Posts tagged ‘YouTube’

20/09/2013

Assessoria de Marco Feliciano divulga vídeo de beijo gay durante culto


Assessoria de Marco Feliciano divulga vídeo de beijo gay durante cultoA assessoria do deputado federal, pastor Marco Feliciano, divulgou em seu canal do Youtube o exato momento em que duas jovens são presas no domingo (15), durante o Glorifica Litoral, depois de se beijarem. Ao contrário do que foi mostrado pela imprensa, as jovens foram erguidas por seus amigos e começaram a se beijar com a intenção de provocar o pastor.

O locutor do evento chegou a alertar aos presentes que pela lei o local de culto é protegido e que a polícia estava ali para intervir em qualquer manifestação que tivesse o objetivo de prejudicar a reunião religiosa.

As jovens aparecem se beijando entre os fiéis enquanto o pastor se preparava para iniciar a pregação. Joana Palhares, de 18 anos, e Yunka Mihura, de 20, foram retiradas pela Polícia Militar e depois de serem levadas à delegacia passaram a afirmar que foram agredidas pelos policiais.

Para o colunista da Veja, Rodrigo Constantino, o episódio mostra que os homossexuais são os mais intolerantes. O jornalista também afirma que o beijo não foi inocente, mas que as garotas foram até o local de culto com a intenção de “chocar”, “prejudicar” e “avacalhar” o culto evangélico.

Rodrigo afirma que muitos do movimento gay se julgam acima da lei e que se a situação fosse contrária, se Feliciano fosse para uma parada gay se manifestar contra a homossexualidade, certamente seria hostilizado.

“Infelizmente, o movimento gay não parece mais lutar por direitos, e sim por uma agenda coletivista, autoritária e intolerante. São os “fascistas do bem”. Julgam-se detentores de uma causa tão nobre que não enxerga mais indivíduos do outro lado, e não quer saber de limites, nem mesmo os legais”, escreveu Rodrigo.

O colunista também afirma que Feliciano representa milhares de eleitores e milhões de crentes evangélicos e que estes merecem respeito. “O movimento gay precisa entender isso. Caso contrário, vai apenas prejudicar os gays que querem apenas preservar sua liberdade individual, sem, todavia, impor essa agenda política de intolerância”, escreveu.

O pastor Marco Feliciano desabafou no Twitter dizendo que só “fazem isso contra evangélicos porque somos pacatos, de paz…”. Silas Malafaia também criticou a atitude das ativistas e disse que as jovens mereciam ser presas.

Assista:

 

17/10/2012

Gangnam Style ganha versão gospel


Gangnam Style ganha versão gospelJovens do Ministério Rocha de Israel, de Manaus (AM), estão ensaiando passos de dança para a versão gospel da música “Gangnam Style” hit mundial na voz do coreano Psy.

A adaptação da letra foi feita por Henrique Rabello que aparece liderando a coreografia em um dos vídeos postados no Youtube. Alguns passos feitos pelos jovens são bem parecidos com a dança original, principalmente o trecho do refrão, passos de dança que já estão sendo ensinados em academias de ginástica e até mesmo em programas de TV, devido ao grande sucesso da música.

Para se ter uma ideia, essa canção está tão em alta que o vídeo clipe oficial foi visto mais de 470 milhões de vezes, se tornando um dos mais vistos em toda a rede.

Na paródia evangélica a letra original que fala sobre sensualidade foi trocada por frases sobre vida eterna e santidade e ganhou o título de “Gospel Style”. “Eu escolhi esperar / Eu tô no gospel style”, diz o refrão da música.

No Youtube encontramos diversas paródias evangélicas feitas a partir de grandes sucessos da música secular, um dos vídeos que mais fez sucesso na rede foi o “Assim Eu Prego”, paródia da versão “Ai se eu te pego” do cantor Michel Teló. Os cantores Paulo Peres e Heliel Cintra apareceram até no Programa da Eliana.

Veja o clipe de Gospel Style:

21/09/2012

Onda de “fúria islâmica” já dura uma semana e fez 25 mortos


Onda de “fúria islâmica” já dura uma semana e fez 25 mortos

A nova onda de protesto dos muçulmanos, supostamente é por causa do filme “A Inocência dos Muçulmanos”, obra produzida nos Estados Unidos e considerada ofensiva por retratar o profeta Maomé como um homem violento e mulherengo.

Os confrontos por causa desses protestos têm motivação política em algumas nações, mas na maioria do mundo árabe e nos países de maioria muçulmana trata-se de uma questão religiosa. Até o momento já morreram pelo menos 25 pessoas. Com o ataque de uma mulher-bomba, em Cabul, Afeganistão, dessa semana, aumentou em 12 a conta.

Tudo começou uma semana atrás, quando manifestantes invadiram a embaixada dos EUA e rasgaram bandeiras americanas. Quatro pessoas foram presas. Logo depois, no dia que os ataques do 11 de setembro completaram 11 anos, um atentado contra o consulado norte-americano em Bengasi, Líbia, matou quatro pessoas, incluindo o embaixador J. Christopher Stevens.

Foi no Cairo que, há uma semana, pouco antes do confronto na Líbia. Um trailer dublado do filme foi postado no Youtube, e deu início a vários protestos. Manifestantes muçulmanos na Jordânia, Bangladesh, Irã, Iraque, Sudão, Iêmen, Tunísia e Israel realizaram algum tipo de protesto.

Criticado pelo presidente Barack Obama e chamado pela secretária de Estado Hillary Clinton, de “repugnante e condenável”, o material foi usado como “estopim” para mais um levante dos extremistas muçulmanos.

“Para mim, não é pelo filme, é mais pelo acúmulo de violações dos Estados Unidos no Iêmen”, disse um manifestante iemenita à BBC. Sanaa, capital do Iêmem, viu centenas de manifestantes incendiaram carros e enfrentaram a polícia após invadirem a embaixada americana. Quatro pessoas morreram neste conflito. Esta semana, mais protestos ocorreram em Bangkok, Tailândia, e na Caxemira indiana.

Obama e a chanceler alemã, Angela Merkel, retiraram representações diplomáticas em alguns países. Merkel pediu que o vídeo não seja exibido em seu país. Mesmo recebendo pedidos para retirar o material do YouTube, o Google decidiu mantê-lo na Internet, embora tenha bloqueado o acesso em países como a Índia, Indonésia, Líbia e Egito, por ordens judiciais e dos governos.

O levante islâmico ocorre pouco mais de um ano após as revoltas árabes de 2011, quando Tunísia, Egito e Líbia tiraram do poder seus antigos ditadores. Mas esses ares de democracia não impediram também a ascensão dos fundamentalistas.

Enquanto isso, líderes muçulmanos como o aiatolá Ali Khamenei, do Irã, classificaram o filme como “blasfêmia” e pediram retaliação dos fieis contra EUA e Israel. O clérigo Abu Islam rasgou e queimou uma Bíblia na frente de milhares de pessoas e avisou a multidão “da próxima vez vou urinar sobre ela”.

A liderança da Al Qaeda pediu hoje que os muçulmanos matem mais diplomatas americanos. “Nossos peitos se estufam satisfeitos e encorajados pelos presentes dos muçulmanos do Egito, da Líbia, da Tunísia, do Iêmen e de outros países do mundo muçulmano”, diz o comunicado da rede terrorista. Tudo isso só acirrou os ânimos dos muçulmanos.

O ódio contra os judeus acabou sendo acrescido pelas informações (posteriormente desmentidas) que o filme foi financiado com a ajuda de mais de 100 doadores judeus.

Embora tenham surgido ameaças desde o início, o problema foi aumentando quando o pastor Terry Jones, que já era desafeto dos muçulmanos, começou a divulgar o filme. Ele justificou que o material “serve para mostrar a ideologia destrutiva do Islã”.

Ao mesmo tempo, um grupo canadense tentou levar o filme para os cinemas, mas não recebeu apoio. O papa pediu “paz” aos moradores do Oriente Médio e condenou as ações violentas por causa do filme. A Aliança Evangélica Mundial também divulgou uma nota condenando esses protestos, que aparentemente não devem cessar tão cedo.

Fonte: Gospel Prime

14/09/2012

Produtor de filme “anti-Islã” promete lançar série de TV sobre o assunto


Produtor de filme “anti-Islã” promete lançar série de TV sobre o assuntoSam Bacile foi identificado como o escritor, diretor e produtor do filme de duas horas “Inocência dos muçulmanos”, que provocou protestos que levaram à morte do embaixador dos EUA, Chris Stevens, na Líbia além de ataques a consulados americanos em outros países.

Bacile diz que vive na Califórnia, onde trabalha no setor imobiliário. Na verdade, o mistério sobre sua identidade aumentou quando um consultor do filme afirmou que o senhor Bacile não existe, uma vez que não apareceu em público.

Nas entrevistas que tem dado, quase todas por e-mail ou telefone, Bacile afirmou que o filme foi financiado com a ajuda de mais de 100 doadores judeus. Ele acrescentou que trabalhou com 60 atores e 45 extras para rodar o filme em um período de três meses no ano passado. “É um filme político. Não é um filme religioso”, finalizou.

Um trecho de 14 minutos do filme foi postado no YouTube em julho e ao ser dublado para o árabe recentemente geou protestos entre os muçulmanos pois o profeta Maomé é retratado como um homem mulherengo violento.

O material tem gerado protestos contra os Estados Unidos em diversos países do Oriente Médio e também foi divulgado pelo pastor Terry Jones, que já é desafeto dos muçulmanos por ter queimado exemplares do Alcorão.

No primeiro dia de protestos, egípcios rasgam bandeira dos EUA. No segundo dia, o embaixador dos EUA e 3 funcionários foram mortos na Líbia. Hoje, no terceiro dia, a embaixada dos EUA no Iêmen foi cercada e atacada. Pelo menos uma pessoa morreu e outras 20 ficaram feridas informaram fontes médicas às agências de notícias.

O governo americano teme que isso evolua para uma onda de ataques terroristas a outros alvos em todo o mundo. Manifestações também foram registradas nesta quinta em Bangladesh, Iraque, Marrocos, Sudão, Tunísia e na Faixa de Gaza.

Steve Klein afirma ter trabalhado na produção e disse à revista Atlantic que o nome Sam Bacile era um pseudônimo e que ele não era judeu. Mesmo assim, ele também tem uma visão negativa do Islã. E acrescentou: “Eu não sei muito sobre ele. Eu o conheci, falei com ele por uma hora. Ele não é de Israel, não. Eu posso dizer isso com certeza, o Estado de Israel não está envolvido… Seu nome é um pseudônimo. Duvido que ele seja judeu. Eu suspeito que isso seja uma campanha de desinformação”.

Segundo o jornal New York Post, autoridades norte-americanas identificaram o homem que diz ser Bacile como Nakoula Basseley, um cristão copta de 55 anos. A agência Associated Press descobriu que os dois são a mesma pessoa após rastrear o número de celular usado por Bacile em uma entrevista por telefone. O telefone estava sendo usado da casa de Nakoula.

Entre as últimas afirmações, atribuídas a Bacile na entrevista à Associated Press, está a declaração que ele pretende fazer filmes adicionais. “Meu plano é fazer uma série de 200 horas sobre o mesmo assunto”, disse ele. E foi mais além: “O principal problema é que eu sou o primeiro a colocar na tela alguém sendo [retratando] Maomé. Isso os deixou loucos. Mas nós temos que abrir a porta. Após o 11 de setembro seria bom todo mundo lembrar que estará na frente do juiz, Jesus”.

O governo americano busca se distanciar do vídeo. Nesta quinta-feira, a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, disse que os EUA “nada têm a ver” com o filme, que classificou de “repugnante e repreensível”.

Traduzido de Telegraph e Associated Press

01/08/2012

DVD Glória e Honra de Nívea Soares já está nas lojas


A Onimusic já distribuiu para todo o Brasil o DVD “Glória e Honra” da cantora Nívea Soares. O álbum foi gravado ao vivo na Igreja Batista Central de Luxemburgo, em Belo Horizonte (MG), tendo Gustavo Soares, esposo da cantora, como produtor.

O mesmo culto resultou também na gravação do CD de mesmo nome que foi lançado no primeiro semestre deste ano. O DVD tem cerca de uma hora a mais de gravação em relação ao CD, contendo 18 faixas.

Entre essas faixas extras podemos citar a canção “Emanuel”, “Teu amor não Falha” e muita adoração espontânea. . “Foi uma noite muito especial em que eu fui marcada, vidas foram marcadas pela Glória de Deus. Anseio para que quem assista este DVD possa compreender a mensagem de que toda Glória e Honra são dadas ao único digno: Cristo Jesus, nosso Salvador”, disse Nívea Soares.

O DVD conta também com uma ministração feita pela própria contadora com o título “Marque sua geração com a presença de Deus”. Para deixar esse trabalho ainda mais especial há uma faixa bônus com a canção “Todo olho verá” produzida com vídeos feitos por pessoas que estavam no dia da gravação e que postaram suas imagens no Youtube.

Assim como foi com o CD o encarte do DVD “Glória e Honra” foi assinado pela equipe da Quartel Design que assina o projeto gráfico de diversos artistas evangélicos.

07/03/2011

Humoristas realizam evangelismo fazendo comédia para a internet


Humoristas realizam evangelismo fazendo comédia para a internet

Qual é o maior campo de missões para alcançar os jovens? Um partido? Um campus universitário? “A maior concentração de jovens está na internet. É o maior campo de missão da história”, diz Jon Taylor.

Taylor se associou com Doug Hutchcraft e fundaram o Ministério Ron Hutchcraft online, “O Douglas e Jon Show”. O site de comédia foi criado para alcançar este grande campo missionário.

Taylor diz que o uso de vídeos, animações e blogs na internet são uma espécie de linguagem. Assim como o missionário precisa saber chinês, e sabê-lo bem para alcançar os não-cristãos chineses com o Evangelho, Taylor e Hutchcraft tem aprendido a falar na linguagem da internet e alcançam muitos adolescentes por meio do YouTube, Facebook e muito outros sites. Essa linguagem inclui dois elementos principais: o humor e a comunidade.

“No Doug e Jon Show não somos engraçados à toa, mas para obtermos a atenção de alguém que não se preocupa com o Evangelho. Alguém que ainda é hostil ao Evangelho”, explica Taylor.

“Quando fazemos as pessoas rirem, é como se elas ficassem ligadas a nós, então a comédia é realmente apenas um veículo para que os jovens sem igreja possam abrir o coração para o Evangelho. E quando eles nos dão permissão para lhes falar de Jesus, podemos levar a Palavra.

Taylor chama a atenção que, além do entretenimento, eles constroem relações, assim como qualquer outro missionário.
Pode parecer uma estranha forma de unir o campo missionário, mas o Doug e Jon Show constroem relacionamentos e oferece aos telespectadores a possibilidade de aprender sobre Cristo, depois de assistir a um vídeo.

Mais do que isso, o site também está encorajando os jovens crentes a compartilharem sua fé. “É muito difícil levá-los a dizerem para um colega na escola sobre Jesus. Mas é muito fácil para eles mostrarem um vídeo engraçado”, diz Taylor. À medida que novos jovens visitam o site, mais pessoas conhecem o Senhor como seu Salvador.

Fonte: Guia-me / Cepavi

%d blogueiros gostam disto: