Posts tagged ‘perseguição religiosa’

10/04/2018

China admite proibição de Bíblias e justifica que ela fere a “harmonia social” do comunismo


Em seu livro biográfico “Desinformação”, Ion Mihai Pacepa, ex-Chefe de Espionagem da Romênia revela diferentes táticas criadas pelo Partido Comunista para “confundir” o Ocidente com informações mentirosas ou meias-verdades, além de atacar a religião, sobretudo o cristianismo.

A obra, bastante extensa e detalhada, fala sobre o período da Guerra Fria, mas serve para evidenciar que pouca coisa mudou desde então nas estratégias comunistas.

O anúncio da proibição da venda de Bíblias na China desde o início do mês é um claro exemplo disso.

O governo proibiu a comercialização das Escrituras e de algumas literaturas cristãs em livrarias on-line em todo o país, para cumprir com novas normas que exigem um controle de literatura que não esteja de acordo com os “valores centrais do socialismo”.

Ao mesmo tempo publica o documento “Políticas e Práticas para Proteger a Liberdade de Crença Religiosa na China”. Apesar do nome pomposo, trata-se de uma nova tentativa do governo comunista em censurar o direito dos cristãos de praticarem sua fé. Porém, as autoridades insistem que se trata da “proteção” da liberdade religiosa.

Devido à grande repercussão do assunto, que pelas redes sociais conseguiu furar a forte rede de censura de informações instituída pelo regime, o Partido Comunista divulgou sua versão dos fatos. E parte da imprensa está divulgando a desinformação, nome dado a toda informação oferecida com o propósito de induzir a erro.

Através do Global Times, que funciona como um jornal oficial do partido, com publicações em inglês, a explicação dada pelo regime foi: “A China regulou recentemente a venda de livros e revistas online. Algumas versões da Bíblia que não tinham um número de série de publicação foram retiradas da internet junto com outras publicações não autorizadas. O movimento foi mal interpretado por alguns meios de comunicação ocidentais”.

Segundo o Partido Comunista, “Esta não é uma campanha direcionada a todas as publicações religiosas. Vários outros livros relacionados ao estudo da Bíblia continuarão disponíveis, desde que sejam publicados através de canais legais. No entanto, a China permite que a Bíblia seja vendida apenas através de igrejas, não em livrarias, e algumas plataformas on-line burlavam essa regra”.

O comunicado afirma que são “infundadas” as declarações de que o governo “irá fazer sua própria versão da Bíblia ou que o cristianismo esteja sob repressão”. Diz também que “Uma atividade normal de gerenciamento de mercado está sendo criticada por ‘infringir a liberdade religiosa’. A Bíblia é sagrada para os cristãos, mas, como livro, tem as mesmas características de outros objetos. Como livro, a Bíblia não deve ser sacralizada no sistema de gestão social do país”.

Liberdade vigiada

O que se depreende do texto é que existe liberdade, mas uma liberdade vigiada. A livre circulação de Bíblia é um mito, que já foi desmentido inúmeras vezes. Organizações cristãs que acompanham a situação no país, como a China Aid, há muito vem mostrando ao mundo testemunhos de cristãos perseguidos, além de fotografias e filmagens de igrejas sendo fechadas, demolidas ou que tiveram as cruzes retiradas do seus templos.

Mesmo assim, o governo chinês insiste na narrativa de que existe liberdade. Os cristãos não são os únicos a serem perseguidos. Existem diversos relatos que a minoria muçulmana do país também sofre com as violações aos direitos humanos e proibições de livre expressão religiosa.

A questão principal é que o cristianismo tem defensores mais expressivos. Isso ficou evidente quando Nikki Haley, embaixadora dos EUA junto à ONU, que é sabidamente evangélica usou suas redes sociais para denunciar a proibição da venda de Bíblias.

Recheada de contradições, o comunicado do governo chinês se justifica: “Existem muitas religiões na China e todas devem ser iguais perante a administração pública. Atualmente, algumas religiões são menos propensas a conflitos e as políticas do governo têm menos probabilidade de serem mal interpretadas. Mas quando se trata do cristianismo, a questão se torna mais complicada”.

Culparam a mídia

A opção foi atacar os críticos, de forma generalizada, mas incisiva. “Algumas forças ocidentais e a mídia ocidental gostam de se intrometer nos assuntos cristãos da China, interpretando mal as políticas do governo e instigando confrontos. Eles parecem estar promovendo um conceito de que as atividades cristãs devem seguir as práticas ocidentais ao invés de se adequarem à realidade social e à governança da China. Promover tal ideia não é condizente com a harmonia da sociedade chinesa. O cristianismo tem que se integrar com a nossa sociedade.”

Em outras palavras, não há cerceamento de liberdade para quem se submete ao que o governo determina. “A maior verdade é que os cidadãos chineses desfrutam de liberdade religiosa. Os cristãos chineses não têm dificuldade em adquirir a Bíblia. A gestão social da China se alinha com o desenvolvimento saudável das religiões”, alegam as autoridades.

Finaliza dizendo que o controle de assuntos religiosos “fazem parte do sistema político da China e não são contraditórios com a liberdade de crença religiosa. Tentar criar tal problema não vem dos crentes comuns. Precisamos ficar atentos a essas tentativas”.

Toda essa argumentação e a escolha de palavras seguem a mesma linha de outros discursos do Partido Comunista, que trata o cristianismo como “religião ocidental, de valores ocidentais”, ainda que a fé tenha surgido na Ásia.

Embora possa haver questionamentos sobre a real intenção do governo em produzir sua própria tradução, embora a formação de uma “teologia chinesa”, com elementos ideológicos socialistas já esteja em curso há mais de uma década. A pretensa liberdade dos cristãos é tão real na China quanto em outros países comunistas, como Coreia do Norte e Cuba. E a grande mídia repete a desinformação como se fosse verdade.

Por: Gospelprime

26/09/2015

300 muçulmanos armados atacam escola para garotos cristãos no Paquistão.


islamismo“É muito triste que os radicais islâmicos atacam cristãos paquistaneses por causa de Charlie Hebdo. Cristãos condenam as caricaturas blasfemas. É uma pena que mesmo depois de 67 anos desde o nascimento do Paquistão, os cristãos ainda não foram considerados cidadãos paquistaneses, mas são vistos como ‘aliados ocidentais'”, Nasir Saeed, diretor da ONG Centro de Assistência Jurídica Assistência e Assentamento, disse à Agência de Notícias Fides.

O ataque ocorreu no Painel de Ensino Médio, na cidade de Bannu, na província de Khyber Pakhtunkhwa. Os estudantes muçulmanos aparentemente foram capazes de saltar as paredes exteriores da escola e abrir as portas antes de atacar os cristãos.

A escola foi fechada por pelo menos dois dias, com as medidas de segurança adicionais que estão sendo consideradas para proteger os alunos.

Na semana passada, multidões de muçulmanos queimaram várias igrejas e casas de pastores em Níger, também em protesto aos desenhos de Charlie Hebdo. Pelo menos 10 pessoas foram mortas nos confrontos. Os pastores na capital Niamey revelaram que quase todo associado com as igrejas foram alvejados.

Marchas também foram realizadas no Paquistão, onde os muçulmanos insistiram em que a liberdade de expressão não dá o direito de desrespeitar a religião.

Os protestos dizem respeito aos desenhos de Maomé publicados por Charlie Hebdo ao longo dos anos, que são considerados ofensivos para muitos muçulmanos em todo o mundo. A revista satírica experimentou um ataque terrorista organizado pela al-Qaeda no início de janeiro, quando 12 pessoas foram mortas a tiros em seus escritórios em Paris. Os dois pistoleiros que executaram o ataque, e mais tarde foram mortos, disseram que eles estavam “vingando” Muhammad.

Os desenhos animados de Charlie Hebdo, muitas vezes tem como alvo os cristãos também, como Igreja Ortodoxa Russa Patriarca Kirill apontou no domingo.

“As caricaturas do Profeta Muhammad são caricaturas infantis em comparação com o que esta publicação permite-se em zombar os sentimentos dos cristãos”, disse Kirill em um sermão.

“Hoje, ao dizer ‘não’ ao terrorismo, assassinatos, violência, nós também dizemos ‘não’ para a inexplicável ação por um determinado grupo de pessoas de ridicularizar os sentimentos religiosos.”

Vários outros líderes cristãos, incluindo o Papa Francis, disseram que é errado ridicularizar a religião de tal forma, ao mesmo tempo, falando contra o terrorismo.

“Você não pode provocar. Você não pode insultar a fé dos outros. Você não pode tirar sarro da fé dos outros”, Francis disse a repórteres após o ataque.

A comunidade minoritária cristã no Paquistão tem sido alvo tanto por leis de blasfêmia do governo no poder, que muitas vezes se concentram em minorias religiosas, mas também por multidões de radicais que buscam fazer justiça com as próprias mãos.

Saeed disse que os cristãos em tais comunidades são frequentemente alvo de ações nos países ocidentais.

“Sempre que incidentes ocorrem em países ocidentais, os paquistaneses fiéis são atacados. Cristãos, que já estão vivendo sob constante medo por suas vidas, tornam-se ainda mais vulneráveis”, disse o diretor da CLAAS. “É dever dos políticos criar um ambiente cultural e uma sociedade em que os cristãos e minorias religiosas se sintam seguros.”

Fonte: Christian Post

26/09/2015

A super interessante cruzada anti-evangélica


xsuper-interessanteA capa de setembro da revista Super Interessante, editada pela Ed. Abril, saiu com o título: “Extremismo Evangélico”.

O subtítulo: “Milícias atacando cultos de outras religiões, minorias acuadas, teocracia no Congresso. Entenda como alguns radicais ameaçam incendiar o Brasil com ódio religioso”.

A primeira coisa a dizer é: Não há nenhuma surpresa. A revista é defensora de todas as atuais “causas progressistas”, nome abrandado para “causas da esquerda secular”.

A “Super” como se auto-apelida não faz segredo de sua militância pela descriminalização das drogas, mais do que isso, faz apologia do uso da maconha, publicando reportagens parciais que ignoram consensos científicos sobre os danosos efeitos do uso prolongado da droga.

Sobre a causa gayzista, inclusive abordada na reportagem, não preciso sequer dizer! A revista veste a camisa com o arco-íris! O mesmo ocorre com o aborto, além das bestiais reportagens pretensamente históricas sobre Jesus e/ou o cristianismo. Qualquer boato infundado vira capa.

Assim, havendo uma reportagem sobre os evangélicos em tal publicação, já se espera que seja em tom de contrariedade.

Perante o exposto, eu já sabia que viria pancada, mas acreditei que haveria uma mascarada tentativa de demonstração de isenção. Tática velha. Bateriam muito, mas abririam um espaçozinho para alguém fazer o “contraponto”. Para cada dez pancadas um assopro.

Seria o mínimo admissível para uma publicação do Grupo Abril, o maior do Brasil no setor.

Mas nem a isso se prestaram. Não há qualquer “respiro”. A reportagem diz simplesmente, de cabo a rabo, que os evangélicos estão aumentando em número e proporção e que isto representa um perigo para a estabilidade da nação!

Segundo ele, estamos entocados dentro das igrejas, formando grupos bélicos dispostos a impor o cristianismo na porrada!

A reportagem se abstém de distinguir o literal do metafórico. Informa a centenas de milhares de leitores, muitos destes alheios ao funcionamento real de uma igreja evangélica, que planejamos tomar o Congresso para estabelecer uma ditadura cristã!

Por fim, sugere ainda que a existência de evangélicos moderados (que no caso, são os de esquerda, tanto que o exemplificado é o “pastor” Ricardo Gondim, que disse certa vez: “Deus nos livre de um Brasil evangélico”!) é a única solução para conter o avanço dessa “agenda agressiva”.

Mesmo Olavo de Carvalho, católico, com sérias restrições ao protestantismo, publicou em seu facebook que a Super Interessante deveria ser processada por crime de ódio contra os evangélicos.

Não vou tão longe, embora não irei recriminar quem o for, mas recomendo que pelo menos enviemos e-mails à Redação, manifestando nossa indignação.

O e-mail é: superleitor@abril.com.br

Enviei o meu, que copio abaixo:

“Parcial, ofensiva, rasa, incapaz de distinguir o que é metáfora do que é literal. 

Acho interessante o modo como os evangélicos sempre são rotulados como propagadores do ódio, mas aqueles que propagam o ódio contra os evangélicos são sempre almas nobres, mensageiros da paz e da justiça. 

Os evangélicos se escudam na Constituição, que lhes garante liberdade de crença, para ter seus conceitos de certo e errado. Mas de forma alguma há propagação de ódio ou intolerância. Cremos que algumas práticas são pecaminosas e impróprias à luz da Bíblia, nosso manual de conduta, mas não impedimos ninguém de praticá-las. 

O uso de casos isolados, que representam absurdos, mas que ocorrem não apenas no meio evangélico, mas em todos os outros, INCLUSIVE NO LAICISTA, revela a parcialidade, já que a ocorrência em outros meios não suscita as mesmas reações. 

Os evangélicos são pessoas pacatas, que realizam obras assistenciais inequiparáveis dentro do país, e merecem ser respeitados, pois são cidadãos pagadores de impostos que vivem dentro da lei. 

Que qualquer abuso seja denunciado de acordo com a legislação vigente, punindo os responsáveis, mas somente eles, e não mais de 40 milhões de evangélicos inocentes.”

Por: Renan Alves da Cruz

Fonte: Gospel Prime

11/10/2012

Igreja na Indonésia permanece proibida de cultuar


Igreja na Indonésia permanece proibida de cultuarO representante de uma igreja de Bogor, na Indonésia, cuja congregação foi impedida de realizar atividades cristãs, criticou o governo e agentes da lei por sua lentidão na resolução de casos de intolerância religiosa em todo o país.

Jayadi Damanik, da igreja GKI Yasmin, disse que não há solução duradoura para o impasse em que se encontra a igreja em que congrega, em Java Ocidental, fechada por ordem de autoridades locais. Na foto, ele argumentava com o oficial que fechou a congregação.

Damanik afirmou que tentou se utilizar de ferramentas legais e, fora dos tribunais, o apoio de ativistas de direitos humanos mas, mesmo assim, não conseguiu alcançar avanço no processo. Ele avisou, porém, que os funcionários lhe prometeram uma resolução ainda este ano.

“O governo central, o provincial, diretores gerais e o ministro do Interior relataram que tudo seria resolvido antes mesmo do Natal”, disse Jayadi durante um fórum em Jacarta.

Jayadi relatou que, no tempo que passou em provação, ele ouviu muitas “mentiras” – promessas dos governos central e provinciais, que não se concretizaram. “Por que eles estão fazendo isso aos cristãos da igreja GKI Yasmin? O que eles fizeram de errado para serem tratados dessa maneira? Ninguém pôde me responder”, disse ele.

Ele criticou os agentes da lei e da polícia que não atuaram em proteção à liberdade religiosa. “Se não era possível resolver o problema, então deviam, ao menos, promover a mediação dos conflitos. Se, mesmo assim, não for resolvido, então, levá-lo ao tribunal”, disse. “Muitos relatórios da polícia não foram investigados. Processos judiciais em outros lugares também não correm bem”, acrescentou.

Jayadi Damanik contou ainda que ele e outros irmãos da igreja de Yasmin não desejam que as pessoas que os prejudicaram por intolerância religiosa sejam punidas severamente, mas querem justiça no processo.

O caso atraiu ampla repercussão, especialmente da Suprema Corte, que decidiu pelo encerramento das atividades da igreja, considerando-a ilegal e, depois, ordenou a reabertura. No entanto, as autoridades de Bogor e o governo central se recusaram a cumprir a decisão da corte e não reabriram a congregação.

Fonte: Portas Abertas

08/04/2012

Pr. Silas Malafaia faz denúncias gravíssimas; veja o vídeo


27/04/2011

Pequim voltou a apertar as restrições sobre as igrejas


Presos pelo menos 20 membros de igreja protestante chinesa.

Vinte chineses pertencentes à igreja protestante de Shouwang foram detidos quando se preparavam para levar a cabo as cerimónias religiosas da Páscoa em plena rua, por o regime os ter despejado do edifício que ocupavam na zona noroeste da capital Pequim.
Esperava-se que cerca de mil pessoas se reunissem para a celebração. Ao chegar ao local combinado, os membros da igreja de Shouwang encontraram um forte aparato policial: as pessoas suspeitas de pertencer à igreja começaram a ser encaminhadas para autocarros e transportadas para diferentes esquadras da polícia.
O acesso à rua foi vedado, impedindo que os jornalistas se aproximassem dos detidos. Mas de longe, a imprensa garantia que ninguém ofereceu resistência, obedecendo às ordens das autoridades sem protestos.
Um dos líderes da congregação, Jin Tianming, que foi colocado em prisão domiciliária, disse à AFP pelo telefone ter tido informação da detenção de 20 a 30 pessoas. Jin foi condenado com outros 12 dirigentes da igreja no início do mês, na sequência de uma rusga da polícia que levou cerca de cem pessoas – elas eram suspeitas de dissidência política, informaram as autoridades.
Os responsáveis da igreja de Shouwang dizem não ter agenda política. Desde a sua fundação, em 1993, já tiveram vários embates com o regime, que tem forçado o despejo da organização dos sucessivos espaços que aluga para os serviços religiosos.
Nos últimos dias, Pequim voltou a apertar as restrições sobre as igrejas que funcionam em edifícios residenciais ou comerciais, pondo fim a um período em que tolerou mais ou menos pacificamente a actividade das igrejas que não se submetem à supervisão do Partido Comunista.
No sábado, o pastor Zhang Mingxuan, que preside à Aliança das Igrejas Residenciais da China, também foi detido em Pequim. Na cidade de Guangzhou, no sul, duas missas de Páscoa foram proibidas. E em Hohhot, norte da China, dezenas de líderes cristãos foram presos.

Fonte: Notícias Cristãs / PublicoAbola

02/03/2011

Padre manda destruir igreja evangélica


Padre manda destruir igreja evangélicaOs moradores do bairro Baixão da Guiomar acusam o Prefeito de São Raimundo Nonato (Piauí), Padre Herculano de Negreiros, de mandar, sem autorização judicial, derrubar uma Igreja Evangélica.

Abalada, a proprietária do local, Maria Teresa Brito, informou que a igreja possui a documentação registrada em cartório do local.

Os moradores se dizem indignados com a atitude do Prefeito Herculano que mandou um trator junto com a Polícia Militar destruir a igreja.

De acordo com a Polícia Militar, existe um decreto de n° 153/2001, que solicita a Polícia Militar acompanhar os fiscais para demolir a Igreja com o Ofício de n° 063. Segundo o Tenente da Polícia Militar, o proprietário já havia recebido várias notificações de irregularidades. Copiado do NC

A proprietária Maria Brito chorou bastante quando viu a igreja destruída. Sua casa, que fica ao lado, teve paredes rachadas e de acordo com ela, toda a população está chocada.
Fonte: Notícias Cristãs com informações do Ai5Piaui.com

31/01/2011

Clipe da Banda Catedral é barrado na MTV por ser “gospel demais”


“SeBanda Catedral 250x250 Clipe da Banda Catedral é barrado na MTV por ser “gospel demais” eu fosse adepto de um baseado ou uma figura totalmente estereotipada, certamente teria fácil lugar nesse circo musical de horrores”, desabafa o cantor para os mais 40 mil seguidores no twitter

O clipe da música Tudo Pode Mudar, do mais novo trabalho da Banda Catedral, “Pedra Angular”, foi barrado pela direção do Canal MTV por conter “muito teor gospel”, revelou o líder da Banda, Kim, aos seus mais de 40 mil seguidores no Twitter, na noite desta quinta-feira, 27/1.

A notícia repercutiu negativamente entre os fãs da Banda, que tem 22 anos de carreira e já vendeu mais de 3 milhões de cópias no segmento gospel e secular.

Imediatamente os fãs começaram a questionar, pela internet, o motivo da recusa. Para muitos, a única resposta seria perseguição religiosa. “Preconceito religioso escranchado, num canal onde já fomos indicados três vezes ao maior prêmio deles”, declara Kim.

Para Valmir Santos (25), de São Paulo, a atitude da MTV, além de excludente, é prova de que a programação dessa emissora “é de má qualidade” e vai de encontro ao ideário de união pregado por canais voltados para o público jovem. “Num país liberal/democrático como o Brasil e, principalmente vindo de uma emissora que se diz voltada para a juventude, é muito estranha a atitude, mas está claro que é prova de preconceito religioso”, acredita o estudante de administração.

Para a aluna de psicologia, Katiana Santiago (35, twitter.com/kattyannaa), que acompanha a Banda há 15 anos, a ação da emissora só depõe contra, sendo motivo para não mais prestigiar sua programação. “Não costumo mesmo ver a MTV, mas, agora, além de continuar não assistindo, vou passar a não indicar. Se o canal não aceita uma música que fala de mudança de vida, e outras mensagens positivas, não deve ter muita coisa boa prá se ver mesmo”, ratificou para os seus 1090 seguidores da rede social

Também acompanhando pelo twitter a discussão, a jornalista Larissa Lima (twitter.com/limalaris) ficou curiosa e foi verificar a letra da música. Em seguida ela postou para os seus mais de 200 seguidores: “Eu nem gosto de Catedral. Mas nunca pensei que um canal iria se incomodar com uma letra tão positiva”, escreveu, postando um link para a canção.

Kim, em tom de desabafo, revelou que ficou surpreso com a decisão porque, em anos anteriores, a Banda Catedral foi bastante vista na emissora, especialmente em 2001, quando chegou a ocupar o 1º lugar, e teve mais de oito clipes no Top 20 Brasil e Disk MTV. “Ainda não compreendi, até porque o clipe nada tem de gospel. Ele fala sobre pirataria, drogas, escolhas, ações e reações. É um clipe para ver, parar e pensar”, explicou.

Kim se denomina protestante e membro de uma igreja Presbiteriana no Rio de Janeiro, mas explica que seu trabalho como músico não tem “rótulos”, ou seja, é feito para todos os públicos.

“O que eu acho mais pesado nisso tudo é alguém boicotar frases como ‘Tenha fé em Deus, tenha fé no Amor’, que ‘tudo pode mudar, pra melhor’. “Se eu fosse adepto de um baseado ou uma figura totalmente estereotipada, certamente teria fácil lugar nesse circo musical de horrores”, indigna-se o músico.

O clipe da música censura pela MTV está no link: www.bandacatedral.com.br

por Gevan Oliveira twitter.com/gevanoliveira

Fonte: Gospel Prime

%d blogueiros gostam disto: