Posts tagged ‘Violência’

20/11/2012

Faculdade Metodista promove debate sobre violência doméstica


Faculdade Metodista promove debate sobre violência domésticaO Centro Otília Chaves da Faculdade de Teologia da Universidade Metodista de São Paulo com apoio da Prefeitura de São Bernardo do Campo promove no dia 21 de novembro palestra sobre a Violência contra a Mulher: Ações e Políticas de Enfrentamento.

Para participar basta fazer a inscrição pelo e-mail eventosfateo@metodista.br ou pelos telefones: (11) 4366-5978

Palestrantes:

Maria de Lourdes Gurian Ernesto
Psicóloga, com especialização em Psicoterapia Cognitiva Comportamental
Atua no CRAM (Centro de Referência e Apoio a Mulher) de São Bernardo do Campo e trabalhou na Casa Abrigo e no CRAVI-Centro de Referência e Apoio a Vítimas de Violência – Secretaria da Justiça

Dulce Xavier

Graduada em Ciências Sociais
Gerente de Políticas para Mulheres e Questões de Gênero da PMSBC
Coordenadora do GT Gênero do Consórcio Intermunicipal Grande ABC
Coordenadora do Curso de PLP (Promotoras Legais Populares) de SBC desde 2005

Programação:

Dia 21 de novembro de 2012 (quarta-feira)
Horário: 14h-17h
Sala de Conferência – Ed. Ômega
Faculdade de Teologia/ UMESP
Rua: Planalto, 125
Bairro: Rudge Ramos- SBC

Realização: Centro Otília Chaves – Faculdade de Teologia- UMESP

Apoio: Prefeitura de São Bernardo do Campo/ Secretaria de Desenvolvimento Social e Cidadania

Fonte: Creio

02/10/2012

Cristã de 74 anos é vítima de violência policial


Cristã de 74 anos é vítima de violência policialSétima nação na Classificação da Portas Abertas de Países por Perseguição de Cristãos, o Uzbequistão sediou, recentemente, uma série de ofensas contra os cristãos, incluindo agressões policiais, espancamentos, e multas exorbitantes por conta de atividade religiosa. O site de notícias Forum 18 News Service relatou que duas mulheres idosas são as vítimas mais recentes.

A polícia invadiu a casa de Nina Cashina, uma cristã protestante, deficiente, de 74 anos de idade, e confiscou 25 livros cristãos, incluindo sete Bíblias e três Novos Testamentos russos; 25 DVDs e 20 fitas de áudio. Eles, então, invadiram a casa pertencente à  vizinha de Cashina, Gulya. O Forum 18 não conseguiu descobrir o nome completo de Gulya, mas soube, através de fontes, que ela está registrada como portadora de deficiência, em uma clínica local.

Após entrarem na casa de Gulya, os policiais algemaram a mulher e arrastaram-na para o carro, onde ela foi agredida por vários oficiais. As duas mulheres foram levadas para uma delegacia próxima, onde Gulya sofreu um ataque epilético. Ore pela recuperação dela.

Ainda segundo reportagem do Forum 18, médicos queriam levá-la a um hospital, mas a polícia não permitiu. Ao invés disso, “obrigaram-na a escrever uma declaração de que Cashina distribuía DVDs de filmes cristãos entre os muçulmanos.”

Ambas as mulheres foram liberadas e Cashina enfrenta, agora, acusações administrativas. O Forum 18 informou que milhares de crentes no Uzbequistão têm enfrentado perseguições como esta. Em alguns casos, as multas excedem quase 30 vezes o salário mínimo.

Na região leste do Uzbequistão, um irmão foi multado por cantar músicas cristãs

O Forum 18 também relatou as multas excessivas contra Viktor Kotov, no início de setembro. Em uma manhã de domingo, a casa de Kotov foi invadida por 15 policiais à paisana, que questionaram os moradores sem mostrar qualquer documentação. Em seguida, produziram registros oficiais e saíram. Mais tarde, Kotov foi multado em 314.600 sons do Uzbeque (moeda local); a soma de cinco vezes o salário mínimo mensal.

“Quando os policiais invadiram a residência, Kotov, sua esposa e filhos e uma mulher idosa, amiga da família, estavam simplesmente cantando músicas cristãs”, crentes locais relataram ao Forum 18.

“Este caso mostra, mais uma vez, que as autoridades do Uzbequistão estão decididas a liderar uma luta contra os cristãos do país.”

Ore pela paz no Uzbequistão. Peça a Deus pela proteção e livramento dos crentes que enfrentam perseguição nesta nação.

Fonte: Portas Abertas

04/12/2011

Igreja deve indenizar por violação de sepultura


A Arquidiocese de Porto Alegre foi condenada ao pagamento de indenização por dano moral, em razão da violação de sepultura.

O ministro Luis Felipe Salomão, do Superior Tribunal de Justiça, manteve decisão que condenou a Mitra da Arquidiocese de Porto Alegre ao pagamento de indenização por dano moral, em razão da violação de sepultura localizada no Cemitério Católico de Rincão do Cascalho, na cidade de Portão (RS). A Mitra é administradora da paróquia responsável pelo cemitério. “O vilipêndio decorrente da falta de segurança no local poderia ter sido facilmente coibido pela ré (Mitra), já quando noticiada a primeira invasão, mediante a adoção de medidas simples – colocação de grades ou construção de um muro, a título exemplificativo –, restando evidenciada, assim, a conduta negligente da instituição, o que não pode ser imputado ao ente público”, afirmou o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul.

A Mitra é a entidade jurídica que congrega 155 paróquias em 29 municípios do Rio Grande do Sul. O TJ-RS entendeu que a responsabilidade da instituição religiosa, diante da violação da sepultura, ocorre por ser ela a administradora da paróquia responsável pelo cemitério em que houve o vandalismo e por ser titular dos bens e direitos nela inscritos.

Para tentar reformar essa decisão no STJ, a Mitra apresentou Recurso Especial – o qual não foi admitido pela presidência do TJ-RS. Interpôs, então, agravo contra a decisão que não admitiu seu recurso, na tentativa de fazer com que ele fosse analisado na instância superior.

Segundo o ministro Salomão, relator do agravo, se o tribunal estadual afirma o dever de guarda e segurança dos jazigos existentes no cemitério situado na paróquia, sob tutela da instituição, bem como estipula – com razoabilidade – o valor da indenização correspondente pela violação desses jazigos, rever tal posicionamento exigiria reexame das provas do processo, o que a Súmula 7 do STJ não permite. O valor que foi arbitrado em R$18.600 sofrerá correção desde a data do arbitramento.

Fonte: Consultor Jurídico

21/05/2011

Igreja dos EUA atribui culpa de abusos por padres à revolução sexual


Um estudo oficial encomendado pela Conferência Episcopal dos Estados Unidos, que acaba de ser publicado, atribui os casos de abuso sexual e de pedofilia dentro da Igreja às mudanças sociais que dizem ter confundido o clero.

As conclusões deixaram indignadas algumas associações que representam as vítimas de abusos

De acordo com o estudo, citado pelo diário espanhol El Mundo, o problema não está nem na homossexualidade nem na pedofilia ou em outras coisas singulares. A culpa é mesmo da revolução sexual dos anos 60 e 70 e do efeito que esta teve nos padres que estavam pouco preparados para a situação – o que se traduziu em abusos e violações de crianças em paróquias e colégios católicos norte-americanos.
O documento agora terminado foi encomendado em 2006 e custou mais de 1,2 milhões de euros, suportados na sua maioria pela Conferência Episcopal, por organizações católicas e numa proporção menor pelo Governo.
“O aumento dos casos de abuso entre os anos 60 e 70 foram influenciados por factores da sociedade em geral”, diz o estudo, elaborado pelo Colégio de Justiça Criminal John Jay da Universidade da Cidade de Nova Iorque. “Outros factores que se mantiveram invariáveis ao longo do período de tempo analisado, como o celibato, não são responsáveis pelo aumento ou redução dos casos de abuso nesse espaço de tempo”, acrescenta o documento, que salienta que “o estado de confusão facilitou os abusos”, assim como a reacção da hierarquia eclesiástica que não os soube resolver.
O estudo contraria, assim, algumas das desculpas que foram sendo utilizadas pelo clero, que dizia que a Igreja tinha sido infiltrada por homossexuais e pedófilos. “A conclusão mais significativa desta informação é que não há uma mudança psicológica, de desenvolvimento ou comportamento, que diferencie os padres que abusaram de menores dos que não o fizeram.”

Vítimas indignadas
Conclusões que deixaram indignadas algumas associações que representam as vítimas de abusos que ocorreram no seio da Igreja. “Se há alguém a quem culpar é às dioceses e aos bispos que sabendo dos casos desses depravados os mandavam para outros colégios onde podiam continuar a cometer abusos. Nunca durante esses anos os entregaram à polícia ou aos tribunais. Esse estudo de Colégio de John Jay foi feito com informação autorizada pelos bispos. Não deram aos investigadores autoridade legal para entrevistar os abusadores e por isso chegaram a este tipo de conclusões ridículas. É um relatório pago pelos bispos, com informação dos bispos e que chega às conclusões que querem os bispos”, afirmou ao El Mundo Barbara Blaine, fundadora da Rede de Sobreviventes de Abusos por parte do Clero.
De acordo com um estudo feito pela mesma instituição em 2004, entre 1950 e 2002 foram registadas nos Estados Unidos quase 11 mil denúncias de abusos sexuais contra o clero, sendo consideradas credíveis quase 7000. Só entre 2004 e 2008 a Igreja gastou quase 1500 milhões de euros em acordos extrajudiciais de indemnização às vítimas, serviços psiquiátricos para as vítimas e em litigação.

Novas orientações do Vaticano
A publicação do documento coincide com uma posição avançada esta semana pelo Vaticano, que ordenou aos bispos que levem à Justiça os membros do clero suspeitos de pedofilia e os impeçam de exercer funções que possam representar perigo para os menores.
“O abuso sexual de menores não é apenas um delito no plano canónico. É também um crime que deve ser processado no plano civil”, referiu, numa carta circular, o prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, cardeal William Levada. O cardeal sublinhou a necessidade de “procedimentos claros e coordenados” contra “o abuso sexual de menores” e pediu aos bispos para os completarem. “A obrigação de dar uma resposta adequada aos casos de eventuais abusos sexuais cometidos sobre menores por clérigos na sua diocese está entre as importantes responsabilidades de um bispo diocesano”, sublinhou o cardeal, que deste modo confere aos bispos um papel central na luta contra a pedofilia.
O cardeal lembrou que o Papa Bento XVI promulgou em Maio de 2010 uma instrução sobre o modo de lidar com a pedofilia no seio do clero. Os bispos têm até ao fim de Maio de 2012 para fazerem chegar à Congregação contributos que permitam estabelecer “directivas completas”. A denúncia de casos de pedofilia, principalmente nos Estados Unidos, Austrália, Irlanda, Bélgica e Alemanha, mergulhou a Igreja Católica na sua maior crise dos últimos anos.

Notícias Cristãs / Publico

13/05/2011

Marcha contra violência sexual


Marcha contra violência sexual A Rede Evangélica Nacional de Ação Social (Renas) promove na próxima quarta-feira, 18, na região do Jardim Petrópolis, zona sul de Londrina (PR), a “Marcha contra a Violência Sexual Infanto-Juvenil”. O evento está programado para iniciar às 18h30, na Praça do Monumento à Bíblia, realizando o percurso até a Câmara Municipal, onde será realizado um ato solene.

Os representantes da Renas em Londrina estiveram reunidos com o prefeito de Londrina, Barbosa Neto, nesta quarta-feira, 11, comunicando sobre o ato público. Esta manifestação faz parte da X Semana Municipal de Combate ao Abuso e Exploração Sexual Infanto-Juvenil, que acontece de 16 a 20 de maio em Londrina. A Semana é uma promoção da Comissão Municipal de Enfrentamento à Violência Praticada contra Crianças e Adolescentes, Renas e Secretaria Municipal de Assistência Social. A abertura será na próxima segunda-feira, 16, às 9h, na praça do Centro Cívico, em frente à prefeitura.

O Dia Nacional do Combate ao Abuso e Exploração Sexual Comercial e Infanto-Juvenil é comemorado em 18 de maio, um marco para o enfrentamento a situações de violência sexual e infanto-juvenil.

Participaram do encontro com o prefeito Barbosa Neto, pastores da Igreja Presbiteriana Central, da 1ª Igreja Batista de Londrina, representantes da Renas-Cepas, da Secretaria Municipal de Assistência Social.


04/04/2011

Igrejas têm compromisso com superação da violência, diz pastor.


As religiões no Brasil têm um papel fundamental no resgate de valores essenciais para a sociedade, que foram se perdendo ao longo do caminho, definiu o pastor sinodal Altemir Labes, luterano, do Sínodo Nordeste Gaúcho, que tem sede em Estância Velha, a 43 Km de Porto Alegre.

“Não existe compromisso nosso, cristão, sem o empenho na luta pela paz, justiça e superação da violência”, disse o pastor em entrevista para o assessor do Conselho Mundial de Igrejas (CMI), Marcelo Schneider.

A paz, lembrou o pastor, não é apenas a ausência de guerra. Ela abrange todas as áreas da vida humana, como a superação da falta de comida, as relações entre pessoas. “O compromisso que temos, como igrejas, de cobrar a justa distribuição de riquezas é uma das ferramentas que podem garantir uma diminuição da violência”, afirmou.

Labes integra, desde 1985, o Serviço Paz e Justiça (Serpaj) e tem se engajado em processos de construção de paz e afirmação da não violência no Brasil. A congregação de Estância Velha aderiu ao tema da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB) para 2011 – “Paz na Criação de Deus”.
A discussão do tema levou à prática da reciclagem do lixo, envolvendo 15 comunidades nessa ação. O material recolhido é vendido para usinas de reciclagem da região e os recursos assim arrecadados subsidiam projetos sociais. “A grande contribuição que a igreja tem para dar é a conscientização, provocando discussões em torno desses temas”, assinalou.Fonte: Notícias Cristãs / ALC

20/03/2011

Pastor evangélico é preso após espancar esposa


Vizinhos ouviram a gritaria e acionaram a polícia.
O pastor foi preso pelo crime de violência doméstica, previsto na chamada Lei Maria da Penha.
O pastor da Igreja Pentecostal Amor Divino, Juvenal Justino da Silva Filho, 31, foi preso por espancar a esposa, de 30 anos, que teve a prótese dentária arrebentado por um soco. Vizinhos ouviram a gritaria e acionaram a PM que levou o pastor para o Cisc do Planalto. O soco deixou marcas na mão do pastor.
O pastor foi preso pelo crime de violência doméstica, previsto na chamada Lei Maria da Penha. Até a filha do casal, de 12 anos, foi a favor da mãe. A prisão ocorreu no bairro Voluntários da Pátria, em Cuiabá.
No Cisc do Planalto, o pastou negou a agressão. Alegou que o casal caminhava pela rua e ela caiu e para não bater o rosto no chão colocou a mão para absorver o impacto.
Durante a prisão, a esposa do pastor recebeu uma ligação do seu celular da esposa do pastor coordenador da Igreja na Capital. Mulher estava apreensiva com os fatos.
A vítima disse que está casada há 12 anos e é agredida com freqüência. Ontem, no entanto, resolveu Por ser crime inafiançável, o pastor será encaminhado para uma unidade prisional da Grande Cuiabá.

Fonte: Notícias Cristãs / Midia News

22/02/2011

Pastor é espancado enquanto orava por garoto de 8 anos


O pastor disse que o despojaram, após levá-lo para a estrada principal fora da aldeia.

Um pastor de Rajasthan estado da Índia foi despido, espancado e ferido por extremistas hindus no início deste mês ainda está traumatizado, enquanto a polícia ainda não investiga o caso devido aos receios da família de mais violência.

Pastor Hari Shankar Ninama, 65 anos, no dia 01 de fevereiro, estava orando em uma casa em Ambarunda, para a recuperação de um menino de 8 anos de idade que estava doente, quando pelo menos 10 extremistas hindus chegaram de moto e invadiram. Os assaltantes espancaram-no e, colocando-o em uma de suas motos, o levou para fora da aldeia, onde tirou suas roupas e golpeou-o.

Eles fugiram depois de roubar o relógio, telefone celular e uma pequena quantidade de dinheiro.

Pastor Ninama contou que ele estava visitando sua filha Galadh Mangiya Bujh na vila Ambarunda quando seu vizinho, Lasiya Bujh, pediu para ele orar por seu filho doente. Ambarunda é 17 quilômetros da vila em que Pastor Ninama mora.

“Enquanto eu orava, um grupo de pelo menos 10 homens interrompeu a oração e começou a me bater”, disse o Pastor Ninama.

Outros estavam aguardando a oração na casa da filha do pastor e testemunhou o ataque, incluindo Paasu Dindore.

“Eles bateram na filha do pastor Ninama Galadh e bateram no pai do menino doente”, disse Dindore. “Eu estava lá para pedir ao Pastor Ninama orar por mim, e logo que o ataque aconteceu eu fugi do local e testemunhei o fato à distância, escondido.”

Pastor Ninama identificou dois dos atacantes como Dhuliya e Gautam, os outros ainda não foram identificado.

“Acusaram-me com linguagem abusiva e acusações de conversão forçada e fez-me repetir as palavras depois deles,” Pastor Ninama disse, ainda visivelmente com dor e chorando.

O pastor disse que o despojaram, após levá-lo para a estrada principal fora da aldeia.

“Bateram-me uma e outra vez sem piedade com bastões de madeira e suas mãos, nos punhos e nas pernas”, disse ele. “Eles roubaram meu celular, agenda, alguns documentos, relógio de pulso e 500 rúpias (11 dólares EUA). Me ameaçando me matar se eu continuar a difundir o cristianismo, eles me deixaram nú na estrada e fugiram. ”

Ameaças
O Sub Inspetor Bhagwat Singh disse que a família do pastor tem medo de que uma investigação policial levaria a uma retaliação dos extremistas.
“Ninama filha e genro chegaram à delegacia pedindo a polícia não levar o caso adiante”, disse ele
Área fonte Sunny Meda, disse ao Compass que os extremistas ameaçaram incendiar a casa da filha de pastor Ninama se processar a polícia.
“Durante três dias Galadh e sua família não foram autorizados a deixar a vila ou até mesmo ir ao mercado”, disse Meda. “Há medo e terror entre as famílias cristãs na vila.”
A polícia ainda têm de fazer as prisões.
Dindore, um membro da igreja do Pastor Ninama, disse que não há cultos na igreja desde que ele foi atacado.
Apesar de fraco, porém, o Pastor Ninama disse ao Compass que ele vai continuar a evangelizar nas aldeias e orar pelas pessoas, onde e quando for chamado.
Sub Inspetor confirmou que o pastor Ninama andava nú, a cinco milhas do local do espancamento a caminho da delegacia.
“Eu coloquei algumas roupas quando ele chegou à delegacia”, disse Singh.

Lesões
O pastor recebeu tratamento no Centro Médico de Mahatma Gandhi durante dois dias antes de ser transferido para um hospital particular.
Dr. Ravi Upadhaya disse ao Compass que as lesões de Ninama são emocional, bem como a física.
“Ele tinha lesões de tecidos moles em muitas partes do seu corpo, incluindo as marcas de machucado em sua costa e coxa, variando de cinco centímetros a oito centímetros de comprimento e 2-5 cm de largura”, disse Dr. Upadhaya. “Ele também tinha uma ferida acentuada atrás do pescoço, que sangrou e, a vítima queixou-se de dor torácica interna. Mas mais que dor física, o homem de 65 anos, está mentalmente traumatizado. ”
Ele recebeu alta do hospital privado em 11 de fevereiro e ainda se queixa de ter dores no corpo.
Agricultor, pastor Ninama converteu do hinduísmo ao cristianismo há 12 anos. Ele e sua esposa têm seis filhas e dois filhos. Ele lidera uma igreja doméstica em sua casa com cerca de 40 pessoas e aldeias próximas, incluindo a vila onde o ataque ocorreu.
O Partido do Congresso está no poder, no Rajastão, com Ashok Gehhlot como ministro-chefe desde dezembro de 2008. Anteriormente, o Bharatiya Janata Party decidiu, passando por uma controversa “lei anti-conversão”, que proíbe a conversão forçada ou falsos, mas é freqüentemente utilizadas para perseguir cristãos com falsas acusações.
O projeto de lei de conversão torna uma ofensa inafiançável à prisão imediata, e até cinco anos de prisão. O projeto enfrentou forte oposição do então-Gov. Pratibha Devisingh Patil, atualmente presidente da Índia.

Fonte: Portal Padom
04/02/2011

Cristãos no Iraque ainda sofrem violência, diz OIM


Cristãos no Iraque ainda sofrem violência, diz OIMA Organização Internacional para Migrações (OIM) informou que mais de 1,3 mil famílias cristãs iraquianas fugiram de suas casas em direção ao norte do país.

De acordo com a agência, eles estão enfrentando ameaças e problemas econômicos em suas cidades de origem.

Ataques

A perseguição aos cristãos iraquianos começou após a guerra de 2003 com a saída do presidente Saddam Hussein do poder. Muitos fieis fugiram para os países vizinhos.

Há três meses, pelo menos 52 pessoas morreram durante o ataque a uma igreja na capital Bagdá.

Por causa da violência, novos postos de segurança foram instalados em áreas estratégicas, mas ainda não são suficientes para prevenir e conter novos ataques.

Rumores

Segundo a OIM, os deslocamentos internos de cristãos no Iraque continuam a aumentar. A cidade de Erbil, no norte do país, por exemplo, já recebeu 830 familias cristãs desde novembro passado.

A agência informou que os cristãos iraquianos tem encontrado dificuldade em vender suas casas por um preço justo. Há relatos de que algumas pessoas forjam a ameaça para fazer com que os donos dos imóveis fujam, baixando o preço da propriedade.

Dificuldades

O valor do aluguel em cidades que receberam grande influxo de cristãos também aumentou em até 300%.

Além dos problemas de moradia, os cristãos deslocados internamente no Iraque ainda enfrantam dificudade em continuar estudando e trabalhando.

Mesmo com as promessas de melhoria na segurança nas cidades de Bagdá e Nínive, a OIM afirmou que os cristãos devem permanecer no norte do país.

Fonte: Christian Post / Guia-me

04/02/2011

Jovens atacam faculdade bíblica e ameaçam o líder da equipe


O que começou como uma brincadeira na preparação do festival religioso local em Assam, Índia, tornou-se um ataque violento este mês, resultando na destruição da propriedade da ONG Gospel for Asia(Evangelho para a Ásia, GFA, em inglês), que mantém a faculdade bíblica, e em uma ameaça de morte contra um dos membros da faculdade.

Na preparação para o festival da colheita, jovens desse estado nordestino indiano têm uma tradição: manter fogueiras acesas durante toda a noite, acompanhadas de canções e danças, além de furtos de galinhas, vegetais e lenha de povoados locais.  Eles também vão de porta em porta coletando dinheiro para o festival.

Tomando uma posição

Como o festival celebra uma tradicional adoração divina naquele povoado, os líderes da faculdade bíblica gentilmente se negaram a fazer qualquer doação, quando os jovens vieram à escola.

Movidos pela raiva, esses jovens começaram a exigir dinheiro e reagiram com violência, quando não havia ninguém por perto. Uma multidão de aproximadamente 100 pessoas, armadas com machados e facas, atacou a escola, derrubando as cercas, cortando os cabos elétricos e destruindo uma parede da capela da faculdade.

Eles também ameaçaram matar Darvin Paswan, o coordenador de treinamento da escola, caso ele tentasse parar o alvoroço. Quando alguns dos estudantes da faculdade bíblica tentaram intervir, os líderes da multidão ameaçaram-nos também.

Necessidade de Oração

A calma voltou, mas a escola está pedindo orações: primeiro, por aqueles que os atacaram; segundo, para que esse incidente não aconteça novamente; e, por último, que consigam fundos para reparar os danos causados no ataque.

“Este terrível evento é somente uma indicação de que o inimigo quer muito prejudicar nosso ministério”, disse o Presidente da GFA, K. P. Yohannan. “Mas certamente não é o único exemplo”.

“No mesmo dia, recebemos um relatório sobre o ataque à faculdade bíblica e notícias de que anticristãos radicais, em outro estado, estão ameaçando bater no Pastor Ajuna Etty. “Seu crime? A comunidade do Pastor Ajuna cresceu para 75 crentes e ele está compartilhando o Evangelho em 10 vilas dos arredores! Isso mostra que aqueles que se opõem ao Evangelho recorrerão a qualquer coisa para impedir outros de conhecer sobre o maravilhoso amor de Deus.

“Verdadeiramente este é um tempo de orar”, declara o pastor.

Fonte: Portas Abertas

%d blogueiros gostam disto: