Posts tagged ‘Politica da Empresa’

29/10/2015

IURD e IMPD se unem no apoio a CPMF


IURD e IMPD se unem no apoio a CPMFO bispo Edir Macedo, da Igreja Universal do Reino de Deus, e Valdemiro Santiago, da Igreja Mundial do Poder de Deus, já discutiram e se ameaçaram publicamente várias vezes. Quando a IMPD começou a tirar fiéis da IURD, começou uma acirrada campanha para desmoralizar o apóstolo, especialmente nos programas de TV e nos sites ligados a Macedo.

Contudo, agora esses dois rivais estão vivendo um tempo de aliança. Ambos estão juntos com o governo petista, defendendo a aprovação da CPMF. Claro, desde que as igrejas fiquem isentas.

A imagem que marcou essa união, que deve ser apenas temporária, é do encontro da presidente Dilma com o senador Marcelo Crivella (PRB/RJ), ao lado do deputado federal Francisco Floriano (PR/RJ). Ambos são líderes das “alas evangélicas” de seus respectivos partidos, que formam a base aliada do governo petista. Ao mesmo tempo Crivella é bispo licenciado da Universal e Floriano é pastor da Igreja Mundial.

De acordo com o jornalista Lauro Jardim, em sua coluna do jornal O Globo, essa composição dos grupos políticos de Macedo e Santiago gera “ciumeira” em outros líderes evangélicos, que não foram chamados.

No início do mês, diversos pastores e líderes denominacionais foram a Brasília se encontrar com Dilma e “garantir” a previsão da Constituição Federal de isenção tributária para todos os templos religiosos.  Na ocasião, a presidente garantiu aos líderes que os templos evangélicos, católicos, espíritas e de todas as demais religiões não serão tributados caso a CPMF seja aprovada no Congresso.

Além de representantes da IURD e IMPD, estavam o bispo Geraldo Tenuta, da Igreja Renascer em Cristo; Pastores Samuel e Abner Ferreira, da Assembleia de Deus Madureira, Juanribe Pagliarin, da Paz e Vida.

Publicamente, o único líder que se manifestou contra a CPMF foi o pastor Silas Malafaia, que ameaçou denunciar em seu programa todos os deputados evangélicos que votarem a favor da CPMF.

“O deputado evangélico que apoiar essa porcaria eu vou dizer o nome no meu programa e vou pedir para que os evangélicos não votem mais neles”, afirma. “Eu sou contra beneficiar as religiões”, afirma Malafaia. “Chega, o que passar disso [imunidade tributária da Constituição] é palhaçada!”.

Obs: é engraçado ver pastores que não une para pregar a palavra de Deus, mas para apoiar o governo a criar mais imposto para punir, o povo com altos impostos. Os mesmo deveriam esta reunido para ajudar outras igrejas que estão trabalhando para tirar viciados do craque, das ruas. Poderiam criar centro de tratamento para os que vivem com pessoas viciadas…

10/09/2013

O pastor e deputado federal Marco Feliciano fala sobre sua pretensão em ser presidente


pastor-marco-felicianoO apresentador leu a seguinte frase escrita pelo político brasileiro: “Eu sonho em um dia ver o povo brasileiro assistindo a voz do Brasil e o presidente cumprimentar o povo com a paz do Senhor Jesus”.

O religioso respondeu que lançou essa ideia com a esperança do país mudar e de ter representantes mais justos. “Nós já tivemos na última eleição uma candidata evangélica [à presidência], que foi a Marina. Embora eu tenha divergências com ela em algumas questões ideológicas. Não veja ela como uma pura evangélica. Ou seja, alguém que defende de fato seus princípios. Mas já começou a aparecer”.

E completou: “Se algum partido me desse essa legenda, eu entraria nesse barco. Porque eu acredito que é possível. […] Isso é promessa bíblica! Bendita é a nação cujo Deus é o Senhor”.

A primeira questão discutida na atração foi como conciliar a política e o evangelho/ministério. O parlamentar respondeu: “Eu sempre fui hiperativo. Eu nunca fui muito normal. Aliás, Deus tem dificuldade de usar gente normal. Quanto mais louco, mais atrevido, esse parece fazer parte do métier que Deus gosta de usar. Eu sempre me desdobrei em várias coisas. Hoje eu sou pastor de Igreja, sou conferencista, sou deputado federal, eu tenho um programa de televisão, escrevo livros, faço shows cantando, porque sou cantor também. E ainda sou pai de família. […] A pessoa tem que ter determinação. Deus deu ao ser humano capacidade e força de vontade”.

E continuou: “Quando você tem convicção de que aquilo que você está fazendo é certo, vai ajudar o futuro e vai ajudar o ser humano, você dá conta! […] Ainda novinho nasceu a chama, a centelha da política. E olha que eu preguei contra a política a vida inteira. De repente, eu encontrei na política uma ferramenta que Deus poderia usar para ajudar a mudar conceitos e valores. Me entreguei a política”.

O evangélico falou que foi utilizado para esconder problemas no país e mostrou que está fortalecido, sendo, pela primeira vez, uma unanimidade no mundo gospel. “É possível ser pastor e estar cheio do Espírito Santo”.

Sobre as manifestações, que ocorreram em junho deste ano (2013), exclamou: “Acredito que tive até uma parcela de cooperação em tudo isso […] Tudo era uma mera maquiação”. Ele falou que Dilma tem um grande abacaxi nas mãos, porque o Parlamento aprovou muitas reinvindicações, mas não há dinheiro para atender todas as demandas da sociedade. “A linha que separa a democracia e a anarquia é muito tênue”, afirmou em outro trecho. Feliciano comentou sobre a Copa do Mundo e outros eventos que o Brasil irá sediar.

O religioso falou sobre as distorções da grande mídia para os projetos em que ele está envolvido. Ele chama isso de ‘desonestidade intelectual’. Os jornalistas nacionais, segundo Feliciano, são militantes da causa gay. Ele falou de todas as hostilidades pelas quais vem passando, como grupos LGBT que subiram no seu carro e mostraram o corpo nu para suas duas filhas. “Antes da liberdade sexual, o ser humano precisa de liberdade de consciência”, refletiu.

Segundo ele, há uma ditadura homossexual. “É sabido que a comunidade homossexual é uma comunidade que sofre muito. Eles sofrem preconceito sim. Mas, hoje, o preconceito é maior entre eles do que do lado de fora. Hoje todo mundo tem medo até de expor seu pensamento. Mas nem todos os direitos que eles conseguiram, são a cura da sua angústia. Não estou falando de cura da sua homossexualidade. Porque não tem cura. Porque isso é um fenômeno de comportamento. Mas a angústia interior. […] Eles [comunidade LGBT] buscam algo que não encontram nunca”.

Feliciano contou que já trabalhou na lavoura, como engraxate e depois atuou como vendedor de picolé. “Não tenho vergonha do meu passado. Pelo contrário, meu passado deu alicerce pro homem que sou hoje. Passo isso para minhas famílias”. O atual parlamentar discorreu sobre a importância de Ouriel de Jesus, que o consagrou pastor nos Estados Unidos (EUA).

Sobre o canal online Porta dos Fundos e o vídeo “Oh, meu Deus”, o deputado falou: “Esperei pra ver se tinha um humor inteligente. Geralmente, faz o humor com crítica, mas não tinha. Puro vandalismo! Para pegar a fé cristã das pessoas e jogar no lixo”.

Durante a entrevista, o pastor corrige o apresentador dizendo que seu nome não é Marcos, e sim Marco Feliciano. “É um só”, brincou ele. Assista a conversa abaixo.

12/07/2012

´Novo kit-gay` estaria sendo distribuído; bancada evangélica pede explicações


´Novo kit-gay` estaria sendo distribuído; bancada evangélica pede explicações

O kit-gay, material lançado pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC) durante o mandato de Fernando Haddad, foi vedado pela presidente Dilma Rousseff após pressão da bancada evangélica, porém, segundo o pedagogo e diretor de uma escola em São Paulo, Felipe Nery, um material similar estaria sendo distribuído entre alunos da rede pública e privada, com aval do MEC.

Nery foi ouvido na última terça-feira, 04/07, pela Frente Parlamentar Evangélica durante uma reunião sobre o assunto. O pedagogo afirmou que os livros trazem figuras com apologia à homossexualidade, bissexualidade e transexualidade.

O pedagogo é membro do Instituto de Ensino Superior de São Paulo, e apresentou três livros que fazem parte do suposto novo kit-gay que o MEC estaria distribuindo nas escolhas públicas. De acordo com informações de Sandro Guidalli, do blog Fé em Jesus, os títulos são “Porta Aberta”, voltado para alunos de seis anos, da autora Mirna Lima e editado pela FTD; “Aprendendo a Viver, Sexualidade”, voltado para alunos de 10 e 11 anos, das autoras Patricia Mata e Lydia R. e editados pela Ciranda Cultural; e “Menino brinca de boneca?”, para todas as idades, de Marcos Ribeiro e editado pela editora Moderna.

Felipe Nery relata que os livros fazem apologia explícita à homossexualidade: “Nos livros podemos ver que são apresentadas figuras, dentre as quais há uma família dita normal mas onde também colocam dois homens e uma criança, duas mulheres e uma criança, criança sem o pai, os avós cuidando, filhos adotivos, etc. Isso não deveria nem constar nos livros para crianças de seis anos de idade que estão trabalhando a história desta forma. O ‘kit-gay’, de uma outra maneira, entrou nas escolas brasileiras”, afirmou.

O primeiro livro traz um “jogo da memória” com figuras que representem casais homossexuais com filhos, enquanto que no segundo, são apresentadas imagens com instruções para usar preservativos. O livro “Menino brinca de boneca?” traz no prefácio um texto da senadora Marta Suplicy (PT-S), defensora do PL 122.

Essa distribuição acontece nos casos de escolas que não possuem um projeto pedagógico completo, segundo Nery: “O colégio tem a opção de ter o seu próprio trabalho ou adotar o que o governo apresenta e o que ele apresenta são materiais como esse. Esses que apresentei aqui não são escritos pelo governo mas qualquer material que tem o símbolo do MEC vem com esta ideologia, não há diferença nenhuma nas editoras, há apenas um viés ideológico favorável ao homossexualismo, bissexualismo e transsexualismo”.

O pedagogo alerta que os pais devem acompanhar o material que é usado na educação de seus filhos: “O problema é que nós, pais, muitas vezes não vemos isso aqui. O diretor de colégio não vê isso aqui, ele confia no professor. Para o diretor é muito difícil ver todos os livros porque são pilhas e pilhas no final do ano para analisar. O professor é que vai ver o material. Muitas vezes o colégio ganha os livros que vão para a biblioteca e quem vai ver será o aluno. São centenas de editoras que trazem o mesmo tipo de material que é a ideologia implementada pelos ativistas homossexuais”, observou.

Os parlamentares da bancada evangélica farão uma comissão para analisar a denúncia do pedagogo e os livros apresentados por ele durante a reunião. O deputado federal Filipe Pereira (PSC-RJ) afirmou que deverão ser cobradas explicações do atual ministro da educação, Aloízio Mercadante (PT-SP): “Como ação política, antes mesmo de qualquer outra de natureza jurídica, defendo ir ao ministro e cobrar dele as explicações devidas”, pontuou.


Fonte: Gospel Mais

//

//

24/02/2011

greja Universal perde espaço na programação da Rede Record


Rede Record de Televisão retirou a programação da IURD da grade de sete cidades

De acordo com o blog Radar OnLine da revista Veja, essa semana a Rede Record de Televisão retirou a programação da Igreja Universal do Reino de Deus da grade de sete cidades. Os programas religiosos que iam ao ar entre as 13h3 e 14hs foram suspensos das cidades de Fortaleza, Belo Horizonte, Porto Alegre, Goiânia, Salvador, Belém e Fortaleza.

O motivo seria a queda de Ibope, pois durante esse horário a audiência da emissora despencava. A média de treze pontos caía para três o que era muito ruim para a emissora. As pregações continuarão nas madrugadas dentre das 1h às 5hs todos os dias em toda a rede.

Fonte: Gospel Prime

%d blogueiros gostam disto: