAD, Ronaldo Rodrigues de Souza. O encerramento está previsto para o domingo a noite, com o culto da Comunhão e a ministração da Palavra de Deus pelo pastor Jaime Soares.

Localizada em uma das regiões mais carentes do Rio de Janeiro, a AD em Bonsucesso tem um forte trabalho de ação social e evangelismo nas comunidades do entorno. “Simplesmente tentamos no temor e tremor do Senhor, cumprir o Ide de Jesus. Não fazemos nada excepcional, apenas o que a Bíblia nos manda fazer”, afirma categórico pastor Jaime Soares.


Um pouco de história

A AD em Bonsucesso, a época, na Av. Londres, 204-A, começou como uma congregação da AD do campo de São Cristóvão. A emancipação da pequena igreja aconteceu no dia 01 de junho de 1959, dando-lhe autonomia administrativa. Quem assumiu a igreja foi o saudoso pastor José Bezerra Varela.

Cinco anos depois, em 31 abril de 1964, a igreja mudou-se para outro endereço em Bonsucesso – rua Pesqueira 45. Em 1974, após o falecimento do pastor José Varela, foi empossado como pastor presidente, o pastor Raimundo Lino.

Nos anos que se seguiram, Deus usou poderosamente os obreiros na área evangelística, e como resultado houve a implantação de várias congregações nas áreas de Inhaúma, Ramos e Bonsucesso, além de outras áreas no Estado do Rio de Janeiro. Deus então levantou outros instrumentos para alcançar novos campos fora do Estado.

No ano de 1997, houve novas mudanças. O então pastor titular Raimundo Lino descansou no Senhor, e foi empossado, através de eleições da Igreja, o pastor Jaime Soares como pastor presidente. Este, pastoreia o rebanho da AD Bonsucesso até hoje.

Em 31 dezembro 1999 foi efetuada a mudança para o novo Templo em Bonsucesso, na Rua Frei Jaboatão, 44, um lugar bem estratégico na cidade, em frente à Avenida Brasil, principal da Cidade do Rio de Janeiro e ao lado do Hospital Geral de Bonsucesso, muito conhecido regionalmente. As instalações comportam centenas de pessoas.

Em 2005 foram implantadas mais congregações, no Complexo da Maré e Manguinhos, e ainda na região de Maricá, e em 2008 foi a vez da Barra da Tijuca sediar mais uma congregação. Atualmente a igreja trabalha ativamente na fundação de mais uma congregação no Complexo do Alemão.

Fonte: http://www.adbonsucesso.com.br

01/06/2011

“O desejo deles é a CPAD”, afirma José Wellington sobre Silas Malafaia e Samuel Câmara


“O desejo deles é a CPAD”, afirma José Wellington sobre Silas Malafaia e Samuel CâmaraEm sua sala no Belenzinho, em São Paulo, no subsolo do templo da Assembleia de Deus, pastor José Wellington Bezerra da Costa, de 77 anos, recebeu a equipe do Creio para um bate papo. Na pauta o centenário da Assembleia de Deus e o futuro da denominação, a maior do Brasil. Desde 1987 à frente da Convenção Geral das Assembleias de Deus (CGADB), rebate as críticas de seus opositores, Silas Malafaia e Samuel Câmara, e confirma que a denominação está unida. ”A Igreja não é de A ou B”

Vindo do Ceará, pastor José Wellington reafirma sua postura firme fruto do ensinamento que recebeu de família. “É melhor dormir com fome, do que acordar com dívida”, repetiu o ensinamento dado por sua mãe. Desde 1987 à frente da CGADB, eleito por sete vezes, ele diz que não dá nenhum passo fora da direção de Deus. “Se Deus disser basta, eu entrego a direção, não vejo problema”, dispara o líder que tem em seu ministério 2,3 mil congregações e se vê envolvido na construção de um grande templo para 10 mil pessoas.

Com saúde de ferro – item comemorado- o assembleiano disse que ficou muito desgastado na última eleição da Convenção. “ Foram muitas calúnias”, declarou: “ O desejo deles é a CPAD. Quando assumi a entidade tinha R$ 1,5 milhão em duplicatas. Assumi a empresa, profissionalizei a gestão com irmão Ronaldo. Hoje, mesmo sem fins lucrativos, a empresa caminha com excelência”

Sobre a identidade assembleiana, José Wellington continua sua tese: “Nós temos influência dos suecos, temos doutrina firme. Nosso objetivo é salvação e edificação. O deles é baseado nos americanos com atos midiáticos e comércio. Eles se amoldam a determinados costumes que não nos adaptamos.” Sobre o futuro da Assembleia de Deus ele finaliza: “A AD é uma árvore que dá muitos frutos. Unidos nós estamos.”

Fonte: CREIO

27/05/2011

Centenário da Assembléia de Deus brasileira celebrado na Suécia


Centenário da AD brasileira celebrado na SuéciaDe 20 a 22 de maio, a Igreja Filadélfia em Estocolmo, capital da Suécia, recebeu a Celebração Missionária do Centenário das Assembleias de Deus no Brasil. Ali, cerca de 250 brasileiros, entre pastores assembleianos do Brasil e missionários assembleianos nos Estados Unidos, Japão e Europa, estiveram reunidos para agradecer a Deus pela vida dos missionários escandinavos que deram a sua vida ao nosso país, fundando a maior igreja pentecostal do mundo. E o local não poderia ser mais propício. A Igreja Filadélfia, fundada há 101 anos pelo pastor Lewi Pethrus, foi quem adotou e sustentou os missionários suecos Daniel Berg e Gunnar Vingren, pioneiros das Assembleias de Deus no Brasil, e enviou e sustentou a maioria dos missionários que estabeleceram a denominação, como Samuel Nyström, Samuel Hedlund, Otto Nelson, Joel Carlson, dentre outros.

Nos dois primeiros dias, as reuniões ocorreram no salão de culto anexo ao prédio da Igreja Filadélfia, com capacidade para cerca de 500 pessoas. Quebrantamento e renovação espirituais marcaram as reuniões.

O coordenador dos trabalhos foi o pastor Joel Freire da Costa, líder da Convenção Fraternal das Assembleias de Deus Brasileiras nos Estados Unidos (Confradeb-EUA) e da Convenção Fraternal das Assembleias de Deus Brasileiras na Europa, que conduziu com brilhantismo as atividades. Sob sua coordenação, missionários brasileiros na Europa se alternaram na direção dos cultos.

Na abertura, a direção ficou com o pastor Roberto Bueno, secretário geral de Missões das Assembleias de Deus do Ministério do Belém nos EUA e Europa. A oração de abertura foi marcada por um momento de quebrantamento espiritual que tomou conta do auditório. Ela foi conduzia pelo pastor José Wellington Bezerra da Costa, presidente da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil, que foi o preletor da noite, baseando sua mensagem em 2 Reis 6.1-3, que narra o episódio em que Deus usou o profeta Eliseu para socorrer um dos jovens profetas em seu projeto de construir uma casa mais ampla. A mensagem provocou despertamento espiritual.

Em todas as reuniões, os louvores ficaram por conta das cantoras Eline Souza, da Flórida (EUA); Mari Hoffman (Alemanha); Luciana Krebs (Alemanha); Joe Vasconcelos (EUA) e Davi Maia, da Igreja Batista Renovada da Lapa, São Paulo (SP).

As caravanas do Brasil, Estados Unidos, Suíça, Alemanha, Espanha e Japão foram as maiores. Irmãos da Itália e Inglaterra também estiveram presentes.

No segundo dia, a programação se seguiu pela tarde e noite, com mensagens fervorosas dos pastores Anísio Nascimento, secretário-executivo da Secretaria Nacional de Missões (SENAMI) e Gessival Barbosa, líder da AD no Japão. Mais uma vez, foram momentos de quebrantamento e renovação espirituais. À noite, com a presença de familiares de Gunnar Vingren e Daniel Berg, como Bertil Vingren e Lars Vingren, respectivamente filho e neto do missionário Gunnar Vingren, e Ann-Sofi Berg, neta de Daniel Berg, o pastor Nicholas Piensoho, líder da Igreja Filadélfia, ministrou poderosa mensagem, com base em Mateus 28.18-20. O líder da Convenção pentecostal sueca e pastores da Igreja Filadélfia também estiveram presentes. Pastor Nicholas foi traduzido por um missionário brasileiro da Igreja Episcopal Carismática.

No domingo pela manhã, ocorreu o encerramento, com grande culto na nave principal do belo templo da Igreja Filadélfia, que conta com duas galerias e capacidade para 1,7 mil pessoas sentadas. O templo é o mesmo desde a sua inauguração em 1920 pelo pastor Lewi Pethrus. Louvor e adoração marcaram a reunião, com a participação de missionários brasileiros. Pastor José Wellington e sua esposa, a irmã Wanda Freire da Costa, líder da Unemad, foram apresentados com destaque. Pastor Nicholas foi mais uma vez o preletor, ministrando sobre o tema renovação espiritual, com base em passagem da Epístola de Paulo a Tito.

Os participantes do evento louvaram a Deus pela qualidade espiritual do encontro e o seu valor histórico para a igreja no Brasil e os missionários brasileiros espalhados pelo mundo.

Mais sobre o evento na edição de julho do jornal “Mensageiro da Paz”.

Por Silas Daniel

%d blogueiros gostam disto: