Posts tagged ‘Prostituição’

03/05/2011

Bispo australiano acusa Vaticano de aposentá-lo devido a opiniões polêmicas


O bispo William Morris denuncia em carta que para o papa Bento XVI seus fiéis estariam melhor “sob a liderança de um novo bispo”.

Um bispo australiano acusa o Vaticano de sua separação da Igreja Católica por defender a ordenação de mulheres e homens casados como sacerdotes, informa nesta segunda-feira (horário local) a imprensa local.

O prelado de Toowoomba (Queensland), William Morris, denuncia em carta que sua aposentadoria antecipada se deve a que o papa Bento XVI decidiu que seus fiéis estariam melhor “sob a liderança de um novo bispo”, segundo o jornal “The Australian”.

Os bispos se aposentam, geralmente, aos 75 anos, mas Morris – que esteve à frente desta diocese a quase 900 quilômetros ao norte de Sydney durante quase duas décadas – só tem 67.

Em sua carta, lida este fim de semana nos serviços religiosos de Toowoomba, o prelado disse que a decisão do Vaticano responde a uma mensagem pastoral que publicou em 2006 e provocou uma investigação interna dentro da Igreja.

Morris se pronunciou nesse polêmico texto a favor de ordenar como sacerdotes mulheres e homens casados, assim como reconhecer a validade das ordens anglicanas e luteranas, entre outras propostas, embora acredite que sua opinião tenha sido mal interpretada.

A saída de Morris ocorrerá dois anos depois que a Igreja tomou a mesma medida com Peter Kennedy, ex-sacerdote da cidade australiana de Brisbane, que se mostrou a favor de ordenar mulheres e das uniões homossexuais.

Está previsto que o Vaticano emita um comunicado oficial sobre o assunto.

28/04/2011

Drauzio Varella critica religiosos que são contra a camisinha


Durante sua participação no programa Roda Viva, da TV Cultura, o médico cancerologista Drauzio Varella chamou os líderes religiosos de autoritários por interferirem em questões importantes na sociedade como planejamento familiar e saúde.

O programa foi ao ar na segunda-feira, dia 25, e o médico citou o caso dos prefeitos das pequenas cidades que não distribuem camisinhas diretamente à população carente por temer desagradar “ao padre”.

Sobre o assunto ele alertou que as camisinhas distribuídas pelo governo federal nos postos de saúde são retiradas mais por pessoas que correm menos risco de contrair o vírus da Aids, como as mulheres casadas.

Enquanto que as jovens de periferia têm vergonha de pegar preservativos nos postos de saúde. Para ele, o poder público deveria levar o preservativo até elas, mas a pressão dos religiosos contra essa tipo de iniciativa de prevenção é muito forte.

A consequência disso, de acordo com Varella, é uma epidemia de gravidezes precoces, condenando as jovens à pobreza porque, para cuidar dos filhos, elas acabam abandonando o estudo e muitas vezes recorrendo ao tráfico de drogas para sobreviver.

Questionado se ele aceitaria ser Ministro da Saúde, o médico respondeu que não, mas em uma situação hipotética, Varella disse que daria prioridade ao planejamento familiar. Disse que o Brasil em 1970 tinha 90 milhões de habitantes e hoje mais de 190 milhões, o que é um crescimento populacional que dificulta a adoção de uma política de bem-estar social.

Fonte: Gospel Prime / Paulopes

16/02/2011

Evangelista desafia a evitar o divórcio e serem felizes


Evangelista desafia a evitar o divórcio e serem felizesNeste Valentine’s Day (Dia dos namorados), o evangelista Jay Lowder incentiva casais a aceitar o desafio de restaurar os relacionamentos quebrados.

Depois de mais de 17 anos de casamento, ele e sua esposa, Melissa, tiveram momentos de altos e baixos. Ele admitiu que quase se separou há 13 anos. “Havia uma distância e muita amargura entre nós”, disse Lowder.

Para dar uma chance ao seu casamento, Lowder foi forçado a confrontar questões que ele fingiu não existir. “Para os homens é difícil porque a maioria prefere ignorar o problema achando que vai passar. Costumava não voltar para casa, preferia ir ao cinema”, lembrou.

As coisas começaram a mudar depois que um grande amigo desafiou Lowder, que estava à beira do divórcio, a participar de um aconselhamento de casais.

Ele admite que o processo foi difícil. De acordo com ele, a parte mais difícil foi ouvir a verdade. “Ela teve que ouvir tudo o que eu tinha para falar e eu tive que ouvir tudo o que ela tinha a dizer”, explicou.

Agora, ele desafia a outros casais a viver o casamento planejado por Deus. “O objetivo do aconselhamento não é apenas para evitar o divórcio, mas também ser feliz”, frisou.

Lowder acredita que só com Deus, um casal pode ter um casamento bom e duradouro. “Você deve se comprometer com Deus”.

Lowder admite que enfrentou dificuldades no seu casamento. No entanto, ele e sua esposa estão sempre abertos para ouvir um ao outro e escutar a voz de Deus. “Uma das coisas que tentamos fazer é ter um momento de devoção juntos. Eu ainda acredito que Deus ouve quando o marido e a mulher oram juntos”, ele recomendou.


Hoje, Lowder leva Harvest Ministries, viajando pelo mundo para pregar as Boas Novas. Ele tem falado em mais de 250 cruzadas e conferências desde seu chamado para o evangelismo. Atualmente, ele reside no Texas e tem três filhos, Lane, Kayley e Graham.

Fonte: Christian Post / CPAD News

30/01/2011

Pastor quer BBB no paredão


Pastor quer BBB no paredãoFoi dada a largada! Desde o último dia 11 de fevereiro, milhões de brasileiros estão na frente das telinhas para ver o reality show mais esperado do ano. Isso mesmo! Refiro-me ao Big Brother Brasil 11, o BBB, programa que chega a sua 11ª edição exibido na Rede Globo de Televisão todos os dias durante três meses ao ano. A intenção desta carta é trazer a você, caro leitor(a), esclarecimentos sobre o reality show que tem influenciado milhares de pessoas, inclusive os cristãos.
A atmosfera de Sodoma e Gomorra, conforme descrita na Bíblia tem invadido os lares brasileiros sem pedir licença, com cenas imorais, atos sexuais, palavras chulas, gestos obscenos e comportamentos condenáveis há cerca de dez anos. Mas nesta edição, a coisa parece ter ficado um pouco pior. Com medo de perder a audiência para outras emissoras, a Globo logo no primeiro dia do programa deixou claro que o BBB não terá limites.

Basta ver a declaração do diretor do “Grande Irmão”, J. B. Oliveira, o Boninho, “hora de ir para o hotel passar as regras com os brothers e avisar que vale pancadaria (a frase não foi colocada na íntegra aqui) para ganhar o prêmio”. Em outras palavras, para faturar o prêmio de R$ 1,5 milhão, vale mesmo tudo, inclusive agressões físicas.

Como se não bastasse a orientação absurda de Boninho aos participantes, o diretor do programa ainda incluiu neste ano o “sabotador” na casa. Esse (a) personagem ou pessoa será o/a responsável por atrapalhar o grupo de ganhar dez mil reais. Mais um motivo de divisão entre eles/elas.

E tem mais, que tipo de emoções e desejos um capítulo de BBB produz num/numa adolescente ou jovem solteiro(a)? Que tipo de estímulos e valores um programa desses produz num/numa jovem cristão que procurará se manter virgem até o seu casamento? O que eles/elas têm vontade de fazer após assistir BBB? Orar? Acho que não.

Não é de se estranhar que em nossas igrejas tenhamos tantas pessoas “ficando”, viciadas em masturbação e inclusive solteiros com vida sexual ativa (como mostrou uma pesquisa da Revista Eclesia, 52% dos jovens evangélicos brasileiros confessam haver tido relação sexual antes do seu casamento).

O Inspirador do Big Brother Brasil
O mais famoso romance George Orwell, “1984”, trás no rodapé da capa do livro os seguintes dizeres: Big Brother is watching (Grande Irmão está vigiando você). O livro foi escrito no ano de 1948, mas por força dos editores, o título foi invertido para 1984.
O livro narra o “futuro” na Pista de Pouso Número ou Inglaterra, parte integrante do megabloco da Oceania. É comum o conflito dos leitores com o continente homônimo real.

O megabloco superficial de Orwell tem este nome por ser uma adesão de países de todos os oceanos. O tema principal de 1984 é a transformação da realidade. Não seria esse também o propósito das onze edições do Big Brother Brasil exibidos pela Rede Globo?

Voltando ao livro, fingida de democracia, a Oceania existe em um totalitarismo desde que o IngSoc (o Partido) chegou ao poder sob a liderança do onipresente Grande Irmão (Big Brother). Contado em terceira pessoa, o livro narra à história de Winston Smith, membro do partido externo, empregado do Ministério da Verdade. O cargo de Winston é reescrever e distorcer informações de acordo com a importância do Partido. Nada muito distinto de um historiador ou jornalista. Winston interroga a opressão que o Partido desempenhava nos cidadãos. Se alguém refletisse diferente, cometia crimidéia (crime de ideia em novilíngua) e fatalmente ele desaparecia, ou seja, a pessoa era capturada pela Polícia do Pensamento e extinta. Paredão nele!

A intenção de Orwell era apresentar um futuro fundamentado nas aberrações do presente. Winston Smith e todos os cidadãos tinham ciência que qualquer atitude suspeita poderia expressar seu fim, e não apenas sair de um programa de tv com o bolso cheio de dinheiro, mas desaparecer de fato. Não é o que acontece no BBB?  Os participantes ficam se policiando nas palavras porque qualquer atitude por gestos ou palavras, pode servir contra eles mesmos. No livro, os vizinhos e os próprios filhos eram incentivados a denunciar às autoridades quem cometesse crimideia.

Para expressar suas emoções, Winston escreve todos os dias em seu diário usando o canto “cego” do apartamento. Somente assim, ele não era flagrado pela teletela.A primeira frase que Winston escreve em seu diário é atual e justificável: abaixo o Big Brother!

Há uma intenção por trás do BBB que é nivelar toda a sociedade de tal forma que as pessoas achem que “tudo é normal”. Sinceramente, está na hora de colocar o BBB no paredão. Reflita: vale a pena assistir o BBB 11? Não deixe que a mídia influencie seus pensamentos.

Pr. José Geraldo Magalhães Jr

 

Fonte: Creio

11/12/2010

Reality Show nos EUA tem a missão de levar Jesus Cristo a prostitutas


Annie e Regina da Hookers Saved on the Strip 250x187 Reality Show nos EUA tem a missão de levar Jesus Cristo a prostitutasUma ex-adolescente que trabalhava para tráfico de sexo, prostituta, garota de programa e stripper está estrelando um novo reality show sobre ajudar prostitutas na rua e trazê-las a Jesus Cristo.

O show, ” Hookers: Saved on the Strip (Prostitutas: Salva de Strip Clubs),” segue Annie Lobert fundadora do ‘Prostitutas para Jesus’ em sua missão de resgatar as mulheres dispostas a fugirem do jogo. Ela as leva para Destiny House, um porto seguro onde ela tenta ajudá-las espiritualmente e prepará-las para o mundo real.

A série de três partes, que estréia quarta-feira, contém algumas cenas gráficas e menciona Deus muito poucas vezes. Mas Lobert insiste que o show é sobre viver o Evangelho.

“As peças que você verá é o que [Investigation Discovery] escolheu retratar. Há um monte de coisas que você não vai ver e você só vai ter que confiar, se você for um telespectador cristão, nós estamos fazendo isso para Deus,” disse Lobert ao The Christian Post. “É um espetáculo sobre a redenção e restauração em Jesus Cristo.”

Através do show, Lobert está esperando ajudar a corrigir equívocos de pessoas de prostituição e destruir o estereótipo associado à prática.

“Eu acho que a palavra ‘prostituta’ tem sido jogada para debaixo do tapete e pensada como um tipo de palavra como lixo-sujo-que-você-merece-que-você-quiz,” disse ela. “Mas em toda a realidade é a mesma coisa que o tráfico sexual, porque 90 por cento das mulheres que se vendem são proxonetas. E adivinhem? Prostituição é igual tráfico de sexo.”

Uma pessoa de 43 anos de idade, que trabalhou 16 anos como garota de programa de alta classe, disse que é importante lembrar que o tráfico, prostituição e sexo andam de mãos dadas, porque quando as mulheres vendem seus corpos estão sendo vítimas de tráfico sexual por seus cafetões e igualmente pelos seus clientes.

Lobert notou que essas mulheres criam um vínculo saudável emocional, espiritual e mental com seus cafetões pensando que em meio a toda a dor e todo o medo de ser morto, as coisas podem melhorar mesmo estando na indústria.

Ela não só sabe disso pelo fato, mas pela experiência. Quando ela decidiu deixar a indústria do sexo, ela voltou a ela muitas vezes. Afinal, era um mundo que ela era um perito dentro.

“Hookers: Saved on the Strip,” retrata as lutas que as mulheres enfrentam ao tentar levar uma vida saudável. Para muitos, o salário mínimo é uma dura realidade. Uma das mulheres, Regina, que tentou trabalhar ganhando salário mínimo, recorda, “O último salário que eu tenho, eu poderia ter feito isso em uma hora.” Depois de ter estado na indústria há 14 anos, Regina é deixada em um vácuo social, onde ela não pode começar um trabalho real, porque ela não tem as habilidades, e onde ela não pode realmente socializar, porque ela costumava fazer as coisas de sua própria maneira.

Em última análise, através do programa de TV, Lobert quer deixar a Igreja e o mundo saber “que não é justo julgar essas mulheres.”

“Elas são filhas de Deus que nós precisamos amar,” disse ela.

“Prostitutas: Salvas do Strip” estréia quarta-feira, às 10h da noite (ET- Tempo Oriental) no canal Discovery Investigation.

Fonte: The Christian Post

%d blogueiros gostam disto: